1. Spirit Fanfics >
  2. Dois Potter's >
  3. Capítulo VII- Nicolau Flamel

História Dois Potter's - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo VII- Nicolau Flamel


Fanfic / Fanfiction Dois Potter's - Capítulo 7 - Capítulo VII- Nicolau Flamel

O Natal já estava chegando em Hogwarts, em meados de dezembro, o frio já havia invadido e os gêmeos Weasley já haviam ficado em detenção por enfeitiçar bolas de neve para baterem no turbante do Professor Quirrel.

"Tenho pena desses alunos que vão ficar aqui no Natal, já que nem a família quer eles..."

Dizia Draco Malfoy olhando diretamente para os gêmeos e para os Weasley, mas a pessoas mais afetada por essa provocação acabou sendo Astória. A professora Minerva já estava a uma semana recolhendo o nome dos alunos que ficariam em Hogwarts no Natal, é Harry assinou na mesma hora, é não sentia nem um pouco de pena de si mesmo. Jasmine também ficaria, assim como os Weasley's já que a  resto da família iria visitar um de seus irmãos na Romênia. Astória por algum motivo também havia ficado, o que Jasmine achou estranho, já que sua irmã havia ido a casa dos pais, já Hermione foi passar as férias com a família.

Quando acabou a aula de Poções, os gêmeos, Rony e Hermione viram Hagrid levando um pinheiro no meio do corredor, é os meninos ofereceram ajuda a ele. Malfoy novamente apareceu para provoca-los e Rony avançou para cima dele, mas foi impedido por Snape que nem quis saber o motivo da briga e já tirou pontos da Grifinória. Eles foram com Hagrid até o salão principal é lá viram a professora Minerva e o professor Flitwick fazendo a decoração de Natal, afinal, faltava apenas um dia para as férias.

Eles aproveitaram que havia 1 hora até o almoço e foram até a biblioteca, nesses dias estavam procurando muito sobre Nicolau Flameu, mas nao achavam em nenhum livro histórico. Acabaram sendo expulsos da bibliotecas pela madame Prince.

Quando chegaram as férias, os gêmeos e Rony ficaram se divertindo demais para se lembrar de Flamel. Tinham o dormitório só para eles e o salão comunal bem mais vazio que o normal. Sempre que chegava a noite eles se juntavam com Astória, é sentavam em cadeiras confortáveis em frente à lareira e comiam tudo o que podiam colocar em um garfo de espetar, essas noites eram demais, Eles ficavam até tarde conversando e brincando, Rony sempre era o primeiro a ir dormir, é Harry e Astória ficavam bem mais próximos a cada dia.

No Natal, ao subirem ao acordaram, Harry se deparou com uma alguns presentes em sua cama:

Uma moeda dos tios trouxas que por sinal ele deu a seu amigo que pareceu bem mais curioso quanto ao "presente", um suéter verde da senhora Weasley, já que Rony sempre falava sobre Harry para ela e principalmente que ele não esperava ganhar presentes de Natal. Uma enorme caixa de chocolates mandada por Remus, uma flauta de Hagrid, que parecia ter sido talhada pelo próprio, uma caixa de sapinhos de chocolate dadas por Hermione, um urso de pelucia branco com um coração vermelho que tinha seu nome no meio, dado por Astória, que ele achou muito fofo. E um livro próprio de "Quadribol através dos séculos" dado por sua irmã, na qual ele pediu para Hagrid comprar um presente para ela e para Astória também, já que não podia sair da escola. E um último presente restava, quando Harry abriu, continha um bilhete:

"Seu pai deixou comigo antes de morrer, está na hora de devolve-la a você. Desejo-lhe  um maravilhosos Natal, Use-a bem!"

Harry abriu e viu uma coisa muito interessente, uma capa da invisibilidade, era prateada na parte de trás, é completamente transparente na frente. Rony parecia maravilhado com aquilo. Os gêmeos Weasley entraram no dormitório fazendo Harry colocar o seu suéter, é forçaram Percy a colocar o seu também. 

Assim que os Weasley's saíram, a porta se escancarou novamente e Astória e Jasmine adentraram no quarto. Harry mostrou a capa para Jasmine que já havia ouvido muitas histórias sobre ela, já que Remus sempre lhe contava sobre os marotos, milhões de coisas que eles podiam fazer passaram na cabeça da Potter, é todas envolviam pegadinhas. Ela é os gêmeos Weasley já aprontaram algumas com Filch, e principalmente com os sonserinos, o que rendeu uma detenção aos três por jogarem tinta em um alunos que estavam no corredor. Nesse momento Harry também deu um presente para ela, uma pulseira de ouro em formato de corrente com um pingente de leão na ponta. Que ela amou e deu um grande abraço nele. Já para Astória ele deu um brinco de prata com uma pedra azul que lembrava os olhos dela, que foi agradecido com um abraço e um beijo na bochecha. (Ambos os presentes estão na capa, assim como uma representação da Astória)

Jasmine havia recebido presentes também:

Um suéter azul claro da senhora Weasley, uma caixa de chocolates igual as de Harry dada por Remus, um livro de "Hogwarts uma história" dada por Hermione, 4 bonequinhos de madeira dados por Hagrid, que tinham a forma dela, de Harry, Remus e um dele próprio, presente que ela achou bem fofo e até colocou em cima do criado mudo de seus cama, é também um perfume trouxa muito cheiroso de Astória.

