História Drarry - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Ronald Weasley, Scorpius Malfoy
Tags Dracomalfoy, Drarry, Harrypotter
Visualizações 203
Palavras 3.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Observações:
. As imagens encontrei no Google.
. Os personagens da capa do capítulo são: Hermione; Ronald; Sofia; Scorpius Malfoy e MCDanno.
. A imagem da Sofia e a Cornelia das W.I.T.C.H

Capítulo 23 - Prisão e Despedida


Fanfic / Fanfiction Drarry - Capítulo 23 - Prisão e Despedida

Um por um dos aliados do Jacob foram sendo presos. O Mundo Mágico ficou chocado quando soube dos envolvimentos deles num plano de matar a minha família e de modificar as minhas memórias. A família Weasley perdeu todo o respeito que o Mundo Mágico tinha por eles depois da sua prisão. O meu ex-amigo e a sua esposa que ainda estavam soltos. Mas já estavam juntando provas contra eles. Espero que não demore muito para eles serem presos.

Estou terminando de arrumar a minha mala. Nós decidimos que iríamos nos mudar. Essa cidade guarda muitas lembranças ruins. Precisamos de novos ares. Não queremos criar nossos filhos num lugar que ultimamente só nós trouxe tristeza. Sei que não devemos culpar o lugar mais sim as pessoas. Só que nesse momento não consigo morar em Londres sem pensar nas pessoas que perdi aqui.

 Quase perdemos o Scorpius por causa das pessoas que moravam aqui. Sinto que precisamos de um tempo desse “inferno” todo. Ouço alguém batendo na porta e depois ouço vozes gritando com alguém. Desço correndo e não fico nenhum um pouco surpreso ao encontrar a Hermione e o Ronald discutindo com o meu marido. Eles já estavam me irritando. Faço um barulho para eles me notarem.

Hermione: Harry, precisamos de um favor.

Harry: Que favor?

Ronald: Precisamos que você testemunhe a favor da minha família. Você não pode permite que levem a minha família para Azkaban. Harry, você deve a minha família. A minha mãe te recebeu de braços abertos na nossa família.

Draco: Weasley, o meu marido não deve nada a sua família. Eles fizeram parte de um plano que tentou matar a sua família e eles queriam apagar a sua memória. Vocês que devem ao meu marido e não ao contrário. E sabemos porque a sua família resolveu acolher o Harry. Eles sabiam que iriam ganhar algo com isso. A sua família não passa de um bando de sanguessugas.

Ronald: Malfoy, cala a merda da sua boca. Você não sabe nada sobre a minha família. O único interesseiro aqui e você. Que só se casou com o Harry para poder salvar o nome da sua preciosa família.

Harry: Weasley, cala a porra da sua boca. Não devo nenhum favor a sua família. Jamais irei testemunhar a favor daquelas pessoas. O Draco tem razão eles só me aceitaram na família por sabiam que iriam ganhar algo. A sua preciosa família fez parte de um plano que estava querendo matar a minha família e apagar as minhas memórias. Eles fizeram parte do plano que matou a Luna e a sua família. Então não me venha dizer que devo algo a sua família.

Hermione: Harry, eles cometeram erros.

Draco: Erros que custaram a vida de muitas pessoas. 

Hermione: Harry, podemos conversar com você em particular. Sinto que o Draco pode estar influenciado na sua decisão.

Harry: Hermione, posso te garantir que o meu marido não está me influenciando na minha decisão. Não escondo nada do meu marido. Você quer conversar comigo a sós para poder tentar me influenciar na minha tomada de decisão. Não irei mudar de ideia.

Ronald: Como você pode permitir que a minha família seja presa. Os nossos filhos terão que visitar a minha mãe e o meu pai na prisão. Harry, se não quiser fazer isso por nós então faz isso por nossos filhos.

Eles pensavam mesmo que sou idiota. Se tem uma coisa que me deixava irritado era quando tentavam me manipular. Já fui manipulado por essas pessoas. Cansei de ser manipulado por eles. Uma das melhores decisão que tomei foi ter me divorciado da Ginevra. Se não tivesse me divorciado daquela garota talvez nunca teria descoberto o quanto estava sendo manipulado por aquelas pessoas.

E também não teria reencontrado o Draco. O meu marido trouxe luz para a minha vida. Pela primeira vez na minha vida me senti amado. Jamais permitirei que essas pessoas me manipulem de novo.

