História Dom - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bdsm, Sadomasoquismo, Tabu
Visualizações 40
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lírica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O pecado cruel da Luxúria.

Capítulo 2 - Cativa


Fanfic / Fanfiction Dom - Capítulo 2 - Cativa

Na tarde do próximo dia, todos os escravos compareceram ao enterro da Duquesa Gertrudes, não se vira Amélia até então... somente quando todos foram embora, a garota colocará uma pequena flor sobre o túmulo, da pobre viúva que agora já estava no encontro de seu amado.
....
      _Amélia?_ Falou Bastião que a observará de longe durante todo esse tempo...
      _ O que queres? _ Respondeu a menina com asco, sem retirar seu olhar sobre o túmulo de sua antiga e querida senhora..
     _Está tudo bem? _ Senhor Nicolae perguntou sobre ti... Acho que deves procurar ele
      _ Ela se foi... Acho que se eu quisesse poderia ter a impedido, sabes pq não fiz?_ questionou a garota olhando para o rapaz.. E segurando em suas mãos..
       _ Por que..?_ perguntou o Garoto que se sentia levemente envergonhado.
       _ Eu não tinha o direito... de a impedir, foi uma escolha dela não foi? Ela tinha tudo, dinheiro.. conforto, e ainda sim preferiu a morte_ Bom.. Vou ver como o Senhor Nicolae está.. Até  mais ver, Bastião!
        _ Até mais ver..._ respondeu o garoto todo abobalhado.

...
    Ela entrou sem bater, fechou a porta e deu um suspiro profundo:
       _ Senhor Nicolae, meus mais sinceros pêsames.. Creio que esteja estarrecido com a morte de sua mãe, mas.. Agora ela tem a paz que tanto almejava no coração.
       _ E quem disse que existe paz no inferno Amélia?_ questionou o homem cabisbaixo.

       _ E quem o disse.. que existe um inferno senhor?_ indagou a Garota_ Nada é absoluto, nem mesmo aquilo que nossos olhos podem ver.. Quem dera, o que não se passa de simples contos para assustar desavisados?
       _ Não é cristã?_ perguntou o rapaz de certa forma assustado.
       _ Sou Amélia, e sou quem sou meu caro senhor... Não tenho medo de muita coisa, e muito menos.. obedeceria algo por medo_ concluiu ela se servindo de um pouco de rum.
      _Es realmente mais estranha do que eu imaginava, e além de tudo é atrevida... Se não obedece por medo, como eu poderia te dar ordens?_ indagou o senhor que agora estava curioso por tal figura de mulher..
       _Não tenho medo da dor senhor, sei que se quiseres... Pode me açoitar até que não sobre nada de mim, a lei não protege a pessoas como eu_ foi dizendo a mesma quanto se jogou contra o sofá..._ Sei que estou a mercê da morte a qualquer momento em prol dos meus desacatos, mas não vai ser por isso que vou abaixar minha cabeça.
       Nicolae a olhava com certo assombro e admiração, aquela que agora estava toda esticada pelo sofá.. Sem receios de ser repreendida, ela o olhava... Tinha os olhos de criança, mas seu sorriso poderia ser equiparado ao da mulher mais sórdida de Paris.. Seu simples vestido preto, do qual não continha aparatos de ferro, revelava o quão perfeito era o contorno de seu corpo.. pés pequenos, nádegas redondas e bem saltadas, um nariz fino e bem talhado.. Seios medianos, que davam as vistas pelo fato da mesma não usar sutiã.
     _Es tão bela Amélia.._ ia dizendo o homem que se sentou no sofá_ ele colocou as mãos nos pés da mesma.. E de forma um pouco desajeitada os puxou para mais perto de seus lábios.
      _ o que está a fazer?_ perguntou ela Corada
      _ Apenas não diga muita coisa agora Amélia.._ Ia dizendo o homem que se deitou sobre ela..
      Ela o olhava enquanto mordia os lábios, fitou a boca do rapaz.. E o deu um longo Beijo molhado, ambos suspiravam em sinal de prazer..
   E ela que agora parecia estar totalmente entregue, se levantou..
       _ Aonde está indo Amélia?_ perguntou o senhor que pensará ter algum consentimento de tal situação.
       _ Sou virgem senhor...
       _ E o que tens? Não é a mesma que não tem medo de nada, e que nem mesmo é cristã?

