1. Spirit Fanfics >
  2. Dor >
  3. Como eu lido com a dor

História Dor - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é minha primeira fic, espero que gostem. Aproveitem a leitura

Capítulo 1 - Como eu lido com a dor


Fanfic / Fanfiction Dor - Capítulo 1 - Como eu lido com a dor

Todos temos a nossa própria forma de lidar com a dor, nossas próprias tragédias pessoais. Como Nagato sempre fala "A dor é inevitável, o sofrimento é opcional" e ele tem razão, mas eu acho engraçado ele falar isso já que ele quer construir um mundo de sonhos, onde todos vão estar dormindo, sonhos são feitos para ser realizados quando estamos acordados. Desde que Yahiko morreu ele se fechou completamente, mudou os ideais da Akatsuki, e o pior de tudo ele usa o corpo do Yahiko como se fosse uma marionete. No começo eu até fiquei feliz com isso, porque de certa forma eu me sentia proxima ao grande amor da minha vida, mas depois percebi o quão errado aquilo era, a pesar de eu não concordar, aquela é a forma dele lidar com a dor e eu não posso dizer que sou o melhor exemplo de superação, já que eu lido com a dor secando algum Bar e passando a noite com algum desconhecido, é eu realmente me tornei uma devasta. Eu ainda sou sua amiga e consigo ler seus sentimentos perfeitamente mesmo ele não demonstrando, embora eu não aceite seus ideais eu sou completamente incapaz de o abandonar ele é tudo que eu tenho.

Hoje era só mais um dia comum, é engraçado como as horas felizes se vão rápidas, já as horas tristes parecem não ter fim. Pra variar estava chovendo e hoje eu estava sozinha, já que Nagato saiu em missão. Esse me parecia um dia perfeito para me divertir um pouco. Era por volta de cinco da tarde, fui até a cozinha preparei um lanche rápido e fui me arrumar. Tomei banho, sequei o cabelo e resolvi deixar solto com algumas ondulações, fiz uma maquiagem leve mas bem glamorosa, hora de escolher o vestido. Peguei um pergaminho fiz alguns selos de mão e tirei os vestidos que estavam lá, eu havia ganhado muitos vestidos da filha de um senhor feudal depois de uma missão. Escolhi um rose com muito brilho ele tinha um decote bem estravagante e duas fendas, uma em cada perna que iam até a barriga, tinhas algumas aberturas na barriga, ele me deixou estremamente sexy, exatamente como eu queria. Eu estava quase pronta quando senti um chakra bem familiar atrás de mim.

- o que você quer? - pergunto seria e fria, ele estava atrás de mim, eu estava de frente para o espelho arrumando meu brinco.

- Tenho assuntos que dever ser tratados diretamente com Pain - Me respondeu num tom frio e sério 

- Pain saiu em missão, agora se me der licença - Eu esperava que ele entendesse o recado e saísse, mas ele ficou parado olhando meu reflexo no espelho com aquela máscara e aquele olho escarlate

- Eu não interesse algum em saber detalhes de sua vida pessoal, mas como você sabe Pain pediu para que eu a protegesse quando ele não estivesse por perto. - dou um riso baixo e debochado, me viro e vou até ele colando meu corpo no dele de uma forma bem provocativa e levando meus lábios aos seu ouvidos coloco minha mão esquerda na sua nuca e sussurro 

 - Eu pareço alguém que precisa de proteção? - falo sugestiva o provocando, ele permaneceu imóvel e sem demonstrar qual quer emoção 

Me afasto dele dando as costas e vou até minha penteadeira pego minha bolsa de mão e saio, deixando ele sozinho. Meu destino era uma casa de shows aqui da vila, era um lugar muito luxuoso e tinha música ao vivo, bebidas e o principal, homens. Enquanto caminhava o ocorrido de agora pouco não saia de meus pensamentos, sempre fui curiosa pra saber como era o rosto do cara da mascara laranja, o fato de ele ser um Uchiha só me instigava mais. Eu nunca vi um uchiha que fosse feio uma pena que aquele clã da perdição tenha sido exterminado. 

Quando me dou conta já estou na porta do meu destino, ao entrar percebo a atenção masculina direcionada a mim. Meu ego infla eu sabia como estava bonita e sexy, e me sentir desejada, como eu amo essa sensação. Caminho em direção ao balcão e peço uma bebida e me sento em uma mesa q estava disponível, eu sabia que não demoraria muito para algum cavalheiro vir cantar uma dama como eu. Minha bebida chega e eu vejo um homem que me chama muito a atenção, ele era auto, cabelos q iam até o ombro e uma franja que cobria metade do seu rosto, pele pálida e olhos castanhos mel, ele usava um tenho azul marinho bem sofisticado. Ele estava sentado nos bancos perto ao balcão do bar, nossos olhares se cruzaram e eu fiz um sinal o chamando pra se sentar ao meu lado. É rapazes uma pena para vocês, meu entretenimento já foi escolhido

- Sabe estou muito curioso, como uma mulher belíssima como você não está acompanhada? - kami-sama a voz dele era perfeita me pergunto se ele tinha algum defeito, ele se senta e eu dou um gole na minha bebida

- Não encontrei ninguém digno o bastante para me acompanhar - respondo totalmente sarcástica, ele sorri de canto e começamos uma conversa com tanto flerte que eu estava delirando só de pensar na ideia de ele me tocando em lugares onde a luz do sol não bate. 

