História Don't Worry... Oppa Is Here - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias F(x), Neo Culture Technology (NCT), Sensational Feeling 9 (SF9), TWICE, Weki Meki (WEME)
Personagens Amber Liu, Chani, Jungyeon, Krystal Jung, Lucy, Yuta
Visualizações 13
Palavras 1.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


MIL VEZES DESCULPA...
EXPLICAÇÕES:
1_ Meu querido notebook quis simplesmente me abandonar, não sei porque, até porque só tenho porno armazenado aqui (MENTIRA);
2_Eu tinha vários capítulos da história salvos, então tive que esperar vir um notebook novo e reescrever algumas partes que eu me lembrava;
3_Porque você não escrevia no celular, adivinha.. Recebi vários nudes, não estou brincando, e eu esqueci de apagar, na verdade eu apaguei, mas não da pasta dos apagados, dai mamãe foi la e achou dai a tia aqui ta sem ele por mais uma semana (me fodi);
E é isso, desculpa mais uma vez, espero que gostem;

Capítulo 4 - Nova Vida, Novas Pessoas, Novos Reencontros?


Fanfic / Fanfiction Don't Worry... Oppa Is Here - Capítulo 4 - Nova Vida, Novas Pessoas, Novos Reencontros?

Nós ouvimos batidas na porta e nos soltamos, Yuta foi até a porta, e abriu a mesma, dando de cara com minha avó e seu sorriso bobo de orelha a orelha, no rosto.

- Estou atrapalhando algo - minha avó perguntou com um sorriso malicioso no rosto.

- Não - Yuta respondeu antes mesmo que eu pudesse pensar na resposta.

- Ah - prolongou - Tudo bem então - Yuta fez uma reverencia, e saiu do quarto, nos deixando sozinhas.

Não vou falar para ela que o beijei, pelo menos, não agora.

Essa manhã, fia quimioterapia novamente, e mais tarde Yuta veio ao meu quarto, já que minha avó não estava, para me “examinar”.

- Dr. Yuta, sobre ontem... - eu ia continuar, mas ele me interrompeu.

- Eram minhas intenções, e é só Yuta, S/N - disse rindo e eu sorri - Nosso segredinho - piscou para mim, me fazendo sentir uma nunca sentida pelo meu corpo, ele beijou minha testa e saiu do quarto.

Tivemos essas “pegadas” até mais ou menos, final do ano retrasado, já que eu estava melhor e pude sair do hospital. Claro que eu estava triste, meu amor iria ficar e eu iria em bora, mas ele me passou seu endereço, numero de telefone, caso eu quisesse lhe fazer uma visita.

Voltei minha atenção aos estudos, até por que, meus pais e eu havíamos se mudado para ficar mais perto de minha avó que morava em outra cidade, que decidiu ficar e morar conosco, posso dizer que o cirurgião dela ficou feliz de mais e agora moram juntos, e já havia me esquecido de como amava Dr. Yuta, esse ano foi a minha formatura.

Para ter uma noção do tempo que já passou desde que não me encontrei mais com Dr. Yuta, eu entrei no hospital no inicio de janeiro de 2016 e agora já é agosto de 2018, ou seja eu não o vejo a um pouco mais de dois anos e meio. Eu até pensei em visitar ele, mas nunca passou de um pensamento.

Mas agora que estou formada, posso começar a faculdade de medicina, que tanto sonho.

Minha família estava reunida, quero dizer, meu pai, minha mãe, meu primo, minha avó, e considerando que minha avó e o cirurgião dela estão juntos, eu o considero meu avô postiço, já que estamos comemorando a minha ida. Amanhã mesmo vou para a faculdade, posteriormente voltarei para casa.

Depois de muito chororô, me deixaram ir. Não iria negar que eu queria ficar, mas um dia todos partem.

