História Dollhouse Covenant - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), G-Friend, Red Velvet
Personagens Eunha, Irene, Jeon Jungkook (Jungkook), Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Seulgi, Wendy, Yeri
Tags Btsvelvet Terror, Doll, Eunkook, Jinjoym Mistério, Joykook, Jungri, Seulmin, Suspense, Vrene, Wenga, Wenhope
Visualizações 106
Palavras 5.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Cross-dresser, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláaa.. atenção porque esse é o PEEEENUULTIIMOOO CAPITULOOO \o/

Atenção: Tem cenas que podem ser meio 'fortes ou perturbadoras' não sei, talvez nao kkkk

Espero que gostem*0* BOA LEITURA PRA VOCÊS <3

Capítulo 8 - You better know..


Fanfic / Fanfiction Dollhouse Covenant - Capítulo 8 - You better know..

Todos estavam extremamente silenciosos á mesa enquanto almoçavam ali, o único barulho que se ouvia era o de mastigação, parecia até que o casal Jeon estava almoçando sozinho, e não com seis adolescentes e jovens junto com eles.

- Por que estão tão quietos? – O pai de Anahi e Jungkook indagou-os fazendo uma pausa entre uma garfada e outra, todos de modo quase que ao mesmo tempo levantaram os olhares para o homem que havia feito uma simples pergunta – Não vão me responder também? – ele arqueou um sobrancelha e então Jungkook olhou rapidamente para os outros antes de limpar a boca no guardanapo.

- Nada, é que passamos a noite em claro e estamos cansados. – falou o irmão mais velho com um pingo de verdade em sua voz, em compensação.. os demais apenas assentiram com a cabeça sem abrirem a boca para falarem a respeito.

- Sei..

- Mas vocês voltaram diferente daquela casa da frente – a mãe dos dois começou a falar dessa vez, no mesmo instante em que soltou tal frase, Anahi respirou errado ao tomar o caldo da comida e se engasgou chamando a atenção da roda de pessoas para si.. – f-filha..

- E-eu.. eu to bem mãe! – Anahi com os olhos meio franzidos começou a tossir de modo mais chamativo do que o normal, e-em seguida pegou o suco e passou a virá-lo na garganta.. – É só impressão sua.. – a garota de olhos fofos falou e abriu um sorriso tentando disfarçar o nervosismo “era só o que faltava” – não teve nada de mais naquela casa, é só uma casa estúpida de boneca.. – a morena olhou para o prato dando um sorriso amarelo, tentando ser convincente..

- Hum.. a gente precisa ir visitar lá um dia desses..

- Não! – Jungkook e Anahi falaram ao mesmo tempo praticamente... os rapazes que estavam em volta da mesa, abaixaram ainda mais as vistas querendo simplesmente sumir daquela cozinha.. Yoongi revirou levemente os olhos ao ver o quão óbvios eram aqueles dois, o que eles tinham de diferentes em umas coisas, tinham de semelhantes em outras..

- Que besteira, por que não? – a mãe deles riu – Não é só uma casa de boneca?

- E além do mais chega a ser um relaxo não entrar para ver.. – o homem disse e sorriu de maneira um pouco pensativa para a esposa – moramos bem na frente do lugar..

- n-não tem muita coisa boa para ver não.. – Taehyung começou a falar de maneira baixa e naquele mesmo instante todos os pares de olhos da cozinha se viraram para o rapaz... os dois adultos trabalhadores com interrogações nas cabeças e os outros com cara de “vamos te matar Taehyung, ta ficando retardado?”... “o que foi que eu..” ele começou a pensar tentando entender o porque daqueles olhares até que.. passado alguns segundos a ficha de Taehyung finalmente caiu..  o rapaz engoliu a seco entendendo tudo de repente.. “mano eu sou muito BURRO”.

- Quando você teve tempo de ver essa casa? Você saiu ontem a noite pra jantar e voltou machucado, ficou o dia inteiro com a gente.. – a mulher disse tentando obter um esclarecimento lógico do garoto de muletas..

