História Double Obsession - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Kylie Jenner
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kylie Jenner, Personagens Originais
Tags Jason Maccann, Justin Bieber, Kylie Jenner
Visualizações 423
Palavras 3.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oh misericórdia, uma semana sem atualizar? Podem me matar, eu deixo

Rashey com os comentários gente, "fode, não quebra", misericórdia hehehe

71 demoniadas, tô feliz e não é pouco❤

me perdoem pelo capítulo horrível

Boa leitura possuídas🌷

Capítulo 7 - Podem me deixar sozinha?


Fanfic / Fanfiction Double Obsession - Capítulo 7 - Podem me deixar sozinha?

Point of view KYLIE JENNER

Boca Raton, Florida

Algumas horas depois

Hospital






—— Logo ela estará bem 

Meus olhos ainda se mantinham fechados enquanto eu escutava a conversa que parecia ser entre meus avôs e um outro homem, ainda estava um pouco tonta quando abri os olhos, tendo que fechar os mesmos de volta devido a claridade absurda. Reprimi o rosto em uma feição de incômodo ao ouvir um "bip" repetitivo, qual piorou meu humor, e só quando senti que estava pronta, voltei a pastenejar

—— Qualquer coisa é só chamar, estou a disposição —— disse o homem grisalho, vestido por um jaleco branco e uma calça de mesma cor, antes de sair pela porta olhando na paleta 

—— Oh meu amor, você acordou —— meus ouvidos estavam sensíveis então a voz fina de vovó os machucou bastante —— Como se sente minha filha? 

—— O que aconteceu? Por que eu tô no hospital? 

—— Você caiu da escada, quebrou a perna e como você gritou, um daqueles gêmeos que estava passando , ouviu e foi te ajudar. —— explicou meu avô, acariciando meu cabelo com calma 



FLASH BACK ON

Inclinei o quadril ajudando McCann na retirada de minha calcinha, usando as mãos para abaixar a calça de Bieber, dando um beijo sobre sua ereção enquanto sentia beijos por meu corpo. Senti a mão de Jason passar por minha coxa me fazendo sorrir de lado, e quando o mesmo apertou a região fez um barulho estranho, em seguida senti uma dor desesperadora, dei um grito alto me sentando e deixei algumas lágrimas caírem

—— Que foi? —— perguntou Jason, com um semblante confuso

—— Você quebrou minha perna. —— sussurrei incrédula, dando um soluço e como era ridiculamente sensível a dor, acabei desmaiando

FLASH BACK OFF



Pisquei lentamente, passando a língua nos dentes e bufei de ódio. Ele quebrou minha perna. Olhei por cima do ombro de meu avô, levando um imenso susto ao ver as duas sombras paradas uma de cada lado da porta, ambas sorriram, levando o dedo indicador para frente daqueles dentes afiados e logo ouvi em minha cabeça: mande eles embora dream, bem agudo de um jeito tão amedrontador que meu corpo inteirinho tremeu bruscamente 

—— Po-podem me deixar sozinha? Quero descansar, minha cabeça está doendo —— pedi baixinho, dividindo meu olhar entre meus avós e as duas figuras lá atrás 

—— Claro filha, se precisar aperte o botão ali do ladinho da cama e a enfermeira vai vir, vamos pra casa pois o horário de visita acabou mais amanhã viemos te buscar —— assim que terminou de falar, vovó saiu junto com seu marido, e a porta foi fechada pela sombra do lado direito 

—— Eu odeio vocês, se eu pudesse ajoelhar pro diabo e pedir pra ele enfiar vocês no inferno e nunca mais tirar de lá eu ajoelharia! Se eu tivesse que chupar o pau dele e sentar depois eu faria, só pra ficar longe de vocês dois, seus doentes maníacos nojentos! —— quis demonstrar o quão decepcionada e furiosa estava com ambos, deixando as palavras em tons frios e sem emoções 

Os dois sorriram, inclinando levemente a cabeça para o lado de um jeito que chegou a ser um pouco fofo —apesar deles não terem traços, serem apenas corpos inteiro pretos sem roupas nem nada, os olhos vermelhos brilhantes e dentes afiados feito de um tubarão —, e então voltaram a suas formas humanas, tendo ambos um pequeno sorriso nos lábios rosados 

