História Dragões Reais - Capítulo 56


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Kankuro, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rock Lee, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Cavaleiros, Dragões, Naruto, Reis
Visualizações 10
Palavras 2.457
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal, não tenho motivos específicos pra ter demorado tanto em postar, então não vou ficar me repetindo com as mesmas desculpas. Vamos logo ao capítulo! ^^

Capítulo 56 - A filha do Conde: primeiro movimento


Na manhã seguinte, Sakura se despedia dos amigos com um largo sorriso no rosto; nada poderia abalá-la depois da noite anterior.

- A vida de casada lhe cai bem, senhora Uchiha. – Kazumi se aproximou sorrindo de lado ao vê-la corar levemente; fez uma leve reverência ao cumprimentá-la.

- Ah, Kazumi. – Chamou-a para mais perto afim de confidenciar algo. – Eu sei que não devia dizer isso, ainda mais para Vossa Alteza, princesa, mas ontem foi a melhor noite da minha vida. – Segurou os risinhos ao abafá-los com a mão.

- Bom, o sorriso em seus lábios diz tudo. – Arqueou uma das sobrancelhas.

- Sasuke foi tão gentil. – Sorri apaixonada ao olhar na direção do marido. – Ele mesmo fez questão de me levar até nossa casa. – Suspirou sentindo uma ansiedade boa.

- Soube que Gano é uma boa região. – Pigarreou um pouco relutante, pois a hora da despedida se aproximava e não sabia como agir naquela ocasião. – É um pouco afastada, mas sua posição é bem estratégica. – Percebeu que era encarada com um pouco surpresa por parte da rosada. – Claro, as paisagens marítimas são muito bonitas também. Pelo menos é o que dizem. – Desviou o olhar para baixo dando de ombros. – Eu nunca vi, então... – De repente suas palavras foram interrompidas ao sentir os braços finos dela ao redor de seu pescoço. – Sakura! – Assustou ao ponto de ficar imóvel, com as mãos para cima. – O-o que está fazendo? – Rapidamente olhou na direção onde Sasuke se encontrava, sabendo que encontraria uma tremenda carranca de reprovação.

- Sua boba. – A voz chorosa de Sakura a assustou ainda mais. – Não precisa agir dessa forma.

- E-ei. – Tentou afastá-la, delicadamente, mas sentiu os braços apertarem mais ao redor de seu pescoço. – Eu só disse...

- Acha que nunca mais vamos nos ver? – Afastou-se enxugando as lágrimas.

- Bom... eu não sei. – Pigarreou levando a mão à nuca. – Você é uma mulher casada agora; tem outras prioridades. – Terminou sussurrando sem graça.

De repente Sakura puxa a adaga que pegou escondida do cinto de Kazumi, pronta a fazer um corte na palma da mão.

- Mas o que está fazendo? – A Hatake arregalou os olhos em total espanto, chegando a tempo de impedi-la. – Ficou louca? – Resmungou puxando a adaga e escondendo-a em seu cinto; olhou ao redor para ter certeza de que Sasuke não presenciara aquele momento débil da esposa.

- Eu quero que entenda que nossa amizade continuará mesmo que não estejamos perto uma da outra. – As esmeraldas eram intensas, suficientes para acuarem a jovem princesa e deixá-la desconfortável. – Onde quer que estiver, eu estarei com você. – Estendeu a mão repetindo as palavras que lhe foram proferidas anteriormente, sem deixar, claro, o sorriso desafiador de lado.

Ali, naquele momento, naquele breve momento, Kazumi entendeu que havia encontrado uma amiga para toda vida. Sakura não era, nem de longe, a pessoa esnobe que pensou que era, muito menos achou que seria alguém com coragem para propor um acordo de sangue por algo que, particularmente, acha tão trivial. Depois de absorver aquela lição, não pode deixar de sorrir com a certeza de Sasuke teria problemas com a personalidade forte da esposa que arrumou. Mediante a isso, pegou a adaga e fez um pequenino corte o dedo indicador dela, e outro em seu próprio dedo, selando o acordo eternamente.

- Sakura! – O Uchiha vinha correndo ao ver a gotícula de sangue que pingou na terra, como prova de que o pacto havia sido firmado. – Você está bem?

