História Dormindo com Kang Daniel - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Wanna One
Personagens Kang Daniel, Seongwoo
Tags Kang Daniel, Ong Seongwu, Ongniel
Visualizações 189
Palavras 2.191
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma madrugada e aqui estou eu, postando fanfic de OngNiel, tô com sono -q

Boa leitura ~

Capítulo 1 - Capítulo Único


A campainha não parava de tocar incansavelmente, a cada cinco segundos eu ouvia aquele barulho irritante e ensurdecedor adentrando meus ouvidos, fazendo um magnífico eco em cada cômodo do meu humilde apartamento. E o pior disso tudo meus amigos, é que eu sabia perfeitamente quem me importunava em pleno sábado de manhã, o meu maravilhoso namorado.

Cocei os olhos já irritado, vesti minhas pantufas de coelhinho junto de uma expressão nada amigável e fui atender a porta. Ao abrir, me deparei com quem eu já esperava: Kang Daniel.

- Bom dia meu amor, vim te fazer uma surpresa. - Aquele sorriso lindo que eu tanto amava ver, hoje não estava sendo assim tão empolgante. - Trouxe umas coisinhas pra tomarmos café juntos. - Ele levantou as sacolas na altura do peito para me mostrar o que tinha comprado. Como se eu estivesse pensando em comer qualquer coisa agora, só queria dormir.

- Ah, é você, Daniel, entra aí. - Respondi, seco. - Pode colocar as sacolas na mesa da cozinha. - Ele me pediu licença e foi até lá.

Eu não estava nenhum pouco animado com a visita inesperada, é claro que estávamos apaixonados um pelo outro, e a companhia de Daniel me fazia muito bem, se pudesse passaríamos as vinte e quatro horas do dia juntos. No entanto, eu odiava acordar cedo no sábado, principalmente depois de ter tido uma semana tão corrida, era a semana de provas, afinal, eu estava com muito estresse acumulado. E ele sabia disso, estamos juntos há quase dois anos, é bastante tempo, não é? E uma das únicas regras de relacionamento que coloquei foi essa. Não me acorde cedo nos finais de semana. O que custava respeitar? Já tínhamos combinado de sair juntos mais tarde, então não precisava vir aqui em casa de manhãzinha. Tô cansado, poxa, o meu sono é sagrado. Porém, ele parece não entender.

Quando dei por mim, Daniel já tinha voltado da cozinha, cheio de carinhos para o meu lado.

- Fiquei a semana toda pensando em você, sabia? - Graças a nossa pouca diferença de altura, podia sentir sua respiração quente batendo contra a minha nuca. - Lembrando do seu cheiro, do seu corpo. - Aquelas mãos grandes e macias que eu bem conhecia, agora passeavam por minha cintura, tocando suavemente - mas ainda de forma ousada - o minúsculo shorts vermelho que eu usava como pijama.

É difícil ter concentração para trancar a porta quando o seu namorado está atrás de você, fazendo jus ao que a expressão “abraço de urso" poderia significar e despejando vários beijos na epiderme do meu pescoço. Aquilo era bom, muito bom. Eu não poderia negar, nem se a minha vida dependesse disso, cada espasmo e contração dos meus músculos me denunciaria.

Só que eu não me daria por vencido, de jeito nenhum. Daniel conseguiu me irritar, agora teria que aguentar minha ira. Sem pensar muito consegui me desvincular daquele enlace, e fui em direção ao banheiro fazer minha higienização matinal, com certeza deixando alguém encabulado e sem entender nada para trás.

Depois de fazer tudo o que era necessário, joguei bastante água fria no rosto pra ver se despertava, retornei à cozinha onde o meu queridinho me esperava, com um sorriso lindo e brilhante estampando seu rosto novamente. Ele já tinha arrumado toda a mesa do café da manhã para mim, comprou o bolo que eu mais gostava, de morango, fez uma salada de frutas e um suco natural. Fofo, não é? Não mesmo! Não quando ele tocou aquela maldita campainha trezentas vezes às oito horas da manhã.

- Abre a boquinha, amor. - E de nada adiantaria o Daniel ficar dando bolo na minha boca - Deixa eu limpar esse glacê. - Era só comer algum tipo de doce que uma eterna criança incorporava em mim, acabava me lambuzando todo. - Continua sujo aqui no canto. - Meu namorado dava risadinhas, se aproveitando da situação para beijar meus lábios a vontade, o pior é que eu estava gostando disso, que droga.

Doces e Daniel juntos era uma combinação irresistível, até mesmo para um Ong Seongwu mal humorado.

