História Drarry : Escolhendo o Próprio Destino - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Fred Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lílian L. Potter, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Pedro Pettigrew, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black
Tags Draco Malfoy, Drarry, Harry Potter, Hermione, Lucius Malfoy, Severus Snape
Visualizações 324
Palavras 4.483
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minha primeira fanfic de Harry Potter, espero que vocês curtam assim como eu estou curtindo escreve-la. Os personagens não são meu mas a história aqui escrita sim, A história sendo também postada no wattpad e no Nyah Fanfiction na MINHA CONTA, Plágio é crime!

Capítulo 1 - Traição


Fanfic / Fanfiction Drarry : Escolhendo o Próprio Destino - Capítulo 1 - Traição

Narrado por Draco Malfoy

Estávamos naquela sala prestes a começar uma luta que eu gostaria de evitar, meus amigos não sabiam mas eu estava ali com o mesmo objetivo do trio de ouro, mas infelizmente não teria como fazer com que eles acreditassem e mesmo que eu tentasse, meus dois amigos com certeza tentariam me matar quando entendessem que eu não estava do mesmo lado que eles.

— Fogomaldito!— Crabble gritou.

Antes mesmo que eu ou qualquer um pudéssemos fazer algo, Crabble já estava morto... Morto pelo seu próprio feitiço. Será que esse seria o meu fim? Eu queria ajudar a mudar o destino de todos desde o começo, mas também sabia que tinha  uma grande parcela de culpa na parte de ter infernizado a vida de muitas pessoas. Talvez aquela fosse minha hora, a hora que finalmente eu seria consumido pelo fogo e finalmente essa maldita marca sumiria da minha pele juntamente com todo meu ser.

Mas novamente me tiraram a chance de finalmente pagar por todos os meus erros e morrer, seria um alívio para todos quando descobrissem que Draco Malfoy havia sido morto de forma trágica e agonizante, afinal de contas era isso que eu merecia, não era? Nem tudo é como a gente quer que seja, e mais uma vez aquele grifinório estava lá! Harry Potter ao resgate!! Será que ele era mesmo tão bom e honrado assim?, Salvando seu "inimigo" de uma morte dolorosa mas que deixaria metade do mundo bruxo em êxtase.... Antes que eu pudesse pensar já estava agarrado a ele, me segurando e torcendo para que ele fosse tão bom desviando de fogo quanto era desviando de balaços. E mais uma vez eu era uma contradição ambulante: ao mesmo tempo que queria que minha vida terminasse ali de uma vez por todas no meio daquela sala em chamas, eu me agarrava a Harry como se ele fosse minha última esperança de vida, minha última esperança de ser alguém melhor, de fazer algo bom.

Após sair daquela sala não tive o que fazer a não ser fugir com Goyle, o objetivo havia sido alcançado, o diadema havia sido destruído consumido pelas chamas, não fui eu que levei essa "glória", não que eu estivesse ali apenas por um título de Salvador, mas seria bom ter algo como trunfo quando eu receber o título de Traidor. Não adiantaria ficar me lamentando agora, tinham outras partes do plano para serem postas em andamento e para isso precisava me reunir com meus amigos.

—Droga! Aqueles desgraçados!! Eu irei matar todos eles!! - Goyle gritava enquanto andávamos por alguns corredores tentando chegar às masmorras sem ter que duelar com ninguém. - Eles mataram o Crabble!! Eu irei me vingar... Aquele maldito traidor de sangue, quem ele pensa que é? Acha mesmo que eu precisaria dele para me salvar? Ainda terei o prazer de matar uma daquelas ervas daninhas ruivas!! - Sua fala cuspia ódio e revolta.

