1. Spirit Fanfics >
  2. Dragon Ball Assemble >
  3. Capítulo 107 - Redenção! Um Mundo de Paz!

História Dragon Ball Assemble - Capítulo 107


Escrita por:


Notas do Autor


No capítulo anterior, Cumber, Broly e Lord falham em derrotar Infinite Zaiko, sendo brutalmente derrotados. Bologne se levanta, partindo num ataque final contra Zaiko, em vão. Piccolo se coloca de pé, ao ouvir as súplicas de Bologne, que dispara rumo a tenda, trazendo o corpo junto de si. A Tropa de Raditz chega, segurando Zaiko enquanto Piccolo desfazia o selo e revelava as Esferas do Dragão do Fim, trazendo a tona Saigo No Shenlong, ao pedir para trazer Goku, filho de Uub, de volta a vida.

Saigo No Shenlong não possuía acesso ao Outro Mundo, não podendo trazer a alma de Goku por meios convencionais. Eis que Piccolo concede sua expectativa de vida para quebrar as regras do Outro Mundo e trazer Goku de volta. O guerreiro renasce, recebendo a energia de todos ali presentes, os quais depositavam suas esperanças nele. Ao se despedir de Bologne, ele desperta seus poderes Majin e inicia seu confronto final com Zaiko, pretendendo cumprir a profecia. Nova Sadala é partida ao meio!

Capítulo 107 - Capítulo 107 - Redenção! Um Mundo de Paz!


Fanfic / Fanfiction Dragon Ball Assemble - Capítulo 107 - Capítulo 107 - Redenção! Um Mundo de Paz!

Cap 107.1 - O Anjo Maligno!

"Yo! Bizuna-Chan..." - Kabu, de cabelos pretos bagunçados, trajando armadura verde por cima da malha azul, vestia botas vermelhas e tinha uma cauda Saiyajin presa a cintura - "Fiquei sabendo que foi chamada para uma reunião particular com Giblet-San nesses últimos dias..." - ele se senta ao lado da Saiyajin, nos jardins do Planeta Gnark, utilizado previamente antes da revolta de Giblet em Nova Sadala 

"Eu não posso falar sobre isso..." - a Saiyajin de cabelos curtos e olhos pretos, trajando armadura marrom por cima da malha preta, responde - "Você acha que eu não percebo? Você sempre está a espreita, Kabu... parece estar planejando algo, como sempre..."

"Hahaha! Eu apenas sou um ser contemplativo, Bizuna-Chan..." - ela passa a mão no rosto dela, se levantando - "Se eu acho que seria um líder melhor que Giblet-San? Talvez... mas como não tenho muitos simpatizantes..." - Kabu sorri seu sorriso psicótico de sempre - "Acho que assim está bom!" - ele se via na fila lateral de Saiyajins - "Ao Poder Ilimitado! A Giblet-Sama!" - todos erguem seus punhos, ao bradar por seu líder 

Mesmo sendo alguém controverso, Kabu podia se sentir parte de algo. Mesmo sendo ambicioso demais para tal. Mirai, Girai, Shtoh, Pima, Bizuna, Nira, Calum, Nazna, Yago, Bologne, Risello, Yasshimo, Biwasa, Kaleaf, Purika. Todos estavam ali, erguendo seus punhos. Giblet jazia solene, como sempre. Ao seu lado, Shiro, seu inseparável Braço Direito:

"Chegou o momento, meus caros Saiyajins..." - Giblet passeia os olhos por todos ali presentes - "Hoje, nossa Revolução Definitiva se inicia! Hoje iremos revelar tudo aquilo que construímos nesses últimos anos..." - Giblet ergue seu punho para o alto - "Quando tudo isso terminar, o Poder Ilimitado será nosso... e NINGUÉM MAIS IRÁ SOFRER!!!"