O banquete de Natal era uma coisa absurda, perus enormes e outras comidas maravilhosas, o pudim era incrível! Dumbledore estava vestido com um chapéu de bolinhas e ria alegremente de uma piada contada pelo professor Flitwick. Mas por algum motivo, Astória parecia triste, é só se animava um pouco quando conversava com Harry ou quando comia uma grande fatia de pudim.

Assim que saíram do salão, Os Potter's e os Weasley's foram para o lado de fora e começaram uma guerra de bolas de neve. Eles voltaram ao castelo e e lancharam até dizer chega, voltaram ao salão onde encontraram Astória sozinha em um canto, é juntos ficaram assisitindo Percy correr atras de Fred e e Jorge pois eles haviam roubado seu crachá de monitor.

Mas algo incomodava Harry, é ele só perceberá o que era quando foi ao dormitório: a capa e quem a enviou. Aquilo pertencerá ao seu pai, é dizia "Use-a bem". Ele pensou em tudo que podia fazer com a capa, é pensou em chamar Rony, porém algo o deteve, decidiu que na primeira vez deveria chamar sua irmã para usá-la com ele, por sorte, ao descer no salão comunal ela ainda estava por lá, sozinha  vendo o fogo crepitar. Ele a chamou e justos passaram pelo buraco do retrato sem que a mulher gorda visse. Eles decidiram ir até a sessão reservada da biblioteca para ver o que achavam.

Ao chegarem lá viram um livro enorme preto e prateado. Eles decidiram abrir, mas a porcaria do livro começou a berrar. Ouviram Filch e logo saíram correndo pela porta e pararam a frente de um grande estátua, ficaram com um certo medo ao ouvir o zelador batendo papo com o professor Snape sobre ter alunos na sessão reservada da biblioteca.

Eles viram uma porta entre aberta ao lado da estátua e decidiram entrar. Ao entrar na enorme sala aparentemente vazia viram um enorme objeto coberto por uma manta cinzenta. Assim que tiraram, viram um enorme espelho. Assim que olharam ao espelho tiveram que se segurar para não gritar com o que viram:

O espelho não mostrava só a eles mesmo, é sim toda a família, seus pais, Remus, é até um homem de cabelos longos e pretos que os gêmeos não conheciam mas lhes parecia muito familiar. Ficaram ali por minutos, horas, ou até dias, Eles não sabiam.

Acabaram voltando ao aposento outras duas vezes, até mesmo levaram Rony para ver se eles não estavam ficando loucos. Na terceira vez, quando chegaram de frente ao espelho, Alvo Dumbledore apareceu atrás deles. Harry se virou e disse que não tinha visto o diretor, e ele fez uma piadinha dizendo que pelo visto ele ficava mais míope quando estava invisível.

Dumbledore disse que o espelho mostrava o maior desejo de seus corações e disse-lhes para não procurar o espelho novamente. Jasmine até perguntou o que Dumbledor havia visto no espelho, ele respondeu que as meias nunca são suficientes, então sempre sonhara em ganhar meias de Natal, mas as pessoas insistiam em lhes dar livros.

E então se despediram do diretor e foram para o salão comunal, é ficaram se perguntando se realmente era aqui que Dumbledore via. Ao abrirem a entrada do salão comunal viram que Astória estava sozinha no olhando para o fogo, parecia triste e meio distraída. Jasmine subiu os seu dormitório e disse que Harry deveria ir lá falar com ela.

"Astória? Está tudo bem?"

Ela deu um pulinho assustado e ele ficou rindo e se sentou ao lado dela e percebendo que ela usava o brinco dado por ele no Natal. Logo ela se recuperou respondeu:

"Estou, não se preocupe, só pensando."

"Tem certeza? Pode confiar em mim, eu percebi que está muito triste nesses dias, aconteceu algo?"

