1. Spirit Fanfics >
  2. Domestique ou Seja Domado >
  3. Capítulo 40

História Domestique ou Seja Domado - Capítulo 40


Escrita por:


Capítulo 40 - Capítulo 40


Pela manhã, Hinata se levantou para preparar o café. Caminhando entre a cômoda do Uchiha, ela viu um envelope. Tentada a curiosidade, ela pegou o papel fino e o avaliou, o virando para ver se havia algum remetente, abriu e retirou a foto que estava lá dentro.

Ela espremeu os olhos tentando enxergar melhor a imagem, já que estava um pouco escura. A única coisa que realmente viu, foram os cabelos loiros de uma mulher. Dando de ombros sem imaginar que ela já havia se encontrado com a mulher da foto, colocou-a dentro do envelope branco e saiu do quarto para preparar o café da manhã.

Ela estava a todo tempo pensando em como seria se aquela mulher da foto fosse realmente a ex-noiva de Itachi. Será que ele teria que escolher? Ah não, ela negou piscando os olhos e tratou de focar na mesa posta.

Olhou para o relógio, 08h40min, ele não iria trabalhar? A Hyuuga caminhou até o quarto sem fazer alarde, mas assim que chegou na porta, parou ao vê-lo já de pé se arrumando.

— Pensei que não fosse para a base hoje. — Disse entrando no quarto enquanto o ajudava a colocar o paletó. Ela enrugou a testa, Itachi nunca ia para o trabalho assim, todo de social. — Vai trabalhar assim?

Ele se virou olhando-a nos olhos e sorriu tocando no rosto de Hinata. Uma pequena carícia nas maçãs de suas bochechas levemente rubras.

— Estou indo para a empresa hoje, já informei ao Kakashi que não poderei comparecer lá. — Itachi se inclinou depositando um selinho nos lábios dela. — Esqueci de dizer que você fica linda de pantufas de unicórnio.

Ela arregalou os olhos e sorriu mostrando todos os dentes. Dando um pequeno tapa no ombro largo dele, ela o puxou pelas mãos os guiando até a cozinha.

— Você precisa tomar café, antes de ir trabalhar. — Ela puxou a cadeira o empurrando com carinho o fazendo sentar-se. A morena deu a volta na mesa e sentou do outro lado, ficando assim, de frente para o Uchiha. — Vamos, pode comer.

Ele a encarou por alguns segundos a deixando confusa. Ela não sabia se o Uchiha havia gostado dela ter mexido em suas coisas, mas também, ele não havia comido nada na noite anterior, por tanto ela achou que ele estaria morrendo de fome.

Quando ela iria dizer a ele que mexeu nos armários para preparar um bom café reforçado, Itachi puxou a mão dela por cima da mesa a deixando surpresa.

— Sinceramente, eu adoro quando você me trata assim.

Ela levantou as sobrancelhas e mordeu o lábio inferior nervosa.

— A-assim como?

Itachi sorriu mostrando seus dentes e ergueu a mão dela até os lábios depositando um beijo demorado nas costas da mão dela. Ela sentiu seu ventre ferver, Itachi a olhava fixamente sem piscar.

Ele desceu a mão dela repousando-a sobre a palma da mão dele.

— Assim, como se eu fosse uma criança. — Ela abriu e fechou a boca. Ele ampliou os lábios, mas desta vez era um sorriso fechado, sem mostrar os dentes. — Obrigado!

Disse e começou a tomar o café, ele precisava chegar na Uchiha's Company antes das dez, Sasuke iria assumir o posto de presidente, teria uma pequena reunião e a presença do irmão mais velho, ou seja, Itachi, era necessário lá.

Estavam tomando café em silêncio, não era constrangedor nem incomodo, mas até Hinata se lembrar de um pequeno detalhe.

— Ah. Er, vi a foto que estava no envelope. — Ele parou a xícara no ar quando estava prestes a bebericar. Os olhos negros encaravam Hinata de uma forma tão confusa, que ela sentiu o coração errar uma batida. — Eu vi aquela mulher.

