1. Spirit Fanfics >
  2. Dragon king >
  3. Capítulo 11

História Dragon king - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Capítulo 11


Subaru olhou para Puck, "Puck. Amigo, isso não é engraçado."

"Hum. Não estou brincando, Subaru. Nunca ouvi falar de nenhuma 'Emilia'", disse o gato voador com tristeza.

Subaru estendeu as mãos e Puck caiu nelas enquanto ainda fluía mana para o corpo inconsciente de Beatrice, "Amigo, acho que aquela barreira pode ter danificado sua memória. Do que você se lembra?"

"Bem... eu me lembro de passar um tempo no capitólio por uma semana ou mais. Então nos separamos. Você estava tentando se tornar rei ou algo assim, embora eu admita que não estava prestando muita atenção," Puck respondeu.

Subaru respirou fundo, tentando não entrar em pânico. Deus. Não sei se poderia haver um momento pior para Puck desenvolver amnésia.

Subaru falou lentamente, "Puck, qual é a última coisa que você lembra?"

Puck pensou sobre isso: "Bem, lembro-me de você lendo para Betty antes de irmos para a cama. Lembro-me de falar com você sobre voltar para Arlem. Então voltei para o cristal e a próxima coisa que eu sabia, não conseguia Fora."

Que porra é essa? Ele se lembra ... ele se lembra de tudo menos da Emilia! Como isso faz o mínimo sentido?

Talvez eu possa refrescar sua memória?

Subaru balançou a cabeça, "Puck, como você chegou a Arlem?"

"No cristal."

"Claro, mas como? Eu não estava em Arlem ou no Santuário até ontem, então quem te trouxe lá?"

Puck piscou e ponderou a questão, "Hum. Puxa, Subaru, não tenho certeza. Você deu meu cristal para outra pessoa? Isso realmente não está bem, você sabe," Ele criticou.

"Eu dei o seu cristal a alguém?! Como eu poderia ter feito isso? Não temos um contrato", subaru apontou.

"Claro que nós fazemos!" Puck disse.

"O que?"

"Vamos, Subaru," Puck disse soando ofendido e magoado, "Fizemos um contrato antes de você conhecer Betty! Lembra? Nós dissemos como você era 'aquela pessoa' e esperamos por você por quatrocentos anos?"

Subaru olhou para ele.

Algo está acontecendo aqui. Perder a memória é uma coisa, mas a perda de memória não é tão específica a ponto de esquecer apenas uma pessoa. E mesmo que fosse, sua mente não estaria preenchendo os espaços em branco dessa forma.

"Puck, isso não é possível," Subaru disse gentilmente. "Lembra quando eu fiz meu contrato com Beatrice? Ela me fez prometer que eu não poderia fazer pactos com nenhum outro espírito."

"Bem, claro, eu me lembro," Puck concordou, "Mas você fez o contrato comigo antes mesmo de conhecer Betty, então isso não contava. Betty pode ser tão gananciosa quanto eu, Subaru, mas ela nunca tentaria levar você para longe de mim."

Subaru sentiu o trailer parando ao lado da estrada.

Os dragões da terra precisam descansar. Eu deveria perguntar a Rem e Felt se eles já ouviram falar de um caso de amnésia como este. Em um mundo perfeito, eu seria capaz de consertar isso antes de Emilia acordar, mas no mínimo eu deveria ter pelo menos alguma ideia do que vou dizer a ela sobre isso. Tenho más notícias suficientes para dar a ela, sem precisar dizer a ela que seu pai se esqueceu dela.

"Puck, fique aqui um minuto e cuide de Beako, ok?" Subaru perguntou: "Eu já volto."

O gatinho acenou com a cabeça e saiu flutuando das mãos de Subaru.

Subaru passou pelo adormecido Ram e Garfiel e saiu do trailer.

Rem e Felt estavam sentados na plataforma do motorista conversando enquanto os dragões de terra descansavam sob a sombra de uma árvore.

"Senhoras, acho que temos um problema", começou Subaru.

"Os arcebispos?" Rem perguntou em uma voz concisa.

"Não, não é tão ruim assim, eu acho," Subaru meditou, "Obrigado pela perspectiva, Rem. Eu precisava disso."

Sentiu suspirou, "Depois de tudo isso, como poderíamos possivelmente ter mais problemas?"

"O problema é o presente que continua a ser dado, Felt," Subaru respondeu, "A boa notícia é que Puck está de volta e ele está fora de seu cristal."

"Ei! Isso é ótimo!" Felt disse que seu rosto se iluminou.

"Sim, a má notícia é que ele se esqueceu completamente de quem é Emilia," Subaru suspirou.

Felt e Rem o encararam.

"Eu sei," Subaru balançou a cabeça, "Depois de tudo que ela já passou, Emilia vai ficar arrasada."

"Subaru," Felt perguntou sem jeito, "Quem é Emilia?"

Subaru olhou para ela, "Sentiu, você sabe que eu tive um par de dias muito longos. Não estou com humor para esse tipo de humor."

"Hum, eu também não me importaria de ouvir a piada, chefe", respondeu Felt. "Quem é ela?"

Subaru olhou para Felt com horror crescente, "Rem?" Ele quase implorou.

A empregada de cabelo azul balançou a cabeça, "Sinto muito, Subaru. Nunca ouvi falar de ninguém chamado Emilia."

Subaru bateu com a mão na boca mal contendo um grito.

Subaru acionou Razão e Julgamento e seu medo foi embora.

Tudo bem, não entre em pânico! Você pode querer gritar, mas isso não vai ajudar em nada agora. Isto é muito estranho. Estranho é útil. Problemas comuns têm um milhão de explicações diferentes, mas os bizarros quase não têm. É hora de começar a fazer perguntas.

Tempo reiniciado Subaru.

"Senhoras," Subaru disse com uma voz surpreendentemente calma, "Vocês podem se juntar a mim atrás? Acho que precisamos ter uma conversa muito séria."

Rem acenou com a cabeça, "Deixe-nos alimentar os dragões e nos juntaremos a você em breve."

"Caramba, capitão, por que me acordou?" Garfiel resmungou, esfregando os olhos.

Ram ainda estava dormindo, mas Subaru levou os outros três para a parte de trás do trailer onde Puck esperava com Beatrice e Emilia.

Subaru puxou a cortina de lado e ouviu um suspiro agudo.

Ele olhou para trás e viu Garfiel olhando para Emilia com puro terror.

"Capitão", ele sussurrou, "O que diabos é isso ?!"

Com licença, 'o que' é isso? Ela é uma pessoa, não uma coisa! Subaru pensou com grande ofensa. Ele sacudiu sua irritação e lutou para manter a calma.

"Esta é Emilia. Ela é uma amiga nossa de longa data, uma candidata ao trono, parceira de Puck e minha noiva," Subaru explicou, "Algo fez com que todos vocês não se lembrassem dela e precisamos descobrir o que fez isso."

Todo mundo olhou para ele de boca aberta.

Algo está errado aqui. Eu entendo que eles não se lembram de Emilia e provavelmente pensam que estou agindo como louca agora, mas eles não parecem apenas estranhos com o que estou dizendo. Eles parecem com medo.

"Subaru," Rem murmurou com a voz firme, "De onde ela veio?"

"Ela nasceu na floresta Elior-" Subaru explicou.

"Não é isso que quero dizer, Subaru," Rem balançou a cabeça, "Como ela chegou aqui?"

"Eu a trouxe aqui depois da luta com Capella", explicou Subaru. "Voltei à tumba para buscá-la e a encontrei desmaiada devido ao estresse das provações."

Felt o encarou com horror, "Espere! Você tirou isso da Tumba da Bruxa? Um meio-elfo de cabelo prateado?!"

"OK, chega de 'isso' já!" Subaru disse perdendo a paciência, "Eu sei que vocês não a reconhecem, mas ela ainda é nossa amiga... err, ela ainda é minha amiga... noiva. Olha ela ainda é uma pessoa no mínimo e ela não merece ser tratada como uma coisa!"

Garfiel, Felt e Rem se entreolharam incertos.

Subaru suspirou, "Olha, eu não entendo o que está acontecendo ainda, mas algo aparentemente danificou todas as suas memórias, então a primeira coisa que precisamos fazer é revisar o mês passado e descobrir quais memórias temos em comum."

O grupo sentou-se no chão dentro do trailer. Subaru percebeu que ele era o único disposto a se sentar perto de Emilia.

"Felt, você se lembra de como nos conhecemos?" Subaru perguntou.

"Claro que sim", respondeu Felt.

"Então você se lembra de ter roubado a insígnia de Emilia e como te rastreamos na casa de Rom?" Subaru continuou.

Felt olhou para ele.

"Sentiu?" Ele perguntou.

"Subaru," Ela disse lentamente, "Não que eu fosse admitir ter roubado alguma coisa, mas quando nos conhecemos você me deu sua insígnia para segurar depois que eu me juntei à sua facção. Afinal, se eu tivesse tocado na insígnia de outra pessoa, eu não teria que me juntar à facção deles em vez da sua?"

"Você não está sob juramento aqui, Felt. Você pode pular o discurso do advogado," Subaru resmungou. Ele esfregou o rosto, "Puck, você se lembra de como nos conhecemos?"

"Claro, Subaru," Puck deu de ombros no ar. "Nós nos conhecemos naquele beco no capitólio depois que você enganou aqueles assaltantes estúpidos fazendo-os pensar que você os amaldiçoou."

"Exatamente! Lembra como você e Emilia entraram no beco perseguindo Felt e a insígnia?" Subaru pediu.

Puck ficou em silêncio por um momento, "Sinto muito, Subaru, mas eu nunca vi aquela garota antes. Eu apenas entrei no beco aleatoriamente e encontrei você lá. Eu descobri que você era 'aquela pessoa' e nós formamos um contrato."

O que está acontecendo? Eles se lembram de tudo menos de Emilia!

Subaru enterrou o rosto nas mãos, "Oh meu Deus! Isso é como um pesadelo horrível do qual não consigo acordar!"

"Ei! Acalme-se, chefe," Felt murmurou esfregando seu ombro. "Olha, eu não sei o que está acontecendo aqui ainda, mas estamos todos com você e vamos ajudar. Vamos apenas continuar conversando e vamos resolver isso."

Subaru respirou fundo e acenou com a cabeça, "Certo. Obrigado, Felt, eu precisava disso. OK, Roswaal era o patrocinador de Emilia. Se não há Emilia, então como conheci Roswaal?"

"O palhaço foi à mansão Astrea na noite em que você foi ferido", resmungou Felt, "Reinhard o chamou lá para consultar sobre a insígnia reagindo a você."

"Mas por que Reinhard e eu fomos para sua mansão então? Fui lá porque queria ver Emilia. Fiquei lá porque queria ficar perto de Emilia", respondeu Subaru.

"Lorde Roswaal pediu que você viesse vê-lo quando se recuperasse," Rem interrompeu baixinho. "Ele disse que estava interessado em formar uma aliança e apoiar sua reivindicação ao trono."

"OK, então fomos para a mansão dele, mas por que teríamos ficado lá? Não posso imaginar que tenha gostado tanto da companhia do palhaço", subaru apontou.

"Para manter Red longe de seu pai idiota," Felt respondeu.

Subaru balançou a cabeça.

Isto é tão estranho! Dano de memória é uma coisa, mas o que quer que tenha afligido a todos não apenas apagou Emilia de suas memórias, mas voltou a sua história e a reescreveu para que tudo o que ela fez tivesse uma explicação alternativa plausível. O que poderia ter o poder de fazer isso? Um dos arcebispos? Ou isso não é uma coisa de memória? Será que Emilia e eu teríamos pulado as linhas do tempo para algum mundo paralelo onde Emilia nunca existiu? Mas quando? E, mais importante, como isso aconteceu?

Minha autoridade poderia ter nos mudado para um mundo paralelo? Talvez, mas por quê? Isso não é algo que eu sempre quis que acontecesse e não me beneficia de nenhuma forma que eu saiba. Roswaal deu a entender que minha Autoridade respondeu aos meus desejos inconscientes. Será que minha autoridade está suprimindo e reescrevendo as memórias de todos? Talvez, mas novamente por que seria?

Eu preciso descobrir isso.

"Então, Beatrice e eu acabamos de chegar ao Santuário há dois dias, certo?" Subaru perguntou lentamente.

Todos concordaram.

"Ok, então como Puck chegou lá? Ele esteve lá por algumas semanas, certo?"

"Eu o trouxe", explicou Felt.

"Vocês?" Subaru perguntou.

"Sim, você realmente não queria que eu fosse à reunião em Arlem sozinho," Felt respondeu fazendo uma careta. "Você fez um grande negócio com isso. Eu continuei dizendo a você que poderia cuidar de mim, mas você não quis ouvir e você insistiu para que eu trouxesse alguém comigo. Puck não ficou feliz com isso, mas você acabou convencendo-o a vir. comigo e você me deu seu cristal."

"Oh, certo," Puck meditou, "Eu me lembro disso agora."

Subaru olhou para Puck nitidamente.

Isso não é bom. Puck não se lembrava disso antes. Seria porque sua memória estava confusa por estar no cristal por tanto tempo ou alguma força editando as memórias das pessoas em tempo real para que elas não olhassem muito de perto para qualquer uma das inconsistências?

"Ok, então eu me lembro de Emilia indo para o Santuário com você, Felt," Subaru disse lentamente. "Você me disse que passou duas semanas tentando ajudá-la a passar nas provações. Ela falhou todos os dias e então você a levava para casa e a colocava na cama. Então, se não havia Emilia, o que você estava fazendo no Santuário durante essas duas semanas?"

"Eu estava ajudando meu filho Garf a tentar passar nos testes", Felt respondeu apontando para o jovem, "Mas eu definitivamente não o coloquei na cama!"

Garfiel deu a Felt uma risada divertida.

"Garf pode fazer os testes?" Subaru perguntou surpreso, "Espere! Seu garoto?!"

Que porra é essa! Felt odeia Garfiel! Ela nem queria que ele escapasse do Santuário conosco! Agora eles são amigos? Que diabos está acontecendo aqui?

OK espere. Vamos pensar sobre isso. Felt provavelmente odiava Garfiel por causa da maneira como tratava Emilia. Deus sabe que é por isso que o odiava. Se realmente não houver Emilia nesta linha do tempo, então acho que faz sentido que Felt e Garfiel se tornem mais amigáveis. Eles são scrappers ásperos e desordenados muito mais espertos do que agem.

"O que?" Garfiel resmungou parecendo ofendido, "O camarão e eu estávamos tentando cuidar dos negócios enquanto você estava vagando perdido no campo como Dillon e Dutch!"

Subaru franziu a testa, pensativo, enquanto seus amigos olhavam para ele preocupados. "Então... eu me lembro de Emilia passando pelos testes e libertando o Santuário, mas vocês se lembram de Garf fazendo isso?"

"Nah, foi a porra do Otto," Garfiel resmungou cruzando os braços sobre o peito enorme com uma expressão de desprezo.

- E quem quer que diga é Otto? Subaru suspirou.

Todo mundo olhou para ele.

"O que?!" Subaru perguntou: "Não estou pregando uma 'brincadeira invertida' com você. Não tenho ideia de quem é Otto. Nunca conheci um Otto."

"Fala sério", Garfiel bufou.

Rem e Felt se entreolharam.

"Otto era um comerciante viajante", explicou Felt, "ele levou Rem e eu e alguns dos aldeões de Arlem em sua carroça para escapar de Petelguese. Ele veio conosco para o Santuário."

OK, então esse cara 'Otto' estava lá no Santuário o tempo todo e eu nunca o conheci ou ele é algo que foi introduzido por esse 'como você chama' que está afetando todo mundo? De qualquer forma, preciso falar com ele.

"E ele tinha as qualificações para fazer os julgamentos?" Subaru perguntou.

Esquisito. Roswaal disse que Emilia era a única habilitada para isso. Eu acho que ele estava mentindo? Hm, talvez não. Eu sinto que Roswaal não teria prendido Emilia no Santuário se ele pensasse que havia alguma chance de que outra pessoa pudesse ter feito o trabalho por ela. Talvez ele não soubesse? Ou talvez esta seja outra mudança nas memórias das pessoas?

"Não no início", respondeu Felt. "Originalmente, todos nós tentamos fazer os testes, mas nenhum de nós foi qualificado. Quando isso aconteceu, Ryuzu revelou que Garf estava qualificado para fazer os testes. O pulgueiro não gostou disso."

"Vovó estúpida", resmungou Garfiel.

"Garf já havia tentado fazer os testes uma vez antes", explicou Felt com um sorriso fraco, "mas o grande dope não foi capaz de passar por eles e ele achou isso muito embaraçoso. Pior, ele achou que os testes foram dolorosos e aterrorizantes e ele realmente não queria ter que tomá-los novamente. "

"Cale a boca, camarão," Garfiel cuspiu desviando o olhar com o rosto vermelho.

"Garf estava realmente bravo com Ryuzu por dizer a todos que ele poderia enfrentar os julgamentos, mas Ryuzu disse a ele para aguentar. Os aldeões de Arlem tinham que sair do Santuário antes que todos morressem de fome ou começassem os combates. Garf era nossa única escolha então ele teve que fazer os testes", concluiu Felt.

Subaru não foi totalmente capaz de suprimir o olhar que lançou para Garfiel.

Então é isso! Garfiel estava tratando Emilia como uma merda porque estava com ciúmes! Emilia continuou a fazer as provações, algo que Garf não teve coragem de fazer! Ele sabia que estava com medo e se ressentia, então descontou em Emilia! Garf, não me importo que você tenha apenas quatorze anos, você é um idiota!

Subaru sacudiu sua irritação. Ele tinha problemas maiores agora, "OK, então onde esse Otto se encaixa?"

"Otto estava apenas saindo com os residentes no começo," Felt explicou, "Ele aparentemente se tornou muito próximo de Ryuzu."

Garfiel rosnou e apertou o punho na palma da mão.

"Garf uh... realmente não aceitou isso muito bem," Felt disse dando a Garfiel um olhar divertido, "De qualquer forma, no dia que você chegou, Ryuzu fez... algo que tornou Otto qualificado para fazer os testes."

"Ela pode fazer isso?" Ele perguntou surpreso. Por que ela não se ofereceu para me deixar levá-los então?

"Acho que sim," Felt deu de ombros. "Mas não me pergunte como. Ela estava muito chocado também. Ela não nos deu muitos detalhes sobre o que ela estava tentando fazer, mas o que ela fez para Otto, não era suposto para torná-lo qualificado para assumir os testes. Esse foi apenas um efeito colateral inesperado, eu acho. De qualquer forma, Otto tentou fazer os testes e teve um colapso mental."

"Parece a reação padrão," Subaru suspirou.

"De qualquer forma, você e Otto realmente se deram bem e você o convenceu. No dia seguinte, ele conseguiu passar nos julgamentos antes que os arcebispos chegassem e tirássemos todo mundo", concluiu Felt.

Subaru tamborilou com os dedos no chão.

