1. Spirit Fanfics >
  2. Doze sóis resplandecentes >
  3. Atos singelos

História Doze sóis resplandecentes - Capítulo 1


Escrita por: laviezone e sweetieunha

Notas do Autor


─ ficwriter ♥
Olá anjinhos! Mais uma vez aqui, e eu estava doidinha para postar essa história que eu escrevi com todo o amor e carinho em meio a um bloqueio criativo, mas o resultado me agradou muito. E espero que vocês também possam apreciar!

─ ficha técnica ♥
‹ ficwriter: @sweetieunha
‹ beta-reader: @fashionist
‹ capista: @yoofairr

Capítulo 1 - Atos singelos


O sol já mostrava-se presente naquela imensidão azul do céu, deixando aquele dia ainda mais especial, as ruas já movimentadas e os barulhos de carros acordavam os passarinhos que assobiavam uma bela melodia. O calendário de toda a Coreia mostrava aquela simbólica data, dia 08 de Março, mas conhecido como Dia Internacional da Mulher, também conhecido como o dia de dar rosas as mulheres, como se com esse singelo ato todas as burrices fenomenais feitas pelo sexo masculino, que transcendiam os séculos, pudessem ser resolvidas e perdoadas, tal rosa que logo iria murchar e morrer, assim como todo o respeito dado para o "frágil" sexo. Mas talvez doze mulheres pudessem fazer isso ser diferente.

Kwon Eunbi levantava apressada, vendo que estava atrasada quando o sol passou a beijá-la com seus raios brilhantes, tirando-a da cama. Por ser um feriado sua loja de acessórios estaria cedo, e não podia se atrasar. A sul-coreana de cabelos longos e escuros se arrumava de uma forma elegante, como sempre, empoderando-se em frente ao espelho para lidar com mais um dia de trabalho. Como sabia bem que era dia das mulheres, passou a última noite escrevendo cartinhas à mão com elogios e o que mais achasse bonito para distribuir as mulheres que fossem em sua loja, para receberem juntos aos brincos ou anéis que também estariam em promoção. Colocou seu sorriso carismático no rosto e saiu pelas ruas de Seul, movimentadas e cheias como sempre, com sacolas e mais sacolas em suas mãos. A loja LAVIE ZONE já estava aberta por uma das funcionárias, a fachada em tons lavanda, com o letreiro em neon as diferenciava das outras que ficavam em Itaewon, alguns balões já decoravam o local arejado e bem iluminado dado as grandes janelas de entrada.

Seria um dia mais longo do que os outros, mas encararia tudo com força e seu sorriso, queria poder fazer o dia das mulheres especiais para outras mulheres, para que estas também pudessem se sentir fortes como si.

Do outro lado da cidade Miyawaki Sakura arrumava seu cenário de vídeos em tons rosa claro, já estava com o jogo que iria jogar naquela vez aberto em seu monitor, para fazer juz ao dia especial que estavam comemorando internacionalmente; A divertida Sakura escolhera um jogo sobre garotas fortes que não precisam receber flores para saberem como são incríveis. Por mais que talvez pudesse receber alguns comentários desgostosos de seus inscritos masculinos não se importaria, já que estava prestigiando hoje as mulheres de uma forma divertida como sabia fazer, com seus fones enormes e cor-de-rosas já na cabeça, centralizou a câmera e começou a gravação daquele dia, com seu sorriso amigável a japonesa, que atualmente residia na Coréia do Sul, divertiu-se muito enquanto jogava e falava com a câmera, como se pudesse ver suas inscritas em sua frente.

Vez ou outra bebendo água de sua grande garrafinha brilhante, para molhar a garganta, enfim terminou o vídeo que fazia, já pronta para editá-lo e anunciá-lo em suas redes sociais, de mulher para mulher, esperava ter melhorado o dia de alguma menina.