Meu pai e meu primo colocaram as minhas malas no meu carro, já que eu não tenho irmãos (Autora: Se você tiver irmão releve). Estava tudo em meu carro, e eu entrei, pelo vidro vi meu pai fazer um coração com as mãos. Me concentrei, e dei partida no meu carro.

Demorou muito para que eu pudesse chegar a minha antiga casa, já que voltaria para a minha antiga cidade, pois eu não quero ter que gastar com apartamento ou uma nova casa.

Tive uma semana para me acostumar novamente com a casa, tive que comprar um estoque de comida, que graças a Deus meus pais me deram um cartão, e eu não vou precisar arcar com os custos, pelo menos não a comida.

Meus pais me incentivaram a fazer varias cadeiras, mas eu resolvi fazer apenas as mais importantes.

Já faz uma semana que voltei a morar aqui, amanhã já começo na universidade. E, bom, como a primeira impressão deve ser a melhor, então eu realmente caprichei. Coloquei uma calça jeans branca que ia até a canela, cheia de fiapos, uma blusa de tricô bege escuro, um pouco transparente, com a parte dos seios coberta ombro a ombro, e uma sandália de salto grosso preta, maquiagem bem leve e os cabelos levemente bagunçados.

Tomei meu café da manhã, revi minha bolsa, para não esquecer nada, entrei em meu carro e parti para a universidade.

Quando cheguei, vi varias pessoas sentadas em bancos, conversando, algumas garotas, que pareciam estar ali para uma competição de moda, me olhavam feio, eu só estou linda não quero competição se é isso que elas estão pensando, alguns garotos me olhavam de cima a baixo mordendo os lábios ou passando a língua no lábio superior, mas nada me chamava atenção.

Eu já sabia tudo, minha sala, alguns nomes, por isso, assim que adentrei aquele enorme prédio, fui direto até a sala, e fiquei olhando as pessoas presentes na sala. Alguns me encararam, mas ignorei sentando em uma cadeira bem na frente, e logo uma garota de óculos e cabelo curto veio em minha direção.

- Com licença... – eu a encarei dando um sorriso e ela sorriu tímida – Não quero ser chata mas essa cadeira é de alguém, com que você não vai querer se meter – disse e ela olhou com olhar sugestivo para mim – Meu nome é Jeongyeon.

- Tudo bem – já ia me levantando para ir em outro lugar – Prazer, meu nome é S/N, onde você costuma sentar? – perguntei e ela me encarou.

- Ali – apontou com o indicador para a quarta fileira e encarou o lugar.

- Alguém senta do seu lado? – perguntei e novamente ela me encarou.

- Não – respondeu com rapidez.

- Ok, é lá que vou me sentar então – sorri e ela abriu um sorriso gigante.

Fomos até o meu novo lugar, e ficamos conversando. Ela era bem tímida, por isso as vezes suas bochechas ganhavam um tom rosado, ou ela desviava o olhar. Estávamos conversando sobre nossas matérias preferidas, e acabamos descobrindo que sete cadeiras que eu vou fazer, cinco delas vamos fazer juntas.

Estávamos perdidas na conversa, até que a conversa dos alunos cessou e Jeongyeon olhou para a porta, com os lábios entre abertos, estranhei, mas segui seus olhos, que davam em uma mulher alta, ela vestia roupas de grife, mas a ignorei e olhei para Jeongyeon que me encarava.

- Por que está me encarando desta forma? - perguntei com uma sobrancelha arqueada, a encarando.

- É que, esta é a garota que senta onde você estava sentada - me encarou com preocupação.

- Mas qual é o problema com ela, ela é só uma colega, porque sentem tanto, não sei, medo, dela? - perguntei sem entender nada.

- Ela é filha do diretor, ela não é boa em nenhuma matéria, mas, você sabe não é? Os grandes sempre tem o seu pequeno jeito para tudo - ela disse me encarando com preocupação.

- Mas então por que de toda essa preocupação em seu olhar? - perguntei com a sobrancelha arqueada de novo.