OK, então o que diabos está acontecendo aqui? Por que alguma coisa iria querer apagar apenas Emilia da memória de todos? E por que não fui afetado? Essa é provavelmente a verdadeira chave para descobrir isso. Ou fui deliberadamente excluído do que quer que seja ou minha Autoridade me protegeu.

Se fui deliberadamente excluído, isso sugere que alguém está tentando me extorquir: "Faça o que dizemos e devolveremos a vida a Emília". Roswaal talvez? Seria essa outra forma de fazer refém Emilia?

Bem, talvez, mas não acho que Roswaal tenha esse tipo de poder. Se ele conseguiu fazer com que todos, menos eu, esquecessem algo, posso pensar em maneiras muito mais eficazes para ele usar essa habilidade. Além disso, se alguém quiser chantageá-lo, geralmente certifique-se de que você saiba quem está fazendo isso e o que eles querem que você faça para impedir. Caso contrário, eles não ganham qualquer vantagem. Apesar de ser o mago mais poderoso do mundo, Roswaal parecia estar sugerindo que a maior magia pertence às autoridades. Então isso significa que foi um arcebispo? Ou uma bruxa? OK, como e por quê?

Talvez tenha sido Roy? Ou Capella? Mas, novamente, como e por quê?

Qual foi a última vez que me lembro de alguém interagindo com a Emilia?

A luta com Roy. Ela apareceu com Felt e eu a chamei pelo nome e ninguém reagiu, então o que quer que tenha acontecido com ela deve ter acontecido depois disso. Ou isso poderia ser algum castigo final dos julgamentos? Se você completar os testes da Bruxa, você está amaldiçoado para ser esquecido por todos que você conhece porque as Bruxas são idiotas?

Pode ser. Ryuzu deve saber. Não, se ela soubesse que o preço por completar os testes seria todo mundo se esquecer de você, duvido que ela deixasse Garf tentar pegá-los ... ou ela estava realmente desesperada o suficiente para sacrificá-lo?

Não tive a impressão de que ela é tão sanguinária. Mas ela pode ter ouvido uma lenda sobre os julgamentos terem esse tipo de efeito e depois descartá-la. Preciso encontrar Ryuzu e bombeá-la para obter informações. Eu preciso rastrear esse cara Otto também.

"Felt, você se lembra do meu confronto com Roswaal?" Subaru perguntou.

"Não é a minha melhor memória, mas sim", admitiu Felt.

"Qual era o plano dele?"

Felt franziu o rosto, pensativa, "Não tenho certeza, chefe. Ele foi muito vago sobre o que queria que você fizesse, quero dizer, além de ser seu escravo e tudo. Ele atraiu todos para o Santuário para prendê-los e então usou os arcebispos para tentar forçá-lo a assinar seu contrato de escravos. Do contrário, todos teriam morrido. Então você espetou a roda dele, fazendo com que Otto passasse nos testes."

Huh. Não é estranho? Não há Emilia nesta linha do tempo para deixar claro o ponto. O plano de Roswaal teria realmente funcionado? Se não houvesse Emilia na linha de fogo, eu ainda teria me afastado para salvar Beatrice, Puck e Felt? Morrer ao lado deles é uma coisa, mas... me vender como escravo eterno? Eu realmente teria ido tão longe para salvá-los? Roswaal deve ter pensado assim, mas não tenho tanta certeza. Acho que não sou uma pessoa tão boa assim.

Foda-me.

"Alguém sabe por que os Arcebispos vieram ao Santuário?" Subaru perguntou.

Todos balançaram a cabeça.

"Talvez eles tenham feito um acordo com o palhaço?" Felt adivinhou: "Ele disse que estavam vindo para matar todo mundo, mas não disse por quê".

"Hm," Subaru meditou, "eu me lembro dele dizendo que eles estavam vindo para o Santuário para tentar capturar Emilia."

"Espere um minuto, porra! Essas aberrações vieram ao Santuário por causa dela?!" Garfiel exigiu.

Ah Merda.

"A garota que você tirou da tumba da Bruxa?" Rem perguntou com o rosto sombrio, "O Culto das Bruxas veio buscá-la?"

Isso não vai a lugar nenhum!

"Emilia!" Subaru gritou interrompendo a todos, "Não a garota da Tumba da Bruxa! Ela é nossa amiga!"

"E os arcebispos estão nos perseguindo agora para resgatar a bruxa?" Rem exigiu.

"Ela não é uma bruxa, Rem!" Subaru gritou de volta. "E os arcebispos têm muitos motivos para estar nos perseguindo de qualquer maneira. Eu já matei dois deles e todos nós deixamos Regulus e Capella realmente loucos!"

Todo mundo estava quieto.

Subaru esfregou a testa, "Os arcebispos devem ter algo a ver com o que está acontecendo com todos", disse ele, "estou supondo que nada além de uma autoridade teria o poder de mudar a memória de todos desta forma."

Felt, Rem e Garf se entreolharam enquanto Puck descia até o ombro de Subaru para ser acariciado.

Felt suspirou, "Ei, Subaru, você já ouviu falar da navalha de Occam?" Felt perguntou baixinho.

"Acho que não, o que é?" Subaru respondeu.

"É algo que vovô me ensinou quando eu era criança", respondeu Felt.

"Ei, camarão, isso foi na semana passada ou na semana anterior?" Garfiel perguntou.

"Vá se foder, pulga," Felt murmurou. "De qualquer forma, a ideia é que 'a solução mais simples geralmente é a correta'."

"Neste mundo, presumo que a resposta mais simples seja sempre mágica," Subaru murmurou acariciando Puck e tentando organizar seus pensamentos.

"Provavelmente", admitiu Felt. Ela parecia estranha, "Quero dizer, claro, é possível que algum grande poder tenha afetado todos nós e mudado nossas memórias e convencido um Grande Espírito de que ele fez um contrato com alguém que ele não fez."

Subaru acenou com a cabeça acariciando Puck.

"Mas," Felt hesitou, "Também não é possível que talvez você seja aquele cujas memórias foram modificadas?"

Subaru balançou a cabeça: "Acho que não fui afetado porque tenho uma Autoridade. Isso deve ter me protegido dos efeitos."

"Talvez", admitiu Felt, "mas não sabemos muito sobre as autoridades ou como elas funcionam. Não é possível que, além de lhe dar grande poder, também o torne mais vulnerável a certas coisas? Talvez mais suscetível à bruxaria?"

Subaru coçou a cabeça, "Quer dizer, talvez, mas por quê? Qual é o ponto em me convencer de que alguém existiu quando não existiu?"

"Bem, eu faria a você a mesma pergunta, chefe," Felt disse gentilmente, "Por que alguém iria querer deletar uma garota da história? Qual é o ângulo? Como isso beneficia alguém?"

Subaru encolheu os ombros, "Estou lutando para responder a essa pergunta também."

"Sim, mas," Felt continuou, "Por outro lado, se presumirmos que alguém queria que você acreditasse que a garota era sua amiga e amante quando ela não era, posso pensar em muitas motivações para isso."

"Como o quê?" Subaru bufou.

"Bem, proteção para um," Felt disse desviando o olhar de Subaru, "Talvez eles precisassem que a garota tivesse um protetor enquanto ela recuperava suas forças, porque ela estaria vulnerável quando saísse da tumba."

Subaru olhou para Felt e franziu a testa.

"Sabe, chefe, vovô me contou muitas histórias antigas sobre bruxas usando magia para fazer os homens se apaixonarem por elas. Elas fariam os homens acreditar que sempre foram amantes da bruxa. É uma estratégia legal; ótima maneira de virar inimigos em aliados poderosos e protegendo guardas dispostos a morrer por você, "Felt continuou, soando como se ela não estivesse fazendo nada mais do que pensar em voz alta.

Oh Deus não…

Ela não pode estar pensando...

"Subaru, você disse que tirou aquela garota da Tumba da Bruxa, certo?" Sentiu persuadido, "Um meio elfo de cabelo prateado? De acordo com as lendas, Satella, a Bruxa da Inveja, era um meio elfo de cabelo prateado."

Puck bocejou, "Eu pensei que Satella estava selada nas Dunas de Areia Auriga."

"Ei, eu não sei", admitiu Felt, "só estou dizendo que Subaru trouxe uma garota que se parece exatamente com a Bruxa da Inveja da Tumba de uma Bruxa."

Subaru olhou para Felt em estado de choque.

"Subaru," Felt continuou gentilmente, "E se a bruxa for aquela que está distorcendo suas memórias? Corrompendo seus pensamentos?"

"Não!" Subaru disse com firmeza." Não é isso que está acontecendo! Emilia não é uma bruxa e não há nada de errado com minhas memórias."

Felt juntou as mãos, "Mas vamos lá, chefe, como você sabe?" Ela meditou estudando suas mãos, "Quer dizer, se alguma magia distorceu minhas memórias, como eu saberia que isso aconteceu? Tudo pareceria completamente normal para mim. Eu acho que todas as pessoas que me disseram que minhas memórias tinham foram modificados foram uma loucura ou tentando me enganar. Então, como você sabe que suas memórias estão intactas?"

Subaru estava respirando rapidamente.

O que eu digo aqui?! Quer dizer, ela está certa. Bem, ela está certa, mas ela está errada! Eu conheço a Emilia! Eu sei que essas memórias são reais! Não há dúvida em minha mente, mas como faço para convencê-la disso? Ela confia em suas próprias memórias tanto quanto eu! O único problema é que suas memórias estão erradas!

"Capitão, esta bruxa deve ter estado presa no Santuário por séculos!" Garfiel disse.

"O que você quer dizer?" Felt perguntou.

"Os malditos Arcebispos do Pecado vieram ao Santuário para encontrá-la!" Garfiel exclamou mostrando os dentes. "Vovó sempre afirmou que a barreira em torno do Santuário estava lá para nos proteger de estranhos. Mas eu sempre pensei que era estúpido. A barreira na verdade não mantém nada fora. Mas é incrível manter as coisas dentro! Nós baixamos a barreira e batemos ! Uma bruxa aparece na tumba e nós a carregamos! E se o Santuário não fosse para manter as pessoas seguras, mas para manter a Bruxa presa dentro! A barreira enfraqueceu os Espíritos enquanto eles estavam lá, talvez também torne as bruxas em coma enquanto a barreira estiver levantada!"

Oh merda. Garf, por que você escolheu esse exato momento para começar a pensar naquela que deve ser a primeira vez na sua vida?!

"Eu não sei, Garf," Felt disse duvidosamente, "Chama-se Santuário, não uma prisão. Esse não é normalmente o tipo de lugar onde você tranca alguém."

"Além disso, a barreira não afeta os possuidores da Autoridade", Subaru apontou, "Não me afetou, Roy ou Capella."

"Sim, mas Satella é meio-sangue!" Garfiel rosnou: "Talvez isso tenha sido o suficiente para prendê-la dentro da barreira! Talvez enquanto a barreira estava alta, ela permaneceu em hibernação! Inferno, não havia muito mais o que fazer no Santuário. Talvez Satella tenha ficado presa lá por séculos!"

Oh meu Deus. Satella... Eles realmente pensam...

"Subaru," Rem disse calmamente antes que Subaru pudesse responder, "Não podemos lutar contra os Arcebispos do Pecado novamente. Simplesmente estamos exaustos demais para lidar com qualquer outro combate. Irmã e Lady Beatrice ainda estão inconscientes. Se os Arcebispos do Pecado estão nos perseguindo para encontrar a bruxa, então devemos deixá-la aqui."

"De jeito nenhum!" Subaru gritou.

"Foda-se essa merda, Rem!" Garfiel retrucou: "Eu não vou deixar Satella vagar por aí como ela quer. Ela quase destruiu o mundo da última vez! Devíamos matá-la enquanto ela ainda está fraca!"

"Absolutamente não!" Subaru disse levantando-se.

Garfiel também se levantou, rosnando e com os punhos cerrados.

Subaru deixou Puck flutuar para que suas mãos ficassem livres.

Os dois homens se encararam.

"Você me viu lutar, Garfiel", advertiu Subaru, "Você sabe do que sou capaz. Não me obrigue a provar isso a você."

- De que lado você está, porra, capitão? Garfiel exigiu com um estalo de suas mandíbulas.

"Sabe, Garfiel, você realmente deveria pensar sobre isso," Puck meditou, flutuando ao lado de Subaru, "Francamente, não tenho ideia do que está acontecendo aqui. Não conheço essa garota e tenho apenas uma vaga ideia de quem você é, mas qualquer um que tentar machucar meu Subaru ficará muito, muito arrependido."

Subaru olhou boquiaberto para o gato voador.

Que porra está acontecendo aqui? 'Meu Subaru?' Isso é algum sonho distorcido?!

"Ei! Todo mundo se acalme, porra!" Senti-me ordenado.

Todos olharam para a garotinha, "Olha. Não vamos fazer nada agora", disse Felt com firmeza, "Precisamos pensar com cuidado sobre nosso próximo movimento. Também precisamos esperar até que Ram e Beatrice acordem antes de decidir qualquer coisa. Os dragões de terra já descansaram, vamos continuar em frente. Não importa por que eles estão atrás de nós, os arcebispos definitivamente nos querem mortos. Mesmo se eles conseguissem o que queriam, os arcebispos ainda nos matariam, então vamos ficar o inferno longe deles."

Todos ficaram em silêncio por um momento.

"Um plano sensato, Srta. Felt," Rem disse calmamente. Ela se virou e caminhou até a plataforma do motorista sem olhar para trás.

Garfiel rosnou baixo para Subaru, mas então seu rosto mudou. Garfiel realmente parecia magoado. Sua expressão mudou de aparência de um lutador feroz para uma criança triste e solitária, "O que há de errado com você, capitão?" Ele sussurrou indo embora.

Quando Garfiel passou pelo sofá de Ram, ele pegou a garota inconsciente e lançou a Subaru um olhar de reprovação.

Subaru não tinha ideia de como responder.

Garfiel se virou e carregou Ram para a plataforma do motorista com Rem.

Sentiu suspirou e esfregou a testa, "Olhe, chefe, eu estou com você sobre isso. Eu estou indo para ajudá-lo a descobrir o que diabos está acontecendo aqui."

"Eu sei o que está acontecendo aqui, Felt," Subaru disse seriamente, "Algo removeu Emilia de todas as suas memórias."

"Ok," Felt disse sem jeito, "Claro. Isso é... uma teoria."

Felt balançou a cabeça e suspirou: "Olha, Subaru, temos problemas maiores para resolver agora. Vamos todos nos concentrar em dar o fora daqui e longe dos arcebispos. Podemos descobrir o que fazer com a... garota mais tarde."

"Você não acredita em mim", disse Subaru. não foi uma pergunta.

Felt parecia aflita, "Chefe, olhe, eu sei o quão inteligente você é. Você sempre foi capaz de ver coisas que eu não conseguia, mas isso..." Ela hesitou e jogou a cabeça para trás exasperada, "Vamos, Subaru! Você está me dizendo que essa garota, que se parece com a bruxa e que eu nunca conheci antes na minha vida, é nossa querida amiga. Você está me dizendo que todos, exceto você, tiveram suas memórias modificadas por algum desconhecido energia por algum motivo desconhecido. É um lote que você está me pedindo para comprar e você não tem nenhuma prova disso!"

Subaru não conseguiu responder.

Felt parecia triste e saiu para a plataforma do motorista lançando um último olhar preocupado para a Subaru.

Ela saiu do trailer e deixou Subaru sozinho com Emilia e os espíritos.

Subaru caiu de joelhos e enterrou o rosto nas mãos.

"Ei, Subaru, você está bem?" Puck perguntou descendo para ele.

"Não, Puck," Subaru sussurrou, "Eu não tenho certeza se já estive menos bem na minha vida. O mundo se esqueceu de Emilia e até mesmo nossos amigos estão prontos para atacá-la. Eu não sei o que fazer."

Subaru sentiu uma pata macia tocando seu rosto e ergueu os olhos.

"Olha, Subaru", disse Puck, "não tenho ideia do que está acontecendo aqui, mas sei que vamos descobrir. Betty e eu estamos com você. Lembre-se, você não é apenas nosso parceiro, você é nosso família. Estamos do seu lado, não importa o que aconteça."

Subaru começou a chorar e aninhou o gatinho contra seu rosto.

"Está tudo bem, Subaru," O gato disse dando tapinhas em sua bochecha. "Você vai endireitar isso."

Subaru abraçou o gato com força.

"Uau. Eu não posso esperar Betty acordar," Puck meditou, "Eu me pergunto o que ela vai pensar de tudo isso."

Subaru realmente riu com esse pensamento.

Subaru percebeu que Puck estava olhando para o meio-elfo adormecido.

"Alguma coisa está voltando para você, Puck?" Subaru perguntou esperançosamente.

"Não realmente, Subaru. Desculpe," Ele disse: "Quer dizer, ela não parecem tipo de familiar, mas eu não posso colocá-la."

Subaru suspirou.

"Então me diga, Subaru," Puck continuou, "Eu tenho algum tipo de relacionamento com essa 'Emilia'?"

Subaru sorriu tristemente, "Você tem sido seu parceiro por cerca de sete anos, desde que se conheceu na floresta Elior. Você a chama de 'Lia' e pensa em si mesmo como seu pai. Quando você e eu nos conhecemos, você ameaçou me mate porque eu estava tendo pensamentos obscenos sobre sua filha preciosa."

Puck olhou boquiaberto para ele, "Uau, Subaru. Isso... isso é seriamente muito para se entender. Quer dizer, eu sei que você não está mentindo para mim, mas não tenho certeza se acredito em tudo isso. Desculpe."

"Está tudo bem, amigo", sussurrou Subaru embalando o gato, "Eu sei que é muito para absorver."

"'Lia', hein? Gosto desse nome. Mas você é a única pessoa com quem fechei um contrato, Subaru. Você é 'aquela pessoa', não a garota", disse Puck.

"Vou aceitar isso por enquanto, Puck," Subaru reconheceu, "Porque Deus sabe que as únicas pessoas que poderiam te amar tanto quanto Emilia são Beatrice e eu."

Algum tempo depois, Beatrice se mexeu.

"Beako," Subaru sussurrou pegando o pequeno espírito, "Você está bem?"

Beatrice esfregou os olhos: "Betty está muito cansada, na verdade. Esta barreira é extremamente desagradável."

"Chega de barreiras, Beako", disse Subaru, embalando o pequeno espírito contra seu peito, "Nós saímos."

"Bem, isso é bom, suponho", murmurou Beatrice, "então por que Betty está tão cansada?"

"Aparentemente, quando a barreira quebrou, drenou a mana de todos," Subaru resmungou, "Porque tudo tem que ser incrivelmente difícil quando estamos envolvidos."

"Você estava muito mal, Betty," Puck comentou caindo nos braços de Beatrice, "Seu mana estava quase vazio!"

"Isso explica porque Betty está tão cansada, eu suponho," Beatrice suspirou, abraçando Puck com um sorriso satisfeito.

"Sim," Puck bocejou, "Demorou a maior parte do meu mana para estabilizá-lo, então estou me sentindo muito esgotado. Pode levar algumas semanas até que estejamos de volta ao normal."

