História Dramione e Gitt - O jogo do prazer - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Hermione Granger, Luna Lovegood, Theodore Nott
Tags Bluna, Dramione, Gitt
Visualizações 100
Palavras 1.999
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Só pra deixar claro, minha conta foi excluida por motivos de imagens "pornográficas" nos capítulos 🙄 más estamos aqui de volta. A estaca zero meninas! Vamos lá.

Capítulo 1 - Friends


Fanfic / Fanfiction Dramione e Gitt - O jogo do prazer - Capítulo 1 - Friends

Amigos apenas dormem em camas separadas. E os amigos não me tratam como você me trata.

(Friends - Ed sheeran)

 

Pov Gina:

Eu havia acabado de voltar de Hogsmeade com algumas sacolas na mão, e atras de mim vinha um Nott completamente cansado e emburrado. Ora, eu realmente não entendo o Nott, o garoto se ofereceu para ir comigo e agora está com essa cara de quem chupou limão.

— Ora Nott, você não vai ficar com essa cara para sempre não é? - eu disse vendo ele fechar a porta do quarto e deitar-se em minha cama.

— Gina, você disse que ia em duas lojas, duas lojas Ginevra. E fomos em mais de sete. - Ele bufou pelo nariz, se sentando na cama e se encostando na parede.

— Mas foi você que se ofereceu para me acompanhar. - eu disse vendo seu rosto ficar mais carrancudo

— Ora, eu não ia deixar você sozinha. Amigos não fazem isso. - ele disse, me fazendo rir. Eu sabia bem como fazer ele esquecer esse assunto rapidinho.

Eu me aproximei da cama e cheguei perto do seu rosto, depositando um beijo em seus labios. As mãos ageis de Nott subiu para minha nuca, aprofundando o beijo. Enfiei minhas mãos em seus cabelos que eu tanto amava, puxando os fios castanhos claros. Subi em cima do garoto, colocando uma perna de cada lado de sua cintura, me mexendo em seu colo na tentativa de achar uma posição confortável.

— Gina, não se mexa em meu colo assim...- Nott interrompeu nosso beijo e murmurou contra meus lábios.

— Desculpe... - sussuro, mexendo-me ainda mais no colo do jogador de quadribol, causando um pequeno atrito entre nossas intimidades.

— Gina...- ele gruniu, me lançando um olhar feroz, e eu dei risada.

Seus labios encontraram o meu novamente, dando início a um novo beijo. Suas mãos estavam pousadas em minhas coxas, acariciando-as, e minhas por sua vez estavam apoiadas em seu peito, amassando sua camisa entre meus dedos. Os lábios de Nott eram gentis nos meus e ele mantinha o beijo em um ritmo calmo, sem pressa nenhuma de acabar. Mas, ao mesmo tempo que nosso beijo era calmo e lento, os sentimentos de prezer eram transmitidos naquele ato eram tão intensos que de repente, meu coração parecia grande demais para meu peito. Eu sentia quando meus toques faziam seu corpo se arrepiar.

— Amigos podem fazer isso? - eu disse separando meus labios do dele sorrindo e o fitando - O certo seria cada um sentar na cama e ficamos bem comportados.

— Sim, amigos podem fazer isso. - ele disse me dando um selinho - Apenas, bons amigos pode. - ele completou e voltou a me beijar.

Levei uma de minhas mãos suavemente até sua nuca, arranhando levemente o local com minhas unhas. Nott sorriu entre o beijo me puxando pela cintura para mais perto de si, acabando qualquer espaço entre nós. Seus dedos agora estavam nos meus cabelos, puxando-os levemente, nosso beijo se intensificou - sé é que aquilo era possivel naquela altura. A boca de Nott ja traçava uma trilha de beijos pela minha bochecha, passando por meu queixo e chegando em meu pescoço.

Empurrei seu peito levemente, me afastando de seu corpo apenas o necessário para que conseguisse levar minhas mãos até a base de sua camisa. Puxei sua blusa para cima, jogando-a no chão quando a mesma deixou seu corpo. Senti que ia morrer a qualquer momento. Mas desde quando Nott ficou tão mais atraente?. Corri meus dedos pelos músculos duros de seu abdômen, mordendo o lábio inferior ao sentir a textura macia de sua pele dourada.

