1. Spirit Fanfics >
  2. Don't Break My Heart >
  3. Poderia isso ser amor?

História Don't Break My Heart - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi pessoal! Tudo bom com vocês? Peço desculpas por não ter postado antes, meus finais de semana são bem corridos! Enfim, sem mais delongas, segue abaixo um capítulo novo fresquinho pra vocês. Espero que gostem!
Não se esqueçam da música do capítulo nas notas finais. Acho que elas acrescentam muita coisa à história, coisas que eu sozinha não sou capaz de fazer. Enfim, é isso!

Boa leitura! 😁

Capítulo 7 - Poderia isso ser amor?


Fanfic / Fanfiction Don't Break My Heart - Capítulo 7 - Poderia isso ser amor?

- M-Marinette? O-o que você faz aqui? - Chat Noir estava em choque. Encontrar a colega lá uma vez era coincidência, encontro do acaso. Mas duas vezes? Duas vezes seguidas ainda?

- Acho que você já sabia a resposta, gatinho - sorriu em resposta.

- É... na verdade não, não sei - sua expressão mudou de susto para confusão. Ele realmente não sabia a resposta.

- Bom, eu... não sei por que motivo, mas eu esperava te encontrar aqui hoje...- o tom de voz da azulada era tão baixo que mais parecia um sussurro - Eu sei que já fiz isso, mas queria agradecer mais uma vez por ontem.

"Por ontem? Mas eu não fiz nada, muito menos ajudei em alguma coisa. Ah, Marinette, por que você faz esse tipo de coisa? Acho que eu nunca serei capaz de entendê-la"

- Pelo que, exatamente? - Chat Noir perguntou.

- Eu acho que você me ajudou a dar um grande passo, sabe? Mas ainda... - a garota fez uma pausa antes de continuar.

- Mas você ainda não sabe dizer se isso está certo, não é? - o gato preto parecia ler a mente da garota com uma enorme facilidade.

- É... Espera, como você sabe?

- Por que você acha que eu sei? - abriu um pequeno sorriso para a amiga.

Marinette abaixou a cabeça como se tivesse sido dominada por uma sensação de tristeza. Mas não era para isso que estava lá. Não foi até a Torre Eiffel com tristeza, então por que iria ficar triste agora?

- Bom... Eu queria te agradecer mais uma vez por ontem. Graças a você eu consegui falar com o Luka.

- E o que aconteceu? - Chat Noir perguntou sem querer saber da resposta, pois já sabia que aquilo poderia machucá-lo.

- Eu... o beijei. - Marinette colocou o polegar sobre o próprio lábio, lembrando-se do que havia acontecido mais cedo - mas não foi como eu esperava.

- Ué, e por que não? Pensei que você gostasse dele.

- E eu gosto. O Luka é um grande amigo. Eu percebi que ele pode me confortar. Eu espero que um dia possa ser como eu gostaria que fosse.

Chat Noir ficou mais triste do que já estava ao ouvir isso da azulada. Por que agora ele queria que Marinette não desse chance ao Luka? Sua mente só podia estar lhe pregando peças.

- Mas não foi por isso que eu vim aqui. Como eu já disse, eu quero te agradecer mais uma vez, sabe, por me ajudar a dar esse passo. Não teria conseguido se não fosse por você. - Marinette estendeu ao loiro um pequeno saco que continha macarons feitos por ela mesma, sorrindo antes de entregá-lo.

O garoto recolheu o saco, abrindo-o e sorrindo ao ver o conteúdo. Comeu o primeiro com satisfação, anunciando em seguida:

- Nossa, de maracujá? Eu amo isso aqui! - a tristeza que antes tomava o seu rosto foi substituída rapidamente por felicidade.

- É. O Adrien também teria amado. Eu fazia pra ele, por mais que nunca o entregasse. São os favoritos dele. - a garota pareceu triste com o que tinha acabado de dizer.

"O quê?! Ela fazia macarons de maracujá pra mim?! Como ela sabia que são os meus favoritos? Essa garota me surpreende cada vez mais". Aquilo o deixou levemente abatido. Ele se admirava com o tanto que Marinette gostava dele sem ele nunca ter se dado conta.

- Mas e você, gatinho? Você não me parecia bem quando chegou aqui. O que houve?

O sorriso no rosto do garoto, que apareceu tão rápido ao receber os macarons, foi-se na mesma rapidez ao ouvir a pergunta de sua colega.

- Eu tenho certeza de que não fiz a escolha certa. - o gato olhava para frente, para não ter que encarar a garota ao seu lado.

Aquilo despertou um misto de curiosidade e comoção em Marinette. Como ele decidiu tão rápido que sua decisão não estava certa? Ela mesma levaria mais tempo para perceber se seguia o caminho correto. Mas ele? Por quê?

