História Dragons: The Blooming of Wings. (Interativa) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Visualizações 47
Palavras 3.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


— Olha quem chegou! - Diz Cake acenando para a filmadora e Jacques apenas revira os olhos como sempre.
— Vamos logo com isso, tenho mais coisas para fazer... -Diz apontando para o computador onde o Photoshop estava aberto.
— Ok, ok. -Diz Cake fazendo um sinal de rendição. — Nos queriamos nos desculpar por qualquer erro e pelo tamanho do capitulo comparado ao tempo que levou para escreve-lo. Desculpa a demora e lembem-se de que sempre estaremos atualizando o jornal com novos personagens que aparecem no recorrer da estoria e eu recomendo que vejam o jornal todo capitulo pois sempre tem novas informações lá e-
— E normalmente os capítulos serão maiores que esse então nos queremos saber se preferem que nos o dividamos em dois ou fique com 4000 mil palavras ou mais. — Pergunta Jacques cortando Cake que fica emburrada.
— Não quer falar o resto do meu texto não? -Pergunta sarcástica e Jacques revira os olhos. — Voltando... E como é o começo da estoria nos não teremos muito para comentar sobre ela com vocês... Então, até a próxima.

Capítulo 2 - Tentando ser Suave...


Era fim de tarde e todos estavam na Arena a pedido do seu diretor, Perna-de-Peixe tinha feito um comunicado antes das aulas começarem que todos deveriam se reunir na Arena para receberem o Líder da aldeia que tinha algo a falar para nossos jovens heróis. Brooke estava nervosa sobre o que aconteceria em alguns momentos, ela não sabia se estava pronta para liderar um equipe, com medo de decepcionar seu pai se falhar, isso quase nunca acontece, mas quando acontece ela fica quase que paranoica com o medo de falhar e decepcionar a todos. De não ser uma verdadeira líder, como todos dizem que ela nasceu para ser. Evelyn e Aiden estavam ao seu lado tentando tranquilizar a amiga, mesmo que não soubessem o porquê dela estar tão nervosa, não era algo normal para os dois ver a loira esse tipo de comportamento.

Não muito longe do lugar onde os dois estavam Eir e sua irmã se encontravam encostadas na parede mais próxima a saída da arena, por insistência de Eir já que a mesma odiava estar na Arena, não importa o motivo, e nesse dia estava mais insuportável ainda com todo o barulho que estava predominando no ambiente, tudo que Eir queria era ir para um lugar silencioso  e com uma sombra onde pudesse ler um livro em paz e sossego, ela tinha recentemente pegado emprestado um livro sobre a Classe Mistério escrito por Hurret, o Sábio em uma de suas expedições. Ela prometeu para Ashton que devolveria o livro a biblioteca de Berk ainda aquela semana para que o menino não tivesse problemas já que ela tinha pegado em seu nome, não poderia levar mais de 1 livro da biblioteca de uma vez mas Eir não queria deixar de levar nem o da Classe Mistério nem o de Anfíbios e seus costumes, então Ashton gentilmente ofereceu ajuda a menina já que o mesmo tinha adorado o livro de Hurret e aprecia o gosto literário abrangente da garota, alem de poder levar mais de 1 livro da biblioteca por ser encarregado de cuidar da mesma. Sif por outro lado estava mais que animada pelo que estava por vir, ela tinha ouvido boatos que haveria uma grande luta hoje e que quem quisesse poderia desafiar Soluço para um duelo amistoso em suas próprias regras. Ela, por sua vez, estava morrendo de vontade de ter um duelo corpo-a-corpo com o Draconiano mais forte da aldeia. Mesmo que o barulho da arena também a estivesse incomodando ela só queria que Soluço aparecesse logo, mesmo que isso significasse mais barulho ainda.

Diana estava como sempre em um canto, incomodada com o calor e com a quantidade de pessoas que estavam em um ambiente pequeno considerando que a Arena tem espaço para dois dragões, não draconianos, dragões de verdade, os ancestrais dos draconianos.  Ela estava observando tudo a sua volta, observava cada detalhe como se deixasse algo passar custaria vidas, mesmo que ela soubesse que não é essa a ocasião. Ela estava tão absolvida em seus paralelos mentais que nem notou que estava sendo observada. A observadora esta sendo observada, como se o gato virasse o rato de uma hora para outra, mesmo que nenhum dos dois esteja caçando o outro.