A minha vontade era de gritar com ele, implorar para que ele me ouvisse, ainda dava tempo! Ele poderia mudar de lado assim como eu e alguns outros mas eu sabia que meu amigo não me ouviria, não foram faltas de tentativas para que Crabble e Goyle mudassem de lado, mas infelizmente ambos estavam tão cegos com essa maluquice de sangue puro em ascensão que nem conseguiam ver que eu e outros estávamos contra O Lorde. Por mais que eu soubesse que se o plano falhasse e fossemos descobertos não haveria piedade nenhuma para nós traidores, eu não queria que Goyle e Crabble fossem mortos ou mandados para Askaban, mas cada vez que o final chegava mais perto mais eu via que uma dessas alternativas seriam inevitáveis.

— Petrificus Totalus! - Supreendi um Lufano que provavelmente era do sexto ano e estava de guarda nas masmorras, não queria machuca-lo e muito menos queria que Goyle fizesse algo por isso o petrifiquei.

Antes de entrar pedi a Goyle que fosse atrás de algum comensal, esperava que ele não desse de cara com ninguém que o fizesse mal, mas que talvez o apagasse até o final de tudo, não poderia tê-lo ali naquele momento onde com certeza pegaria muitos sonserinos de surpresa.

— Alorromora— Como eu imaginava aquelas portas enormes estavam trancadas com um feitiço simples por fora mas por dentro tinha um tipo de bloqueio mágico e por isso nenhum sonserino  conseguiria utilizar a varinha lá dentro. O feitiço foi quebrado assim que abri as portas.

Todos arregalaram os olhos ao me verem ali, provavelmente estavam pensando que seria Sra° Macgonagall anunciando o fim da guerra ou alguém querendo acabar de uma vez com todos aqueles alunos da casa duvidosa.

— Malfoy! Eu sabia que você apareceria a qualquer hora, agora vamos sonserinos, hora de matar aquela corja de impuros! Vamos nos reunir mas faço questão de matar aquela vadia da Minerva, e depois diss.... - Antes que aquele sonserino ao qual eu nem recordava o nome terminasse, eu usei um estupefaça o jogando para longe e o deixando inconsciente.

— Cala a Boca seu imbecil! Como se alguém como você tivesse a mínima chance de ao menos azarar a diretora Minerva! - cuspi aquelas palavras olhando na direção daquele idiota, será que ele pensava antes de falar???

Aquela atitude pegou todos de surpresa e quando dei por mim já tinham dois outros alunos com suas varinhas no meu pescoço.

— Malfoy seu traidor! Eu sabia que você era um fracote! Faço questão de entregar você para o Lorde das trevas pessoalmente ! - Lucian Bole soltava aquelas palavras tão próximo ao meu rosto que eu sentia o seu mal Hálito! - Eu serei conhecido como "O-Menino-que-entregou-o-Traidor"—Lucian e seu amigo Marcus Flint riam como se fossem superiores a mim, apertando mais aquelas malditas varinhas no meu pescoço.

— Olha, desculpe estragar a alegria de vocês mas... - Eu dei um sorriso de desprezo bem sonserino para os dois antes de continuar - O plano brilhante de vocês só tem uma grande falha..

Eles me olharam com ódio tentando entender o que eu dizia e antes que eles pudessem perguntar, continuei...

— Eu acho que vocês estão esquecendo de uma coisa muito importante ... - Eu disse abrindo ainda mais o meu sorriso de desprezo para os dois - Todo Sonserino de verdade, sempre tem uma, duas, três e por que não quatro Cartas na manga???

Fiz a pergunta olhando para atrás de suas cabeças fazendo os dois se virarem no susto, e antes que eles pudessem ao menos pensar em fazer algo Pansy Parkinson , Blaise Zabini, Adriano Pucey e Terêncio Higgs estavam com as varinhas apontadas para os dois que jogaram suas varinhas ao chão se rendendo.

Se Harry Potter tinha o Trio de ouro, eu fazia parte do Trio de Diamantes! Se Harry Potter Tinha criado a Armada Dumbledore, eu tinha criado A armada das Serpentes! Bom, o nome não era um dos melhores e não éramos tão numerosos mas éramos Sonserinos e nossas habilidades eram tão variadas que poderíamos armar um Plano para ajudar na derrota do Lorde das Trevas sem ter que fazer tanto barulho quanto aqueles Grifinórios bagunceiros!

