1. Spirit Fanfics >
  2. Double Trouble (vmin;yoonkook!kid!ABO) >
  3. Stop e pizza fria

História Double Trouble (vmin;yoonkook!kid!ABO) - Capítulo 30


Escrita por:


Capítulo 30 - Stop e pizza fria


Yoongi penteava os pelos arrepiados de sua cauda ainda tenso, quase ao nível de surtar em confusão mental. Sua cauda estava o dobro do tamanho ainda, estava arrepiada e Yoongi sabia que aquilo chamaria atenção mesmo que já estivesse mais calmo, todavia, seu corpo parecia ainda reagir aos últimos acontecimentos.

Ele sentia vontade de chorar apenas em pensar em voltar para aquela sala e encarar aquela ômega desinibida, e claro, Jungkook, esse qual havia visto todo o teatro que havia armado apenas por não saber engolir sua insatisfação garganta abaixo e triturá-la como mixer de alta qualidade, em silêncio, como deveria ter feito. Não apenas porquê não aguentava mais a tensão entre Jungkook e Yerin, mas sim porque sabia que a tensão só existia porque seu irmão estava quase explodindo em nervosismo perto dela, podia sentir. Mesmo que ele tivesse lhe contanto mais cedo que não sentia nada pela ômega, também havia dito que não queria a magoar, então, e se Jungkook tivesse mudado de idéia e resolveu dar uma chance a Yerin?

Aquilo estava acabando com Yoongi, despedaçando seus últimos resquícios de sanidade dissolvida em medo.

Não podia distinguir bem se o nervosismo dele era porque queria beijar a ômega ou qualquer outra coisa, e quando sentiu Yerin obviamente pressionando seu irmão com a própria essência numa tática de sedução, não se conteve mais nem um segundo observando os dois, foi insuportável!

Com um muxoxo frustrado, agarrou sua cauda e a segurou fortemente, já irritado consigo mesmo; sua cauda ficava inquieta apenas em lembrar!

Sem muito que pudesse fazer no momento, bufou baixo e desistiu mais uma vez de abaixar os pelos de sua cauda, se encolhendo sobre a tampa da privada e abraçando os joelhos, deixando sua cauda livre para expressar todo seu humor encabulado.

Não conseguia deixar de se sentir constrangido, havia agido por impulso, o impulso de proteger e do descontentamento em assistir aquilo que tanto fazia seu interior se contorcer numa agonia perturbadora. Pensou que talvez fosse melhor acompanhar Jungkook e não o deixar sozinho no meio de tantos ômegas, obstante disso, estava era arrependido.

Ver outro ômega perto de Jungkook com segundas intenções era um grande incômodo, talvez mais ainda se seu irmão voltasse para casa com cheiro de ômegas diferentes; e percebeu que isso não era nada mesmo que fosse muito – para Yoongi tudo parecia muito naquela altura, e não estava se entendendo, por que veja bem, estava perdendo as estribeiras pelo próprio irmão! –, ele poderia abraçar Jungkook até eliminar todo mau cheiro, mesmo que isso parecesse um tanto desesperado. Mas conhecia um ditado que dizia: "o que os olhos não vêem o coração não sente". Talvez estivesse sendo dramático quanto aquilo, mas seu coração estava ardendo, pegando fogo, pois teve a infelicidade de assistir Yerin quase beijando os lábios de Jungkook há cinco minutos. Se tivesse em casa pelo menos teria evitado ver isso e surtar, não estaria ali se perguntando o porquê repudiava aquela situação.

Nada mais importava, Yoongi estava indo a loucura. Tudo parecia normal em seu interior há alguns dias, seus pensamentos constantes relacionado a si e seu irmão estavam estagnados graças ao acontecimento trágicos na saída da escola, mas não mais seus sentimentos estavam quietos. Nunca estavam na realidade, quem queria enganar? Seus sentimentos estavam um turbilhão, buscavam razões que Yoongi não sabia dar, e como poderia? Recém tinha treze e estava descobrindo que era um surtado com ciúmes do irmão – era assim que sua cabeça lhe esclarecia o cenário em que estava vivendo naquele exato momento, que estava enlouquecendo.

As coisas só iam de mal a pior, honestamente.

Deveria tentar conversar com algum de seus pais para entender o que aquilo significava? Não! Seria um caos... Deveria ignorar tudo aquilo, estava decidido, mesmo que achasse que não fosse conseguir cumprir por muito tempo.

Ah, as coisas pareciam apavorantes na pobre cabecinha do ômega. Ainda estava em seu período e isso lhe tornava dez vezes mais sensível, intolerante, e nesse caso, uma confusão. Uma dor de cabeça já se despertava no ômega quando ele decidiu que deveria sair do banheiro de uma vez, já estava lá há um tempo muito suspeito, e o que menos queria é que pensassem que estava com dor de barriga.

Queria permanecer longe de todos daquela sala pelo maior tempo possível, mas lá estavam todos, comendo pizza, rindo e jogando Stop. Jungkook parecia entretido jogando também agora, junto de Yugyeom e... Yerin. Ele o viu chegar, o observou por alguns segundos até ter uma confirmação que Yoongi parecia normal, mas logo Yerin o chamou dizendo que o tempo do jogo estava se esgotando.

— Sabia que estava faltando alguém! – Chan, um dos amigos lupinos de Yerin exclamou assim que viu o corpo pequeno de Yoongi se aproximar discretamente e sentar por ali, entre ele e outra ômega. — Se perdeu nesse labirinto que é a casa de Yerin, gatinho?

Gatinho. Foi isso que Yoongi confirmou mentalmente ter escutado; um novo apelido para a lista extensa que já possuía, uma lista que nem todos apelidos lhe agradava, mas poderia lidar com mais um dessa vez...