"Beako," Subaru hesitou, "Você se lembra de Emilia?"

"Quem é Emilia, suponho?" Beatrice perguntou distraidamente.

Subaru suspirou.

"Desculpe, Subaru," Puck disse.

Subaru acenou com a cabeça.

Beatrice deu a Subaru um olhar perplexo, "Quem é 'Emilia', na verdade?"

Subaru suspirou e apontou para o elfo adormecido atrás dele.

"Hm," Beatrice disse curiosamente, "De onde veio o elfo?"

Oh meu Deus, isso é terrível!

"Ela é minha noiva, Beako," Subaru suspirou. "Mas ninguém parece se lembrar dela."

Beatrice ficou boquiaberta com ele, "Subaru vai se casar? Por que ele não contou a Betty, na verdade ?!"

Subaru suspirou e balançou a cabeça: "Beako, você conheceu Emilia muitas vezes. Você morou com ela na mansão e enquanto estávamos na capital. Ela dormiu em nossa cama. Mas algo aconteceu e agora ninguém se lembra quem ela é. Beako, você conhece algum tipo de magia que poderia mudar a memória das pessoas assim?"

Beatrice olhou para ele de boca aberta.

Subaru riu tristemente: "Não estou inventando isso, Beako. Emilia era preciosa para todos nós de maneiras diferentes. Mas agora, ninguém se lembra de quem ela é. Tudo o que ela fez agora está sendo atribuído a outra pessoa. Você pode pensar de qualquer coisa que pudesse fazer isso?"

Beatrice franziu a testa, "A magia pode apagar memórias, suponho, mas Betty nunca ouviu falar de nenhuma magia que pudesse remover um indivíduo das memórias existentes e depois encobri-las."

"Sim, não é só que as pessoas não se lembram de Emilia, elas estão atribuindo coisas que ela fez a mim e a outras pessoas", acrescentou Subaru.

Beatrice balançou a cabeça, "A magia não pode fazer isso, eu suponho. Esta é a distorção da realidade. Somente uma Autoridade concede tal poder."

"E isso significa que os arcebispos estão envolvidos", resmungou Subaru, "suponho que você não saiba qual deles?"

Beatrice balançou a cabeça.

"Bem, isso não ajuda muito," Subaru suspirou. Ele pensou sobre isso franzindo a testa, "Betty, então Roswaal disse que eu tenho uma Autoridade. Você tem alguma ideia de como eles funcionam?"

Betty inclinou a cabeça.

"Quero dizer," Subaru tentou colocar seus pensamentos em palavras, "Se uma Autoridade fez isso com Emilia, há alguma forma de eu poder usar minha Autoridade para desfazer isso?"

"Espere um segundo! Subaru, quando você conseguiu uma Autoridade?!" Puck engasgou.

Beatrice balançou a cabeça, "Betty não sabe muito sobre como as autoridades funcionam, eu suponho. Betty apenas sabe que eles são muito mais poderosos do que qualquer outra forma de magia e seguem muito menos regras."

Subaru se recostou no sofá de Emilia com Beatrice em seus braços e Puck nos dela, "Tudo sempre volta para as Autoridades para o bem ou para o mal", ele murmurou.

"As autoridades são exclusivas do usuário. Não há duas autoridades se manifestando exatamente da mesma maneira, suponho", respondeu Beatrice, "embora algumas manifestações tenham características gerais em comum. O poder de uma autoridade é o poder de ignorar as leis da física e magia de alguma forma. Que autoridade Roswaal disse que você tinha?"

"Orgulho", respondeu ele.

Beatrice desanimou ligeiramente, "Betty esperava que pudesse ter sido Greed, eu suponho", ela sussurrou.

"Por quê? Que diferença isso faria?" Subaru perguntou.

Beatrice apenas balançou a cabeça.

"Isso parece meio estranho, Subaru," Puck meditou, "quero dizer, você tem seus defeitos; principalmente lidar com ser muito estranho e ocasionalmente meio burro, mas não acho que a arrogância seja uma das suas principais características."

"Puxa. Obrigado, Puck," Subaru resmungou, "Tudo bem. Por mais infeliz que seja descobrir que sou uma bruxa, talvez isso me deixe reverter o que está acontecendo aqui. Precisamos apenas descobrir como. Roswaal disse que minha Autoridade se tornaria mais poderosa com o tempo. Ele disse que eu desenvolveria uma afinidade com ela e aprenderia a controlá-la, mas não sei o que isso significa."

"Eu ouvi que as autoridades se tornam mais poderosas conforme o portador sucumbe às suas próprias falhas, Subaru," Puck respondeu.

"Então, basicamente, se eu quiser desbloquear todo o poder da Autoridade do Orgulho e dobrá-la à minha vontade, eu só preciso me tornar mais arrogante", Subaru esfregou a testa com uma risada triste.

"Betty acha que a própria ideia de um mortal ganhando o controle de uma Autoridade já é arrogante, na verdade", disse ela.

Garfiel, Felt e os gêmeos haviam deixado Subaru e os espíritos inteiramente sozinhos. Subaru não gostava de pensar no que eles poderiam estar dizendo na frente.

Em todo caso, ele teve várias horas para pensar cuidadosamente no que diria a Emilia.

Infelizmente, ele não tinha chegado a nenhuma conclusão brilhante quando ela finalmente se mexeu e seus olhos se abriram.

"Subaru," ela sussurrou.

"Emilia," Ele respondeu rapidamente pegando a mão dela.

Seu olhar se moveu para cima de seu ombro, onde ele sabia que Beatrice e Puck estavam sentados.

"Puck!" Ela engasgou e seu sorriso era como o sol nascendo. Ela estendeu os braços para ele.

Subaru sabia sem se virar que Puck não estava se movendo ou mesmo sorrindo para ela. Ele estava olhando para Emilia com dúvida.

O rosto de Emilia piscou, "Papai?" Ela sussurrou: "O que há de errado?"

"Emilia," Subaru disse respirando fundo, "Só... olhe para mim por um minuto, ok?"

Emilia voltou sua atenção para Subaru, com a testa franzida de preocupação.

"Escute, hum, tenho muito a lhe contar e nada disso será fácil de ouvir", disse Subaru com tristeza: "Então, preciso que você seja muito corajoso agora e que se lembre de que estamos nisso juntos e, não importa o quão ruim as coisas fiquem, nós encontraremos uma maneira de consertá-las."

Emilia olhou para Subaru, aparentemente desejando não olhar para mais nada. Ela engoliu em seco, "Tudo bem."

"A primeira coisa que preciso dizer é que descobrimos que o sangue de dragão do Reino parece ter acabado. Eles não têm mais nada para nos dar para a floresta", disse Subaru, apertando a mão dela suavemente.

Emilia ofegou. Ela olhou para Subaru com o rosto se contorcendo de horror.

"Respiração profunda, Emilia," Subaru instruído, "Não temos um plano para curar a floresta agora, mas isso não significa que vamos desistir. Tenho muito boas razões para acreditar que há outra maneira de salvar a floresta, então eu quero que você tente ficar calmo agora. Eu... eu na verdade tenho algo pior que preciso lhe contar."

"Pior ?" Emilia perguntou em estado de choque.

Oh meu Deus. Como você dá más notícias como essa para alguém? Dizer a ela que ela estava morrendo de câncer e tinha dias de vida seria mais fácil do que isso!

"Emilia, acho que você foi colocada sob algum tipo de maldição estranha", disse Subaru gentilmente.

"Uma maldição? Como o quê?"

Ele respirou fundo, "Temo que... as memórias de todos sobre você tenham sido danificadas. Ninguém exceto eu... se lembra de quem você é."

O queixo de Emilia caiu. Ela olhou para Subaru como se esperasse que ele dissesse 'só brincadeira'. Subaru só conseguiu sentar e apertar a mão dela.

Finalmente, Emilia olhou para Puck que estava descansando nos braços de Beatrice parecendo inseguro.

"Papai?" Ela perguntou melancolicamente.

"Hum," Puck murmurou, "Olá, Emilia. É um prazer conhecê-la."

A boca de Emilia se mexeu, mas nenhum som saiu.

"Puck," Subaru persuadiu enquanto Emilia segurava sua mão como uma tábua de salvação, "Esta é a filha de quem eu estava falando: Emilia. Você tem um contrato com ela há cerca de sete anos."

Puck saiu dos braços de Beatrice e pousou no ombro de Subaru.

"Hum, eu não sei sobre isso, Subaru. Eu sei que você não está mentindo para mim, mas eu nunca tive um contrato com ninguém exceto você. Beatrice e eu estávamos esperando por você por quatrocentos anos. Não havia qualquer outra pessoa antes de nos conhecermos", Puck disse a ele sem jeito.

O rosto de Emilia desmoronou e ela começou a chorar.

Subaru a puxou para um abraço apertado e ela enterrou o rosto em seu peito.

"Eu sei, Mili," Subaru sussurrou para ela, "Eu sei como isso é difícil, mas vamos consertar. Eu prometo. Vamos quebrar essa maldição e tudo vai voltar a ser como estava. era."

"Subaru! Isso é como um pesadelo!" Emilia soluçou.

"Sim, é," Subaru concordou enquanto Emilia chorava, "Escute, Emilia, eu sei que sou um péssimo substituto para Puck, mas ainda estou aqui para você. Somos um time e este pesadelo prendeu nós dois. e nós vamos sair disso juntos."

Emilia lentamente parou de soluçar. "Sim. Sim, vamos", disse ela com firmeza, "Enquanto você e eu estivermos juntos, podemos fazer qualquer coisa."

"Essa é a minha Mili!" Subaru aplaudiu.

Emilia respirou fundo algumas vezes e pareceu se recompor. Ela tirou a cabeça do peito de Subaru, "Olá, Puck," Emilia disse, lutando para colocar um sorriso em um rosto que ainda estava molhado de lágrimas, "Eu sou Emilia e é muito bom... conhecer você. E você também, Beatrice."

Os espíritos olharam para Emilia com curiosidade.

"Eu sinto que te conheço de algum lugar, mas não consigo identificá-lo..." Puck resmungou, parecendo irritado.

"Betty não se lembra de você, mas se o Subaru de Betty gostar de você, Betty também o aceitará", acrescentou Beatrice.

Emilia quase riu: "Obrigada, Beatrice. Agradeço isso."

"OK, pessoal", disse Subaru, "temos uma prioridade número um agora: desfazer o que quer que tenha acontecido com Emilia."

"Desfazer algo que não podemos nem mesmo definir é uma tarefa complicada, eu suponho", Beatrice respondeu.

"Sem discussão", disse Subaru, "mas sabemos que a magia normal não poderia ter feito isso, então tinha que ser uma Autoridade, certo? Poderia ser outra coisa?"

Beatrice pensou sobre isso e balançou a cabeça: "Supondo que essa 'Emilia' não tenha simplesmente enfeitiçado você para acreditar que ela é sua amiga quando na verdade ela não é-"

"Ei!" Subaru objetou.

"Então, não. Fazer com que as pessoas não apenas esqueçam uma pessoa, mas associem suas ações como sendo feitas por outra tão perfeitamente vai além da magia, eu suponho. Isso é uma distorção da realidade e apenas as autoridades dão a seus detentores o poder de deformar as leis da natureza e magia. Isso também explica por que você pode não ter sido afetado: sua Autoridade pode ter protegido você do poder da outra Autoridade", concluiu Beatrice.

"Sim. Ei, Subaru, podemos voltar a isso por um segundo?" Puck perguntou queixosamente, "Desde quando você adquiriu uma Autoridade? E por que você nunca nos contou?"

"Eu gostaria de uma resposta para essa pergunta também, Subaru", concordou Emilia.

Subaru suspirou, "OK, então a história completa é que eu nunca disse a você que tinha uma Autoridade porque nem sabia que isso significava alguma coisa. Até Roswaal trazer o assunto à tona, eu apenas pensei que Autoridade era algum tipo de título chique, algo para agrupar habilidades como Indomável e... "Ele parou.

"E o que?" Perguntou Emilia.

Razão e Julgamento...

Subaru hesitou e encolheu os ombros, "Você sabe, apenas minha magia," ele concluiu sem muita convicção, "De qualquer forma, recebi minha Autoridade alguns minutos depois de vir a este mundo, embora tenha demorado um pouco para descobrir como usar suas habilidades. Roswaal afirmou que tem muito mais poder do que eu usei até agora. Talvez até o suficiente para desfazer as memórias de Emilia ou para restaurar a floresta Elior."

"Hum, então, Subaru, consertar aquela floresta é algo que estamos tentando fazer agora?" Puck perguntou em uma voz confusa.

Emilia e Subaru trocaram um olhar cansado e ambos suspiraram.

"Sim, amigo," Subaru respondeu, "Emilia nasceu na floresta Elior e a razão pela qual eu me juntei à seleção real em primeiro lugar foi para ajudar Emilia a adquirir o sangue do dragão para que pudéssemos curar a floresta." terminou tristemente.

"Oh! Então é por isso que estávamos fazendo tudo isso!" Puck respondeu, "Huh. Eu sempre achei que você estava apenas tentando se tornar rei porque você era um cara muito legal que queria tornar as coisas melhores para todos."

Subaru bufou, "Sim, que bom que pude corrigir esse equívoco."

"Subaru é uma pessoa maravilhosa que está sempre tentando ajudar os outros, até eu. Puck não estava errado," Emilia interrompeu, dando a Subaru um olhar irritado.

"Viu? Como eu disse," Puck concordou com Emilia.

"Se Betty pudesse colocar essa conversa de volta nos trilhos", disse Beatrice em um tom de aborrecimento, "Betty se lembra de Capella nos dizendo que o sangue havia sumido bem antes de Betty entrar em colapso. Ela alegou ter bebido tudo se Betty se lembrava corretamente."

"Ela bebeu o sangue?" Emilia perguntou espantada.

"Você não conheceu Capella, Emilia. Acredite em mim, beber sangue é algo que eu suponho que não seja terrivelmente incomum para ela," Subaru resmungou.

"Então o sangue acabou", sussurrou Emilia.

"Se acreditarmos nela", Beatrice fungou, "Será que acreditamos nela, de fato, Subaru?"

"Faz sentido," Subaru suspirou, "Afinal, se o reino ainda tinha sangue, por que não o teriam usado para curar o rei e sua família?"

"Bom ponto," Puck observou.

"Mas", Emilia começou, "não podemos simplesmente pedir mais sangue depois de reformarmos o pacto com o dragão?"

"De acordo com Capella," Subaru respondeu, "O sangue poderoso de que precisamos para acabar com a maldição não é apenas qualquer sangue de dragão: ele precisa vir do último batimento cardíaco de um dragão. Então, novamente, não tenho certeza se eu sou tão disposto a acreditar nela sobre isso-"

"Betty pode confirmar, suponho" Beatrice resmungou, "O sangue mais forte, o sangue que quebra a maldição, deve vir da morte de um dragão."

"OK, então como o reino conseguiu algum em primeiro lugar? O dragão ainda estava vivo, eu pensei," Subaru perguntou.

"Provavelmente por matar outro dragão, eu suponho" Beatrice deu de ombros.

Subaru suspirou, "OK, bem. Consertar as memórias de todos de Emilia é nossa primeira prioridade agora, mas alguém pode pensar em outras abordagens para quebrar a maldição na floresta? Talvez um talismã ou um feitiço ou algo assim? Eu realmente não quero tem que ir caçar dragão."

"Subaru!" Emilia protestou: "Não podemos matar um ser senciente só porque precisamos do sangue deles!"

"Emilia, eu duvido muito que pudéssemos matar um período de dragão, não importa quais fossem nossas motivações. Então, alguém pode pensar em outra maneira de quebrar a maldição na floresta sem depender de sangue de dragão?" Subaru perguntou.

Beatrice e Puck trocaram um longo olhar e então balançaram a cabeça, "Desculpe, Subaru," Puck respondeu, "Mas eu não acho que nada além do sangue de Dragão funcionaria em uma maldição dessa magnitude."

"OK," Subaru balançou a cabeça, "Então talvez a caça ao dragão esteja em nosso futuro. Existe alguma maneira de uma Autoridade quebrar a maldição?"

"Autoridades distorcem a realidade. Não há nenhuma razão em princípio que uma Autoridade não pudesse fazer isso, mas o detentor de uma Autoridade geralmente não tem voz na forma que sua Autoridade assume, eu suponho" Beatrice respondeu.

"Hum, gostaria de explicar isso um pouco mais, Beako?" Subaru perguntou.

Beatrice franziu a testa, pensativa, "Reinhard van Astrea tem um grande poder, na verdade. Reinhard seria poderoso o suficiente para curar qualquer ferida em um aliado. Reinhard não pode curar feridas, entretanto. Esta não é a forma que seu poder assume."

"Entendi," Subaru suspirou, "Então minha Autoridade até agora assumiu uma forma que não tem nada a ver com quebrar maldições. Isso pode ser o fim da história, mas Roswaal deu a entender que com o tempo eu seria capaz de controlar minha Autoridade."

Beatrice olhou para Subaru franzindo a testa, "Poucos desenvolvem o poder e a harmonia para comandar sua Autoridade conscientemente, eu suponho. Dizem que a Bruxa da Inveja chegou perto", Beatrice meditou, seu olhar cintilando em direção a Emilia. sobre uma bruxa poderosa do mundo antigo que dominou completamente sua Autoridade relativamente fraca e poderia remodelar a realidade de acordo com sua vontade."

"Isso soa como um bom poder!" Subaru disse: "Você sabe mais alguma coisa sobre essa bruxa?"

Beatrice balançou a cabeça: "Nem mesmo o nome dela, suponho. Ela era considerada um segredo entre os segredos, mesmo quando a mãe de Betty era viva. Há muito pouca informação sobre ela."

Subaru franziu a testa, "Bem, vamos manter nossos olhos abertos para mais informações então. Se essa bruxa foi capaz de fazer tudo isso, então deve haver uma maneira de eu fazer isso também. Essa pode ser nossa única chance de salvar Emilia e a floresta."

"Subaru", sussurrou Emilia, parecendo preocupada. "Você tem certeza disso?"

"Sobre o que?"

"Sobre usar sua autoridade", disse Emilia. "Isso é bruxaria! É perigoso. Pode fazer coisas ruins com você."

"Tenho usado desde que cheguei aqui sem muitos problemas", Subaru deu de ombros.

Acho que não é tecnicamente uma mentira.

"O meio-elfo tem um argumento válido, eu suponho", disse Beatrice cruzando os braços, "Muitas pessoas que adquirem essa magia negra são dominadas por sua Autoridade, e não o contrário. Elas são devoradas pelo poder e isso confunde suas mentes."

"OK, isso soa mal, como podemos evitar isso?" Subaru perguntou.

Os espíritos se entreolharam, "Honestamente? Eu não tenho idéia, Subaru," Puck respondeu, "Não há tanta informação assim sobre o tópico de Autoridades."

"Nem mesmo na sua biblioteca?" Subaru perguntou a Beatrice.

