História Donkey Kong - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Mina, Sana
Tags 2na, Misana, Namo
Visualizações 53
Palavras 1.912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A minha intenção é encerrar no natal então, como todos os capítulos já estão terminados, resolvi publicar este hoje.

Desculpem qualquer erro.

Boa leitura >.<

Capítulo 4 - Ela gosta de garotas


Fanfic / Fanfiction Donkey Kong - Capítulo 4 - Ela gosta de garotas

O METRÔ estava com pouquíssimas pessoas e por conta disto, Sana aproveitou o momento para divertir-se no espaço vago.

O corredor estava totalmente vazio, então a loira passou a correr, apenas se segurando nas barras somente quando quase caia.

Era engraçado vê-la tão despreocupada com as únicas pessoas que estavam no vagão, o sorriso colossal em seu rosto apolíneo.

Mina estava aproveitando o momento de distração para observá-la, percebendo também que a beleza era um dos motivos de sua paixonite pela melhor amiga. A mais velha era alguém sem filtro e, pouco se importava com a opinião alheia, algo que a Myoui admirava. 

O sorriso que preenchia o rosto delicado da amiga, era algo que deixava a morena mais embargada e sem qualquer reação. Ela era completamente apaixonada por aquele sorriso radiante e colossal.

E mesmo com o corpo completamente escondido pelas roupas de inverno, Mina ainda conseguia ter ideia que as curvas sinuosas estavam sob os tecidos. 

A Myoui não conseguiu controlar o suspiro que soltou, porque atualmente era algo que acontecia com mais frequência. Quando se deu conta, a amiga lhe encarava confusa.

— Por que está me encarando assim?

Ficou sem resposta e percebeu que era a estação delas no metrô.

Apenas ergueu seu corpo do banco, segurou a pequena mão da amiga que estava gélida e então saíram de lá. 

O coração batia forte no peito, porque tinha sido pega no flagra.

— Era nossa hora de agir — riu pela própria resposta baixinha, encarando a estação que desembarcaram. — A Nayeon e a Momo devem estar preocupadas pela demora.

— Não temos culpa se a sua mãe não deixou a gente sair antes de tomarmos café — Sana disse pensativa. — Às vezes eu acho que ela quer me ver gorda.

Myoui não controlou a risada, apertando a mão alheia como se tentasse pedir desculpa. 

— Essa é uma boa teoria, mas acredito que não. 

— Sério? — a mais velha arregalou seus olhos. — Achei que iria achar que era algo impensável! 

A morena não respondeu, apenas continuou a andar em sentindo a casa dos amigas. Momo havia ligado avisando que Nayeon tinha desencadeado uma antiga crise de bronquite, o que infelizmente acontecia normalmente naquela época do ano com as pessoas, embora não com a Im. Agora, lá estavam indo, tentar melhorar o humor do casal; Nayeon pela exaustão e Momo da preocupação. 

Depois que desembarcaram do metrô, precisavam apenas dar uma pequena caminhada até o prédio do casal. Mas, se estivessem na época de sol em Seul, seria apenas alguns minutos até o lugar almejado, contudo estavam em tempos de inverno, o que não facilitava nada a vida delas.

Quando enfim chegaram de frente  ao prédio, Sana logo pediu para que avisassem que Nayeon e Momo esperavam elas; os seguranças ligaram e então em segundos, Mina e a amiga estavam no elevador. Moravam no sexto andar e, assim que saíram do objeto metálico, Hirai estava de frente à sua porta. Soltou um suspiro ao vê-las. 

— É bom ver vocês — a japonesa mais velha abraçou Sana. 

Quando entraram no apartamento, tanto Mina quanto a Minatozaki, sorriram pelo ar condicionado estar ligado e o ar quente preenchê-las fielmente. 

— Onde está Nayeonnie? — Mina perguntou enquanto tirava o casaco. 

— Estou aqui — a voz vacilante e cansada da Im, informou que ela estava no sofá, perto delas.

A casa estava cheirando a pizza e café. 

Myoui andou até perto do sofá, vendo a amiga deitada no meio de vários cobertores e travesseiros. Ela estava arfando um pouco, culpa do problema respiratório.