- Eu.. ér – Taehyung olhou para Jimin que tinha uma cara de.. – E-eu visitei esse lugar no ano passado – deu aquele sorriso quadrado sem graça afim de disfarçar.. Hoseok e Anahi se olharam rapidamente e desviaram para o chão.

- Nós contamos pra ele como está agora e o Tae garantiu que está igual ao ano passado. – disse Hoseok dando uma leve suspirada após terminar a frase.. “ufa.. olha essa boca, cara!” praticamente todos do grupinho ali lançaram sutilmente o mesmo olhar ameaçador para Taehyung, passado breve tempo de conversa durante a refeição, a Sra. Jeon fez com que quase todos eles ajudassem na arrumação da cozinha, somente depois de uma hora ali que eles conseguiram finalmente subirem até o quarto de Jungkook, eles mal conversaram pois já chegaram na hora do almoço. Eles todos estavam com a cabeça cheia de coisas para falar.

- Elas são humanas.. – Yoongi disse aquilo assim que Taehyung entrou no quarto e encostou a porta – pelo menos uma delas eu garanto!

- Que? Cara, você ta maluco é? – Jimin riu do comentário do amigo e se sentou na cama de Jungkook.. – elas são bonecas, até o brilho da pele delas é um pouco diferente, como podem ser humanas?

- E você por acaso encostou nela pra sentir a “textura” da pele da bonequinha?

- Não, por que.. você sim?

- ... – Yoongi abriu a boca pra falar, mas fechou novamente respirando fundo. – Não cheguei a isso, mas eu consegui conversar por tempo suficiente com a tal de Wendy.

- I-Isso é sério? – Anahi engoliu a seco no momento se sentando na cama do irmão também, as pupilas da garota de olhos negros estavam dilatadas.. – o que ela falou?

- Ela.. – Taehyung grunhiu de forma baixa se sentando novamente naquela poltrona que a partir daquele instante iria ser exclusivamente dele  – ela falou algo sobre... o-o que fez comigo ontem? – tinha um pouco de rancor na voz do rapaz.

- Se me deixarem falar..

- Chega de mistério e só fala – falou Jungkook se sentando num dos colchões que estavam no chão. O rapaz de cabelo platinado respirou fundo e começou a falar, contou tudo o que havia ouvido daquela boneca para eles, falou sobre a “impostora” e até mesmo sobre ‘Joonie’ que era alguém extremamente misterioso, já que a boneca não abriu a boca pra falar nada a respeito. Todos estavam atônitos com aquela história toda, Anahi e Hoseok acabaram contando da cena inusitada que foi ver um paciente com problemas psicológicos e físicos se tratando com uma boneca, ainda mais tendo uma prescrição médica.

- Isso que é o mais estranho, um médico receitar uma casa de bonecas para o paciente ir toda a semana? Eu nunca ouvi falar de algo assim.. – Anahi parecia indignada enquanto falava.

- Espere.. você disse que ele faz tratamento com esse doutor a quanto tempo...

- Se eu não me engano, dez anos.  – respondeu Hoseok para Jungkook, tentando se lembrar com clareza.

- E quando você pesquisou sobre a Dollhouse, a quanto tempo consta que ela funciona?

- Qual o sentido dessa perg.. – Jungkook fez sinal com a mão para que Anahi não interrompesse o pensamento dele, fazendo a garota revirar levemente os olhos e cruzar os braços, Hoseok por sua vez voltou a mexer no celular, em questão de segundos ele abriu a boc novamente.

- Faz cinco anos que inaugurou.

- Então tem chances desse Jin estar sendo tratado a cinco anos ali, desde quando abriu..

- Sim gênio, isso é óbvio! – Respondeu Yoongi para o dono do quarto.

- No que está pensando Kookie? – perguntou Taehyung levemente interessado naquelas perguntas todas.

- Já que não sabemos quem é esse Joonie, acho que esse doutor é a pessoa que mais pode nos esclarecer sobre a casa.. – começou a falar Jungkook, ainda estando sentado no chão e com os braços apoiados no joelho – Pelo jeito a Dollhouse mal inaugurou e ele já mandou o paciente para se tratar ali.