 Eu apenas queria fazer desse momento especial... _ Não quero que seja de qualquer forma.
  _ Es compreensível, pois bem.. venha comigo_ disse o homem estendendo sua mão_ te darei uma noite do qual jamais irá se esquecer.
      Apesar de ter um pouco de receios, ela deu sua mão ao homem... Bastião olhava no fecho da porta, enquanto se sentia enciumado...
      Ambos andaram pelo extenso corredor da casa grande, e em meio a muitas portas existia uma única bem lá no final.. Apenas com um ponto de interrogação sobreposto nela.
     _Essa sala..._ comentava a garota curiosa..
     _ A sala inacessível, da qual somente meu pai.. E sua mãe tinha a chave, a muitos anos me questionei sobre ela_ falava o homem que tirou do bolso uma chave de prata_ Por favor Amélia entre....

...
   Uma vasta biblioteca, tinha o teto de madeira e um tapete vermelho de forró,  alguns livros empoeirados.. E duas poltronas vermelhas no seu centro, no canto vago da parede um quadro... nele  dois gêmeos siameses, dando a mão e olhando um ao outro..

...
     _Estranho_ minha mãe não sabia ler, por qual razão ela entrava nessa sala.. E Dona Gertrudes não podia, mesmo tendo duas poltronas?_ falou Amélia sem compreender.
     _Por certo, alguém tinha de limpar essa sala.. E não duvido que nossos pais fossem amantes, meu Pai era um libertino sem escrúpulos, se não era as escravas da senzala.. eram as serventes da cozinha.
...
    _ Seu pai tinha gostos exóticos para livros... _ Foi dizendo Amélia quando retirou da estante um livro do Marquês de Sade_ Pois veja esse..
    Ia dizendo Amélia, quando um barulho foi ouvido
...
       _Amélia, a estante...
...
       Uma segunda sala, dentro não havia janelas, apenas o que parecia ser uma espécie de cárcere de tortura..
 A garota olhava atentamente, a cada objeto que via..
    Nicolae sorriu, e acendendo o candelabro... fechou a sala.

...
     Amélia agora o olhava sem entender, ela andava devagar para trás.. Até se dar contra a parede..Ela estava corada, e o homem pegando uma de suas mãos.. A beijou.
    Ele pegava sobre seu pescoço levemente, enquanto beijava sua orelha.. E depois, logo foi descendo até seu pescoço.
Pegou uma das pernas de Amélia, e a colocou de lado.. colocando a sua sobre o meio delas, e fazendo movimentos leves..
 A moça, gemia baixinho.. enquanto cedia aos caprichos de Nicolae.. Ela nunca sentirá isso.
...
   _ Queria uma noite especial certo Amélia, então a terá.. Na sala mais especial de todas!_ Falou o senhor Nicolae enquanto movia sua mão para debaixo do vestido da mesma..
    Ela relutava sempre dizendo.. "por favor não faça isso." Mas enquanto dizia não com os lábios, seu corpo respondia sim a cada estímulo que ela recebia.."
   Logo seus olhos ficaram opacos, não tinha mais aquele ar infantil de antes.. Mas, agora de uma predadora..
 Que se viu tentada a tocar o corpo do mesmo como forma de retribuição..
        Nicolae se sentia excitado vendo a euforia da moça, ela agora tomava controle da situação e o encurralou.. Ela sorria como uma pervertida, e se abaixou de uma forma que ficava de frente ao membro do mesmo.

Por alguns instantes ele fechou seus olhos, Amélia pegou a chave de seu bolso com apenas um impulso, e correu em direção a porta:

_Hoje não.. Meu caro Senhor.._ disse a mesma rindo enquanto se retirava da sala.

...

Nicolae respirava profundamente.

_ Amélia.. _ dizia o homem enquanto escolhia um dos chicotes do quadro.

...

Continua



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...