1. Spirit Fanfics >
  2. Doutrinador: A Justiça Não Dorme >
  3. Invasão

História Doutrinador: A Justiça Não Dorme - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Invasão


O Doutrinador e Vahan Voohes estavam parados ao lado de um dos portões do refúgio, o lugar havia sido trancado a noite, como de costume naquele local.

- Esse lugar é uma base militar, e isso é como uma espécie de medida de segurança para as pessoas que estão lá dentro. - explicou James para Vahan.

- Como você sabe disso?

- Porque aqui... é onde eu fui treinado.

- Então aqui é sua escola?

- Aqui é mais como meu pesadelo, só que acordado.

- Dá no mesmo.

Depois de terem circulado pela área inteira atrás de uma entrada, eles começam a repensar a estratégia.

- Não tem outro jeito de entrar? - perguntou Vahan.

Então James pensou consigo mesmo por um instante, e lembrou rapidamente de um pequeno detalhe.

- Venha comigo!

Os dois se aproximaram do portão trancado, então James falou o mais alto que pôde sem gritar:

- Um montão de uvas!

E o portão se abriu.

- Oque foi isso? - perguntou ela.

Mas ele não respondeu, e já entrou no refúgio.

Kylie e Abdullah já estavam nas portas do refúgio, com um exército inteiro os acompanhando.

- Como vamos chama-los? - perguntou Kylie.

Então Abdullah pegou uma trombeta e todos os soldados fizeram silêncio, ele começou a tocar uma serenata, o som era tão alto que praticamente ecoava por toda a floresta ao redor do refúgio. Ele ficou tocando por um tempo, a música era bem bonita, até de que repente ele parou.

Joseph e Avim Batin apareceram numa janela no alto da torre do refúgio. Abdullah levantou a mão direita e abaixou a cabeça em sinal de respeito, então, rapidamente Joseph desceu e abriu a porta acompanhado de Avim Batin, Abdullah ficou surpreso em como o local estava escuro.

Joseph se aproximou deles, e então Abdullah perguntou:

- Porque está tudo tão escuro?

- Nós rendemos todos os sobreviventes, estão todos lá embaixo. Porém nenhum deles sabe onde está o gerador.

Então Joseph percebeu a presença de Kylie.

- Presidente? Que surpresa.

- Eu desejo me juntar a vocês.

- Finalmente percebeu como meus métodos são o melhor caminho, certo?

- É melhor do que a destruição definitiva da Austrália inteira.

Então Joseph olhou para Abdullah, que acenou positivamente com a cabeça.

- Em prova da sua lealdade, porque não nos mostra onde fica o interruptor, senhor Kylie?

Kylie engoliu seco nessa hora, e todos ali entraram para o refúgio. Vahan e o Doutrinador estavam na parte de dentro, escondidos na caçamba de um caminhão, e além de terem escutado toda a conversa, ainda estavam falando num rádio com Kwaku, que também ouviu tudo.

- Mantenham a posição de vocês, logo estamos indo com os reforços. - disse Kwaku.

- De jeito nenhum, vamos indo na frente, e vocês se apressem aí. - disse o Doutrinador.

- Oque vocês dois pretendem fazer sozinhos contra três exércitos?

Eles se encaram, e então Vahan responde:

- A gente improvisa.

- Espera! Tem uma coisa que vocês precisam saber, Leonid está morto.

O Doutrinador fica perplexo, e então pergunta:

- Caiu lutando, ou foi covardemente?

- Ele se sacrificou.

Então eles ficaram um tempo em silêncio, depois ele retornou o rádio:

- Ok, estamos entrando, cheguem logo.

E desligaram o rádio, e depois saíram da caçamba.

Kylie, Joseph, Avim e Abdullah estavam no hall do refúgio, era um local realmente grande, com escadas em espiral que levavam até o topo da torre, então Joseph para na frente de todos, se vira, e fala:

- Presidente Kylie, devo dizer que é verdadeiramente uma alegria que você esteja aqui entre nós. Acho que a essa altura já não é mais necessário formalidades não é? Você sabe porque viemos até esse lugar, e com certeza não foi só pra caçar rebeldes.

