1. Spirit Fanfics >
  2. Dragon Ball Infinity Dream >
  3. EP3: O Broly Feminino

História Dragon Ball Infinity Dream - Capítulo 3


Escrita por: PardoPandaPolar

Notas do Autor


*A foto não condiz com o episódio, mas não existe uma imagem boa de uma super saiyajin lendária.
Após uns dias, o nosso saiyajin havia conhecido uma outra saiyajin que aparentava ter a mesma idade que ele. Eles se conheceram e tudo mais, depois de um tempo eles se reencontram de uma maneira não muito pacífica. Além de descobrir que ela é irmã gêmea do Broly.

Capítulo 3 - EP3: O Broly Feminino


Fanfic / Fanfiction Dragon Ball Infinity Dream - Capítulo 3 - EP3: O Broly Feminino

Olá novamente, talvez eu tenha demorado muito para voltar a falar de mim mesmo. Na verdade eu estava meio entediado; não sabia o que fazer e contar somente meus treinamentos não seria algo lá de divertido para entreter você. Ultimamente eu tenho tido dúvidas sobre um ponto, não sei se eu deveria entrar em um relacionamento. Praticamente isso me tornaria um pouco mais feliz; mas ao mesmo tempo me daria uma margem de compromissos. Eu estive conversando com uma saiyajin chamada Shinka, ela é negra e muito mas muito forte. Ouvi dizer que ela é parente do Broly, há motivos para eu concordar pois eles são quase idênticos; exceto o fato de ela não conseguir se transformar no Lendário Super Saiyajin (ou seja a forma bruta e esverdeada do super saiyajin normal).


Por outro lado, ela consegue se transformar no Super Saiyajin 5; o que realmente me impressiona é a sua determinação. Ela sempre treina meses e meses antes de lutar com alguém e dá conta do recado. Eu queria ser como ela, entende? Nunca ter medo do que pode acontecer..... é que na verdade eu possuo agorafobia, ou seja eu tenho medo das consequências de minhas ações atuais e como elas irão afetar o meu amanhã ou depois. Esquecendo esses meus problemas amorosos, vamos direto ao ponto; eu estive treinando bastante com o Son Goku. Esse saiyajin de idade acima da minha é bem interessante, ele se transforma automaticamente como um profissional; ainda ocultando seu Ki e somente deixando as cores vividas de seu cabelo. Ele veio me ensinando suas técnicas favoritas e eu estou gostando disso; ele me ensinou todas as suas técnicas de combate corpo a corpo.


Agorinha mesmo eu estou tendo problemas em relação aos meus pais. Eles não querem que eu treine; querem que eu estude para se tornar um cientista como eles. Eu acho isso um saco. Meu pai adotivo bebe uma xícara de café e diz: - Você precisa se adequar ao nosso mundo! Realmente acha que todas as pessoas da Terra ficam treinando tanto assim e nem descansam?!


Eu respondo cruzando os braços: - É por causa que vocês não tem o costume de ficarem fortes e lutarem entre si.


A minha mãe adotiva da um breve suspiro e diz: - Eu sei que é da sua cultura saiyajin ficar treinando tanto. Mas já pensou em fazer algo a mais na vida? Como estudar para exercer uma profissão ou qualquer outra coisa?


Eu penso por um breve momento; após alguns minutos andando em círculos pela mesa eu respondo encarando minha mãe adotiva: - Eu quero ser um artista marcial......


O meu pai adotivo se engasga com o café e diz: - Artista marcial?!?!?! Não, com certeza não! Seu destino é triunfar no meio científico!!!


De repente meus pais adotivos começaram a brigar e discutir sobre qual profissão eu deveria exercer. Na minha opinião isso não é relevante..... eu posso ser um "policial" assim como o amigo do Son Goku. Kuririn o nome dele? Não sei mas ele parece ter grande força física pra socar os criminosos e prendê-los, porém mesmo assim não sei se isso seria bom. Na verdade vou começar a treinar denovo.

Se passaram meio que 70 minutos e eu tô me sentindo um "saco de pancada" de tanta exaustão. Andando pelas planícies pude presenciar toda a tranquilidade que eu nunca tive quando eu morava no planeta Vegeta, sempre tinha guerras e outras violências entre os saiyajins e talvez até com as outras raças locais. Simplesmente enriquecidor, porém de repente negando um pouco a paisagem; notei que tinha cerca de 5 pares de olhos vermelhos me olhando. Quando me aproximei sob os arbustos notei que haviam Saibamens lá dentro!


Saibamens são aqueles aliens bizarros que ninguém sabe direito de onde vieram; eles são carinhas verdes estranhos de olhos vermelhos e são bem pequenos. Outro ponto, não são nem um pouco racionais e são bem fracos. Estimam que cada um pode chegar no máximo até somente 25.000 de poder. Fracotes.....

Eu soquei todos cada em menos de um minuto, são tão fracos que lutar em um torneio de Saibamens não teria graça. De repente eu sinto um Ki potente, vindo do alto; olhando as nuvens eu vejo Shinka, descendo rapidamente. Ela se senta em uma pedra e pergunta: - O que você pensa que está fazendo?