"Ao Poder Ilimitado! A Giblet-Sama!" - os Saiyajins bradam, com Kabu fitando Giblet nos olhos enquanto o fazia, deixando Shiro levemente desconfortável - "Ao Poder Ilimitado! A Giblet-Sama!" - o que se seguiu após esse dia, foi a invasão de Giblet a Nova Sadala e a revolta definitiva contra os outros Líderes Saiyajins, inocentando as suspeitas a respeito de Karrkaz, que estava sendo usado por Shiro

"Giblet-Sama... Kabu acaba de retornar de Nova Sadala. Ele trouxe Bizuna junto de si..." - Shiro o comunica em seu trono - "Mas ela está bastante ferida... só sobreviveu porque Kabu a fortalecia com a sua energia... Curioso, não?" - Giblet se levanta e segue até eles, contemplando Bizuna recebendo cuidados de Zero, em uma maca em seu laboratório

"Você fez um bom trabalho a trazendo de volta, Kabu." - Giblet se coloca ao lado do Saiyajin mais inteligente de sua tropa - "Coletou alguma informação valiosa no tempo em que esteve no Planeta Pinich?" 

"Considerando que fiquei preso a maior parte do tempo, não foram lá grandes coisas..." - Kabu revela - "Se digo que fiz algo de útil, foi matar aquele Namekuseijin que se auto-denomina Deus, por assim dizer..." - Kabu dá as costas para Giblet e segue caminhando para fora do laboratório - "Não se preocupe, ela é toda sua, "Giblet-San"..." - horas mais tarde, Kabu retorna ao laboratório de Zero, sabendo de sua rotina, bisbilhotando seus computadores enquanto ele não estava - "Preciso terminar meu projeto antes que seja tarde demais! "Giblet-San" já suspeita de algo..." - ele passa despercebido por todas as defesas implantadas por Zero

"Alto lá, Bizuna-Chan..." - Kabu a arremessa contra a parede e beija seus lábios a força - "Não vamos querer problemas com Giblet-Sama, não é mesmo?" - confrontado, ele a provoca - "Todo mundo sabe que você é uma vadia! Eu só a trouxe comigo para você passar a ser a "minha vadia"!" 

"Cale a porra da boca agora se não quiser morrer..." - a figura de Giblet surge através das sombras - "Eu tolero sua personalidade frágil, Kabu... mas se continuar a ofender uma mulher na minha frente..." - ele move seu braço, partindo a espada na cintura de Kabu em pedaços - "...terminará da mesma maneira que essa espada..." 

"Minhas desculpas, Giblet-Sama..." - Kabu faz uma reverência - "...o problema é que Bizuna anda muito sorrateira. Ela anda por aí como se tivesse permissão para fazer o que bem entende! Lembre-se que ela foi cativa dos Saiyajins do Planeta Pinich por um tempo, então é natural desconfiar que ela possa ser uma agente dupla..."

"Se seu desejo por manter a ordem é tão voraz, devia ter trazido essas informações a mim e não ficar correndo atrás dela como um maníaco..." - Giblet caminha até Bizuna, colocando seu braço em torno do ombro dela - "Vamos, Bizuna... ele já aprendeu a lição..." 

"O-Obrigada, Giblet-Sama..." - ela faz uma reverência, seguindo junto de Giblet para longe de Kabu, o qual permanece parado de forma estática até eles sumirem de vista... 

"Por que você não morre?" - Kabu vê o corpo de Piccolo todo perfurado por seus tiros - Por quê? - as lágrimas escorrem

"Por que eu o perseguirei até mesmo no Inferno, seu imundo desprezível!" - Piccolo vocifera

"Anda logo... me mata! Me Mataaaaaaa!!" - Kabu implora, vendo que não tinha mais salvação, esperando que seu projeto secreto cumprisse sua verdadeira missão

"Com todo o prazer..." - Piccolo estende ambos os braços, agarrando a cabeça de Kabu com suas garras e a arrancando fora, fazendo jorrar sangue pelo ar - "Isso foi por Sesamy, seu filho da puta..." 

"Acharam mesmo que estavam nos enganando esse tempo todo, não é mesmo?" - Giblet tinha apetrechos cibernéticos em ambos os braços, no inciar da Grande Guerra Saiyajin - "Assim que "Bizuna" foi examinada por Zero, já descobrimos do que se tratava!" 

"Se descobriram, por que não me mataram assim que tiveram chance?" - Piccolo se pronuncia, ao lado de Zorn, na Divisão de Rastreio 

"Eu sou paciente... eu podia esperar a hora certa, Piccolo-San..." - Giblet mantinha sua mente calma, mesmo em uma situação tensa - "Kabu, aquele imprestável o qual você matou... ele pretendia usurpar meu trono assim que tivesse chances. Como não queria sujar minhas mãos com o sangue podre dele, deixei que você fizesse os serviço!" 

