História Dover - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 11
Palavras 1.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lírica, Literatura Feminina, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - O encontro


Estava me arrumando para as aulas das meninas, estava cedo ainda, mas essa era a hora combinada, então comi uma fatia de pão e um café.

Caminhei até a casa dos Bonneville e bati na porta, o mordomo atendeu e me levou até uma sala muito feminina e bonita.

Comecei a olhar a sala, vi um vulto preto passando e paralisei no lugar, ele também, me virei e encarei um dos homens mais bonitos que já tinha visto.

-Acho que não fui avisado de uma visita.- ele me encarou.

-Na verdade eu vim dar uma aula.- corrigi.

-Karina.- Sarah veio até mim.- Como se diz venha em italiano?- olhei para aquele homem.

-Andiamo.- sorri.

-Andiamo.- ela repetiu.

Então pegou minha mão e me puxou, não ousei encarar mais aquele homem, ele era meio determinado, e aquela determinação não sabia se era boa.

Subi as escadas com Sarah e entramos em outra sala, Annie estava lá, eu sorri para ela e dei bom dia, ela não era muito de falar.

-Bom.- eu cruzei as pernas.- Vamos começar com o básico.

-Básico é chato.- Annie me encarou.

-Básico é importante.- sorri.- Lo, tu, noi, loro. O que é isso?

-Um eu sei que é tu.- Annie sorriu tímida.

-Isso.- eu assisti.- Seria, eu, você, nós, eles, isso é importante, tem vários verbos, ido precisa decorar, mas é basicamente tudo fácil.

▪️◾◼️

Entrei no escritório da minha mãe com a cabeça traquinando, o que aquela moça estava fazendo aqui, era a pergunta.

-Que moça era aquela?- eu me sentei.

-Senhorita Moretti.- ela sorriu.- Bela menina, está ensinando italiano para as meninas, sempre quis que elas aprendessem.

-Devia te me avisado, meu coração levou um susto.- eu sorri.

-Eu acho que vou ajudar ela a arrumar um marido.- minha mãe sorriu juntando as mãos.- Annie e Sarah ainda não se apresentaram a sociedade.

-Coitada da moça.- eu ri.

-Quando ela for embora acompanhe ela de volta para casa.- minha mãe voltou a escrever.

-Mas é do lado...

-Você é um cavalheiro.- ela apontou a caneta para mim.- Agora saia.

Sorri e me levantei, já tinha passado duas horas disso, ia ver como ela estava lidando com as meninas.

-Per favore, passami la tazza.- o jeito que ela falava era atraente de um modo italiano, não ela era atraente, mas o sotaque.- O que eu falei?

-Por favor...- Sarah tentou traduzir.- Me passe...a...

-Xícara.- a moça completou.

-Tazza não parece xícara.- Sarah se emburrou.

-Annie, me fale algo.- a moça não sabia no que se metia.- Em italiano.- então tinha acontecido antes.

-Voglio mangiare.- ela queria comer?

-Ótimo, mas eu não vi a lógica nisso.- ela riu.-Hai fame?- a moça perguntou se ela estava com fome.

-Não entendi.- Annie falou.

-Pesquise esta frase.- ela se levantou.- Eu tenho que voltar para casa, mas essa primeira aula já foi ótima.

Ela se virou para pegar a bolsa e me viu, tinha algo no modo como os olho dela se moviam, aqueles olhos azuis eram perigosos.

-Vou acompanhá-la.- avisei.

Ela murmurou algo e deu tchau para as meninas, e até Annie respondeu, descemos as escadas e ela pegou o casaco.

-Não precisa me acompanhar.- ela falou antes de eu colocar o casaco.

-Eu gostaria.- sorri.

-Bem, eu não vou para casa.- ela ajeitou o casaco.- Vou até o mercado...

-Sozinha?- franzi as sobrancelhas.

-Sim.- ela percebeu que tinha algo errado.- Por que?

-Não pode andar sozinha por aí.- saímos de casa.- O que vai fazer no mercado?

-Comprar sementes de flores.- ela mexeu as mãos.- Isso também é errado aqui?

-Não.- eu ri.- Não, não é.

Começamos a andar até o mercado, ela tinha cheiro de jasmim e sabonete, chegamos no mercado e ela foi andando por aí.

-Você é rápida.- eu tentei acompanhar.

-Na Itália quem não era rápido perdia o melhor.- ela parecia voraz.

Comprou várias sementes e enfiou na bolsa, agora estávamos indo até a casa dela, e estava silencioso.

-O que vocês, ingleses, fazem nas festas?- ela mexia muito as mãos.

-Primeiro, não mexemos tanto as mãos.- ela sorriu.- Segundo, dançamos, valsas, as vezes uns cantam, mas não é bonito.

-Quem na sua família está noivo para uma festança tão grande?- ela me encarou com aqueles olhos azuis.

-E...meu primo.- menti.

-Coitado.- ela riu.

-Por que?- fiquei curioso.

-Não sei, acho que por casar desse jeito, ouvi dizer que eram prometidos, certo?- eu assenti.- É errado, ele devia escolher com quem casar.

-Isso.- eu me aliviei.

-Você e esse seu primo são amigos?- ela parou na frente da porta dela.

-Um pouco.- eu sem querer olhei para o decote, subi os olhos de novo.

-Obrigada por me acompan..- ela parou de falar.

Ouvi os latidos, vários latidos, e depois um grito, Karina mordeu o lábio fechando os olhos.

▪️◾◼️

Os cachorros estavam acabando com o piso e tapete, e o pior, o senhor Bonneville estava olhando tudo.

-Mary!- gritei.- Me ajude.

Tiramos os cachorros, e eu vi o estrago que eles tinham feito no piso.

-Mio Dio.- coloquei um cabelo rebeldes trás da orelha.

-Vocês tem cachorros?- Bonneville sorriu.

-Não, achamos eles no galpão.- eu suspirei.- Meu pai está decidindo.

-Bom, foi um prazer conhecê-la, senhorita Moretti.- ele segurou minha mão e beijou.

-O prazer foi meu, senhor Bonneville.- fiz reverência.

-Ethan.- ele corrigiu.- Pode me chamar de Ethan.

-Então me chame de Karina.- sorri.

-Nós vamos na festa.- ele saiu.

Voltei a realidade e fui ver os cachorros, Giovanna agora brincava com eles na cozinha, e Mary olhava.

-Papai vai mandar eles para o campo.- Giovanna avisou.

-Ótimo, serão treinados lá.- eu sorri.

-Eles ficarão bem?- Mary me encarou.

-Sim, o campo é bom.- subias escadas.

Peguei o bordado em cima da minha mesinha e comecei a bordas, mas tudo que eu fazia não dava em nada, só linhas sem nexo




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...