1. Spirit Fanfics >
  2. Domestique ou Seja Domado >
  3. Capítulo 39

História Domestique ou Seja Domado - Capítulo 39


Escrita por:


Capítulo 39 - Capítulo 39


A noite passada ele havia ficado em casa sem falar com Hinata, ou qualquer outra pessoa que fosse. Aquela maldita foto em suas mãos o estava deixando frustrado e louco, aquela imagem não teria como ser uma montagem, principalmente porque foi Izumi quem o entregou. Quando ele apareceu na base para trabalhar, ficou calado o tempo inteiro, até mesmo Deidara tentou de várias formas possíveis fazê-lo sorrir, e até mencionou o nome de Hinata, mas ele não fez nada. Não que ele não tenha sentido raiva ou ciúmes, não. Ele só não deu uns bons tapas no loiro para não ter que descontar toda sua ansiedade e raiva em cima do mesmo.

Izumi até tentou conversar com ele, mas Itachi havia se fechado em sua casca de frieza e arrogância novamente. Hinata também o perseguiu, com ligações constantes de uma em uma hora. Por Deus, como ele quis atendê-la e dizer tudo o que estava sentindo, sim, sim. Mil vezes sim, ele queria sentir o abraço da Hyuuga, sentir sua pele, olhar em seus olhos que pareciam de um anjo e o faziam se acalmar no mesmo instante. Mas ele não fez isso, ele não queria deixá-la ainda mais desconfortável com seus problemas internos, ele sabia que Hinata se sentia mal, não por vê-lo sofrendo por um fantasma, mas sim por ver ele sofrendo, e ela, não poder fazer muito.

Agora ele segurava o celular em suas mãos, usando sua corrente de círculos, sem camisa, apenas de calça. Ele estava sentado no baú perto da janela enquanto a olhava através da mesma, ele conseguia vê-la, Hinata o encarava, mesmo sabendo que ela não o via, ele esboçou um pequeno sorriso desanimado, ela se preocupava com ele, tanto quanto ele esperava.

Ele viu quando ela ligou o celular e digitou no mesmo, de repente, seu celular começou a tocar e ele deixou em cima da cama, ao lado para não atender. Depois de cinco toques, ele parou de tocar, Itachi pegou o celular e olhou para a tela. Talvez ela tenha desistido e não ligasse mais, uma última vez ele olhou para ela, mas ela já não estava mais na varanda. Sim, ela deveria ter desistido dele. Suspirou cansado e se levantou indo até a cozinha, abriu a geladeira e pegou uma garrafa de água a abrindo e tomando sem parar.

Quando pensava em voltar para o quarto, a campainha toca. Ele tombou a cabeça para trás e olhava para a porta, ele havia dito ao porteiro que não queria ser incomodado, e mesmo assim ele deixou alguém subir e não o avisou.

O Uchiha resolveu que não iria atender, fechou a geladeira colocando sua garrafa de água vazia em cima do balcão e passou pela sala. Ele parou assim que a pessoa começou a bater na porta.

— Itachi. — O moreno encarou a porta sem parar, os olhos vidrados e sem cor encarava a porta indeciso. — Por favor... Não, não me afaste.

A voz dela parecia embargada, ele piscou saindo daquele transe e caminhou até a porta, parando ali na frente dela e fitando a madeira envernizada. Seus olhos negros deslizaram até a maçaneta, destrancou a porta e a girou a abrindo lentamente.

Hinata estava abraçada ao corpo no momento em que ele a encarou sem nenhuma expressão, sem esperar por alguma repreensão dele, ela simplesmente deu um passo à frente e o abraçou com força. Itachi largou a porta conforme a força em que ela chocou-se em seu corpo.

Ele a olhou um pouco atordoado, mas deslizou suas mãos sobre as costas dela. Ele se virou empurrando a porta fazendo com que a mesma batesse se fechando, os dois caminharam até o sofá sem se soltarem, assim que sentaram, ela fitou-o. Ela estava preocupada com ele, mas estava curiosa em saber o que o levou a se isolar.

Ele suspirou desviando o olhar para a mesinha de centro. Naquele momento, aquilo parecia ser uma forma de distraí-lo, na verdade ele não queria contar a Hinata sobre a foto. Ele não queria magoá-la. Mas ele também não mentiria, seria por escolha dela, se ela quisesse continuar com o relacionamento dos dois.

— Não vou mentir pra você, até porque não gosto disso. — A voz dele estava baixa e fria. — Izumi encontrou nas câmeras de segurança do Karaokê, uma imagem que pode ser de uma pessoa que nós conhecemos muito bem.

— Como assim?

Ela se remexeu no sofá e tombou a cabeça um pouco para a frente, para ter uma visão melhor do perfil do Uchiha.

— Luna. — Os olhos de Hinata se ampliaram e se perdeu em meio ao nada. — Eu não tenho certeza de que seja ela. Mas Izumi nunca erra.

Ele olhou para o lado, unindo as sobrancelhas e encostando de vez às costas no sofá, ele tocou nas mãos dela, conseguindo agora sua atenção.

— É por isso que não quis me atender? — Por incrível que pareça, ela não sentiu medo.

Seja essa mulher, Luna ou não, se ele realmente a amasse, não a magoaria, ou magoaria?

— Não! — Suspirou soltando as mãos dela e passando nos cabelos. — Eu não quero te deixar sobrecarregada com os meus demônios.

Ela sorriu anasalado e se levantou passando os dedos finos entre suas madeixas.

— Você acha que eu não conseguiria ficar do seu..

Ela não terminou de falar ao sentir seu corpo ser puxado. Seus olhos perolados fitaram o rosto de Itachi, uma sobrancelha grossa e negra se levantou. No rosto do Uchiha havia um pequeno sorriso, e os olhos ônix estavam espremidos encarando-a fixamente.

Ele deslizou as costas da mão esquerda sobre os cabelos dela os jogando para trás. E lá estava, aquele olhar penetrante e constrangedor dele, ela desviou os olhos, mas ele foi mais rápido virando o rosto dela para que ela o olhasse nos olhos.

— Não desvie seus olhos. — Murmurou a fitando. A Hyuuga estava agora montada em seu colo, o peitoral nu dele encostado em seus seios passando todo seu calor. — Não imagina o quanto eu torci para que você não desistisse de mim.

Ela arregalou os olhos e levemente negou. Suas digitais tocaram-no o queixo em um carinho suave.

— Te amo, e não pretendo sair do seu pé. — Ela sorriu. — A não ser que você não me queira mais.

Ele apenas balançou a cabeça.

— Dorme aqui hoje? — Perguntou, Hinata suspirou, Itachi era de tirar o fôlego com aquela cara séria.

Ela apenas assentiu, saiu de cima dele e o puxou pelas mãos os guiando até o quarto. O Uchiha apenas se deixou ser levado, ele só queria dormir nos braços de sua morena marrenta e sentir o carinho de suas mãos.

Mesmo que a cabeça dele tivesse uma confusão, e sua alma atormentada, em meio a todo esse caos, ela conseguia ser a sua calmaria. Ela realmente conseguiu repelir todo aquele amargo que era a vida do Uchiha, toda aquela solidão, acidez e arrogância se foi.

Apenas por ela, porque ela o mudou, porque Hinata se tornou o fôlego que ele precisava — necessitava, para sobreviver.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...