Já no hospital central de Seul a enfermeira Kang Hyewon apressava seus passos para a sala de consulta na ala infantil, onde uma menininha com sua mãe aguardavam pacientemente serem atendidas primeiramente pela enfermeira de cabelos loiros e lisos, que faria o check-up. Esta que hoje não utilizava apenas o uniforme branco, alguns acessórios em tom coral faziam juz ao dia internacional da mulher, e em seu bolso corações no mesmo tom que foram cortados por si estavam prontos para serem entregues para as pacientes, a fim de arrancar-lhes um sorriso, e para as crianças um pirulito de morango; a enfermeira iria se sentir mil vezes mais alegre em ver mais mulheres como si saindo com um sorriso do hospital, ainda mais se por um singelo ato que pensara em fazer. Não queria fazer como outros doutores ou enfermeiros, que distribuiam flores, queria algo que talvez elas pudessem guardar e claro junto de suas palavras inocentes, como se fosse uma menininha, com seu sorriso largo.

Em outro hospital a alguns quilômetros dali, a cantora Choi Yena andava em seus saltos altos por aquela ala infantil do hospital feminino especializado em câncer, a cantora mesmo que tivesse muitos eventos para prestigiar as mulheres naquele feriado, cancelou alguns para poder separar o ínicio de seu dia para visitar aquelas crianças. A Choi andava até a sala de brinquedos, com livros de histórias encantadas de princesas sem príncipes, que lutavam contra dragões e salvavam a si mesmas, em suas costas asas de anjinho, cheia de plumas e no topo de sua cabeça uma tiara brilhante. Ao bater levemente na porta e entrar, as garotinhas comemoravam ao ver que a Happy Virus chegara para alegrar seus dias. Passou toda a manhã com aquelas garotinhas e até algumas enfermeiras, contando histórias e fazendo as brincadeiras mais divertidas que conhecia, além de pontuar novamente a importância das mulheres terem o seu dia, para se lembrarem das que lutaram no passado para que tivessem os direitos que hoje portam. E por isso Yena amava o dia das mulheres, onde ela podia separar momentos para fazer outras mulheres sorrirem, sem se preocupar com os comentários masculinos que podiam afetá-la.

God Is A Woman” da Ariana Grande, tocava em uma das muitas salas de dança que haviam naquele prédio no centro da capital. Era ali onde a conceituada dançarina Lee Chaeyeon ensaiava para sua familiar apresentação do dia das mulheres. Estava ali desde cedo e a única pausa que fez foi para comer com suas dançarinas em uma padaria próxima ao estúdio de dança. Dando tudo de si enquanto repetia os passos se olhando no espelho, queria entregar uma apresentação ainda melhor do que a do ano passado, sempre que o dia 08 de Março se aproximava a ansiedade de Chaeyeon vinha junto, já que adorava ter de escolher uma música forte, poder vestir sua melhor roupa e representar uma mulher forte no palco de um dos teatros da Coreia, onde todos os anos abrigava muitas mulheres para assisterem a poderosa apresentação da Lee, que sempre representou tudo o que uma mulher pode fazer, assim como o homem pode. Seu amor pela dança transparecia e parecia contagiar todas na plateia, que se encantavam com os passos suaves e belos da sul-coreana que jamais entregaria um trabalho mais ou menos.

Falando em teatro, o mais conhecido entre a população sul-coreana que ficava bem ao centro da cidade, estava aguardando o horário de abrir para apresentar a peça do dia, que tinha como intuito mostrar como surgiu o dia das mulheres, e toda a luta do sexo feminino, tendo como personagem principal a atriz Kim Chaewon, a adorável, engraçada e multi-talentosa Chaewon enchia teatros com as peças que protagonizava, bem mais do que qualquer outro homem conseguiria. E se sentia honrada por ter tido a chance de protagonizar algo tão incrível, que podia receber piadinhas de homens, principalmente de alguns que trabalhavam consigo que mal viam a necessidade de ter uma peça com esse tema, que não iria atrair em nada homens, e sim apenas mulheres, bem era isso que a Kim queria, poder informar as mulheres e ainda arrancar suspiros e risadas de seu público era o que queria fazer, era dia das mulheres e queria poder fazer desse dia memorável e especial para as sul-coreanas, que sofriam bastante com o ainda presente machista em seu país natal.

