História Dois corações, um destino... - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Henrique & Juliano, Léo Santana
Personagens Henrique, Juliano
Tags Amor, Cantor, Casamento, Drama, Musica
Visualizações 222
Palavras 1.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Talvez eu volte hoje, vou pensar 😂

Capítulo 28 - Você acredita em mim?


Fanfic / Fanfiction Dois corações, um destino... - Capítulo 28 - Você acredita em mim?

POV YASMIN

—Está tudo bem?- pergunta Lore e eu nego. —O que você está sentindo?

—Meu estômago está doendo!- falo fazendo careta.

—Você comeu algo antes de dormir?- neguei. —Tá louca mulher?- ela pegou o telefone desesperada e fez o pedido café da manhã.

—Eu vou tomar um banho!- falei e ela assentiu sorrindo fraco.

—Você deveria dormir, não dormiu nem uma horinha, Yas.

—Depois que eu tomar banho eu tento dormir!- sorrio de canto. —Você deveria dormir também, passou a noite toda me consolando. Liga para as meninas e avisa que está tudo bem. Pede para a Mohana dizer isso aos meus sogros também, não quero que se preocupem comigo. – ela assentiu. Entrei no banheiro e tranquei a porta, me apoiei na pia e me olhei no enorme espelho, eu estava horrível.

Meus olhos estavam completamente vermelhos e pequenos, as olheiras eram visíveis, meu cabelo parecia um ninho de passarinho. Minha cabeça estava doendo, meu nariz também estava vermelho e ferido, parecia até que eu havia pegado uma forte virose.

 Tirei os panos que cobriam o meu corpo e andei até o chuveiro, abri a água na temperatura mais quente, a água caia em minha pele, chegava até a coçar devido o contato, mas mesmo assim eu não me importava, logo meu corpo foi acostumando á temperatura e em seguida meu corpo relaxou, eu sabia que tinha que lavar os cabelos mas a água quente iria danifica-los então apenas fiz um coque...

Olhei ao redor do banheiro, o vapor cobria todo o cômodo, o box estava completamente embaçado e eu desenhei coisas aleatórias e sorri ao ver meu nome e o de Henrique dentro de um coração, o sorriso se transformou em lágrimas e meu coração doeu ainda mais, joguei água retirando o desenho e fechei os olhos, senti a água descendo pelas minhas costas, peguei o sabonete líquido que eu estava acostumada a usar e ensaboei todo o corpo.

Lavei retirando toda a espuma, em seguida o mundo pareceu desabar, eu só sentia as lágrimas caírem juntamente com as gotículas de água do chuveiro, eu me senti fraca, eu sentia uma dor que até então era desconhecida por mim. A dor da decepção da pessoa que eu menos esperei que fosse me decepcionar...

—Ah, Henrique, por que você fez isso comigo?- pergunto tentando me recompor, mas a dor era demais.

—Yas?- ouvi Lore me chamar. —Já fazem quarenta minutos que você está aí dentro, tá tudo bem?

—Aham!- falo desligando o chuveiro. —Já estou saindo!- vesti o roupão que estava pendurado e sai do banheiro.

—Meu Deus, Yasmin... Tu quer morrer sufocada aí dentro?- acabei rindo de seu jeito espantada ao ver a fumaça. — O café da manhã chegou, come bem, hoje temos o dia todo para você descansar.

—Mas e o show?- perguntei vestindo uma calcinha.

—Cancelei, você não conseguiria subir ao palco... Não se preocupe, já conseguimos remarcar para a próxima semana.

—Você existe mesmo?- perguntei indo em direção á mesa móvel que havia um pouco de cada coisa. Bebi o café para cessar a dor de cabeça e em seguida comi a salada de frutas.

—Pedi uma coxinha para você, eu seu que você gosta!- disse ela apontando para o saco de papel que estava ao lado do prato.

—Obrigada, Lore!- sorri. —Está quentinha!- falo ao morder um pedaço.

—Vou acertar mais um dia aqui no hotel, já volto!- assenti e sentei na cama ainda comendo a coxinha, que nesse momento parecia a oitava maravilha do mundo, e de fato é. Assim que acabei, fui até o banheiro e escovei os dentes, em seguida ouvi a porta do quarto de abrir.