- Por que você diz isso?

- Eu só entendi depois que já não tinha mais volta. Só que eu não posso ficar brincando com os sentimentos das pessoas assim. Agora eu preciso ir até o fim.

A garota sentiu que aquele assunto estava machucando o amigo mais do que o normal, por isso decidiu não insistir mais para que falasse. Apenas se aproximou do loiro e recostou sua cabeça em seu ombro.

- Quem diria que você seria tão sábio às vezes? - Marinette sorriu - Eu imagino como você se sente. Pode contar comigo quando precisar.

Chat Noir não sabia explicar, mas aquilo foi como uma onda de calmaria em sua vida. Por mais que Adrien fosse solitário, Chat Noir tinha alguém. Ele tinha com quem contar e sabia disso. Aquilo não tinha preço. Mesmo que fosse preciso estar sempre como Chat Noir, ele estaria assim se pudesse ter alguém ao seu lado.

Marinette sentiu que seu amigo calou-se de repente. Estava perdido em seus pensamentos.

- Ei, Chat?

- Sim? - o garoto estava desorientado depois de tudo que havia pensado.

- Tá tudo bem? -a garota perguntou preocupada.

"Não podia estar melhor", pensou. Mas o que respondeu foi:

- Está sim. Está tudo miauravilhoso! - piscou ao final da frase, num claro gesto de zombaria.

- Fala sério, Chat Noir! Suas piadas são péssimas! - Marinette riu da piada do gato.

- É, mas você está rindo!

- Estou rindo porque foi tão sem noção que chegou a ser engraçado! - Chat sorriu com aquilo.

- Marinette... acho que já está ficando tarde. Por mais que eu adorasse ficar mais, é melhor irmos pra casa. - a garota assentou em resposta.

O loiro levantou-se e estendeu sua mão para que a azulada pudesse se apoiar e levantar-se também. Ela pegou em sua mão e, ao estar de pé, agradeceu com um sorriso. Chat Noir passou seu braço por sua cintura, dizendo:

- Vamos? - a garota olhou para seu amigo apenas por alguns segundos, segundos esses suficientes para que percebesse que poderia ter uma grande amizade com Chat Noir sem ser como Ladybug. Estava extremamente feliz.

- Sim! - fechou os olhos e sorriu. Marinette queria apenas sentir o momento.

Partiram. Não demorou muito para que já estivessem na varanda de Marinette. O gato deixou-a delicadamente no chão, tirando o braço de seu corpo. O garoto ficou parado, por alguns segundos que pareceram minutos, admirando a garota que estava a sua frente.

- Boa noite, Chat Noir! - Marinette sorriu.

O loiro não respondeu, continuou como estátua em sua frente, até que virou o rosto para que seus olhos não se encontrassem e disse:

- Eu ainda não quero me despedir. Será que eu poderia entrar? - o gato parecia envergonhado com sua própria pergunta.

Aquilo pegou Marinette de surpresa. Ela não esperava que seu parceiro se auto convidasse a entrar em seu quarto. Mas sentiu que não podia negar. Ele ainda parecia triste, e o que ela menos queria naquele momento era que essa tristeza permanecesse com ele.

- A-ah, mas é claro! - disse, abrindo o alçapão e entrando, gesticulando para que Chat fizesse o mesmo.

Após entrarem, a primeira coisa que o herói pôde notar foi a ausência de fotos suas. Ele se lembrava bem de quando viu o programa de culinária na TV feito na padaria dos pais da garota que, desastrosamente, foi parar no quarto de Marinette.

"É verdade! Ela também tinha fotos minhas espalhadas por todo canto! Então quer dizer que não era só porque eu era um modelo, mas porque ela gostava de mim. Que tolo, Adrien!"

- Cadê as fotos do modelo? Você decidiu mesmo se livrar dele, hein? - Chat deu uma risada desajeitada, lembrando-se de que, na verdade, ela decidira se livrar dele mesmo.

- É, pois é. É o que dizem: namorado novo, vida nova! - a azulada riu do próprio ditado que criou.

Marinette deitou-se em sua cama, enquanto o gato se estirou no divã. Algum tempo se passou até que uma palavra fosse dita. O clima estava estranho, para ambos. Algo os estava incomodando. Era a presença um do outro?

- Ei, Chat... - a garota decidiu quebrar o silêncio.

- Diga.

- Por que você não quis ir embora? Eu sei que amanhã é final de semana e tudo o mais, mas não é como se você não tivesse que estar em casa no horário.

- Eu só... não queria ficar sozinho - o loiro pareceu triste.

- Como assim?

