História Dona Maria - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Kuklo, Maria Carlstead, Rosa Carlstead
Tags Alemanha, Ataque Dos Titãs, Bundeswehr, Kuklo X Rosa, Kuklosa
Visualizações 0
Palavras 542
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Telefonemas


Capítulo 3

Telefonemas


“...Faz 3 dias que eu não durmo direito

Sua filha me deixou desse jeito

E o que ela mais fala é que a senhora é brava

Mas hoje eu não vou aceitar levar um não pra casa…” 



Alojamento de Rosa

Horas antes… 


— Não, senhora Elena, não vai atrapalhar nada não… Pode vir sim… Está bem? Ok, então! Vou esperar a senhora. Beijo… Tchau, Tchau. — disse Rosa, desligado o celular. Ela ainda estava sentada no pé da cama, logo depois que Kuklo saiu da casa. A jovem enfermeira foi no aplicativo de contatos novamente e discou outro número. Seu dedo hesitava, mas precisava fazer aquilo.

Apertou, o telefone começou a chamar e ficou esperando com o coração na mão, pulsando a mil por hora.

— Alô? Filha, é você?

— Oi mãe, bom dia! Tudo bem com a senhora?

— Tudo sim, filha! Que surpresa boa! Você quase nem liga dia de semana! 

— Então, é que hoje eu precisava ligar. A senhora tá muito ocupada?

— Não, nada que eu não possa fazer mais tarde! Mas… Aconteceu alguma coisa? 

— Não, mãe, não aconteceu nada, não precisa se preocupar… Mas… Eu preciso falar uma coisa com a senhora, pode ser? 

— Hoje? Não dá pra falar por telefone?

— Não, mãe, tem que ser pessoalmente… Tem como a senhora vir no meu alojamento?

A Coronel Maria Carlstead ficou muda por uns instantes do outro lado da linha e, depois de um minuto, ela respondeu. Rosa ficou com o coração na mão com todo aquele silêncio.

— Minha filha, você não me esconda nada! É alguma coisa com você, não é? É alguma coisa que tá mexendo com você por dentro, não é?

Rosa não conseguia mentir para a mãe. Ela sabia até mesmo quando mentia.

— Sim, mãe. Tem haver comigo sim… É uma coisa que tá me incomodando faz tempo… Eu queria esclarecer tudo pra senhora hoje… 

— Você tá namorando, Rosa?

— Bem… A senhora não queria conhecer a pessoa que me fez continuar no exército, mesmo a senhora não querendo? 

Maria mais uma vez fez um silêncio de morte no outro lado da linha. 

— Sim, quero conhecer esse sujeito! 

— Taí a chance, mãe. Hoje ele vai vir na minha casa… A senhora não queria vir? Eu tô sendo sincera com a senhora… 

— Ah, mas é claro que eu vou! Vou tirar esse assunto a limpo hoje mesmo!

— Então, vou esperar a senhora, está bem?

— Está bem, Rosa! Olha o que você vai aprontar, hein?

— Não vou aprontar nada não… Só quero jogar limpo daqui pra frente… 

— Acho bom mesmo, menina! Quatro horas eu tô aí, pode ser?

— Pode, pode sim. Vou esperar a senhora. A gente bate um papo e faz a comida… 

— Tá certo. Você presta atenção no que você tá fazendo, menina!

— Eu tô prestando sim… Tchau, mãe, um beijo, te amo!

— Tchau, Rosa, se cuida viu? A mãe te ama muito também.

Dona Maria desligou do outro lado da linha e Rosa encostou a cabeça no colchão, sentindo uma sensação de alívio e preocupação ao mesmo tempo.

— Kuklo, você vai ter que me desculpar… — disse Rosa, vendo a foto dos dois no plano de fundo no telefone: ela e ele no parque, juntos, se divertindo.


Continua…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...