História Dramione - Protego Totalum! - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alecto Carrow, Alvo Potter, Amycus Carrow, Andromeda Tonks, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Córmaco Mclaggen, Draco Malfoy, Fenrir Greyback, Gina Weasley, Gregory Goyle, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Kingsley Shacklebolt, Lilá Brown, Lílian L. Potter, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Penélope Clearwater, Personagens Originais, Rabastan Lestrange, Rita Skeeter, Rodolfo Lestrange, Ronald Weasley, Scorpius Malfoy, Ted Lupin, Theodore Nott, Tiago S. Potter, Viktor Krum, Vincent Crabbe
Tags Draco Malfoy, Dramione, Ginny, Harry Potter, Hermione Granger
Visualizações 193
Palavras 3.711
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


"Eu juro solenemente, que não irei faze nada de bom!"


Gentes!!! Voltei!!

Capítulo novinho para vocês...

Espero que estejam gostando desses dois!

Deixem comentários para mim!

Segunda posto mais!

Capítulo 13 - Cap. 13 - Allohomora


Cap. 13 – Allohomora

 

 

P.O.V. Hermione Granger

 

 

Após alguns dias em casa, já estava mais estabelecida a minha rotina tradicional. Eu tive alguns imprevistos com as investigações dos Malfoys. Nada muito fora do comum, algumas pistas falsas, alguns ataques que não foram muito bem sucedidos. Por Merlin, que não perdemos mais ninguém, apenas tempo mesmo. Os jornais, haviam dado uma trégua á nossas cabeças, tudo graças ao descobrimento da gravidez de Gina.

Nunca pensei que um ser tão pequenino, e que não nasceu, poderia me dar tanta paz! A família Weasley fez uma festa em comemoração a vinda do pequeno James. E pela saúde de Gina! Eles estavam radiantes. Isso que James não é o primeiro neto de Arthur e Molly.

Eles já tem Victorie, Marie, Molly II, Fred II e a pequena Roxane que nasceu a poucos meses. Essa família nunca seria pequena. Quem sabe logo Ronald não engata um noivado com Lilá e têm seu primeiro filho e eu... bem eu não ligo! Tive aquela pequena crise a alguns dias... mas já me recuperei.

Por hora só quero me concentrar em meu trabalho, Simon... e aos estudos, que nunca deixei muito de lado. Sabem como é, velhos hábitos são difíceis de mudar. Hoje eu tenho uma reunião com o ministro. Nós já tínhamos essa reunião marcada a algum tempo, nossas agendas não batiam, confesso que achei que adiaríamos depois do ataque aos Malfoys.

Ele me antecipou que gostaria de minha ajuda em um novo projeto que está sendo instalado no ministério, mas ele não quis dar muitos detalhes, confesso que não sou tão curiosa assim e na realidade imagino o que ele deve me propor.

Me visto de maneira mais formal, coloco um vestido tubo preto, sob um blazer branco de alfaiataria. Um belo salto alto e uso minha lareira para me encaminhar de maneira mais rápida ao ministério. Mal cheguei e como sempre este lugar é mega movimentado. Papéis e pessoas para todos os lados. Me encaminho para um dos elevadores e subo para a sala do ministro.

Não demora muito e logo entro no grande saguão de mármore e ouro. O andar do ministro era muito chique, não que Kingsley fosse dado a esses luxos, na realidade como sabemos ele é muito simples, mas essa construção é formal e histórica, ele não quis modificar. Logo que me dirijo a recepção, sou reconhecida pela secretária.

- Srta. Granger, bom dia! O ministro está a sua espera, por favor entre! - ela disse educada.

- Obrigada Gertrudes! - digo o mais gentil que posso. Me encaminho para a grande porta de madeira. - Bom dia Ministro! Espero que não esteja me aguardando a muito tempo!

- Sempre pontual, Hermione, sempre pontual! - ele disse sorrindo para mim. - Sente-se. - disse me direcionando a uma enorme poltrona de couro de dragão. - Vou ser direto, porque infelizmente não posso me demorar.

