História Dragons May Cry: Natsu Dragneel's Awakening - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Meredy, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Zeref
Visualizações 196
Palavras 3.715
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, não tenho muitas coisas para falar porque eu tô com sono, qlqr coisa caso de merda a fic é só apagar kkkj.

Críticas são bem vindas, mas não pega pesado não plz, -,

Capítulo 1 - Capítulo 1: Fada (Parte 1)



11 da noite, eu estava com sono mas não podia dormir pois o último livro do estudo sobre os dragões que eu amo acabou de chegar pelo correio.

O nome dele é "Dragons Never Cry" um nome bem estranho, e não tem muito sentindo né? Pensa: um livro sobre estudo desses seres místicos que talvez, mas só talvez ainda existam, tem um nome que afirma que eles nunca choram. Doiedera, mas eu garanto que é um bom livro.

Abri o livro e me surpreendi, pela primeira vez o autor separou os dragões em classes e raças. Então bom, aqui vamos nós.



Dragão Serpente



Os mais complexos entre esses seres. Alguns raramente conseguem passar de mais de um metro de altura mas em compensação, passam facilmente de dez metros de extensão corporal.

Suas habilidades mágicas não são muito boas, conseguindo bem raramente usar magias de rank G porém, isso é compensado em sua força física, caso eles fação uma rotação e te acertem com a sua calda, pode ter certeza que isso vai doer... E muito.

A velocidade deles também é elevada, podem facilmente voar a uma velocidade acima de 350 KM. Mas quando estão em solo não são tão rápidos, eles raramente conseguem se rastejar acima de 17 KM.

Eles andam em grupo mas não são muito brigentos e evitam de lutar desnecessariamente, apenas lutam se for por comida mas, esses dragões são extremamente territoriais. Não gostam que nenhuma outra raça chege no territorio do seu grupo, sendo que só assim, eles se tornam agressivos.



Dragão Pré-Histórico



Um dos mais antigos entre estes seres e os mais variantes, podendo ter diferentes tamanhos, cores, asas e patas. Mas o mais comum era aquele que tinha duas patas traseiras que normalmente atingiam 2 metros e eram bem fortes, uma calda longa que chegava até 5 metros, e duas patas-asas. Que eram o seguinte: o Dragão dessa raça no nascimento tem duas patas finas mas, com o passar de uma semana começa a o desenvolver e assim se torna uma asa.

As habilidades mágicas deles são bem variantes, existem relatos desses seres usando uma magia horrível de rank H mas também existem relatos de alguns usando magia rank C .

Sua força física se destaca apenas em suas patas pois, além de serem a parte que os faz conseguir ficar de pé, diferente dos Serperntes sua calda não é muito longa e grossa para dar poderosos golpes.

E sua velocidade voando era considerável, mas não chegava perto dos Serpentes. Sendo que apenas a minoria passava de 124 KM. E em terra não melhorava muito, a velocidade mais comum entre eles era de 20 KM.



Dragão Ancião



A "evolução" dos pré-históricos. O Dragão ancião é considerado o segundo mais raro de ser encontrado, e segundo mais forte dessa raça e também é considerado o mais antigo de todos. Acredita-se que estão aqui desde antes dos humanos descobrirem o fogo.

Mas diferente dos pré-históricos, esses não tinham patas-asas e sim, duas patas frontais tão fortes quanto as traseiras, mas também tinham um par de asas digno de respeito.

Eles possuem um tamanho colossal sendo que o menor já visto ao longo da história, possuía 20 metros de altura ao ficar sobre suas patas, 30 metros de extensão corporal, 17 metros de asa, 10 metros de calda.

Sua força física é muito elevada comparada aos demais, sendo que eles conseguem destruir castelos com apenas um golpe de sua pata.

E suas habilidades mágicas não ficavam para trás, o mais "fraco", ( se é que podemos chamar isso de "fraco" ) já registrado conseguia usar magia de rank B- que é extremamente poderosa.

Essa raça mesmo sendo incrivelmente poderosa, é pacífica e não é territorial. Você só será atacado por um dragão ancião caso o ataque, com isso ele no máximo vai te espancar e o expulsar de seus aposentos. Mas se atacar sua cria ele no mínimo vai te matar, e acredite, eles podem fazer coisas muito piores.

Eles não voam nem se movem muito rápido, pois isso seria surreal devido ao seu tamanho desproporcional.



Dragão Rei



A mais forte das raças dos dragões, ela é conhecida por ser a mais temida e respeitada entre as outras.