- Se a gente ainda soubesse o nome e telefone do Jin e da mãe dele.. – Anahi suspirou mordendo o canto da boca, tudo o que o irmão falou fazia sentido...

- Mas temos o nome do médico.

- V-você se lembra? – Anahi praticamente pulou da cama do irmão indo até o namorado sentindo os olhos se agitarem rapidamente, a menina apoiou os dois braços no tronco do rapaz e levantou o rosto para ele, enquanto isso Hoseok tinha um pequeno sorriso nos lábios e uma mão levantada acima cabeça da menina enquanto mexia no celular..

- Acho que era assim.. – falou Hoseok de maneira baixa – Kim-nam-joon..

- ... apareceu algo? – indagou Jimin se levantando da cama com os olhos meio atentos, Hoseok se mantinha concentrado no aparelho passando os dedos pela tela do celular..

- Hobi-ah.. – a garota que era bem mais baixa se colocou na ponta dos pés afim de tentar ver também, ele por sua vez se manteve em silêncio de forma concentrada, tanto suspense fez com que até mesmo Jungkook se levantasse por fim e depois Yoongi começou a se aproximar também.

- E aí cara? – o platinado foi tentar ver, mas nesse instante Hoseok deu um passo pra trás afim de sair do aglomerado de pessoas.

- Por enquanto nada.. só – ele falou e fez uma pausa tendo as suas vistas fixas ali... – tem um link que parece ser de uma biografia..

- Tá em nome do Kim Namjoon? – perguntou a morena de forma rápida e curiosa.

- Não.. é em nome de Kim Dareum..

- Hãn.. por quê?

- Não sei.. mas vou clicar, acho que o nome ‘Kim Namjoon’ deve estar em algum lugar no meio do artigo. – Hoseok clicou no link em específico e todos ao redor dele se silenciaram por alguns segundos, Taehyung vendo o aglomerado de pessoas em volta do amigo, pegou a muleta que foi emprestada do hospital afim de se colocar de pé, aos poucos ele começou a se aproximar de igual forma.

- Eu quero ver também – falou o rapaz machucado e de voz rouca, o cenho de Hoseok foi se contraindo a medida que ele lia aquilo mentalmente.. a expressão dele estava realmente ficando preocupante..

- Hobii.. o que foi? – Anahi-ah engoliu a seco sentindo uma forte agonia passar por toda extensão do seu corpo, provavelmente pela expressão séria do rapaz ele tinha encontrado algo relacionado ao médico sim..

- Eu achei algo.. – disse de maneira séria.

- Na biografia de outra pessoa? – Jimin riu de lado sem entender... nesse instante Hoseok finalmente tirou os olhos da tela do celular e olhou para o amigo de cabelo laranja.

- Kim Dareum é o pai de Kim Namjoon.

- Mas como podemos saber se esse ‘Kim Nam-joon’ é o que estamos procurando? – indagou Yoongi olhando para o outro.

- ... – Hoseok deu um pequeno riso de lado – Por que aqui diz que esse cara era médico, ele era um excelente neurocirurgião e psiquiatra, aqui em Incheon mesmo..

- Como assim ‘era’? – Se aproximou Jungkook da tela do celular para ver..

- Ele morreu. – suspirou Hoseok ao dizer aquilo – ele foi sentenciado a morte pela justiça ao fazer experimentos ilegais em cérebro humano! – o rapaz podia rever em sua mente a cena de Jin e da mulher que era a mãe dele na casa de boneca – A mãe do Jin disse que o filho era tratado por Namjoon desde quando ele era só um assistente do pai.

- M-minha nossa. – Anahi deu um passo para trás sentindo a mente corroer-se de repente.

- Esse tal de Jin pode estar sendo... u-uma vítima sem saber?

- Será que esse ‘Namjoon’ continua com o serviço do pai então? – Taehyung perguntou após engolir a seco.

- Não sei, aqui não diz nada sobre Namjoon, apenas que este é o nome de seu filho – Hoseok falou e fechou rapidamente os olhos respirando fundo – de qualquer forma, se esse doutor faz esse tipo de trabalho ainda e indicou a Dollhouse Covenant como “tratamento” provavelmente ele pode estar por trás daquelas bonecas..

