História Dr. Hope - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Challenge2nandas, Jihope, Jikook, Relacionamentoabsivo
Visualizações 94
Palavras 3.151
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii gente, cheguei com mais um desafio e mais uma fic pra vocês espero que gostem.
Bom capitulo

Capítulo 1 - Dr. Hope


Fanfic / Fanfiction Dr. Hope - Capítulo 1 - Dr. Hope

Não seria exagero Jung Hoseok dizer que estava cansado ...

Cansado da sua vida? Talvez

Cansado dos seus dias monótonos? Talvez

Cansado do seu emprego? Talvez

Cansado do seu paciente número um de todas as terças - feira? Ah sim isso com certeza é o principal motivo do seu cansaço, assim como de seu recente desequilíbrio emocional. A maior dúvida que cercava seus pensamentos é como um psicólogo tão bem-conceituado e impassível se deixou chegar nesse ponto? Como ele pode se apaixonar por um paciente? Como alguém que estudo e se dedico a vida inteira a responder as perguntas e incógnitas das pessoas pode ter tantas questões mal resolvidas consigo mesmo.

Como em todos os seus dias ele se encontrava sentado, sentindo a maciez do couro marrom da poltrona de sua sala, apesar de ser consideravelmente novo ele chegou muito longe com sua dedicação e foco, esses que se perdem toda vez que aquele par de olhos castanhos lhe encaravam, toda vez que aquele corpo pequeno e aparentemente forte se acomodava no divã a sua frente, a forma sutil com que seu peito se movia a cada suspiro e nova história contada, o simples mover de lábios ...  E o sorriso, isso com certeza lhe garantiria horas em sua própria sessão, com seu grande amigo Yoongi lhe condenando com seu mal humor decorrente de muito trabalho e cafeína.

Encarrando sem parar seu relógio de pulso, ele aguarda seu tão esperado paciente, o tão esperado perfume suave de lavanda invadir cada centímetro daquela sala que sem esses detalhes se tornava tão vazia e solitária, mas não é como se ele já não estivesse acostumado com todo o vazio de sua vida.

Park Jimin é com toda certeza um dos seus casos mais difíceis, o estado da sua mente estava tão fragilizado e destruído que era difícil entender como ele ainda não tinha pulado do abismo da sensatez para o da loucura, apesar de já ter assumido a possibilidade de suicídio. A mente humana é algo tão estranho, tão complexo que qualquer tipo de interferência mais intensa é capaz de causar o caos e destruir não só a consciência e personalidade como também a estrutura física, quando dizem que dói fisicamente perder alguém acredite se quiser é 100% real.

Jimin ou como gosta de ser chamado Chim, era apenas um garoto que estava começando a fase da vida adulta, prestes a terminar sua faculdade de enfermagem com apenas 21 anos, ele tinha sem dúvida um relacionamento perturbador, Jeon Jungkook atual recém adquirido namorado, sem brincadeiras é um manipulador nato, entre idas e vindas de um relacionamento doentio ele conseguiu fazer da vida do paciente um inferno, onde ele se torno sua maior fonte de tristeza e dependência, Hoseok poderia até mesmo compara-lo a cocaína, quanto mais Chim o tem, mais ele o quer e a abstinência dele tem quase os mesmos sintomas, a falta de ar pelo excesso de choro, a tremedeira e a constante vontade de ligar para ouvir sua voz o fazem entrar em desespero e até mesmo os calmantes e remédios para ansiedades que lhe foram medicados não causam sequer cocegas, fazendo com que o Jung tivesse que se privar de compromissos ou seu próprio tempo de livre para se juntas ao Park que obviamente não estava dormindo por medo de acordar sozinho.

O último termino dos amantes foi o que qualquer pessoa chamaria de ridículo, com a desculpa de que sua família não aceitava bem o relacionamento deles, o garoto que agora se encontrava com os cabelos rosa nunca imaginaria que sua tão amada sogra e cunhada poderiam se colocar contra o mesmo, mas nem tudo é como nossos olhos vem e sem dúvidas essas duas eram dois grandes exemplos disso.

A grande questão para o homem tão bem vestido em um terno de corte reto e tecido escuro era como tudo de errado na família, na personalidade e criação do Jeon poderia ser culpa de Jimin, indignado era pouco para definir o sentimento que toma o coração e corpo do Jung depois de ouvir todas as vezes que o rosado cedeu à pressão imposta pelo namorado, todas as vezes em que ele pediu desculpas sem ao menos ter culpa ou todas as vezes que aceitou as investidas do membro do outro em seu corpo sem realmente querer um ato que deveria ser realizado com amor ou ao menos desejo, para ele fazer o que o outro sentia necessidade ou queria era uma das formas de evitar brigas ou novos términos e se o preço fosse o desconforto em seu corpo ele estava mais que disposto a pagar, porque o simples fato do moreno estar ao seu lado e sua mente estar nublada pela falsa sensação de companheirismo e carinho lhe bastavam para ter paz mesmo que momentânea.