Beatrice desviou o olhar parecendo envergonhada, "A biblioteca de Betty não está completa, eu suponho" Ela murmurou baixinho.

"Volte novamente?"

Betty mordeu o lábio, "Mamãe deixou para Betty apenas alguns de seus preciosos tomos, na verdade. Suas reflexões pessoais sobre os maiores mistérios da magia foram garantidas em outro lugar."

"Onde é isso?"

Betty bufou, seu rosto brilhando vermelho, "Betty não sabe, eu suponho!"

Subaru com muito cuidado escondeu um sorriso: "Bem, então teremos que encontrá-los! Esses livros podem ser a chave para resolver todos os nossos problemas. Além disso, eu me sentiria mal se os livros de sua mãe não acabassem em sua biblioteca, Beako."

Beatrice franziu a testa para Subaru, pensativa, "Sim", ela disse depois de um momento, "O legado de mamãe pertence à biblioteca de Betty, na verdade" Ela concordou.

"Ok," Subaru disse batendo palmas, "Então o plano é descobrir uma maneira de usar minha Autoridade para restaurar as memórias de Emilia e curar a floresta. Esta é uma magia negra que é incrivelmente perigosa e tem a mesma probabilidade de me destruir é para nos ajudar. Precisamos aprender a usá-lo e temos alguns ângulos a seguir a esse respeito: Temos os livros de magia, embora ninguém tenha a menor ideia de onde eles podem estar localizados, e temos a lenda de uma bruxa de terrível poder cujo nome nem sabemos. Isso resume tudo?"

Emilia olhou para Subaru, "Subaru, tudo isso é engraçado para você?!"

"Engraçado? Não. Na verdade, estou tentando tranquilizar a todos agindo com confiança agora", esclareceu Subaru, "É meio difícil agir com confiança quando estamos lidando com tudo isso. Eu pensei quando escapamos do Santuário que nós poderia pegar leve por um tempo. Agora o mundo está jogando toda essa merda em nós!"

Emilia suspirou: "Ninguém se lembra do que eu fiz, lembra? Lutei tanto para completar os testes e salvar os aldeões e agora ninguém sabe quem eu sou."

"Sim," Subaru disse sério, "Você ainda é um herói para mim, Mili!"

Emilia sorriu tristemente, "Obrigada, Subaru. Talvez deva ser o suficiente, mas..." Ela olhou para os dois espíritos que ainda a olhavam com ceticismo.

"Nós vamos consertar isso!" Ele prometeu pegando a mão dela, "Nós vamos trazer as memórias de todos de volta e Puck vai nos deixar loucos por vários dias com o quão culpado ele se sente por ter se esquecido de você!"

"Ei! Subaru, me deixe fora dessa conversa animada!" Puck reclamou.

Emilia riu.

"Ok, pessoal," Subaru disse levando Rem, Felt e Garfiel para o trailer enquanto os dragões de terra descansavam. Ram foi trazido para dentro e colocado de volta no sofá, ainda inconsciente. "Eu quero que todos vocês conheçam Emilia."

Emilia ficou sentada parecendo apreensiva.

Felt, que se tornara um amigo querido de Emilia durante a estada no Santuário, agora olhava para ela sem reconhecê-la. Felt olhou para o cabelo e as orelhas de Emilia e mordeu o lábio. O olhar de Felt não parava de voltar para Subaru, como se perguntasse se ele tinha certeza disso.

Rem, que sempre fora gentil e educado com Emilia, senão amigável, tinha um rosto duro como ferro. Seus braços estavam firmemente cruzados sobre o peito. Emilia viu que Rem havia trazido sua maça com ela para esta apresentação.

Garfiel fez uma careta para Emilia, mas nada havia mudado ali. Seu olhar era duvidoso quando se desviou para Subaru.

Emilia olhou para os espíritos que estavam sentados no sofá em frente a ela parecendo igualmente não convencidos. Principalmente Puck.

Emilia respirou fundo, "É maravilhoso ver todos vocês de novo", disse levantando-se e fazendo uma pequena reverência a todos, "Meu nome é Emilia. Apenas Emilia."

Rem olhou furioso para ela. Felt e Garfiel olharam para Subaru com incerteza.

"Ei, Subaru," Felt murmurou, "Você tem... certeza de que conhece essa garota?"

"OK", começou Subaru, "eu sei que essa situação é realmente estranha para todos os envolvidos, mas é a verdade. Algo apagou Emilia da memória de todos. Precisamos descobrir uma maneira de desfazer isso."

Felt e Garfiel se entreolharam, impotentes, por um longo momento.

Finalmente, Felt balançou a cabeça, "OK, chefe, isso é tudo," Felt hesitou e suspirou, " Realmente meio difícil de acreditar, mas estou no seu time. Se você disser que... 'Emilia' é nossa amiga então Estou a bordo. O que vamos fazer sobre isso?"

Garfiel não parecia convencido. Ele semicerrou os olhos para Emilia e rosnou, "Você é aquele que o Culto das Bruxas destruiu minha casa para resgatar?"

Emilia ficou absolutamente pasma com a pergunta, mas ela se esquivou, "Garf, seja o que for que o Culto das Bruxas quisesse comigo, eu duvido muito que eles pretendessem me fazer algum favor", disse ela com firmeza.

Garfiel pareceu surpreso, "Espere! Você sabe meu nome?"

Emilia respirou fundo, "Claro que sim, Garf. Acabamos de passar duas semanas juntos. Todos os dias eu saía da tumba em lágrimas depois de falhar nos testes, você diria algo sobre eu ser fraca e patética, e Felt iria ameaçá-lo."

Garfiel piscou e coçou a cabeça, parecendo inseguro.

"Hum... bem, é um prazer conhecê-la... Emilia," Felt murmurou.

"É bom ver você de novo também, Felt," Emilia sorriu.

Rem olhou para Emilia com desconfiança.

"OK", continuou Subaru, "então os espíritos e eu estivemos conversando e parece que a única explicação possível é que os arcebispos usaram suas autoridades para modificar as memórias de todos por algum motivo inexplicável."

"Espere aí, o que o faz pensar que eles fizeram isso, capitão?" Garfiel perguntou.

Subaru encolheu os ombros, "Porque de acordo com Beako, magia normal não poderia fazer isso. E se foi feito por uma autoridade, então isso explica porque eu posso ser imune aos efeitos."

- Você cheira a bruxaria - Rem interrompeu com uma carranca para Emilia.

Os olhos de Emilia se arregalaram.

Subaru inclinou a cabeça para Rem, "Sério? Você nunca disse isso antes."

Rem lançou a Subaru um olhar irritado.

Subaru abriu as mãos defensivamente, "Rem, só estou dizendo que você teve muitos encontros com Emilia e nunca comentou sobre ela cheirar a uma bruxa até agora. Duvido que você tivesse mantido isso em segredo. Você tentou me matar algumas horas depois de nos conhecermos porque eu cheirava a bruxa."

"Uau!" Garfiel disse em estado de choque: "Sério, Rem?" Ele perguntou.

Rem olhou para Subaru.

"Nós mais ou menos resolvemos isso, Garf" Subaru twittou, "De qualquer forma, talvez o novo aroma tenha algo a ver com Emilia passando nas provas?" Ele perguntou a Rem.

Rem cruzou os braços e pensou a respeito: "Mestre Otto cheirava muito mal depois que saiu da tumba", ela admitiu.

"Tudo bem, então vamos supor que isso responda a essa pergunta por agora. Temos outros problemas suficientes para lidar", respondeu Subaru.

"Então, qual é o plano, chefe?" Felt perguntou, olhando duvidosamente para Emilia, "Agora que temos uma bruxa, o que vamos fazer com ela?"

"OK, primeiro de tudo, vamos parar com a conversa das bruxas?" Subaru suspirou, "Além disso, nosso plano é praticamente o mesmo de antes: O Culto das Bruxas está atrás de nós e eles estão realmente chateados, pessoalmente, não quero vê-los novamente agora."

Felt se sentiu pálida, "Más notícias, chefe!" Ela gritou apontando para a porta traseira do trailer.

Um grupo de seis homens em mantos roxos com capuz corria desumanamente rápido pela estrada.

"OK, Puck, Beako cuide de Ram, Felt e Emilia. Garf e Rem, vamos lidar com esses perdedores," Subaru instruiu.

"Tudo bem!" Garfiel aplaudiu.

"Tente não deixar nenhum deles escapar ou eles podem trazer reforços!" Subaru gritou enquanto saltou do trailer para a estrada de cascalho.

Garfiel atacou com um grito selvagem e um sorriso selvagem no rosto. Ele se posicionou à direita de Subaru. Rem ficou à esquerda de Subaru com um olhar severo enquanto ela sacudia sua maça.

Os cultistas estavam armados com facas compridas. Enquanto eles atacavam, Subaru deliberadamente deu um passo à frente para convidá-los a concentrar seus ataques nele.

Os seis saltaram em Subaru apunhalando seu torso, mas Subaru acionou Indomitable e suas facas resvalaram. Os cultistas pareciam perplexos e incertos sobre o que fazer a seguir. Subaru se aproveitou disso para desferir um soco que quebrou a cabeça de um cultista em um gêiser de sangue. Seu capuz triangular ficou vermelho e caiu para dentro como um tomate podre.

Subaru sufocou uma ânsia de vômito ao se virar para ajudar Garfiel e Rem.

Garfiel agarrou sem esforço dois cultistas pela garganta e esmagou suas cabeças, quebrando seus crânios como abóboras caídas.

Rem balançou sua maça no peito de um cultista, esmagando-o e então girou, jogando sua maça no rosto de outro cultista com um estalo.

O último cultista tentou se virar e correr, mas a maça de Rem cortou seu tornozelo, fazendo o cultista cair no chão. Antes que ele pudesse se mover, Garfiel agarrou a cabeça do cultista e o lançou de cara na estrada com uma força terrível.

Ele ficou imóvel.

"Huh," Garfiel bufou, "Sabe, capitão, depois de lidar com Roy, meu magnífico eu esperava me divertir mais com o Culto do que isso."

"Você ainda pode realizar seu desejo, Garf, se os arcebispos nos encontrarem!" Subaru respondeu. "Todos voltem para dentro!" Subaru disse já correndo de volta para o trailer seguido por Rem.

Garfiel parecia confuso e teve que se apressar para alcançá-lo.

"Rem, os dragões da terra tiveram um descanso longo o suficiente?" Subaru perguntou.

- Não, mas é melhor irmos de qualquer maneira - Rem respondeu laconicamente. Ela correu de volta para a plataforma do motorista seguida por Felt.

"Ei, capitão, você realmente acha que os arcebispos são tão próximos?" Garfiel perguntou.

"Eu não sei, mas eu não sei o que vai acontecer quando esse grupo de cultistas não relata em portanto, melhor dar o fora daqui", Subaru explicou.

Garfiel fez uma careta. "Parece bom para mim, capitão", Garfiel respondeu correndo para a plataforma do motorista.

Subaru fez uma pausa para olhar para Emilia e os espíritos, "Vocês estão bem?"

Eles assentiram, mas Emilia parecia preocupada.

"OK, espere aqui. Eu já volto", disse Subaru saindo para a plataforma do motorista.

Rem rapidamente estimulou os cansados ​​dragões de terra a correr, o que eles fizeram com um gemido.

"Merda, capitão, talvez eu não devesse deixar Ram lá..."

"Puck e Beako vão vigiar Ram, Garf," Subaru interrompeu com aborrecimento.

Com o sol se pondo atrás dele, Subaru olhou para a estrada, "Há algum desvio por aqui? Seria realmente útil sair da estrada e entrar em outra antes que os lacaios deixem de ver seus patrões."

"Se bem me lembro", disse Rem laconicamente, "Alguns quilômetros à frente, a estrada se bifurca: um caminho vai até o capitólio e o outro leva à cidade de Miseri."

"Não tenho certeza se há algo na cidade de Miseri para nós, mas precisamos mudar o curso", resmungou Subaru, pesando suas opções.

"Há uma terceira possibilidade", disse Rem, "Há também uma ampla campina perto da bifurcação. Os mercadores às vezes cortam a campina e seguem algumas estradas irregulares para chegar à rodovia do rei de volta ao capitólio. Este trailer pode ser muito grande para siga esse caminho, no entanto."

"Vamos fazer isso", decidiu Subaru, "se a estrada ficar muito estreita, Garf e eu vamos destruir algumas árvores."

Garfiel riu, "Isso parece incrível, capitão! Sabe, se eu não fosse um sem-teto e estivesse correndo para salvar minha vida agora, isso seria totalmente divertido!"

Subaru revirou os olhos, Eu já fui tão imaturo?

Felt olhou para Garfiel com uma expressão divertida e cansada.

Subaru riu: "Em primeiro lugar, você não é um sem-teto, Garf. Enquanto estiver conosco, cuidaremos de você. Ajudaremos você a pousar em algum lugar onde seja feliz. E até correr por nossas vidas vai... sim, acho que não posso realmente argumentar contra isso, "Subaru admitiu.

Garfiel riu e deu um soco de brincadeira no ombro de Subaru. Subaru mal engoliu um grito de dor.

Droga, esse garoto é forte! Preciso usar o Indomitable se ele quiser fazer isso de novo!

"Ok, vou dar uma olhada em Emilia. Me avise quando chegarmos à bifurcação", disse Subaru, voltando para dentro.

Emilia ainda estava sentada em seu sofá enquanto Betty se sentava em frente a seu Puck embalado. Todas as três partes pareciam extremamente desconfortáveis.

Subaru sentou-se ao lado de Emilia e segurou sua mão.

Emilia sorriu para ele, mas Puck e Beatrice pareciam irritados com sua escolha de sofás.

"Ok, eu não sei sobre todo mundo, mas eu tive quase todas as lutas hoje que posso aguentar. Estou pronto para encerrar a noite", Subaru suspirou fechando os olhos por um momento.

Subaru não teve certeza de quando adormeceu.

"Capitão! Acorde, seu bastardo preguiçoso! Acho que estamos sendo seguidos!" Garfiel gritou.

Subaru saiu cambaleando de um sono inquieto. Estava escuro lá fora, "O que está acontecendo?"

"Alguém está nos seguindo e ele está vindo rápido! Ele está pulando como Roy!" Garfiel rosnou de pé na porta traseira do trailer enquanto corria ao longo da estrada em uma velocidade vertiginosa.

Emilia sentou-se ao lado de Subaru parecendo assustada e os espíritos cansados ​​sentaram-se à sua frente.

Subaru saltou e saltou para a porta. À distância, ele viu uma pequena figura magra com cabelo comprido e desgrenhado pulando atrás do trailer, "Ley," Subaru rosnou.

"Ley, hein? Capitão, você disse que ele é o mais fácil, certo?" Garfiel murmurou.

"Você achou que Roy era fácil?" Subaru resmungou: "Suponho que esse cara seja pior."

Garfiel olhou para Subaru com os olhos arregalados. Quando Subaru não disse 'apenas brincando', Garfiel engoliu em seco.

- Quão longe até chegarmos àquela saída que Rem mencionou? Subaru perguntou.

"Capitão, nós o pegamos! Atravessamos uma clareira e atravessamos a floresta por uma hora! Eu até caminhei atrás de nós para ter certeza de que não estávamos deixando nenhuma trilha óbvia!" Garfiel rosnou.

"O que?" Subaru disse: "Bem, como diabos ele nos encontrou?"

"Eu não sei, porra!" Garfiel disparou.

"Os dragões não podem ir muito mais longe!" Rem chamou da frente.

"Tudo bem, Rem," Subaru gritou de volta, "Não vamos fugir assim mesmo! Dê a Felt as rédeas e volte aqui. Felt, dê um descanso aos dragões."

Rem correu para trás com a maça na mão enquanto a carruagem se detinha.

"OK, vocês dois fiquem quietos!" Subaru instruiu Garfiel e Rem enquanto o saltitante Ley se aproximava, "Não me importo o quanto você odeia o Culto das Bruxas, não estamos em forma para outra luta agora! Vou tentar nos dissuadir disso. Fique aqui e espere que fique físico antes de entrar em ação."

"Você realmente acha que vai funcionar, capitão?" Garfiel perguntou ceticamente.

Subaru encolheu os ombros: "Não sei, Garf, mas pelo menos vale a pena tentar! Conheci Ley e aposto que ele se lembra da luta que tive com Regulus. Ele pode não estar disposto a lutar comigo sozinho. Além disso, ele não parece tão brilhante. Talvez se eu disser a ele que estou seguindo as instruções de quem dirige o Culto, ele vai acreditar. Ley parece estar um pouco confuso sobre de que lado estou."

"Eu posso simpatizar," Rem murmurou.

"Oh, vá enterrá-lo, Rem!" Subaru rosnou.

Subaru saiu da parte de trás do trailer com um sorriso confiante enquanto Ley se aproximava dele. Quando Ley viu Subaru, seu rosto de sapo enrugou-se confuso, "Orgulho?"

"Ei, Ley," Subaru respondeu com um sorriso malicioso, "Suponho que você está aqui para me parabenizar por capturar o elfo."

Ley semicerrou os olhos para ele, "Você a capturou? Eu pensei que o elfo tinha fugido."

"Quem te disse isso?" Subaru disse em confusão fingida.

"Capella," Ley respondeu.

Subaru zombou, "Você está ouvindo Capella agora?" Subaru perguntou incrédulo: "Por quê? Você sabe como ela fica. A vadiazinha teve um acesso de raiva quando não pôs as mãos no elfo pessoalmente, mas eu apenas disse a ela: 'Guardiões do Finders.'"

Ley bufou: "Aposto que não deu muito certo". Ele disse com simpatia: "Não é de admirar que ela tenha enlouquecido. Você sabe que ela nos soltou para caçar o elfo?"

Subaru suspirou, "Ela ainda está tendo um ataque de raiva? Já se passaram horas desde que nos separamos! Ela ainda não se controlou?"

"Nah. Ela e Regulus estão ambos furiosos com um feiticeiro que os liderou em uma perseguição e então desapareceu", disse Ley.

Roswaal fugiu, hein? Isso é bom. Em teoria.

"Eu pagaria uma cerveja para ele se soubesse quem ele é", Subaru respondeu, "Qualquer um que irrite os dois é meu amigo."

"Essa é a verdade, Orgulho!" Ley deu uma risadinha, "Ei, qual é o seu nome, afinal? Não posso simplesmente continuar chamando você de 'Orgulho'."

"Bem, estou disposto a aceitar 'Grande', 'Sua Majestade', 'Meu Soberano', 'O Glorioso' ou 'Subaru'. Faça sua escolha, "Subaru brincou.

Ley riu alto, "Sim, você está orgulhoso. Entendi. OK, 'Subaru' então. Ei, quem são todos aqueles caras? Eles fazem parte da Ordem?"

"Eles trabalham para mim", Subaru deu de ombros, "o que significa que, enquanto eu estiver seguindo as instruções, eles também o farão."

"É justo," Ley coçou a cabeça com um suspiro, "Olha, eu vou voltar então. Eu perdi muito tempo esta noite com a palavra de Capella e não tenho nada para mostrar para estou ficando com fome."

