1. Spirit Fanfics >
  2. Dont play with me (One Shot Ahn Jiwon by BJ Alex) >
  3. - Capitulo Único -

História Dont play with me (One Shot Ahn Jiwon by BJ Alex) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


É isso gente, não basta só sofrer por gente que existe, tem que sofrer também por personagem 2D de yaoi. A vida é difícil (┬┬﹏┬┬)

« Boa Leitura »

Capítulo 1 - - Capitulo Único -


Fanfic / Fanfiction Dont play with me (One Shot Ahn Jiwon by BJ Alex) - Capítulo 1 - - Capitulo Único -

  S/n  

Ji-Jiwon... Aahh... - Minhas unhas cravavam nas costas do maior. - Aah! - Meus olhos se fecham automaticamente com a onda de prazer que invade meu corpo.

Me-merda... Não me aperte assim! - Abriu minhas pernas com brutalidade. - Eu não quero gozar agora! - Mordeu seus lábios, reprimindo um gemido.

Ao minhas paredes internas se contraírem pelo segundo orgasmo que se aproxima, Jiwon não consegue conter um gemido rouco perto do meu ouvido.

Porra, porque tão gostosa! - Um tapa foi desferido na minha coxa. - Hmm... - Acertando novamente em meu ponto sensível, chego novamente ao meu ápice. - A-ah! - Sinto seus jatos quentes preenchendo meu interior.

O moreno acabou por deixar seu corpo suado cair por cima do meu, fazendo sua respiração ofegante bater no meu pescoço. Antes do mesmo rolar para o lado, deixou uma forte marca em meu pescoço.

Após alguns minutos em silêncio, regularizando sua respiração, o maior se pronunciou.

Vamos nós atrasar. - Se sentou na beirada da cama de costas para mim. - Paramos em algum lugar no caminho para comemos alguma coisa. - Se alevantou, caminhando para o banheiro. - Você não vem? - Me chamou do outro cômodo.

Estou indo... - Disse sem nenhuma disposição.

Honestamente, estava exausta. Jiwon me manteve acordada até tarde e me fez acordar cedo. Minha garganta estava dolorida e meu íntimo ardia, consequências de uma noite na casa de Jiwon sunbae.

(. . .)

Ei, chegamos. - Me sacudiu levemente.

Hm? Oque? - Acordo desorientada, parece que peguei no sono durante o caminho até a faculdade.

Dou uma última mordida preguiçosa no bolinho de arroz que segurava, ouvindo uma risada nasal do homem ao meu lado.

Eu te deixei tão cansada assim? - Passou seu polegar no canto da minha boca. - Achei que já estivesse acostumada com meu ritmo. - Soltou seu cinto de segurança.

Eu nunca vou me acostumar, sunbae. - Afirmo, fazendo o mesmo. - Você é um ninfomaníaco, Alex.

Não exare, no máximo difícil de saciar. - Deu uma piscadela, antes de sair do carro.

Largando minha presilha de lado, jogo meus cabelos para frente, numa tentativa de esconder a marca roxeada na região do meu pescoço.

Saio do carro, observando rapidamente a área, vendo o campus vazio. Julgando pelo horário, todos já devem está em aula.

Bem, pelo menos não me viram saindo do carro do sunbae. Não preciso de mais pessoas sussurrando sobre mim por causa de Jiwon. Não que eles já não suspeitem de nós dois, mais os rumores não são muitos, pelo menos não o suficiente para ficarem questionando sobre isso.

Talvez não acreditem muito por ser eu a envolvida. As garotas não me acham o suficiente para está ao lado do popular Jiwon.

Melhor pra mim, assim posso continuar minha vida universitária sem correr o risco de um grupo de fangirls do sunbae me matarem.

Muito menos do BJ Alex, que seria cem vezes pior.

Te vejo no lugar de sempre. - Se despediu ao chegar na porta da minha sala.

Tenha um bom dia, sunbae. - Faço uma pequena reverencia.

(. . .)

Após um longo período de aula, assim que o ultimo professor dispensa a turma, pego minhas coisas e corro em direção a porta.

A passos rápidos, vou em direção ao auditório, que em horário de almoço fica vazio. Ao entrar no local, meu olhar percorre por todas as fileiras a procura de Sunbae. Um sorriso por reflexo se forma em meus lábios ao encontra-lo sozinho na fileira isolada.

Você chegou a muito tempo? - Me sentei ao seu lado.

Não. - Guardou seu celular, passando a me olhar. - Você sempre corre até mim. - Sorriu de lado. - Uma verdadeira cadelinha. - Segurou meu queixo. - Isso quase faz meu coração balançar. - Disse debochado, largando meu rosto. - Planos para hoje? - Voltou a se encostar no estofado.