Draco: Eles cavaram a própria cova. Agora eles terão que responder por suas decisões. Toda ação tem uma reação. Então parem de tentar manipular o meu marido.

Hermione: Eles foram manipulados por aquelas pessoas. A família Weasley pensava que estava fazendo o certo. Pensávamos que o Draco estava te manipulando e que você foi obrigado a se casar com ele por causa da gravidez. Nunca gostamos do Malfoy. Ele sempre foi um valentão conosco. Você conseguiu perdoa-lo, você testemunhou em seu julgamento. Por que você não pode fazer o mesmo pela família do meu marido?

Harry: Hermione, eles não foram manipulados. Eles se uniram a essas pessoas por livre e espontânea vontade. A família Weasley sabia o que estava fazendo. O meu marido foi obrigado a se unir ao lado do Voldemort. Ele não tinha escolha. Ou ele se tornaria um Comensal da Morte ou a mãe dele morreria. Então não me venha comparar as duas coisas. Casei com o meu marido antes dele engravidar. Então a gravidez não interferiu na minha decisão de querer me casar com ele.

Ronald: Harry, você precisa parar de arrumar desculpas pelas decisões que o seu “amado” tomou na guerra. Ele decidiu por conta própria se unir ao Voldemort. O seu marido não passa de uma cobra traiçoeira. Ele estava te manipulando. Aposto que ele perdeu a virgindade com o seu precioso Lorde das Trevas. Provavelmente ele amava os momentos a sós com o seu precioso Mestre. O seu marido se vendia. Provavelmente vários Comensais da Morte já foram para a cama com o seu marido. Ele não passa de uma puta. O Draco e a escória da nossa sociedade.

Antes que ele pudesse continuar dizendo essas merdas dei um soco na sua cara. Ele acabou se desequilibrando com a força do soco e caiu no chão. A sua” preciosa” esposa foi tentar ajuda-lo. Esse babaca entra na minha casa e ainda tem a audácia de ofender o meu marido. Quando olho para o Draco posso ver que as palavras do Weasley o machucou. Vou matar esse desgraçado por ter machucado o meu anjo.

Harry: Ronald, nunca mais diga essas merdas sobre o meu marido. Ele nunca foi para a cama com o Voldemort e ele também nunca foi para a cama com nenhum Comensal da Morte. Você não sabe nada sobre o meu anjo. A sua irmã foi para a cama com várias pessoas enquanto ainda estávamos em Hogwarts e você nunca me ouviu chamando ela de puta. Diferente de você não fico julgado as pessoas antes de saber os seus motivos por terem feito certas coisas. Uma coisa que a guerra me ensinou foi nunca julgar uma pessoa sem antes descobrir os motivos que a levaram tomar certos caminhos e também aprendi a pensar por mim mesmo. Um dos meus primeiros atos rebeldes como vocês chamaram foi testemunhar a favor do Draco. No fundo eu sabia que ele não teve escolha. Vocês não sabem como o meu marido foi criado. Então pense antes de ficar acusando as pessoas sem prova.

Antes que eles pudessem dizer mais alguma coisa dois aurores apareceram. A Hermione e o Ronald gelaram quando viram aqueles dois aurores na casa do Harry. Eles precisavam sair dali antes que percebessem a sua presença.

Danny: Nem tentem fugir. Ronald, você estar preso por associação a uma organização criminosa e por assassinato.

Draco: Danny, quem ele matou?

Danny: Ele foi o responsável pelo assassinato de uma jornalista. Ela estava investigando assassinatos misteriosos em Londres. O seu caminho acabou se cruzando com o do Ronald. Então ele precisava silencia-la. Os restos mortais dela foi encontrando num galpão que pertencia ao Ronald.

Steve: Hermione, você estar sendo presa por associação a uma organização criminosa e por facilitar a libertação de certos Comensais da Morte. Só para constar acabamos de prender todas essas pessoas que você soltou.

Eles foram embora levando os dois. Parece que finalmente esse pesadelo vai acabar. Estou tão feliz por essas pessoas terem sido presas. Quando olho para o lado vejo que o meu marido não estava mais ali. Olho ao meu redor e não consigo encontrar o meu marido.

Scorpius: Ele saiu.

Harry: Você sabe para onde ele foi?