—— Pode ter certeza que você pode fazer tudo isso, ele adora uma ninfetinha, mas, seria inválido pois ele jamais vai nos matar, nem ele consegue —— a explicação de Justin, foi toda dita com uma leve pontada de sarcasmo 

—— Eu não queria quebrar sua perna, juro pela maldade que existe em mim e pela dor que eu causo a outros, foi sem querer eu só apertei e acabei me empolgando um pouco demais —— falou Jason, sentado na beira da cama

—— Como você quebrou minha perna? Porra, o osso da coxa é um dos mais difíceis de quebrar e você quebrou! —— rebati indignada, pois não entrava em minha cabeça de maneira alguma

—— Temos a força de 10 homens

—— E ainda malhamos, então somos um pouco mais forte do que deveríamos —— acrescentou Drew, jogado de ponta cabeça na poltrona 

—— Falamos que iria se machucar se continuasse com a gente, e você continuou, te demos escolha Kylie, você podia ter se afastado mas escolheu ficar com a gente. 

—— E já me arrependo disso! —— rebati sentindo uma lágrima cair por meu olho, virei o rosto fechando os olhos e puxei a coberta fina




Point of view KYLIE JENNER 

Boca Raton, Florida 

Um mês depois 




Minhas mãos, assim como todo meu corpo, tremiam desesperadamente, sentia o suor frio escorrendo por minhas costas, engoli em seco sentindo a saliva descer rasgando por minha garganta, minhas pernas tremiam tanto que falhavam e eu quase caia. Acabei deixando uma peça de roupa cair, me fazendo murmurar um palavrão, me abaixei pegando a mesma e a coloquei de volta na gaveta

Por que eu estava tão nervosa? Os olhares deles em mim me agonizava. Ambos estavam apoiados na parede do outro lado do closet, os braços cruzados contra o corpo, os maxilares travados e os olhos queimando de um jeito novo. Eu me sentia uma aberração com seus olhares, ultimamente eu realmente não tinha um segundo do dia sozinha, eles sempre estavam lá, não importa aonde eu for, eles sempre vão estar atrás de mim. Era como se eles tivessem medo sei lá, de eu tentar fugir, me matar, alguma coisa, aquilo era estranho, a obsessão deles era doentia e me sufocava

—— Po-podem me deixar sozinha so pra mim me trocar? —— pedi, sentindo meus olhos marejados —pra você ver o nível —, enquanto os fitava pelo espelho

—— Não —— responderam em coro, serios, fríos e grossos

—— Por favor, eu não vou fugir, eu sou de vocês não sou? Então, não vou a lugar nem um. Por favor, só me deixem trocar de roupa sozinha, me sinto sufocada

Fechei os olhos me encolhendo ao ouvi-los rosnar de um jeito amedrontador, já esperava outro apertão, mordida, qualquer coisa, porém só ouvi seus passos ao saírem do closet. Pude, pela primeira vez no dia todo suspirar aliviada mas como não queria que eles voltassem tratei de logo procurar uma roupa.

Tirei a regata vermelha que tinha roubado de Jason, dobrando a mesma e a colocando no cantinho, tirei a cueca box que tinha roubado de Justin fazendo o mesmo que fiz com a outra peça e vesti minha nova lingerie branca, que era linda, sexy e provocante. Coloquei por cima um cropped de frio amarelo, de  pano meio transparente então meu sutiã aparecía, depois vesti a saia que começava em minha cintura e ia até abaixo de minha bunda, um dedo para mostrar a mesma e calcei um salto qualquer.

Como a prancha já estava ligada, pois tinha pedido para Drew colocar, passei a mesma em meu cabelo que parecia bem maior. Passei um pouco de maquiagem, caprichando nas sobrancelhas, lábios e contorno. Estiquei o corpo pra trás, checando como os dois estavam e os mesmo estavam um deitado em minha cama e o outro jogado no chão, mordi o lábio não aguentando e peguei um esmalte retocando os das minhas unhas

—— KYLIE PORRA, TÁ DEMORANDO DEMAIS —— ouvi o grito dos dois me fazendo suspirar pesado, mordendo a bochecha direita

—— SO UM SEGUNDO —— gritei de volta, pintando as unhas mais rápido que podia

Joguei o cabelo pra frente, antes dividindo o mesmo no meio, passei as unhas nos lábios, peguei meu celular e saí do closet mantendo o olhar no chão. Vi de relance os dois se levantarem, ficando lado a lado um pouco perto de mim, e corei bruscamente com seus olhares

—— Não acha que tá um pouco transparente? —— perguntou Justin, enfiando as mãos nos bolsos da saruel preta

—— Estou saindo com vocês, não vão olhar pra mim com vocês dois do lado —— expliquei minha lógica, erguendo o olhar para eles —— Vamos?