Eles são bem estranhos pois caso você seja um dragão de uma outra raça, existe a possibilidade de se tornar um Dragão rei, claro, pra isso você terá que matar muitos e muitos dragões e se banhar com o sangue deles, depois de um século quem sabe você não vira um rei.

As habilidades físicas deles são caóticas se comparadas aos demais dragões, onde estes seres conseguem matar um dragão ancião sem ter de usar sua magia, apenas usando da força bruta.

Suas habilidades mágicas são temidas por todos, onde um dragão rei consegue usar uma magia rank A como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Mesmo eles sendo os mais fortes entre todos, não eram dificieis de se encontrar pois o território dessa raça era imenso. Eles podiam simplesmente chegar em um país, se estabelecer e fazer todo aquele país ser seu, onde só entraria os dragões que ele permtir.

Os dragões reis são bem incoerentes, pois eles tem um corpo tão grande quanto os anciões mas mesmo assim conseguem voar a uma velocidade acima de 600 km.


Duas curiosidades sobre essa raça:


Os dois seres mais fortes dessa raça eram irmãos, o mais novo se chamava Acnologia e o outro, mais velho, Igneel. Ambos eram incrivelmente fortes e tinham grande influência sobre as outras raças, porém Igneel era um pouco mais forte que seu irmão e Acnologia por sua vez, era muito mais agressivo e impulsivo que Igneel.

Em um certo dia, Acnologia juntou uma grande quantidade de dragões e decidiu atacar todas as raças que não eram dragões.

Igneel não gostou nada disso e tentou revidar, mas eram poucos os dragões que tinham coragem para enfrentar um rei dragão.

Mas isso foi o suficiente, Igneel para proteger as outras raças, deu sua vida para conseguir banir Acnologia e todos que o seguiam para a terra dos dragões caídos.

Por alguma razão, caso um dragão rei tenha um filho(a) e morra, ele obrigatoriamente tem que dar seus poderes para sua cria. E caso ele tenha dois filhos, ele tem que dividir seu poder em duas partes, dando uma para cada um.



Novo: Dragoniano



Essa raça foi descoberta recentemente e acidentalmente. Ela é composta por um misto de humano com dragão. Mas aí você deve pensar "como isso é possível?" Não sabemos, mas a seguinte uma teoria falando que alguns dragões podem se transformar em "humanos" foi criada. Não se sabe se é verdade, porém é a mais aceitável.

Esses seres tendem por ser bem fortes fisicamente mas, não são lá grande coisa em em habilidades mágicas pois, geralmente nascem de dragões serpentes ou pré-históricos de baixo nível.

A coisa mais incrível nessa raça é que eles tem acesso a os poderes dos dragões, onde eles conseguem usar a transformação "dragon force" que até alguns anos acreditava-se apenas poder ser usada por magos da magia dragon slayer.



Que incrível... Então existe mais uma raça afiliada aos dragões é realmente incrível.

Fecho o livro e bocejo, que sono que horas são? Olhei para o pequeno movél ao lado da minha cama e vi que já eram 2:36.

Isso porque eu comcei as 23, imagina se eu tivesse começado a ler umas 00:10, ia dar merda.

Fechei os olhos, acho melhor eu dormir... Que horas são mesmo? Pera como assim? 2:41 eu fechei os olhos e passou 5 minutos?!

Me levantei e me joguei na cama, hoje é quarta e eu, tenho um certo ódio por esse dia, mais da metade das aulas são magia prática e não que eu não goste é que na verdade eu sou muito bom na sala, melhor aluno da escola mas na prática não da porque eu praticamente não tenho poder mágico, aí já sabe né.

Bom chega, tenho que dormir 5:40 eu acordo então bora.


(...)


BIP! BIP!

Bati com a mão em cima do despertador, ahhhh que droga eu realmente não quero ir para a escola... Acho que vou dar uma cochilada de leve...

Toc, Toc.

Sério? Vou abrir não... Escuto a porta abrindo e passos vindo em minha direção.

— já passou da hora de acordar, Natsu — disse uma voz conhecida por mim.

— que nada, daqui a pouco eu levanto — bocejei e enfiei minha cabeça debaixo do travesseiro.

— ok. Mas lembre-se que foi você que pediu por isso.

Ouvi os passos da garota que estava a se distanciar mas aí do nada os passos ficaram mais rápidos e...

POF!

— AI! — gritei porque ela tinha acabado de cair acertando uma joelhada nas minhas costas.

— pronto, acordou — disse ela sorrindo e saindo de cima de mim.