Ah, nenhum. - Fiz o mesmo que ele. - Por que?

Nada, apenas estou tentando ser o seu tipo ideal de namorado. - Colocou seu braço sobre o apoio, escorando seu rosto na própria mão. - "Um namorado que esteja totalmente interessado em minhas coisas." - Repetiu as palavras que haviam saído de minha boca um dia.

Eu teria ficado realmente comovida por Jiwon está se esforçando para me agradar, se não fosse seu sorrisinho naturalmente debochado em seus lábios. A cada dia que passa eu perco as esperanças que um dia verei o grande Alex como um verdadeiro"escravoceta".

Oque? Uma mulher também pode sonhar.

Portanto que não me atrapalhe durante a transmissão do BJ Alex, pode ficar na minha casa se quiser. - Deu de ombros. - Ficar com seus pais em casa deve ser um porre. Afinal por que diabos você ainda mora com eles?

Porque detesto ficar sozinha. - Respondi vagamente, encarando o teto alto. - É solitário e deprimente.

Tsc, você é realmente algo. - Olhou na mesma direção que eu.

E um silêncio reinou sobre todo o auditório, talvez fosse desconfortável para as outras pessoas, mas confortável para nós, afinal a maioria dos nossos momentos a sós eram assim. O Jiwon que eu conhecia, o verdadeiro, que eu batizei carinhosamente de meu Jiwon, era um homem que não conseguia manter longas conversas por achar entediante, e a maioria de suas respostas consistiam em um ruído que saia de sua garganta.

Era um relacionamento estranho que nós cultivávamos, mas parecia perfeito para mim.

(. . .)

Me peguei entediada mais uma vez, sobre o sofá confortável de Jiwon. Estava deitada enfrente a sua televisão que mantinha um volume quase inaudível, com algumas latas de cerveja vazias no chão.

A última vez em que vi o sunbae, foi após o banho que ele havia tomado após uma rápida foda. Antes de entrar em seu local de transmissão, ele havia deixado bem claro mais uma vez para que não o atrapalhasse.

Talvez por esta já um pouco alta pelas quatro latas de cerveja que havia tomado, ao lembrar do seu semblante serio enquanto fazia uma leve ameaça, sentia uma leve fisgada em meu íntimo.

Não tendo mais nenhum controle sobre meu corpo, me guiei até a porta do cômodo onde Jiwon estava. Através da porta, pude escutar uma gargalhada abafado de meu namorado, oque era estranho pois geralmente em suas lives oque deveria ser ouvido são gemidos.

Dando de ombros, com cuidado abro uma pequena fresta da porta, olhando para o mais velho que estava concentrado no que estava fazendo. Discretamente adentro no cômodo, fechando a porta atrás de mim. Aproveitando a distração do mesmo, engatinho até embaixo de sua mesa.

O BJ Alex pareceu finalmente nota minha presença, ao empurrar sua cadeira um pouco para trás, tendo uma posição confortável para mim. Podia ver seu olhar de curiosidade mas ao mesmo tempo de repreensão por trás da máscara, como resposta apenas lhe dei um sorriso sapeca.

Ah, desculpe, me distrair um pouco. - Voltou ao seus sentidos, olhando para a câmera. - Onde eu estava? Lembrei. - Deu continuidade a uma de suas histórias eróticas, no qual não dei ouvidos.

Vi o mesmo dar um pequeno sobressalto, ao sentir meus lábios um tanto gelados abaixo de seu umbigo. Pude ver seus músculo do abdômen se contraírem por esta selando diversas vezes aquela região, oque denunciava que o mesmo estava ansioso para meus próximos passos.

Talvez por instinto, Jiwon se aproximou mais da ponta de sua cadeira, ficando arreganhado para mim. Que visão.

Ao abaixar sua Box preta, seu olhar se direcionou rapidamente para mim novamente, dando um sorriso de canto. Talvez o maior queria saber até onde eu iria com aquela palhaçada. Já sentia claramente as lapadas fortes em minha bunda quando o mesmo terminasse sua transmissão.

  Ahn Jiwon  

Ao vê os atos da garota abaixo de mim, me perguntava se a mesma estava em seu juízo perfeito. Não é a primeira vez que a garota resolve me dar um boquete do nada, mas é a primeira vez que a mesma teve a ousadia de fazer isso durante minha transmissão.

Tentava a todo custo ignorar o ser que estava entre minhas pernas, mas passou a ser um pouco difícil ao ter meu membro semi-ereto envolvido em sua pequena mão. Enquanto masturbava toda a extensão de meu penis, a menor parecia ser delicia com a cabeça, chupando como se fosse o melhor pirulito de todos. Bem talvez seja para ela.