Ergueu os olhos para encarar o cujo, que sorria de canto, exibindo um pouco as presas chamativas. Yoongi negou para o mais velho, porque pelo que ouviu por ali, Chan era um dos mais velhos entre eles, um alfa maturado já com seus dezesseis anos, estava um pouco receoso – para não dizer que estava com um pouco de medo.

— Demorei para achar o banheiro, essa casa parece mansão de The Sims, é enorme – riu sem graça, encolhendo os joelhos apoiando o queixo sobre os mesmos.

— Eu conheço bem aqui, poderia ter peço ajuda. – riu baixo da referencia usada pelo menor, então se ajeitou um pouco mais próximo de Yoongi, largando o celular por uns segundo para pegar uma fatia de pizza e buscar os olhos gatunos do ômega. — Quer?

Coisas sinistras pareciam acontecer sempre quando todos na volta se distraiam, e Yoongi corou quando percebeu que aquele alfa parecia estar lhe dando atenção demais, lhe olhando demais, sorrindo demais. Talvez não tenha percebido antes, mas agora pôde lembrar que já havia visto aqueles olhos castanhos e aquele sorriso grande direcionando pra si algumas vezes naquela noite. Sua cauda se enrolou em desconfiança e ele assentiu, assistindo o alfa platinado lhe oferecer um pedaço de pizza.

— Queijo frio é horrível, mas até que essa pizza tá gostosinha – o alfa comentou com uma careta divertida.

Yoongi riu ainda meio sem jeito e concordou, mesmo que estivesse achando aquela pizza horrorosa; preferia as que seu pai fazia. Em todo caso, se sentia tão estranho perto daquele garoto que não negaria nada que ele dissesse, o que prontamente lhe deixou irritado. Estava com medo ou só desconfortável em saber que aquele alfa apresentou interesse? Sinceramente esperava que estivesse apenas desconfortável e não com medo do alfa, porque já não aceitava temer qualquer alfa por pouca coisa, não era isso que queria pra si mesmo! Não era aquilo que cresceu aprendendo dentro de casa, que não precisava temer outra classe? Por que de repente não estava mais seguro de si?! Acabara de enfrentar uma ômega de linhagem selvagem!

Iria por a culpa em seu período, que lhe deixava sensível e com uma sensação de sempre estar desprotegido, sem dúvidas, seu periodo só estava lhe fodendo a cabeça! Esperaria que aquela festinha chegasse logo na hora que todos fossem dormir. Era só o que precisava: dormir e esperar seus pais amanhã, só isso.

Nos próximos minutos nada pareceu mudar muito por ali, a não ser pelo fato de Yoongi ter aceitado jogar Stop com todos, ainda que tímido. Os adolescentes estavam meio divididos, alguns jogavam e outros assistiam ao filme, outros até mesmo apenas conversavam entre si, comiam e riam das pequenas brigas de quem brincava do jogo. Chan parecia muito empenhando em dar atenção a Yoongi ou em lhe dar dicas mesmo que não às pedisse, e em algum momento conseguiu sentir mais confortável com o alfa ao seu lado, mesmo que vez ou outra se afastasse discretamente quando percebia que estavam próximos demais. Yerin do outro lado agradeceu aos deuses que o amigo havia encontrado Yoongi para importuná-lo, isso significava que teria toda atenção de Jungkook para si agora que não jogavam mais depois de ter o puxado para um sofá mais afastado, o que de fato estava acontecendo!

— Kookie, há quanto tempo você é vegetariano? – tentou puxar assunto com o mesmo quando deixou o celular de lado, o observando fazer o mesmo e parecer respirar fundo, embaraçado. Isso imediatamente fez Yerin sorrir toda boba, Jungkook era muito fofo todo tímido perto de si!

— Acho que desde sempre... – respondeu pensativo, mas ainda sim Yerin lhe fitava, esperando mais, o que fez com que se sentisse um grande idiota. Deveria fazer o assunto render se não quisesse se passar por bobo! Vamos Jungkook, deixe de ser antisocial. — Hm, na verdade a maioria da minha espécie não come carne animal, mas não são todos.

— E pessoas que comem carne não são um problema para você? Aqui em casa a gente come muito, mas tipo, eu até lembrei de comprar uma pizza de brócolis pra você... – pontuou tímida, mas querendo que Jungkook percebesse que ela se esforçava de verdade.

— Ah, não é um problema, não! Meu irmão come carne feito um crocodilo, e tudo bem pra mim, mas acho triste e nojento. – riu pela primeira vez naquela noite ao contar, todavia o sorriso nos lábios de Yerin pareceu se tornar cada segundo menor. — E obrigado pela pizza...

— Ah, sim, Yoongi. – sorriu amarga para o rosto bonito de Jungkook, que finalmente parecia mais relaxado, mesmo que tivesse sorrido pela primeira vez e a razão não fosse ela. — Vocês parecem ser bem unidos, mesmo sendo de espécies diferentes.

— É... nós somos. – Jungkook desceu o olhar para o chão e contraiu o nariz algumas vezes, sem jeito.

Talvez devesse fingir que não viu Yerin e Yoongi quase se atacarem por sua causa há menos de uma hora atrás, e também fingir que não percebeu o tom amargo da ômega agora, porquê pela primeira vez na noite estava conseguindo falar com ela sem quase se borrar nas calças, ainda que ela e seu irmão parecessem ter sangue nos olhos quando se olhavam vez ou outra. Queria se sentir capaz de conseguir falar com ela, mesmo Yerin gostando ou não de si, queria pela primeira vez não ser um medroso! E ainda sem querer verdadeiramente admitir, queria que Yoongi não invadisse seus pensamentos do nada e o fizesse pifar como um robô velho, poxa vida.