— Malfoy! - Pansy me tirou dos meus pensamentos - Precisamos agir rápido! -. A Garota já colocava os dois idiotas sentados com os braços enfeitiçados para não se mexerem, enquanto Zabini pegava todas as varinhas dos sonserinos que estavam na sala.

— Precisamos dar início ao plano e reunirmos o maior número de pessoas que pudermos agora! - Adriano Pucey falava com um misto de medo e ansiedade enquanto recolhia a capa de todos os estudantes.

— Vamos seguir o plano, ficarei aqui com eles com as portas fechadas, caso vocês voltem já sabem qual feitiço usar para abri-las - Terêncio Higgs falava enquanto já começava a preparar o feitiço pra nossa saída. Ele ficou encarregado de proteger os novatos.

— Antes de sairmos - eu Disse olhando para todos, eles pareciam assustados e não entendiam ao certo o que acontecia. - Preciso dizer uma coisa e quero que todos prestem atenção!! - Eu tinha conseguido a atenção de todos. - O que nós estamos fazendo terá uma repercussão enorme, seremos lembrados como os traidores, como lixos, muitos dos que serão beneficiados com a nossa ajuda hoje, ainda nos julgarão, provavelmente seremos condenados há passar algum tempo em Askaban e caso isso não aconteça, com certeza seremos caçados por comensais e partidários Lorde das trevas assim que nos livrarmos. - Eu dizia aquilo encarando todos a minha frente, por mais que os sonserinos fossem conhecidos por sempre estarem usando máscaras, naquele momento eu conseguia ler a expressão de todos. Tinham os que concordavam com nossa atitude, os que queriam que tudo acabasse sem mais mortes, os que sentiam tanto medo de morrer que não sabiam o que fazer, os que queriam nos matar pela traição e aqueles que simplesmente não entendiam por que logo no primeiro ano em Hogwarts já estavam em uma guerra que poderia definir a vida e morte de muitas pessoas.

— Nós não queremos virar heróis, mas caso aconteça, com certeza não iremos perder a oportunidade  - No final éramos sonserinos e um pouco de reconhecimento pela nossa atitude não iria fazer mal, mesmo não sendo esse o objetivo. - No momento a única coisa que queremos é paz! E todos aqui sabem que se O Lorde das trevas ganhar essa guerra, nenhum de nós terá uma vida de paz até o resto das nossas míseras existências! Então perguntarei apenas uma vez e quero que vocês reflitam e sejam sinceros : Algum de vocês está disposto a sair conosco, arriscar a vida, arriscar a posição social, arriscar morrer de uma maldição no próximo corredor entre outras milhões de péssimas coisas, para que talvez, e eu disse TALVEZ a gente tenha chance de fazer nosso destino da maneira que a gente quer sem ter que nos preocupar se terá um assassino louco vigiando nossos passos???

Silêncio total, eu deveria me surpreender? Claro que não! Sonserinos não eram conhecidos por seus atos de heroísmo, nosso jogo era sempre nas sombras e por vezes sujos. Mas eu não poderia julga-los, eu sei por experiência própria que muitos ali simplesmente não tinham escolha : ou se aliavam ao lorde das trevas ou então estariam mortos, e não poderíamos esquecer daqueles que realmente tinham a vontade de seguir aquela insanidade mas mesmo quando se tratavam dessas pessoas eu ainda sentia um pouco de pena, afinal de contas a maioria cresceu em famílias tradicionais e rígidas que ensinavam desde o berço que o mais importante era ser um sangue-puro e nunca se misturar com pessoas que não tinham influência em algo. Eu mesmo passei por esses ensinamentos, mas algo fez com que os nossos olhos fossem abertos antes de sujarmos nossas mãos com aquelas loucura. - Eu, Blaise, Pansy e Adriano estavamos saindo quando ouvimos uma voz ao fundo.