- E-está falando do.. Joonie? – Anahi esfregou uma mão na outra sentindo um rápido calafrio percorrer sua espinha de forma repentina.

- Sim... – Hoseok olhou para a namorada e respirou fundo – eu não duvido que possa ser a mesma pessoa esse tempo todo.

- Bem... se isso for verdade acho que a gente tem como descobrir – falou Yoongi com um rápido sorriso brincalhão nos lábios.

- No que está pensando? – indagou Jungkook olhando para o mais velho.

- Aparentemente esse Joonie é o criador das bonecas, tenho certeza que ele deve aparecer durante as noite para fazer manutenção e coisas do tipo..

- Você.. – a garota abriu a boca um pouco em choque com tudo aquilo ainda – v-você não ta pensando Yoongi..

- Sim! – ele abriu um sorriso bem lógico dessa vez... – vamos voltar para aquela casa no meio da noite! Somos quatro caras contra um.

- Na verdade são cinco bonecas e mais um cara contra quatro ISSO É LOUCURA! – afirmou Taehyung negando com a cabeça.

- Elas não vão fazer nada contra a gente.. – o platinado deixou o seu sorriso se fechar aos poucos, ficando o seu semblante mais sério ao encarar os amigos – elas só são programadas a atacarem umas as outras quando as luzes se apagam!

 

 

 

 

[...]

 

 

 

 

As horas se passaram lentamente até o dia se tornar em noite. Aquela noite por algum motivo parecia mais sombria que o normal, a lua estava completamente cheia, bem acima da Dollhouse Covenant, deixando ela iluminada de um modo estranhamente mais peculiar do que nos seus outros dias. O homem que já tinha trocado o cadeado arrombado, destravou dessa vez o cadeado novo e entrou pela porta dos fundos da casa de boneca. Ele dava passos um pouco mais rápidos do que havia dado no dia anterior, ele passou pela lavanderia e entrou na cozinha, as vistas de Joonie eram sempre atentas, ele fitou exatamente a câmera de segurança que estava num dos cantos da parede, logicamente bem escondida. O homem tinha olhos em todos os lugares da casa, não tinha nada que acontecia ali que não passava por sua percepção, e esse também era o causador do fato dele ter chegado aquele dia antes do horário habitual.

- Joonie? – o homem virou levemente o corpo e viu a silhueta de uma de suas lindas bonecas no espaço que dividia a sala da cozinha, mesmo sendo tudo muito escuro, ele conseguia ver um leve reflexo vermelho no cabelo dela e a voz da mesma era sempre fácil de se reconhecer.

- Oi Yeri.. – o homem sorriu ainda estando um pouco longe e então começou a se movimentar para perto da boneca que se mantinha ereta e parada, Joonie tirou a sua lanterna do bolso e acendeu a luz branca no rosto de Yeri que permanecia com os olhos fitos no seu criador, a-ao ver tal cena, Joonie deu uma leve suspirada como se lamentasse.. – Vejo que elas não perderam tempo.. – disse de modo meio despreocupado e se aproximou da boneca ruiva, havia um leve trincado na maçã do rosto dela, ele aproximou o dedo dali e pode sentir a pequena protuberância naquele rostinho tão perfeito.

- Por que chegou mais cedo? – Yeri o questionou levantando um pouco mais o rosto para ele, ainda com o mesmo semblante sem emoções e completamente rígido. Joonie ao ouvir essa pergunta respirou fundo começando a dar uma volta na boneca a olhando... durante aquela tarde ele pensou, pensou muito a respeito... sabia bem que era algo muito grave, mas mesmo assim.. mesmo temendo os riscos, ele estava disposto a agir de maneira diferente naquela noite.

- Hoje será uma noite diferenciada. – Ele deu um pequeno sorriso de lado encarando a ruiva já um pouco machucada pelas outras bonecas.. – Sobe comigo. – Joonie começou a subir os degraus e Yeri o seguiu logo atrás. O sorriso no rosto do homem sumiu subitamente enquanto ele subia aqueles degraus, quando entrou no corredor, ele parou de andar fazendo com que a boneca o imitasse – Saiam todas e venham aqui! – disse em alto e bom tom, não demorou para as portas começarem a se abrir e mais quatro figuras brotarem no meio daquela escuridão, a lanterna de Joonie foi rapidamente apontando a luz para as bonecas que se aproximavam de forma normal, até se achegarem de frente para o mesmo.