No último termino o psicólogo começou a pensar em formas de distrair a mente do outro, até comprou um anel com a esperança de que ajudasse todas as vezes que ele passava a mão pelo dedo anelar e dava falta da aliança prateada que sempre o rodeava. Era quase como um ritual ele aparecer com o anel durante as sessões e mesmo que não devesse o também moreno já preparava seu próprio psicológico para a merda da desculpinha da vez, quem sabe uma nova festa da fraternidade ou simplesmente uma necessidade repentina de espaço e tempo, honestamente com seus 27 anos ele já não se sentia obrigado a ouvir e saber que existe tamanha idiotice no mundo.

O bater fraco na porta fez com que o arrepio subisse a espinha e com um pigarro ele pediu para que o já conhecido rapaz entrasse e por incrível que parece ele se perguntava mais uma vez se em algum outro dia ele estava tão bonito quanto agora. Com um sorriso tímido em seus lábios carnudos o Park pediu licença já se preparando para a próxima hora de concelhos e alegria, porque era assim que ele se sentia durante sua horinha com o Doutor Jung ou como ele mesmo havia apelidado Hobi, enquanto o rosado se endireitava no divã ele se permitiu analisar sua expressão corporal e até mesmo a aliança dourada na mão esquerda o que sem dúvida era novidade, como as coisas podem ter mudado em apensas duas semanas sem se encontrarem naquele mesmo local naquela mesma hora?

- Olá Hobi, como você está hoje? – Comenta com o sorriso ainda mais largo dessa vez.

- Estou bem e você Jimin? Vejo que temos novidades a caminho – Afirma com toda paciência que lhe resto.

- Estou tão feliz Hobi, você acredita que o Kook me pediu em noivado? Foi tudo tão incrível que eu nem sei por onde começar a te contar – Finaliza com um suspiro apaixonado que só fez o estomago do moreno revirar.

- Sinta-se à vontade quando quiser começar – e assim começou mais uma vez sua sessão pessoal de autoflagelo.

 

****************

Essa com certeza essa seria mais uma sexta inútil, em uma semana inútil e porque não dizer de uma vida inútil para o moreno que se encontrava sentado em um bar aleatório tomando nada mais nada menos que vodka pura, até porque seu grande lema era se não for pra ficar mal ele nem mesmo sairia de casa ou pelo menos era algo assim, ele já conseguia sentir sua língua espessa de tantas doses viradas mas ainda assim não se sentia tonto o suficiente, sem realmente se importar ele sentiu seu celular vibrar ainda no bolso de sua jaqueta de couro sem vontade alguma pegou o parelho entre seus dedos e atendeu sem olhar o chamador.

- Alo – disse simples.

- Hobi...- Só o murmurar daquela voz já fazia com que seu cérebro voltasse ao comando com força total e lá se vai 100,00 paus de doses desperdiçadas – Será que tem como você vir aqui pra casa? – Um soluço pode ser ouvido através da linha – Eu preciso de ajuda – e como o belo idiota que era o mesmo já se encontrava de pé com a chave do carro em mãos.

- Claro Chim, daqui 10 minutos estou aí – finaliza a chamada com o coração quase na boca, as coisas não podem ficar piores do que já estavam certo? Pobre Hoseok mal sabia ele que tudo sempre pode piorar.

 

****************

 

Em poucos minutos o moreno já se encontrava em frente a uma simples porta branca, a casa em si não fugia da mesma simplicidade, o jardim em frente bem cuidado, as paredes azuis davam um charme que só mesmo o dono da casa poderia criar, dando duas batidas a mesma se abriu mais rápido do que realmente o mesmo julgava capaz, o brilho nos olhos dele eram quase perceptíveis do outro lado da cidade mas nem mesmo assim o garoto a sua frente que usava uma única blusa branca que cobria até metade de suas coxas foi capaz de erguer seu olhar, sua franja toda virada para seu lado esquerdo os dentinhos pressionando a pele macia de seu lábio inferior a força com que segurava a barra da camisa demonstravam claramente seu nervosismo, assim que o rosado lhe deu passagem este adentrou o espaço privado de sua casa e mais uma vez pode se sentir em casa estando entre as cortinas floridas e o sofá tão estampado quanto.