- Sim... o programa de super agentes.

- Você é um homem esperto. Primeiro nos mostre o gerador.

- Sim.

Abdullah se virou para os outros soldados e ordenou:

- Descansar homens, tomem como aposento todas as salas desse local.

E os soldados se dispersaram.

Vahan arrebenta a tranca de uma porta com uma de suas espadas, e abre, como estava sem luz, ela ligou uma lanterna e olhou em volta.

- Doutrinador, achei a sala de controle. - disse ela no comunicador.

- Ótimo, eu estou indo para o gerador, com sorte, vamos conseguir libertar os prisioneiros.

- Depois vamos atrás dos nossos alvos.

- Uma coisa de cada vez.

O Doutrinador estava andando por um corredor escuro com a visão noturna, mal sabia ele que Beth o observava escondida atrás de uma das pilastras do corredor.

Joseph e os outros chegam finalmente ao gerador, mas ele só funciona com uma senha.

- Senhor Kylie, faça as honras. - disse Joseph.

Então Kylie se aproximou do gerador, e digitou a senha: 4853. E as luzes do local se acenderam instantaneamente, a sala em que Vahan estava voltou a funcionar, e ela guardou a lanterna. Haviam muitos painéis e telas reproduzindo imagens em tempo real, do local inteiro.

- Ei! Eu tô vendo uma coisa um pouco bizarra. - comunicou Vahan pelo rádio.

- Oque você tá vendo?

O Doutrinador andava pelo corredor, quando encontrou marcas estranhas pelas paredes, feitas com sangue, pareciam mensagens de socorro, como se fossem de várias pessoas, uma parede inteira escrita com sangue e arranhões.

- O-oque é isso?

- Doutrinador, você precisa ir para o Hall, rápido! - Vahan alertou.

- Oque está acontecendo, Vahan?

Joseph sorria para Kylie, que o mesmo tremia de medo, e então ele o abraça e diz em seu ouvido:

- Tudo tem um preço, presidente...

Vahan via um tipo de pátio muito grande em uma das telas, onde várias pessoas estavam sendo jogadas, mulheres, idosos, crianças, homens, qualquer um que os soldados escolhiam, haviam tantas pessoas ali dentro que era impossível caber todos.

- Senhor, já selecionamos a metade. - disse um dos soldados no comunicador para Joseph.

Ao ouvir isso, ele continuou falando para Kylie.

- ... você pode escolher entre salvar sua pele e se juntar a nós, e todas aquelas pessoas lá embaixo morrem... - então Abdullah apontou uma arma para a cabeça de Kylie.

- Vahan, oque está acontecendo?

Vahan pegou um chip e colocou em um dos computadores, reproduzindo as imagens para o Doutrinador, que as visualiza no visor do capacete.

- ... ou você pode se sacrificar, e metade daquelas pessoas lá embaixo vive. É sua escolha, presidente.

O Doutrinador também ouvia a conversa deles através de uma das câmeras que estavam ali.

- E então?

As pessoas estavam todas quase espremidas, implorando por suas vidas, com todas as portas do pátio trancadas, haviam muitos soldados em algumas plataformas superiores com armas apontadas.

- Não... não... Kylie! - o Doutrinador estava ficando desesperado.

Kylie estava pensativo, ele olhou em volta, todos estavam o encarando, então ele respondeu:

- Eu vou me juntar a vocês.

- NÃO! - James tirou a máscara.

Os soldados então começaram a disparar, o som era muito alto, James caiu de joelhos, chorando, enquanto ouvia todas as pessoas gritarem, e os sons dos tiros, assim como Kylie, que de dentro da sala do gerador ouvia todo o tumulto no andar de baixo.

Depois de um longo tempo, os tiros pararam, todas as pessoas estavam mortas naquele pátio, e os soldados se retiraram.

James chorava de ódio, ele saca sua arma e então aponta para um canto escuro na sala.

- Seja lá quem você for, apareça!

Então uma mulher loira saiu do meio das sombras com as mãos pro alto.

James ficou perplexo.

- Olá, James.

- Beth?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...