"Tente dizer a ela para chupar você se ela quiser que você siga as instruções dela. Isso é o que eu faria", Subaru disse descuidadamente, "Acredite em mim, ela adquire todos os tipos de cores fascinantes. Não tenho certeza se é porque ela está com raiva ou excitada embora isso me preocupe" acrescentou ele parecendo desconfortável.

"Porra, não! Eu não sou tão corajoso, Orgulho! Você e Regulus podem ser capazes de repreendê-la, mas pode imaginar o que ela faria comigo?" Ley perguntou: "Ela me transformaria em uma pilha de lagartas peludas."

OK, então eu estava certo sobre a escala de poder para esses malucos.

"Sim, justo," Subaru concordou, "Isso esclarece tudo para você?"

"Quase. A única coisa que me confunde é para onde você está levando o elfo? A catedral é o outro lado."

Ah Merda. O que eu digo sobre isso?

"A catedral? Disseram-me que deveríamos levá-la ao antigo templo", disse Subaru.

"O que é isso?"

"Capella não te contou sobre isso?" Subaru perguntou.

"Ela não me diz nada, exceto para onde ir e quem matar!" Ley lamentou: "Posso estar lá na próxima vez que você fizer ela te chupar? Eu gostaria de ver isso. Err... de uma distância muito segura."

"Verei o que posso fazer!" Subaru riu, "De qualquer forma, por que você não vai sincronizar com a vadiazinha e ver qual é o próximo passo. Acho que te vejo no templo mais tarde."

"Ok, parece bom," Ley bocejou.

O coração de Subaru deu um salto.

"Deixe-me verificar o Evangelho primeiro", acrescentou Ley, tirando um pequeno livro preto do bolso.

Ele folheou algumas páginas parecendo confuso, "Estranho. Ainda está me dizendo para pegar o elfo. Alguma ideia do que se trata?"

Subaru encolheu os ombros, "Eu não poderia te dizer."

“Talvez você deva checar seu Evangelho apenas para ter certeza,” Ley sugeriu.

Subaru hesitou por uma fração de segundo, "Eu não trouxe meu Evangelho comigo. Honestamente, estou surpreso que você trouxe! Esta missão poderia ter ficado difícil. Imagine o Evangelho sendo danificado!" Ele disse em horror fingido.

Ley coçou o queixo e pensou por um momento: "Desculpe, Subaru, mas se o Evangelho me diz para levar a elfa, acho que terei de levá-la. Talvez suas instruções estejam desatualizadas. Acho que sim." vou ter que insistir."

"Insistir?" Subaru repetiu, "Sério?"

Ley acenou com a cabeça.

"Eu respeito sua determinação em seguir as instruções, Ley. Eu só acho bastante interessante que você pense que eu abandonaria minhas próprias instruções", disse Subaru com uma ameaça silenciosa, aproximando-se de Ley, "Espero que você não esteja planejando fazer exercícios físicos. sobre isso. Você deve se lembrar vagamente do que aconteceu quando Regulus e eu tivemos aquela pequena discordância."

Ley lançou-lhe um sorriso de dentes afiados, "Verdade, mas o Evangelho não me mandaria para um beco sem saída", respondeu ele.

Ley deu um chute circular na mandíbula de Subaru, mas Subaru conseguiu acionar Indomitable bem a tempo.

Ley parecia atordoado. Subaru não apenas saiu ileso, como também não foi movido por um chute que poderia ter quebrado uma pedra.

Subaru tentou dar um soco no rosto de Ley, mas o garoto pegajoso deu uma cambalhota para longe sacando suas longas adagas.

Subaru viu Rem e Garfiel pularem do trailer para flanquear ele. Ele rapidamente olhou para trás e viu Puck e Beatrice correndo para ajudá-los, deixando Emilia e Felt parados na plataforma traseira do trailer.

"Isso não vai acabar bem para você, Ley," Subaru o avisou, "Por que você não se perde antes de se machucar?"

Ley sorriu para ele, "Eu posso não ser Regulus, Subaru, mas não me subestime!"

Emilia ficou impotente enquanto o grupo lutava com Ley.

Garfiel e Rem continuaram tentando cercar o arcebispo, mas Ley sempre fugia quase casualmente. Ley era incrivelmente acrobático de uma forma que envergonhava Roy, girando e rolando para longe de todos os ataques. Todos estavam se debatendo contra o garoto grotesco e quase nunca desferindo um golpe sólido. Mesmo os espíritos não conseguiram localizá-lo. Puck desencadeou uma enxurrada de cristais de gelo, mas Ley girou, girou e deu cambalhotas ao redor deles. Beatrice tentou agarrar Ley com tentáculos sombrios, mas ele saltou sobre sua cabeça e seus tentáculos acidentalmente emaranharam Garfiel.

Ley teria vencido a luta rapidamente, exceto por Subaru. Cada vez que Ley tentava ir para a ofensiva, Subaru estava bem na frente dele e Ley rapidamente recuou sabendo que suas adagas não eram boas contra Subaru.

Ley não estava disposto a lutar com Subaru diretamente depois de ver Regulus falhar em matá-lo. Ele queria abater os outros e agarrar Emilia.

Eu tenho de fazer alguma coisa! Emilia pensou desesperadamente: Mas o quê? Eu não tenho mais minha conexão com Puck, então minha magia se foi!

Emilia balançou a cabeça, Não pense assim! Ela se repreendeu. Minha conexão com Puck é eterna! Ele é meu pai. Nenhuma bruxaria pode mudar isso! Talvez... talvez se eu me aprofundar o suficiente, ainda possa tocar essa conexão e usar um pouco de sua magia...

Ley parecia estar ficando frustrado com a luta indecisa. Quando ele saltou no ar para evitar a maça de Rem, ele saltou do peito de Garfield e se lançou a toda velocidade em Emilia, planejando agarrá-la e correr.

Felt puxou desesperadamente sua faca curta.

Emilia estava estranhamente calma. Ela sentiu a magia borbulhando dentro dela. Ela ainda podia comandar a magia de Puck. Provavelmente não muito, talvez apenas um cristal de gelo, mas se acertasse Ley corretamente, seria o suficiente para deixar os outros acabar com Ley.

Enquanto Subaru tentava desesperadamente agarrar Ley, Emilia ergueu a palma da mão na direção do arcebispo e invocou a magia. Ela não estava preparada para o que aconteceu. A magia de Puck não a respondeu.

Outra mágica fez.

Um enorme raio de luz azul-gelo que só poderia ser descrito como uma avalanche de puro poder irrompeu de sua palma. Ele correu para fora dela em uma grande explosão como um rio liberado por uma represa rompendo.

O choque da magia arremessou Felt, que nem estava na linha direta de fogo, para a estrada, deixando-a sem fôlego.

A luz atingiu o chocado Ley bem no peito e o mandou voando a trinta metros de distância. A onda de choque que Ley fez ao voar em tremenda velocidade através dos amigos de Emilia os derrubou e os jogou no chão. Subaru, que estava mais próximo de Ley, comeu um pedaço da magia e foi jogado de cara na estrada.

O garoto parecido com um sapo enrugado caiu na estrada onde caiu e rolou até que finalmente parou, seu corpo coberto de gelo. O arcebispo ergueu os olhos para Emilia com verdadeiro medo nos olhos e fugiu.

Emilia ofegou para respirar enquanto olhava para a própria mão em choque absoluto.

Um momento depois, Emilia notou um pequeno pedaço de gelo embaixo dela e estava se espalhando. A mancha de gelo rastejou lentamente sob seus pés e um momento depois um pequeno broto apareceu no gelo crescendo para cima. Cresceu dois, cinco centímetros e então cresceu folhas e um bulbo no topo. Um momento depois, o bulbo floresceu em uma bela flor de cristal feita de gelo.

Emilia olhou para a bela planta de cristal. Enquanto a geada continuava se espalhando e mais e mais flores brotavam.

Felt e Subaru estavam grogues recuperando seus sentidos enquanto o gelo se espalhava sob eles e continuava a brotar flores.

Felt gemeu, tentando descobrir o que acabara de acontecer. Ela vagamente sentiu tudo esfriar ao seu redor.

Um momento depois, ela agarrou a mão dela com um grito.

Ela sentiu como se os ossos de sua mão estivessem rachando, como se estivessem sendo rasgados por dentro.

Felt observou com horror absoluto quando uma fina haste de gelo cresceu nas costas de sua mão e se tornou uma flor de gelo desabrochando com sete centímetros de altura.

Felt gritou de dor quando a haste delgada e delicada da flor gelada ficou vermelha, o sangue subindo pela haste até que a própria flor ficou vermelha, morrendo de vermelho com o sangue dela.

Felt gritou e puxou freneticamente a flor tentando arrancá-la, mas a flor parecia mais forte do que o aço e sentiu que ela iria arrancar seus próprios ossos antes de arrancar a planta.

Sentiu o chão gritar de agonia quando mais flores começaram a brotar por todo o corpo dela. Cada um deles era lindo e delicado. As flores desabrocharam graciosamente e rapidamente ficaram vermelhas, alimentando-se do sangue de Felt.

Um estava crescendo em seu ombro. Felt ouviu um 'estalo' agudo quando as raízes cavaram fundo em seu osso do ombro e o rasgaram da mesma forma que as raízes de uma árvore racharam a pedra. A flor bebeu profundamente e ficou vermelha.

Felt não conseguiu fazer nada além de se contorcer e gritar enquanto seu corpo inteiro se transformava em uma sementeira para as flores parasitas. Sentiu vagamente a sensação de Subaru gritando ao lado dela enquanto as flores o infestavam também.

A bruxa de cabelo prateado estava ao lado de Subaru, dizendo algo, mas Felt não conseguiu entender. Seu mundo se dissolveu em pura dor enquanto as flores continuavam crescendo e se espalhando por todo seu corpo.

As mãos de Felt pareciam estar em chamas. Suas unhas se abriram quando as flores começaram a crescer na ponta dos dedos. Eles cresceram em profusão sobre seu torso e sem esforço rasgaram suas roupas. Felt estava praticamente nua agora, mas ela mal percebeu. Ela sentiu um eixo delgado começando a sair de sua língua. Felt abriu a boca desesperadamente para permitir que a pequena flor crescesse sem quebrar seus dentes.

Ela olhou para a bela flor saindo de sua boca e Felt pensou que ela ficaria louca ao sentir a flor sugando o sangue de sua língua. A visão da flor de cristal perfeitamente bela desabrochando acima dela, saindo de sua própria boca e lentamente ficando vermelha, parecia o último pedaço de insanidade que ela poderia enfrentar antes de sua mente se estilhaçar em um milhão de pedaços.

Então ela sentiu uma flor começando a brotar de seu olho esquerdo.

Emilia envolveu-se em Subaru, soluçando desesperadamente, "Subaru!" Ela gritou sacudindo-o.

Ela não tinha ideia do que fazer. As flores congeladas continuaram a florescer ao seu redor enquanto o solo congelado se espalhava. Ela vagamente percebeu que as flores congeladas estavam começando a crescer no trailer, saindo direto das paredes em completo desafio à gravidade.

Ela assistiu com horror quando uma flor gelada começou a emergir de Subaru. Ela ouviu um estalo audível quando sua raiz afundou profundamente em sua bochecha e Subaru uivou de dor.

Ela viu Garfiel pular para o lado de Felt e pegá-la. Felt estava em convulsões agora, seu corpo parecendo menos com uma menina e mais com uma batata que brotava tubérculos.

Enquanto Emilia embalava indefesa o corpo contorcido de Subaru, ela sentiu uma sombra sobre sua cabeça. Rem estava saltando em sua direção, sua maça estendida e descendo na direção de ambos.

"Afaste-se de nós!" Emilia gritou invocando sua magia novamente e explodindo todo mundo, especialmente os pequenos espíritos que voaram.

Garfiel saltou contra o chão lutando para proteger Felt do impacto enquanto Rem, que era o alvo principal, foi jogado na estrada caindo de ponta a ponta.

Garfiel balançou a cabeça e se levantou, segurando o soluçante Felt. Ele olhou fixamente para Emilia e Subaru, "Rem!" Ele gritou: "Não podemos ajudar o capitão agora! Agarre Ram! Precisamos sair daqui!"

Rem o encarou, mas acenou com a cabeça e os dois dispararam em direção à frente do trailer.

Emilia mal percebeu que eles fugiam, pois sua atenção estava completamente fixada no Subaru que chorava desamparadamente.

"Subaru! O que eu faço?" Ela implorou a ele, mas Subaru estava inconsciente e os únicos impulsos passando por seu cérebro agora eram dor e agonia enquanto as flores continuavam a rasgar seu corpo e crescer.

"O que você está fazendo, sua bruxa ?!" Beatrice gritou com ela enquanto ela e Puck voavam. Puck estava cercado por um enxame de cristais de gelo prontos para disparar e Beatrice estava envolta em uma capa de tentáculos de sombras se contorcendo apenas esperando para serem liberados. Os rostos dos dois espíritos se contorceram ferozmente ao olharem para Emilia.

"Não sei!" Emilia gritou de volta, "Puck, o que eu faço?!"

Puck hesitou, "Esta é a sua magia!" Ele retrucou friamente, "Controle-o! Puxe-o de volta!"

"Bubby!" Beatrice gritou em estado de choque: "Você vai deixá-la-"

"Quebrar a maldição vai demorar muito, Betty!" Puck retrucou, "Subaru e Felt vão morrer se não colocarmos este feitiço sob controle imediatamente. Puxe seu poder de volta, bruxa!"

"Eu não sei como!" Emilia chorou.

Betty sibilou para ela, "Se você não controlar sua magia agora, então Subaru morrerá. Ele congelará até a morte e as flores geladas beberão seu sangue."

Emilia olhou horrorizada para Beatrice e depois tentou se concentrar como nunca antes.

Ninguém precisava dizer a Emilia que ela tinha uma chance de acertar antes que os espíritos a matassem para tentar salvar Subaru. O que era pior, se ela não parasse a magia imediatamente, então era muito provável que sua maldição realmente matasse Subaru e Felt.

Emilia fechou os olhos e respirou fundo. Ela sentiu o vasto rio de poder saindo dela. Emilia nunca tinha imaginado tamanha magia. Ela não podia acreditar que poderia possuir tanto poder, muito menos controlá-lo, mas Subaru precisava dela e o fracasso não era uma opção.

Ela lutou para puxar o poder de volta. Ele resistiu. Finalmente liberada e livre, a magia não queria retornar à dormência. Ela lutou com unhas e dentes e a magia lentamente começou a diminuir. As flores congeladas cresceram mais devagar e finalmente pararam de se espalhar completamente. A temperatura normal voltou à área.

Emilia ofegou para respirar. Ela olhou para Subaru. As flores haviam parado de se espalhar, mas o corpo de Subaru ainda parecia o canteiro de flores de um louco. Ela acariciou a bochecha de Subaru. Sua pele estava pálida e fria.

"Puck! Você tem que curá-lo!" Emilia implorou.

Puck fez uma careta para ela e a boca de Emilia ficou seca. Ela nunca poderia ter imaginado Puck olhando para ela com uma aversão tão crua.

"Traga-o de volta para dentro do trailer!" O gato voador ordenou: "Não podemos colocá-lo neste gelo!"

Emilia se levantou com um salto com Subaru nos braços. Ela correu para dentro do trailer para descobrir que o chão estava congelado aqui também e as flores congeladas se espalharam por toda parte. Ela gentilmente depositou Subaru no sofá enquanto os espíritos corriam atrás dela.

Puck olhou com horror para o corpo devastado de Subaru e começou a lançar um feitiço de cura, o pequeno gato brilhando em laranja brilhante como um sol recém-nascido.

Emilia ouviu um rosnado e se virou para ver Beatrice carrancuda com puro ódio nos olhos, "A bruxa machucou o Subaru de Betty! A bruxa vai pagar!"

Emilia recuou quando Beatrice ergueu uma mãozinha que brilhava com magia roxa.

"Agora não, Betty!" Puck gritou, "Precisamos curar Subaru! Podemos lidar com a bruxa mais tarde!"

Beatrice rangeu os dentes olhando para Emilia, mas ela se virou com um rosnado e se juntou à magia de cura de Puck.

Pouco tempo depois, Subaru respirava com mais facilidade. Os espíritos tinham lutado com unhas e dentes para derreter as flores e suas feridas estavam começando a se curar de onde as raízes das flores geladas o haviam picado. O trailer ainda estava coberto de flores de geada e, apesar do ar quente, elas não davam sinais de derreter.

"Ele vai ficar bem, eu suponho", disse Beatrice, olhando carrancuda para Emilia.

Emilia baixou a cabeça ante a fúria do Grande Espírito, reconhecendo que merecia tanto ou pior.

Beatrice rosnou para ela, "Por que a bruxa machucou o Subaru de Betty?!" Ela exigiu.

Emilia se encolheu, "Eu não queria", disse ela em voz baixa.

"A bruxa quase matou o Subaru de Betty por acidente, suponho?" Beatrice disse sarcasticamente.

Emilia baixou os olhos e acenou com a cabeça.

Emilia sentiu Puck flutuando acima dela e olhou para cima. Emilia imediatamente começou a chorar. Nunca em sua vida Puck a desprezou com tanta raiva e desprezo.

"Como sabemos que você não enfeitiçou Subaru para pensar que você é amigo dele?" Puck exigiu.

"Eu... não sei fazer isso", choramingou Emilia.

"E Betty e Bubby deveriam acreditar na sua palavra sobre isso, suponho?" Beatrice estalou segurando a mão de Subaru e não olhando para Emilia.

Emilia se encolheu, "Puck saberia se eu estivesse mentindo..."

Puck olhou carrancudo para Emilia, "Você machucou Subaru," ele murmurou como se pronunciasse sua condenação, "Betty e eu esperamos para encontrar Subaru por quatrocentos anos. Ele é tudo para nós. Se Subaru não tivesse se comprometido a tentar ajudar você, eu já teria transformado você em cinzas."

As lágrimas de Emilia não paravam de cair ao ouvir Puck falar com ela assim.

Puck rosnou para ela, "Você vive apenas enquanto Subaru não decidir que você é um inimigo tentando enganá-lo, mas você jogou fora qualquer confiança que Betty e eu tínhamos em você! dedo então eu mesmo irei atrás de você bruxa e nem mesmo Subaru me implorando por misericórdia vai me impedir de reduzi-lo a pó! Estamos entendidos?"

Emilia baixou a cabeça e acenou com a cabeça, incapaz de controlar as lágrimas.

Puck bufou e voltou para Betty e Subaru.

"Betty," Puck resmungou, "Eu vou encontrar os outros e deixá-los saber que é seguro voltar para o trailer. Precisamos nos mover. Fique de olho na bruxa."

Emilia se encolheu com Puck se referindo a ela dessa maneira.

"Betty acha que essa é a coisa mais desnecessária que seu Bubby já disse," Ela respondeu enquanto Puck voava para fora da janela.

Emilia caminhava com as pernas dormentes pelo campo de flores geladas que cresciam no trailer. Ela afundou no sofá que ficava em frente ao Subaru, enterrou o rosto nas mãos e chorou.