Mas lá no fundo, não tão distante aquela risadinha de porco ecoava ao redor, mesmo que engraçada era graciosa e única, e foi o que fez Jungkook erguer o olhar e buscar pelo dono da risada adorável que muito bem conhecia, o encontrando acompanhado.

E mais uma vez, era como se coisas sinistras acontecessem quando todos estivam distraídos. Jungkook não sabia que Yoongi havia achado alguém para conversar e nem Yoongi pareceu perceber que o outro havia finalmente conseguido conversar com Yerin sem travar. Pois ambos estavam distraídos, e para Jungkook, Yoongi parecia muito bem distraído com aquele alfa. Mas talvez não devesse se sentir incomodado com aquilo, não é? Seu irmão também estava ali para se divertir, no fim das contas, e também deveria estar buscando se divertir assim como ele. Mesmo que não conseguisse tirar os olhos da cena daquele garoto fazendo cócegas em Yoongi, sentia que não deveria intervir, não havia razões para aquilo, havia? Sabia que não, mesmo que estivesse confuso com toda aquela proximidade repentina de ambos, não sabia quem era aquele alfa se sentindo tão livre para tocar seu irmão como o tocava, tão íntimo.

— Okay, o gatinho já pagou a prenda, podemos continuar – o platinado anunciou com um sorriso enorme nos lábios, observando Yoongi se recompor, ruborizado.

— Só porque eu perdi teve que ter prenda? Isso foi injusto, antes ninguém pagou prenda por perder! – murmurou com uma careta quando arrumou os cabelos bagunçados, e todos que estavam jogando junto riram baixo.

— Até que a idéia da prenda é legal... – outro alguém entre eles falou, animado para ver mais pessoas morrendo de rir.

— É que na verdade, você riu tão pouquinho hoje, gatinho. Só queria poder ouvir mais vezes, não pude desperdiçar a chance... desculpe – o sorriso de canto do alfa foi o que menos chamou atenção em Yoongi quando viu o mesmo piscar para si, sem vergonha alguma, na frente de todos.

Um coro de exclamações surpresas ecoou de todos que assistiram Yoongi ficar tão vermelho que até sua cauda se enrolou todinha. Risadinhas e frases como: "é hoje" foram proferidas sem se importarem se Yoongi ou Chan estavam ouvido, ainda que o alfa tivesse um sorrisinho satisfeito nos lábios enquanto encarava as próprias mãos, observando pelo canto dos olhos Yoongi estático também olhando para as próprias mãos, morto de vergonha.

Desde quando Chan estava o observando para saber que não estivera se divertindo muito por ali? Céus, estava morrendo de vergonha agora, aquele alfa flertava de uma forma que Yoongi não estava acostumado. Mas o que esperava afinal? Mais cartinhas anônimas como recebia na quarta série?! De certa forma seria mais fácil de ignorar e seguir a vida, mas as coisas não são mais como costumavam ser antes, porque agora estava numa festinha de adolescentes, e com um alfa maturado lhe cantando como nenhum outro alfa fizera em toda sua vida!

Não sabia lidar com aquilo, céus.

Jungkook que estava no sofá mais distante finalmente parou de olhar para os dois, engolindo em seco e baixando a cabeça e fitando seus pés juntos sobre o estofado do sofá. Empurrou a língua contra a bochecha e respirou fundo. Okay, não seria nada fácil ignorar aquilo, estava minimamente incomodado, mas o que poderia fazer? Exatamente, não poderia fazer nada! Seu irmão estava apenas se divertindo – aparentemente –, com outro alfa, mas isso não deveria importar pelo amor de deus! Mesmo assim estava indo a loucura, aquele alfa estava flertando tão descaradamente com seu irmão!

Sentiu que Yoongi estava lhe olhando, todavia, não retribuiu o olhar, sentiu seu peito pesar com aquilo, o que o levou a franzir os lábios e bufar. Por que Yoongi o afetava tanto, droga?! As coisas estavam estranhas demais naquela noite; era Yoongi agindo estranho, e agora era ele novamente, com aquele alfa que era até mais velho que todos naquela sala! O que significava aquilo? Yoongi quase brigou com Yerin por sua causa, mas agora estava alí com aquele garoto, do nada? Jungkook não conseguia entender mais nada e isso era tremendamente frustrante!

— Jungkookie? Está tudo bem?

Ergueu a cabeça para encontrar Yerin o fitando, parecendo genuinamente preocupada depois de ter ficado repetidamente quieto por vários minutos. Ah, Yerin. Sentia-se tão perdido e descompensado que pensou que talvez dar uma chance para a ômega não lhe faria mal algum, talvez dar uma chance a Yerin pudesse lhe despertar o interesse que nunca aparecia, ou quem sabe lhe distrair do que quer que o fizesse tão preso nos próprios pensamentos. Mas seria realmente o certo? E mesmo que não fosse não poderia pelo menos uma vez fazer algo de errado e saber a sensação? Talvez no fim desse certo.

— Sim, noona, tô bem – afirmou com a cabeça.

— Nós poderíamos fazer outra coisa... esse jogo já tá chato, e já tem até gente dormindo pelo sofá. – ela se aproximou sem muita pressa, se ajeitando no sofá de uma forma que pudesse deitar a cabeça no estofado, com os ombros juntos ao do mais alto, logo virando o rosto parar encarar o perfil de Jungkook, esse que não retribuída o olhar ainda. — Seu amigo Yugyeom está na cozinha com minha amiga, espero que eles estejam se divertindo.

