1. Spirit Fanfics >
  2. Dois mundos, um herói: Uma aventura não oficial >
  3. Fora da minha mente

História Dois mundos, um herói: Uma aventura não oficial - Capítulo 12


Escrita por: karolinekitsune

Notas do Autor


imagem da máscara que a vovó dos pintinhos deu para o naruto e o Lightning

Capítulo 12 - Fora da minha mente


Fanfic / Fanfiction Dois mundos, um herói: Uma aventura não oficial - Capítulo 12 - Fora da minha mente

Sabe quando você está prestes a fazer aquela viagem que planejou por muito tempo, passa semanas organizando o que precisa levar, acha que está tudo no esquema, mas então, no meio do caminho, percebe que levou menos chapéus do que deveria? Ou que se esqueceu de separar o perfume de jardim e está longe demais da civilização para comprar outro?

Isso é ruim, mas é só um incômodo. Um contra-tempo, um deslize, um vacilo.

Agora... quando você está visitando um mundo virtual de videogame, faz uma jornada gigantesca passando frio, fome e sede e ralando pra caramba para aprender as técnicas a fim de se tornar um guerreiro... aí encosta numa parede e descobre tarde demais que aquilo é um ser vivo que poderia palitar os dentes com seus ossos... ah... isso sim é uma roubada. 

Acho que estou passando tempo demais neste mundo e já comecei a me acostumar com as coisas todas 3d. O bicho é enorme, de pele branca e cinza com detalhes pretos, olhos azuis e brilhantes como lâmpadas de LED... e cara de quem não está nem um pouquinho feliz de receber visitas.

Lentamente, o monstrengo se afasta pela caverna, que está cheia de cacarecos e restos dos exploradores que não tiveram a sorte de voltar vivos... No fim do caminho, ele chega a uma cratera que, se estivesse cheia de magma, poderia ser um vulcão... Então, abre as asas e começa a falar. 

O problema é que ele emite uns sons que parecem um idioma que eu nunca ouvi. Olho para Lightning, que se vira para mim e dá de ombros. 

— É, Narutão, vou ficar te devendo essa. Não entendo nada do que ele está falando.

De repente, um brilho branco e uma voz brotam do ar novamente:

— Tudo beeeeeeeeem, rapaaaaaaaaaaaaaaaaaazes. Deixem comiiiiiiiiigo.

— AI, VELHOTE MISERÁVEL! Quer me matar  do coração, é? — respondo ao Hagoromo-Fantasma, que deve se divertir um bocado à minha custa. 

— Caaaaaaaaalma, Naruto. O dragão está falando em uma língua que a humanidade esqueceu há muito tempo... Felizmente, eu entendo o idioma.

— E consegue traduzir pra gente, sábio?

— O que eu não consigo fazeeeeeeeeer... utilizando chaaaaaaaaakra?

— Hã... Tá, valeu, já ajuda. Consegue deixar o monstrengo com uma voz mais legal do que essa? De repente com vozeirão de tenor? — pergunto ao Gandalfinho mais amado do Brasil. Ou não.

— Agora meeeeeeeeesmo — responde ele, sem hesitar.

Hagoromo toca em nossas mãos e, como em um passe de mágica, sinto como se meus ouvidos tivessem recebido um upgrade: finalmente consigo entender o dragão! Sem contar que esta é outra novidade: eu não sabia que os dragões do jogo falavam, até porque no jogo nada tem voz.

— Lightning, você também consegue entender o que o chefão está falando? — pergunto ao meu brother.

— "Chefão"? Chefe de quem? Isso não é tribo nem vilarejo — responde Lightning, que pelo visto nunca ouviu falar que, nos jogos, o vilão é conhecido como chefão.

— Tá, tá, é só forma de falar. Estou querendo dizer o dragão.

— Consigo — responde Lightning, parecendo estar com os nervos à flor da pele. 

Então, o ser gigante abre as asas e diz:

— Mais aventureiros para decorar o meu covil. O que vocês acham que estão fazendo aqui? 

— Dragão, seu tempo de tocar o terror está prestes a acabar! — grita Lightning, em um tom tão heroico que eu juro que pareceu até um personagem de filme de ação. — Meu povo está farto de viver com medo, só sobrevivendo aos seus caprichos. Isso acaba aqui!

— É isso aí — completo, me sentindo o coadjuvante menos inspirado de toda a História.

O dragão para um instante e percebe que formamos uma dupla.

— Ora, ora, isso só fica mais e mais interessante — diz ele, em tom de zombaria. — Então quer dizer que vocês também acreditam na profecia de que tanto falam? Tolos, todos vocês. 

— Ô, peraí! "Tolos", não, senhor! — respondo. — Que papo é esse? A gente teve um trabalho absurdo pra chegar até aqui, e só porque você é enorme e assustador não quer dizer que tem direito de ficar zoando com a nossa cara!

A risada zombeteira do dragão reverbera pela caverna.

— Você não sabe nada, Herói Duplo — diz o ser.

— Hahaha! "Você não sabe nada"! Lightning, isso me fez lembrar uma série que...