Entretanto, depois que terminamos de comer eu voltei ao meu estado normal, continuava sonolento e irritado. E quanto mais ele tentasse me agradar pior seria.

- Seongwu amor da minha vida, me escuta… eu tô tão animado hoje. - Daniel se aproximou de mim, segurando minhas mãos, e encarando nos fundos dos meus olhos sonolentos. - Já planejei tudo o que podemos fazer, nós vamos no shopping, almoçamos por lá e depois pegamos um cinema. - Aposto que ele tem segundas intenções. - É claro que o nosso foco não vai ser no filme né? É apenas uma desculpa pra passar quase duas horas beijando essa sua boquinha linda. - O que eu disse?! - E mais tarde, eu quero que você seja meu. - Ele se aproximou ainda mais, para sussurrar contra minha orelha, como se fosse algum tipo de segredo. - Quero passar a madrugada toda fazendo amor.

Aí já é demais, me irritou até eu acordar, quebrou o nosso trato e agora quer me comer?! Mas é muita audácia.

- Daniel, respira. - Quando o mais novo começava a falar ele não parava por um instante, e olha que nem café ele tinha tomado. - Vou ser sincero contigo, eu não estou afim de fazer absolutamente nada, muito menos sair de casa. - Cruzei os braços, suspirando. - Só queria aproveitar o dia que estou livre da faculdade e dormir bastante, ok?! Não queria nem ter acordado tão cedo.

Se vocês pensaram que Kang Daniel ficaria chateado com as coisas que eu havia acabado de dizer, sinto-lhes informar que se enganaram redondamente. Ele simplesmente riu, pois é, ele riu, na minha cara. Mas é muito abusado.

- Tá tudo bem meu amorzinho, você pode ir dormir agora, se quiser. - Nossa, até me surpreendi, finalmente o Dani estava tendo o mínimo de sensatez. - Só que com uma condição. - Ih, lá vem. - Eu vou junto.

Ah não, era só o que me faltava.

E acreditam que ele realmente veio? Saí correndo em direção ao meu quarto e fechei a porta assim que entrei, mas não adiantou de muita coisa, não dava pra medir forças com ele. Agora estávamos deitados na minha cama. Aliás, uma cama de solteiro era muito pequena para nós dois, como eu iria descansar desse jeito? Não iria, né?

- Dani você é muito grande, assim não vai dar. - Respirei fundo, já estava ficando cansado. O mais novo continuava rindo, como se ele não se incomodasse nenhum pouco com o que eu havia dito, ele permanecia ali estirado no meio da minha cama ocupando quase todo o espaço. Enquanto eu, ficava preso na parede sendo amassado e esmagado por aquele corpo gigante. A nossa altura podia não ser muito diferente, Daniel só tinha alguns centímetros a mais do que eu, agora se formos falar de porte físico… modéstia a parte, meu namorado é gostoso pra caralho. Já eu, pareço um raquítico ou um magricela ao lado dele.

- Estou brincando, Ong, você tá muito nervosinho hoje... fica tão fofo assim, vem cá. - Delicadamente fui puxado de uma vez por Daniel, até ficarmos no meio do colchão, e eu estar bem aninhado em seus braços; Ele definitivamente me conhecia e sabia como me agradar, quando ele queria. Eu adorava quando ficava repousando em seu peito, só recebendo todos os tipos de afetos da parte dele. - Pode ficar tranquilo que vou parar de te perturbar, e a partir de agora, vou zelar para que tenha a melhor soneca da sua vida.

Resolvi dar uma chance para o que o meu - não tão irritante - namorado dizia. Apesar dele ser um pouco exagerado, eu tinha que confessar que fazia muito tempo desde que dormimos juntos assim, e acredito que ambos já estávamos sentindo falta disso. Queria poder descansar sentindo o calor dele, misturado com aquele perfume amadeirado tão familiar. O que não tardou muito para acontecer, minutos depois eu senti meus olhos pesarem, e então adormeci.


 

- ♡ -

 

Talvez a vinda de Daniel para cá tenha sido melhor do que o esperado. Eu dormi feito um bebê, e poder acordar ouvindo sua respiração calma foi tranquilizante. Algumas vezes me senti um pouco solitário morando sozinho nesse apartamento, meus pais pagavam todas as despesas necessárias, mas eu quase nunca os via pessoalmente. Estavam sempre viajando, não tinham me dado nenhum irmão, e enquanto ao meu namorado, nós não tínhamos tanto tempo livre assim. Eu estudava durante a parte da manhã e de tarde fazia um estágio remunerado, já no caso de Daniel, ele sempre estava trabalhando em período integral. Bom, o único jeito seria aproveitar o restante do dia juntos, não é?