Athena e Ashton estavam um tanto desconfortáveis com a presença do outro, principalmente Ashton que não tinha o costume de falar com a garota. Para ele é como se tivessem o trancado em um quarto com um completo desconhecido e falassem para que se tornem melhores amigos em trinta minutos. Ele não consegue, principalmente com sua total falta de habilidade social. Athena não estava ligando muito para a presença do menino já que a mesma estava conversando com Ártemis sobre o que poderia ser toda essa “Palhaçada”, nas palavras da morena. Eddy tinha acabado de chegar e estava fazendo companhia a Ashton já que o mesmo estava “sobrando” na conversa das garotas.

Em outro canto da Arena Finn e Ramona conversavam sobre coisas banais, principalmente por Finn não conseguir ficar mais de 3 minutos sem abrir a boca e falar, enquanto o garoto esperava Arséne ansiosamente para contar o que ouve quando chegou em casa e seu pai tinha sido informado sobre a brincadeira que os dois fizeram com toda a aldeia. Quando o garoto chegou com sua habitual mascara de ossos cobrindo a parte superior de seu rosto, deixando apenas sua boca aparente, alem de seus arrumados cabelos brancos e olhos castanhos, foi cumprimentado por seu aperto de mão exclusivo com Finn e de Ramona um simples comprimento com a cabeça.  O garoto estava detestando estar naquele local, principalmente pelo fato de um dos inspetores da academia ter o forçado a entrar na arena mesmo que ele não quisesse e o evento não tivesse começado.

Soluço subiu calmamente no mini-palco improvisado que tinha no local. Para Brooke ele estava em câmera lenta, como ele poderia estar tão calmo e sua filha quase surtando com uma situação que a mesma propôs? É oficial, ela só poderia estar louca para propor isso. Tudo que deva para ouvir por toda a Arena, além de uma tosse que vinha de perto da porta, era sua perna de ferro batendo na madeira a cada passo, seu semblante estava sereno como se estivesse dando “bom dia” para todos ali em vez de estar lá para dizer uma das coisas que sabia que iria se arrepender. Ao chegar no centro do pequeno palco ele cumprimentou perna-de-peixe e logo depois se virou para os jovens.

— Primeiramente, bom dia para todos. -Desejou e recebeu vários em troca, era sempre assim quando chegava a um local. — Não era minha intenção atrapalhar a aula de vocês é roubar-lhes um dia, porém tenho um anúncio muito importante que muitos esperavam para ouvir. Não quero que vocês se incomodem por não serem escolhidos, todos são extremamente especiais, porém eu tenho recursos limitados e não posso arriscar toda a academia. — Diz deixando todos confusos, do que o líder estava falando? Quem estava em perigo? Antes de continuar. –Só tomou fôlego e por momento pensou em dizer que era tudo brincadeira e que tinha pegado todos, porém quando olhou para sua filha ansiosa no meio da multidão desistiu, ele não poderia fazer isso com ela. —Estou aqui hoje para anunciar os novos Defensores de Berk. –Sua voz saiu rouca graças ao embolo na sua garganta, agora não tinha mais jeito. Quando o mesmo terminou de falar um silêncio tomou conta de todo local, todos estavam chocados, ninguém esperava isso, mas logo o silêncio foi cortado por uma explosão de vozes, femininas e masculinas se misturando e formando uma bagunça enorme e irritante.

— Quero todos quietos como se não tivessem língua! O próximo que fizer um som terá de dar 5 voltas na ilha comigo nas costas! -Diz Solas Narmer, o melhor professor de toda Berk, e o mais misterioso também. Sua voz soou profunda, o que fez com que a maioria dos jovens, no local, tivesse um arrepio na espinha ou engolisse seco. Ele era realmente capaz de fazer isso.

Quando o silêncio voltou a reinar Soluço pode continuar o que seriam um dos seus maiores erros, ou sua melhor decisão.