Hinata ficou surpresa quando Itachi se levantou da cadeira e saiu em direção a sala. Rapidamente, ela também se levantou e o seguiu, ele havia entrado no quarto. Assim que ela ia dar mais um passo para ir até ele, o Uchiha saiu do quarto com o envelope nas mãos.

— Eu tô me fudendo se essa mulher é a Luna. Primeiro: não quero encontrá-la, segundo: ela que não apareça na minha frente, não sei do que sou capaz.

Ele caminhou até a cozinha passando por Hinata, a Hyuuga se encontrava atordoada. Deixou para se virar quando sentiu o cheiro de queimado, unindo as sobrancelhas ela o fitou da sala.

Ela colocou a mão nos lábios incrédula e andou a passos largos até o Uchiha, ele estava queimando o envelope com a foto dentro.

— Céus, o que você está fazendo? — Perguntou olhando para dentro da pia, onde estava o papel em chamas. — Vocês não iriam usar e...

— Não! — Respondeu girando o corpo e a fitando. — Quero que foque no seu serviço, por favor, não se preocupe comigo.

Ele sorriu suavizando a expressão, ele a puxou pelos braços a fazendo envolvê-lo, Itachi a abraçou e beijou o topo da cabeça dela.

Oh Hinata...

Ele fechou os olhos e respirou pesadamente se soltando dela.

— Eu vou te ver hoje a tarde? — Ele levantou uma sobrancelha. Hinata sorriu passando a mão nos cabelos. — Desculpe, acho que esqueci de pedir para você me buscar no hospital. Vou sair mais cedo para ir buscar o meu vestido.

— Sim, te pego a tarde. Agora eu preciso ir ou chegarei atrasado, e o senhor Uchiha odeia atrasos.

Hinata assentiu. Ela terminou de arrumar as coisas na cozinha e saiu junto com Itachi.

                              .

                              .

                              .

                              .

— Eu sinto muito Neji.

Kisame colocou uma mão no ombro do Hyuuga. Ele havia ido até a mansão para conversar com Neji, e se surpreendeu ao chegar lá. Hanabi, irmã mais nova de Hinata, já estava na mansão, ele ficou impressionado pela beleza da jovem, chegava a quase ser mais bonita que Hinata.

Mas parecia que as coisas já não estavam bem na mansão, já que quando ele chegou um clima estranho estava presente. Kisame até pensou em adiar a conversa, mas se Itachi descobrisse que ele não havia explicado ao Hyuuga toda a situação, ele seria um homem morto.

— Porque não me disseram isso antes? — Perguntou Neji passando as mãos no rosto e encarando Kisame irritado. — Permitiram que ela me fizesse de idiota.

— Ei, estávamos investigando, não poderíamos falar nada.

Kisame tentou se justificar. Neji sorriu anasalado e começou a andar de um lado para o outro, como Kisame e muito menos Neji, não confiava em Hiashi, os dois saíram e conversaram nos jardins da mansão.

— Certo, aí vocês querem me usar?

— Mas ou menos. — Kisame sorriu mínimo. — Você só precisa tentar descobrir alguma coisa dela.

O moreno encarou Kisame por alguns segundos, bufando e revirando os olhos, ele acenou concordando.

— Tenho certeza que vou me arrepender depois, mas… Foda-se.

                              .

                              .

                              .

                              .

Hinata havia saído da costureira acompanhada por Itachi. Os dois andavam de mãos dadas até uma pequena praça que havia perto do shopping. Se sentaram em um dos bancos, Hinata fechou os olhos e tombou a cabeça para trás.

Itachi franziu as sobrancelhas e fez uma careta engraçada ao olhar para Hinata.

— Está batendo bem da cabeça?

Perguntou desviando o olhar para um carrinho de sorvete. Ela abriu os olhos e o encarou como se Itachi fosse um alien.

