História Downpour - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Wanna One
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Daehwi, Jeon Jungkook (Jungkook), Jihoon, Jinyoung, Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kang Daniel, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Chanbaek, Hunhan, Jikook, Kaisoo, Namjin, Sulay, Taeyoonseok, Taoris, Xiuchen
Visualizações 245
Palavras 1.150
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Ha-Na


Do Kyungsoo

Pode parecer que de maneira seleta fui escolhido para ser o protagonista de uma história com um começo simples e um meio conturbado. Nascer em uma fazenda no interior pode trazer uma enorme paz e tranquilidade, mas não quando se nasce ômega em uma matilha que não costuma respeitar os direitos dos mesmos. Ser filho do líder não trás benefício algum, não existe garantia de ter uma vida feliz caso seja escolhido para se casar com um alfa qualquer.

Minha primeira escolha e solução foi a fuga quando completei 15 anos e junto de meu melhor amigo conseguimos escapar para longe. Foram meses e meses até chegar na fronteira para alcançar  a Coréia. Soubemos que nesse meio tempo a matilha foi dizimada. Chorei por alguns dias, não por sentimentos de dor, mas por ter convivido por tanto tempo com aquelas pessoas. Me tornei um completo moleque de rua, aprendi a me defender dos alfas e a voz deles já não me afetava. As ruas costumam ser sempre perigosas e logo o envolvimento com a ilegalidade chegou. Me tornei aos poucos alguém com um pouco mais de respeito dentro de uma máfia por ser sido "adotado" por um deles. Nunca cometi delito ou crime e quando toda aquela máfia foi descoberta e veio abaixo houve alguém que se preocupou, um alfa da matilha local. Pensei seriamente sobre me deixar levar e ter uma relação próxima novamente com alguma matilha, afinal, sei bem que existem muitas rivalidades nesse mundo, mas nada disso me importava. Eu queria ser alguém com uma vida nem que precisasse dar o sangue por isso. A primeira loucura surgiu quando resolvi tatuar uma frase em meio a todo o caos que estava vivendo.

Viva La Revolution.

Encontrei uma faculdade que me trouxesse um pouco de atenção e quando completei 23 anos me formei. Na mesma faculdade comecei a dar minhas aulas, nesse meio tempo tive uma péssima experiência romântica com um dos meus alunos. Shin era um alfa que me fez encontrar muita felicidade. Ele me deu tudo durante um período da vida mas se transformou em pesadelo quando me entreguei. Não era algo que eu estava guardando e sonhando como muitos mas mesmo assim, uma coisa como essa nos deixa grandes expectativas, foi bom, mas não parecia tudo o que diziam e ainda por cima veio a consequência. Uma gravidez não planejada que foi claramente rejeitada por ele. Me senti um lixo. O garoto sumiu no mundo, não o encontrei mais em lugar algum e sequer tinha como dizer aos seus familiares então esqueci aquele assunto. Vivenciei uma gravidez apenas eu e meu bebê. Do Jihoon nasceu em um parto complicado, mas nasceu. Eu não tinha como saber sua classificação pois apenas quando tem o primeiro cio fica evidente, embora eu tenha 90% de certeza de que ele é um verdadeiro ômega.

Eu consegui criá-lo da melhor maneira possível, hoje ele tem cinco anos e é o meu maior tesouro nessa vida. Quero poder cada dia dar uma vida melhor para que meu filhote nunca tenha que passar por momentos ruins. Esse ano se tornou pior ainda. Um dos meus alunos é o filho do líder da matilha. O garoto não é desses metidos, nem que se acham donos de tudo por serem filhos de alguém importante, pelo contrário, ele é um rapaz amoroso, paciente e carinhoso, o único porém, é que o mesmo já se declarou para mim e eu como sempre fujo. Não quero uma nova relação com um aluno jamais na vida.

-Hyung?

-Sim? -Baekhyun me chamou. Ele sem dúvida alguma é meu único amigo e companheiro. Aquela pessoa que eu posso sempre contar, afinal, ele é dono de uma extensa lista de burrices junto comigo e quando que um amigo faria isso por mim?

-Você parece meio aéreo. Aconteceu alguma coisa no colégio?

-O de sempre.

-Jongin parece estar mesmo disposto a te fazer mudar de ideia. -Baek suspirou. -Eu não sei como te ajudar nisso. Você sofreu muito, ele é filho de alguém importante, tem aquela coisa de serem aluno e professor, tem seu filho. Nem todas as vezes eu consigo ajudar como gostaria, sinto muito amigo.

-Você não tem que se desculpar por isso Baek. Eu realmente me tornei um pouco arredio e isso não é culpa de ninguém além do Shin. Eu sei que Jongin não é uma má pessoa e ele nunca forçou coisa alguma além de palavras e algumas cartinhas no meu armário. Apesar de alfa, ele parece ainda alguém inocente demais. Essas coisas não deveriam se perder nunca de uma pessoa, talvez seja o mais precioso dom que alguém pode carregar na vida. -Jongin tem 17 anos enquanto eu possuo 23 anos. Uma diferença não tão gritante de idades, mas de vida. Eu ouvi muito falar do filho do líder quando mais novo. Sempre as mesmas coisas rodavam na boca das pessoas. Um menino de ouro, um perfeito cavalheiro, forte, másculo e o principal na lista de qualquer ômega e beta, solteiro. Eu mesmo nunca tinha visto o rosto e nem foto dele. Sabia que estava passando pelo treinamento depois que teve o primeiro cio um pouco mais atrasado que os demais garotos. Um recém formado alfa. Isso tudo era o que diziam.

O que eu conheço de Jongin é que sempre foi um alfa tímido demais, doce, gentil e um exelente dançarino. Sua paixão com a dança fica sempre evidente quando performa alguma coisa. Existe meu lado racional, que fecha os olhos para tudo isso, mas ainda sim, eu sou um ômega por dentro e acabo tendo minhas crises momentâneas sobre sua beleza, seu sorriso. Algumas borboletas costumam surgir mas trato de expulsá-las desse local inadequado em que aparecem. Eu não posso viver isso de maneira alguma.

-Eu sinto que todas as vezes que falamos dele você se abre um pouco mais. É complicado. Nós dois somos mais velhos, ômegas supostamente na idade de casar e possuir um alfa. Nossos desejos são maiores, estamos formados, passamos por muitos cios. Eu acho que um garoto nessa idade, jovem, bonito, simpático. De algum modo somos atraídos como bobos. -Ele resmungou. Eu não sou o único que tinha problemas com um aluno. -Tem dias que só quero agarrar Chanyeol e fazer de tudo com ele, tem dias que quero socar aquela carinha bonita.

Gargalhei. A diferença entre mim e Baek é que meu amigo já tinha se pegado com seu aluno, embora na época ele não fosse professor do Chanyeol e hoje em dia o garoto apenas o irrita, talvez seja uma paixão. Baekhyun atrai muitos alfas.

-Você deveria mesmo dar uma chance. Tem uns dois anos que esse menino não desencana de você.

-Se eu falar para você dar uma chance ao Jongin você não dá então nem me venha com seus conselhos para aquele idiota.

-Okay, deixa pra lá. -Murmurei. -Você ainda vai ceder pra ele, eu te conheço.

-Não vamos entrar nesse jogo sobre quem pode perder mais fácil. Estamos ambos afundando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...