Beatrice olhou para ela com ódio absoluto, "As palavras de Bubby não foram ociosas, bruxinha", Beatrice disse com uma voz fria, acariciando o rosto de Subaru, "Ameace nossa família de novo e não vamos deter nossas mãos."

Puck flutuou bem acima do trailer, obtendo uma visão clara da área circundante. O trailer estava em uma enorme mancha de gelo e seu corpo estava enfeitado com flores de cristal crescendo em todas as superfícies. As flores se espalharam pela estrada e foi um pequeno milagre que nenhuma tivesse infectado os dragões de terra em seus arreios.

Puck viu Garfiel, Felt e os gêmeos reunidos a uma curta distância da estrada e ele voou até eles.

Garfield e Rem estavam lá ofegantes enquanto Ram estava deitado no chão inconsciente e Felt tinha desmaiado com as flores vermelhas congeladas ainda crescendo em profusão por todo o corpo dela.

"Mestre Puck!" Rem gritou: "Você e Lady Beatrice estão bem?"

"Sim, estamos bem," Puck murmurou, pairando diante deles.

"E o capitão?" Garfield exigiu.

"Ele desmaiou, mas está estável. Betty e eu quebramos a maldição da bruxa e curamos seus ferimentos," Puck resmungou.

"Sério? Ei, você pode fazer o mesmo com Rem e o camarão?" Garfield perguntou.

Puck olhou para Rem. A empregada havia quebrado as flores de seu corpo, mas ainda estava sangrando de feridas profundas em vários lugares, "Sim, eu posso curar Rem."

Puck brilhava em um laranja brilhante enquanto usava sua magia para estancar o sangramento de Rem e curar suas feridas. Alguns momentos depois, Rem estava completamente curado.

Rem fez uma reverência graciosa, "Obrigado, Mestre Puck."

"Sim, não mencione isso," Puck murmurou distraidamente enquanto descia para inspecionar Felt, que parecia quase inconsciente ou catatônico, "Uau, ela está mal. Talvez até pior do que Subaru. Isso pode levar alguns minutos," Ele observou começando a curar suas feridas e derreter as flores vermelhas.

"Que porra essa bruxa está fazendo agora?" Garfield exigiu.

"A última vez que verifiquei, ela estava sentada no sofá soluçando," Puck resmungou, "Betty está olhando para ela."

Garfiel olhou para Puck, "Besteira!"

"Isso é o que ela estava fazendo," Puck respondeu.

"Uma bruxa que tem poder suficiente para fazer... seja lá o que diabos ela acabou de fazer com todos nós, agora está enrolada em uma bola chorando como uma garotinha? Besteira!" Garfield proclamou.

"Deve ser um estratagema", disse Rem, esfregando seus membros doloridos, "Ela provavelmente está esperando nos fazer sentir pena dela."

"Esse é o meu palpite," Puck concordou focando em Felt.

"Então o que diabos vamos fazer sobre isso?" Garfield exigiu: "Essa bruxa é perigosa pra caralho! Ela quase nos matou e quase destruiu o trailer!" Garfiel fez uma pausa e percebeu: "Ela fez de propósito, não foi ?! Ela deliberadamente nos prendeu aqui para que os arcebispos que vinham atrás dela tivessem tempo de alcançá-la!"

"Se a bruxa queria nos prender aqui, acho que havia maneiras mais eficazes de fazer isso", Rem respondeu.

"Ela não tinha nenhuma má intenção que eu pudesse detectar," Puck admitiu de má vontade, "Bruxas geralmente não. Elas matam pessoas por indiferença e descuido. Esta bruxa em particular também é muito fraca e incompetente para controlar sua própria magia e isso coloca todos nós em seu próprio tipo de perigo. E isso até mesmo ignorando a possibilidade de que ela está usando sua Autoridade para proteger seus pensamentos de mim."

"Ela pode ter falhado em nos prender desta vez, mas não devemos dar a ela uma segunda oportunidade," Rem respondeu, "Podemos salvar o trailer?"

"Isso não deve ser um problema. Eu olhei antes de vir te encontrar," Puck disse, "Não há flores que possam travar as rodas ou algo assim, então o trailer deve funcionar do jeito que sempre funciona."

"Sim, isso é ótimo e tudo, sério," Garfiel resmungou sarcasticamente, "Mas devo perguntar de novo: e a bruxa?" Garfield exigiu Rem.

Rem deu a ele um olhar cansado.

"Temos que fazer algo sobre ela!" Garfield gritou: "Não podemos simplesmente sair dirigindo pela estrada com um monstro sentado atrás de nós! O que é isso, Michael e a boneca viva?"

Rem parecia confuso com o idioma.

"Você tem uma sugestão?" Puck perguntou cruzando os braços.

"Minha sugestão é: vamos matá-la!" Garfiel disparou.

Rem pensou sobre isso, "Certamente parece ser um objetivo sensato", ela concordou, "Mas não tivemos muita sorte contra ela na última luta."

"Ela nos pegou de surpresa!" Garfield rebateu.

"Isso é verdade, Garf, mas só teremos mais uma chance de matá-la. Duvido que ela nos deixe escapar tão facilmente da próxima vez", Rem apontou, "Devíamos esperar até que Subaru e a irmã acordassem para então planejar nosso ataque juntos. Nós quatro e os Grandes Espíritos devemos ser capazes de acabar com uma bruxa."

"E o que faremos com ela até então?" Garfield perguntou com um estalo de suas mandíbulas, "Você gostaria que eu fizesse uma xícara de chá para ela?"

Puck deu de ombros: "Pessoalmente, Garf, sugiro que você siga seu próprio conselho: dirija pela estrada com o monstro sentado atrás de você. A menos que alguém tenha uma sugestão melhor. Os Arcebispos do Pecado ainda estão atrás de nós, então é melhor continuarmos. Betty, eu vou vigiar a bruxa para ter certeza que ela fique fora de problemas, mas vocês todos devem ficar fora do trailer de qualquer maneira."

Puck olhou para Felt. Todas as flores derreteram. Suas feridas ainda pareciam inflamadas e doloridas, mas ela respirava com mais facilidade. Puck não sabia dizer se ela estava inconsciente ou apenas em estado de choque.

"ECA!" Garfield rosnou enquanto pegava o corpo adormecido de Ram do chão.

"Não, Garf," Rem disse com firmeza.

Garfiel suspirou e entregou Ram para sua irmã. Rem carregou Ram de volta para a plataforma do motorista, deixando Garfiel para gentilmente pegar Felt e segui-la.

"Essa merda é tão estúpida," ele resmungou.

Subaru grogue sentou-se no sofá, "Ugh. O que aconteceu?" Ele murmurou. Ele viu o cristal verde de Puck sentado ao lado dele.

"Subaru!" Emilia gritou, pondo-se de pé.

Subaru esfregou os olhos. Ele viu Emilia murchando sob os olhares de Puck e Beatrice. Emilia baixou a cabeça e voltou a sentar-se lentamente.

Era quase noite, "Hum, ei pessoal. Eu perdi alguma coisa?" Subaru perguntou.

Puck ainda estava olhando carrancudo para Emilia, "Bem, você sentiu falta de morrer, Subaru, mas por pouco," Puck rosnou.

Subaru olhou em volta perplexo. O trailer havia se tornado um jardim mágico cheio de plantas feitas de gelo. Eles estavam até crescendo diretamente para fora das paredes em completo desafio à gravidade. "O que diabos aconteceu aqui? Quando nós plantamos um jardim?"

Os espíritos se entreolharam, "Você está se sentindo bem, Subaru?" - Beatrice perguntou.

“Hum, um pouco confuso, honestamente,” Subaru respondeu, “O que aconteceu?

"Você estava muito mal, Subaru," Puck respondeu caindo nas mãos em concha de Subaru enquanto Beatrice pulava no sofá ao lado de Subaru e descansava a cabeça contra seu peito. Subaru passou um braço ao redor de Beatrice para segurá-la perto, "Embora, eu suponho que Felt foi honestamente pior. Rem teve alguns ferimentos, mas nada tão sério. Ram e Garfield escaparam com arranhões."

"Bem, isso é bom. Quero dizer, não tão bom para Felt, mas ainda assim. Então, o que exatamente aconteceu?" Ele perguntou.

Os espíritos olharam carrancudos para Emilia.

Emilia baixou a cabeça de vergonha.

Subaru tossiu nervosamente, "OK, estou sentindo que todos culpam Emilia por essa bagunça mas, hum, talvez vocês possam explicar com um pouco mais de detalhes?"

"A bruxa lançou uma maldição, na verdade," Beatrice rosnou para Emilia, "Ela congelou toda a área e começou a espalhar sangue bebendo flores geladas por toda parte. As flores tentaram comer o Subaru de Betty e os outros!"

Subaru olhou boquiaberto para Beatrice. Ele olhou para Emilia que estava sentada chorando, "Mili, como você fez isso?"

"Eu não sei, Subaru," ela choramingou, "Eu sinto muito. Eu não sei o que aconteceu-"

"Não, Emilia," Subaru interrompeu," Como você fez isso? Eu sei que foi um acidente, você não precisava me avisar sobre isso. Mas como você fez isso? Você sempre precisou contar com Puck para a maior parte da sua magia, mas agora de repente você conseguiu fazer isso? Você nunca teve esse tipo de poder antes, então o que acontece?"

Emilia franziu a testa e refletiu: "Eu não sei. Você está certo, nunca fui capaz de fazer nada nessa escala, pelo menos não desde que descongelei o gelo. Pensei que tinha acabado toda a minha magia amaldiçoando a floresta. Eu gostava de não ter mais tanto poder, então não investiguei."

"O que você quer dizer com 'descongelado do gelo'?" Puck rosnou.

"Eu explicarei mais tarde," Subaru meditou, "Puck, eu tenho uma pergunta para você: se Emilia tivesse sido anteriormente contraída com um Grande Espírito, isso poderia ter absorvido a maior parte do poder natural de Emilia ou talvez o espírito pudesse tê-lo suprimido de outra forma?"

Puck parecia exasperado, "Subaru, estou te dizendo, não me lembro de nunca-"

"Eu sei, Puck," Subaru suspirou, "Pense nisso como uma questão hipotética."

"Bem," Puck flutuou no ar e cruzou os braços enquanto pensava, "Quero dizer, um contrato com um Grande Espírito absorve muito mana. A maioria das pessoas não conseguia formar um."

"Espere, então como estou fazendo isso? Muito menos fazendo isso com vocês dois ao mesmo tempo?" Subaru perguntou.

"Oh, você tem uma tonelada de magia, Subaru, embora seja quase totalmente inerte. Acho que é por causa da sua Autoridade. É engraçado, mas eu nunca pensei sobre como era estranho que você tivesse tanta magia antes. Você provavelmente poderia fazer um contrato com todos os Grandes Espíritos do mundo, mesmo sem perceber o ralo."

Beatrice beliscou o lado de Subaru, "Não tome isso como uma sugestão, na verdade!"

"Ai! Não se preocupe, Beako. Não estou pensando em expandir nossa família", respondeu Subaru. Ele hesitou, "Pelo contrato de qualquer maneira," Subaru emendou. "Ok, então se Emilia foi contratada por um Grande Espírito anteriormente, isso poderia explicar por que sua magia parece muito mais forte agora?"

Puck pensou sobre isso enquanto olhava carrancudo para Emilia, "Na verdade não, Subaru. A lacuna entre o que você descreveu como sua magia e o que ela realmente possui é muito grande. O resto teria que ter sido selado magicamente."

"Um espírito poderia fazer isso?" Subaru perguntou.

"Claro, se ela estava disposta a permitir, mas por que eles fariam?" Puck perguntou.

"Talvez o espírito fosse realmente superprotetor e estivesse preocupado que Emilia pudesse se machucar usando uma magia que ele não tinha certeza se ela conseguiria controlar?" Subaru sugeriu olhar culpado para Emilia.

Emilia suspirou e baixou a cabeça.

"Hm. Esse espírito teve bom senso, eu suponho", disse Beatrice com uma voz ríspida.

"Esse é o meu Beako para você," Subaru suspirou, "Não faz prisioneiros, não sofre idiotas." Ele balançou a cabeça, "Emilia, você está bem?"

" Emilia está bem, de fato?!" Beatrice interrompeu: "Esta bruxa não sofreu um arranhão! Fomos o resto de nós que sofremos, incluindo o Subaru de Betty! A bruxa deveria partir imediatamente. Ou ser reduzida a cinzas..."

"Já chega, Beako," Subaru disse tentando soar paciente e firme, "Eu sei que você não se lembra dela, mas nós quatro realmente somos uma família e Emilia precisa da nossa ajuda agora."

Puck e Beatrice compartilharam um olhar que era igualmente preocupado e exasperado.

"Subaru, eu não tenho certeza se você percebeu o quão perto você esteve de morrer por causa dessa garota," Puck resmungou.

"Acredite em mim, Puck, não foi a primeira vez," Subaru sorriu.

"Subaru!" Emilia reclamou.

"Como você está se sentindo, Emilia?" Subaru perguntou pacientemente.

Emilia o encarou incrédula, "Subaru! Eu quase matei você! Eu quase matei Felt!"

"Sim, eu sei, Mili, eu estava lá," Subaru disse calmamente, "Eu agradeço por você não ter realmente me matado. Eu quero ir dar uma olhada no Felt."

"Betty acha que a admirável bondade e empatia de Subaru pode estar indo longe demais quando começa a ser aplicada a bruxas, na verdade", murmurou Beatrice.

"Bem, a primeira coisa primeiro", disse Subaru, "Emilia, você tem sua magia sob controle agora?"

Ela mordeu o lábio e acenou com a cabeça.

"OK, isso é bom", disse Subaru sentindo o trailer começar a desacelerar e parar ao lado da estrada, "Quanto tempo eu dormi?"

Beatrice coçou o queixo, "Quase vinte e quatro horas, suponho? Seu mana estava quase esgotado."

"Felt quase não tem mana, então ela se livrou mais facilmente disso. Ela acordou bem rápido assim que eu curei suas feridas. Provavelmente vamos parar para jantar agora e os outros vão fazer um pouco de comida", acrescentou Puck.

"Ok, ótimo," Subaru murmurou levantando-se.

Ele imediatamente ficou tonto e desabou no sofá.

"Ei! Subaru!" Puck protestou, "Pega leve! Você perdeu metade do sangue de seu corpo ontem!"

"Bem, você não ouve isso todos os dias," Subaru murmurou esfregando a testa. "Só para comparação, alguém sabe quanto sangue eu perdi quando Elsa me estripou?"

"Subaru prometeu a Bubby e Betty que eles ficariam juntos para sempre", resmungou Beatrice, "Betty reconhece que Subaru é mortal, mas ele poderia parar de quase morrer com tanta frequência, suponho?"

Subaru suspirou e lentamente se levantou. Ele desajeitadamente vadeava as delicadas flores de cristal que pareciam tão fortes quanto aço, "Tudo bem, bem, eu tenho muito o que colocar em dia, então vamos sair", disse Subaru estendendo a mão para Emilia sentada.

"Não," Puck e Beatrice disseram categoricamente.

"Huh?"

"Essa bruxa vai ficar onde possamos vigiá-la", afirmou Beatrice.

"Se todos nós sairmos juntos, você ainda pode vigiá-la", argumentou Subaru.

"Não, Subaru," Puck respondeu com firmeza, "Isso não vai acontecer. Essa bruxa é perigosa e ela vai ficar em algum lugar onde possamos limitar os danos que ela causa."

"Está tudo bem, Subaru," Emilia disse com um sorriso triste, "Eu estou bem aqui. Você deveria ir dar uma olhada no Felt."

Subaru suspirou e acenou com a cabeça.

Beatrice puxou o braço de Subaru e ele gentilmente a pegou no colo.

"Na verdade, é a vez de Bubby observar a bruxa", disse Beatrice enquanto Subaru a colocava no ombro.

Puck suspirou, "Tudo bem. Mas mantenha meu cristal perto de você, Subaru. Não sei como ela o tirou de Felt, mas não quero que aquela bruxa toque nele nunca mais."

Subaru olhou para Emilia com dor, mas ela apenas balançou a cabeça tristemente.

Subaru embolsou o cristal de Puck com um suspiro.

Subaru saiu do trailer e encontrou Rem, Garfiel e Felt sentados em um campo próximo tentando acender uma fogueira. Felt havia mudado de roupa e agora usava um vestido amarelo que deve ter trazido a Arlem para o encontro com a nobreza.

"Quanto tempo até o jantar?" Ele falou casualmente.

"Subaru!" Felt gritou.

"Capitão!" Garfiel gritou com uma risada.

Garfiel e Felt correram para Subaru. Rem deu a ele um olhar firme, então se virou e continuou a mexer na fogueira.

"Subaru, você está bem?" Felt perguntou.

"Tudo bem, Felt. E você?" Ele perguntou preocupado. O feltro não parecia bom. Seu corpo magro tinha grandes hematomas por toda parte e seus olhos estavam fundos e atormentados.

"Oh, estou bem, chefe," Felt bufou após um momento de hesitação, "Já passei por coisas muito piores."

Garfiel soltou uma gargalhada, "O camarão é duro na queda", disse ele segurando o ombro dela.

Felt que mordeu o lábio contra um grito quando agarrou seu ombro.

"Sério, capitão, é bom vê-lo de pé", Garfiel disse a ele, "Você estava mal. Eu estava preocupado que... bem, é bom tê-lo de volta", ele riu.

"Algum problema enquanto eu estava dormindo?" Subaru perguntou caminhando até onde Rem estava começando um incêndio com os outros.

Garfiel balançou a cabeça. "Navegando bem até agora, capitão. Nenhum sinal dos arcebispos desde que Ley fugiu. Nós nos revezamos para alimentar a bruxa..."

"Garf," Subaru gemeu.

Ele bufou, "Tudo bem, nós nos revezamos para alimentar 'Emilia'." Ele disse sarcasticamente.

Rem conseguiu acertar uma faísca e rapidamente a alimentou com gravetos e grama seca.

"Bom trabalho, Rem!" Garfiel aplaudiu: "Está frio aqui esta noite. Certo, camarão?"

"Eu não sei do que você está falando, pulga. Eu não sou uma flor desmaiada como você. Alguns de nós estão acostumados a viver uma vida difícil," Felt bufou seus braços envolvendo seu corpo magro enquanto ela estremecia.

"Rem, você está bem?" Subaru perguntou olhando para suas feridas enfaixadas.

Ela deu a ele um olhar sombrio, "Tudo bem. Vou buscar um pouco de comida para nós cozinharmos." Ela disse se afastando.

Os três mais Beatrice sentaram-se ao redor da fogueira, alimentando-a com gravetos e ajudando-a a crescer.

"Como está Ram? Ela já acordou?" Subaru perguntou.

Garfiel balançou a cabeça, "Nah. O gato mágico deu uma olhada nela antes. Ele disse que seu portão ou algo já havia sido danificado anteriormente. O gato me disse que o dreno de mana que aconteceu quando a barreira quebrou a machucou mais que o resto de nós. Ele não espera que ela acorde antes de amanhã."