- Pode dizer! - digo o mais séria possível. - Algum problema?

- Não, querida! - ele disse de forma amável. - Ou melhor, tenho sim... descobri recentemente que um funcionário do departamento de Leis e Execuções Mágicas, era um forte aliado de Lord Voldemort, descobri que ele estava aliciando alguns funcionários a fazer greve contra o ministério e sua política de tolerância...

- Entendo... esse funcionário foi... - começo a dizer, mas logo sou interrompida.

- Preso! E o grande problema é que ele era o chefe do departamento! - ergo minhas sobrancelhas atentas. - Era um cargo de confiança do antigo ministro, não o dispensei de imediato, pois fazia o seu trabalho, aparentemente muito bem... mas...

- Na verdade estava agindo sob suas costas! - constato.

- Exatamente! Preciso de alguém de confiança... - ele começou.

- Senhor, não tenho muito conhecimento sobre política...

- Mas não existe ninguém no mundo mágico, que tenha uma capacidade intelectual como a sua... e nem a honestidade, se me permite dizer... - ele sorriu.

- Obrigada Senhor!

- Estive pensando em definir um tutor para você... alguém que possa te direcionar nas políticas públicas... como sabe, eu quero muito que você e Potter assumam as responsabilidades que lhes cabem o mais rápido possível...

- O que quer dizer, ministro?

- Quero que você seja a próxima a sentar nessa cadeira, Hermione. E estamos treinando o Sr. Potter, para ser o próximo chefe do departamento de Aurores, como já deve saber...

- Sim... mas não acha que eu deveria ter mais experiência e conhecimento?

- Sim... por isso penso em escolher um tutor, por hora! Aceita a minha proposta?

- Bem... eu...

- ÓTIMO! - ele disse por fim. - Sabia que poderia contar mais uma vez com você Hermione!

- Mas....

- Não se preocupe... pode começar no próximo mês. Assim posso ter um bom tempo para escolher um bom tutor para você! - ele disse sorrindo. - Tire o dia de folga, avisarei ao chefe do departamento.

- Haann... obrigada? - digo ainda sem chão ao sair da sala.

 

Saio em direção ao elevador completamente desnorteada. Eu não sabia como lidar, eu realmente estava me sentindo perdida com tantas informações. Era tão estranho e maluco, pensar que eu comandaria um setor inteiro... e quem sabe um ministério! Merlin!

Sinto meu coração ir até a boca. Por Merlin, como é que alguém joga um avada desses no meu colo? Eu estou completamente sem chão! Eu não vou dar conta... eu não vou dar conta... eu não vou dar conta! Sinto a ansiedade subir até o meu pescoço! Parece que minha respiração vai faltar!

- Hermione, querida? - escuto uma voz feminina. - Você está bem?

- Narcisa... oi! - digo percebendo quem é. E notando por fim a presença de Draco Malfoy. - Oi!

- Oi! - ele disse me encarando. - Está se sentindo bem?

- Eu tô ótima! - minto. Acho que eles não acreditaram.

- Querida, estamos indo tomar um café, por que não vem conosco?

- Eu... não...

- Que bom! É bom que assim você se distrai! - Merlin, ninguém me escuta! Todos decidem por mim. - Vamos! Vamos!

- Olha, Narcisa...

- Melhor não questionar... - escuto o sussurro de Draco. - Ela está toda animada, a muito tempo não a via assim...

Caminhamos em direção a um café que tinha próximo ao ministério, já tinha comido lá umas poucas vezes, era um local muito bom, mas era extremamente caro! Não me admira que os Malfoys viessem aqui! Escolhemos uma mesa mais ao fundo, nos sentamos e logo olhamos o cardápio.

- O que vocês vão pedir, crianças? - Narcisa disse simpática. - Essa tarde eu pago!

- Ahh, Narcisa, não se preocupe...

- Querida... eu vou pagar... escolha o que quiser! - ela sorriu simpática

- Vou querer um capuccino e um omelete! - digo olhando o cardápio.