- Jimin o que houve para me chamar a essa hora? – O grande sorriso no rosto do Jung morreu ao se virar e ver o que realmente se escondia atrás da franja do Park, em menos de um segundo ele já estava na frente do outro removendo com todo o cuidado que poderia o cabelo de cima da pele que sempre achou tão delicada e leitosa, o ódio corroía cada célula de seu corpo a marca agora roxa com tonalidade também em verde estava mais que inchada, e naquele momento ele não sabia se queria morrer por não ter evitado essa situação ou se estava prestes a cometer um assassinato.

- Aquele desgraçado teve a coragem de te bater? Me fala agora o endereço dele eu vou quebrar esse piralho em dois – diz já afastando a mão do rosto do outro, mas antes que tivesse sucesso sentiu dedos macios e gordinhos envolverem os seus e a cabeça pendendo para o lado em busca de mais carinho.

- Por favor não vai ... Só não me deixa mais sozinho Hobi – e mais uma vez o moreno se perdeu em meio a tudo que aquele ser parado a sua frente com lagrimas escorrendo pelas bochechas lhe fazia sentir, lhe fazia ser.

- Chim já chega você não precisa dele, você não precisa passar por isso então por favor olha nos meus olhos e diz que tudo isso vai parar, diz que essa impotência que eu estou sentindo nesse exato momento vai parar – suplica em um tom de voz tão aflito que por um segundo o rosado se perdeu no medo de não poder atender aos pedidos do outro.

- Hoseok, eu não sei se consigo – sussurra quase que para si mesmo – eu tenho medo de estar sozinho, eu tenho medo de não ser forte por mim e por aqueles que me amam, você não está sempre aqui e isso me faz estar no escuro, eu tenho medo do escuro Hobi – completa em um só folego como se aquilo tudo estivesse o matando.

- Você não precisa ficar sozinho Jimin, eu estou aqui agora e posso ficar até quando você me permitir ficar – fala enquanto puxava o corpo menor para abraçar o seu quase que de forma desesperada.

- Você não entende.

- Eu só não vou entender se você não me deixar entrar, você não consegui ver o quanto eu já estou envolvido em tudo isso?? Até meus ossos querem estar com você eu não sei mais o que fazer pra te provar isso, mesmo que isso seja errado e mesmo que eu não deva estar aqui nesse exato momento eu estou e isso dói pra caralho.

Sem saber como, os lábios do menos já se encontravam colados ao seu em um movimento suave e como ele espera tinha gosto de açúcar e lagrimas, mas nada importava porque era o sabor do Chim seu tão amado Chim. Após minutos nos quais ambos podiam ouvir as batidas do coração um do outro eles separaram seus lábios quase a força, sem saber qual realmente deveria ser o próximo passo o rosado se afasta indo em direção a porta de seu quarto, sempre sendo seguido pelo maior que ainda se sentia confuso e atordoado.

Enquanto assistira o Park sentar na ponta de sua cama de casal ele se permitiu olhar os detalhes do quarto e tudo continuava tão gracioso quanto o dono dos lençóis brancos e penteadeira dourada.

- Você me ama Jung Hoseok? – Questiona Jimin agora encarrando o seu até então psicólogo.

-Desde o primeiro dia – Confirma de forma leve, tanto quanto sua alma se sentia naquele instante.

- Então fica comigo hoje? Me toque como você sempre disse que eu merecia ser tocado e me mostre que vale a pena viver mais um dia, mas me prometa que não vai partir me prometa que eu não ficarei mais sozinho.

-Eu prometo.

Em passos lentos ele se aproxima do garoto tão fragilizado a sua frente e por mais que sua mente lhe pedisse para parar que talvez esse não fosse o momento, seu corpo já não respondia a nada além daquela voz suave pedindo para que mostrasse que o amanhã poderia ser feliz e que apesar de tudo ele ainda poderia ter nele sua esperança.

Mais um beijo tranquilo foi dado e a pele do pescoço do rosado a qual sempre se imaginou tocando foi tomada com carinho por seus longos dedos, deslizando pelo tecido de algodão que envolvia a cama do outro ele permitiu que seu corpo exercesse uma pressão satisfatória entre ambos, logo os desenhos com formas abstratas estavam sendo traçadas nos músculos de sua barriga e apesar de surpreso o maior não tentaria desacelerar as coisas.

A cada peça de roupa removida gemidos e suspiros eram dados, era estranho que ambos se sentissem acolhidos? Era estranho que tudo não parecesse simplesmente sexo?