— E ele jurou que ficaria sozinho aqui sem mim – riu desacreditado, ainda olhando para o lustre bonito que havia na sala, se sentindo confortável com a presença de Yerin quando ela não exalava tanto de sua essência de modo descontrolado, sentia que ela poderia ser uma boa amiga pelo menos. — Enquanto ele se diverte eu estou aqui tendo um surto mental, poxa, fala sério...

Yerin riu baixo, dessa vez se virando totalmente para o alfa e se encolhendo, ja sentindo que logo mais deveria pedir que todos a ajudassem a pegar travesseiros e cobertores no andar de cima. Mesmo assim, tomou coragem de aproveitar a atenção que Jungkook lhe dava naquele momento, finalmente estavam sem muita atenção de outros, e principalmente de Yoongi, que ainda parecia distraído graças a Chan. Yerin até ficava aliviada, quem sabe Yoongi encontrasse alguém e parasse de intervir a vida de Jungkook com seus ciúmes sinistro.

Com isso, a ômega tocou o braço de Jungkook e murmurou num ato de coragem, como se só tivesse aquela chance: — Jungkookie, eu gosto muito de você. Eu viraria vegetariana apenas para seus pais gostarem de mim e você não ficar triste quando me visse comer um bife, aturaria seu irmão ciumento apenas porque iria querer te abraçar a toda hora, e você pode ser um ano mais novo que eu e eu não me importo com isso. Você é muito assustador quando luta, mas depois que vence seu sorriso é um dos mais fofos... e eu adoro o fato de você ter todas as cores de All Star possíveis. Também adoro saber que você brinca com sua pulseira sempre que está nervoso como está fazendo agora... honestamente, Jungkook, eu gosto mesmo de você, há tanta coisas.

Há tantas coisas.

Ela estava certa sobre ele estar nervoso, Jungkook estava quase cuspindo o pulmão pela boca apenas porque tanta informação quase fora o suficiente para lhe sufocar. Aquilo era demais. Yerin havia notado coisas suas que nem ele percebia, e não se lembrava de ter falado com ela mais de três vezes em toda sua vida. O fato de ela saber que seus pais também eram vegetarianos sem ele ter dito isso em todas pequenas conversas que tiveram nos últimos minutos era um pouco assustador. Num total, Jungkook estava aterrorizado após a declaração apaixonada de Yerin.

Yerin não tinha uma queda por si, ela tinha um abismo, e um abismo dos mais apavorantes! Se o alfa o pudesse sairia correndo no mesmo instante, aquilo era demais pra sua pouca experiência de vida. Não poderia nunca dar uma chance aquela garota, iria acabar com os sentimentos dela e posteriormente se sentiria culpado pra sempre! Entre inúmeras possibilidades do que dizer e como agir, Jungkook não conseguia nem se lembrar de piscar, atordoado demais, como uma baratinha tonta após o veneno: uma declaração sem muitos filtros.

Okay, realmente pensou que dar um beijo em Yerin abriria sua mente e também acalmaria a ômega, e como foi ingênuo. Yerin esperava muito mais que um beijo, merecia muito mais que um alfa confuso e medroso como ele.

— Você não precisa dizer nada... eu sei que é tímido e não é como eu que já vou falando as coisas na cara e t-também provavelmente assusto as pessoas, mas é que não consigo c-conter e não vejo razões pra esconder meus sentimentos, isso me faria perder tempo e-

— T-Tudo bem, Yerin. – se castigou mentalmente por ainda não conseguir virar para encarar a ômega nos olhos, mesmo que estivesse numa batalha interna para conseguir a olhar e manter sua dignidade e respeito.

— Eu definitivamente te assustei. Desculpa... – manhou. — Você nem mesmo olha pra mim. Eu sabia que teria problemas por ser precipitada!

— Yerin, não é isso... é que, a gente não se conhece muito bem, e, uh, seus sentimentos por mim são bem... intensos. – arriscou fitar o rosto da mesma, respirando fundo assim que concluiu, buscando as palavras mais adequadas, ainda que sentisse que estava falando nada com nada. — Eu não sei bem o que dizer... me desculpa, eu sou meio bugado pra essas coisas, noona.

— Você não gosta de mim, é isso?

— Não...

— Não?!

— Não! Não, quer dizer, eu gosto... você é uma ótima amiga, é engraçada – coçou atrás da orelha grande, se sentindo um paspalho após ver Yerin esboçar um sorriso bizarro.

— Jungkook, eu não quero ser apenas uma amiga engraçada. – murmurou o olhando uma última vez, para em seguida voltar a posição inicial onde observava o teto, agora não mais com os ombros encostados nos do alfa. — Esquece isso... esquece o que eu disse. É melhor irmos dormir, meus pais podem aparecer a qualquer momento e já são três horas da manhã.

Suspirou fundo ao ver a ômega se levantar e dar um sorrisinho murcho, totalmente diferente dos anteriores. Sem que pudesse evitar, se sentiu culpado no mesmo momento, logo se levantando com ela, sem razões aparentes.

— Vou buscar os cobertores e travesseiros pra quem vai dormir aqui na sala, vai querer dormir lá em cima ou aqui? – ela perguntou calmamente, evitando olhar muito para Jungkook, mas com uma pitada de esperança onde talvez ele aceitasse dormir no mesmo quarto que si.

— Vou dormir com meu irmão, no sofá. – a viu assentir e logo virar para sair, mas antes, ofereceu: — Ei, eu te ajudo a trazer as coisas!

Yoongi estava relaxado sobre as almofadas no chão quando viu Jungkook subir junto com Yerin para o andar de cima, largou o celular sobre a barriga e se apoiou nos cotovelos para olhar para as escadas, buscando pelos últimos resquícios de ambos. Olhou ao seu redor e pelo menos cinco das dez pessoas presentes já dormiam, alguns dividindo os sofás e outros nas almofadas no chão. Ninguém mais jogava Stop, alguns mexiam em seus celulares ou assistiam ao filme que algum momento foi trocado para alguma animação atual.

