1. Spirit Fanfics >
  2. Doll >
  3. Capítulo 2

História Doll - Capítulo 2



Capítulo 2 - Capítulo 2


Doll

- E como anda o Izuku?

Inko sorriu um pouco desconfortável, a pergunta de sua amiga - Mitsuki Bakugou - era um pouco difícil de responder.

- Agora ele quase não sai daquele quarto.

Katsuki revirou os olhos por um momento, pelo visto a mulher não sabia que o filho andava falando com um boneco pelos cantos. O pobre loiro foi obrigado por sua mãe a ir em um jantar na casa dos Midoriya's.

Izuku nem se importou em sair do quarto para jantar com eles na mesa.

- Ele ainda deve estar meio para baixo depois de tudo aquilo. - a mulher suspirou com pena - Era bem apegado ao pai.

- Sim. - a esverdeada murmurou.

- Katsuki, por que não vai fazer companhia ao seu amigo depois do jantar? - perguntou fazendo Katsuki bufar.

- Não, obrigado.

- Pirralho. - a loira falou em tom de aviso, seu filho suspirando frustrado.

- Tá certo.

O adolescente procurou comer o mais devagar possível, infelizmente acabou o jantar cedo demais e logo teve que subir até o quarto do esverdeado, nem havia batido na porta e já podia ouvir o outro falando sozinho:

- Eu já disse que você fica bonito em tudo.

Ergueu a sobrancelha com aquilo, chegando a franzir o cenho quando ouviu uma segunda voz mais baixinha.

- Tem certeza? Me sinto gordinho nesse.

- Você fica perfeito, gordinho ou não. - Midoriya respondeu sem pensar duas vezes.

- Ok! - novamente a vozinha se fez presente - Eu vou trocar de roupa, não olhe, pervertido.

- Eu vou tentar. - saiu em tom de brincadeira.

- Pervertido!

- Irei me conter. - riu fechando os olhos.

Aquilo apenas deixou o loiro ainda mais curioso, Inko não comentou que o esverdeado estava com visitas. Seja o que fosse que estivesse acontecendo, ele interrompeu no momento em que abriu a porta sem aviso.

- Ah! - Shouto gritou ao ver o loiro e escondeu o corpinho com as mãos.

Izuku imediatamente correu para se colocar na frente do boneco, olhava surpreso e irritado para seu amigo de infância.

- Não sabe bater na porra da porta?! - gritou com o Alfa de olhos carmesins.

- O que está acontecendo aqui? - perguntou completamente confuso para o maior.

Katsuki jurava que tinha visto o bonequinho se mexer e falar.

- Nada! Agora sai! - seu tom estava estranhamente agressivo.

- Deku, o boneco...

- Eu já mandei sair, porra! - rosnou.

As mulheres que estavam conversando na sala estranharam ao ouvirem os gritos do adolescente cheio de sardas.

- Deixa eu ver... - o loiro pediu dando alguns passos à frente.

- Tá surdo?! Sai logo, caralho!

- Eu não vou sair se não me deixar ver a porra do boneco. - falou de volta se irritando com aquilo.

- O que está acontecendo aqui? - Mitsuki perguntou com o cenho franzido.

As mulheres subiram para saberem o que estava acontecendo entre seus filhos.

- A droga do seu filho que não sabe nem bater em uma porta. - o esverdeado respondeu irritado.

- Izuku! - sua mãe o repreendeu horrorizada.

- Estou falando a verdade!

- Essa não foi a educação que eu te dei. - Mitsuki falou para Katsuki que pareceu indignado.

- Você viu como ele falou comigo? Eu não teria entrado se esse idiota não estivesse falando sozinho!

- ... - Midoriya se impediu de rosnar para o loiro - Apenas me deixem em paz.

- Tudo bem...

Inko falou envergonhada e logo estava guiando as visitas para fora do quarto, quando todos saíram Izuku correu para trancar a porta e olhou preocupado para Shouto.

- Essa foi por pouco... - o Alfa murmurou se aproximando do bonequinho.

- Você está bem? - o meio-ruivo perguntou.

- Estou. - respirou fundo antes de se deitar na cama com o menor.

- Você acha que ele me viu?

- Deve ter visto. - murmurou - Mas deve ter achado que era só um brinquedo.

- Tudo bem. - o bonequinho deitou-se de bruços no peito do Alfa e usou as mãozinhas para apoiar a cabeça e encarar o Alfa - Aquele pervertido me viu sem roupa.