- Você sabe, sozinho. Em casa eu não tenho com quem conversar, e minha identidade civil também não tem muita liberdade pra isso. Além disso, eu gosto da sua companhia. Eu queria ficar mais com você. - disse, virando o rosto para que a amiga não pudesse enxergá-lo.

Marinette sentiu as bochechas esquentarem. Estavam ficando coradas. Era diferente ouvir suas palavras quando era Marinette e não Ladybug, afinal, com Ladybug vinha junto o dever de proteger a cidade. Marinette podia prestar mais atenção no gatinho e, desde que começara a fazer isso, algo nele passou a atraí-la.

Provavelmente seu jeito galã e seus trocadilhos sem graça. Antes ela podia apenas julgá-los ruins, mas olhando por outro ângulo, eles só eram utilizados nos momentos errados. Aquele, por exemplo, era um momento perfeito para isso. Ela poderia ouvir aquilo quantas vezes ele quisesse dizer que ela ainda adoraria.

"Marinette, no que você está pensando? É verdade que Chat Noir tem um jeito único, mas não se deixe ser seduzida só porque não é a Ladybug!"

A garota acabou não respondendo a confissão de seu parceiro, o que os colocou novamente num silêncio esmagador. Após um tempo, foi a vez de Chat Noir rompê-lo:

- Eu fiquei sabendo que a escola onde você estuda está planejando um baile.

- Sim, é verdade. - disse Marinette, pensando aonde seu amigo queria chegar.

- E você pretende ir com alguém? - "Bem que poderia ser eu", pensou após concluir a frase.

- Acho que com o Luka, né? Afinal agora estamos... estamos... Bem, acho que estamos namorando. Então o mais sensato é que eu vá com ele. Eu ainda não conversei com ele nem nada, mas tenho certeza de que ele adoraria ir comigo. - a garota sorriu ao lembrar-se do garoto de cabelos azuis.

De onde estava, Chat Noir conseguiu observar a expressão de felicidade no rosto da amiga. Aquilo doeu nele como um soco no estômago. "Por que isso está me incomodando tanto? Já não basta eu pensar nela e na Ladybug quando eu estava com a Kyoko, agora preciso pensar na interferência do Luka também? Não, Adrien, não faça isso!".

Mas não pôde se conter. Levantou de onde estava e foi em direção ao alçapão que levava à varanda, passando por cima de Marinette, que estava na cama. Após chegar na varanda, virou-se para onde estava a amiga e disse num tom cruel:

- Boa noite, Marinette!

- Ué, Chat! Como assim você já... - mas, antes de terminar a frase, o gato já havia ido embora.

A garota ficou sem reação. "O que deu nele? Ele não é de fazer isso". Após sentir que ninguém mais apareceria, Tikki saiu de seu esconderijo e iniciou uma conversa com sua dona:

- Marinette, o que foi isso? - Tikki parecia não entender o que tinha acabado de acontecer.

- Eu não sei, Tikki. Eu não sei ia que aconteceu. Algo está estranho com ele, mas ele não parece querer falar sobre isso comigo. - e virou-se na cama numa tentativa de evitar a continuação da conversa - Vou dormir. Boa noite.

- Boa noite, Marinette. - a kwami disse após deitar-se junto com a garota.

Marinette não sabia explicar o porquê, mas estava triste por Chat Noir ter ido embora do nada. Queria que ele ficasse mais. "Pensei que fôssemos amigos", pensou antes de cair no sono.

Chat Noir, ao chegar em casa, destransformou-se, jogando seu corpo de maneira pesada na cama.

- Cara, o que foi isso? - Plagg indagou - Foi atacado por uma onda de ciúmes, é?

- Cala a boca, Plagg. Eu não estou no clima pra esse tipo de brincadeirinhas. - e virou-se na cama, desejando dormir logo para que esse dia estressante acabasse. "Afinal, o que era pra ter de tão estressante? Agora você tá namorando e tem uma amiga de verdade! Por que você fez isso com ela?! Adrien, você só sabe estragar as coisas!". Aquelas palavras martelavam sua mente.

Desejava apenas dormir, mas tudo que conseguia fazer era rolar na cama, sentindo-se um idiota por ter deixado Marinette para trás. Aquela noite com certeza não seria a das mais fáceis, muito menos para Adrien, que estava sendo tomado por um excesso de ciúmes que nem sabia que era possível sentir. 


Notas Finais


E aí, pessoal? O que acharam do capítulo? Me contem aí nos comentários se gostaram e o que acham que vai acontecer depois. Garanto a vocês que será uma surpresa deliciosa! 🤭
Obrigada aos que estão me acompanhando e aos que chegaram até aqui. Espero vocês nos próximos capítulos!

Beijos de luz aos meus amadinhos! 😚😍

LINK PARA MÚSICA DO CAPÍTULO: https://youtu.be/VD65yImq1AI


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...