— isso doeu, mãe — olhei para ela que continuava sorrindo.

— você não quis acordar fiz o necessário, olhe — aponta para o relógio ao lado da minha cama e eu simplesmente pulo dela e vou correndo até o banheiro, como caralhos já são 6:20? Eu to atrasadasso.

Peguei a escova de dentes, passei a pasta nela e comecei a escovar os dentes.

— eles já foram ? — falei cuspindo à espuma da minha boca.

— sim, para ser exato saíram agora — respondeu minha mãe — seu uniforme está na cama e estou indo fazer o seu café da manhã — falou e saiu do meu quarto.

Terminei de escovar os dentes e sai do banheiro para me trocar... E, bom, você deve estar pensando que eu sou uma criança para minha mãe ter que fazer meu café e separar meu uniforme... Mas eu não sou, eu tenho fucking 18 anos de idade mas ela sempre faz isso sem eu perceber, não sei se é por eu quase sempre acordar atrasado ou ela ainda me tratar como "filhinho da mamãe".

Pronto terminei de botar o uniforme, não sei por que mas ele não me incomada sabe? Até o nono ano eu detestava usar o uniforme mas, quando entrei no colegial ele era mó legal. Então eu meio que comecei a gostar de usar ele.

Desci as escadas e fui até a cozinha chegando lá eu a vi colocando meu prato na mesa, fui até lá e me sentei.

— obrigado — disse olhando para ela pegando um garfo e uma faca e começando a comer.

— já falei que não precisa agradecer — ela falou se sentando na minha frente e eu senti um pouco de irritação na voz dela mas irrelevei — ah, o Gildartz ligou hoje umas 6:10 falando que precisava falar com você urgente.

— sério?! — perguntei sorrindo.

— sim — ela respondeu e agora eu estou muito curioso, Gildartz, meu professor favorito e mestre esta querendo algo comigo? Será que vai me ensinar alguma magia?

— obrigado mãe — disse me levantando — você pod — sim. Deixa que eu lavo. Anda logo e vai escovar os dentes que já são 6:43, o portão fecha as 7:00!

Sorri para ela e fui correndo novamente escovar os dentes e pegar minha bolsa.

Depois de escovar desci correndo as escadas tão rápido que quase fui rolando.

— Filho, chege antes das 13:20. hoje não vou poder levar a Wendy na escola e boa aula! — gritou lá da cozinha.

— obrigado mãe e pode deixar! Vou chegar cedo — respondi gritando e sai de casa.


(...)


6:59 consegui chegar, acho que eu quebrei o recorde mundial de corrida de 2500 metros, porque meu amigo...

— finalmente chegou, salamander — disse um conhecido colocando a mão no meu ombro direito.

— não sei como, Gajeel — falei ofegante, mano eu to cansado para um caramba.

— vamos, hoje da primeira aula até a quarta vai ser prova de magia histórica.

Aff, não acredito que eu esqueci da prova que teria hoje.

— pode ir na frente, vou jogar uma água no rosto para acorda to com sono ainda — forcei um bocejo para enganar ele.

— então tá, mas não se atrase, sua irmã vai te matar se souber que você se atrasou. Ainda mais para uma prova — se virou e foi em direção a sala.

Francamente eu quero cabular, não que eu não goste da aula de magia histórica mas o professor Hadas é chato demais... Droga fazer o que, melhor eu ir logo.

Fui em direção a sala e bem, acho que vou ter que correr um pouco já são 7:03 sendo que 7:05 já não se pode mais entrar na sala.

Peguei meu celular junto do fone de meu bolso e já bateu aquela bad só de lembrar que eu destruí a tela dele nesse sábado, entrei na minha playlist cliquei em qualquer musica e sai correndo a até a sala.

Pronto aqui estou mas... Acho que não vão deixar eu entrar, tá muito barulho lá dentro porém eu não tenho nada a perder. Bati na porta três vezes e percebi que alguém estava vindo, a porta se abre e adivinha? Isso mesmo professor Hades com aquela cara de quem estava esperando um aluno chegar para descontar todo seu estresse.

— e isso é hora de chegar, Vermilion? — falou cruzando os braços e eu quero muito responder esse cara na ignorância mas, acho que vai dar merda então vamos ser educados.

— com todo respeito professor Hades, mas agora são 7:06 acho que um minuto não muda muito, ou muda?

— "um minuto não muda muito" você diz... Sabe quantas construções podem ser destruídas em um minuto caso aconteça um terremoto?! — ele gritou cuspindo na minha cara e eu apenas me limpei com meu cachecol e respirei fundo.