Levantei um pouco o meu tronco pra poder ver as horas no relógio digital, que permanecia em cima do meu criado mudo. Nós tínhamos dormido por muito tempo e o Sol já estava quase se pondo, eu podia deduzir pela iluminação do meu quarto - através das cortinas na janela - se tornando cada vez mais escassa.

Voltei pra onde eu estava antes, minha cabeça continuava repousando, encostada no peitoral dele, o mais novo vestia apenas uma camiseta rosa - combinando com os seus fios de cabelo colorido - e uma bermuda clara. Nossos corpos permaneceram cobertos por um simples lençol, não era um fim de tarde gélido, muito pelo contrário. O meu corpo sentia um calor indescritível aumentando a cada instante, deveria ser os sintomas do efeito que ele causa em mim.

Kang Daniel era muito atraente aos meus olhos, - e aos olhos de outras pessoas também - no mês que vem iríamos completar dois anos de namoro, e eu ainda não tinha me acostumado com tamanha beleza. Eu gostava de tudo que fizesse parte dele, fosse o cabelo rosa quase todo desbotado, os lábios cheinhos, ou a pequena pinta embaixo do seu olho direito.

Passei alguns instantes acariciando seu rosto adormecido, depois subindo um pouco mais indo em direção aos seus fios, sempre tão macios, e com essa coloração que dava a impressão de serem feitos de algodão doce. Por fim, afundei meu rosto na curvatura de seu pescoço, inalando aquele perfume tão gostoso até não resistir mais. Resolvi que eu deveria acordá-lo, queria sua atenção toda direcionada a mim, agora mais do que nunca, e de certa forma serviria como uma maneira de dar o troco nele. Já que ele me acordou mais cedo, agora que quer continuar descansando tão tranquilamente, também não irei permitir.

A vantagem de namorar alguém por tanto tempo, é que além de conhecer a pessoa demasiadamente bem, você também conhece quais são os seus pontos fracos. E eu me lembrava qual era o do meu namorado, tinha uma região específica no corpo dele, que a sensibilidade era muito aguçada, um simples toque o faria despertar imediatamente.

E foi o que eu fiz, lentamente levantei a camiseta que ele usava, deixando a sua barriga - sarada e deliciosa, tenho que dizer - à mostra, meus dígitos automaticamente foram de encontro com a cintura alheia, fazendo leves movimentos repetitivos, para enfim causar uma irritante cócegas no mesmo. O que não demorou míseros segundos para acontecer, ele era realmente sensível naquela região.

- P-Para, Seongwu. - Daniel ria de maneira escandalosa, eu não me continha e acabava dando risada junto. - Eu já acordei, é sério. - Parei em seguida, me sentindo satisfeito. - Por que fez isso comigo, amor? - Ele não parecia irritado, pelo contrário, seu tom de voz ainda soava divertido.

 Por que você me acordou às oito horas da manhã de um sábado? Eu quis me vingar, meu querido. Mas não foi isso o que respondi, tinha outros planos melhores em mente.

- Ah, eu acordei faz quase meia hora e estava me sentindo tão sozinho, tão entediado, então… - Passei a dedilhar sua barriga que continuava descoberta. - Queria tanto fazer alguma coisa, de interessante. - Mordi os lábios involuntariamente.

Eu não precisava fazer muita coisa para seduzir o Daniel, ou conseguir o que queria. Ele entendeu o recado bem depressa, logo em seguida tirando a sua camiseta, jogando a em qualquer canto e subindo em cima de mim.

- Foi por isso que quis me acordar, não é? - Ele havia prendido minhas mãos com as suas, fazendo o mesmo com as minhas pernas, Dessa maneira impossibilitando todos os meus movimentos, enquanto ele ondulava livremente o seu corpo contra o meu. - Responde, Seongwu. - A sua pélvis se chocava contra a minha, em meio de tantos tecidos, mas ainda assim do jeito que ambos gostávamos.

- Aham. - Soava mais como um gemido do que uma confirmação, estava entregue.

- Acho que vou passar a dormir aqui mais vezes... - Eu amava as expressões provocantes que Daniel fazia nessas horas. - se for sempre acordado desse jeito. - Ele era tão safado, e eu também amava isso nele.

- Cala a boca, tá me deixando com vergonha. - Ele riu. - E tira essa roupa logo. - Ditei, já impaciente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, Seongwu sou eu de mau humor quando acordada cedo -q

Bem, queria agradecer a Ju e a Mari por me tirar tantas dúvidas e também aturar kkkkk Não esquecendo da Dani-chan maravilhosa que faz as capas mais lindas pra mim ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...