- Você é desta vila? - ele pergunta, me tirando do meu transe, kami-sama eu tava quase babando naquele homem. Eu me inclino até o seu ouvido

-  Ta afim de se divertir? - sussurro no seu ouvido com a voz mas sensual que eu podia fazer, arrumo minha postura olhando o seu rosto e vejo um sorriso malicioso em seu rosto

- E quem disse que eu não estou me divertindo? - Meu Deus eu acho que uma inundação acabou de acontecer, ele sabe jogar, retribuo o sorriso, coloco o dinheiro da bebida na mesa. Ele se levanta me estendendo o braço, eu seguro e assim seguimos andando até chegarmos numa rua escura, era evidente a tensão sexual que havia entre nós.  Eu o paro e o beijo, e que beijo delicioso ele tinha, sua boca era macia e nossas línguas ali duelavam, minhas mais estavam no seu pescoço e meus dedos encontravam-se em seus cabelos acariciando-os.

- Vamos para um Hotel? - pergunta afastando nossas bocas. Eu com certeza iria fazer o que ele quer, mas do meu jeito, eu encaro ele dando um sorriso de canto e o puxo pelo terno pra um beco escuro que tinha ali. Sinto seu semblante murchar um pouco por pensar que não passaria de uns amasso

- Eu ainda quero me divertir com você, aqui e agora - digo maliciosa enquanto minhas mãos vão de encontro com o seu membro por cima da calça,  sinto ele dar uma pequena arfada ele aproxima selando nossos labios num beijo mais intenso. Começo a desabotuar seu cinto e coloco minha dentro das suas roupas tendo um contado direto com o seu mastro enrijecido ele solta um arfar, suas mãos se encontravam em minha cintura me apertando buscando sempre mais contado, ele me prensa contra a parede colocando meus braços acima da minha cabeça com a mão esquerda e com a direita ele levanta uma perna minha, querendo mais contado enquanto desce os beijos até meu pescoço. Ele solta meus braços e coloca uma mão entre a fenda do meu vestido em busca da minha calcinha, quando ele não a encontra solta um riso entre o beijo e me penetra com um dedo eu solto um arfar ele brinca com o meu clitóris me fazendo delirar, mas ele logo tira o seu dedo, eu fico indignada por ele acabar com a minha diversão

- Eu vou te dar uma coisa muito melhor que um dedo - ele leva a sua mão até o tecido do meu vestido e coloca pro lado se a jeita e me penetra, forte, firme e fundo a eu fui nas nuvens, gemendo de prazer Ele continuava firme nas suas estocadas enquando me beijada, minhas mãos estavam no seu pescoço para ter mais estabilidade. Em um rápido movimento ele me virou para a parede e levantou meu vestido e me penetrou novamente

- Me fode mais - ele quase urrou ao ouvir meu pedido, e fez como eu pedi me levando aos céus novamente, eu gemia ele gemia nossos gritos de prazer se misturavam e nossas respirações estavam totalmente irregulares. Eu estava no meu limite e ele percebeu aumentando sua velocidade e logo eu me derramei num delicioso orgasmo me contraindo em seu pênis, ele continuo estocando um pouco mais devagar e soltou um longo suspiro junto com um grunido deixando toda a sua essência dentro de mim. Eu não me preocupei, pois me cuidava para não engravidar, eu me virei ajeitando meu vestido enquanto ele também ajeitava suas roupas, nos beijamos numa despedida minhas pernas estavam balançando mas eu ainda conseguia andar

- A onde eu posso te encontrar? - ele me pergunta interrompendo nosso beijo, eu sorrio 

- Eu gosto do caos de uma noite, talvez nos encontremos por aí .... - ele entendeu que eu não sabia seu nome

- Me chamo Utakata 

- Talvez nos encontremos de novo Utakata- digo dando as costas

- E como se chama?

- Konan - digo sem me virar e sigo caminhando, ainda desnorteada e totalmente cansada, até o prédio pricipal da vila.







Notas Finais


Eu to tentando usar uma linguagem mais formal, então perdoem qualquer erro

Contexto:
. esse Utakata é o jinchuriki do seis caudas o mesmo do anime
. O cara da mascara é o Tobi/Obito, acho que ficou óbvio
. não existe DST nesse universo
Caso eu tenha deixado alguma coisa sem explicação, perguntem que eu tentarei sanar sua duvida o mais rapido possivel

Espero que tenham gostado, até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...