Fixei meu olhar no dele. E através das suas íris eu pude ver desejo. Sua respiração estava pesada e ele parecia desesperadamente perdido pelo prazer. O fato de eu saber que podia deixá-lo daquela forma, me excitava ainda mais. Não perdi nem mais nenhum segundo e voltei a beijá-lo. Sua língua interagia com a minha de uma forma que fazia arrepios subir por minha espinha, o jeito como nos beijávamos e nos agarrávamos era como se estivéssemos desesperados com sede um do outro. Sede que, eu tinha certeza absoluta, não seria saciada tão cedo.

Levei minhas mãos até os botões de sua calça jeans, abrindo os mesmos. Nott separou nossos lábios brevemente, apenas para que eu pudesse se livrar daquela peça de roupa, ficando apenas com sua boxer branca. Ele me puxou para um beijo novamente, dessa vez fazendo com que eu me deitasse no colchão macio, com ele em cima de mim. O loiro puxou minhas pernas, entrelaçando-as em suas cintura, enquanto suas mãos viajavam por meu corpo, deixando rastros de fogo por onde passavam. Eu bagunçava seus cabelos macios com meus dedos, puxando-os levemente cada vez que suas mãos fortes me apertavam.

Ele partiu o beijo com vários selinhos, o que me fez sorrir. Os lábios de Nott desceram por minha bochecha até meu pescoço, chegando até meu ombro e o busto, onde parou. Uma de suas mãos entrou por baixo de mim, abrindo com facilidade o fecho do meu sutiã, que Nott tratou de arremessar pelo quarto. os lábios do homem começaram um trabalho árduo em meus seios, beijando, mordendo e chupando-os, me fazendo ir a loucura. Enquanto seus lábios estavam em um, sua mão massageava suavemente o outro. Eu tentava controlar meus gemidos, mas era impossível. Aquilo era muito excitante e prazeroso, eu estava tão quente que sentia que iria explodir como uma bomba. Seus beijos, mordidas e chupões desceram por minha barriga, me fazendo ofegar. Suas mãos apertavam minha cintura, quadris e coxas, eu estava mais ofegante que nunca, apreciando cada um de seus toques. Fui pega de surpresa quando seus dedos acariciaram minha intimidade pulsante e úmida por cima da calcinha, o que fez minha respiração falhar e um gemido fraco escapou da minha boca. Olhei para Nott e o mesmo me encarava de volta, como um sorriso satisfeito em seus lábios. Ele escorregou seus dedos para dentro do tecido fino da minha calcinha, tocando meu clitóris, fazendo movimentos circulares. Nott voltou a ficar de joelhos na cama, dessa vez para que conseguisse deslizar minha última peça de roupa rapidamente por minhas pernas, jogando-a em qualquer lugar. Ele olhou em meus olhos e alguma coisa dentro de suas íris me dizia que Nott não tinha boas intenções.

— Quero beijá-la - ele disse e eu fiz menção de levantar para alcançar-lhe a boca. Mas ele me fez deitar novo. - Quero beijá-la em outro lugar.

E sem avisos nem pedidos, abriu-me as minhas pernas jogando-as sob seus ombros e mergulhou a língua quente em minha intimidade. Eu não consegui conter um grito. Agarrei por instinto os cabelos e pressionei o ventre contra a cabeça dele.

Ela estava irrevogavelmente excitada e beirava o ápice enquanto ele lhe presenteava com beijos e lambidas cada vez mais intensas.

— Oh, merlin. - Eu disse quando senti meu ventre apontar níveis alarmantes. - Nott…eu vou…

Senti ele sorrir. E assim introduziu um dos dedos em mim, substituindo sua boca. Ele sorriu com a bela visão da ruiva mergulhada no desejo.

— Ah…meu…Merlin..Nottt

E com mais algumas investidas dos dedos dele eu erqui meu corpo com mais desespero, Minhas coxas se fecharam e abriram freneticamente buscando mais intensidade, anunciando que eu fora brindada com um orgasmo intenso. Ele deliciou-se com a forma como que a ruiva se entregou ao clímax.

Nott me encarou com um sorriso malicioso em seus lábios, o que me excitou ainda mais, e eu o empurrei na cama, subindo em seu colo. Vi um pontinho de surpresa em seus olhos, mas eu queria comandar as coisas por ali. Me posicionei melhor e levei o membro de Nott até minha entrada úmida, começando a subir e descer lentamente no membro dele, dando lugar a um prazer que eu não tinha sentido antes. Nott gemeu roucamente, levando suas mãos até meu bumbum a fim de ditar o ritmo dos meus movimentos, mas eu me recusei a obedecê-lo e continuei a me movimentar lentamente.

