História .doth. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Devil May Cry
Personagens Dante, Lady, Nero, Personagens Originais, Trish, Vergil
Tags Dante É Um Tapado, Dantexoc!centric, Devil May Cry, E A Doth Virou Mãe, Nero Tá Casado, Romance, Vergil Está Arrependido
Visualizações 6
Palavras 316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, essa fanfic vai ser até bem séria mas com piadinhas bestas como as tags e os títulos

Capítulo 1 - .o papel de parede da hello kitty.


"É melhor conhecer um livro intimamente do que cem superficialmente". - Donna Tartt.

Um calor repentino atinge o peito e os ombros de Vergil, embora todo o seu corpo esteja perfeitamente confortável naquele colchão macio. Com um clique, seus olhos se abrem e vagam direto para a garota do outro lado da sala, de costas para ele, cuidando de seu irmão doente. No começo, ele tenta se lembrar de como chegaram lá, mas tudo ficou um branco depois que eles transformaram a Qliphoth em cinzas. Ele vira a cabeça para a direita:  apenas uma parede de um rosa pálido com imagens de uma gatinha curiosa, algumas pinturas antigas e uma janela fechada para que o sol não incomodasse os que respousavam no leito. À sua esquerda, a garota desconhecida ainda cuidava das bandagens no torso de Dante.

— O... Onde estou? — Ele diz. A garota finalmente se vira para olhá-lo e traz consigo um sorriso carinhoso.

— Fique quieto, sim? As feridas estão demorando para cicatrizar. — Com um pequeno movimento da mão, as lanternas japonesas espalhadas pelas paredes se acenderam e seu rosto finalmente ficou visível. Ignorando tudo o que ela acabou de dizer, Vergil tentou se levantar por conta própria e sentiu uma pontada bem debaixo das costelas. A garota rapidamente o ajudou. — Que teimoso! — Ela riu.

— Quem é você? Por que estamos aqui?

— Você, caçador, pode me chamar de Doth. Encontrei vocês dois vagando pelas ruas cobertos de sangue e tripas .— explicou ela, cobrindo o corpo dele com o cobertor novamente. — Seu irmão está em pior condição — sentou-se na beira da cama, com uma repentina melancolia em seu tom —, ele se jogou na sua frente para proteger seu corpo de alguns projéteis mortais e vocês dois apareceram aqui.

— E onde é aqui?

 Doth se vira para ele e sorri novamente. — Paris é claro.


Notas Finais


A Doth e o Vergil são muito meus bebês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...