— Esperem! Nós iremos com vocês. - Um menino baixinho de cabelos desalinhados e de óculos seguia em nossa direção junto com mais 7 alunos. - Você tem razão Malfoy, não podemos nos esconder enquanto o mundo está prestes a ser amaldiçoado! Nós queremos ajudar!

Eu e meus amigos olhavamos uns para os outros, aquilo era admirável e lamentável ao mesmo tempo. 8 crianças misturadas entre o primeiro e o segundo ano davam passos a frente nos oferecendo ajuda enquanto  os alunos mais antigos estavam lá, parados sem dar um passo a diante!

— Crianças, ficamos muito gratos com a proposta de vocês mas não podemos aceitar, vocês só dariam mais trabalho para todos nós - Blaise falava fazendo com que aquele grupo olhasse para a verdade - Vocês são do primeiro e segundo ano, vocês não tem noção de batalhas, mal sabem fazer azarações, se vocês saíssem conosco morreriam no primeiro ataque de dementador! - Ele dizia de forma fria mas não por que queria desanimar ou humilhar os novatos, mas sim por que era a verdade e aquele grupo também sabia disso. - Olhem, eu prometo que se sobrevivermos, daremos uma festa enormes para vocês oito ok? Vocês serão exaltados como os heróis iniciantes da sonserina! - Blaise lançou um sorriso carinhoso a fim de animar os mais jovens. - Agora vamos!

— Ah sim, mas antes ..- Pansy dizia olhando para aquele pequeno grupo. - Já que vocês foram corajosos, Terêncio devolva a varinha deles, apenas as deles! Aproveite para ensina-los a azar alguns dos mais velhos! - Ela olhava com cara de desprezo para todos aqueles que no fundo desejavam a nossa morte.

Nos viramos e saímos, mas antes das portas se fecharem atrás de nós com o feitiço ainda conseguimos ouvir uma gritaria de animação vindo daquele pequeno grupo. Droga, aquele baixinho me lembrava Harry, não só pelo óculos e pelo cabelo bagunçado mas também por causa da coragem, aquele grupo estava mais pra Grifinório do que sonserino... Será que o chapéu seletor havia dado algum defeito?

— Fred abaixa essa varinha! - ouvi Blaise dizendo me trazendo de volta para a realidade - Abaixa a sua varinha cara, estamos do mesmo lado!  - Tínhamos acabado de virar um corredor e demos de cara com Fred que estava sozinho mas mesmo assim apontava a varinha para todos nós ao mesmo tempo.

— Ah tá bom Blaise! Estamos do mesmo lado sim, você acha mesmo que eu cair nessa? Vocês podem ser muitos mas pode ter certeza que eu levarei um junto comigo, resta saber qual dos 4 vai se candidatar - Fred dizia em um misto de raiva e nervosismo enquanto apontava a varinha em nossas direções.

— Fred me escuta! Eu sei que não confia na gente mas me escuta por favor! - eu implorei mas era obvio que ele não acreditaria.

— Draco Malfoy me pedindo por favor?? Você acha mesmo que vou acreditar nessa idiotice sua doninha albina! - Fred dizia meu nome com um sabor de desgosto na boca, era como se falar meu nome fosse algo totalmente intragável e eu entendia o por que dele se sentir assim.

— Ok, ok, sei que você não tem por que acreditar em mim mas estou dizendo a verdade e irei te provar agora - Abaixei devagar olhando diretamente para Fred e depositei minha varinha no chão dando 3 passos para trás e levantei minhas mãos mostrando que não tinha nada escondido, sei que aquilo era perigoso mas seria muito pior se algum comensal chegasse ali naquele momento - Pessoal, coloquem as varinhas no chão e se afastem! - Meus amigos me olhavam com descrença, aquilo era muito arriscado eu sei mas era a única carta que eu tinha na manga - Façam isso agora!! - Ordenei aumentando o som da minha voz e assim os 3 fizeram o mesmo.