Há alguns minutos não tinha prestado atenção em Jungkook, entretido demais quase morrendo de vergonha de cada coisa que Chan lhe dizia sem vergonha alguma. Entretanto, havia visto Jungkook e Yerin conversando no sofá antes de subirem sorrateiramente para o andar de cima, e, honestamente, Yoongi ficou afim de morrer.

— Que carinha é essa, gatinho?

O toque delicado no queixo do ômega fez o mesmo se assustar e imediatamente fugir do toque um tanto íntimo, e com os olhos brilhosos pelo susto, fitou o alfa ainda o observando em busca de resposta.

Chan não deixou de notar que Yoongi ainda permanecia arisco, então suspirou fundo. Como faria para conquistar aquele ômega cheiroso e lindo? Não pensou que o encontraria na festa da amiga, mas já tinha olhos para ele quando o via pelos corredores da escola.

— Não é nada. Só estou com sono. – murmurou ao coçar os olhos. Não era uma mentira, afinal, todavia não era por aquilo que se encontrava inquieto e louco para fechar os olhos para não ver mais nada que lhe deixasse maluco. — Na verdade até pensei que meu pai ligaria as onze para saber se eu já estava deitado – contou num muxoxo, já esperava pela ligação do pai, quem sabe contaria que estava enciumado e não sabia o que fazer.

— Uau, você dorme cedo pra caralho – exclamou o mais velho com uma careta chocada.

— É fácil falar quando se tem dezesseis – apontou com um bico, ofendido. — Seus pais provavelmente deixam você sair pra qualquer lugar que você queira, ou talvez até deixem você beber champanhe no ano novo.

— Eu com certeza bebo mais que apenas champanhe no ano novo – riu soprado, e Yoongi arregalou os olhos, surpreso com a informação. — Que foi? Quem sabe se você fosse legal comigo e me desse seu número poderia beber mais que champanhe no ano novo, comigo...

— Se eu beber meu pai Jimin me deixaria de castigo até eu atingir maioridade! – contou, sem sombras de dúvidas de que nunca aceitaria aquilo, também não demonstrando nenhum interesse em estar com ele. — Ei, mas você bebe mesmo? Tipo, mesmo? Bebidas de festas e essas coisas?

Estava surpreso, seus pais falaram que só depois dos vinte, como Chan poderia ter coragem?! Talvez Chan não tivesse um Jimin em sua vida, ele faz qualquer um se borrar nas calças...

— Legal isso fez você despertar interesse em mim, finalmente! Não acredito que vou conquistar um gatinho lindo por conta de álcool. Não achei que você fosse desses. – brincou, com uma expressão satisfeita, e Yoongi desviou o olhar, envergonhado não apenas com o elogio que ele não cansava de proferir.

Não tinha nenhum interesse em álcool, muito menos em Chan – talvez um pouquinho de interesse... –, ainda que ele fosse alguém que lhe deixava intrigado; ele não tinha muita vergonha de mostrar que fazia coisas erradas, nem de flertar, muito menos de expor o piercing que tinha na boca, esse que quase passou despercebido por Yoongi se não tivesse parado para o ver brincar com o acessório. Era um alfa bonito...

— Mas sim, eu bebo bebida de festas, desde quando tinha treze também – respondeu relaxando sobre as almofadas assim como Yoongi também voltou a se posicionar, nunca o olhando diretamente, entretanto, ainda sim o alfa continuou a contar. — Começou em festinhas como essas, às vezes havia alguém alguns anos mais velhos, ou pais que tinham bebidas em casa. Essa aqui é uma que estava precisando de uma animação... mas meio que os pais de Yerin não bebem muito, também são muito chatos, sério, não sei como não acordaram apenas para nos mandar dormir.

— Achei eles legais...

— Pois acredite, eles não são. – enfatizou seguido de um bocejo.

— Meus pais são fantásticos. Sei lá, meu pai chora assistindo Naruto. – riu baixinho, se lembrando das inúmeras vezes que Taehyung chorou vendo o anime. — E meu outro pai fica bravo... é tão engraçado ver ele bufando pelos cantos da casa porque o Hyung fica chorando no quarto depois.

— Eu gostaria de conhecê-los, eles parecem realmente legais mesmo fazendo você dormir antes das onze. – acompanhou a risada do ômega, que parou de rir aos poucos, parecendo voltar-se retrair. — Ei, gatinho... você é adotado, não é?

Yoongi franziu o cenho com o rumo da conversa, mas não notou nenhuma nuance de maldade no tom do mais velho, ele só parecia genuinamente curioso. Não era algo que costumava conversar com pessoas que não conhecia direito, e também não era nenhum problema para si confirmar as especulações, aquilo não mudava sua vida ou o amor que sentia pela sua família, no fim das contas.

— Sou sim. – respondeu simples e curto. Aliás, não sentia que tinha algo a mais para dizer.

— Desculpa ter perguntando...

— Tudo bem, eu já tô acostumado. Sempre perguntam ou falam algo, já que não sou da mesma espécie que meu irmão mais novo, ou quando descobrem que meus pais são de sangue comum... sempre tem comentários. – sorriu fraco ao fitar Chan, o observando assentir. — Jungkook não gosta muito.

— Ah, Jungkook. Vocês tem alguma coisa ou algo assim? – questionou temeroso, para logo após ver Yoongi franzir o cenho e lhe encarar sem entender. — É que do nada quando eu percebia ele tava me fuzilando com o olhar, sabe? Foi estranho. Eu sei que vocês são próximos, mas não entendi se ele é seu alfa, melhor amigo ou algo assim. Se for, me desculpe estar dando em cima de você esse tempo todo.