- Já são onze horas? – Perguntou Wendy para ele, em compensação Joonie apenas negou com a cabeça tendo os olhos um pouco mais vazios que o normal.

- São oito horas.. – falou e depois olhou para a parede que estava escura pensando se estava bem certo daquilo ou não, mas tal fato não era tão importante assim também.. –  Primeiro eu quero que vocês parem de atacar a Yeri por enquanto, em segundo eu quero ouvir algumas coisas de vocês. – disse de maneira séria, Joonie tinha posto câmeras escondidas por toda á casa, mas nenhuma delas tinham escutas, ele também não pensou que precisaria delas um dia – Eu quero que vocês me falem tudo o que conversaram com aquelas pessoas que invadiram aqui ontem, eu vi que eles vieram hoje e falaram com vocês. – Todas tinham os olhos fixos em Joonie, até mesmo Yeri que andou para ficar do lado das outras quatro garotas. A princípio todos permaneceram em silêncio, a lanterna de Joonie estava bem apontada na cara das cinco, a-até que ele percebeu que Seulgi abriu um pouco a boca. – Pode falar Seulgi.

- Um deles se chama Jimin, ele perguntou por que eu empurrei o piano em cima do amigo dele.

- E você o respondeu? – disse arqueando de leve uma sobrancelha.

- Não. – Seulgi falou e balançou a cabeça de forma negativa fazendo com que o seu rabo de cavalo laranja balançasse de forma fofa.

- Hum.. bom! – ele deu uma leve tranquilizada, mas só por um instante.. – E você Wendy, acho que tem muito pra me falar.

- Eu respondi a mesma pergunta que fizeram para Seulgi – disse de modo simples, sem demonstrar nenhum medo ou ressentimento em suas palavras – falei que existe uma impostora e que precisamos fazer isso todos os dias, ele falou que a impostora deve ser uma humana pelo fato dela poder sangrar. – Wendy fez uma pausa e nesse instante Joonie respirou fundo – ele perguntou sobre você também, mas eu não falei nada pra ele.

- Pelo menos uma coisa você acertou, boneca estúpida! – disse de forma ríspida para a boneca que olhou levemente para baixo, aparentemente a atitude dela tinha deixado ele chateado.. – E o que mais, ninguém tem mais nada pra falar aqui? – ele dizia de forma meio sínica balançando a lanterna que estava em mãos.

- A mãe do Jin. – Joy começou a falar, mas deu uma breve pausa. Nesse instante Joonie com os olhos um pouco mais raivosos virou a lanterna para a boneca loira se aproximando alguns passos dela. – Ela disse para dois deles, que você trata do Jin e que foi você quem indicou essa casa para ele vir toda a semana.

- C-como assim ela falou isso? – ele riu um pouco nervoso, desacreditado na verdade – como sabe que ela falou de mim? – disse com a voz grossa um pouco mais grave que o normal.

- Ela disse.. Kim-Nam-Joon.

- ... – ele riu soprado no instante dando uma rápida andada em frente as bonecas, em seguida colocou a mão no rosto de forma surpresa e se aproximou. – e quem falou que esse é o meu nome verdadeiro Joy?

- Eu vi em um dos seus papéis, depois que você me colocou naquele capacete. – ao ouvir aquilo o homem abriu a boca para voltar a falar, mas estava estupefato demais para isso, ele umedeceu os lábios com a língua e suspirou de maneira funda pensando em tudo aquilo, Joonie havia conferido por conta de sua habilidade em tecnologia, que a biografia de seu pai havia sido acessada de um celular daquele bairro, ele não conseguia saber com precisão de qual casa vinha aquela pesquisa, mas se o nome dele foi citado e aquele grupo de jovens realmente começaram a pesquisar sobre ele, e ainda mais levando em consideração tudo o que eles já sabiam ali, realmente era muito arriscado não fazer nada.