— Que porra vocês estão planejando?  - Fred se aproximou das varinhas ainda apontando a sua para nós - Eu poderia azarar todos vocês nesse exato momento! - Aquilo era verdade, eu só esperava que fosse mais uma de suas brincadeiras..

— Olha aqui Weasley, escuta o que temos pra dizer logo antes que chegue algum comensal e te mate, ou pior, acabe matando todos nós! - Adriano dizia em um misto de calma e desespero,  Aquilo  fez Fred parar por um segundo pra pensar.

— Ok, vou ouvi-los mas se nada fizer sentido irei mata-los - Fred disse aquilo mas ele mesmo não parecia acreditar nas suas palavras.

— Resumindo: a gente quer o Lorde seja derrotado tanto quanto vocês, precisamos da sua ajuda com nosso plano, queremos evitar mais mortes do nosso lado e definitivamente diminuir o lado dele - Blaise explicou e Fred parecia começar a acreditar, então dei início a explicação do que tínhamos armado.

Severo havia me ajudado a desenvolver um feitiço onde algumas características das pessoas mudavam como nariz, cor de cabelo, olhos... Esse feitiço foi feito pra ser usado na guerra apenas por aliados, pois ele confundia todos os inimigos fazendo com que a pessoa não reconhecesse quem era, então se algum comensal desse de cara com o próprio Harry Potter e ele tivesse sobre esse feitiço ele não seria reconhecido mas seus amigos ainda o veriam normal, nossa intenção era usá-lo em todos os que não tivessem do lado de Voldemort e depois fazê-los colocar as capas da sonserina, assim quando qualquer inimigo chegasse perto não os atacariam, pois acreditariam que eram sonserinos e estavam do lado das trevas, isso abriria uma brecha para que a pessoa conseguisse atacar sem correr um risco tão grande. Atacar por trás era sujo? Claro que era, mas éramos sonserinos e se tem uma coisa que sabemos fazer muito bem é jogar sujo! Além do mais, o que eles iriam preferir: azarar/matar um assassino pelas costas ou serem mortos a sangue frio pela frente?? Fred parecia realmente acreditar em nós, ele abaixou a varinha e demostrava atenção a tudo que era dito.

— Nosso plano era utilizar o feitiço em Potter também mas não tivemos a oportunidade, agora preciso que você faça esse feitiço em você mesmo - eu sabia que ele não me deixaria usar minha varinha nele em hipótese alguma - É só você apontar a varinha pra você e repetir : amica fallacia leporem. - Expliquei sem saber se ele realmente faria ou não. Ouvimos ao longe uma grande explosão e isso foi o suficiente para acabar com as dúvidas dele.

—Amica fallacia leporem! - Fred repetiu o feitiço e o rosto dele continuou da mesmas forma, visto que não éramos adversários mas sabíamos que o feitiço tinha funcionado por causa da rápida luz verde que saiu de seu rosto - Isso coça um pouco, eu juro pra vocês que se eu ficar feio vou azarar vocês até o fim da minha vida, claro se o final for hoje, vou assombrar vocês então! - Fred dizia em um misto de alegria e medo.

— Feio você já é e a última coisa que precisamos é de você sendo um fantasma horroso! - Pansy respondeu em um deboche amistoso - Agora vamos nos separar, temos que achar mais aliados mas ainda assim vai ser difícil convencê-los que estamos do mesmo lado!

— Quanto a isso - Fred disse apontando a varinha para nós - Agnoscis ProtegoPronto, agora vocês não serão atacados por ninguém que está do nosso lado! Esse feitiço faz com que nenhuma varinha ataque aliados durante a guerra, Hermione que desenvolveu junto com a Mcgonagall para que caso nos envolvessemos em uma situação de luta com várias pessoas, não tivéssemos nenhum tipo de acidente com fogo amigo. - Jorge nós explicava enquanto colocava uma capa da sonserina a contragosto - Por favor caso eu morra, alguém tira essa capa de mim antes que tirem minha foto para o profeta diário!!