Sem estruturas alguma após ouvir aquilo, com os olhos pequenininhos e delicados tremendo na face corada, ele repetiu num sopro: — M-meu alfa?

— Ai, droga – Chan murmurou, parecendo frustrado ao ver a feição do ômega. — Eu sabia que um ômega como você já teria um alfa! Como sou idiota, céus. Me desculpe, gatinho...

— Não! Ele nã-

O ômega foi interrompido com a presença tumultuada de Yerin e Jungkook novamente na sala, ambos parecendo sofrer enquanto cada um carregava com dificuldade uma montanha de cobertas e travesseiros, tentando controlar as risadas quando chegaram aos tropeços na sala. Jungkook largou tudo que carregava – que era muita coisa – sobre o tapete e respirou fundo com um sorriso de coelho serpeteando nos lábios, até seus olhos encontrarem com Yoongi e Chan a sua frente. Ignorou o que Yerin dizia atrás de si, não sabia se estava avisando os outros para se acomodarem ou se falava consigo, todavia, não prestou atenção, achando muito suspeito a cara horrorizada de seu irmão.

Teria Chan feito ou dito algo a Yoongi para ele estar tão estranho? Sem pensar duas vezes, se aproximou dos dois e encarnou Chan de cima, o vendo se afastar um pouco mais de Yoongi e lhe retribuir o olhar, parecendo até um pouco acanhado, mesmo Jungkook sendo alguns anos mais novos que si.

— Yoongie, está tudo bem? – perguntou ainda fitando o alfa a sua frente, encontrou Yoongi assentindo para si no mesmo momento que passou a olha-lo, então logo lhe esticou a mão e disse: — Vamos, vou ajeitar o sofá pra gente.

Jungkook voltou a fitar Chan, e só parou quando puxou Yoongi para perto do seu corpo, numa necessidade tão rápida que nem ao mesmo percebeu, só guardou Yoongi junto ao seu corpo num ato que fez Chan suspirar fundo. Droga, já havia entendido que ele era o alfa de Yoongi, apenas não sabia! Que culpa ele teria se o deixou sozinho enquanto conversava com Yerin?! Realmente achou que o ômega estava desacompanhado.

— Ei, Chan. Vai dormir lá no meu quarto comigo e com as garotas ou aqui embaixo? – Yerin surgiu depois de ajudar os outros a se acomodarem como a boa anfitriã que era. — Yugyeom e Seulgi vão dormir no sofá, aqueles dois já estão dormindo no chão, Jungkookie e o irmão dele vão dormir no outro sofá... sobra um pra você.

Yoongi soltou o ar e fechou brevemente os olhos, agradecendo a Deus que pelo menos Yerin abriu a boca a seu favor mesmo que não soubesse. Chan passou a lhe encarar no mesmo segundo, tão confuso quanto um ratinho num labirinto, pois sentia que aquele ômega era um labirinto inacabável. Não sabia mais o que pensar, apenas assentiu a Yerin enquanto encarava o ômega nos braços daquele alfa, irmão dele. Ele poderia não ser alfa de Yoongi, ainda sim era um alfa muito protetor, e isso era o suficiente para Chan acabar com suas investidas naquele dia, mesmo com toda confusão que sentia sobre aqueles dois.

— Vou dormir no sofá da ponta, não precisa de travesseiro... – respondeu para a ômega dócil, e ela prontamente lhe trouxe uma coberta e lhe desejou boa noite antes de chamar as amigas para subirem para seu quarto. Se virou para Yoongi e seu irmão que ainda estavam parados ali e se direcionou a Yoongi num murmurio: — Boa noite, gatinho.

Yoongi apenas acenou fraco antes de se virar para o sofá que dormiriam e ir se sentar ali, perguntando a Jungkook sobre a mochila que levaram, queria por seu pijama e pediu que Jungkook fizesse o mesmo, pois em circunstância alguma dormiria com ele se ele permanecesse de Jeans. Provavelmente seriam uns dos únicos a colocarem pijamas, e por esse fator talvez fossem os que teriam o sono mais confortável naquele sofá fofo.

Yoongi foi o primeiro a ir se trocar no banheiro de visitas que havia no andar debaixo da grande casa, voltando para encontrar o sofá já arrumado para que se deitasse, e foi o que fez, esperando Jungkook enquanto contava no seu grupinho as coisas mais sinistras que aconteceram naquela festinha até agora, mesmo que ninguém do grupo parecesse estar acordado ainda para lhe responder.

Bocejou alto e largou o celular sobre o braço do sofá quando viu Jungkook voltar, o alfa acabando por ser pego pelo bocejo contagioso do ômega, momento esse que passou despercebido por ambos, já que no segundo instante Jungkook pediu para que o irmão lhe cedesse mais espaço no sofá para enfim se deitar alí. Yoongi franziu o nariz inúmeras vezes quando Jungkook se aproximou, arriscou se virar de frente para ele para ver se entendia o odor diferenciado no mais novo, e quando finalmente notou o que era, pensou que vomitaria em cima do mesmo.

— Yoongi? Tá tudo bem? – o pobre alfa perguntou sem entender a careta repentina na cara do irmão, esse que negou prontamente sob a baixa luz da sala.

— Eu não vou conseguir dormir com esse cheiro, Jungkook.

— Que cheiro?! – chegou a se preocupar, franzindo o nariz em busca de algo que explicasse a frase do irmão.

— Com o cheiro de Yerin saindo até do seu rabo, Jungkook. – resmungou num sussurrou entre dentes, impaciente.