Depois de alguns segundos de silêncio, com os dois me olhando fixamente e intensamente, saímos nós três comigo entre eles, suas mãos em meu quadril em total sinal de possessão. Justin me ajudou a subir em sua bmw vermelha pois a mesma era alta demais pra mim, subiu em seguida e abracei sua cintura com força depois de colocar o capacete. Jason foi indo na frente, enquanto seu irmão ia logo atrás pois quando ia rápido demais eu gritava cravando as unhas em sua pele

Logo já estávamos em outra cidade, a vizinha, fiquei olhando em volta decorando alguns lugares e vi as duas motos parando em frente a um motel. As paredes eram pintadas de preto, as portas duplas era tons vermelhos, tudo cheio de pichações, um letreiro piscava em vermelho néon "Motel- Your Bitch", ouvia os gemidos escandalosos dali e engoli em seco me arrependo de ter escolhido aquela roupa

Vão achar que sou prostituta

Drew desceu primeiro, me ajudando a sair também enquanto Rick vinha até nós, e segurei o braço do mesmo antes que fosse para dentro do local

—— Que foi Kylie?

—— Me empresta sua jaqueta, por favor

Jason revirou os olhos, tirando sua jaqueta de couro, vesti a mesma, me sentindo aliviada por cobrir até abaixo de minha bunda e entramos no motel com Justin segurando minha cintura com certa força. Fiquei esperando com o mesmo enquanto o outro conversava com o homem atrás do balcão, me virei para ele abraçando seu corpo e escondido o rosto na curvatura de seu pescoço

—— Sinto seu medo, e não é medo da gente, o que houve? —— perguntou Bieber, ao pé de meu ouvido, rouco e baixo

—— Eu não tenho medo de vocês, tenho medo do que tem por trás de você —— sussurrei de volta, me aconchegante em seus braços fortes

—— Até nós temos

Ele disse tão baixo, que não tive total certeza se aquilo foi dito de propósito, afastei o rosto, fitando o seu e mordi o lábio pronta para perguntar uma coisa quando senti uma mão me puxar com brutalidade. Quase cai, porém Jason me segurou antes, voltando a me puxar por aqueles corredores e a cada quarto eram gemidos e gritos mais altos, alguns masculinos eram extremamente altos, e fiquei um pouco confusa se aquele era um motel normal. Fiquei observando Drew abrir a porta do quarto 231,depois entramos no mesmo, dei alguns passos pra frente observando o local e engoli em seco

As paredes eram todas vermelho escuro, o chão preto, o teto todo espelhado. Os móveis eram todos da cor da parede, tinha uma imensa cama de casal que cabia umas 5 pessoas forrada por um lençol vermelho, tinha quatro colunas de madeira pura, que pegavam do chão ao teto, no centro do quarto tinha um cano de polidance de mesmo comprimento que as colunas.

Quando percebi, já estava nua o que me fez levar um susto, olhei pra trás vendo os dois so de calça me dando visão de seus abdômens definidos e engoli em seco olhando para frente de volta. Fechei os olhos ao sentir seus corpos colados aos meus, suas mãos foram para minha cintura e as outras para meu pescoço apertando o mesmo e puxando minha cabeça pra trás

—— De quem você é? Diz, agora! —— ordenaram juntos, em meu ouvido, fazendo meu corpo tremer de tesão ao sentir suas ereções em minha bunda

—— Eu sou de vocês, só de vocês, de mais ninguém —— sussurrei mantendo os olhos fechados, e gemi baixo ao sentir suas mãos em meus seios —— Por que estamos aqui?