"Whaaa..." - Yuki recebe os tiros no peito, caindo para trás, em meio a poça de sangue - "Seu... maldito..." - ele vê a figura do Saiyajin projetada de forma fantasmagórica, em energia azul - "Depois de todo esse tempo..."

"Olá, Yuki-Kun... mande um abraço para seu irmão, Draugon!" - Kabu se revela, com o corpo feito de pura energia azul, com suas asas de borboleta a se agitarem, após o despertar do projeto criado nos computadores de Zero - "Ah, é mesmo... você não vai sobreviver para fazer isso!" - Kabu então se vira para Zero - "E você, Zero... só o deixarei vivo porque foram seus experimentos que possibilitaram o meu retorno!" - Kabu some de vista ao disparar em alta velocidade

"O primeiro já foi..." - a figura fantasmagórica de energia azul, com suas asas abertas, se revela, pisando sob o corpo fraco de Giblet, ao apontar a pistola para sua cabeça - "Agora só falta o outro! Hahaha! Por essa você não esperava, não é, "Giblet-Sama"!? - Kabu, o Saiyajin que voltara do além, cumpre sua missão - "Não adianta..." - ele via a mão de Giblet procurar por Shallot - "Ele já está morto! Hahahaha!"

--- Contemplem o resplandecer de uma Nova Era... - Kabu pisoteava a cabeça de Giblet contra o solo, tendo perfurado seu corpo em vários lugares, ao torturá-lo - Eu esperei por esse momento durante muito tempo! 

--- Você é apenas uma lembrança... - Giblet murmura, ao receber um novo chute na coluna - Sua ambição não é forte o bastante...

--- É isso o que veremos, ou melhor... o que eu irei ver! - Kabu aponta sua pistola para a cabeça de Giblet - Suas últimas palavras, "Giblet-San"...

--- Sai de cima dele, seu imundo desprezível! - o canhão de energia dourada eclode, varrendo o local, ao arremessar a figura de Kabu longe - Giblet-Sama... - Bizuna se revela, sob os poderes do Super Saiyajin Nível Dois, já de armadura destruída, vestindo somente uma malha preta, a qual marcava suas curvas - Sobreviva, Giblet-Sama...

 

Cap. 107.2 - O Milagre!

Segundos depois, Bizuna e Kabu disparavam em alta velocidade. Os tiros de energia dourada colidiam com os disparo azuis das pistolas de energia do fantasma de Kabu. A primeira, a dama que conquistara o coração do Saiyajin de determinação inabalável, a qual o traíra ao final de tudo. O outro, aquele que atingirá o Poder Ilimitado e criará um reinado de terror, Kabu, o Anjo Maligno!

--- Você não irá conseguir, Kabu! Irá morrer pelas minhas mãos, assim como seu eu original foi morto pelas mãos de Piccolo-San! - ela dispara uma esfera de energia, rompendo os tiros e seguindo num rasante diagonal 

--- Então foi aquele amaldiçoado quem matou o meu original... - Kabu procura em seu banco de dados as informações, vendo que havia o matado em vida - Curioso... então ele retornou das cinzas... 

--- Você mal imagina como... - Bizuna jazia com os braços envoltos em energia azul, ao disparar o supremo canhão de energia - Maiden... Execution!! - Kabu desvia por um triz, revelando duas pistolas sob seus punhos fantasmagóricos, ao disparar a saraivada de tiros - Você não é rápido como o original! É apenas uma memória vazia!

--- Não se preocupe, "Bizuna-Chan"... - Kabu disparava a toda velocidade, com a Saiyajin voando em ziguezague ao desviar dos tiros - Após matá-la, seguirei até o falso Deus e o matarei novamente! "E assim será"!