— Oi, Unnie... — a mais nova murmurou.

Nayeon apenas sorriu, se forçando a sentar, visualizando Momo aparecer junto de Sana.

— Não se esforce muito, sabe que somos de casa, não há necessidade de formalidades. A gente já até presenciou Momori andando nua por aqui.

— Sana!  — Mina encarou a melhor amiga de forma indignada, enquanto ignorava a risada nervosa da Hirai e o jeito que Nayeon havia lembrado-se do deslize. — larga de brincadeira, ela está mal!

— Olha só, eu já pedi desculpa, mas vocês duas são as culpadas por sequer terem avisado que viriam naquele dia...

— Não é uma doença grave, parem com isso — Nayeon interrompeu a discussão. Mesmo que ela tentasse transmitir que estava bem, sua voz saía com um chiado e em cada palavra, parava para respirar fundo; algo que não conseguia muito bem.

— Ela tomou alguns medicamentos no hospital. — Momo controlou a risada. —chorou como um bebê. 

Im ficou vermelha e apenas encarou a namorada. As duas visitantes sentaram ao lado da mais velha, Sana passeou suas mãos no cabelo da amiga, ignorando a preocupação ao vê-la doente. 

— Mas resolveu alguma coisa? Eu só vejo uma Im Nayeon péssima!

— O cansaço demora mais para passar, mas isso previne dela não ter outra doença pulmonar. — Hirai bocejou.

Mina mudou sua atenção da coreana, à namorada. 

— Você dormiu desde que a levou ao hospital?

Momo apenas deu de ombros. 

— É a primeira vez que ela me vê assim. — Nayeon sorriu, achando graça. — Momori é fraca demais para essas coisas.

— Eu estou preocupada, só isso. 

— Certo... — A voz da Myoui saiu baixinha, então ergueu seu corpo do sofá, indo até Hirai. — Vamos dar uma volta? Sabe, para você respirar um pouco.

— Algo que Nayeon não consegue no momento — Sana deixou escapar, rindo da própria piada. A coreana revirou os olhos, não se surpreendendo com o humor alheio. — Foi mal, essa não dava para segurar.

E então como se pedindo permissão, Momo olhou a namorada e a Im ficou surpresa.

— O quê? Eu vou ficar bem... vai lá. 


[...]


— Minari disse a você que estou tentando encontrar um namorado para ela? 

Sana perguntou, sentada à mesa, levando um pedaço de pizza até a boca. Nayeon assentiu com a cabeça, embolada em um cobertor. 

Depois que as duas japonesas saíram apressadas do apartamento, Minatozaki tentou dialogar com a amiga, entretanto era agoniante vê-la arduamente respondê-la, por isto, fez o simples acordo que apenas si própria falaria, enquanto fosse necessário para Nayeon, apenas negar ou assentir com sua cabeça às inúmeras perguntas. 

— Meio que encontrei um garoto. Chanyeol. Mas só que ela furou no encontro e disse que não estava preparada ainda. 

Nayeon arregalou seus olhos. Mina não havia contado que tinha desistido no último momento. 

— Pois é — Sana murmurou, vendo surpresa no rosto da amiga —, eu também me surpreendi. — Bebeu um pouco de refrigerante. — Mas aí, tentei saber o real motivo que a bloqueia para enfim arrumar um cara, porém é algo falho; ela não me conta nada.

— Talvez el-

— Quietinha! — apontou com o pedaço da pizza quatro queijos, com um olhar acusatório. — Prometeu que não gastaria sua energia.

Revirando os olhos, Nayeon bebeu um pouco de café, percebendo que já estava gelado.

— Voltando — sorriu —, eu não tenho ideias novas para um garoto completamente diferente de Chanyeol, porque apenas coloquei na ficha aqueles que tivessem todo o mesmo estilo, o que anula a droga da minha lista.

Nayeon estava indignada. Levantou do sofá e, quase caiu no chão ao constatar a falta de ar que era imensamente terrível.

— Droga, Nayeon! — Sana correu de encontro da castanha, segurando as costas dela, por estar com um cobertor, seu peso era maior, quase fazendo ambas cairem no chão. 