— Todos os que citarei a seguir devem comparecer ao Grande Salão. — Diz pegando um papel no bolso e o desdobrando até o mesmo ter o tamanho de sua palma. Enquanto observava a bela letra de sua filha se perguntava se ela estiva pronta para sair de Berk sem segurança, se estava pronta para se proteger sozinha, se ele estava pronto para vê-la crescer. — Athena Minerva Bonarroto… — Diz e procura a menina com os olhos em meio à multidão logo a encontrando perto da parede com uma sobrancelha arqueada. — Arséne Lupin… — Diz e facilmente encontra o garoto graças a sua máscara de ossos. — Eir Freya… - Diz e encontra a garota discutindo com sua irmã perto da saída, a loira parece ter se interessado quando ouviu seu nome. — Diana Berserker… - Diz é todos começam a procurar a garota, mesmo que Soluço já soubesse onde a mesma está não olhou em sua direção, ele sabe o quanto ela odeia multidões, ainda mais com ela como foco. — Finnegan Murphy… - Finn que estava aéreo a tudo só prestou atenção quando seu nome foi chamado. — Ramona Lothbrok... —  A essa altura todos estavam confusos, por que Esses alunos estavam sendo chamados e não somente a elite da academia? — Brooke Hoddock… -Foi então que todos caíram na confusão, pelo menos os  que conhecem Soluço, ele era protetor demais para deixar sua filha sair de Berk sem, no mínimo, cinco outros Draconianos com ela. — Eddy Crystal... –O garoto apenas se encolheu quando todos viraram sua atenção para o mesmo, ok ele definitivamente odiava ser o centro das atenções. —Evelyn... No caso a órfã... –Corrige Soluço quando viu algumas garotas apontando para si mesmas, todos sabiam quem era a Evelyn órfã, até por que era a única órfã com esse nome. — E por ultimo... –Parou ao ler o nome no papel, sua boca sempre ficava com um gosto ruim quando falava esse nome. — Ártemis Ocean. –Diz e a morena o olha fixamente, o que ele estaria planejando? Nunca que Soluço a daria um cargo importante, ou a deixaria ficar perto de sua filha, avia algo errado. — Bom é isso, espero ver todos no Grande Salão, isso é uma ordem. Alem disso quero falar a sós com... Ashton Tuker, Aiden Jorgenson e Theodore Friester. Por hora é apenas isso. –Diz e os professores começam a encaminhar os alunos que não foram chamados para suas salas.

 

(...)

 

Quase todos se encontravam no Grande Salão e Soluço estava apenas esperando Melequento chegar para começar a falar com os jovens presentes. Ele estava em um canto olhando para o escudo onde tinha a imagem de si mesmo mais novo com seu pai, ele se lembra de toda a aventura que passou naquele dia, atrás do grande tesouro de outro Soluço. Ele sentia falta do velho Stoico, com sua longa barba ruiva com fios brancos no final, dos seus escuros olhos verdes e da sua risada escandalosa de viking.

As portas do Grande Salão se abriram como aquela noite e Brooke instintivamente olhou para Ártemis que estava ocupada demais apreciando os escudos com pinturas nas paredes para prestar atenção na porta. Evelyn ao perceber o ato da amiga segurou sua mão, ela sabia que Brooke não gostava de lembrar-se do dia em que Ártemis chegou, mesmo que Evelyn não estivesse no dia sabia de tudo que tinha acontecido, não com muitos detalhes, mas tinha noção dos ocorridos e como isso avia afetado a infantil mente de Brooke. Melequento adentrou o grande Salão sendo seguido por Aiden, Ashton, Theodore e um garoto que ninguém nunca tinha visto antes em toda a vila, e olha que Finn conhecia todos da Aldeia.

—Bom... Vamos começar. –Diz Soluço e todos os jovens se viraram para ele. — Como eu disse antes, vocês quatorze são a nova equipe de Defensores de Berk. Vocês trabalharam juntos para proteger esse arquipélago, descobrir novas espécies de Draconianos, ajudar com problemas na ilha e tudo mais que vem com esse titulo. Mas antes eu tenho que perguntar uma coisa... — Diz e aponta para Eir que estava ao lado de sua irmã gêmea ouvindo o que o líder estava dizendo. — O que você esta fazendo aqui? –Pergunta e a garota nem teve tempo de responde que Sif entrou em sua frente falando.

— Ela também fará parte da “equipe” ou seja lá o que for. Eir é inteligente e forte, precisamos dela.  –Diz e era perceptível que ela não desistiria dessa ideia então Soluço assentiu coçando sua rala barba.