Yoongi bufou para si mesmo. Não deveria se mostrar tão incomodado, já não aguentava mais sua mente o deixando louco e seus sentimentos tão agitados quanto uma tempestade tropical. Simplesmente não conseguia conter seu incômodo e se sentia culpado por isso, no que Jungkook tinha culpa afinal? Só estava vivendo a vida dele e conhecendo novas pessoas! Não poderia pensar que sempre seria o único ômega na vida de seu irmão, que ele sempre estaria ali exclusivamente para si, as coisas não eram bem assim. Seu ego de ômega deveria imediamente morrer se ele ainda planejava ter sua dignidade intacta. Pois era só isso, só podia ser seu período e todo seu instinto idiota de ômega influenciando sua mente e sentimentos sobre seu irmão, só podia ser isso!

— E você quer que eu faça o quê? Vá tomar banho na pia da cozinha dela? – arqueou as sobrancelhas e Yoongi revirou os olhos, prestes a virar de costas para ele, mas foi impedido com um toque na sua cintura e isso o fez bufar, ainda sem olhar para Jungkook – cem porcento puto. — Yoon... me desculpa.

— Não. – o bico discreto nos lábios rechonchudos foi inevitável, mesmo que previsível, o que fez Jungkook suspirar fundo para o hyung birrento que tinha. — Você está fedendo e sendo um grosso comigo.

— Yoongie, me desculpa, vai? – pediu uma segunda vez, enroscando as pernas compridas nas curtas de Yoongi, o vendo desviar o olhar. — É que você sempre age tão estranho quando se trata de Yerin, e eu sei que o cheiro dela é forte e doce, me deixa bem enjoado mas você parece odiar mais que qualquer um.

— Não se você sabe, mas ômegas não costumam gostar muito da essência um dos outros, Jungkook.

— Eu sei disso, ômega.

Yoongi sentiu os pelos da sua nuca se arrepiarem com o tratamento raramente usado, isso fez seu corpo estremecer em arrepios e Jungkook prontamente puxou a coberta mais para cima, imaginando que ele estivesse tremendo de frio mesmo que não estivesse tão frio assim naquela sala. Obstante disso, Yoongi estava era envergonhando; aquele tratamento era muito comum entre alfas e ômegas, se chamar pela classe era quase tão normal quanto chamar um irmão de irmão, mas parecia mais comum entre adolescentes um pouco mais velhos. Não estava acostumado a ouvi-lo, muito menos vindo de seu irmão, e isso o fez se sentir estranho, por alguma razão que não sabia, mas havia.

E se ele sabia que ômegas não costumavam se agradar com um cheiro um do outro, o que custava tentar entendê-lo?!

— Se você começar a ficar com Yerin só saiba que nunca mais vai colocar sua bunda na minha cama. – ameaçou depois de alguns segundos de instabilidade, se remexendo no sofá apertado.

— Impossível. – repuxou os lábios num sorriso ladino.

— É super possível, peste. Esse cheiro nunca vai ficar na minha cama, não vai mesmo... – resmungou todo rabugento e o mais novo riu baixo da cena que ele fazia, os ombros balançando conforme a risada nasal ecoava baixinho.

— Seu cheirinho cobre qualquer outro que entre naquela casa, eu mesmo cheiro a você e tudo bem, eu gosto. – contou num bocejo, e sorriu discretamente quando viu as bochechas rosadas do irmão. — Ah, Yoon, se a essência de Yerin estiver realmente te incomodando você pode me aromatizar com a sua, não tem problema...

Era claro que não haveria problema, Yoongi sabia muito bem que Jungkook não se incomodava e nunca se incomodou com seu aroma. Jungkook não se incomodava se cheirava a Yoongi nos corredores da escola e se isso espantava outros ômegas, ele nunca pareceu realmente se importar com esse fator – não percebia –, não quando a única ômega que pareceu não se importar se Jungkook cheirava a ômega foi Yerin, ela foi literalmente a única a tentar se aproximar de verdade. Obviamente o propósito de Jungkook não era espantar outros ômegas, mas não conseguia nunca evitar gostar de ter suas roupas cheirando ao cítrico e docinho cheirinho de Yoongi.

E como previsto, Yoongi não contestou sobre a proposta do irmão, iria realmente aromatizar Jungkook com seu aroma para expulsar todo cheiro deixado por Yerin, e isso também provavelmente tiraria toda tensão que habitava no corpo e mente de Jungkook, tiraria toda a tensão que acumulou de certos momentos daquela festa boba e sem graça. O alfa já esperava por aquilo quando sugeriu, mesmo que a razão principal fosse para eliminar o cheiro da outra ômega.

Yoongi não disse nada e Jungkook levou aquilo como um sim. O ômega apenas engoliu em seco e deixou o outro lhe acomodar em seus braços, de modo que ficasse o mais próximo possível. Jungkook abraçou a cintura de Yoongi e o mesmo afundou o rosto contra o pescoço do irmão para que seus rostos não ficassem tão próximos e tornasse aquilo constrangedor de alguma forma. Yoongi deixou sua essência gostosa se tornar mais forte no ar, sentindo o aperto do abraço aumentar, e também percebeu quando o mais alto esfregou o nariz entre suas orelhas felpudas, parecendo também cooperar para que o cheiro de Yerin sumisse logo de si apenas para o irmão dormir em paz.

No entanto, ainda que não fosse admitir para Yoongi, estava se aproveitando do momento para sentir o cheirinho que tanto aprendeu a amar desde a primeira vez que sentiu, desse a primeira vez que descobriu que aquilo era sua calmaria.