— não senhor.

— então pronto, como castigo por chegar atrasado, quero que de uma breve "aula" sobre o que é magia histórica — ele saiu da minha frente e apontou para sua mesa.

— como quiser — caminhei até a mesa dele e olhei para a turma. Como já era de se esperar a maioria ou estava rindo de mim ou falando bosta, mas eu já me acostumei com isso venho sendo tratado assim desde a minha infância.

Coloquei minha bolsa em cima da mesa, estralei os dedos e então comecei da forma mais simples possível.

— então, alguém sabe o que é e como é criado uma magia histórica? — olhei de um lado para o outro da sala mas como era de se esperar apenas alguns dos meus amigos tinham levantado alguma de suas mãos.

— Levy? — falei olhando a azulada que se levantou.

— magia histórica é uma magia criada ao longo da história que teve um grande papel para algo.

— poderia citar uma e qual foi seu papel? — perguntei me sentando na mesa do professor que pela primeira vez, não mandou eu descer.

— sim. A magia "Re's" teve um grande papel na nossas vidas. Com ela podemos domesticar monstros e isso foi muito bom para estudos científicos sobre como eram o comportamento das espécies não-humanas. Sem falar que graças a ela conseguimos descobrir a cura de várias doenças causadas por monstros — a azulada sorriu e se sentou.

Eu fiquei meio boquiaberto porque por mais inteligente que a Levy seja, ela não era boa em magia histórica.

— parabéns — bati palmas junto com o resto da sala — está certo — parei e cruzei os braços — algum voluntário para me dizer como elas são criadas?

Novamente olhei ao redor da sala e pela primeira vez nesse ano vi pessoas que não eram amigos se volutariarem.

— deixa eu ver... — apontei para um do cabelo marrom — você aí — ele se levantou.

— elas são criadas quando algo precisa ser feito para que os humanos possam vencer algo. Como a própria Re's criada para combater monstros.

— é, mais ou menos por aí... — olhei ao redor da sala — gelinho? — ele me encarou de tipo "mano, eu vou te matar"

— elas não necessariamente são criadas para a "sobrevivência humana". Por exemplo: a magia "Fire" umas das mais fracas e antigas magias é uma magia histórica, pois sem ela talvez hoje não poderíamos esquentar nossas comidas — falou Gray ainda sentado de braços cruzados e antes de eu falar algo, todos bateram palmas para ele.

— acertou — olhei para Hades que apenas confirmou com um sim e fui me sentar.

— no final você não explicou nada, só corrigiu — disse Gajeel ao meu lado.

— que que eu posso fazer? Se eles já sabem de tudo — olhei para ele que tinha começado a "brisar" do nada. Segui o olhar dele e vi que ele estava olhando para Levy e logo abri um sorriso sacana — já tá na hora de chamar ela pra sair, cê não acha? — perguntei. Ele ficou vermelho na hora e começou a gritar comigo enquanto me balançava.

— vocês dois! Silêncio! Vou começar a distribuir a prova. — gritou Hades lá de sua mesa.

— sim professor — dissemos juntos e grande parte da sala riu.


3 horas e 14 minutos depois...


Finamente terminei, não acredito que demorei quase as 4 aulas para fazer isso e ainda tem gente que deve estar preso em alguma questão ou nem na matade da prova chegou.

Me levantei comecei a guardar minhas coisas e fui até o professor para lhe entregar a prova e depois me dirigi até a saída da sala, eu sei que não é hora do intervalo mas quando é prova pode sair mais cedo, claro se você terminar antes do horário.

Fui andando até o refeitório e meu Deus, como é bom chegar cedo. Lugar tá vazio não tem uma alma aqui.

Caminhei até a lanchonete, chegando lá avistei uma pessoa conhecida no balcão e fui até la.

— yo Mira-san! — disse olhando para a albina que sorria.

— oi Natsu. Então o que quer? — perguntou me mostrando o cardápio.

— dessa vez é um x-bancon e uma latinha de refrigerante, eu pago amanhã.

— tem certeza disso? Sua dívida só aumenta e me responda, sua mãe, a Mavis sabe que você está comendo essa "porcarias" ao invés dos lanches que ela deixa aqui para você? — fiquei vermelho com esse final, mano minha mãe é muito sei lá, não acredito que tem até lanche reservado para mim.

— c-claro que sabe... — menti coçando a cabeça e desviando o olhar.