- Ótimo! - ela sorriu satisfeita. - Vou pedir um doce, está muito magrinha... e você, querido?

- Um expresso duplo e um sanduiche... - ele disse olhando o cardápio. - Nada de doces para mim!

- Não, não, não! Temos que comemorar! - ela sorriu.

- Mãe...

- Draco! - ela olhou questionadora. - Seja uma boa companhia para Hermione, enquanto vou ao caixa fazer os pedidos. - disse ao se levantar.

- Por que estava tão nervosa? - Draco me questionou.

- Não é da sua conta... - digo petulante.

- Deveria melhorar o humor... é uma boa coisa para você! - ele olhou cínico.

- Como você... - olhei incrédula para ele. - Não acredito que entrou nos meus pensamentos!

- Não é minha culpa, se estava passando mal na minha frente! - ele deu de ombros. - E nem que, não bloqueia seus pensamentos...

- Você não têm esse direito....

- Você não me deu informações... olha, se quer minha opinião... você não precisa ter medo, todos sabemos que dará conta!

- Não pedi a sua opinião! - digo brava. - E eu não estou com medo!

- Sei... - ele riu, logo em seguida Narcisa retorna a mesa.

- Querida, como você está? - ele disse simpática. - Eu vou lhe confessar que sinto sua falta... é tão bom ter uma companhia feminina em casa!

- Eu estou bem! - digo sorrindo. - Trabalhando muito...

- Seus pais devem estar orgulhosos de você! - ela disse sorrindo.

- Ahhh sim... mas eles não sabem muito o que eu faço... - digo constrangida.

Nossos pratos não demoraram a chegar e logo começamos a comer. Nesse momento poucas palavras foram trocadas, poucos comentários foram feitos e pra minha sorte pude me acalmar um pouco mais e refletir sobre toda a proposta de Kingsley. Talvez eu não esteja pronta, ainda... mas eu posso estudar, posso me esforçar para um dia ser boa o suficiente!

- Draco te contou da novidade? - meus devaneios são interrompidos pela voz de Narcisa.

- Não! Qual novidade? - digo curiosa.

- Já podemos voltar as nossas rotinas normais... O ministério falou que acreditam que não corremos riscos por hora! - ela falou sorrindo. - Eu estou tão acostumada a minha rotina, que ficar presa dentro de casa é um martírio... mas me foquei em tentar aprender outras receitas...

- Isso é muito legal! - digo sorrindo.

- Elas não ficaram muito boas... estou pensando em fazer um curso talvez... - ela disse, mas logo olhou pra Draco. - Sei que não é muito bom eu sair tanto e deixar seu pai...

- Mãe! - Draco disse sério. - Faça o que te deixa feliz... pare de pensar tanto em mim e em Lucius! Vá viver sua vida!

- Eu vivo... vocês são minha vida! - ela admitiu.

- Sim... mas o tempo que gasta pensando em nós poderia fazer algo mais útil! - Draco disse seco.

- Como é? - Narcisa disse nervosa. - Está dizendo que eu cuidar da minha família é inútil?

- Acho que o que Draco quer dizer... - dou um leve chute em sua perna por baixo da mesa. - é que ele já é um adulto, e que por ser um adulto – dei ênfase a última palavra, Draco me olhava atento. - ele tem maturidade suficiente para se cuidar... e isso pode diminuir a carga que você carrega... e diminuindo as coisas que têm pra fazer, pode se concentrar em seus hobbys!

- Ahhh sim! - Draco disse mastigando seu sanduíche. - Era isso que eu queria dizer. - Narcisa abriu um grande sorriso.

- Obrigada filho... fico feliz que esteja pensando em mim! - ela diz constrangida. - Bom, eu terminei minha refeição, se vocês não se incomodarem, tenho que me retirar, combinei com Drômeda que nos veríamos ao final da tarde!

- Fique a vontade! - digo prontamente. - Eu também estou quase terminando!