Voltando ao sofá, a Im arfou, tentando respirar, mas, era miseravelmente pouco ar que conseguia nas lufadas, então apenas depois de longos minutos, ela conseguiu desacelerar seu coração e voltar ao normal.

Sua mãos estava agarrada na da amiga, que observava tudo assustada e sem saber o que fazer ou dizer.

— Desculpa — Nayeon sussurrou em chiando, seus olhos fechados e envergonhada.

— Me deixou assustada, sua idiota — sentou ao lado. — Agora entendi o medo da Momo e a forma que ela não quis sair do seu lado.

— Garotas.

— O quê? — Minatozaki olhava à amiga como se tivesse enloquecido de vez. 

Nayeon hesitou. Certo que ela e Momo haviam discutido sobre a aceitação de Mina e o fato que de elas não podiam interferir. No entanto, não conseguia ver e conversar com Sana sobre os possíveis garotos que dariam certo com a Myoui.

Mas então achou errado contar aquilo que Mina escondia a sete chaves.

Mesmo que torcesse demais para que as duas amigas ficassem juntos, era doloroso ver Mina sofrer e Sana nem ao menos saber o motivo. Por consideração de todas discussões com Momo por causa de querer dizer à Minatozaki o real amor adolescente da Myoui, se conteve em segregar e permitiu dizer somente o mínimo.

Mina gosta de garotas.

Nayeon observou as ações de Sana em câmera lenta. Os olhos da japonesa ficaram arregalados, ela levou as mãos até a boca e então encarou a televisão desligada, impossível de dizer qualquer coisa.

Im sabia que a japonesa não era homofóbica, do contrário sequer seriam amigas.

Mas tinha-se dois problema naquele fato.

O primeiro era que Mina e Sana eram melhores amigas e faziam muitas coisas íntimas demais para se fazer com alguém do sexo oposto; o segundo era o que talvez Nayeon não tinha pensado antes de contar: Mina estava escondendo aquilo da melhor amiga.

Com certeza era o declínio na amizade delas.

Im pensou no que diria, porém antes mesmo de formular algo que ajudasse naquele clima, a porta do apartamento foi aberta.

— Ah, céus, lá fora 'tá tão frio que eu estou cogitando em dormir aqui, acho que vou ficar com o- Mina interrompeu-se quando viu o refrigerante aberto na mesa e algumas fatias de pizza. — Opa, pausa para comida.

Ela pegou a latinha de refrigerante que há poucos era de Sana, então bebeu o resto do conteúdo em apenas um gole. Gemeu se encolhendo em seguida pela temperatura gelada.

— Isso não ajuda nem um pouco o meu frio.

— Mina — Momo a chamou.

Quando virou para vê-la, a amiga franziu o cenho, fazendo a Myoui virar para visualizar as outras duas, que a encarava de um jeito estranho.

— O que foi? 

Nayeon prestou atenção no modo inerte de Sana e quis se xingar por isto; Minatozaki observou a melhor amiga por um período, até então voltar sua visão à televisão.

— Nada... — Foi a Im que murmurou, a voz tremida pela falta de ar e pela culpa em ter contado algo particular. 

Mina rapidamente mastigou um pedaço de pizza, tirou o sapato e correu até o sofá, ficando no meio de Sana e Nayeon. Sob o cobertor grosso, ela sorriu agradecida. 

Rindo das amigas, Momo andou até lá, sentando ao lado da namorada. Por conhecê-la tão bem, a Im fitou ela e percebeu que a Hirai perguntava em silêncio "você está bem? " ela assentiu, apoiando a cabeça no ombro. Mas a japonesa notou que não estava tão bem assim.

Então, Sana observou Mina, ainda perplexa pelo que a coreana havia dito. 

Mina gostava de garotas.

Sua melhor amiga, que sempre lhe contava tudo, gostava de garotas e ela não sabia disto.

— Você está bem? — Myoui sussurrou apenas para que Minatozaki escutasse, enquanto o casal procurava uma programação interessante na televisão. — Ei, Sana-chan...

— Estou... — ela sequer encarou a melhor amiga, ainda sem saber o que exatamente pensar. — Estou bem.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...