--- Hoooaaaaaaa!! - ao carregar seu Ki, ela dispara o colossal canhão de energia azul, rompendo a torrente e tiros - Final... Maiden Execution! - Kabu é atingido em cheio - Seus novos objetivos jamais chegarão a se concretizar, Kabu. Piccolo concedeu sua vida para trazer Goku de volta a vida! Sua energia sumiu ao a de Goku retornar! Você jamais sentirá o sabor da vingança, mas eu... - pressionando os punhos e arqueando as costas, ela revela o Nível Três, no eclodir de energia 

--- Hahahahaha! Acabou, "Bizuna-Chan"... - Kabu se revela em frente ao corpo de Giblet, que não conseguia mais se mover, ao efetuar o disparo - Seu amor não correspondido... aquele que você daria a vida para proteger, não está mais aqui! - a figura fantasmagórica de Kabu, de cabelos a se agitar e asas de borboleta a tremeluzirem

--- Mesmo sendo um fantasma, você é tangível... - Bizuna, cabisbaixa, murmura - Mesmo sendo um fantasma, você é tão desprezível como costumava ser! Você jamais será um líder e você sabe disso! Sua inteligência de nada serve, se não há humanidade em seu coração! Giblet-Sama sempre prezou por aqueles que estiveram ao seu lado... - Bizuna dispara, de longos cabelos a se agitarem - E isso você nunca terá! Haaaaaaaa!! - ela reúne toda a energia que possuí em seu punho, o movendo em seu ataque final 

Bang! Bizuna atinge o soco de alta potência no peito do fantasma de Kabu. O tiro de Kabu atravessa o estômago de Bizuna. O Anjo Maligno desfalece, ao o buraco se revelar. As partículas de energia se dissolviam, enquanto ele encarava sua solidão:

--- Hum... É você novamente, escuridão? - o fantasma não podia enxergar mais nada, só sentir sua vida sendo ceifada - Eu não tenho medo... você foi minha única amiga durante toda a minha vida mesmo... - o revolucionário das trevas cai, com seu corpo se desfazendo ao chão 

Bizuna se arrastara até o local onde Giblet e Shallot estavam, ambos mortos. Ela contempla o braço de Shallot estendido por cima da cabeça de Giblet. Ela abre a mão fechada do Saiyajin e contempla a bala feita de energia se dissolver, enquanto a palma de sua mão jazia banhada em sangue. O tiro que ceifaria a vida de Giblet pego desviado por Shallot no último segundo. A Saiyajin se perguntava como, mas não encontrava uma resposta. Shallot estava morto, mas milagrosamente salvara seu irmão da morte.

--- Você vai ficar bem, Giblet-Sama... - Bizuna o pega em seus braços, ao abraçá-lo, com lágrimas escorrendo - Quando tudo isso acabar, viveremos juntos... longe de tudo... uma vida comum...

 

Cap. 107.3 - O Pirata do Espaço e o Mundo de Paz!

O Saiyajin tinha uma perna de pau, coberta parcialmente pelo sobretudo cor de vinho. Ele caminha pelos campos gramados ao descer do zeppelin estacionado logo atrás. O céu era claro, com apenas algumas nuvens brancas aqui e lá. Ele contempla a pequena casa no alto da colina, seguindo rumo a escadaria, quando dois pequenos Saiyajins a descem correndo:

"Papai! Papai!" - Giblet Jr., trajando armadura azul, pula num abraço, quase o derrubando - "Que bom que voltou! A mamãe já tava ficando preocupada!"

"É, que bom que voltou!" - Shallot Jr., irmão gêmeo de Giblet Jr. puxa as vestas do pai, ao sorrir - "Você mal sabe o quão poderoso nós ficamos nas últimas semanas!" - eis que a grande patriarca se revela sob a porta da humilde casa 

"Obrigado pela recepção, meus filhos..." - Giblet faz um cafuné em cada um, seguindo junto de ambos em direção a Bizuna, que trajava um vestido preto - "Será que sua mãe já preparou a comida? Eu realmente estou faminto!" - ele sorri, quando beija Bizuna nos lábios

"Como foi a reunião na Confederação de Comércio da Galáxia do Norte? Conseguiu algum comprador?" - os olhos de ambos se encontram, estando em perfeita sintonia 

"Sim, nossas colheitas gerarão bons frutos, Bizuna..." - Giblet se vira, junto de todos, ao contemplar as grandes plantações que jaziam além de sua casa - "Eles estão surpresos como mantemos um plantação tão grande com pouca mão de obra! Hahahaha!" - o Saiyajin retira seu cachimbo do bolso e o coloca na boca, acendendo e dando uma baforada de fumaça

"Isso é porque nós somos mais rápidos que os outros, não é, papai?" - Giblet Jr. indaga 

