História Drael: Drakkon's Redemption - Capítulo 1


Escrita por: e Mariachi

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Demonios, Dragões, Elfos, Fantasia, Magia
Visualizações 8
Palavras 2.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoal! Essa é minha primeira fic, fiquei dias revisando, e mudando para que ficasse legível para vocês, e também porque eu queria que ficasse algo bom já de primeira. Espero que gostem <3

Capítulo 1 - A New Beginning


Fanfic / Fanfiction Drael: Drakkon's Redemption - Capítulo 1 - A New Beginning


Era madrugada quando resolvi voltar para casa, não que a festa esteja ruim, só estava me sentindo cansada e um pouco bêbada.
- Como assim você já está indo embora? - Disse Jessy indignado.
- Pela primeira vez eu me sinto exausta, e infelizmente tenho minhas responsabilidades agora... - digo fazendo carinha triste
- Ora ora... então parece que você mudou mesmo - ele disse surpreso
- Eu só estou tentando não ser uma completa fracassada - eu disse com uma voz cansada - não quero que meu irmão tenha que cuidar de mim pra sempre.
- Entendo - disse o mais novo bebendo o resto da cerveja - então boa sorte amanhã!
Depois que nos despedimos, segui meu caminho, mas dessa vez resolvi pegar um atalho pelo beco, estava frio, e eu só estava com minha jaqueta. Enquanto eu caminhava pelo beco, ouvi um barulho estranho, pensei que fosse um gato revirando alguma lixeira, apenas ignorei, até que senti algo se aproximar de mim. Quando virei, congelei, senti minha pele ficar fria, me sentia paralisada, estava escuro e minha visão começou a ficar embaçada. Tinha uma sombra gigante na minha frente, eu conseguia ver olhos vermelhos, e um barulho...parecia um cachorro com raiva, aquela coisa estava rosnando para mim, eu comecei a me sentir fraca, como se fosse desmaiar, não estava sentindo minhas pernas direito quando ouvi uma voz.
- Elay'moran - gritou.
Eu estava deitada em algo macio, sentia um cheiro doce, algum tipo de perfume, era tão bom, aquilo me deixou relaxada.
- O que aconteceu? - digo com a voz fraca
- Ei não faça movimentos bruscos - a garota diz preocupada - Eu estava voltando para casa quando vi você desmaiada no chão, resolvi parar e te ajudar
Minha cabeça estava doendo horrores, parecia que eu estava queimando por dentro, não consigo me lembrar de muita coisa, está tudo embaçado pra mim.
- Obrigada, eu acho.
- Você precisa de ajuda para voltar pra casa? - ela pergunta - posso lhe ajudar se estiver tudo bem pra você.
Tento me levantar, mas sinto um enorme peso, a garota me ajuda, apoio o meu braço em seus ombros.
- Eu estou me sentindo horrível - eu digo me segurando na garota - parece que minha cabeça está queimando.
- Bem...eu acho que você estava saindo de alguma festa pelo cheiro de bebida, mas eu não sei nada sobre você, então não sei se estou correta.
- Sim, eu estava, mas não bebi tanto assim para desmaiar e me sentir dessa forma - eu digo
Eu realmente não usei nenhuma droga também, lembro que bebi bem pouco já que amanhã vai ser meu primeiro dia como garçonete no casino mais famoso da cidade e não quero me atrasar. Decido aceitar a ajuda da garota, minha casa não era tão longe, fomos em silêncio o caminho todo já que eramos ambas desconhecidas.
- É aqui? - ela diz se virando
Eu olho para a casa branca na qual havíamos parado e confirmo com a cabeça
A Garota bate na porta, até que somos atendidas pelo meu irmão mais velho, Sebastian, um homem alto de cabelos escuros, e olhos castanhos claro.
- Que merda você fez agora? - o mais velho diz enfurecido
- Eu juro que não bebi dessa vez! - sinto uma agulhada na cabeça - parece que minha cabeça vai explodir.
Sebastian me puxa para dentro de casa, fechando a porta na cara da garota.
- Sebastian! - eu digo indignada 
- Apenas cale a boca, idiota - ele diz sem se importar com o que fez
Sebastian me ajuda a deitar no sofá, ele tira todas as coisas e joga no chão.
- Fique deitada, eu vou preparar um chá pra você, como sempre - ele diz decepcionado
- Óbvio que vou ficar deitada - eu pensei - não é como se eu pudesse sair daqui
Depois de alguns minutos esperando ele voltar, Sebastian retorna com uma xícara de chá, o cheiro parece de algo vencido, parece que tinha algo morto dentro da xícara.