- Draco, querido! Acompanhe Hermione em casa, sim?

- Olha... isso não é necessário! Minha casa é bem perto, vou andando! - digo rapidamente.

- Por isso mesmo... não vai demorar a escurecer... é bom que Draco a acompanhe! - ela não deixou nenhum dos dois responder. - Até mais querida! Venha nos visitar!

- Olha... não precisa se incomodar... - digo olhando para Draco Malfoy.

- Tudo bem... tenho a tarde livre! - ele disse dando de ombros. - E se eu não te acompanhar, terei que escutar Dona Narcisa!

- Errr... é só você não contar... - digo rindo.

- Sabe... se acha que sou bom com legilimentes, nunca viu minha mãe! - ele falou rindo.

- Ok! Ok! Me convenceu! - digo rindo. - Vocês e seus métodos!

- Bom... - ele disse mordendo, pegando um pedaço de sua torta. - O que está lhe deixando mais ansiosa?

- Ahhh... eu tenho medo de não dar conta...

- Acho que você é bem capaz de dar conta... - ele disse rindo. - Você é boa em tudo que faz...

- Não... não sou!

- Ahh não? Em quê, você poderia ser ruim? - ele disse provocativo.

- VOAR! ODEIO! SOU PÉSSIMA! - digo rindo e comendo um pedaço de bolo.

- Uma bruxa que não sabe voar... isso é hilário! - ele riu.

- E você no que é ruim? - digo petulante.

- Eu sou ótimo em tudo! - ele falou debochado. - O que? Pergunte para minha mãe ! - ele disse rindo. - Tá bom! Eu sou péssimo em lidar com sentimentos...

- Como assim?

- Ahhh... eu sou do tipo que não é muito.... haaannn... empático! - ele confessou. - Eu entendo de dor... de sofrimento físico... as emoções... nunca aprendi muito a lidar com elas... mas sou ótimo em esconder! - ele riu.

- Eu te entendo... - digo rindo. - Me entendo mais com os livros do que com as pessoas...

- Tipo isso! - ele riu e terminou seu pedaço de torta. - Você quer ir?

- Claro! - digo simplesmente.

Levantamos do restaurante e rumamos para fora. A rua estava tranquila e calma, muito diferente do habitual. Era possível andar e não precisar ficar desviando das pessoas... era possível uma conversa até.

- Sabe o que é engraçado? - Draco Malfoy puxou assunto.

- O que? - digo curiosa.

- Moramos relativamente perto... esta vendo aquele prédio ao fundo? - ele apontou para um prédio moderno e extremamente alto a algumas quadras do restaurante.

- Sim! Você mora ali? - digo.

- Sim... e você?

- Virando a direita! - digo ao apontar para o final da rua.

- Nossa! Nunca pensei que quase seria vizinho de você Granger! - ele riu.

- O bairro está perdendo o charme que tinha! - digo debochada.

- E como está seu cachorro? - ele disse como quem não quer nada, ao chegarmos na esquina.

- Ele tá bem... bagunceiro... as vezes não dou conta dele!

- Deveria passear mais com ele... - Draco disse dando de ombros. - É um cachorro que está em fase de crescimento...

- Não sabia que entendia de animais...

- Eu adoro os animais... mas nunca pude tê-los! - ele admitiu.

- Por que?

- Meu pai... - ele disse simplesmente. - E agora... apesar de morar em um apartamento grande... não gosto de pensar em deixar um bichinho preso... tenho minha coruja... mas ela se cuida sozinha!

- Entendo! - digo ao chegar no portão de minha casa. Simon ao nos ver já veio com toda a sua empolgação.

- Ei garoto! - Draco disse ligeiramente empolgado. Simon late como se quisesse responder. E logo pega um de seus brinquedos, trazendo para ele. - Você quer brincar, é?

- Ele sempre quer brincar! - digo rindo, enquanto Simon tenta puxar seu brinquedo das mãos de Draco. - Acho que ele gosta de você!