— então está bom. Sua sorte é que acabamos de fazer um — ela se virou e foi pegar uma bandeja onde estava meu x-bacon e uma latinha de refri. Agradeci me virei e fui andando até uma mesa no canto do refeitório.

Vamos lá...

3...

2...

1...

É agora.

O sinal toca e numa velocidade acima de tudo que eu já vi um monte de pessoas descem correndo em direção a lanchonete pareciam até animas acéfalos em volta de um corpo e eu aqui, olhando, só posso rir.

— cê não vai parar com essa mania de rir da desgraça dos outros? — olhei para trás para ver quem tinha falado e era o Gray.

— nem da... É natural — disse coçando a parte de trás da minha cabeça.

— como que estava a prova? — perguntou se sentando do meu lado.

— olha, sinceramente, estava bem mais difícil do que eu esperava...

— é, eu achei isso também. Mas e agora? O que cê vai fazer?

— como assim? — questionei sem entender a pergunta.

— que eu saiba as próximas duas são sobre como são separadas os ranks das magias e nisso você tá craque né?

— ah, tá — me levantei — agora que você falou, acho que vou ir embora. Tenho uma missão para fazer — me levantei.

— o que é? Ajudar uma velinha a atravessar a rua? — falou tentando me irritar e eu só respondi.

— ora, melhor do que servir de geladeira — comecei a caminhar — Né gelinho?

Olhei para ele de canto e sai correndo percebendo que ele tinha se levantado.


(...)


Ah francamente eu preciso despertar meu poder mágico logo. Ficar fazendo missões como está de derrotar Galinhames é muito chato.

Desviei de uma investida feita pela galinha de tamanho desporpocinal e revidei dando um chute que a fez voar longe.

Eu me pergunto: "por que quando eles morrem, eles virão pó?" É bem bizarro.

— bom falta só mais um — bobiei e fui atingindo por uma investida de uma Galinhame em minhas costas que me fez cair no chão — ai! Isso doi! — gritei me levantando, fui contra o monstro e sem mais nem menos cai em cima dele dando-lhe uma cotovelada.

— caraca isso vai ficar roxo — disse me referindo ao golpe que eu tinha recebido — pelo menos terminei, agora devem ser umas meio dia e meia. Da pra falar com o Gildartz e levar minha irmãzinha para a escola de boa.

Acho que não...

— quem disse isso? — olhei ao redor e não vi ninguém... Ou melhor, não vi um humano e sim um Orc quase me acertando um soco.

Levantei a guarda mas não foi o bastante. Fui jogado para longe como se eu tive-se batido um carro e logicamente, cai no chão.

Me levantei mas não por muito, pois em uma cambaleada eu voltei para a terra.

Olhei para aquele ser, ele estava dando um sorrisinho de superioridade como se já soubesse o que iria me acontecer.

Mais uma vez me levantei só que dessa vez, não cai e sim fui correndo contra o monstro com o pensamento "eu prefiro morrer honrado do que viver sem honra".

Saltei e mandei um soco de direita contra seu rosto, ele novamente sorriu e então pegou meu braço e me bateu contra o chão com tanta força que o mesmo se partiu.

Não consigo mover meu braço, deve ter quebrado mas eu nem ligo tô no fundo do poço já.

Ele me levanta segurando meu braço quebrado e eu não resisti e gritei em dor e agonia por não poder revidar.

Mandei um chute de esquerda contra seu rosto e... Caralho pior coisa que eu já fiz foi essa. O filho de uma mãe muito saudável, mordeu a desgraça da minha perna e novamente dei aquele grito cabuloso de dor. Se alguém estive-se ouvindo ia achar que um porco que estava morrendo.

Ele me solta e pisa em mim me pressionando contra o chão.

Então é assim que vou morrer... ? Que merda... Além de eu ter essa desgraça de vida onde quase todo mundo me odeia e eu não tenho um pingo de poder mágico nem para tentar me defender da merda de um Orc, haha best life.

Não diga isso...

Am...? Quem está aí? Olhei para cima e vi uma loira de olhos castanhos flutuando, pô beleza mas, por que ela tem asas... Pera ai, wtf, ela tem ASAS?!

Antes de qualquer questionamento... Quero lhe fazer uma pergunta...

Ah... Vou morrer de qualquer jeito então, pode mandar.









Você viveria por mim?


Notas Finais


É isso, tenho nada a falar por que como eu ja disse to com sono e nem revisei huejeus.

Mas é isso aew, se quiser comenta, se quiser favorita e se "Kiser" acompanha, de qualquer forma tenham uma Boa madrugada xD

Até a próxima pessoal


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...