Minhas mãos estavam apoiadas em seu peito e minhas unhas cravadas em sua pele, enquanto as suas apertavam meu bumbum com tanta força que eu tinha certeza que deixariam marcas. Aumentei o ritmo dos meus movimentos, praticamente quicando em seu colo, e os olhos de Nott estavam em meus seios. Suor escorria por nossos corpos e nossos gemidos se misturavam, a cada minuto que passava o prazer aumentava, porém minhas forças diminuíam. Meus músculos estavam começando a relaxar e minhas pernas a ficarem bambas.


Percebendo isso, ele inverteu as posições em um movimento rápido, ficando por cima de mim. Entrelacei minhas pernas em volta de seu tronco.

— Nott..mais

Soltando um alto e longo gemido quando Nott começou a investir mais rápido e profundamente dentro de mim. Eu arranhava suas costas sem pudor, deixando mordidinhas em seu pescoço vez ou outra. A cama rangia de acordo com os movimentos de Nott. Qualquer garota que se aproximasse o suficiente de meu quarto poderia nos ouvir.

Finalmente o orgasmo tomou conta do meu corpo. Meus músculos relaxaram, arrepios subiram por minha espinha e um alívio simplesmente delicioso me preencheu, deixando meu corpo todo mole. O orgasmo de Nott veio pouco tempo depois do meu e suas investidas foram ficando mais lentas e suaves, até que ele parou de uma vez e caiu sobre mim, exausto. Aquela era uma sensação maravilhosa, uma coisa que eu nunca tinha experimentado. Queria que durasse para sempre.

— Apenas os bons amigos fazem isso. - comentei e dei risada, Nott me acompanhou.

Pov Hermione :

Hubi em direção ao dormitório e parei assim que ouvi...gemidos? Sim, gemidos. Oh meu Merlin, meu rosto esquentou ao imaginar quem estava lá dentro com a lila. Céus, onde estava Gina nesses momentos? Aposto que ela iria tirar uma com a cara de lila. Desci as escadas novamente e fui em direção a biblioteca. Peguei um livro e fui comer, sente-me na mesa da grifinoria e tentei ler meu livro. Levantei meu olhar e olhei para a mesa da sonserina, não sei porquê, meu olhar encontrou o do loiro, de olhos cinzentos. O garoto me encarou com um sorisso malicioso no rosto, assim que percebeu que eu o encarava. Rapidamente desviei o olhar encontrando Gina entrando com Nott, ambos com um sorriso no rosto. Nott se distanciou de Gina indo para a mesa da sonserina, e Gina veio em minha direção e se sentou em minha frente sorrindo e levando seu suco de abobora a boca.

— Gina, eu estava subindo para o nosso quarto e escutei gemidos. - eu sussurei baixinho, vendo a ruiva se engasgar com seu suco. - Tudo bem?

— Sim, claro - ela sorriu amarelo e eu desconfei da ruiva.

Depois de alguns minutinhos analisando seu rosto, eu percebi que a mesma estava ficando vermelha. E realmente me dei conta de toda essa situação.

— Oh, meu deus Ginevra. - gritei, fazendo todos do salão pararem de comer e me encarar.

Alguns alunos davam risada de Dumbledore, por conta do meu grito ele se assustou deixando seu suco de abobora cair sobre sua roupa.

— Adolescentes...- ele disse voltando sua atenção para seu prato.

Assim todos voltaram a conversar como se nada tivesse acontecido. Senti meu rosto esquentar e olhei para a ruiva em minha frente, seu rosto da cor de seus cabelos.

— Hermione, grite mais alto. Creio que mamãe ainda não tenha escutado lá da T'oca.

— Desculpe...- murmurei soltando uma risada baixa. - comece a se explicar agora, pensei que eramos melhores amiga. - eu disse irritada

— Somos apenas amigos,oras - ela disse colocando sua maçã na boca.

— Não sabia que amigos transavam. - respondi sorrindo, vendo a ruiva ficar vermelha novamente.

— Transando? quem estava transando? - Perguntou Rony malicioso se sentando na mesa, junto com Harry.

Olhei para ruiva que me lançava um olhar mortal. Sim, eu procurava mentalmente como sair dessa situação.

Continua?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...