"Bem, estou feliz que ela esteja se recuperando, pelo menos. Então, nada de importante aconteceu desde ontem?" Subaru perguntou.

"Não, mas por mim tudo bem", admitiu Garfiel, "Ontem foi uma loucura! Foi como se Jack enfrentasse as tempestades."

Subaru riu, "Garf, acho que é a primeira vez que ouço você admitir que algo pode ser demais para você aguentar!"

Garfiel fez uma careta e relaxou com um sorriso malicioso, "Ei, capitão, o que posso dizer? Você foi persuasivo," Garfiel bufou, "Aquele pequeno monstro com cara de sapo também foi muito persuasivo. Eu pensei que você disse que ele era o fraco."

Subaru riu, "Ele é."

Garfiel olhou para Subaru incrédulo.

"Roy e Ley são de longe os arcebispos mais fracos que conheci. Não tenho ideia de como poderíamos ter esperança de ferir Capella, Petelguese poderia destruir uma pequena cidade com as próprias mãos e nem me fazer começar em Regulus, "Subaru suspirou.

"Foda-se. Em que diabos eu me meti?" Garfiel sussurrou.

"Sim, não se sinta mal, pulga," Felt lamentou, "Tenho me feito a mesma pergunta desde que conheci o chefe."

"O Subaru de Betty tem o hábito de nos colocar em situações estranhas, eu suponho", Beatrice refletiu do ombro de Subaru. "Até agora, o Subaru de Betty nos levou ao meio de uma luta pelo trono, um antigo santuário mágico do qual quase não escapamos com vida e uma batalha prolongada com os arcebispos de Sin. Para onde você planeja nos levar a seguir, Suponho que sim, supondo que sobrevivamos aos problemas que você já causou? Navegando para fora do fim do mundo?"

Garfiel e Felt começaram a rir.

"Caramba, pessoal!" Subaru reclamou, começando a rir, "O que é isso, dia de 'escolha'? Eu mesmo tive uma vida muito difícil ultimamente."

"Ei, você é o chefe, Subaru! Você vai levar a culpa por toda essa merda!" Felt deu uma risadinha.

"Betty concorda," Beatrice acrescentou afetadamente.

"Ei, eu não sou seu chefe, Beako. Eu sou sua família, então fique fora disso", Subaru riu dela.

"Betty se sente no direito de contar ao irmão, na verdade os dois, quando estão pulando alegremente na estrada em direção ao desastre", respondeu Beatrice.

Garfiel ainda estava rindo alto enquanto Felt estava sentada lá com um sorriso malicioso no rosto.

Subaru riu e balançou a cabeça pesarosamente, "Olha gente, se alguém tiver uma ideia melhor, eu sou todo ouvidos! Sério! Se alguém tiver um plano melhor, conte para mim, eu realmente agradeço."

Garfiel finalmente conseguiu conter o riso: "Eh, relaxe, capitão. Eu e o camarão estamos apenas brincando."

"Eu sei," Subaru concordou.

Tudo ficou quieto por um momento.

"Sabe, Garf, é estranho dizer isso, mas sinto que nos damos muito melhor agora do que me lembrava", ponderou Subaru.

Garfiel lançou-lhe um olhar perplexo. "O que você quer dizer, capitão?" Ele perguntou.

"Bem, eu me lembro de sermos muito adversários, pelo menos até a luta com Roy", Subaru lutou para colocar seus pensamentos em palavras. "Eu acho que nesta... 'linha do tempo', ou como você quiser chamar, nós nos damos melhor."

Garfiel coçou o cabelo amarelo selvagem parecendo confuso.

"Então, como nos conhecemos?" Subaru perguntou a ele.

"O quê?! Nós nos conhecemos há dois malditos dias atrás, Capitão! Você tem alguma ideia de como essa pergunta soa estranha?" Garfiel respondeu.

"Imagine como é estranho ser o cara perguntando e sabendo que suas memórias são diferentes das de todo mundo", Subaru riu.

Garfiel parecia estranho, mas encolheu os ombros, "Nós nos conhecemos quando você me deu uma aula de vôo."

"Eu imploro seu perdão?"

Garfiel riu, "Eu estava tentando passar por aquelas provações de merda por duas semanas até então. Eu estava ficando muito deprimido, então o camarão aqui continuou chutando minha bunda para me fazer seguir em frente."

"Tivemos muitas disputas de gritos. Tive que gritar bem alto para passar por sua cabeça de pedra grossa", Felt comentou com um sorriso fraco.

"Sim, Capitão, então quando você e o Little Bit vieram ao Santuário, Felt e eu estávamos na Tumba gritando um na cara do outro e prometendo fazer todos os tipos de coisas horríveis um ao outro. Eu acho que você pensou que eu estava realmente ameaçando o camarão, porque a próxima coisa que eu sabia era que levei um soco no estômago e estava no ar", ele riu.

Garfiel riu da expressão de espanto no rosto de Subaru, "Sim, também tive um ótimo hang-time! Então comi terra. Quando voltei para a tumba, o camarão havia explicado a situação e você estava muito arrependido. Meu eu magnífico decidiu perdoá-lo, mas você teve que prometer que iria algumas rodadas comigo depois que saíssemos do Santuário! "Ele gritou batendo os punhos.

Oh cara, isso parece doloroso!

"Talvez devêssemos esperar até não estarmos correndo para salvar nossas vidas, Garf" Subaru sugeriu.

"Eu ouvi isso, capitão", disse Garfiel palitando os dentes.

Garfiel franziu a testa, "Diga, capitão, como você se lembra de nos encontrarmos?"

Ele está curioso sobre a diferença em nossas memórias? Isso pode ser um bom sinal.

"É muito menos emocionante para ser honesto," Subaru deu de ombros, "Eu vim para o Santuário e ouvi Emilia soluçar. Ela falhou nos testes novamente e Felt estava tentando ajudá-la a superar isso. Ela realmente desmaiou de estresse então Felt e eu a levamos de volta para a cabana para descansar. Nós topamos com você e Ryuzu no caminho de volta. Você ficava dizendo como... patética você achava que Emilia era, "Subaru rosnou," E eu realmente cheguei perto de te derrubar o campo. Em vez disso, você decolou e deixou eu e Felt para colocar Emilia na cama."

Garfiel coçou a cabeça: "Olha, capitão, não estou dizendo que você está mentindo, mas mesmo que minhas memórias fossem trocadas, essa história ainda não faz muito sentido para mim. Por que eu zombaria de alguém porque eles não conseguiu completar os testes? Eu também não estava tendo muita sorte."

Porque você é uma criança insegura que encobre essas inseguranças com agressão e bravata? Deus, eu era tão irritante quando passei pela minha fase nervosa?

Sim, algo me diz que não quero ouvir a resposta a essa pergunta.

"Bem, nenhum de nós sabia que você poderia fazer os testes," Subaru respondeu, "Talvez Ryuzu soubesse, mas ela não achou por bem compartilhar com o resto de nós, então Emilia era nossa única possibilidade e eu nunca conheci esse Otto cara. Roy apareceu na tumba porque alguém tinha falado para ele capturar Emilia e Emilia estava na tumba porque ela estava tentando quebrar a barreira. Nós o matamos e então enquanto estávamos lutando contra Capella, Emilia conseguiu quebrar a barreira e nós deu o fora de lá."

Garfiel parecia pensativo e cruzou os braços sobre o peito.

"Subaru," Felt resmungou, "Nada disso aconteceu! É tudo ilusões. Não é real."

Subaru balançou a cabeça, Não adianta discutir sobre isso. Isso apenas nos levará em círculos.

"Bem," Subaru suspirou, "Você tem suas memórias e eu tenho as minhas, Felt."

"Sim," Felt resmungou, "Mas o engraçado é que minhas memórias têm o benefício de concordar com Garf, Rem e Beatrice. A única pessoa que concorda com você é aquela bruxa. Pense nisso."

Subaru respirou fundo e soltou o ar lentamente. Ele mudou de assunto: "Então, Garf, assim que chegarmos a um lugar seguro, você planeja se encontrar com Ryuzu ou vamos mantê-lo por perto um pouco?" Subaru perguntou.

Garfiel olhou para as estrelas pensativamente, "Não sei, capitão. Eu definitivamente preciso ir e me certificar de que ela e os outros estão bem", ele meditou. "Se eles pousaram em algum lugar seguro, então sou um agente livre e acho que posso fazer muito mais para mantê- los seguros levando a luta para o Culto ao invés de esperar que o Culto venha até nós."

"Pensando bem", Subaru respondeu, "Só espero que você não esteja planejando enfrentar as aberrações como um exército de um homem."

"Não, capitão. Acho que talvez tenha ficado um pouco mais inteligente nos últimos dias", admitiu Garfiel.

"Poderia ter me enganado, pulga" Felt comentou cutucando o fogo com um graveto.

"Oh, cale a boca, camarão," Garfiel riu, "Além disso, parece que já caí no grupo mais louco de filhos da puta desde que Martin e Roger enfrentaram o General. Tenho certeza de que se eu apenas ficar com vocês, o Culto virá para mim."

"Beako, não sei o que me irrita mais", resmungou Subaru, "Que Garf diga isso, ou o fato de que ele provavelmente está certo."

"Betty acha o último muito mais questionável, na verdade", Beatrice respondeu e Garfiel riu.

"Ei, vou ver se Rem precisa de ajuda," Felt suspirou e saiu para o campo.

Subaru esperou até que Felt estivesse fora do alcance da voz, "Eu acho que talvez eu não vá apontar que Rem está na direção oposta de onde Felt está indo."

"Sim", murmurou Garfiel, "Ei, capitão, ouça: estou preocupado com o camarão."

"Ela não parece bem," Subaru concordou.

"Eu não acho que ela dormiu tudo na noite passada," Garfiel disse a ele, "E eu não tenho certeza se ela comeu hoje. Aquelas malditas... coisas de flores realmente a afetaram."

"Acredite em mim, eu posso entender", Subaru admitiu com um estremecimento, "Fiquei grato quando desmaiei."

"Sim," Garfiel disse lentamente, "Capitão, Felt não desmaiou. Ela se lembra de tudo isso."

"Oh," Subaru se encolheu. "Isso... isso não é bom."

Garfiel balançou a cabeça, "Sim. Achei que talvez você pudesse falar com ela sobre isso. Eu realmente quero ajudar o camarão depois de tudo que ela fez por mim durante os testes, mas eu não tinha certeza do que dizer a ela. Eu estava preocupado que eu acabasse dizendo algo estúpido."

"Provavelmente, mas isso é parte do que gostamos em você", Subaru deu de ombros.

"Ei, Capitão! Dá um tempo, porra!" Garfiel riu.

Subaru gentilmente depositou Beatrice no chão, "Você pode dar uma olhada em Puck um pouco? Eu preciso falar com Felt e ela provavelmente prefere não ter uma audiência."

Beatrice fez beicinho, "É melhor Subaru reservar um tempo especial para Betty quando chegarmos em casa!"

Subaru a envolveu em um abraço apertado, "É um encontro", ele prometeu.

Beatrice sorriu e foi embora com a cabeça erguida.

Subaru foi até Felt, que estava reclinada sob uma pequena árvore com os braços em volta dos joelhos e seus olhos assombrados olhando para longe.

"Como você está, Felt?" Subaru perguntou se sentando ao lado dela.

"Tudo bem", ela disse brevemente, sem olhar para ele.

Subaru olhou para ela com preocupação e gentilmente passou o braço em volta de seus ombros minúsculos.

Sentiu-se tenso, "Ei, chefe! Você não me paga o suficiente por isso! Eu não deixo meus clientes me tocarem! Eu não-"

Subaru passou o outro braço em volta de Felt e puxou-a para perto.

Os grandes olhos vermelhos de Felt se encheram de lágrimas e ela enterrou o rosto em seu peito com um soluço.

Subaru esfregou as costas dela, "Está tudo bem, Felt. Está tudo bem. Acabou tudo."

Felt chorava tanto que todo o seu corpo tremia, "Não, não é!" Ela soluçou.

"O que você quer dizer?" Ele perguntou gentilmente.

"Eu não consigo lidar com o que a bruxa fez comigo, Subaru! Eu pensei que era durão e que poderia lidar com qualquer coisa, mas eu só... eu simplesmente não consigo lidar com isso, porra!"

"Está tudo bem, Felt!" Subaru disse incerto se realmente era, "Está tudo bem! É apenas uma memória! Não pode te machucar!"

"Subaru, não consigo dormir! Não consigo fechar os olhos! Cada vez que tento deitar, sinto as flores geladas se enterrando em mim! Sinto-as cortando minha pele e quebrando meus ossos para beber meu sangue!" Felt gemeu.

Os olhos de Subaru se arregalaram de horror enquanto ele segurava Felt com mais força.

"Está tudo bem, Felt! Estou aqui agora! Nós... nós vamos resolver isso!" Subaru disse impotente enquanto Felt soluçava em seu ombro.

"Subaru," ela soluçou, "Eles estavam me comendo viva... Eles se espalharam por todo o meu corpo e estavam me sugando até secar..."

Subaru a balançou suavemente, "Vai ficar tudo bem, Felt. Talvez não hoje, mas vai ficar bem. Temos dois Grandes Espíritos de plantão e quando voltarmos para a capital, encontraremos o melhor curandeiro ao redor. "Vou descobrir como ajudá-la a superar isso!"

Felt soluçou.

"Talvez você não consiga dormir esta noite," Subaru acalmou, "Eu ficarei acordado com você e conversaremos. Se você acha que pode tentar dormir, eu seguro sua mão até você adormecer. segure sua mão a noite toda se precisar."

Felt estava ofegante enquanto ela se deitava contra seu peito, "Subaru," Ela sussurrou, "O que vamos fazer com a bruxa?"

Subaru hesitou por um longo momento, "Emilia," Ele enfatizou gentilmente, "É uma sensação horrível com o que aconteceu. Ela nunca quis lançar aquelas flores sobre nós, ela estava tentando impedir Ley. E eu sei como aquelas flores eram horríveis, acredite em mim, "Subaru mentiu sabendo de suas experiências onde de forma alguma comparáveis," Mas nosso problema agora não é Emilia, é ajudar você a se recuperar."

Felt olhou para Subaru incrédulo e então se livrou de seu abraço. Felt saltou e saiu correndo com os braços cruzados com força sobre o peito.

"Felt, espera!" Ele chorou correndo atrás dela.

Felt parou, mas não se virou para encará-lo. Seus braços estavam se segurando com determinação crua, como se Felt estivesse preocupada que ela estivesse prestes a desmoronar. Subaru nunca tinha realmente notado como Felt era minúscula antes, como parecia terrivelmente frágil e indefesa agora.

Felt respirou fundo, "Subaru, eu preciso que você coloque sua maldita cabeça no lugar."

"Felt?" Ele perguntou.

"Essa bruxa não é sua amiga, Subaru!" Felt gritou, girando para encará-lo com lágrimas nos olhos, "Você nunca a conheceu antes! Estamos todos dizendo a você a mesma coisa, mas você não vai nos ouvir! Você realmente confia nela mais do que em quem está mais próximo? amigos?! Pense!"

"Felt", ele sussurrou sem saber o que dizer.

Felt virou o rosto com uma careta, "Aquela... bruxa quase matou você, Subaru," o rosto de Felt se contorceu em agonia, "Ela quase me matou! Você nem se importa?!"

"Felt, é claro, eu me importo!" Subaru protestou se perguntando o que ele poderia dizer.

"Que tipo de magia muda as memórias de todos, exceto para uma pessoa? Que tipo de sentido isso faz?" Felt exigiu.

"Eu tenho uma autoridade e isso me protegeu", explicou Subaru.

"Por que alguém faria isso?! Dê-me uma razão pela qual alguém iria querer fazer o mundo inteiro esquecer que alguma garota existia? Para que propósito isso poderia servir?" Felt gritou.

"Não sei ainda", admitiu Subaru.

"Não brinca, Subaru, porque não existe ! Essa sua teoria não faz sentido porque não beneficia ninguém! Mas se a bruxa é fraca e vulnerável e precisa de um protetor, então faz todo o sentido enfeitiçar a pessoa mais forte por aí e fazer o idiota pensar que está apaixonado por ela!"

"Sentiu, não foi isso que aconteceu!" Subaru gritou.

"A bruxa está torcendo sua mente, Subaru! Você precisa confiar em seus amigos e dar o fora dela! Ela vai virar você contra nós se você deixar! Por favor! Você não confia em mim?" Felt implorou.

"Claro que eu faço!" Subaru garantiu a ela: "Você é minha amiga preciosa, Felt. Eu prometi que cuidaria de você."

"Bem, sem ofensa, chefe, mas até agora você fez um trabalho bonito de merda!" O feltro estalou de volta.

Subaru se encolheu parecendo chocado.

"Não sou burra, Subaru", ela gemeu, desviando o olhar com uma expressão abatida no rosto. "Não sou Reinhard! Eu sabia exatamente quantos problemas estava me arriscando quando menti para Heinkel e para o conselho por você. Mas Fiz isso porque pensei que éramos amigos.

"Eu odeio a porra da nobreza! Você não tem ideia de como eles trataram meus amigos. Como eles me trataram pessoalmente! Eu gostaria de estripar cada um deles, mas na seleção coloquei um vestido bonito e sorriu para eles porque você era meu amigo.

"Mas desta vez... Subaru, ela tentou me matar!" Felt se sentou gemendo enterrando o rosto nas mãos, "Ela tentou me torturar até a morte com aquelas flores horríveis parasitas!"

"Felt," Subaru sussurrou pegando a menina nos braços.

"Eu não entendo o que está acontecendo, Subaru, e eu não me importo! Eu não sei o que a Autoridade significa ou por que é importante que o sangue de dragão tenha acabado!" Ela gritou enterrando o rosto em seu peito. Ela tremia nos braços de Subaru e respirava ofegante até que pudesse continuar, "Subaru, se apenas voltarmos para a capital, então quando a seleção terminar, você será o rei! Você poderia melhorar as coisas para milhões de pessoas em todo o continente!

"Se você acha que não adianta mais assumir o trono, tudo bem! Vamos pegar Garf e os espíritos e dar o fora daqui! Encontraremos Red e desapareceremos! Podemos dar um jeito juntos! Deixe o mundo se preocupar com seus próprios problemas. Vamos esquecer os tronos, arcebispos e tudo mais! De qualquer maneira, estou bem, mas, por favor, Subaru! Vamos sair daqui antes que seja tarde demais!" Felt soluçou em seu peito.

"Felt," Subaru sussurrou tentando desesperadamente acalmar a angústia da garota, "Tem mais coisas acontecendo aqui. A memória de Emilia foi apagada do mundo inteiro."

"Não, não foi, Subaru!" Felt gritou na cara dele, "É uma mentira! É tudo uma mentira! Todos nós te contamos! Estou com você desde o dia em que você entrou neste mundo e Puck está com você ainda mais! Nós dois dissemos isso, "Emilia" não existe! A bruxa está torcendo sua mente! Seus amigos estão tentando salvá-lo! Por que você não acredita em nós?!"