- Estou ótima, querido. – Lançou um olhar desafiador para a Hatake.

- É claro que está. – Rebateu a provocação ao arquear uma das sobrancelhas.

- Um acordo de sangue? – Neji sorriu provocativo ao moreno que, mesmo depois de tudo o que passaram, ainda relutava em aceitar Kazumi. – Acho que seus temores se realizaram, Sasuke. – Pousou a mão no ombro do amigo.

Por mais que seu rosto demonstrasse indiferença, interiormente Sasuke estava mais preocupado com as consequências daquele “acordo”, uma vez que conhecia a personalidade da rosada ao tentar persuadi-lo.

- É melhor irmos. – O Uchiha inspirou profundamente já abrindo a porta da carruagem.

- Sim. – Sakura sorriu para o marido. – Até mais ver. – Acenou para os amigos antes de adentrar a carruagem.

- Façam boa viagem. – Kakashi sorriu cumprimentando o Uchiha.

- Certamente, Majestade. – Reverenciou em agradecimento.

- Não se esqueçam de nós, irmão. – Naruto estava visivelmente choroso com a despedida.

- Não estou indo embora para sempre. – Sasuke revirou os olhos, mas bateu a mão no ombro do amigo, sorrindo. – Vou levar Sakura até nossa casa e retorno em alguns dias.

- Vocês podem nos visitar quando quiserem. – Sakura apareceu na janela da carruagem ao ouvir o drama do loiro. – E Naruto, não se esqueça de convidar a princesa Hinata.

- Eu vou! – Acenou ao ver o cocheiro estalar o chicote no ar para os cavalos seguirem.

- Estaremos esperando seu convite de casamento! – A senhora Uchiha acenou já com lágrimas nos olhos.

- É melhor virem ao meu casamento! – O loiro saiu correndo atrás deles enquanto gritava com a voz embargada pelo choro.

- Ele nunca vai crescer, não é? – Neji se resumiu apenas a um aceno discreto.

- E você tem alguma dúvida? – Kurama suspirou pesado ao ver o loiro tropeçar em uma pedra pelo caminho.

- É melhor ir buscá-lo. – Gaara soprou uma risada.

- Antes que ele vá correndo até Gano. – Shukaku esboçou um pequeno sorriso ao ver o descontentamento de Kurama por ter que agir como uma babá.

Quando a carruagem sumiu de vista todos se dispersaram para seus afazeres, exceto Kurama que saiu atrás do loiro, com receio que acabasse seguindo-os até a província de Gano.

- Kazumi. – Kakashi acenou discretamente para a prima.

- Pode levar Kaminari, por favor? – A jovem entregou a rédea do cavalo a Lian.

- Estarei esperando na sala de treino. – O moreno maneou a cabeça para ela e, antes de sair, fez uma leve reverência ao rei.

- Como está? – O grisalho se aproximou sorrindo ao vê-la responder ao seu chamado.

- Muito bem, Majestade. – Maneou a cabeça em uma quase imperceptível reverência.

- Gostaria de agradecer por ter aceitado meu convite de ontem.

- Foi uma honra, Majestade. – Maneou levemente a cabeça, porém, incomodada com aquela conversa.

- Eu gostaria que se juntasse a nós para o jantar hoje. Minha mãe gostaria de lhe falar e eu quero que conheça uma pessoa. – Sorriu um pouco sem graça de fazer um convite abertamente, sem as formalidades condizentes ao seu título.

- Eu fico grata, Majestade, mas acredito que não seria conveniente me sentar à mesa com o Rei e a Rainha-mãe.

- Não se preocupe, haverá outros convidados. A rainha Hyuuga e a princesa Mitsashi se juntarão a nós, além dos Dragões Reais. Lian e Ellaris estão convidados se quiserem ir também.

- Então... – Inspirou por um breve momento. – Se é assim, estarei lá. – Fechou a mão em punho batendo no peito antes de se retirar.

....

No salão principal, Kakashi e os Dragões Reais já estavam à mesa conversando sobre coisas aleatórias, quando ouviram o servo anunciar a entrada de Kazumi. O Hatake se adiantou em vir ao encontro dela com seu sorriso, enquanto que os cavaleiros se levantaram fazendo uma leve reverência.