— Ok... Vocês Quinze, serão uma equipe, serão uma família. Protegeram um ao outro e protegeram o que acreditam. –Diz e os jovens se encaram não entendendo nada, porque bota-los em uma equipe? Nenhum deles tinha feito algo heroico para estar ali, ou tem algo a ver com o outro. — Agora vou deixa-los aqui para se conhecerem,  acampem aqui hoje e amanha de manhã arrumem suas malas com o necessário para sobreviverem, iremos partir depois da primeira refeição. –Diz e sai do salão sendo seguido por Melequento que nem olhou para o filho enquanto estava na sala. Quando as portas do salão se fecharam ficou tão silencioso que era possível ouvir o vento balançando a copa das arvores no lado de fora. Finn foi o primeiro a se pronunciar:

— Meu nome é Finn Murphy. Então... Qual é o nome de vocês? –Pergunta o moreno com um sorriso amigável no rosto e olhos verde-azulado brilhando, porem foi completamente ignorado pela maioria.

— O meu é Ramona Lothbrok. –Diz a ruiva colocando seu braço por cima dos ombros de Finn tentava ajudar o amigo e Arséne ao se tocar que seu amigo foi ignorado fez o mesmo.

—Podem me chamar de Lupin...-Diz dando de ombros sentando em uma das mesas do local enquanto pensava no que levaria amanhã.

— Athena Bonarroto  –Diz a loira sentada sentando o mais longe possível do fogo central, sua espécie não tinha muito apreço por fogo.

 —Eu sou Aiden Jorgenson e é um prazer conhecê-los. –Diz o moreno sorrindo e com seus belos olhos azuis brilhando. Ele fez uma pequena reverencia a todos e sentou no chão perto do fogo central onde Brooke estava observando o fogo. — Ah sim, essa aqui é a Evelyn –Diz apontando para a garota que estava ao lado de Brooke.

— Theodore Friester se apresentando para serviço. –Diz batendo continência e arrancando uma risada de Finn, Brooke, Ramona, Aiden e um sorriso divertido de Diana que estava observando tudo. — Diz seu nome ai esquisitona. –Theodore diz se referindo a Diana, que se questionou como ele sabia que ela estava ali sem nem ter olhado para trás.

— Diana Berserker... –Diz simplesmente e o garoto assente com um sorriso e seus olhos chocolate percorrerão o ambiente.

—E você Gótica? –Pergunta olhando para Sif que arqueou a sobrancelha com a ousadia do garoto.

— Não sabia que se eu usasse preto seria etiquetada como gótica. Talvez se eu usasse mascara igual ao ossudo seja chamada de esquisitona também. Sif Freya e essa é minha irmã, Eir Freya. –Diz apontando para a loira ao seu lado que estava observando Ártemis que estava praticamente chutando a porta do salão e xingando baixinho.

— Meu nome é... –Brooke iria começar a falar, mas foi interrompida.

—Todos nos sabemos quem você é loirinha. –Diz Ártemis dando outro chute na porta e chamando a atenção de todos. —Por que essa merda não abre. –Fala alto o suficiente para que todos ouvissem. — O seu pai prendeu a gente aqui. –Diz socando a porta. —Eu tenho mais coisas para fazer em vez de ficar presa nesse grupinho de apoio idiota. –Diz socando novamente a porta que mal se mexeu.  Seus olhos azuis brilhavam em raiva, Ártemis não estava com raiva apenas de ser obrigada a ficar presa com os outros, mas também por não conseguir se transformar e colocar todo o Grande Salão a baixo.

— Art é melhor você parar... –Diz Ashton baixinho chegando perto da garota. Ela vinha tendo vários excessos de raiva ultimamente, Ashton não queria que ela do nada começasse a quebrar tudo que visse pela frente e acabasse se machucando como da ultima vez. Porem quando a menina se virou para o mesmo Ashton se encolheu minimamente, ele não queria demonstrar fraqueza como normalmente por que estava realmente preocupado com a garota. —Você vai fazer com que fiquemos encrencados Art, não vai pagar sozinha se a porta quebrar. –Diz ainda baixo e tremendo um pouco, Ártemis ao ver Ashton tremendo com medo da garota ela se tocou do que estava fazendo, odiava deixar a única pessoa que se importava com ela com medo de si mesma.

— Ok... Eu... Só... –Ela tentava encontrar palavras para explicar o que estava fazendo ou no que estava pensando. Ela estava ficando muito descontrolada ultimamente, fisicamente e mentalmente. Ela vinha pensando em formas de destruir a Aldeia em que a única pessoa que cuidou dela vive. Ártemis simplesmente lançou um olhar de desculpa para Ashton e foi para o outro lado do Salão e ficou mexendo em seu apito.

— Ok... Quem é você? –Pergunta Theodore se referindo ao garoto moreno que estava calado obsevando toda a conversa.