— Não se preocupa com isso Weasley, você vai sair na primeira página, usando nossa capa e vivo! - Adriano era um cara otimista e que por mais medo que sentisse, sempre tentava passar calma aos demais.

Com todo o plano repassado nos separamos, Adriano foi junto de Pansy e Zabini enquanto eu e Fred corremos para outro corredor. Após alguns minutos já tínhamos derrotados alguns vampiros que encontramos no caminho e seguimos procurando aliados para repassar o plano, na curva de outro corredor fomos atacados por dois comensais e por Goyle. Eu havia sido descoberto.

— Draco eu não consigo acreditar que você nos traiu e se juntou com esses maldito traidor de sangue! Eu ouvi tudo, todo o plano de vocês enquanto se reuniam com essa erva daninha, nós viemos aqui pra acabar com vocês! - Goyle gritava tentando nos atacar mas logo foi jogado pra longe com um feitiço leve.

Por mais que Goyle estivesse errado eu ainda sentia pena do meu amigo, não queria que ele fosse morto ou gravemente ferido por isso o joguei pra longe, no momento não teria tempo para discutir e tentar abrir os olhos dele, eu precisava me concentrar naqueles dois comensais que pareciam muito mais afim de ferir gravemente a mim e a Fred do que nos fazer prisioneiros.

Protego Totalum ! - Fred gritou enquanto lançava um feitiço de proteção na minha direção.

— Alarte Ascendare— Ao mesmo tempo em que ele lançava a proteção em mim eu lançava um feitiço lançando para longe um  comensal que tentou ataca-lo por trás, deixando o mesmo desacordado.

— Expelliarmus! - Desarmei o outro comensal.
Estupefaça! - Logo em seguida Fred o desmaiou.

— Preciso dizer uma coisa - Fred olhava para mim enquanto amarravamos e escondiamos os dois comensais desacordados - Eu nunca imaginei que um dia Lutaria costas a costas com um Malfoy! - Ele me dizia enquanto soltava uma risada zombeteira mas brincalhona - Se eu sobreviver a essa guerra, acho que terei que fazer terapia por muitos meses!

— Você vai sobreviver a essa guerra! - eu disse com um tom firme - e se você acha que terapia será ruim pra você, é só fazer o mesmo que eu planejo : Obliviate! - Soltei uma risada leve - acho que só apagando da memória para que eu consiga ter uma boa noite de sono depois dessa!

Foi menos de um minuto, não mais que isso, nos distraímos por menos de um minuto e só voltamos a prestar atenção a nossa volta quando Goyle se levantou gritando.

— Morra traidor de sangue! AVAD...  - Goyle apontava na direção de Fred que não esperava o feitiço.

— Avadra Kedrava— Eu gritei na direção do meu amigo.

Tudo parecia em câmera lenta, o corpo de Goyle caiu no chão e fez um som alto demostrando que toda a vida ali tinha desaparecido. Eu não queria matar ninguém... Eu tinha jurado que não mataria ninguém naquela guerra, foi terrível demais ver a morte de Dumbledore e a última coisa que eu precisava era carregar uma morte na minha listas de coisas horríveis realizadas. Fred me olhava sem acreditar no que eu tinha feito, na verdade, nem eu acreditava que tinha matado uma pessoa mas naquele momento meu corpo simplesmente agiu... Eu não poderia deixar que Goyle matasse Fred, eu queria que meu amigo trocasse de lado mas ele realmente estava cego pelas ideologias do Lorde das trevas, seria meu amigo que me odiaria até o final de sua vida ( coisa que provavelmente aconteceria em Askaban) ou seria Fred, um dos membros de uma família que eu tanto julguei e atormentei mas que eram pessoas honradas e mereciam sobreviver.

— Eu o matei.... Eu matei alguém.... Eu sou um monstro... Eu... Eu ... - Eu dizia aquelas frases enquanto chorava sem me conter.