Scorpius: Ele foi para o jardim. Quando ele estava triste e para lá que ele vai.

Fui correndo em direção ao jardim e quando chego ao local posso ouvir o meu marido chorando. Ele provavelmente deve estar tentando abafar o seu choro. A minha vontade nesse momento era de ir atrás daqueles dois e os matar por terem machucado o meu marido. Nesse momento o meu anjo precisa de mim. Quando ele me olha posso ver a sua dor através dos seus olhos.

Harry: Anjo, você não deveria desperdiçar suas lágrimas com as baboseiras que o Weasley disse.

Draco: Harry, nunca fiz sexo com o Voldemort ou qualquer outro Comensal da Morte. Não sou uma puta. Jamais me venderia. Naquele época tinha medo dele. A porta do meu quarto vivia trancada. Tinha medo dele invadir o meu quarto e tentar fazer alguma coisa comigo. Rolavam boatos que o Voldemort gostava de jovens. Quando estava em sua presença podia sentir e ver o quando ele me cobiçava. Ele não conseguia disfarçar. Tinha muito medo dele me estuprar. Uma vez ele tentou invadir o meu quarto. Quando o meu pai saiu de Azkaban ele me disse que deveria parar de fugir das investidas do Voldemort. Juro que nunca fui para a cama com aquele monstro. Você precisa acreditar em mim. Nunca te contei essa história porque tinha medo que você se afastaria de mim por causa disso ou pensasse que eu era uma puta e que tinha ido para a cama com aquele monstro.

Harry: Draco, jamais pensaria essas coisas de você. Nunca passou pela minha cabeça que você tinha feito sexo com o Voldemort. Às vezes também tinha medo dele. Mas deis de novo aprendi a vencer aos poucos o meu medo dele. Porque sabia que no final teria que vence-lo e não poderia derrota-lo enquanto estivesse com medo. Não te culpo por decisões que você teve que tomar na guerra. Também tomei decisões durante a guerra que me arrependo. Igual a mim você estava tentando sobreviver. Anjo, você e muito mais forte do que você se dar crédito. Você morou com aquele monstro e saiu vivo dessa experiência. Quantas pessoas conheceram o Voldemort e não saíram vivas desse encontro. Você não é uma vítima da guerra, você é um sobrevivente. Tenho muito orgulho de você.

Draco: Harry, porque você me deu uma segunda chance quanto testemunhou a meu favor?

Harry: Anjo, porque eu sabia que você era igual a mim nunca teve escolha. Você poderia ter matado o diretor e você não fez isso. Se você quisesse mesmo matar alguém essa pessoa já estaria morta. Quando usei aquela maldição em você fui quando percebi que nunca tinha te dado uma chance. Reneguei a sua amizade sem ter te dado uma chance. O Ronald riu do seu nome e a única forma de se defender que você conhecia era machucando outra pessoa. Deveria ter tido que aceitava a sua amizade mas que não tinha gostado da sua atitude. Hoje sei que aquele ódio todo foi porque você estava ferido por causa das minhas atitudes no primeiro ano. Você sempre foi bom em esconder seus sentimentos. Deixei as pessoas me influenciarem na minha opinião em relação a casa da Sonserina.

Draco: Harry, talvez foi melhor nós não termos nos tornado amigos. Naquela época ainda era muito influenciado pelo meu pai. Também nunca me daria bem com os seus outros amigos. Nós acabaríamos nos tornando inimigos.