 E assim a última peça já se encontrava longe dos olhos de ambos, Hoseok por um minuto se permitiu morrer com a visão do corpo nú e constrangido do Park, e teve a certeza de que se aquele não fosse seu paraíso sem dúvida seria sua perdição. Jimin não se sentia diferente cada toque e gesto o faziam entender que todos os anos antes daquele momento, todo carinho que achou receber não eram nada, e percebeu que esteve tanto tempo cego que não nem mesmo havia notado o próprio coração chamando pelo nome do Jung.

Depois de tudo que o rosado havia passado Hoseok se sentia na obrigação de proporciona um momento confortável e prazeroso para o outro mesmo que se sentisse eufórico.

-Você tem lubrificante Chim?  - Sussurra.

- Na segunda gaveta ao lado da cama.

E poucos segundos depois seus dedos já estavam melecados pelo produto, enquanto fazia questão de beijar cada centímetro de pele exposta seu indicador já rodeava a entrada do menor que ao sentir o contato suspira em antecipação, após iniciar a penetração pode sentir o corpo abaixo do seu tencionar e em uma tentativa de aliviar o desconforto começa a masturbar o membro de seu companheiro lentamente, continuando a sessão de beijos ele passa lentamente a língua na glande rosada e inchada do Park e sem esperar introduz o segundo dedo em sincronia com o membro que agora tocava sua garganta, os urros e gemidos continuaram a aparecer gradativamente e quanto mais o moreno movia seus dedos e lábios mais o outro apertava os fios já doloridos de seu cabelo.

- Hobi por favor.

Agora sim o Jung compreendeu o significado da palavra limite, e o seu sem dúvidas era o pedido não só mudo como exclamado em bom som para que ele o tomasse, e acredite ele nunca se sentiu tão bem e nervoso ao mesmo tempo. Com toda sua paciência ele espalha o lubrificante no próprio membro e direciona a entrada já preparada do outro, inclinando seu corpo ele o beija, com todo amor que tinha guardado no último ano de sessão, o deslizar de sua intimidade contra o outro foi acompanhada de um urro quase grotesco tamanha a necessidade, a força com que os dedos de Jimin seguravam seus braços não chegava a machucar mais com o preocupavam e com o olhar ele pedia o consentimento para continuar, esse que foi dado com um leve acenar de cabeça.

Apesar do maior achar que era o único a estar tão envolvido e extasiado com o ato, o pequeno Chim não tinha forças para sequer pensar no que estava acontecendo com seu corpo e mente naquele exato momento, porque ele sentia como se estivesse sendo puxado do fundo abismo onde ele mesmo se colocou? Porque ele sentia como se sua mente e alma estivessem sendo resgatadas por um anjo? A única coisa que realmente passava por sua mente além do prazer atordoante era que se houvesse uma esperança de apagar tudo pelo qual ele já havia passado seria ao lado do homem que o ajudou durante muito tempo, ao lado do homem que lhe fazia seu naquele exato momento, os gemidos já estavam altos o suficiente para incomodar os vizinhos, mas quem se preocupa com isso estando a um passo do orgasmo?

E ele veio de forma devastadora em ambos os corpos o tremor e o calor provocados estavam sendo quase insuportáveis, com o peso de seu corpo sobre o do menor, Hoseok se deu a liberdade de puxar as cobertas e deitar puxando Jimin para seu peito orvalhado pelo suor.

Após longos minutos em silencio, Hoseok decide falar.

 

- Eu sei que eu não sou ele Jimin e sei que o que tivemos essa noite não apaga nada, mas eu volto a repetir que estou disposto a ficar se você assim permitir.

Com isso o silencia que segue é quase cortante ao maior e ele já estava se questionando se vir para a casa de seu paciente e transar com ele tinha sido a sua pior decisão.

 

- Hobi eu sei que sou a pessoa mais complicada pra você nesse momento e que eu quero que você fique por puro egoísmo e dependência mas eu sinto com todo meu coração que se existe uma salvação, se existe anjos andando entre nós e cuidado da pouca sanidade que restou nesse mundo atormentado por nós mesmos, ele está comigo durante todas as manhas de terça-feira e está comigo aqui e agora, eu não posso prometer estar bem quando o sol nascer amanhã ou daqui uma semana, mas prometo tentar ficar bem e principalmente prometo estar aqui todos os dias até que você permita, porque você é e sempre será o meu Dr. o meu JHope.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até o próximo beijinhosss

Outra fic minha que espero que visitem e gostem ❤️❤️

TAEGI: https://www.spiritfanfiction.com/historia/la-mia-stella-12871004


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...