- Por que não iria gostar? - ele falou debochado. - Pela carinha dele, é um legítimo sangue puro!

- Sim... é sangue puro... mas ele foi resgatado... de um criadouro... ele estava super magrinho... agora por Merlin, está mais saudável! - confesso como uma mãe orgulhosa. - Ele é super inteligente.

- Sim... mas ele tem a quem puxar! - Draco disse dando uma piscadinha para mim. O que foi isso? Draco me elogiou?

Não demorou muito e Simon largou seu brinquedo, correndo pelo quintal. Quando retornou, estava com sua guia de passeio.

- Simon, nós sairemos passear, daqui a pouco... - começo a dizer, mas logo Simon leva sua guia para Draco.

- Acho que ele quer que eu passeie com ele! - Draco constatou.

- Isso é realmente muito estranho... - digo rindo. - Mas não precisa se incomodar...

- Não... não é incomodo algum... - Draco disse sorrindo. - Por que não vêm com a gente? - e como se Simon entendesse, logo latiu animado.

- Tudo bem! - digo rindo. - Vou apenas trocar de roupa. - digo ao me encaminhar para a minha casa. Pego uma legging preta e uma regata aberta na lateral, visto um top e saio para a fora de casa. Simon e Draco estavam prontos. - Pronta!

- Que rápida! - Draco disse sorrindo. - Bora? - nisso Simon saiu puxando Draco, que não estava esperando o tranco e quase foi arrastado.

- Quer que eu o leve? - digo constrangida pelo comportamento dele. - Já estou mais acostumada.

- Não! Eu o levo! - Draco disse rindo. - Só fui pego de surpresa...

Caminhamos em direção a um parque próximo, não demorava muito para chegarmos. O parque se encontrava em uma parte da cidade onde habitavam muitos trouxas. Apesar do sol forte, poucas pessoas estavam caminhando. Soltamos Simon para correr pelo jardim. E sentamos sob a grama.

- Isso é muito legal... Simon é um cachorro muito legal... - Draco dizia animado. - Posso ver ele outras vezes?

- Claro! Fique a vontade! - digo rindo.

- A quanto tempo tem ele?

- Não muito, a alguns meses... ele é uma boa companhia... - digo olhando Simon brincar e correr atrás das pombinhas.

- Ele parece ser muito feliz! - Draco dizia sorrindo.

- Ele me faz tão bem... - digo pensativa. - Nunca pensei que pudesse ter um bicho como Simon, sempre tive gatos... são tão tranquilos...

- Nunca fui muito de gatos... minha mãe gosta deles... mas meu p... Lucius nunca deixou que tivéssemos - Draco admitiu.

- Deve ter sido chato ser filho único e não ter nem um bichinho... - digo olhando para Draco. Ele concorda.

- Eu tinha um elfo... - ele admitiu. - Ser criado num mundo de adultos... nunca é legal... - Draco constatou. - E quando eles só tem um filho... o mimam... parece que você se desenvolve não sendo criança... você nasce e já é um mini adulto...

- Não deve ter sido muito fácil para você. - Constato.

- Não... hoje entendo o porque eu era tão insuportável quando criança... - ele riu. - Quando todos fazem as suas vontades... quando tudo que você quer é Lei! Dificil de você aprender a entender a dor do outro...

- Mas você faz isso todos os dias hoje.

- De certa forma... é um desafio diário...

- Como foi pra você... começar a entender que o mundo não girava no seu umbigo? - Pergunto debochada.

- Acho que entendi que todos me mimavam, porque haveria um preço a ser pago... minha fidelidade e alma... era isso que eu tinha que pagar... por todos os anos tendo tudo que eu queria...

- Eu sinto muito... - admito, um gosto amargo encheu a minha boca.

- Não sinta... - ele me olhou. - O que passou, passou... o que realmente importa é que as próximas crianças que nascerem, não precisaram passar por isso...