       Harry: Draco, nós dois éramos influenciados por pessoas que confiávamos. Quando a Ginevra me disse que estava grávida algo dentro de mim dizia que esse filho não era meu. Quando fazíamos sexo sempre usávamos proteção. Preferi ignorar a minha intuição do que ter que enfrentar o fato que estava sendo enganado. Ela passou a gravidez inteira reclamando e vivia me culpado pela estado que ela se encontrava. Quando o Albus nasceu não senti aquela conexão que as pessoas diziam que os pais sentiam quando conhecessem os seus filhos. Deis de bebê ele nunca sorriu para mim. 
   Draco: Somos mais parecidos do que imaginávamos. O Albus não sabia o pai incrível que ele tinha. Você sentiu essa conexão com a Milena?
    Harry: Sim. Quando ela abiu os olhos ela sorriu para mim. Anjo, me senti muito feliz com esse pequeno gesto. 
   Draco: Quando soube que estava grávido fiquei feliz e ao mesmo tempo assustado. Nunca tínhamos discutido a possibilidade de ter um filho. Mas no fundo algo me dizia que você ficaria muito feliz com a notícia. 
  Harry: Naquele dia me senti o homem mais feliz desse mundo. Estaria formando uma família com o meu amor. 
  Draco sorrindo: Harry, eu te amo.
  Harry: Draco, eu te amo.
Aproximei do meu marido e o beijei. Pedi passagem com a língua e ele cedeu na hora. Comecei a explorar sua boca com a minha língua. Jamais me cansarei ou me enjoarei dos nossos beijos. Nesse beijo posso sentir o quanto nós amamos. Acabamos nos separando por causa do ar. Ficamos conversando mais um pouco e depois resolvemos voltar para dentro. 
Quando entramos na sala encontramos o Steve e a sua família conversando com o Scorpius. A Milena ainda estava descansando. 

Harry: O que vocês fazem aqui?
         Danny: Viemos avisar que todos eles foram presos e que eles não podem sair até o dia do julgamento. Juntamos provas suficientes contra eles. Eles não conseguiram escapar da prisão.
         Draco: O que vocês estão escondendo de nós?
        Steve: Esse foi o nosso último caso. Hoje pedimos demissão. 
       Harry: Por que?
    Steve: Harry, não posso mais trabalhar como auror depois de ter perdido a minha filha e agora com esse novo bebê não posso estar sobre muito estresse. Também viemos avisar que estamos nós mudando. 
    Draco: Para onde vocês vão?

Danny: Iremos nos mudar para uma cidade no interior da Grécia.

Scorpius: Sofia, vocês voltaram para Hogwarts?

Sofia: Não, iremos estudar numa escola mágica na Grécia. Não queremos ficar longe dos nossos pais e do nosso futuro irmão ou irmã.

Scorpius: Nós também estamos de mudança. Iremos nos mudar para uma cidade no interior da Itália. Só que voltarei para Hogwarts.

Dylan: Você vai conseguir ficar longe da sua família?

Scorpius: Sim, sinto que posso fazer a diferença na Sonserina.

Sofia: Você vai fazer a diferença na Sonserina. Sinto que você conseguira mudar a mentalidade das pessoas em relação a Sonserina.

Dylan: Scorpius, espero que um dia possamos nós reencontrar.

Scorpius sorrindo: Dylan, com certeza iremos nos reencontrar. Espero que não perdemos o contato.

Pensamento do Dylan: Espero que até lá você não tenha encontrado ninguém. Scorpius, espero que um dia eu possa te dizer os meus verdadeiros sentimentos em relação a você. Por incrível que pareça a única pessoa que sabe que te amo e a sua irmã.

Draco: Vocês irão se reencontrar.

Danny: Parece que precisamos desse recomeço e vocês precisam de um novo recomeço.

Dylan: Mande um beijo para a Milena. Vou sentir falta dela.

Harry: Ela também vai sentir a sua falta.

 A Sofia resolveu conversar com o Scorpius a sós. Ela precisava dizer algumas coisas para ele. Enquanto isso, em outro cômodo da casa os dois estavam tendo uma conversa.

Scorpius: Sofia, o que você gostaria de conversar comigo?

Sofia: Scorp, uma coisa assustadora aconteceu comigo. Acabei me apaixonado por uma pessoa que e quatro anos mais novo do que eu.

Scorpius: Quem é essa pessoa?

Sofia sorrindo: Você.

O Scorpius não podia acreditar que os seus sentimentos eram correspondidos. Quando ele viu a Sofia pela primeira vez ele sabia que ela era o amor da sua vida. Ele sabia que os dois nasceram para ficarem juntos.

Scorpius: Sofia, também me apaixonei por você. 

Ela se aproximou dele e o beijou. Esse seria o primeiro beijo de ambos. Ele pediu passagem com a língua e ela cedeu na hora. O Scorpius começou a explorar a sua boca com a sua língua. Eles acabaram se separando por causa do ar.

Sofia: Scorpius, iremos nós reencontrar. Sinto que o nosso amor pode sobreviver a essa distância e a nossa diferença de idade.

Scorpius: Você tem toda razão.