Já em uma das agências de modelo mais famosas do país, a modelo reconhecida, Kim Minju terminava de se maquiar para poder tirar suas fotos. Estava animada, afinal, dentre todas as diferentes modelos que ali estavam iria representar todas as mulheres de olhos puxados, em principal as sul-coreanas naquele photoshoot especial, onde mulheres de vários lugares se juntariam para mostrar sua força e imponência, com aquele dia das mulheres ainda mais belo. A sul-coreana vestia um vestido branco, assim como as outras modelos, com qual conversava amigavelmente, descobrindo bastante sobre a caminhada de cada uma delas. Andando pelo set pode ver todos os lugares onde possivelmente iria tirar suas fotos, estava deslumbrada com o local onde um carro de corrida permanecia, queria poder já tirar fotos ali, ou também tirar fotos como médica, tudo estava lindamente encantador, a modelo e atriz não poderia estar mais feliz por poder fazer parte daquela campanha no dia das mulheres, para poder fazer outras verem beleza em si mesmas.

A algumas quadras dali, a apressada estudante universitária Yabuki Nako corria para seu trabalho de meio período que começaria em alguns minutos, estava especialmente feliz por ter conseguido tirar a nota máxima em uma das provas que fez recentemente em sua faculdade. Seu rabo de cavalo dançava conforme o vento o balançava, mas logo parou já que pode entrar em seu local de trabalho, uma cafeteria movimentada próxima de onde fazia faculdade. Ao entrar com seu sorriso rotineiro, a inteligente japonesa já rumava para guardar suas coisas no armário de funcionários, onde alguns colegas estavam, fechou a cara no mesmo momento, afinal não queria ouvir comentários que pudessem estragar seu dia. Era um feriado especial para as mulheres, por isso queria estar de bom humor, nem parando para cumprimentá-los e antes que o primeiro cliente pudesse entrar a Yabuki aguardava atrás do balcão, enquanto ajeitava os bombons que comprou pouco antes de ir ao trabalho, para amigavelmente dar às mulheres que ali passassem, além de se esforçar ao máximo para fazer desenhos bonitinhos na espuma dos cafés, mesmo que isso fosse arrancar risadas de seus colegas homens, queria poder fazer algo para as mulheres, já que este era o dia internacional delas.

Naquela mesma cafeteria outra japonesa, Honda Hitomi, estava sentada próxima a janela, lendo um de seus livros, ou mais precisamente estudando para o vestibular que faria. Havia passado a manhã inteira distribuindo os pãezinhos que preparou com ajuda de sua mãe noite passada, junto com alguns morangos que comprou. Todas as mulheres que moravam em sua rua receberam esses presentinhos que fez questão de preparar, prestigiando assim as mulheres de sua rua, e após passar horas limpando e organizando o que restou de sua cozinha, só lhe restava estudar, estava feliz por ter feito aquele pequeno ato, mesmo que não fosse uma garota influente e que pudesse fazer palestra sobre o dia das mulheres, deu seu máximo para que estas se sentissem especiais em seus dias com comidinhas feitas com todo o amor do mundo pela japonesa. Podia estar exausta, mas ver o sorriso de meninas, mulheres e senhoras de mais idade fez seu dia melhorar muito e talvez não precisasse mesmo ser uma mulher influente, para fazer outras se sentirem bem no dia das mulheres.

Em sua casa, Jo Yuri esperava pela próxima menina que entraria por sua porta para poder ter aulas de piano consigo. Esta que esperava com biscoitos e uma lembrancinha singela que fez para distribuir, dado o dia em que estavam comemorando internacionalmente. Suas alunas eram meninas entre sete e dez anos, saiam saltitantes com os biscoitinhos e a pequena caneca que a Jo mandou personalizar exatamente para essa ocasião. Ela amava dar aulas de pianos, e amava ainda mais suas pequenas alunas, que alegravam seus dias, tinha certeza que todas se tornariam lindas mulheres e ótimas pianistas, por isso as incentivava e qualquer coisinha era motivo de presenteá-las ou elogiá-las, queria tornar todos os dias especiais para as meninas, mas como era um feriado especial se esforçou para fazer um pouco mais para elas. E valeu a pena por cada sorriso sincero que recebeu.