—— Vamos fazer barulho demais hoje, a vizinhança não iria gostar. De quatro na cama, agora! —— mandou Jason, no mesmo instante que os dois me soltaram

Respirei fundo juntando coragem, caminhei até a cama me ajoelhando na mesma, passei meu cabelo pro lado e abri as mãos no colchão, empinando a bunda e abrindo um pouco as pernas, deixando minhas costas inclinadas 

—— Escuta direitinho —— Justin puxou meu rosto assim que se ajoelhou em minha frente, me fazendo olhar seus olhos que queimavam em luxúria —— Você não vai desmaiar de jeito nem um, se sentir que não aguenta mais, grita o nome da sua cor favorita. Você vai ser forte, vai se comportar direitinho, vai satisfazer a gente, vai ser uma boa garota e não vai gozar, de maneira alguma.

—— Não esquece que tem que gritar bastante —— Jason gritou, sei lá da onde, e ouvi som de algo abrindo

—— Isso, grita bastante, geme mais alto que você puder, não precisa se preocupar aqui é um motel próprio pra isso. Grita bastante nossos nomes, dos dois, não só de um. Hoje vamos te mostrar o que realmente nos satisfaz

Então vi ele sair de perto de mim. Logo ouvi os dois voltando, dei um gritinho de susto ao sentir meus tornozelos sendo presos, e quando olhei para trás eram tornozeleiras suspensas em correntes qual foram amarradas nos lustres. Engoli em seco já vendo na merda que tinha me metido, e acompanhei todos os movimentos de Jason enquanto o mesmo prendia meus pulsos grudados, prendendo a correntes na cabeceira da cama

—— Não tem ideia do quanto queríamos fazer isso com você baby —— falou sorrindo malicioso, com os olhos brilhando de desejo, passou o dedo por meu lábio inferior e sumiu pra trás de mim

Senti meu cabelo ser preso em um coque firme e deixei um grito de susto ao sentir uma coisa dura e fria batendo em minha nádega direita, fazendo um barulho. Olhei pra trás vendo Drew com um chicote de vara preto na mão, sorrindo vitorioso para minha bunda que tinha feito um cortinho

—— E é assim que você tem que gritar pra gente ——falou apontando o chicote para mim, depois batendo o mesmo em minha nádega esquerda

Gritei abaixando a cabeça, fechei os olhos apoiando os cotovelos na cama. Ouvi os dois contando, e no tres senti dois chicotes um em cada nádega, o que me causou um grito mais alto, deixei uma lágrima cair pois minha pele estava pegando fogo. Logo outras chicotadas vieram, uma mais forte que a outra, com certeza cortando, porém, uma delas em questão doeu muito mais, tanto que meu grito foi mais alto, pois a mesma foi feita justamente em meu clitóris. Meu corpo todo vibrou de excitação, senti minha pele se arrepiando, e quando senti o cabo de um dos chicotes masturbando meu pontinho do prazer gemi baixo apertando as correntes nas mãos

—— Gosta disso? —— questionou Jason, que controlava o chicote que me masturbava calmamente

—— Sim... —— minha respiração descontrolada saia alta por minha boca que estava um pouco aberta, dominando todo o quarto, se misturando com a deles que também estavam altas

—— Não foca na dor, pensa no prazer e quem sabe não deixamos você gozar —— sentía o sorriso de Justin enquanto o mesmo falava, e fui pega de surpresa novamente quando senti agora baterem em minhas costas, e no segundo seguinte veio uma em minha coxa

Senti algo sendo preso em meu pescoço, e quando olhei pra baixo vi que era um tipo de coleira de couro preta, com uma argola no centro, Jason prendeu uma corrente no círculo, e senti meus tornozelos serem soltos pelo outro. Meu corpo foi virado com brutalidade me fazendo cair na cama, o que doeu devido os machucados e os dois abriram minhas pernas ao máximo

Meu rosto corou quando ambos ficaram me olhando, e tinha total certeza de que estavam falando por pensamentos o que eu odiava pois queria saber o que tanto falavam. Drew se ajoelhou a minha direita, enquanto Rick a minha esquerda, senti o chicote de montaria controlado por Justin passando pelo meio de meus seios, indo até minha parte íntima, arfei me contorcendo pela cama e fechei os olhos gritando ao sentir ele bater em meu clitóris, o que foi o suficiente para mim gozar gloriosamente

—— Não deixamos você gozar —— repreenderam em coro, me fazendo pestenejar lentamente, ainda me recuperando do orgasmo maravilhoso

—— Não deu... Pra segurar —— sussurrei entre arfadas, pois ainda sentia aquela excitação crescendo cada vez mais