— Eddy Cristal –Diz um tanto quanto nervoso, ele não estava acostumado com todos prestando atenção no mesmo.

— E você? –Pergunta apontando para o garoto que estava encostado em uma das paredes analisando a todos. Todos só notaram sua presença quando Theodore o citou. — Nunca te vi na vila antes, é novo?

— Nicholas, so Nicholas... –Diz ao perceber que ele estava esperando um sobrenome ou algo assim.

— É um prazer Nicholas –Diz com um sorriso amigável. — É um prazer conhecer todos vocês. –Diz Abrindo os braços com um sorriso de orelha a orelha, ele parecia ser o único que não se importava em trabalhar com todos ali.

 

(...)

 

Eddy estava terminando de arrumar suas coisas, o mesmo dividia o quarto com Ashton porem a cama do menino estava vazia e ele provavelmente já estava no Grande Salão comendo a primeira refeição.  De manhã os jovens foram liberados e todos foram para suas casas para arrumar suas coisas. Porem como era muito cedo Eddy resolveu tirar uma soneca antes de arrumar suas coisas. Quando saiu do quarto esbarrou com Diana que tinha acabado de subir a escada a derrubando no chão.

— Que merda. –Diz Diana levantando sozinha do chão de madeira. Ela estava com uma mochila de couro nas costas e sua roupa era uma blusa de couro coberta por um peitoral de ferro na parte dos seios, calças de couro e botas também de couro. Na sua cintura tinha um cinto com uma espada e a bainha de uma faca era visível em sua bota. Parecia que estava indo para uma batalha, ou para um treino com Solas, ela podia andar assim pela aldeia? — Não olha por onde anda não?

— Me desculpe, não sabia que você estava passando na frente da minha porta. –Diz com a voz travada, ele com certeza não era bom em falar com as pessoas. — Quer ajuda? –Pergunta, mas Diana apenas nega com a cabeça e passe pelo garoto sem dizer uma palavra.

Eddy se xinga mentalmente por ser tão socialmente errático e continua seu caminho para o salão principal. Diana continuou até achar o quarto que procurava, a garota abriu a porta, mas não viu nada quando entrou. — Kyu? –Perguntou e uma garotinha negra saiu debaixo da cama com um sorriso banguela em direção a Diana.

— Tia Nadia! –Diz com animação e corre para Diana que a pega no colo e anda com a mesma até a cama onde joga a garota de brincadeira e faz cócegas na mesma que solta uma risada infantil preenchendo o quarto.

—Olá miniatura de guerreira. –Diz dando um beijo na bochecha gordinha de Kyu que abraça seu pescoço com seus braços gordinhos. Diana percebendo isso levanta seu tronco fazendo com que a pequena ficasse pendurada em seu pescoço rindo. — Dormiu bem? –Pergunta abraçando o pequeno corpo e deitando de costas na cama com Kyu em sua barriga.

— Sim, eu sonhei que eu tinha asas azuis como as da minha mãe e você estava me ensinando a voar Tia Nadia. –Diz com um sorriso lindo.

— Assim? –Pergunta enquanto levanta Kyu com seus braços e a menina ri.

— Não, voar de verdade. Ah Tia Nadia você vai caçar amoras comigo amanhã né? – Pergunta com seus olhos chocolate brilhando.

— É disso que a Tia veio falar com você, eu vou sair da ilha e provavelmente vou ficar fora por um tempo. –Diz Diana com o coração pesando quando viu o sorriso de Kyu se desmanchar.

— Mas você prometeu. Não pode ir depois não? –Pergunta a pequena segurando a mão de Diana.

— Eu vou daqui a pouco pequena. –Diz Diana e essa frase a fez lembrar das vezes em que sua mãe saia em missão e a deixava sozinha, ela se sentia reproduzindo a cena que presenciou a anos atrás só que de outro ângulo.

— Ta bom. –Diz Kyu desanimada, seus lábios formaram um bico e Diana tinha certeza que ela estava chateada, mas ela não poderia fazer nada, são ordens do líder da Aldeia, ela poderia ser expulsa da ilha se o desobedecesse. Diana apenas deu um abraço e um beijo em Kyu e saiu do quarto, ela estava atrasada.

 

 

— Agora que estamos todos aqui vamos em direção a sua Base. –Diz Soluço e todos o seguiram. Seja voando como a maioria, seja nadando como Ashton e Aiden ou de carona como Ártemis.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...