- O que diabos você colocou aqui dentro? - eu pergunto tampando o nariz
- Usei alguns ingredientes diferentes dessa vez, aprendi essa receita com nossa mãe.. - ele diz me olhando fixamente
- Nossa mãe ? - olho para ele surpresa
É a primeira vez que Sebastian menciona nossa mãe, ele nunca me disse o porquê, sempre escapou dos assuntos relacionados ao passado, e depois de um tempo eu também parei de perguntar já que não recebia respostas.
- Apenas beba, isso irá ajudar - ele diz sentando-se na cadeira
- Se você diz - eu bebo um gole do que tem na xícara
Eu posso ter reclamado do cheiro, mas o gosto é muito diferente, eu simplesmente não sinto gosto de nada, isso parece até água, me pergunto se isso é algum truque.
- Eu acho melhor você descansar, é seu primeiro dia no casino amanhã - ele diz - não quero que você se atrase como sempre.
- Eu sei - digo terminando o chá
Sebastian levanta e vai direto para seu quarto, enquanto fico deitada fitando o teto e pensando sobre o que aconteceu até que adormeço.
- Acorde - diz Sebastian abrindo a janela
- Ah.. meus olhos - eu digo cobrindo o rosto
Eu odeio quando ele faz isso, ele sabe que ainda não está na minha hora de sair para o trabalho, mas como sempre ele tem que ser babaca. Me levantei, resolvi tomar um banho antes de sair, a água estava gelada, não sei porque eu gosto de tomar banho frio de manhã cedo, meus amigos sempre acharam isso estranho, mas a verdade é que eu nem sinto tanta diferença. Depois de me arrumar para o trabalho, resolvo checar meu celular, e como sempre estou cheia de mensagens de Wendy, minha melhor amiga, uma garota muito animada que está sempre me ajudando com meus problemas.
                    Wendy: Bom dia campeã!
                    Wendy: Jessy me disse que você saiu cedo da festa, que milagre.
                    Wendy: Fico feliz que você esteja se esforçando para mudar!
                    Wendy: Espero que seu primeiro dia seja bom, ouvi dizer que tratam muito bem as garotas lá...
                    Wendy: Que tal nos encontrarmos no café mais tarde?
                    Isa: Jessy te contou sobre a festa então, huh?
                    Isa: Talvez eu esteja um pouco nervosa sobre o trabalho, mas vou ganhar uma boa grana, então...
                    Isa: Tenho que ir! Te vejo mais tarde
Depois de responder as mensagens, coloco uma música para não ficar tão entediante o caminho, e vou direto para o trabalho.
Chegando no casino, peço ajuda a uma mulher que estava no bar limpando os copos. Ela me dá instruções de como chegar na sala do chefe e me ajuda a chegar na sala dos funcionários. Deixo minhas coisas na sala, e vou direto encontrar o chefe.
- Com licença? - eu digo batendo na porta 
- Entre - ele diz 
Quando entrei, havia um homem sentado, estava usando um terno preto, seus olhos eram azuis-esverdeados, o homem tinha uma cara de sério, seu cabelo estava arrumado, tinha todas as características de um chefe milionário.
- Sente-se - o homem diz - Qual seu nome?
- Isabela Price, eu sou a nova garçonete - digo um pouco nervosa
- Me chamo Aidan, e como você já sabe, sou seu chefe - ele diz me olhando - Irei te explicar algumas coisas sobre o casino e suas regras, espero que consiga seguir tudo sem causar problemas.
- Claro - eu digo
Depois de alguns minutos de explicação, Aidan me conta tudo sobre o casino, suas regras, seus clientes, como eu deveria fazer meu trabalho. Fiquei um pouco nervosa pois era bastante coisa pra minha cabeça, como era meu primeiro emprego em um lugar tão chique, não sabia muito bem se eu iria me acostumar, e não quebrar alguma regra.
- Espero que tenha ficado claro o seu dever - Aidan diz
- Sim, chefe.
- Vá se trocar na sala dos funcionários e peça para que Liliam a ajude com suas tarefas - diz o chefe 
Assim que termino a conversa com o chefe, vou direto me trocar para o serviço, coloco uma saia comprida, e um colete. Após me trocar vou procura por Liliam, a bartender, encontro ela me esperando no corredor.
- Você estava me esperando? - eu pergunto
- Sim! O chefe me disse para te ajudar no seu primeiro dia, e pelo que eu sei você nunca trabalhou num casino - ela diz animada