O que eles não sabiam era que uma pessoa tinha ouvido a conversa deles e tinha visto o beijo. E essa pessoa estava arrasada. Essa pessoa resolveu ir embora antes que eles pudessem a ver. Mas antes essa pessoa foi lavar o rosto e tentar se acalmar.

 A Sofia e o Scorpius retornaram para a sala. Ficaram conversando mais um pouco e depois a família do Steve resolveu ir embora. Eles precisam resolver alguns detalhes da sua mudança. O Steve sentira falta dos seus amigos mais ele sabia que precisava desse recomeço. Ele não podia continuar morando num lugar onde ele perdeu sua filha e ele também precisava pensar no seu bebê. A Sofia sabia que ela e o Scorpius iriam se reencontrar.

Ninguém parecia ter percebido que o Dylan estava triste e que ele nem se despediu do Scorpius. Antes dele ir embora ele foi no quarto da Milena e beijou o seu rosto. Ele iria sentir muita falta dela. Ele sussurrou algumas palavras em seu ouvido e depois foi embora.

O Harry estava feliz por eles. Às vezes o mais difícil acaba sendo recomeçar. Ele sabia que eles iriam se reerguer e que no futuro eles ainda iriam se reencontrar. Eles ouvem passos vindos da escada e depois uma garota se joga no colo da sua mãe.

Milena: Mamãe, eles já foram embora?

Draco: Sim, mais o Dylan te mandou um beijo e ele disse que sentira a sua falta.

Milena: Também sentirei falta dele.

Scorpius: A Sofia prometeu que iríamos nós reencontrar. Vou sentir falta dela.

Milena: Scorpius, aconteceu alguma coisa?

Scorpius: Não.

Milena desconfiada: Você parece feliz.

Scorpius sorrindo: Você e muito perspicaz para uma garota da sua idade. A Sofia se declarou para mim e eu me declarei para ela. E nós beijamos.

Milena confusa: Você estava apaixonado pela Sofia?

Scorpius: Sim, deis do momento que a conheci senti algo diferente por ela. Pensei que ela nunca corresponderia aos meus sentimentos. Ela tem quinze anos e eu tenho onze anos. Mas ela disse que sentia que o nosso amor iria sobreviver a distância e a nossa diferença de idade. 

Draco: Scorpius, ela tem quinze anos. Ela e uma adolescente, você ainda e uma criança.

Scorpius: Pai, tenho certeza que a Sofia e o amor da minha vida. Nascemos para ficar juntos. Ela me ama e isso que importa. E para o amor não existe diferença de idade. Se nós amamos e isso que importa.

Draco: Filho, você não achou suspeito ela se declarar para você logo agora. A Sofia resolveu se declarar para você logo no dia que eles disseram que iriam se mudar. Você não acha que está confundido as coisas?

Scorpius: Pai, não estou confundido nada. Ela me ama e eu a amo isso que importa. A Sofia provavelmente ficou com medo de se declarar para mim. A nossa diferença de idade será um problema para as outras pessoas.

O Draco sabia que tinha alguma coisa errada nessa história. Ele não confiava nessa garota e não iria permitir que ela iludisse o seu filho.

Milena: Scorpius, você acabou de cometer o maior erro da sua vida. Espero que você seja muito feliz com aquela garota.

Ela foi embora antes que alguém pudesse dizer alguma coisa. A Milena não podia acreditar que o seu irmão tinha acabado de partir o coração do Dylan. Como ele pode ser tão cego para não perceber que o Dylan o ama. Naquele momento ela estava furiosa com ele. Foi quando ela se lembrou das coisas que o Dylan sussurrou no seu ouvido antes de ir embora. Essas foram as palavras sussurradas por ele.

Dylan: Milena, vou sentir muito sua falta. Espero que um dia possamos nós reencontrar.  Jamais me esquecerei de você. Você consegue deixar marca nas vidas das pessoas quando elas cruzam o seu caminho, fui uma dessas pessoas que você marcou. Espero que futuramente nossa diferença de idade não atrapalhe a nossa amizade. Espero que nunca mais tenha que ver o seu irmão. E espero que quando nós reencontrarmos eu já tenha esquecido o Scorpius. Eu te amo.

A Milena sabia que eles iriam se reencontrar. 


Notas Finais


Quem vocês pensam que o Scorpius deve ficar, o Dylan ou a Sofia?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...