Astória então sentiu lágrimas em seus olhos, é conta a verdade:

"Sabe, meus pais vem me tratando mal desde que eu vim a Hogwarts, a família toda é bem ligada a ideia da supremacia sangue puro, é desde que eu fui para Grifinória, eu sou uma aberração para eles. E depois que minha irmã disse a eles que eu andava com você e sua irmã, eles disseram que eu não era mais bem vinda na casa deles. Nem sequer me mandaram presente, só me mandaram uma carta dizendo de uma maneira bem fria que me desejavam um feliz Natal em Hogwarts".

Nesse momento ela já estava chorando, Harry não sabia nem o que dizer, ele apenas a abraçou e deixou que desabafase tudo o que estava preso, é depois contou a ela tudo o que os Durley's faziam com ele dizendo que entendia ela, tentando passar o máximo de conforto. Eles conversaram um tempo até que ela adormeceu e logo depois ele também. Juntos, Eles dormiram em um pequeno sofá da sala comunal.

No dias seguinte, as 5:28 da manhã, o dia já amanhecia, Harry acordou com um peso em seu peito, ja que ele esquecera de tirar o oculis para dormir, viu claramente Astória dormindo tranquilamente, ele a acordou delicadamente e disse:

"Bom dia Asty, é melhor subirmos, antes que alguém nos vejam"

Ela corou um pouco, eles ficaram se olhando um tempo, e logo levantaram, é Astória disse:

"Bom dia! É melhor mesmo. Obrigado por tudo!  Me desculpe por te perturbar com meus problemas, mas acho que estava precisando desabafar, nunca vou esquecer o que fez por mim!"

Eles ficaram um tempinho abraçados, Astória afundou a cabeça no pescoço sentindo o cheiro cítrico e amadeirado vindo de Harry, é ele ficou fazendo carinho em suas costas, enquanto sentia um cheiro de chocolate que vinha de seus cabelos. Eles se despediram com um beijo na bochecha e antes de subir Astória disse:

"Sabe Harry, você daria um ótimo travesseiro, foi um belo sono!" 

E com isso subia as escadas do dormitório sorrindo, Harry sentiu seu rosto corar mas logo subiu até o dormitório para aproveitar as últimas horinhas de sono...

As férias iam se passando e os gêmeos não conseguiam dormir direito devido a senhor que tinham visto no espelho com seus pais, acho que Dumbledore estava certo e nos não deveríamos ir mais ao espelho. Hermione havia voltado dia antes, é ficou horrorizada com os meninos andando no castelo por 3 dias depois, é ficou meio desapontada por nao descobrirem nada sobre Nicolau Flamel.

Os treinos de quadribol estavam cada vez mais tensos, ainda mais que seria jogo contra a Lufa-Lufa e seria apitado por Severo Snape, Harry estava quase desistindo e se fingir de machucado para não jogar. Ele sempre voltava morto dos treinos, é sua única distração era conversar com Jasmine e Astória no salão comunal depois dos treinos noturnos, já que a essa hora Rony da estivera dormindo a muito tempo.

Depois de mais um treino, ele foi para o salão comunal, viu Hermione e Rony jogando charges de bruxo, um joguinho que Harry havia aprendido e gostado muito, é Jasmine ao lado deles lendo um livro. Eles ficou lá e conversaram um pouco, até Neville aparecer com as pernas grudadas, dizendo que Draco o enfeitiçara. Eles o incentivaram a enfrenta-lo e Harry deu a Neville um sapo de chocolate, quando ele comeu, deu a carta para Harry, já que sabia que ele colecionava. Harry ao ver a carta com o nome de Alvo Dumbelodore, viu uma coisa que o deixou muito intrigado, o nome de Nicholau Flamel estava lá. Ele falou com seus amigos estaxiados, recitando um verso do sapo de chocolate.

"O Professor Dumbledore e particularmente famoso por ter derrotado o bruxo das trevas Gellert Grindelwald em 1945, ter descoberto os 12 usos do sangue de dragão, e por ter feito um grande trabalho de alquimia com Nicholau Flamel!"

Hermione não parecia tão animada desde que receberam as notas dos primeiros testes. Ela saiu correndo e logo voltou com uma matéria, que dizia que Nicholas Flameu era um grande alquimico e criador de uma tal Pedra Filosofal, que era capaz de produzir o elixir da vida e  de transformar qualquer metal em ouro. Depois de uma pequena conversa, chegaram a conclusão de que já que Dumbledore e Nicolau eram amigos, o cachorro deveria estar guardando a tal Pedra.

Eles pareciam muito animados e ficaram alguns dias falando sobre o assunto, o que ajudava Harry a se destrair e não pensar com o jogo que estava por vir. 




Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Estive pensando e decidi fazer um Harry um pouco menos lerdo, digamos assim, que ele não seria tão ruim com meninas como ele é nos filmes, por isso já comecei a desenvolver um pouco o "relacionamento" dele com a Astória, o que acharam? Não sei se irá durar muito, mas já é um bom começo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...