- Ok.. – Namjoon sorriu de maneira fraca mordendo o canto da boca logo em seguida.. – vamos fazer algo diferente nesta noite. – ele fechou rapidamente os olhos e voltou a olhar para as bonecas que permaneciam paradas o encarando. – Nós vamos comemorar hoje! – Seulgi e Yeri viraram lentamente o rosto para lados diferentes ao ouvirem aquilo. – mas antes vamos fazer o procedimento de todos os dias, quero todas vocês no chuveiro.

- Sim! – responderam em uníssono e começaram a caminhar até o banheiro da casa que era razoavelmente bem grande, com cinco duchas, cinco vasos sanitários e cinco pias. Elas entraram ali e Joonie entrou logo atrás encostando a porta atrás de si, as cinco “bonecas” começaram a se despir ali dentro, peça por peça começou a cair pelo chão, elas faziam isso sem se sentirem com vergonha do fato de Namjoon estar ali, aquilo já era algo comum, com a lanterna que estava acesa, o homem deixou ela apoiada em uma pia apontada para cima, trazendo um pouco de claridade para o banheiro.

- Se lavem direito, bonecas também precisam ser limpas.

- Sim! – mais uma vez responderam em uníssono, a pele delas que parecia até de porcelana deixava os bicos de seus seios tampados e omissos, assim como a parte íntima de cada uma, a-assim que elas ligaram a água quente sobre suas cabeças, cada uma debaixo de seu próprio chuveiro, aos poucos... conforme a água descia banhando o corpo delas, e-era possível ver a água que escorria pelas pernas de cada uma delas se tornar bege no chão, aquela aparência de porcelana foi saindo aos poucos junto com a água descendo pelos seus corpos “são tão lindas..” Joonie pensou as olhando, aos poucos, bem lentamente... o corpo delas foi realmente e finalmente aparecendo, os seus seios bonitos ficaram a mostra junto com todo o resto, elas estavam nuas... completamente nuas e nem se importavam ou se envergonhavam da forma em que Namjoon olhava fixamente para elas... com o passar dos anos elas ficaram ainda mais bonitas, a seis anos atrás, eram apenas jovens garotas, agora.. Yeri e Joy com vinte anos, Seulgi e Wendy com vinte e um e Irene com vinte e dois, os corpos delas estavam perfeitos, lindos e totalmente atrativos... Joonie respirou fundo naquele momento olhando para as partes intimas das garotas enquanto elas usavam o sabonete, se não fosse por aquele plano que estava se articulando em sua mente insana, provavelmente ele não ia aguentar ‘vê-las’ daquele jeito sem conseguir fazer nada. As cinco garotas eram completamente lisas, não tinham nenhum pelo a não ser o cabelo, a sobrancelha e os cílios, tudo graças a um tratamento de choque que Namjoon fez nelas a seis anos atrás, assim como também teve coragem de fazer um procedimento cirúrgico arriscado, mas que deu certo... retirando por completo o útero daquelas cinco garotas, sendo assim.. ele não teria que se preocupar com “bonecas que sangram todo o mês”.

- Joonie, o que vamos comemorar? – Irene perguntou terminando de enxaguar o cabelo, m-mesmo sem aquela pele falsa, os movimentos e forma de se mexer continuavam da mesma forma, aquilo já estava implantado no cérebro de cada uma delas.

- Vocês logo saberão.. – se apoiou Namjoon em uma das pias terminando de ver toda a cena, após elas terminarem, ele jogou uma toalha para cada uma onde elas se enrolaram, ele saiu do banheiro e foi descendo até a cozinha, dentro de um dos armários estava a comida que ele tinha deixado na madrugada anterior, elas tinham apenas uma refeição por dia, na hora da noite... era uma refeição caprichada para suprir o longo período sem alimento depois, ainda enroladas nas toalhas, elas se sentaram em volta da mesa e começaram a comer de forma rápida, o corpo delas já haviam se acostumado com aquilo, além da comida, o suco tinha uma mistura de várias vitaminas, proteínas, zinco e mais um monte de suplementos para evitar a desnutrição e também a contração de doenças. Passado vinte minutos ali, elas subiram para os quartos onde pentearam os seus cabelos e os prenderam, em seguida... ao saírem novamente no corredor viram que Joonie aguardava por elas na porta daquele cômodo extremamente importante na casa, era uma baita cômodo na verdade, as cinco meninas enroladas em toalhas entraram por ali já avistando uma das máquinas tão conhecidas de todos os dias.