— Itachi Uchiha, irônico? Porra. — Gargalhando alto, a morena se levantou sob o olhar penitencioso de Itachi.

— Aonde vai?

Ela inclinou a cabeça para o lado e o fitou com os olhos brilhando de malícia.

— Chupar... — Itachi arregalou os olhos, e mais uma vez Hinata sorriu alto. — Vou comprar um sorvete para mim, você quer?

Ele negou. Ela deu de ombros e andou em direção ao carrinho de sorvete.

                              .

                              .

                              .

                              .

Itachi suspirou pela milésima vez, desde que entraram no carro, Hinata fazia questão de lamber e chupar aquele maldito sorvete de forma sexual e explícita. Ela queria o que,  deixá-lo pirado e duro? Se era isso, conseguiu.

Segurando e apertando o volante com uma mão, ele segurou um gemido na garganta. A mão esquerda teimou em descer até suas calças e dar uma leve apertada em sua carne dura embaixo do tecido.

Hinata parecia cheirar a sexo, ela desviou os olhos para ele, olhando para onde a mão dele apertava, ela mordeu os lábios e destravou o cinto. Nervoso e se sentindo tenso, Itachi desviou os olhos da estrada rapidamente apenas para ver Hinata ficando de joelhos no banco.

— Mas o que...

— Deixa eu fazer o meu trabalho. — Ela piscou pra ele e se inclinou passando a mão sobre a calça dele e sentindo-o duro. — Vou aliviar isso aí.

Itachi voltou a focar na estrada. Hinata tentou abrir o zíper com uma mão quase derrubando o sorvete que estava segurando. Itachi continuava olhando para a estrada, mas sempre que podia dava uma olhada em Hinata. A morena de tanto lutar, conseguiu abrir o zíper todo e tirar o membro do Uchiha pra fora. Ela umedeceu os lábios, sorriu ao ver aquela cabecinha vermelha e inchada, ansiosa ela abaixou a cabeça e passou a ponta da língua bem na cabecinha sentindo um gostinho salgado. Itachi apertou os olhos, mas logo se repreendeu por estarem na estrada e ele não podia se distrair.

Mas como ele poderia se concentrar tendo uma boca tão quentinha quase o engolindo. Ele chupou o ar com a boca e travou os dentes. Hinata havia passado um pouco do sorvete na extremidade da glande. Itachi sequer teve tempo de reclamar de alguma coisa, pois Hinata o engoliu com perfeição. Ela o chupou e em seguida o engoliu mais uma vez fazendo com que a cabecinha batesse em sua garganta, ele gemeu rouco, mas tentava o máximo não olhá-la, mas estava sendo um sacrifício.

Hinata parou de chupá-lo, ele a fitou vendo que ela lambia o sorvete.

— Porra!

Ela sorriu ao ouvi-lo murmurar um palavrão. Ainda o olhando, ela voltou a abaixar a cabeça e lambeu toda a cabecinha, ela segurou a base do pau dele e abocanhou, Itachi fechou os olhos e jogou a cabeça para trás, acabou se rendendo ao ápice de seu orgasmo. Jorrando todo seu sêmen dentro da boca da morena.

De repente, um barulho de buzina e Itachi pisou no freio com força. Hinata se desequilibrou batendo a costela no painel de controle do carro. Mas conseguiu se levantar para ver o que havia acontecido. Ela empalideceu, uma velha senhora estava com um carrinho de bebê passando na faixa de pedestres. Ela olhou para Itachi que estava terminando de arrumar as calças e saiu do carro para verificar como a senhora estava, ela preferiu ficar dentro do carro, estava nervosa demais para sair.

Com todo aquele alvoroço, a casquinha de sorvete acabou caindo de sua mão e caiu em cima do tapetinho do carro. Ela suspirou tentando procurar alguma coisa para limpar aquela bagunça.

Itachi voltou para dentro do carro e suspirou pesadamente assim que fechou a porta.