Fiquei o dia todo trabalhando, e acompanhando Liliam que me ajudava, depois de algumas horas o casino começou a lotar, clientes regulares acabará de chegar, alguns apostadores populares estavam chegando também. Estava prestes a terminar meu serviço quando percebo uma multidão em volta de uma mesa, vários homens comemorando e gritando, fico intrigada e resolvo dar uma olhada.
- Você é uma trapaceira! - diz o velhote acusando a mulher
- Sinto muito, querido! Mas a culpa não é minha se você é tão burro de apostar tudo - diz a mulher rindo
Este homem está chamando a mulher de trapaceira, ele parece ser o tipo de cara que faz várias idiotices, só pelo tom de sua voz. A mulher me chama atenção, ela tem lindos cabelos e olhos vermelhos, eu nunca vi ninguém com tal tonalidade, são encantadores, e pelo visto esta mulher sabe como se vestir, está usando um lindo vestido preto. Fiquei a encarando por alguns segundos, até que a mesma encontra meus olhos, sinto meu rosto corar um pouco.
- Ei Docinho - diz a mulher
- Docinho... - pensei - essa mulher acabou de me chamar de docinho?
- Chegue mais perto, eu não mordo - ela termina a frase rindo baixinho
Sem saber o que fazer, me aproximo da mesa na qual ela está, alguns homens me dão olhares curiosos.
- Veja bem... este homem apostou tudo o que tinha, estava pensando em deixar isto um pouco mais interessante, gostaria de uma partida? - a mulher diz com um olhar desafiador - Se você ganhar, devolverei todos os seus pertences - diz apontando para o homem - mas se você perder, ficarei com tudo e ele será banido do casino.
Eu fico quieta por alguns segundos pensando, eu não sei muito sobre estes jogos, nunca fui uma excelente jogadora, mas pelo que eu aprendi com Sebastian, acredito que eu possa ajudar este homem.
- Eu aceito - digo determinada
- Ora ora, então temos uma jogadora aqui - ela diz animada
Eu sento ao lado do homem, a mais velha embaralha as cartas, o homem parece estar inquieto, todos que estão em volta da mesa parecem estar ansiosos para a partida. Eu estou começando a me arrepender de ter aceitado. Alguns segundos depois, a mais velha já estava com tudo pronto, ela estava calma, e eu já estava começando a ficar nervosa.
- Podemos começar ? - ela pergunta
- Claro
Começamos a jogar, aparentemente peguei uma mão boa, dou uma olhada por cima das cartas para ver sua expressão, aquela mulher está totalmente séria, não consigo saber se está com cartas boas ou ruins, mas passa um olhar confiante, garanto que deve ter algo maior em sua mão.  Ficamos jogando por mais ou menos meia hora, eu já estava começando a suar frio, sabia que não podia perder já que me envolvi no jogo deste homem. A mais velha descarta duas cartas, e aumenta a aposta, neste momento penso que ela está blefando. Olho para minha mão, e fico contente pois tenho um "Straight Flush", tenho certeza que irei ganhar e ajudar este homem, talvez eu fique até popular aqui no casino. Depois de cobrir a aposta, nós decidimos mostrar as mãos, eu estava confiante, resolvi mostrar minha mão primeiro.
- Straight Flush! - digo animada sorrindo
O homem olhava para mim com uma expressão de surpresa, as pessoas que estavam em volta ficaram boquiabertas, até que a mulher revela sua mão, e o silêncio tomou a mesa.
- Royal Flush - ela fala dando uma risadinha sarcástica
- O que?! - eu digo - eu tinha certeza que iria - fui interrompida pelo homem
- Que merda você fez, criança? - ele diz enfurecido - Você acabou com a minha vida!
- Eu só estava tentando ajudar! - eu digo de forma inocente
- Você vai pagar por isso!
O homem estava muito bravo, se levantou e foi embora, todos que estavam em volta começaram a comemorar mais uma de tantas vitórias da mulher.
- Ela é incrível! - diz um garoto pequeno assistindo
- É impossível ganhar desta mulher - diz uma jovem 
- Não é atoa que a chamam de Dama de Copas! - diz um homem velho
- Dama de... Copas? 


Notas Finais


Bom pessoal, ainda estou trabalhando no resto da história, talvez demore um tempinho para sair o capítulo dois, espero que tenham gostado!

"Straight Flush" = Cinco cartas em ordem numérica, todas do mesmo naipe.
"Royal Flush" = Royal Flush, que consiste na sequência de Ás, Rei, Dama, Valete e Dez do mesmo naipe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...