- Me deem as toalhas.. – ele pediu e elas se desenrolaram entregando para ele o pedaço de tecido, elas se posicionaram cada uma no seu devido lugar e uma espécie de líquido cor de pele passou a ser jogado nelas, a-aquela tecnologia fascinava Namjoon que começou a andar entre as máquinas, o líquido logo secava ao entrar em contato com a pele dando uma aparência de porcelana, a fina camada ficava quase que dura por isso que elas não faziam muitas expressões, tudo era reduzido, até mesmo os sorrisos quando elas usavam a chamada ‘segunda pele’, em seguida.. ao saírem das maquinas, as meninas andaram na direção de Namjoon, voltando a ser aquelas bonecas de porcelanas que ele e o pai dele tanto sonharam em fazer.. – eu trouxe isso pra vocês.. – Joonie começou a jogar para cada uma, peças de roupas específicas, eram peças de roupas coloridas, algumas tinham as cores do arcos íris, outras bem brilhantes, elas nunca tinham usado algo parecido – É bonito não é? – as bonecas se entreolharam rapidamente com sorrisos contidos no rosto – vistam e venham para cá.

Passado cerca de dez minutos elas todas estavam prontas, estavam realmente lindas naqueles vestidos e roupas brilhantes.

- Vamos comemorar o que? – Joy indagou Joonie sentindo um negócio estranho chamado ‘ansiedade’.

- Sente aqui primeiro minha querida. – Joonie deu um rápido sorriso para a loira fazendo-a se sentar ali, ele ligou a máquina ao corpo dela, colocando aquelas vários fios nos lugares certos, em seguida colocou o capacete na cabeça de Joy e abaixou uma luz estranha que estava presa ao capacete, fazendo com que ela fosse obrigada a encarar a luz, da tela do computador Joonie conseguia ver praticamente todas as reações do corpo dela por dentro, principalmente a região cerebral que era a parte mais importante para ele, foi desenvolvendo aquele “projeto”.. continuação de seu pai... que ele conseguiu realizar tudo aquilo! A-aquele era o maior orgulho da vida de Kim Namjoon, saber que conseguiu terminar a pesquisa e o desenvolvimento da maquina que permitiria a outra pessoa.. entrar no cérebro de alguém e modificar a vida inteira dessa pessoa conforme a sua própria vontade, o homem sádico se sentia até uma espécie de ‘deus’ sempre que entrava na sua casa e encontrava as suas bonecas “minhas criações, fui eu que fiz”. Era sim algo desconfortante, ele sentia um pouco de dó das garotas sempre que as colocava naquele aparelho, mas a vida delas não ia ser grande coisa caso ele não tivesse as sequestrado a seis anos atrás.. “eu fiz um favor a elas”. – Pronto Joy, preste bastante atenção ao que eu digo, mas não tire o olho da luz!

- Sim Joonie.

- Eu sou o seu criador, você é uma boneca de verdade, mas ninguém precisa saber o que uma boneca como você realmente faz. – ele deu um rápido sorriso – como eu disse antes, hoje vamos fazer algo diferente. – a voz de Joonie falava de forma cautelosa para ela entende-lo completamente – você não vai mais atacar Yeri hoje, você nem vai se preocupar sobre essa ‘impostora’ esta noite – Joonie se culpava um pouco por ter inventado aquele negócio todo, tudo isso para testar a eficácia da segunda pele delas se era ‘dura’ o suficiente para impedir machucados e para enganar os visitantes.. – hoje você vai matar aqueles intrusos para mim.. Park Sooyoung!

Joonie repetiu o ato em todas as cinco bonecas, ao terminar e olhar para elas, o homem podia ver que elas pareciam estar levemente eufóricas, por debaixo daquela imagem perfeita de bonecas de porcelana.