Por mais que eu tentasse me concentrar em fazer a minha live, meu olhar descia o tempo todo para S/n, que mantinha uma expressão "inocente" enquanto praticamente engolia meu pau.

Desistindo de fingir que nada estava acontecendo, deixei meu corpo se escorar sobre o encosto da cadeira, permitindo a mim mesmo soltar um gemido rouco ao sentir meu membro encostar na garganta da menor.

Olhando de relance para o canto inferior do monitor, vendo diversos comentários subirem rapidamente, perguntando oque estava havendo.

É realmente difícil fazer qualquer coisa, quando se tem uma vadia gostosa te chupando. - Olhei diretamente para a câmera, agarrando os cabelos longos da garota. - Esse não era o planejado para a live de hoje... - Passei a ditar os movimentos, fazendo-a se engasgar. - Mas essa vadia está realmente implorando por leite... Hmm... - Naquele ritmo, já podia sentir meu orgasmo se aproximando. - Po-porra! - Afastei seu rosto de meu membro, deixando que ele sujasse todo o rosto da menor com o líquido branco e pegajoso.

Não pude conter um sorriso malicioso ao vê-la lamber os lábios, aproveitando cada gota da minha porra.

Parece que terei que encerrar mais cedo. - Arrumei minha cueca, colocando meu melhor sorriso no rosto. - Tenho que mostrar pra essa vadia, que jamais deve brincar comigo. - Vi a garota engatinhar para fora do quarto. - Esse foi Alex, até a próxima. - Encerrei rapidamente, saindo da cadeira.

Da porta do cômodo, percorri meu olhar por todo o local, não vendo nenhum sinal da garotinha atrevida.

  S/n  

Enquanto terminava de enxugar meu rosto recém lavado, sinto meu cabelo ser puxado para trás, erguendo minha cabeça.

Você está querendo morrer? - Os olhos claros e penetrantes de Jiwon encontravam-se com os meus.

Seu semblante irritado junto de seu olhar, me fazia tremer, começando levemente a me arrepender de ter o provocado.

E-eu estava entediada. - Por um breve momento, fiquei admirando as mechas negras que caiam sobre seu rosto. Mas ao ser empurrada para frente, fazendo-me apoiar as duas mãos sobre o mármore da pia, deixando meu traseiro empinado para sí. - Ji-Jiwon! - Minha blusa foi levantada o suficiente para que meu bumbum estivesse exposto.

Por que está assim? - Sua mão pousou sobre minha carne, a alisando. - Você não queria a atenção do Alex? - Sentia uma mão agarrar firmemente em minha cintura. - Ela é todo sua agora.

A-ah! - Um gritinho atravessou a minha garganta ao sentir sua mão ir de encontro com minha carne.

A medida que seus tapas acertavam meu bumbum, sentia meu interior queimar e principalmente uma lagoa se formar em minha calcinha.

Não faço a menor idéia de quantos tapas havia recebido, mas imagino que tenham sido mais que o suficiente, pois minhas nádegas ardiam e não duvido nada que estejam vermelhas.

Jiwon retirou a blusa que cobria meu corpo, deixando-me de roupas íntimas. Agarrou minha nuca, levando-me de volta ao quarto, empurrando-me para a cama. Logo seu corpo estava sobre o meu, segurando meus pulsos acima de minha cabeça. Seus olhos claros, nos quais eu sempre me perco, analisava meu rosto vermelho. Que talvez seja efeito do pouco álcool que bebi, ou talvez pelo calor que me dominava dos pés a cabeça, especialmente entre minhas pernas.

Quanto você bebeu? - Pergunto-me ainda sustentando o olhar.

Quatro latas. - Respondi, já sabendo o porquê dessa pergunta nesse momento. - Eu te garanto que estou sóbria, Jiwon. - O assegurei.

Saber disso só piora sua situação, mocinha. - Encostou sua testa na minha, deixando o espaço entre nós ainda menor. - Eu disse para não me atrapalhar.

E eu já disse que estava entediada. - Rebati, com um sorriso travesso.

Já disse para não brincar comigo. - Puxou minhas pernas, deixando-as ao redor do seu quadril, o prendendo-o. - É a coisa mais idiota que você poderia fazer. - Sorriu de canto com malicia, tomando meus lábios em um beijo intenso em seguida.

Sua mão tateava minhas costas, a procura do feche do sutiã. Arqueei minhas costas, facilitando que o mesmo retire a peça íntima do meu corpo, que agora estava jogado no chão.

Se afastou da minha boca, permitindo que eu recuperasse o ar que havia perdido. Aproveitou esse momento para realçar a marca de mais cedo que já havia clareado.