Midoriya riu anasalado por um momento antes de colocar os dedos sobre as costinhas do boneco.

- Quer que eu arranque os olhos dele?

- Quero! - falou indignado - Só você é meu dono, então só você pode tentar me ver sem roupa.

- Eu não seria tão sem vergonha. - comentou com um pequeno riso, o bonequinho parecia realmente estar falando sério.

- Bate naquele pervertido! Não se entra no quarto de alguém sem bater.

- Eu vou bater. - riu.

Shouto assentiu com um pequeno sorriso e deitou a cabeça no peito do Alfa, ficaram em silêncio até que Izuku acabou dormindo.

...

- Prometem que não vão me achar louco? - foi a primeira coisa que Bakugou perguntou ao se aproximar de seus amigos.

- Não ponho minha mão no fogo. - Shinsou foi o primeiro a falar e recebeu do loiro um tapa no braço.

- O que houve? - Yaoyorozu perguntou curiosa.

- Eu fui na casa do Deku ontem, quando eu subi para o quarto dele ouvi ele falando com alguém. - começou a explicação - Eu abri a porta e vi a porra de um boneco falando e se mexendo.

- ...

Seus amigos o encararam em silêncio, Denki dando tapinhas em seu ombro como se estivesse com pena dele.

- Eu sinto muito, vamos te internar. - disse Kaminari.

- Eu não estou louco, porra, o Deku surtou, me expulsou do quarto e não me deixou ver o boneco.

- Você tem noção do que você tá falando? - Hitoshi ergueu a sobrancelha.

- Por que eu iria mentir, caralho? - franziu o cenho.

- Você está dizendo que viu um boneco se mexendo. - Jirou o olhou desconfiada - Não era um robozinho ou algo assim?

- Vocês viram que ele anda carregando um boneco e não a droga de um robô. - Katsuki falou irritado - Não acreditam em mim? Então vamos lá pedir pro Deku deixar a gente ver o boneco.

- Tem certeza de que não foi só impressão? - Denki o olhou desconfiado.

- Eu não sou louco, caralho. Eu sei o que eu vi.

- Então vamos lá. - Uraraka deu de ombros.

Logo estavam seguindo a garota em direção à sala de aula onde sabiam que encontrariam Izuku, o mesmo se encontrava cochilando sobre a carteira.

- E se a gente olhar a mochila dele? - Kirishima deu a ideia.

- Para ele acordar e te dar uma bicuda? - Hitoshi ergueu a sobrancelha cansado, queria estar acompanhando o esverdeado nesse momento e ir dormir.

Kyouka foi a corajosa de se aproximar da mochila e abrir a mesma, felizmente Shouto tinha ouvido a conversa e decidiu se manter imóvel mesmo que quisesse gritar com a mulher que lhe pegou nas mãos.

- É só um boneco, gente. - disse a morena e balançou o mesmo - Nada de especial.

- Essa coisa estava se mexendo e falando quando eu vi ele no quarto.

- Ele deve ter alguma opção de interação. - a garota deu de ombros.

- Deixa eu ver isso. - o loiro estendeu a mão para a mulher de cabelos roxos.

Katsuki pegou o mesmo nas mãos e começou a analisar o boneco, Shouto se segurando para não xingar o loiro quando o mesmo começou a levantar sua blusinha.

- Você deve ter imagino coisa... - Kirishima sussurrou com medo de acordar o esverdeado.

Porém os esforços do ruivo foram inúteis quando o esverdeado lentamente abriu os olhos e os encarou atordoado. O grupo logo percebeu que as coisas não ficariam bem quando os olhos esmeraldas viram o meio-ruivo nas mãos de Bakugou.

- Que porra você está fazendo com o meu boneco? - rosnou para o loiro antes de se levantar da cadeira.

Os olhares dos demais na sala logo pararam sobre o grupinho de alunos.

Seus antigos amigos o olharam apreensivos por um momento, Midoriya parecia muito agressivo naquele instante.

- Nós só estávamos olhando... - Hitoshi falou nervoso.

- Devolve. - praticamente rosnou.

- Primeiro diz como é que faz para ele falar. - Bakugou mandou balançando o bonequinho de um lado para o outro.

- Ele não fala, agora me dá meu boneco, porra! - disse se aproximando perigosamente do loiro.

- Eu vi ele falar e se mexer!