Subaru suspirou, "Felt, não é verdade. Emilia não está me confundindo. Tenho certeza disso."

Felt parou de chorar e silenciosamente se retirou dos braços de Subaru e deu alguns passos para trás.

As lágrimas ainda escorriam por seu rosto, mas sua expressão era dura, "Por favor, não me diga isso, Subaru."

"Por que não?"

"Porque se aquela bruxa realmente não colocou um feitiço em você, então isso significa que você está viajando de boa vontade com uma bruxa que quase matou todos os seus amigos. Você está viajando de boa vontade com alguém que quase me matou e você nem mesmo parece se importar, "Felt disse categoricamente," E eu realmente não quero acreditar nisso."

Felt se virou e foi embora sem dizer uma palavra.

Subaru pensou em persegui-la e tentar falar mais com ela, mas achou que provavelmente não era o momento certo. Ele olhou para trás, para o fogo, onde Rem havia entregado a Garfiel algumas tiras de carne e ele as estava grelhando. Rem voltou para o trailer e Subaru decidiu segui-la.

Subaru voltou para a plataforma do motorista, onde Rem estava sentado ao lado de sua irmã em coma.

"Algum sinal de Ram acordando?" Subaru perguntou subindo na plataforma.

Rem balançou a cabeça, olhando para sua irmã, "Amanhã à noite, no mínimo, de acordo com Puck."

"Eu acho que Puck é geralmente confiável," Subaru meditou sentando perto de Rem.

"Uma pena que não pode ser dito sobre outras pessoas," Rem disse sem olhar para Subaru.

Subaru suspirou, "Bem, eu prometi responder às suas perguntas assim que não estivéssemos mais correndo para salvar nossas vidas. Algo em particular que você gostaria de perguntar?"

Rem se virou para encará-lo, "Quem é você, Subaru Natsuki?"

Subaru suspirou, "Eu sou Subaru Natsuki de outro mundo, ou além da Grande Cachoeira se você preferir. Eu vim a este mundo há quase dois meses por meios desconhecidos para mim. Eu conheci Emilia naquele dia, me apaixonei por ela, e passei o último mês tentando me tornar rei para que eu possa conseguir o sangue de dragão para ela. Você e eu tivemos uma relação bastante difícil: você começou tentando me matar, depois começou a confiar em mim, então parou de confiar em mim, então... onde estamos no momento?"

O rosto de Rem estava duro, "Conte-me sobre a bruxaria."

Subaru respirou fundo, "Durante minha conversa com Roswaal outro dia, ele me explicou que a magia que adquiri quando vim aqui pela primeira vez era um tipo de bruxaria. Chama-se Autoridade."

"E isso faz de você um bruxo," Rem disse friamente.

Subaru suspirou, "Sim, eu suponho que sim. Você sabe, para o registro, eu não ir olhando para este poder, Rem. De acordo com Roswaal ele estava olhando para mim, embora não me pergunte como isso faz sentido."

"E quanto à outra bruxa?" Rem exigiu.

"Emilia não é uma bruxa, Rem," Subaru disse com firmeza, "As memórias das pessoas acabaram de ser confundidas. Emilia não tem uma Autoridade, então ela não pode ser uma bruxa ou arcebispo."

"E como você sabe que ela não possui um?"

Subaru piscou, "Hum, bem, Roswaal provavelmente teria mencionado isso, não é?" Subaru perguntou sem jeito.

"Subaru, você tem alguma evidência de que essa garota não possui uma Autoridade?" Perguntou Rem.

"Bem, não exatamente-"

"E você tem alguma evidência de que nossas memórias foram distorcidas ao invés das suas? Que tipo de magia muda todo mundo no mundo para se lembrar de algo diferente, exceto por uma pessoa?"

"Bem, talvez minha Autoridade tenha me protegido", respondeu Subaru.

"Você tem alguma evidência disso?" Rem exigiu.

Subaru apenas fez uma careta preocupada.

Rem deu as costas para ele e preocupou-se com a irmã: "Subaru, uma vez você me disse que precisava ter certeza de que a pessoa que está matando merece morrer."

"Eu me lembro", respondeu Subaru.

"Aquela bruxa quase matou você e todos os seus amigos. Se isso não o convence de que ela merece morrer, então o que o fará?"

"Emilia não queria fazer isso! Ley estava chutando nossa bunda e ela tentou ajudar! A magia simplesmente saiu do controle!" Subaru protestou.

"Não deixe de lado o que ela fez como se o acidente tornasse tudo sem sentido!" Rem exigiu: "A maioria de nós não é como você, Subaru Natsuki! Não podemos ignorar uma maça na cabeça ou a maldição de uma bruxa e continuar! Uma vez você me disse que os erros são tão graves quanto as consequências que causaram. O 'erro' daquela bruxa quase matou Felt e ela ficou profundamente traumatizada como resultado. Mesmo que eu acreditasse por um único instante que a bruxa não queria nos machucar, ela ainda causou um dano grave que não pode ser simplesmente varrido o tapete. Mas você, Subaru Natsuki, parece estar completamente indisposto a responsabilizar a bruxa por quase matar um de seus amigos, especialmente a Srta. Felt, que demonstrou grande lealdade e devoção a você."

Rem se levantou e olhou para Subaru friamente, "Você está profundamente sob o feitiço daquela bruxa ou em um estado de ilusão. Não sei dizer qual. Nem tenho certeza de qual resposta eu preferiria. Você está ignorando a resposta óbvia a favor da realidade que você deseja e está colocando todos que se importam com você em perigo por causa de sua tolice."

"Rem-" Subaru começou, mas Rem lhe deu as costas e se sentou ao lado de sua irmã.

Subaru suspirou e saiu da plataforma do motorista

"Pessoal" Subaru suspirou caminhando de volta para o trailer.

Emilia sentou-se no mesmo sofá de antes com uma expressão triste. Beatrice se sentou em frente a ela com Puck deitado em seu colo, ambos olhando para Emilia.

"Então, é bom ver que todos estão se dando tão bem," Subaru murmurou enquanto se sentava ao lado de Emilia e pegava sua mão.

Puck e Beatrice resmungaram.

Subaru sorriu quando um momento depois Beatrice deixou seu sofá e se sentou no colo de Subaru possessivamente. Puck voltou para suas mãos. Os dois ainda faziam cara feia para Emilia.

"Mili," Subaru riu, "Você se lembra quando estávamos morando juntos pela primeira vez e Puck tentou usar Beatrice para nos separar enquanto estávamos sentados no sofá?"

Emilia franziu a testa e então seu rosto se iluminou em um sorriso, "Eu entendo! Eu não entendi o que Puck estava fazendo na época, mas olhando para trás, foi muito engraçado. Como você fez ela fugir de novo?"

Os espíritos olharam para trás e para frente entre Subaru e Emilia com expressões perplexas em seus rostos.

Subaru riu, "Lembre-se, isso foi quando Beako não gostava muito de mim! Passei meus braços em volta dela e disse para você fazer o mesmo", disse Subaru mais uma vez envolvendo os braços em torno do pequeno espírito", Beako surtou e gritou 'Betty não é para abraços!' e então correu para fora da sala em alta velocidade carregando Puck com ela. Felizmente, nós superamos esse pequeno problema, não é Beako?" Subaru disse abraçando e aninhando seu parceiro espiritual.

Emilia riu alto.

"Betty não sabe do que vocês estão falando, na verdade! Tal evento nunca aconteceu. Além disso, Betty é inteiramente para abraços, mas apenas para certas pessoas. Muitas pessoas desejam abraçar Betty sem permissão. Embora, seja "A forma de Betty foi escolhida para ser encantadora, eu suponho", disse Beatrice com altivez.

"Tudo sobre Betty é encantador!" Subaru disse acariciando a garotinha.

"É bom que você reconheça isso, eu suponho", ela sorriu.

"Ei, Subaru, que tal um pouco de carinho aqui?" Puck protestou nos braços de Beatrice.

"É isso aí, amigo," Subaru respondeu acariciando o gato que sorriu alegremente, "Eu vou dar a vocês dois todo o carinho que vocês quiserem!"

Subaru olhou para Emilia, que observava sua família fragmentada com um sorriso triste e olhos lacrimejantes.

Subaru sabia que seu próprio sorriso devia ser igualmente dolorido.

Isto está errado. Isto é tão errado. Ela está a um pé de distância, mas ela poderia muito bem estar separada de Beako e Puck por mil milhas. Nossa família foi dividida pelo que quer que seja. Emília está sendo excluída e, o que é pior, os espíritos a consideram claramente uma inimiga. Preciso consertar isso antes que fique totalmente fora de controle, mas como? Talvez eu devesse ter tentado capturar Ley mais cedo para ter alguém para questionar sobre isso.

Quando eu descobrir quem fez isso, alguém vai pagar.

"Puck," Subaru murmurou, "Então, vai falar mais alguma coisa sobre Emilia?"

Puck parou de sorrir e parecia um pouco irritado, "Ela parece familiar," Puck admitiu a contragosto, "Mas eu não consigo localizá-la. Estou começando a me perguntar se eu poderia estar me lembrando dela de um tempo antes de minhas memórias serem seladas. Eu sabia muitas bruxas quando eu era jovem."

Subaru piscou, "Espere o quê? Quando suas memórias foram seladas? Quando você conheceu bruxas?"

"Oh, desculpe, Subaru," Puck disse com um bocejo, "Eu esqueci de contar a você sobre isso? Betty e eu temos quatrocentos anos, afinal. Nós datamos da época em que as bruxas andavam pela terra. Embora nossas memórias são um pouco confusas sobre aqueles dias."

"Como suas memórias foram seladas?" Subaru perguntou.

"Hum. Eu esqueci..." Puck respondeu.

"Por favor, me diga que foi uma piada terrível", suspirou Subaru.

"Não. Desculpe, Subaru. Eu fiz... bem, algo que eu não deveria fazer, eu acho, e como resultado minhas memórias do passado foram seladas. Ei, Betty, você se lembra de alguma coisa sobre aqueles dias?"

"Betty só se lembra de sua mãe e de seu Bubby, suponho", respondeu Beatrice, "nada mais valia a pena ser lembrado."

"Não ajuda," Subaru suspirou. Ele apertou os olhos para o teto, pensativo, "O que é uma bruxa, afinal? O que torna alguém uma bruxa?"

"Uma bruxa é apenas alguém que possui uma Autoridade", explicou Puck.

"Hipoteticamente", começou Subaru, "há alguma maneira de verificar se Emilia tem um?"

Beatrice balançou a cabeça: "Não há teste para as autoridades, suponho."

"Portanto, não há como confirmar que Emilia não tem, porque é assim que funciona a nossa sorte", disse Subaru, recostando-se com um suspiro.

Subaru fechou os olhos e balançou a cabeça, "Tudo bem, eles estão cozinhando lá fora. Por que eu não vou ver se consigo alguns pratos de tudo o que Rem e Garf jogaram juntos."

"Betty tem receio de comer qualquer comida preparada por Garf", disse Beatrice enquanto escorregava do colo de Subaru.

Subaru sorriu para ela, "Felizmente, Beako, você é um Espírito e, portanto, não fica com fome!"

Subaru saltou do trailer com uma risada.

Subaru se aproximou da fogueira. Rem, Felt e Garfiel estavam amontoados em torno dele comendo tiras de carne e alguns vegetais assados.

"Temos alguma coisa para o prisioneiro?" Subaru perguntou ironicamente.

Ninguém riu.

Subaru suspirou, "Escutem, pessoal-" Subaru começou.

Um grito rouco berrou ao longe.

Todos se levantaram de um salto.

"Garf, apague o fogo! Agora!" Subaru ordenou.

Garfiel começou a despejar punhados de terra nas chamas.

"Subaru, o que foi isso?" Rem exigiu.

"Eu não tenho certeza, mas parecia muito com a forma de dragão de Capella," Subaru sussurrou.

"Como eles nos encontraram?!" Felt sussurrou.

"Boa pergunta!" Subaru respondeu: "Tudo bem. Primeiro, apagamos o fogo. O trailer está muito bem escondido sob aquelas árvores. No escuro, Capella terá que ter muita sorte para nos encontrar. Vamos voltar para debaixo daquelas árvores nós mesmos."

Garf apagou e disfarçou os restos do fogo através de uma combinação de empilhamento de terra e pisoteamento.

O trio pegou toda a comida e ferramentas e correu de volta para o trailer, aconchegando-se ao lado dele.

Alguns momentos depois, eles ouviram o som de asas pesadas batendo no ar.

A forma de dragão de Capella, mais escura que o céu noturno, apareceu no céu. Ela passou por cima do campo deles, deu um berro estridente e continuou a voar pela área.

"Ela está indo embora?!" Felt perguntou.

Subaru balançou a cabeça, "Não, ela está caçando. Ela acha que estamos aqui."

"Capitão! Continuamos saindo da estrada! Depois de perder Ley, abrimos uma trilha por uma pradaria seca por duas horas! Como diabos eles continuam nos encontrando? Isso é como Kimble e Gerard na represa!" Garfiel sussurrou.

Subaru franziu a testa, "Eu acho... talvez eles estejam nos rastreando."

"A bruxa!" Rem sibilou: "Ela deve estar sinalizando para eles!"

"Você pode estar certo, Rem, mas não pelos motivos que você está pensando," Subaru murmurou. "Vamos, precisamos nos mover rapidamente."

Subaru saltou de volta a bordo do trailer.

"Ei o que está acontecendo?" Puck ligou.

"Rem," Subaru disse ignorando Puck, "eu preciso de uma sacola cheia de comida. Basta jogar o suficiente lá por alguns dias, o que você puder pegar."

Rem franziu a testa, mas saiu como ela foi instruída.

"Emilia, saia daqui!" Subaru ordenou.

"Não, Subaru," Puck disse categoricamente, "Nós somos-"

"Sim, Puck!" Subaru disparou: "Isso é o que estamos fazendo!"

Emilia olhou para Puck com incerteza. O gato voador cruzou os braços e assentiu bruscamente, sem olhar para Emilia.

Emilia se aproximou de Subaru.

"Capitão, qual é o plano?" Garfiel murmurou olhando para o céu, "Ela está voltando!"

Subaru suspirou, "Tudo bem. Parece muito claro que Capella está nos rastreando. Os únicos candidatos para quem ela está rastreando somos Emilia e eu, então," Ele olhou Emilia nos olhos, "Nós dois vamos fugir e, com sorte, desviar o Culto longe de todos vocês."

Emilia sustentou seu olhar e acenou com a cabeça uma vez, o rosto sério.

Não posso impedir os arcebispos de virem atrás de nós. Se eles realmente puderem nos rastrear, é muito provável que esta seja nossa posição final. Mas pelo menos não correremos o risco de mais ninguém morrer no processo. E se for o fim, pelo menos Emilia e eu estaremos juntos.

"O que?!" Garfiel exigiu.

"Isso é insano!" Felt sussurrou.

"Se alguém tem uma ideia melhor, sou todo ouvidos!" Subaru assegurou-lhes: "Agora ouçam, se isso funcionar, Capella e quaisquer outros Cultistas próximos devem nos seguir e deixar vocês em paz. Esperem até que tenham uma oportunidade de escapar e então dê o fora daqui. Vocês não querem para identificá-lo e obter quaisquer ideias brilhantes sobre como fazer reféns!"

"Então o que?" Garfiel exigiu.

"O mesmo plano de antes, saia daqui, vá para algum lugar seguro, encontre Reinhard!" Subaru disse a ele.

Rem voltou e entregou a Subaru uma pequena mochila que presumiu estar cheia de comida. Ele rapidamente o colocou nas costas.

"Subaru," Rem disse calmamente, "E se eles nos encontrarem antes de perceberem que você foi embora?"

Subaru deu uma risada sombria, "Isso não será um problema, Rem. Vou me certificar de chamar a atenção de Capella!"

"Subaru," Felt sibilou para ele, "Apenas mande a bruxa embora! É ela que eles querem!"

"Não, Felt", Subaru respondeu, "Eles querem todos nós. Eles estão irritados. No entanto, a questão não é qual de nós eles querem, é qual eles estão rastreando. E considerando o que Roswaal nos disse, é só tão provável de ser eu quanto de ser Emilia."

Garfiel balançou a cabeça violentamente, "Você está entrando em uma grande luta, capitão! Eu vou com você!" Ele fez uma careta e continuou em um rosnado baixo, "E a bruxa, eu acho."

"Não", recusou Subaru, "preciso de alguém em quem possa confiar aqui para garantir que Felt e Ram fiquem bem. Se tivermos sorte, todos os arcebispos nos seguirão, mas ainda há muitos cultistas que podem vir atrás de você. Você e os espíritos precisam ficar aqui."

"O quê?! De jeito nenhum, Subaru!" Puck rosnou.

"Betty não vai ficar aqui!" Beatrice concordou.

Subaru respirou fundo, "Não desta vez, Beako. É cem para um que eu ainda saia desta vivo. Eu não quero que você morra comigo."

Beatrice ergueu o queixo em desafio enquanto seus olhos se encheram de lágrimas, "Então Subaru é um hipócrita, eu suponho! Betty pediu a Subaru para se salvar no Santuário, mas Subaru se recusou a deixar Betty morrer sozinha! Ele disse que queria compartilhar a morte de Betty com ela ! Então, por que Betty não pode compartilhar a morte de Subaru, na verdade?"

"Você pode muito bem enfrentar isso, Subaru," Puck disse firmemente cruzando os braços, "Ou você nos deixa ir ou nós apenas o seguiremos."

Subaru olhou para os dois espíritos, especialmente a menina cujo rosto estava molhado de lágrimas.

Impulsivamente, ele puxou os dois para um abraço apertado, "Eu não sei o que fiz para merecer vocês na minha vida!" Subaru engasgou.

Sim, você precisa. Você adquiriu uma Autoridade que força as pessoas a gostarem de você. Nesse ponto, o que você merece e o que você ganhou imediatamente se tornou irrelevante...

Subaru ouviu asas pesadas passando acima, mais lentas desta vez.

"Tudo bem," Subaru sussurrou, "Quando Capella ficar um pouco mais longe, vamos escapar."

"Para onde você vai, capitão?" Garfiel perguntou.

Subaru apontou para o outro lado da estrada, "Para aquela floresta, para começar. Um dragão terá dificuldade em nos localizar em tudo isso. Então, voltaremos para Miseri. Talvez possamos encontrar ajuda lá", ele respirou fundo, "Escute. Eu realmente sinto muito por ter colocado todos vocês nesta situação," Subaru suspirou, "Farei o que puder para garantir que todos escapem em segurança."

Garfiel fez uma careta e apertou o punho na palma da mão.

Felt parecia em conflito e Rem olhou para Subaru com frieza.

Subaru ergueu Beatrice no ombro.

"Tudo bem, vamos agora!" Ele sussurrou enquanto os quatro pularam do trailer e começaram a correr para a estrada próxima antes que o dragão voltasse.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...