História Domino - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Zhang Yixing (Lay)
Tags Chanbaek, Kaisoo, Seho
Visualizações 25
Palavras 1.172
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui estou eu com mais uma Kaisoo, desse vez não é uma OS! haha

Bem essa fanfic vai ter aquele chiclêzinho de casamento por conveniência, porém, os acontecimentos não serão tão clichê assim. Vai ter muito drama, vai ter Chanbaek, vai ter um Seho fofíssimo sempre atrapalhando as interações do nosso Kaisoo lindíssimo, e eu pretendo aprofundar bem todos os personagens.

Esse primeiro cap. é mais uma apresentação dos personagens principais, os demais serão maiores, e irei aprofundar bastante todos os personagens. Então, esperem, que vem muita coisa por ai!

Boa leitura!

Capítulo 1 - A Brilhante Ideia


Fanfic / Fanfiction Domino - Capítulo 1 - A Brilhante Ideia

Kim Jongin nunca teve problemas para se relacionar com outras pessoas, seja fosse profissionalmente ou casualmente, o moreno tinha certa facilidade para se comunicar, era bom em convencer as pessoas de que suas propostas e ideias eram as melhores. E talvez, fosse por ser tão bom nos aspectos anteriormente citados, que o rapaz não levava jeito nenhum quando se tratava de romance. Talvez o universo precisasse de alguma tipo de balanço. Saia com alguns caras aqui e ali, vez ou outra, quando calhava a dar certo sem nenhuma complicação, mas nunca passava daquilo, era apenas sexo casual, não tinha tempo nem paciência para manter um relacionamento, mal tinha tempo para cuidar de sua gata, Violet.

 

Por mais clichê que fosse, o Kim era dono de sua própria empresa, herdada por sua avó. Vivia unicamente para o trabalho, era o que amava fazer, gostava de dar ordens e manter as coisas organizadas. Era o senhor Jongin para toda e qualquer pessoa, além de sua avó e seu melhor amigo de infância, Park Chanyeol.

 

Jongin era um moreno bonito, vistoso, tinha um daqueles corpos magros porém malhados, que escondem muito por baixo dos panos finos das camisas sociais. Costumava frequentar a academia do condomínio no tempo livre, quando tinha alguma boa folga na empresa, ou quando Chanyeol insistia muito por uma companhia. 

 

Kim Jongin amava Chanyeol, aquele idiota fazia parte de sua vida desde que se entendia por gente, cresceram juntos desde a infância depois de brigarem pelo último ursinho de goma do piquenique da pré escola, e acabarem concordando em dividi-lo ao meio. Era um dos roxos, e o Kim nunca perderia um ursinho de goma roxo. Mal sabia que Chanyeol nutria uma paixão platônica por si desde muito tempo, Jongin era uma porta para notar aquele tipo de coisa, e também não era como se o Park desse a cara a tapa. Jongin sempre fora seu melhor amigo, e nunca deixaria de ser.

 

Ainda falando sobre esse sentimento profundo que se aloja lá fundo no peito, transborda a alma, e faz o coração pular uma gincana, havia mais uma pessoa no mundo que Kim Jongin amava mais do que qualquer outra coisa que habitasse a face da terra. Kim Hae, sua vovozinha querida, por quem havia sido criado, e faria qualquer coisa. 

 

Foi assim que Kim Jongin acabou naquela situação.

 

"Mas vovó…" O Kim suspirava, correndo os olhos pelo quarto tentando esconder seu desespero ao ouvir o pedido de Hae. "Eu não posso me casar agora…" Explicava manhoso.

 

Era um baita homem crescido, fazia jus a seu cargo, sempre sério e profissional, mas perto de sua avó sempre seria aquela criança manhosa.

 

"Me escute meu bem, eu não estou te apressando, não estou te pressionando… Eu só tenho medo de partir sem ver meu neto feliz, sendo amado." Kim Hae sorria gentil, rindo leve do desespero do neto. "Meu maior sonho é te ver casando, e me dando um netinho lindo como você."

 

Jongin agradeceu por não estar bebendo nada naquele momento, ou teria se engasgado severamente.

 

"Mas vovó…" Começou incerto. "Você sabe que eu…" Estava envergonhado demais para continuar a frase.