—Já voltou?- perguntei confusa, não fazia muito tempo que ela havia saído, provavelmente deve ter esquecido o dinheiro. Enxuguei a boca e fui em direção ao quarto mas me assustei quando vi ele parado á minha frente. —O que você está fazendo aqui?

—Amor...

—NÃO ME CHAMA ASSIM!- falo me afastando quando vejo ele se aproximar. —Vai embora!- sussurro.

—Me escuta!- ele pediu e eu neguei indo até a cama.

—Olha para mim!- ele pediu, sua voz estava entrecortada, ele estava chorando e isso me doía ainda mais.

—Só me diz o por quê? O que eu fiz para merecer isso, Henrique?- pergunto já me afogando em lágrimas. —Eu não sou o suficiente?

—Não amor, não pensa nisso...

—É porquê eu não quero ter filhos e formar uma família com você? Hum?- soluço. —Você não estava gostando do nosso relacionamento? Ele esfriou? Eu não sou uma pessoa desejável para você? Você não sente prazer comigo? Onde foi que eu errei?

—Você não errou em lugar nenhum, não fala besteira!- ele pediu e sentou á minha frente, me neguei a encarar seus olhos. —Eu não te traí, Yamin.

—Não foi ninguém que me disse, eu vi o vídeo Henrique!- falo suspirando. —Eu só queria entender.

—Olha para mim, quero que você escute tudo o que eu tenho para te dizer, mas quero que mantenha os olhos fixos nos meus. Você me conhece da cabeças ao pés, sabe meus jeitos e sabe exatamente quando estou falando mentira. -Ele levantou meu queixo e só então eu pude reparar que seus olhos estavam tão vermelhos quanto os meus, sua aparência estava abatida, seus olhos fundos, as olheiras também estavam destacadas, Henrique havia exagerado na bebida, eu o conhecia bem.

—Por que eu deveria...

—Deixa eu falar, deixa eu te contar o que aconteceu!- falou ele e eu respirei fundo e deixei que ele se explicasse.

—Promete que vai dizer a verdade?

—Sim!- ele sorriu de canto. Enxuguei as lágrimas e peguei um travesseiro e o abracei. —Eu fiquei irritado com o clipe que você estava fazendo com o Léo, peço desculpa por minha atitude infantil de tratar você daquele jeito, eu assumo que foi imaturidade minha, eu confio em você Yas, eu sei que você jamais me trairia. E independente de eu ter ficado com raiva ou não, eu jamais usaria isso como um motivo para te trair, você sabe que eu te amo. Sabe que em todos esses anos eu nunca te dei motivos para desconfiar de mim, sei que há notícias que sempre tentam nos destruir mesmo sem saber sobre nosso relacionamento. Eu te amo tanto, mas tanto que sou capaz de dar a minha vida por você, e você sabe que eu não estou dizendo dá boca para fora...

—Me diz, me explica aquele vídeo!- peço tentando controlar as lágrimas.


POV HENRIQUE

Contei á ela todos os meus passos desde que desliguei o telefone até o fim do show quando descobri, ela ficou quieta por alguns minutos. Longos minutos que foram uma tortura, ela estava pensando, e num ato que eu não esperava ela se jogou em meus braços e me abraçou, seus soluços invadiram o quarto e eu alisei seu cabelo, não sabia ao certo se ela havia acreditado em mim, apenas aproveitei para deixar as lágrimas caírem também, ela tinha que acreditar em minhas palavras, eu sei que é a minha palavra contra as falsas evidências, mas eu tinha esperança de que ela me perdoaria mesmo sem eu ter feito nada.

—Você acredita em mim?- perguntei num sussurro e ela me olhou nos olhos.

—Sim meu amor, eu acredito no que você disse!-Ela falou e nessa hora quem chorou fui eu. A minha consciência estava limpa, e saber que ela confiava em me e acreditava em minhas palavras eu me sentia aliviado...

—Então o nosso casamento não acabou?- pergunto encarando seus olhos claros.

—Se você não fez nada, não tem porquê por um fim, eu te amo Henrique!

—Eu te amo muito mais, Yasmin!- falo beijando suavemente sua testa, em seguida, desci os beijos para seu nariz e por último selei nossos lábios, iniciamos um beijo calmo e gostoso, eu estava com tanto medo de perder ela, nesse momento eu só me sentia grato pela sua confiança.

—Promete que vai evitar isso de novo?- se referiu ao vídeo e eu assenti.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...