"Na verdade é porque eu sou mais rápido que você, Giblet!" - Shallot Jr. provoca, o encarando, quando num piscar de olhos, ambos disparam em alta velocidade pelos céus, deixando Giblet e Bizuna a sorrir na varanda, em pleno estado de paz

"Meu irmão..." - Giblet jazia ajoelhado em frente a estátua que construirá em frente ao túmulo de Shallot, não tão distante de sua casa - "Nova Sadala nunca teve tempos de paz comum como tem hoje... isso tudo se deve a você. Eu penso nisso todos os dias... se não fosse o milagre criado por suas mãos, eu jamais estaria aqui. Eu jamais obteria redenção..." - a estátua de Shallot se mantinha estática, embora as sombras formadas pela luz do sol fizessem parecer que ela estava sorrindo - "Obrigado por tudo, irmão..."

O Saiyajin acorda de seu sonho. O planeta jazia em colapso devido ao confronto final entre Zaiko e Goku. Ele se via nos braços de Bizuna, que sangrava em grande quantidade da ferida no abdômen. Sem perna e com o corpo perfurado demasiadamente por tiros, ele sentia sua vida se esvaindo:

"Não morra, Giblet-Sama... por favor..." - as palavras se tornam audíveis, quando ele sente as lágrimas caindo em seu rosto - "Eu sempre te amei, mas nunca tive coragem de contar... me desculpe por ter que ser assim..."

"Eu... eu sinto o mesmo, Bizuna..." - Giblet levanta o braço, colocando a mão sob o rosto da Saiyajin - "Viva em paz, porque eu também partirei em paz... sabendo o que é o amor..." - sua mão escorrega, caindo amolecida para o lado 

Os receptáculos falhos de Yin e Yang estavam mortos. Giblet e Shallot se reencontrariam no Salões da Eternidade, para onde as almas da Era de Ouro acreditavam que iriam após a morte. Bizuna sobreviveria, vivendo nas montanhas, ao criar algo novo. Ao criar um nova aliança, de Saiyajins que buscavam viver de forma simples. A única resistência que seria capaz de trazer a paz. 

 

Cap. 107. Epílogo - Exterminador de Deuses!

Conforme Zero digitava os comandos em seu dispositivo Unlimited Charge, a Dama Aracnídea, de oito braços e longos cabelos, movia sua agora, coleção de lâminas. Disparando a toda velocidade, Draugon rompia barreiras e as combatia ao utilizar Gankai. Eis que a figura de Super Majin Uub se projeta abaixo das águas, surgindo de costas para Zero:

--- Já descobrimos como fazê-lo, Zero... - Super Majin Uub murmura, ao ter suas costas perfuradas pelas lâminas - Agora, Draugon!!! - assim como Yamoshi, Uub cessara o vácuo por alguns segundos, ao baixar a guarda em frente ao corpo de Zero 

--- Corte dos Mil Dragões Divinos! - Draugon apoia seus pés azuis nos ombros de Uub e desfere o corte com Gankai, fazendo a grande explosão azul tragar o corpo de Zero, assim como a suprema lâmina da Dama Draconiana o fizera com a Dama Aracnídea - Obrigado, amigo... Uub-San... - Draugon contempla a figura de Uub imobilizada, com cinco lâminas escuras cravadas nas costas, vertendo sangue 

--- Eu vou ficar bem, Draugon... - ele sorri, mesmo com o corpo latejando, ao regredir a forma base - Foi bom lutar ao seu lado novamente, irmão... - ele cambaleia, se afastando, ao mesmo tempo que as lâminas se desfaziam em fumaça - Agora tudo será mais fácil! Zero não é nada sem o seu vácuo idiota... - ambos riem, um caindo ao longe e o outro se volta para a batalha novamente, ao contemplar o ressurgir do inimigo 

--- Noventa Por Cento... - Zero murmura, ao ter seu corpo possuído pelo espírito da Dama Draconiana - Acho que é o suficiente para lutarmos em pé de igualdade, Draugon, o Exterminador de Deuses...

Enquanto Goku e Zaiko causam destruição por Nova Sadala, Draugon e Zero tem seu confronto final! Em meio aos terremotos e erupções, os guerreiros que exterminariam os deuses se revelam na batalha mais brutal de todos os tempos!

Continua no próximo capítulo, que será: Draugon VS Zero! Almas Sintéticas!


Notas Finais


Até a Próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...