Yoongi enrolou a cauda na perna de Jungkook e fechou os olhos, já sentindo seu interior parecer relaxar como um gatinho carente e manso apenas em não sentir mais o cheiro adocicado exalando de seu irmão como antes, sendo substituído pelo seu. Sentia que tudo estava em seus conformes novamente e isso lhe deixou tão calmo que não pensou em nada quando se aconchegou um pouco mais nos braços de Jungkook, confortável como um gatinho após afofar um travesseiro para deitar. Apenas isso já era o suficiente para lhe fazer bocejar e sentir os olhos pesarem, tão facilmente.

Já deveria ser quase quatro da manhã, mas Jungkook não sentiria que conseguiria dormir agora, então, receoso e com coisas entaladas na garganta ainda, mesmo que mais relaxado, perguntou ao mais velho: — Gigie posso desabafar com você?

— Uhum – afirmou sem mexer um músculo, mas atento ao que o irmão diria, sempre estaria ali para ouvi-lo.

Jungkook suspirou fundo antes de começar a divagar num tom mais baixo do que já falavam antes: — Eu pensei em dar uma chance para Yerin. Mas acho que daria uma grande merda se eu fizesse isso, ela realmente gosta de mim de uma forma que ninguém nunca antes pareceu gostar. Ela até falou que deixaria de comer carne por mim, que te aturaria mesmo não gostando de você, ela se declarou do nada, e tipo, a gente se falou poucas vezes pra ela fazer isso do nada... – suspirou derrotado, atraindo atenção de Yoongi, que ergueu as orelhas atentas. — Depois disso eu vi que não poderia nem tentar ficar com ela apenas nessa festinha, isso ia magoar ela pra caramba e eu obviamente não quero deixar ela triste, eu acho ela legal, sabe? Então eu disse que não gostava dela, eu fui sincero, era o melhor a se fazer, não é?

— Você disse isso na cara dela?! – ergueu o rosto para encontrá-lo de bochechas coradas.

— Sim...

— Meu deus, Jun. Você é horrível. – murmurou surpreso.

— Sou não é? – respirou fundo, vendo Yoongi concordar com a cabeça e não conter uma risadinha. — Eu me senti culpado e fui ajudar ela a pegar as coisas no andar de cima. Lá eu pedi desculpas e ela foi legal dizendo que tudo bem, mas ainda sim me sinto culpado por não conseguir retribuir os sentimentos dela, e eu odeio isso.

Yoongi se sentiu relaxado em saber que apenas isso aconteceu no andar de cima, e logo depois se sentiu patético por isso. O fato de Jungkook não conseguir retribuir os sentimentos de Yerin e isso lhe deixar de algum modo relaxado o fazia um tremendo egoísta, e ele sabia disso. Ele sabia, e se sentia culpado além da conta, pois não conseguia decifrar os motivos por trás de todos seus sentimentos e ações, simplesmente não entendia o ponto de tudo isso.

— Tá tudo bem, Jun – sua cauda se entrelaçou no braço que circulava sua cintura, num carinho delicado. Acima de seus sentimentos conturbados, não queria que seu irmão se sentisse culpado por algo que não poderia controlar. Era meiga a forma como ele não conseguia pensar em magoar os outros e conseguia sempre ser honesto na medida do possível, mesmo que aquilo nem sempre fosse o suficiente, como no caso do coração partido de Yerin. — Quem sabe Yerin ache alguém que possa gostar dela ao ponto de aguentar o cheiro dela? Eu não duvido.

— Você é cruel, Yoongi.

— E estou com sono, me deixa dormir agora, por favor – resmungou, deixando de encarar a face do irmão para se remexer até estar novamente aconchegado no abraço dele.

Jungkook não contestou apenas se ajeitou no estofado e Yoongi praticamente rastejou para cima de si, e bêbado de sono descansou sobre o corpo do irmão; não havia barreira alguma de proximidade entre eles quando se tratava de dormir, sem dúvidas.

O alfa ainda tinha pensamentos agitados e dúvidas não sanadas, como Yoongi arisco como nunca havia visto; ainda queria saber quem era o alfa que passou o restante da festinha ao lado de Yoongi evidentemente flertando com ele, principalmente. Não havia passado despercebida por si a distorção na essência do irmão, indicando que ele esteve próximo de outro alfa por um bom tempo, tempo o suficiente para presença marcante de um alfa ser notada no aroma, e Jungkook não podia afirmar que estava tranquilo com aquilo. Honestamente, Jungkook não queria nem saber o porquê agora, já tinha dúvidas demais pra quem só conseguia pensar em dormir na própria cama.

Mas Jungkook não reclamaria, não enquanto estava prestes a cair no sono apenas por estar dormindo agarradinho com Yoongi, satisfeito, mesmo que aquela festinha tenha sido a maior chatice da sua vida. Ora, que mundo é esse que pré adolescentes se encontram para jogar Stop e comer pizza fria?

Jungkook não estava pronto para ser um adolescente se as próximas festas que ir forem semelhantes a essa, se as pessoas que futuramente gostassem de si fossem tão precipitadas quanto Yerin, não estava mesmo.



Notas Finais


concordem com o jk que essa festa nem pode ser chamada de festa pfv

agora sobre o cap: não odeiem a pobre da yerin. agora o chan eu já não sei, vocês que decidam se vão odiar ele, mas fiquem atentos aos sinais pois o jogo pode virar drasticamente !!!

espero que estejam gostando!! quem quiser se expressar melhor sobre a fanfic, compartilhar algum gif, vídeo ou fanart de vmin ou yoonkook que lembre Double Trouble (ou qualquer outra coisa relacionada, sério o que quiserem eu vou amar) use a tag #2troubleamorinhos que eu vou poder estar interagindo lá com vocês, se quiserem, claro 

me sigam lá também se quiserem: @vminheartless

ahhh, eu também estou pensando em criar uma playlist para dt, o que acham? digam ai se acharem legal senão eu nem começo (vou fingir que já não comeceikk)

espero voltar logo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...