- Princesa Kazumi. – Beijou-lhe o dorso da mão trazendo-a para a mesa. – Está magnífica! Vocês não acham? – Riu para os Dragões enquanto puxava a cadeira para ela se sentar ao seu lado.

- Certamente uma linda flor. – Tsunade comentou com um sorriso quase imperceptível.

Como iria estar na presença do Rei e seus convidados, achou sensato usar algo mais formal e, já que a única pessoa que poderia ajudá-la a se arrumar adequadamente não estava mais ali, Lian se dispôs a arrumá-la do jeito que, segundo ele, era o que os draconianos usariam em uma cerimônia formal. Sua sorte foi que Ellaris, em um ínfimo momento de complacência, ajudou-a a se arrumar com o vestido que Sakura havia lhe dado antes de partir, provavelmente já prevendo que o convite viria mais tarde.

O tecido não era chamativo, mas ainda assim realça seu pescoço e o colo avantajado, devido o decote ombro a ombro. O cabelo ficou solto, já que Ellaris não estava com disposição para adorná-lo mais do que com algumas presilhas, mas foi suficiente para encher os olhos do grisalho.

- Kazumi! – Naruto parecia estarrecido com aquela transformação brusca. – Uau, você está diferente! – Sorriu ao vê-la mais bem arrumada, realçando sua feminilidade.

- Isso não são modos de se referir à princesa, Naruto. – Neji o cutucou nas costelas para que voltasse a se sentar. – Queira desculpá-lo, Vossa Alteza. É um prazer tê-la em nossa companhia. – Curvou a cabeça em respeito.

- Tudo bem, não precisa de formalidades comigo. – Ela estava corada com tanta atenção.

Gaara a cumprimentou silenciosamente, mas isso não significou desinteresse de sua parte, muito pelo contrário, o tom claro de seus olhos se tornaram um verde escuro, enegrecido, como se estivesse enfeitiçado.

Numa análise um pouco mais minuciosa e discreta, percorreu toda a extensão do rosto liso, totalmente oposto ao rosto coberto que lembrava de Toushirou. O cabelo, antes com fios rebeldes e mal amarrados sobre os ombros, agora estavam bem escovados e brilhosos, alcançando a altura do quadril. Mas o que lhe chamou a atenção, e que lhe rendeu uma calça mais apertada, era ver o quão aquele rosto angelical ficou corado quando percebeu ser o alvo de seus olhos libertinos.

- Vossa Alteza se sente bem? Sua feição parece febril. – Neji era culto em suas palavras, mas denotava uma certa provocação, pois, por mais que Gaara tentasse esconder o sorriso maroto com o gole de vinho, nada escapava de seus olhos.

- Estou bem, só... não estou acostumada a tanta atenção. – Seu comentário foi na mais pura inocência, mas os homens sorriram enviesados.

- Não se acanhe, minha querida. Uma flor tão linda não se deve culpar pelos olhares que recebe. – Tsunade não deixou o tom divertido de lado, constrangendo o ruivo como se pudesse ler seus pensamentos libidinosos.

- A Rainha-mãe está certa: és a moça mais linda do reino de Thurgon. – Kakashi sorriu pousando sua mão sobre a dela

Ao ver a mão do rei tocando Kazumi daquela forma, a seu ver, deveras indecente, Gaara franziu o cenho pigarreando em total irritação. Surpreendeu-se com aquela raiva que acendeu em seu interior, implorando para que se levantasse daquela cadeira e a afastasse dele. Não, não só dele, como de qualquer outro homem que ousasse tocá-la com tamanha facilidade, como o rei fazia desde a festa de casamento.

Na verdade, agora que aquele assunto retornara em sua mente, mais tarde a questionaria sobre os motivos que a levaram aceitar tal convite, sabendo que aquilo traria consequências, como esta falta de pudor que vinha de Kakashi, por entender que estava em seu direito de primo. Falta de pudor esta, que ele próprio não suportava olhar.

Porém, devido aos bons modos, aos acordos e ao seu próprio título de Dragão Real que o impediam de se levantar dali, seja para evitar continuar aturando tal deboche ou para afastá-la dele, o ruivo preferiu alcançar sua taça de vinho e afogar o gosto amargo que se formou em sua garganta.

