História Don't leave me - Capítulo 1


Escrita por: ¢ e Queridinho

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Abyrvsz, Bts, Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Romance, Shortfic, Superação
Visualizações 39
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente! Eu sei que tenho várias Fanfics para atualizar, mas eu peguei um carinho muito grande por essa aqui. A principio é para ela ter no máximo 25 capítulos.

Espero que vocês gostem da Fanfic, assim como eu gostei de escreve-la. Deem amor a Don't leave me, obrigada Liz da minha vida que me ajudou com a sinopse <3

Boa leitura <3

Capítulo 1 - Prólogo


Para Park relacionamentos podiam ser comparados a tempestades ou comparados a calmaria, podiam durar anos ou apenas meses. Acreditava que todos eram pegos de surpresa, não percebendo ao certo quando entregavam o coração a outro alguém, ele sabia que o corpo passava a liberar ainda mais serotonina, o famoso hormônio do amor. Se sentia  importante para o outro assim como o outro era importante para si, mas após tudo o que aconteceu, percebeu que havia se tornado presa de seu próprio sentimento.

Suspirou novamente. Quando Jeon o abandonou, jurou que não sentiria nada mais pelo outro — ledo engano —, estava cansado, dedicou-se por completo em um relacionamento que segundo Jungkook não havia sentimentos. Park encarou o porta-retrato em seu bidê, não teria como ele amar Jeon, não mais, era isso que desejava. Em seu coração restava apenas um espaço vazio, não percebeu quando tudo passou a dar errado, aliás, eram um pelo outro, os problemas sempre ficavam para depois, pois quando estavam entregues um ao outro, tudo ao redor parecia distante.

Queria ser tocado ainda pelo outro, lembrava-se de quando eram os dois, era engraçado pensar nisso. Park fazia de tudo pelo Jeon e este sempre o retribuía, não como se fosse um favor, mas porque amava-o. Jimin sabia que a temida rotina os atingiu, mas ao invés de Jungkook tentar resgatar o relacionamento, preferiu partir.

O celular passou a tocar em seu quarto, Park piscou repetidamente tentando sair dos devaneios que acabava vir a ter. Tateou lentamente a cama e pegou o aparelho, atendendo-o em seguida.

— Eu falei sem pensar, mas ele uma hora tem que entender que nós não daríamos certo — Jimin reconheceu aquela voz, a voz macia de Jeon, a mesma voz que dizia o amar, mas estava um pouco longe. Retirou o aparelho de perto do ouvido e notou que era realmente o celular de Jungkook, mas não era ele quem o ligou, seria o novo namorado? Jeon era assim tão filho da mãe de o abandonar e logo se relacionar com outro? — É melhor assim, apesar de não terminarmos amigavelmente, eu quero o bem dele. — a ligação desligou.

O loiro sentiu um aperto em seu peito, sentia um vazio, as memórias vinham cada vez mais para si, não entendia porque sua própria mente lhe pregava tal peça. Tinha que aceitar que Jungkook fora embora, que ele achou outro lugar para morar, achou um novo lar, um outro alguém. Novamente o celular passou a tocar, desta vez Park fez questão de ver quem era antes de atender, o nome de Jeon brilhava na tela, riu nasalado e jogou seu aparelho com força em direção a parede. Gritou como pode, sem importar-se com o que os vizinhos poderiam vir a pensar.

As falas de Jungkook voltavam para si enquanto Jimin jogava ao chão todos os presentes que ambos haviam comprado juntos, “não podemos mais ficar juntos”, “estou desistindo de nós dois”, “não vou ficar, já tomei minha decisão”, “adeus Jimin-ah”. Os objetos estirados ao chão, não traziam o alívio que Park queria. Lágrimas desciam por sua face, não. Definitivamente depois que Jungkook fizera isto consigo, o amor já não vivia mais em si. Ao pegar a foto do bidê, encarou a mesma, acariciando a o porta retrato, no local onde Jeon sorria, por que ele teve que ir embora? Já iriam se fazer dois meses, os olhos vagos de Park preocupavam seu amigos e familiares, que novatam a solidão que estava o tomando dia após dia.