Não muito longe daquela casa em tons laranjas, de uma casa com paredes azul escuro saia um belo cheiro de bolinhos, algum com sabor de chocolate e outros de chá verde, onde Ahn Yujin se esforçava para deixá-los bonitos, mesmo não sendo uma cozinheira nata fazia todos os bolinhos enquanto dançava de forma engraçada ao som de sua playlist mais animada. Havia combinado de se encontrar com umas senhorinhas de um asilo próximo de sua casa, onde iriam conversar. E da última vez Yujin prometeu que levaria bolinhos para comemorarem o dia das mulheres, ouvindo as histórias que elas tinham para contar. Aguardou pelo dia oito a semana toda e agora já estava tudo pronto, menos os bolinhos que terminavam de assar e a cobertura estava sendo finalizada pela sul-coreana de apenas dezessete anos. Quando finalizou aqueles bolinhos, colocou-os em uma cesta com um laço azul-escuro e seguiu ao asilo, já com o seu sorriso, pronta para ouvir as histórias daquelas mulheres que muito viveram para lhe contar. Chegando no local de paredes azul claro já pode ver algumas delas acenando para si, a vitamina do local havia chego para transformar o dia das mulheres ainda melhor.

E então na escola de artes em Seul, Jang Wonyoung andava com algumas colegas até a sala de aúdio da escola, onde as três alunas gravavam seu podcast diário, o BLOOM*IZ foi um podcast criado pela Jang para os alunos da escola, ela adorava aquilo e o atualizava todo o dia, colocando músicas ou então apenas falando algumas notícias ou histórias engraçadas. Para uma garota que quer se tornar locutora já é um ótimo começo, e como todos da escola já estavam cientes era dia da mulher, as meninas inclusive ganharam lixas de unha da coordenação, que eram pequenas a ponto do dedo mindinho de Wonyoung ser maior que aquele presente. Pensando nisso, passou a noite em claro planejando o que poderia falar em seu podcast, e então teve a brilhante ideia de entrevistar algumas colegas da escola, para que cada menina pudesse contar sua maravilhosa história e as votadas mais interessantes seriam contadas no podcast para inspirar a outras mulheres. E como queria compensar o péssimo presente dado pela escola comprou várias canetas coloridas e iria dá-las às suas colegas, como forma de prestigiá-las naquele dia especial.

O dia ia se acabando, o sol se punha no mais belo alaranjado naquele céu que já tomava seu tom índigo, a lua se mostrava mais presente naquele prateado bonito e o dia das mulheres aos poucos chegava ao seu fim. Mas ainda tinham tempo de aproveitar, e uma a uma onze meninas se encontravam na casa em tons amarelos de Choi Yena, que as recebia com um sorriso. Exaustas após mais um longo dia em suas vidas, estavam todas sentadas no sofá ou no tapete felpudo da Choi, e quando Eunbi se fez presente todas se juntaram a mesa, para poderem jantar o que Yena preparou para elas, mas antes tinham de conversar sobre algo, que passaram a semana planejando para fazer.

— Então meninas — Iniciou a mais velha. — como ocorreu nosso plano? — E ali iniciou-se o falatório, com ótimos relatórios sobre como o dia das mulheres havia ocorrido. Mostrando que o que planejaram deu mais do que certo. Durante um belo dia Eunbi e Sakura chegaram ao grupo com uma bela ideia, com o dia das mulheres se aproximando por que aquelas doze mulheres não tentavam alegrar as mulheres de sua vizinhança ou círculo social com algum ato singelo, a ideia foi tão bem comprada pelas doze que passaram horas se preparando e planejando o que poderiam fazer para arrancar sorrisos sinceros em um dia especial.

Afinal o dia das mulheres não é sobre dar flores ou muitos presentes, e sim sobre atos singelos que podem se tornar mais significativos nesse dia, para desencadear mais bondade e torná-los diários e rotineiros. Onde o objetivo era prestigiar as mulheres, que em décadas sofreram, mas merecem muito respeito e aplausos por aguentarem todos os dias coisas ruins e péssimas. E doze sóis resplandecentes decidiram começar com esses atos, para poder tornar um dia não muito importado, especial e digno.


Notas Finais


─ O La Vie Zone agradece pela última leitura! ♥ Obrigada por nos acompanhar nesta Era, onde exploramos vários feriados mundiais. Lembrem-se sempre dos nossos doze sóis.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...