Simon veio correndo em nossa direção. Pedindo para andar mais. Coloco a guia em seu peito e ele me puxa para me levantar. Draco levantou-se logo em seguida. Simon não demorou muito e ficou atento demais, quando vi, ele saiu em disparada, me arrastando junto com ele... mas na minha frente tinha Draco.

Caí em cima de Draco ao ser arrastada por Simon. A guia de Simon se soltou da minha mão. Ele também não esperava o ímpeto de Simon e não conseguiu se segurar. Rolamos na grama, ao pararmos, Draco segurou a minha cintura e ficou por cima de mim.

- Me... me desculpe... - eu digo constrangida, com aquele homem em cima de mim. Nossos olhos se encontram... e eu paraliso ao ver aqueles olhos cinza gelo. Eles eram profundos e intensos.

- Não se desculpe! - Draco disse e olhou para meus lábios, corei e os mordi... instintivamente. - Não faça mais isso...

- O que? - digo mordendo novamente meus lábios, assustada. Draco inrrompeu sob a nossa distância, quebrando-a. E selou nossos lábios... seus lábios eram ligeiramente gelados, mas macios. Eles eram intensos demais... e quando sua lingua tocou a minha... uma onda elétrica formou-se dentro de mim. E eu só queria aprofundar mais essa sensação.

 

 

******

 

 

Três semanas haviam se passado, não houve muitas mudanças, eu ia para o trabalho, treinava, voltava para casa.... as investigações sobre o ataque aos Malfoys não foram muito para frente... enfim, minha rotina diária estava sendo a mesma de sempre.

A não ser por está manhã... eu estava tomando meu café, de forma tranquila, até que Simon começou a latir incansávelmente para uma das janelas. Nela uma belíssima coruja branca das neves, pousava sobre a minha casa. A coruja ignorava completamente Simon, o que o deixava extremamente irritado.

Peguei um envelope preto com uma caligrafia em tons dourados, uma caligrafia fina e elegante, abri o envelope. E nele estava escrito:

 

 

Cara Senhorita Hermione Granger

 

 

Em agradecimento pelo serviço prestado com tamanha destreza e competência... o Sr. Lucius Malfoy, juntamente com a Sra. Narcisa Malfoy, oferecem um baile em vossa homenagem.

O evento será no grande salão da Mansão Malfoy, e irá se realizar na data de 31 de outubro de 2000. Em comemoração ao dia do bruxo. Evento tradicional na comunidade bruxa, mas que devido as últimas circunstâncias não estava sendo realizado.

 

Sua confirmação é essencial! E o traje sugerimos de gala!

 

Contamos com a sua prestigiosa presença, para agraciar nosso evento!

 

Atenciosamente,

Família Malfoy.

 

 

Eu estava sendo convidada para um baile na Mansão Malfoy, e este baile é em minha homenagem? E o pior? Era essa sexta? Por Merlin, onde é que eu iria arranjar um vestido? Não demorou um segundo do meu pensamento, para uma Gina surgir no meio de minha sala ! Através da Rede Flu.

- Você quer me matar do coração? - eu disse após me recuperar do susto !

- Precisamos de vestidos! - ela dizia mostrando o convite do baile.

- Você também recebeu?

- Harry, recebeu! Eu como sua esposa, irei impecável! - ela dizia animada.

- Não sei Gina... será que devemos ir?

- Hermione! É claro que deve ir! Onde em sua imaginação, você poderia pensar que seria homenageada no dia das bruxas, em plena MANSÃO MALFOY! - ela berrou a ultima parte. - Você vai nem que eu te arraste! Ou te enfeitice!

- Vamos as compras! - digo nada animada. - Esse baile vai dar merda!

- Por Morgana! Anime-se! - Gina dizia rindo.

- Vou tentar... juro solenemente que irei tentar!

 

 


Notas Finais


Gentes!!!


O primeiro beijo rolou!!! E eu já amo Simon (cupido oficial)!


Me contem o que vocês acharam sobre esse capítulo.


Deixem seus comentários, sugestões e notas!

Ficarei muito feliz!

Beijos!

"Malfeito, feito!" "NOX!"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...