- Então você tá doido. - falou com raiva e tentou tirar Shouto das mãos do loiro.

No entanto Bakugou levantou o braço para manter o objeto longe do alcance do esverdeado, Midoriya ficando ainda mais irritado com a ação.

- Eu sei que ele se mexeu. - Katsuki falou revoltado - Qual o problema de mostrar pra gente como funciona?!

O de olhos esmeraldas respirou fundo para tentar se acalmar.

- Devolve. - falou olhando para o meio-ruivo, Izuku sabia que o bonequinho deveria estar assustado.

- Quando você me falar como ele se mexe, eu devolvo.

- Ele não mexe. Agora me dá meu boneco!

- Eu sei o que eu vi! - Katsuki retrucou.

- E por que Diabos eu mentiria? Fui eu quem fiz o boneco, caralho, eu saberia se ele mexesse, agora me dá! - rosnou para o loiro.

- Katsuki, devolve logo. - Eijirou falou preocupado ao perceber que Midoriya não parecia bem.

O loiro suspirou antes de entregar Shouto ao esverdeado que o segurou com cuidado, Izuku ajeitando o bonequinho antes de colocá-lo sentado sobre sua carteira. Naquele momento o adolescente de sardas surpreendeu a todos quando socou o rosto de Bakugou.

- Nunca mais pegue nas minhas coisas. - rosnou para o outro Alfa que se viu perdido por um momento.

- Tá louco, porra? - o loiro perguntou igualmente irritado.

- Filho da puta. - Midoriya xingou pouco antes de colocar a mochila nas costas e pegar Shouto para ir embora.

Saiu da sala sem se importar de que estaria matando aula, Katsuki estava tão atordoado que nem conseguiu reagir.

Ele estranhou o bonequinho estar tão quieto durante todo o caminho, no entanto ele também estava fervendo de raiva dos ex-amigos.

...

- Tudo bem, Shouto? - Izuku perguntou ao jogar a mochila no chão, levando o bonequinho até sua mesa de trabalho.

- Eu fiquei com medo. - o bonequinho pareceu triste por um momento - Eu não gostei quando aquele cara me segurou.

- Eu sinto muito. - falou para o mesmo - Eu não vou deixar mais isso acontecer.

- Você está bem? - perguntou preocupado - Ele não era seu amigo?

- Estou bem. - o esverdeado disse ao sentar o bonequinho na cadeira pequena que havia em cima de mesa - Eu já não falava mais com ele, está tudo bem.

- Por que eles fizeram isso?

Midoriya suspirou e ofereceu a mão ao bicolor, a pequena mãozinha do brinquedo segurando apenas a ponta de seu dedo.

- Eu não sei... - olhou para o meio-ruivo com certa tristeza - Eu já disse, depois da morte do meu pai eu acabei me afastando de todos eles.

- Você não precisa deles. - o brinquedo murmurou com um beicinho - Você tem a mim.

- Eu sei. - o garoto de cabelos esverdeados acabou sorrindo fraco com aquilo.

- Eu vou ficar sempre com você. - sorriu se levantando e caminhando até o homem, esticando os bracinhos para o mesmo lhe pegar nas mãos - Então não se preocupe em ficar sozinho.

- Obrigado. - aproximou o bonequinho do rosto e o mesmo beijou sua bochecha.


Notas Finais


Komaeda: Quero um Shou bonequinho, onde compro?

Kohinata: 400 no mercado livre.

Komaeda: Como eu dizia, bens matérias não importam.

Kohinata: Um dia nós compramos.

Komaeda: No dia que o spirit começar a nos dar salário.

Kohinata: Então desista...

Komaeda: Eu me demito!

Kohinata: Mas você nem trabalha!

Komaeda: Vai me chamar de vagabunda na cara dura mesmo?!

Kohinata: Não foi isso que eu quis dizer!

Komaeda: Mas deu a entender!

Kohinata: Sabia que eu comprei um pote de granulado colorido hoje???

Komaeda: ... Não sabia...

Kohinata: Pois é, amor, eu também fiz brigadeiro só pra você e você fica me acusando... Eu fico triste...

Komaeda: ... Foi pegadinha.

Kohinata: ...Mesmo?

Komaeda: Mesmo...

Kohinata: Então me dá um beijinho que eu pego o brigadeiro.

Komaeda: Fechado!

Kohinata: Kyaaa!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...