Você não precisa de pre-liminares, certo? - Perguntou retoricamente, rasgando minha calcinha. - Não estou realmente com paciência para isso. - Deu leves tapas na lateral da minha coxa, indicando que deveria me virar para ele.

O obedeci, ficando de quatro para o maior. Sua mão ficou sobre minha coluna, indicando que deveria me inclinar para frente, ficando completamente exposta para ele.

Um arrepio passou por todo meu corpo ao sentir seus lábios em contato com minha nuca, descendo para minhas costas, parando em minha bunda, mordendo sobre a provável marca de tapas.

Antes que eu dissesse algo sobre sua enrolação, sou pega desprevenida, ao sentir seu membro entrando de uma vez em mim. Um gemido escapou de ambos, mais alto da minha parte, ao nós encaixamos. Logo começando com seu ritmo frenético e bruto.

Eu tentava virar meu rosto em sua direção, mas o mesmo segurava meu rosto por trás, impedindo de fazer tal coisa. Eu sabia que ele não queria que eu visse sua expressão de prazer, em nenhum momento ele me permitia fazer isso. Provavelmente não queria que eu me achasse por faze-lo sentir tanto prazer, por mais que o mesmo não admitisse isso. Então eu devia apenas me contentar com seus gemidos manhosos que o mesmo não conseguia segurar de vez em quando.

Meu orgasmo já havia chegado, e no mesmo momento Jiwon retira seu membro de dentro de mim, observando todo meu líquido viscoso escorrer pelas minhas pernas, chegando a sujar os lençóis abaixo de nós.

Ao virar-me novamente sobre a cama, Jiwon ficou em pé ao lado da cama, logo me puxando pelas pernas para que me encaixasse novamente em seu membro, voltando a me estocar um pouco mais devagar dessa vez.

Seu olhar estava direcionado para nossas regiões íntimas, com seus olhos brilhando em pura luxuria com a cena de ver seu próprio membro sendo praticamente engolido pela minha buceta. Mesmo com dificuldade de manter meus olhos abertos com o prazer que me invadia cada vez mais forte, olhava para seu belo rosto.

Seus cabelos sedosos e negros grudados na sua testa por causa do suor, o jeito que o mesmo castigava seus lábios para reprimir seus gemidos gostosos, até mesmo o movimento de seu pomo de adão por causa da sua respiração pesada. Não há nada nesse homem que não seja extremamente atraente para mim. Com toda certeza Jiwon deveria ser considerado o próprio significado do pecado da luxúria.

E-eu te amo... Ah! - Disse vagamente entre algumas outras palavras sem sentidos e gemidos altos.

Meus olhos se arregalaram levemente ao perceber oque havia saído da minha boca. Olhei para o maior, vendo um sorriso no canto dos seus lábios.

Eu também amo você. - Disse seguido de um belo gemido.

Eu desejava fortemente que aquelas palavras não tenham sido da boca para fora. Eu realmente não quero que seu primeiro eu te amo para mim não tenha sido apenas pelo calor do momento.

O meu segundo orgasmo havia chegado junto com o seu. Retirou seu membro de dentro de mim, pegando-me no colo.

Após um longo banho, com diversos beijos extremamente carinhosos e estranhos vindo de Jiwon. Não que eu esteja reclamando claro. Vestindo-me como antes, deixei o quarto devagar, pelas minhas pernas doloridas, sigo até a cozinha, procurando pela minha fiel aliada pílula do dia seguinte.

Ao toma-la junto de um copo de água, sinto braços arrodearem minha cintura, em um abraço manhoso. Ele não queria mais uma rodada certo? Eu acabei de tomar a pílula.

Jiwon. - Me pronunciei, deixando o copo sobre a bancada. - Sobre antes... - Disse um pouco hesitante.

É verdade. - Disse simples, não pude conter o sorriso que nascia em meus lábios. - Chega de ser malvado com você nesse sentido. - Soltou-me, indo para a geladeira.

Ou seja, é pra valer agora? - Segurei a barra de sua blusa. - Tipo, pra valer mesmo?!

Sempre foi. - Me olhou. - Você teria sabido antes se tivesse ficado com outro cara, eu realmente teria matado ele e você de bônus. - O abracei fortemente por trás, esfregando levemente meu rosto em suas costas. - Ei, sem grude. - Cutucou meu braço repetidas vezes, mas desistiu ao ver que não iria solta-lo. - Só dessa vez. - Podia não está vendo seu rosto agora, mas tinha certeza que estava sorrindo.


Notas Finais


Eu só preciso de mais historias com esse homem, não precisa nem ser hétero vey

É isso manas, boa insonia ai pra quem for virar a madrugada, cubram bem os pezinhos pro demônio não pegar e fica tudo okays ❤

❤ Mais one's em meu perfil, dá uma olhadinha ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...