— Presta atenção, Naruto — interrompe Lightning. — Como assim, não sabemos nada? 

— Por que acham que eu estou aqui? Pensam que estou só tomando conta de uma portinha para vocês não passearem entre as dimensões? — devolve o monstrengo.

Olho para Lightning.

"É, pelo menos foi isso que contaram pra gente", penso.

— Vocês realmente acham que eu pertenço a este mundo? — pergunta o dragão. — Assim como um de vocês, sou de um universo paralelo. Eu vim parar aqui depois de atravessar um portal que surgiu na minha dimensão... A passagem desapareceu, e eu fiquei preso neste lugar. Por todos estes anos venho procurando uma passagem de volta para o meu mundo... E encontrei no coração deste vulcão. Nela, vi a chance de sair daqui!

Olhamos para além do dragão e enxergamos o portal.

— Você só pode estar de brincadeira — comento. — Por ali não passa nem sua unha. É muito pequeno pra você!

— Disso eu já sei, tolo. Só que, durante todos os anos que passei aqui, percebi o que faz o portal mudar de tamanho: almas virtuais. A cada colônia que eu reduzo a fragmentos, a cada grupo de exploradores incautos que eu resfrio, a passagem cresce.

— Seu monstro! — exclama Lightning. — Nem eliminando todas as formas de vida deste mundo você conseguiria deixar o portal grande o suficiente para passar! 

Do nada, um grande brilho branco aparece, e o Hagoromo surge em espírito.

— Aaaaaaaaah, dragão! Novameeeeeeeeente nós nos encontramos!

— Hagoromo, seu velhote decrépito. Não tem coragem de vir aqui pessoalmente, não é? — responde o dragão.

— Você é uma criatura muuuuuuuuuito teimosa — diz o Hagoromo, com uma pontinha de decepção na voz cavernosa. — Eu já falei a você várias vezes, mas vou repetir: atualmente, somente eu consigo transitar entre os mundos usando esse portal, com o auxílio do meu chakra. Fiz isso várias vezes, e você nem percebeu. Além disso, dragão, o portal não leva ao seu mundo de origem. Do outro lado está o mundo do Naruto, que não é lugar para você. 

Então acontece o que mais parece um milagre: o dragão falastrão fecha a boca. Mas, segundos depois, volta a abrir para dizer:

— Estou farto disso. Farto! — O tom, antes de zombaria, dá lugar ao rancor: Se eu não posso voltar à minha dimensão e desperdicei a vida tentando expandir esse maldito portal, talvez seja melhor simplesmente fazer deste mundo meu novo lar.

— Só passando por cima do meu cadáver! — grita Lightning. — A gente não pode simplesmente esquecer o terror que você causou, todas as vidas que destruiu. Só a ideia de ter uma criatura como você no nosso mundo é intolerável. Você já trouxe muita dor, e isso precisa acabar.

O dragão para, pensa e responde:

— Tem razão.

Como é? O dragão concordou com a gente? 

— Se não podem conviver comigo, eu não posso conviver com vocês — diz o monstrengo. — Seu destino acaba de ser selado.

Eu, Lightning e o Hagoromo-Fantasma nos entreolhamos. Lentamente, estico a mão para a empunhadura da espada... E Lightning imita o gesto.

— A era dos humanos no mundo virtual acabará sob meu sopro de gelo. Agora, quero que me mostrem do que são capazes!


Notas Finais


Flashback kurama on:
Acordo no meio da noite, e olho no relógio: 00:00. Me acordei meia noite em ponto e estou sem sono, ligo a Tv do meu quarto e coloco na Cube Tv pra analisar as lives do muleque do Naruto... acabo vendo um vídeo dele acordando o próprio irmão com água gelada no ouvido — logo me bate um ódio do Isobu pelo dia que ele fez isso com a porra de uma mangueira de jardim. Algum tempo depois o muleque do Naruto me liga:
— Kurama!
— O que é?
— 1° O que você achou da Live que fiz ontem? E segundo entra no jogo e me empresta um pouco do seu chakra, não tou conseguindo lutar contra os Abednedos, São muitos!
— 1° Uma merda, 2° QUASE 1:00 DA MANHÃ E VOCÊ ME PEDE PRA ENTRAR SÓ PRA TE AJUDAR CONTRA UNS ABEDNEDOZINHOS?
— Kurama por favor me ajuda, quantas vezes eu já te pedi algo emprestado?
— Você quer em ordem alfabética ou cronológica?
— Kurama rápido eu tou morrendo e não posso gritar entra logo, prometo comprar uma pizza bem cara pra você se me ajudar.
— Não.
— Kurama, por favor.
— Você ta dependendo muito de mim ultimamente tanto no jogo quanto na vida real, aprenda a fazer as coisas sozinho.
— Ok, mas pode jogar um pouco comigo, ou você está enferrujado?
— Deixa de ser idiota, sempre estou pronto.
— Yes.
— Só vou entrar quando você matar essa horda de Abednedos.
— Droga, mas tudo bem contanto que você esteja comigo nada nos derruba.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...