- Como vamos fazer isso? – Yeri perguntou sem saber exatamente o que estava na cabeça de seu criador.

- Vocês vão poder sair dessa casa hoje, por isso vamos comemorar... – ele levantou a garrafa de vinho para elas e bebeu sozinho naquele momento.. – aquele grupo é perigoso e eles estão morando bem na casa da frente, por isso que você vão poder sair hoje.. – ele fez uma pausa olhando bem para o rosto de cada uma - para mata-los – Joonie começou a andar e foi até uma caixa onde a destampou, o homem de vinte e oito anos pegou as armas que estavam ali e foi entregando para cada uma delas.. ele tinha um sorriso meio sádico vendo as garotas tão delicadas olharem de maneira séria para a arma como se tentassem entender como que cada uma funcionava... levou cerca de dez minutos para ele falar o que cada uma deveria fazer para acertar o seu alvo... Namjoon parecia frio naquele instante enquanto falava com uma boneca, mas na verdade ele não era um assassino, ele nunca matou ninguém do modo... convencional por assim dizer.. as únicas vidas que ele tirou foram as da cinco garotas indefesas na frente dele, mas qual alternativa ele tinha naquele momento? Se eles descobriram que aquelas bonecas eram ‘humanas’, se ele fosse preso provavelmente iria ter o mesmo destino de seu pai, e ele preferia matar do que morrer.

Já estava tudo pronto, as bonecas tinham o semblante mais sério e concentrado do que o normal, elas estavam terminando de mexer em suas armas quando eles... lá de cima, ouviram um barulho.. um barulho abafado de pessoas no andar debaixo, n-no mesmo instante os olhares das meninas se arregalaram um pouco e então elas olharam para Joonie.

- E-eu não esperava por isso.. a caça é tão burra que veio até o caçador! – ele riu baixo vendo o quão idiotas eram aqueles adolescentes, tão estúpidos... agora iriam morrer por conta de suas atitudes inconsequentes... – podem ir até eles e façam o que eu pedi.. – falou de maneira fria e séria, naquele instante... as cinco bonecas se encararam e começaram a andar para saírem pelos corredor escuro com suas armas em mãos.. e-entretanto ao pensar rápido, Namjoon se desgrudou da mesa voltando a falar novamente.. – Irene..

- huh. – a boneca de cabelo rosa parou de andar e deu um passo para trás voltando a encarar Joonie nos olhos – sim.

- Pensando um pouco aqui, acho que é provável que aquele cara que vocês machucaram não tenha vindo com esses outros.

- O que quer dizer? – ela piscou algumas vezes tentando ter certeza do que deveria fazer.

- Eu quero que você vá até a casa e mate ele, não quero que sobre nenhuma testemunha do que viu aqui pra contar história, entendeu bem? – ele se aproximou de Irene parando bem perto da boneca que fitou os olhos do homem vendo o quanto ele queria aquilo, a iluminação escura da sala deixava o rosto de Namjoon ainda mais sombrio ao fazer aquele pedido, a-a mente de Irene voltou rapidamente a figura daquele rapaz que foi ferido por engano.

- E se tiver mais alguém na casa? – Irene nem piscava mais, olhando fundo nos olhos dele.. mesmo sabendo que ela iria ser obediente a ele querendo ou não, o interior dela queria relutar de alguma forma.

- Mate todos... não é como se os ‘vizinhos fossem sentir a falta deles’ – brincou com a sua própria ironia.. – você é a minha primogênita Irene, não faça eu me decepcionar.

- ... – ela abriu a boca um pouco pensativa de repente, mas por mais que ela tentasse pensar em algo.. em qualquer coisa que não fosse a voz de Joonie, a sua mente sempre se voltava ás palavras daquele homem a sua frente – c-Claro Joonie, eu não vou te decepcionar..

 

...


Notas Finais


SANGUEEE AAAAAAH MEU SENHOR O QUE ACHARAM??? sorry pelo tamanho do cap, mas foi necessário, agora me contem o que acharam: Suas teorias estavam certas?? kkk vamos nos ver nos coments... beijooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...