— Que susto. — Ela murmurou limpando o sorvete com um papel. — A senhora está bem?

— Sim. — Ele ligou o carro e voltou ao percurso até a casa deles.

                           ******

Dia 24 de maio chegou, todas estavam ansiosas para ver Sakura entrar por aquela porta. Cada padrinho estava com seus pares, Hinata estava do lado esquerdo e Itachi no direito, de frente com ela. Assim como a Hyuuga, as outras meninas também estavam cada uma de frente com seu parceiro.

Neji fazia questão de fitar Anne, a morena não sabia mais o que fazer, aqueles olhares que Neji a lançava às vezes a davam um medo incomum. Neste momento, ela desviou os olhos para ele, e instantaneamente, ela sentiu uma queimação no peito e um agonia estranha na barriga, seria isso as famosas borboletas?

Engoliu a  saliva com dificuldade e olhou para a porta da igreja, onde todos trataram de ficar de pé porque a música nupcial começou a tocar avisando que a noiva estava chegando.

Sakura estava deslumbrante, usando um vestido princesa de renda e mangas caídas, as costas era marcada por um tecido fino, que as permitiam ficar amostra, uma coroa em sua cabeça enfeitava com flores de sakura e segurava o véu.

Ela sorria, e chorava. O coração estava prestes a sair pela boca. Quando seus olhos cruzaram com os dele, ela quase cedeu às vertigens, sentindo suas pernas bambas e seus joelhos insistiam em tremularem. Sasuke a comia com os olhos, e isso era visível pela forma em que o sorriso em seus lábios o denunciavam. Fugaku foi encarregado de levar a noiva até o filho.

O Uchiha parou em frente ao filho, olhou duramente para Sasuke.

— Espero que seja um bom marido, caráter e honra, é hereditário.

Ele disse recebendo um aceno do filho, e olhou para Haruno depositando um beijo no topo da cabeça dela. Sakura sorriu, por mais que Fugaku fosse ruim às vezes, ele era um bom homem. Assim como os filhos e principalmente, a matriarca, Mikoto.

Ela suspirou e segurou nas mãos de seu noivo e futuro marido. Eles se olharam uma última vez antes de focarem no padre.

Hoje, ela se tornaria Sakura Uchiha.

                              .

                              .

                              .

                              .

Os risos invadiam todo aquele espaço amplo, os jardins da mansão Uchiha estava repleto de mesas e enfeites de flores e uma enorme mesa com várias opções de doces e salgados.

Por incrível que pareça, nenhum dos casais ali presentes, tiveram nenhuma briga. Até Temari com Shikamaru pareciam ter aquietado dando uma trégua, e Karin com Suigetsu estavam "normais" demais.

Até aquele minuto chegar...

— Anne e Neji, quando vão se assumir?

Ino havia aberto a santa boca. O Hyuuga não a encarou, Hinata fitou o primo de soslaio. Ela já havia percebido que ele andava bem fechado e estressado ultimamente.

Ela não sabia dizer se foi com a chegada de Hanabi. Um outro problema que ela teria que resolver, visitar a sua irmã ia ser difícil, já que seu pai não deixava a menina sair sozinha.

E tem Anne, ela andava meio afastada. Havia tantas coisas que Hinata queria saber, que ninguém contava. E também um tal de Sasori Akasuna, ele parecia estar sendo investigado. Ela sabia disso porque viu um relatório que Itachi avaliava.

Ela suspirou, sentia-se exausta ultimamente, não conseguia se alimentar direito, estava com insônia.

— Preciso ir ao banheiro!

Ela disse olhando para o Uchiha que a fitou.

— Você está bem? Está pálida.

Ele perguntou preocupado vendo que Hinata estava com os lábios e a face branca.

Ela assentiu e se levantou, assim que deu dois passos para sair dali, Hinata sentiu a cabeça girar. Itachi levantou rapidamente segurando-a pelo quadril.

Hinata havia desmaiado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...