- Porque ela não vai gostar de ter uma nova “concorrente” - fez aspas com os dedos - Para enfrentar ela - disse me encarando de novo.

- Mas eu não sou uma “concorrente” - falei fazendo as aspas - Eu só estou aqui para tentar aprender algo e virar alguém um dia, porque se fazem isso, de passar ela e outros, a primeira cirurgia que ela fizer, pode com certeza dar errado, e ela pode ser processada - disse com calma e ela arregalou os olhos pelo que eu disse - Mas é a verdade - eu disse séria - Meu avô postiço é cirurgião, e ele me falou sobre isso.

- Você tem sorte de ter alguém da área perto de você - ela disse desanimada, logo encarando o chão - Eu tenho uma bolsa de estudos então, não posso brincar com isso.

- Bom, agora que nos conhecemos, podemos nos ajudar no que precisarmos, o que acha?

- Ótima ideia - ela disse sorrindo, e eu comecei a rir de seu rosto fofo e envergonhado, e ela sem entender o motivo da minha risada começou a rir também, até sermos atrapalhadas por uma voz fina e irritante, típico de patricinha.

- Então é você a garota que as meninas falaram - a garota disse, já com a mão em meu ombro, fazendo minha atenção se desviasse de Jeongyeon e parasse na garota atrás de mim - Bom, não sou de me apresentar, mas meu nome é Krystal, e é melhor não se meter no meu caminho e nem se meter com o MEU professor, ok - deu ênfase no “meu”, com cara e tom de deboche.

- Bom, ao contrario de você, eu venho aqui para estudar e passar com meu estudo, ao invés de você, que pelo visto precisa seduzir e subornar os professores para alcançar uma nota aceitável - disse debochando de sua cara, e ouvi algumas pessoas cochicharem e outras rindo.

Ela realmente não gostou de ouvir a verdade e se virou de costas indo em direção á sua mesa, e voltei minha atenção para Jeongyeon, que estava com a mão na boca e o rosto vermelho de tanto rir, assim que ela parou de rir, fez dois joinhas com as mãos, o que me fez rir mais ainda. Após isso, algumas garotas, vieram ao nosso encontro e começamos a conversar, até parecia que nos conhecíamos á muito tempo, algumas me deram parabéns pelo meu ato, já que ninguém nunca havia feito isso com a garota.

Já que minha curiosidade é do tamanho da América, acabei perguntando sobre o tal professor da Krystal, as meninas só me disseram que era um professor jovem, muito lindo e muito desejado, tanto da parte das alunas até as professoras, mas mesmo eu querendo conhecer o tal professor, quis me concentrar no meu estudo, mas a curiosidade estava me corroendo por dentro.

- Ei garotas - disse Amber com os olhos na tela do celular, chamando a atenção de todas as garotas ali presentes - Eu estava vendo aqui no site da universidade, e o nosso primeiro período é com o professor Nakamoto - disse e todas as meninas ficaram elétricas do nada, elas pareciam muito felizes e nervosas por causa do professor, e eu só sorri ao ver a cara de bobas delas ao Amber falar do professor.

Mas, espera um pouco aí, Nakamoto? Não, não seria ele, não existe só um Nakamoto no mundo, afastei esse pensamento assim que o sinal tocou. Após uns minutos, um homem alto, de ombros largos e cabelo castanho adentrou a sala, e as meninas começaram a cochichar, mas eu fiquei fitando o individuo até ele se sentar na mesa do professor, e virar e levantar o rosto (sei que parece idiota mas coloquei essa foto dele pensando nessa cena), seu olhar veio diretamente aos meus olhos, e ele ficou me fitando até uma certa Krystal chamar sua atenção, e todo o brilho dos seus olhos sumiram.


Notas Finais


Ei vc, se não leu as notas do autos, volta e lê, é importante
Obg por ler até o próximo, BJS <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...