Então os dois bateram os chicotes em meus seios, justamente nos bicos que estavam extremamente sensíveis devido minha menstruação que estava para vir, e eu gritei puxando as correntes que prendiam meus pulsos



Observei calada as algemas grossas serem retiradas de mim, logo em seguida aquela coleira apertada, puxei meus pulsos para o peito massageando os mesmo que estavam roxos e machucados, além de extremamente doloridos, trouxe as pernas para mais perto da barriga ficando encolhida na cama suja com meu sangue e fechei os olhos. Meu corpo todo doia, minha parte íntima pegava fogo devido todas as penetrações e chicotadas, me sentia mais do que exausta pois ia faziam horas que estávamos lá, eu realmente já estava entrando em desespero pelo fato deles não pararem de jeito nem um. 

Só conseguia pensar em como iria esconder aqueles roxos cortes etc de meus avós e da Elsie, e pensar em como tive coragem de deixar eles fazerem aquilo comigo, eu tecnicamente não permiti, tecnicamente não, eu não permiti! 

—— Seu corpo nos pertence, não precisamos de permissão pra fazer nada com você —— levei um puta susto ao ouvir Jason falando, me fazendo abrir os olhos me sentando com extrema dificuldade 

Justin estava no canto do quarto, afastado de nós, fumando um baseado, me olhando fixamente, enquanto Jason estava sentado na poltrona tomando uma vodka misturada com várias outras bebidas em uma garrafa quase vazia, também me olhando fixamente 

—— Quando vão entender que não sou propriedade de vocês? Não sou escrava de ninguém, muito menos pertenço a alguém. Eu tenho sentimentos! Eu sinto! Diferente de vocês eu tenho um coração, um coração que vocês estão destruindo cada vez mais! —— cheguei a me assustar ao ver que estava totalmente sem voz, de tanto que tinha gritado então as palavras praticamente não saíram

—— Seu corpo nos pertence, assim como sua alma, seu coração, seus sentimentos e pensamentos. Desista Kylie, você é nossa e ninguém vai mudar isso ——disse Justin, calmo sem demonstrar emoções soltando a fumaça pelo nariz 

—— Não vou desistir de minha liberdade, eu só continuo com vocês porque me obrigam, eu nem sei se ainda sinto algo por vocês ou se aquele amor ainda existe, mas e bem provável que não, pois vocês destruíram ele 

—— Kylie entenda uma coisa —— virei meu olhar para McCann, que deu um gole na bebida antes de continuar —— Nos sabemos exatamente tudo o que sente ou pensa, acha que não vemos você rezando toda noite, pra alguém ajudar a gente, pois quer nosso bem, porque nos ama? 

—— O amor que você sente pela gente não vai acabar, de verdade é como uma maldição. Mesmo se formos embora, o que não vai acontecer, mesmo que você fique anos longe da gente,o que também não vai acontecer, você sempre vai nos amar, seu destino é com a gente, cabe a você se vai deixar isso mais difícil ou mais fácil. —— continuou Justin, acendendo outro baseado pois o anterior tinha acabado 

—— Acredite, agora poderíamos estar nos três deitados na sua cama assistindo seu filme favorito, Querido John, comendo aquelas misturas nojentas que você gosta, seria uma total tortura pra gente sim, mas faríamos isso por você... Só que você não obedece, quer ficar dando uma de rebelde, quer nos enfrentar, provocar, você colhe o que planta Dream 

—— Eu plantei amor, e só recebo dor, angústia, e medo. Diferente de todos eu fiquei do lado de vocês, eu ignorei tudo que me falaram e resolvi acreditar em vocês, eu amei vocês mesmo que todos falaram pra mim odiar vocês. Desculpem por eu não querer ser controlada aos 17 anos 

—— Não se acredita nos filhos do diabo —— responderam juntos 





Notas Finais


E é isso que acontece quando a pessoa lê 50 Tons de Cinza, faz merda. Gente perdão por ter ficado bugado, mais foi a primeira vez que fiz uma "cena" dessas, porque eu tô acostumada a ler sobre isso não escrever.
Me digam o que acharam, e quem sabe se tiver bastante comentários não rola uma surpresinha

Obrigado por lerem até aqui

🌹💋💋Xoxo, Titia Priscilao 💋💋🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...