1. Spirit Fanfics >
  2. Dois Irmãos >
  3. Final Feliz (Último Capítulo)

História Dois Irmãos - Capítulo 60


Escrita por:


Capítulo 60 - Final Feliz (Último Capítulo)


-Sophie! -Ele diz ao me abraçar.

-Para, me solta! -Falo ao empurrá-lo. -O que você está fazendo aqui?

-Eu voltei. -Diz Ethan como se nada tivesse acontecido.

-Tô vendo! O que houve com você durante todos esses meses? Por que não quis mais saber de mim? 

-Posso entrar para te explicar o que aconteceu?

Aceno a cabeça positivamente, Ethan entra em minha casa, eu fecho a porta e nos sentamos no sofá.

-Eu morri de saudade da Mika, da Gabi e de você principalmente, mas a minha mãe pediu, ou melhor, quase me obrigou a não ter mais contato com vocês, alegando que assim seria melhor para todo mundo, pois a intenção dela era não voltar mais, então ela não quis que estivéssemos presos um ao outro para que você pudesse viver a sua vida e eu a minha, mas Soso, eu não consegui te esquecer nem um só minuto. -Falou Ethan. -Me perdoe, por favor.

Ethan me pareceu tão sincero, bem convincente, ah, e eu senti tanto a falta dele. Acabo o desculpando e o abraço. Ele, no entanto, me pergunta sobre as novidades e eu conto sobre toda a loucura que se tornou a minha vida, ele fica sem crer ao me ouvir contar toda a história, acho que era surreal demais para alguém acreditar. 

No dia seguinte, Chris foi até minha casa para conversarmos, acho que tínhamos mesmo muita coisa para conversar. A gente se senta em minha cama e ele me diz:

-Sophie, eu te amo como nunca amei ninguém e não imagino a minha vida sem ser ao seu lado.

-Mas você sempre estará do meu lado. Pra sempre. -O interrompi. -Afinal, somos irmãos.

-Você não está me entendendo. -Ele diz começando a chorar. -Eu quero ficar com você e não ligo para o que vão dizer ou falar, não ligo se você é minha prima, tia ou irmã, só ligo para o que sinto por você, só isso que importa pra mim. Já sei, a gente poderia fugir. Isso, vamos recomeçar nossas vidas, você, eu e essa criança que será muito amada.

-Tá maluco? -Pergunto. -O que você bebeu, garoto? Eu não vou fugir. Não vou deixar as pessoas que eu amo pra me aventurar com você.

-Tem razão. -Fala aos prantos. -Mas eu te amo tanto.

Nisso ele me beija. Merda! Como eu viveria sem aquele beijo que eu tanto adoro? Como eu viveria ao lado de quem eu amo sem poder ficar com ele? E o pior, sabendo que o sentimento é recíproco. Tinha tanto medo de não saber lidar com toda essa montanha russa que estava a minha vida.

Eu não neguei aquele beijo mesmo sabendo que era errado, me entreguei com tanto desejo porque mesmo não podendo, eu queria, por mais que eu soubesse que estava errado e que não podíamos, eu também desejava beijá-lo. Porém, ao cair a ficha de tudo, o empurrei afastando - o de mim.

-Para! Para! -Pedi. -A gente não pode. É errado. Somos irmãos.

-Para de me lembrar isso. Eu não quero viver do seu lado sem poder te beijar, te tocar… 

-Não dificulta tudo, por favor. Pra mim também está difícil, mas sei que com o tempo a gente conseguirá seguir em frente e passaremos a nos ver como irmãos. 

-Eu sei que você está certa. -Me falou. -Mas…. Nada. Então deixa eu te pedir só uma coisa. Um beijo.

-Você não entendeu nada do que eu falei, né? Pergunto.

-Não. É um beijo de despedida. De término. Só pra eu guardar o gosto do seu beijo aqui no coração.

-Um só? -Pergunto.

-Sim. Um só. Prometo.

Eu aceitei e então nos beijamos até ficarmos sem fôlego, acho que foi o beijo mais longo da minha vida e o mais triste também. 

Quando terminamos de nos beijar, demos um selinho e nos abraçamos.

-Oh, meu Deus! Como eu te amo, garota.

-Eu também te amo. Muito. -Falei enquanto o abraçava e tentava segurar o choro.

Eu sabia que sentiria falta de tudo o que vivemos, mas mais do que um namorado, eu queria minha mãe e meu irmão de volta, sonhei tanto com esse momento e não queria estragar tudo.

Mika e Gabi quase surtaram quando souberam de tudo.

-Você pegou o seu irmão? -Me questionou Mika com cara de repúdio. 

-Hey, eu não tenho culpa, não sabia que éramos irmãos. -Falei.

-Bugado! -Diz Gabi. -Não queria estar no seu lugar.

E a única coisa que eu conseguia pensar era de como eu explicaria pra uma criança que eu era mãe e tia dele (a), e que Christopher era pai e tio dele (a), seria uma confusão na cabecinha da criança.

Meus pais acabaram ficando amigos, mas nossas vidas seguiram iguais, eu morando com papai e Chris com mamãe, mas ficou combinado que nas férias eu passaria uns dias com eles e Chris também passaria uns dias com a gente. 

Mika e Gabi adoraram saber que Ethan estava de volta e ele passou a fazer novamente parte da nossa turma, ele até quis voltar com nossa relação, mas eu não quis, preferi que fôssemos só amigos.

Mamãe era a mulher mais incrível desse mundo, quando ela soube que eu era sua filha, fez questão de me dar um presente por cada data que ela passou ausente, ah, se ela soubesse, que eu já tinha ganhado meu maior presente e ainda fez de tudo para eu me sentir amada, ela queria que eu soubesse que me amava do mesmo jeito que ela amava os demais filhos que cresceram com ela. Já papai, também fez de tudo para se aproximar de Chris e os dois também estavam se dando super bem. Agora sim, minha família estava completa de novo.

Nove meses depois, nasceu minha maior benção, minha Dulce, e o melhor era que ela era perfeitinha, eu já estava preparada para caso ela viesse com alguma doença, mas não veio. Ela era linda, uma boneca, me apaixonei por aquele mini pedaço de gente, uma coisinha tão pequena e frágil. 

Chris e eu resolvemos criá-la juntos, quer dizer, não juntos como casal, mas sim como dois pais separado que querem cuidar da sua filha. 

Dulce cresceu tão linda, inteligente e meiga, Chris e eu acabamos fazendo tratamento com psicóloga para saber como conversar com a Dul, tinha receio de como ela reagiria ao saber de tudo isso.

Eu ainda não tinha esquecido Chris e sabia que ele também não tinha me esquecido, ainda o amava tanto, de um jeito que eu não deveria amá-lo, mas tentava fazer de tudo para não demonstrar isso. Chris e eu ficamos algumas vezes depois de tudo isso, na verdade, ele me roubou um beijo algumas vezes e mesmo querendo, eu não consegui negar, mas foram poucas vezes.

Apesar de tudo, de todas essas confusões em nossa família, a gente se tornou uma família muito unida e cheia de amor, e mesmo não podendo ficar com quem eu queria, posso dizer que como nos contos de fadas, eu fui feliz para sempre. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...