 

"Seu bobo! Não precisa ficar tão vermelho desse jeito. Eu hein." A senhora simpática fazia graça da vergonha alheia. "Você me entendeu, meu amor, você pode se casar com um rapaz bonito, e vocês podem adotar um bebezinho pra eu poder mimar muito, igualzinho eu mimo meu bebê grandão. Você!"

 

Kim Jongin faria qualquer coisa para ver sua avó feliz.

 

"Senhor Kim." Ouviu seu assistente pessoal, Yixing, chamar enquanto espiava levemente para dentro do quarto. "Tem uma ligação importante da empresa na linha. O senhor pode falar agora?"

 

E foi depois de atender aquele telefonema e espreitar uma conversa sem querer no corredor do hospital, que Kim Jongin teve a brilhante ideia.

 

xxxxxx

 

Kyungsoo acordou em um pulo naquela manhã, seu celular tocava incessantemente sob a mesa de centro, e acabou por pegar o aparelho pouco antes deste se chocar ao chão devido a vibração que o arrastava cada vez mais para a ponta da mesa.

 

"Porque você não fica quieto, senhor alarme!" Esbravejou, mas se levantou em um pulo quando notou se tratar de uma ligação do hospital.

 

Seu pai estava internado desde muito tempo atrás, era sua única família, e sofria de uma doença sem cura devido a seus muitos anos trabalhando com mineração. Kyungsoo já havia se conformado com a morte inevitável do pai, o que não queria dizer que não se preocupava, porque Kyungsoo se preocupava demais. Era só que… era realmente inevitável, tudo o que podia fazer era ajudar seu pai a viver o mais confortavelmente possível, deixá-lo feliz e aproveitar os dias restantes ao seu lado.

 

Ligações do hospital sempre deixavam um aperto no peito, lhe faziam o coração quase sair pela boca, nunca eram boa coisa.

 

Sua vida passava pela mente enquanto aguardava ansiosamente pelo ônibus que o levaria até o hospital, não poderia estar em situação pior. Estava sem grana, vivendo de pão e café sem açúcar por mais tempo do que poderia contar. Todo o dinheiro que conseguia ia para seu pai, o deixaria o mais confortável que conseguisse, e não era nada barato mantê-lo em um dos hospitais mais caros de Seoul, porém, não mediria esforços, mesmo que precisasse passar fome.

 

O sonho de Kyungsoo era ser ator, era realmente bom naquilo e amava atuar, estar sob os palcos o fazia esquecer da vida, fazia o coração bater forte e sentir uma felicidade que nunca havia sentido. Era libertador. 

 

Infelizmente não era nada fácil encontrar oportunidades para participar de testes, não poderia perder seu tempo de trabalho ganhando seu tão necessário pão de cada dia para fazer um teste sem certeza alguma de passar. 

 

Não podia se dar a esse luxo.

 

Entrou no hospital ofegante, depois de se apressar e ir praticamente correndo até lá, se dando conta de que o ônibus não passaria naquele dia. Pegou o crachá de visitante na recepção, e colocou-se a caminhar até o quarto de seu pai. Necessitava falar com o médico, pedir mais algum tempo para conseguir o dinheiro.

 

"Doutor." Kyungsoo cumprimentou, curvando-se em sinal de respeito ao encontrá-lo no corredor.

 

"Kyungsoo, que bom que chegou. Podemos conversar na minha sala?"

 

"Claro."

 

Estava pensando seriamente em sobreviver de pão e água, talvez cortando os gastos do café poderia reservar mais algum dinheiro para o pai, talvez se conseguisse mais um emprego…

 

xxxxxx

 

Jongin sabia que não deveria ouvir a conversa de outras pessoas, mas acabou ouvindo mesmo sem querer, e o que ouviu o fez ter um lampejo de como resolver seu problema.

 

"Yixing! Descubra o nome daquele rapaz e dê uma olhada no que acha sobre ele, preciso disso até o fim do dia." Pediu ao assistente.

 

Jongin precisava se casar, se sentiria culpado se sua avó partisse sem realizar seu maior desejo, e bem, aquele homem precisava pagar a estadia do pai e parecia precisar de dinheiro. Poderiam se ajudar.

 

Não poderia dar errado.


Notas Finais


Eu espero que vocês gostem e sintam vontade de acompanhar essa fanfic! Eu já tenho ela toda plotada, e tem muita coisa por ai, prometo!!

Teorias? Não deixem de comentar ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...