Queria gritar para os quatro cantos que sentia falta de Jeon, não poderia enganar a ninguém que precisava sim do amor deste, precisava tê-lo ao seu lado, onde foi que errou para que ele desistisse de si de uma hora para outra?!

Estirou o porta retrato contra a parede, pegou a jaqueta que estava sobre a cama e saiu do apartamento, no elevador enxugou as lágrimas teimosas que insistiam a sair. Chegando a garagem caminhou até sua moto dando partida em seguida e saindo sem um rumo certo. A raiva o corroía por dentro, sabia que quem havia lhe ligado era o outro de Jeon, ao menos era isso que sua mente o dizia. Tudo de repente pareceu estranho e irreal.

Enquanto tomava um rumo qualquer, as lembranças dos anos que passaram juntos vieram como um estalo em sua mente, o pedido de namoro, o primeiro beijo, a primeira vez de ambos, os sorrisos, as choros, até mesmo as brigas. Eram amigos no ensino médio, tornaram-se namorados no ínicio da universidade, para então após se formarem, tudo acabar.

Sentia seu peito dolorido, era sufocante aquele sentimento. Não era obcecado por Jeon, mas não podia esquecer tudo de repente, não era insensível a tal ponto. Acelerou ainda mais a moto ao perceber as gotas de chuva descerem, tudo para o ajudar, a pista logo ficou molhada junto a suas roupas. Ansiava para que tudo não passasse de um pesadelo, que acordasse com um bom dia vindo de Jungkook, junto a vários beijos apaixonados, como era antigamente.

Lembrava-se do perfume de Jeon, que estava impregnado em seu travesseiro, dar viagens a dois, das declarações nas areias das praias de Busan em uma tarde ensolarada. Jimin não compreendia em como Jungkook jogou tudo para o ar. Lembrou em como dois dias após o término, praticamente humilhou-se para voltar, para ao menos tentar entender os motivos de Jeon para pôr um fim no que tiveram. Riu ressentido ao notar o quão tolo fora.

Conforme a chuva engrossava, Park acelerava ainda mais sua moto, não poderia enxugar as lágrimas que desciam por sua face, pois o capacete não permitia, sentia o gosto salgado em sua boca, completamente sufocante. Tudo era completamente sufocante. Notou após rapidamente sair de seus devaneios, que o caminho que estava percorrendo era em direção ao apartamento de Jungkook. Precisava tentar ao menos uma última vez, não sabia se este estava em casa ou não, mas esta seria a sua última tentativa.

Jimin tinha abrido mão de tudo para ficar com Jeon, desistiu até mesmo de ir para a universidade que tanto queria, não culpava o ex por isso, mas ganhou um coração partido em troca. Passou a refletir se os sorrisos direcionados a si eram verdadeiros, ou eram falsos e enganavam a ambos.

Estava quebrado. Havia dado de tudo ao outro, e nem ao menos um término decente tivera. Chorava sem se controlar mais, passou a ofegar devido a tantas lágrimas, a visão estava um tanto embaçada devido aos olhos marejados. Park conclui que de fato a vida era como um sopro, não teve tempo de reagir, foi em questão de segundos. Primeiro a buzina, o carro derrapando e então o impacto contra sua moto; foi arremessado e uma dor insuportável tomou conta de todo seu corpo. Ao atingir o chão, Jimin já não chorava mais, não se mexia. Ao ser atingido, Park Jimin compreendeu o que sua mãe sempre o falava, tudo na vida simplesmente acontece. E com a lembrança de sua mãe e sua infância, Jimin fechou os olhos, na medida em que a respiração tornava-se difícil e lentamente acabava.

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...