-... veio de Kasdan especialmente para passar mais tempo com você. – Kakashi falava sorridente ao alternar o olhar entre a mãe e a prima.

- É muita gentileza de sua parte, Majestade. – Kazumi puxou a mão ao virar na direção da rainha para agradecê-la. – Não precisava se incomodar tanto.

- É um prazer, querida. – Saudou com a taça de vinho antes de beber; não pode deixar de notar como Kazumi tentava afastar Kakashi.

- Pretendo fazer um anúncio formal aos nossos aliados, onde Kazumi será apresentada como princesa de Kasdan. – O grisalho sorriu aberto aos Dragões e a mãe como se pedisse sua opinião.

- Seria grandioso, meu filho. – Tsunade sorriu em comum acordo.

- Majestade, eu prefiro... – Antes que pudesse contestá-lo, o servo apareceu anunciando a chegada das Damas.

- Sejam bem-vindas. – Kakashi se levantou para cumprimentá-las.

- É bom vê-lo em tão boa saúde, Majestade. – Hinata, com toda a delicadeza de uma nobre, curvou-se ao cumprimentá-lo. – Gostaria de aproveitar a ocasião para agradecer a ajuda que disponibilizou à Midgard e ao meu povo. – Indicou que seu servo se aproximasse com a pequena urna. – Espero que seja de seu agrado, Majestade. – Revelou um colar confeccionado pelos Elfos artesãos, todo encrustado com as pedras preciosas que são encontradas apenas nas terras de Arandae.

- Fico grato pelo presente, Majestade. – Aceitou já o colocando. – Certamente o usarei sempre. – Sorriu indicando as cadeiras vazias para ambas.

- Fico feliz em vê-la aqui, princesa Kazumi. – Hinata, muito simpaticamente, cumprimentou a jovem.

- É bom vê-la também, Vossa Majestade. – Imediatamente levantou-se para uma reverência.

- Eu não esperava encontrá-la aqui, princesa. – Tenten tomou assento ao lado do noivo, enquanto encarava a Hatake com certa surpresa. – O ambiente da corte não lhe cai bem também.

- Tenten. – Neji a repreendeu serenamente.

- Não me entendam mal, Majestades. – Riu ácida. – Mas nós, de Paladinboar, temos outra visão de realeza, totalmente oposta à que Tarmalok demonstra. Digamos que somos mais... – Parou com se buscasse uma palavra que pudesse expressar o que pensava naquele momento. –... realistas. – Sorriu de lado sem desviar, um único segundo, a atenção da Hatake.

- E diretos, também por dizer. – Tsunade comentou divertida, mudando o rumo daquela conversa. – Kakashi, peça aos empregados para nos servirem. Estou ansiosa para que a Rainha Hyuuga prove de nossa boa comida. – Viu a morena assentir com um sorriso e um manear.

De repente, as portas se abriram e um servo adentrou o salão todo ofegante e relutante, temeroso de interromper a refeição do rei daquela maneira brusca.

- Majestade a senhorita Yamanaka Ino, filha da Condessa Yamanaka, está aqui. – O pobre servo anunciou à plenos pulmões como fora exigido pela loira.

- Ino? – Até mesmo Gaara pareceu surpreso com a chegada da moça.

As portas se abriram revelando a figura esguia da moça de pele alva, dentro daquele vestido preto, carregado de sentimentos pelo luto tão conformado: o cabelo loiro comprido estava preso com tranças grossas e ornado com poucas presilhas. No seu rosto não havia expectativas de felicidade ou gentileza, insinuava um olhar de fria polidez, devido à educação religiosa a que fora submetida desde muito cedo, e muita superioridade herdada do lado de seu pai. Com ares absolutamente enrijecidos e passionais, a primeira coisa que fez ao adentrar o salão, foi buscar aquela pessoa; sorriu internamente ao perceber que sua presença a deixou levemente inquieta e, o brilho maldoso de seus olhos azuis foram suficientes para que entendesse o motivo de seu comparecimento àquele jantar.

- Meu Rei, minha Rainha... – Curvou-se elegantemente. – Fico grata pelo convite.


Notas Finais


Até o próximo capítulo (provavelmente Domingo)!
Abraços!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...