1. Spirit Fanfics >
  2. Dose Tripla >
  3. Quase dando certo.

História Dose Tripla - Capítulo 15


Escrita por: Changmito

Capítulo 15 - Quase dando certo.


-O que vocês estão fazendo?- Changbin questionou, vendo Minho e Jisung usando lupas com graus imensos.

-Estudando.- O Han deu de ombros. Ambos sem sequer lhe encarar, estavam ocupados demais com aquilo.

Francamente, Changbin achava aquela galera toda muito esquisita. Tudo bem, sabia que Minho e Jisung eram falsificadores de dinheiro, e pelo visto, dos bons, mas... Estudar uma nota de um dolar?

Pelo visto, todos estavam levando aquilo muito à sério.

Decidiu não interferir mais naquilo, afinal, ele era o que menos estava se esforçando no grupo, apesar de ter toda a ideia e ter fornecido todos os dados necessarios, não conseguia pensar que estava fazendo o suficiente.

Como tinha escutado barulhos na parte de trás do pátio, foi até lá, vendo Hyunjin com um revolver, concentrado horrores em algumas latinhas mais à frente. Ele parecia realmente estar se esforçando, e quando outro disparo foi ouvido, deu um pequeno passo para trás.

-Tem que aprender a manter o equilibrio.- Disse, alto o suficiente para Hyunjin ouvir.

-'Tô olhando pelo lado bom.- Hyunjin sorriu de canto.

-Qual?- Changbin riu baixo.

-Pelo menos não é uma escopeta.- Deu de ombros.

Okay, talvez ele tivesse razão.

-Não é bizarro você estar segurando uma arma, não?- O Seo questionou -Quer dizer, eu acho, pelo menos um pouco.

-Nãh.- Hyunjin riu, seguindo todas as instruções de Felix para travar a arma antes de solta-la. -Vou devolver ela pro Lix.

Changbin suspirou, lhe incomodava um pouco ver o tanto de intimidade que Felix e Hyunjin haviam pego em tampouco tempo, mas, convenhamos, não era como se tivesse o direito de se importar.

-Ei, Changbin.

-Hm?

-E se não der certo?- Se aproximou do outro. -Quer dizer... Sejamos realistas, qual a probabilidade de isso dar merda?

-Com sinceridade?- O Seo riu baixo.

-Por favor.- Hyunjin suspirou, ambos caminhavam em direção à casa.

-Eu diria cinquenta à cinquenta.- Changbin deu de ombros. -Se melhorarmos o plano, pode ser oitenta por cento de chance de sucesso.

-Isso é um alivio.- O Hwang disse com sinceridade.

-Alivio?

-Sim.- Sorriu minimamente. -São cinquenta por cento de chances de largar essa vida de merda.



[ . . . ]




-Você atira pra tudo que é lado, né?- Jeongin se sentou ao lado do Seo.

-Quem ignora buraco é prefeitura.- Minho debochou, se atirando do outro lado.

-Não sei do que estão falando.- Changbin murmurou baixo, se erguendo.

-Uhum... Passa a mão no casalzinho e se enrosca com o Seungmin depois.- Minho provocou.

Lee Minho era o tipo de pessoa que não conhecia limites. Só falava o que dava na telha, fosse para quem fosse.

-Você não devia falar sobre o que não é da sua conta.- Changbin rosnou, virando-se para a cozinha.

E enquanto o clima na sala parecia pesar, Bangchan encarava fixamente Felix na cozinha, sem acreditar naquele moleque. Francamente, era uma boa ideia, idiota, mas boa.

Aquele moleque era um idiota com sindrome de Harley Queen, achando que aquilo era a porra de uma missão suicida, só pode.

-Você não vai conseguir fazer isso.- Declarou por fim.

-É claro que eu consigo.- O Lee retrucou, encarando-o sério. -Aquele cara só aparece lá uma vez por mês!!!

-Você não pode ir sozinho, Felix.- Chris tentou usar aquilo como argumento.

-Manda o Minho ou o Seungmin comigo, entro, copio aquela merda, e saio.

-Changbin vai com você então.- Chris declarou.

-Por que ele?- Suspirou irritado.

-Seungmin não é lá o cargo da paciência, e Minho não pode ser visto por ai... Fora que ele e Jisung estão fazendo outra coisa.- Explicou sério.

-Changbin não é...

-Não sou o que?- O Seo perguntou alto, entrando na cozinha.

-Preciso que vá com Felix em um lugar, Changbin.- Chris suspirou.

-'Tá.- O Seo deu de ombros. -Agora?

-Isso.

-'Tá, vamos.- Atravessou a cozinha, já saindo da casa.

-Se ele fizer merda, estamos fodidos.- Felix bufou. -E a culpa vai ser sua.

-Então não façam merda.

Felix suspirou, indo atrás de Changbin, e pouco se importou com a cara de cu do menino que estava só apoiado no carro fumando. Avisou para o outro que ia se arrumar, e o Seo só deu de ombros.

Nem sequer sabia o que iam fazer, mas, também não estava afim de trocar de roupa, e francamente, só queria tomar uma cerveja, tomar um banho e dormir.

Demorou quase uns vinte minutos para o Lee voltar, dessa vez todo arrumado como se estivesse indo para uma festa, quase vestido da mesma forma que estava na noite em que se conheceram, uma skinny preta colada, regata branca e flanela azul.

-Você passou maquiagem?- O Seo questionou, encarando os olhinhos esfumaçados de preto e a boca cheia de gloss.

-Não, passei bosta na cara.- O outro brigou.

-Ei!- Changbin chamou, pouco antes do Lee entrar no carro. -Deixou a ferradura cair no chão.

Felix franziu o nariz, entrando no carro enquanto o outro ria da sua cara de desgosto. O Seo apagou o cigarro e entrou, colocando o cinto de segurança, só por precaução.

-Onde vamos?- Questionou finalmente.

-Roubar uma coisa.- O Lee murmurou, já se concentrando na rota que faria.

-Roubar o que?- O Seo arqueou a sobrancelha.

-Sou batedor de carteiras, o que você acha?- Felix questionou sério, sem se importar muito com detalhes.

-De quem é essa carteira?- Olhou fixo para o outro.

-Vou roubar e devolver.- Explicou. -Coisa rápida.

O Seo só concordou, Felix estava sério como nunca tinha visto antes, e se perguntava por que o garoto estava tão concentrado naquilo.

-Ei, idiota.- Felix chamou, atualizando o endereço no celular.

-Hm?

-Nós vamos entrar naquela merda juntos e sair juntos, entendeu?- Questionou, acelerando o mais rápido possível.

Changbin não respondeu nada, só queria fazer aquilo logo e ir pra casa.

E depois de um longo tempo de viagem, chegaram à um beco cheio de jovens, uma fila enorme, fumaça e luzes. Changbin, com sua calça toda rasgada e camisa do Black Sabbath encarou o local.

-'Tá tirando com a minha cara, né?- Changbin riu, vendo Felix estacionar.

-Quem me derá.- Suspirou, colocando ao redor do seu pescoço, uma chocker com uma argola grossa no centro.

-Como vamos entrar?

-Só me segue.- Felix piscou, saindo do caro.

Changbin saiu do carro, seguindo para a lateral em que o Lee estava, Felix o puxou pela camisa, fazendo com que ficasse próximo dele. O mais velho não pode evitar e encarar os olhos do mais novo.

-Temos que fazer isso direito, Changbin.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...