Eu respondo nervoso: - Eu estava lutando com uns Saibamens!


Shinka responde fazendo uma face de decepção: - Sabia que eles eram minhas ferramentas de treino?


Em seguida ela lança uma esfera de Ki que passa de raspão sob o lado esquerdo do meu rosto. Vou considerar isso uma ameaça. Eu digo rapidamente: - Desculpa eu não sabia que eles eram seus! Eles estavam me irritando!


Shinka se levanta e se move rapidamente; tanto que não fui capaz de acompanhar e me dá um soco. Ela diz: - Bem. Você vai ser meu saco de pancada nesse caso.


Eu levanto devagar pondo a mão na bochecha, ela realmente usou muita força. Eu digo sorrindo de forma despretensiosa: - Ficar conversando com você lembra muito o Broly..... porém parece uma versão feminina dele.


Shinka começa a crescer e seus músculos aumentam; ela diz gritando de raiva: - NÃO OUSE ME COMPARAR COM O MEU IRMÃO!!!


Ela se transforma no Super Saiyajin 2, o dela parece bem mais diferente que o dos outros saiyajins. Seus olhos ficam brancos, mas acho que é por causa da linhagem da família. Ela então começa a lançar uma série de explosões Ki verdes, eu desvio de todas rapidamente e carrego um Kamehameha: - Ka.... Me..... Ha....


Infelizmente essa técnica precisa de um pouco de tempo para ser ativa, porque ela me socou na face e começou a me atacar agressivamente. Eu tento bloquear porém ela é forte e rápida demais, então eu me teletransporto para trás dela e então faço uma combinação certeira de chutes. No décimo chute ela consegue desviar e me lança contra a parede; lançando um canhão verde de Ki na minha direção. Eu desvio rapidamente e digo enquanto corro: - Você não acha que tá exagerando não? Só porque eu falei que você parece o Broly?


Ela começa a ficar com mais raiva e então começa a carregar uma esfera gigante verde em suas mãos. Ela diz com um sorriso maléfico: - Você vai ser punido!


Eu respondo com um sorriso confiante: - Isso é o que vamos ver.... canalha!


Eu carrego um Final Flash potente nas minhas mãos e então lanço sob ela: - FINAL FLASH!!!


No momento exato ela lança a esfera sob a minha rajada de Ki e então as duas colidem; causando uma grande explosão. Começamos a atacar um ao outro em uma velocidade constante, socando com precisão e dor. Eu me pergunto se a gente fosse casado..... se eu não lavasse a roupa diariamente, acho que ela ficaria nesse mesmo estado. Vamos não pensar nisso. De repente nós dois cansamos e então decidimos sentar, seu tamanho está voltando ao normal e seus músculos estão diminuindo, ela deixa a transformação e volta a forma base. Ela diz suspirando: - Você me divertiu um pouco, saco de pancada.


Eu digo rindo: - Esse seu vocabulário é bem violento, não? É masoquista?


Shinka responde rindo de uma forma estranha e se levantando: - Masoquista? Não..... eu sou sádica!


De repente ela pega uma rocha que estava no chão e lança na minha direção; eu rolo para a esquerda, evitando totalmente a rocha. Eu digo confuso: - Quando vamos parar de lutar? Já cansei!


Do nada eu digo uma coisa que eu nunca teria ter dito, ainda sorrindo: - Quer saber, eu sempre quis fazer amor com uma mulher violenta!


De repente ela começa a me olhar com uma cara de desprezo, se levanta e começa a se aproximar de mim. No momento exato que eu levanto para correr; ela puxa meus cabelos e fica me encarando com aquela mesma cara de desprezo. Eu fico vermelho, envergonhado e arrependido. Ela diz com um olhar agressivo: - Você sabe que não somos nem um pouco compatíveis. Sabe disso..... não é?


Eu fico tão envergonhado que começo a me amolecer e então ficar olhando pros lados; tentando ignorar o contato visual. Ela diz em seguida, já me largando no chão: - Você até que é bem divertido, é muito legal socar sua pele áspera. Você mata o tempo, mas ainda é muito mole.....


Eu respondo perplexo: - Não acha esquisito admirar esse masoquismo sobre os outros?


Shinka diz indignada, quase me socando: - Você parece meu pai Paragus!!! Fica no seu canto!


Eu digo já voando pra longe: - Vamos treinar amanhã, na montanha do Kaiô!


Shinka parece concordar. Mas ela ainda parece incerta. Depois de um tempo voando eu chego na casa dos meus pais adotivos e eles estão fazendo cara feia pra mim. Minha mãe adotiva diz: - Aonde você esteve esse tempo todo?


Eu olho pra janela e percebo que já estava de noite. Eu digo feliz: - Eu tava treinando com uma amiga minha!


Minha mãe dá uma tigela de arroz, macarrão e ovos. Eu como com muita vontade, não sei por quanto tempo fiquei sem comer; meu pai adotivo se levanta e vai pro laboratório, já minha mãe fica conversando comigo por horas sobre como tinha sido o meu dia. Eu fiquei entusiasmado e fui para a cama às 01:54. Não via a hora de poder encontrar Shinka denovo...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...