— Draco, Draco me escuta! - Fred me balançava enquanto tentava me trazer de volta a realidade - Droga Draco, presta atenção na minha voz! - ele me abraçou -  Eu sei que isso foi uma coisa horrível, eu mesmo não sei o por que de você ter feito isso mas eu preciso que você saiba que a partir do momento que você matou o seu amigo você também salvou a minha vida e isso é uma coisa que eu nunca esquecerei...  você não é um monstro! Você está tentando ajudando a impedir um monstro que mataria milhares de pessoas simplesmente pelo prazer de ver dor e sofrimento no rosto delas. - Ele puxou meu rosto para que eu olhasse diretamente para ele - Mesmo que eu morra nessa guerra Draco Malfoy, eu serei eternamente grato por ter tido a chance de lutar lado a lado com você, a partir desse momento eu te considero um irmão.

Aquelas palavras conseguiram me tirar do estado em que eu estava, por mais que eu não quisesse de fato matar uma pessoa, eu sabia que uma hora ou outra eu teria que escolher entre a vida e a morte de alguém e naquele momento, eu sentia que Fred Weasley era uma pessoa ao qual valia a pena salvar, ele merecia viver, não só ele como todos aqueles ruivos que eu tanto atormentei e humilhei por anos. Eles mereciam mais do que goyle, mais do que Crabble e acima de todos, mais do que eu uma chance de viverem felizes.

— Obrigado Fred, vamos sair dessa guerra juntos e eu irei me desculpar com todos os weasleys de uma única vez! Eu me arrependo de todo mal que eu fiz a todos nesses últimos anos, algumas coisas foram necessárias mas outras não, assim que todos estiverem reunidos irei me desculpar - Agradeci de verdade, ele me fez ter vontade de seguir em frente - Ah sim, mas acho  que eu não ficaria bem se fosse ruivo - disse ainda abalado  mas retribuindo a força que ele me dava.

Ele se levantou e me ajudou a ficar de pé, seguimos pelos corredores a fim de chegar o mais rápido possível ao salão principal, no caminho encontramos alguns alunos corvinais e outros lufanos, passamos todas as informações e após realizar os feitiços eles seguiram em outro caminho a procura de mais alunos para se juntarem ao plano. Chegamos em um corredor escuro e demos de cara com alguns alunos que enfrentavam dementadores, eles não conseguiam se defender e pra piorar eu não era bom usando o Patrono.

— Droga! Eu não consigo conjurar o Patrono! - eu confessei a Fred que se pôs na minha frente.

— Espectro Patrono!! - Ele conjurou o feitiço fazendo com que um coiote tomasse forma expulsando todos os dementadores do local - Sorte a sua que essa lembrança foi o suficiente! - Ele me lançou um sorriso amigável.

Antes que eu pudesse entender o que ele tinha dito, dois comensais quebraram a janela e começaram a nos atacar, pelo visto eles tinham aparecido pouco antes de Fred ter salvo os alunos e visto que obviamente eu não fiz nada pra impedir, eles me atacaram já imaginando que eu os tinha traído. Não tivemos tempo para irmos verificar se aqueles alunos estavam bem, já estávamos novamente lutando costas a costas com os dois comensais que eram bem mais habilidosos do que os anteriores. Para a nossa sorte os alunos que estavam ali até o momento paralisados pelo medo voltaram a realidade e nos ajudaram a derrotar os dois comensais. Estávamos prontos para seguir em frente quando de repente um grito fraco foi ouvido.

— Morra Malfoy traidor!! - um dos comensais gravemente ferido acordou e com o seu último gesto em vida, lançou em minha direção um enorme pedaço de vidro que entraria diretamente na minha barriga me causando um ferimento mortal.

— Draco cuidado!! - Foi tudo que consegui ouvir antes de sentir o corpo de Fred cair em cima de mim... Ele havia entrado na frente do vidro que foi lançado para acabar com minha vida... Fred foi atingido em cheio, o pedaço enorme de vidro entrou todo em seu corpo e agora ele estava caído em cima de mim, sangrando e morrendo sem que eu conseguisse fazer nada para evitar.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, pelo sim ou pelo não, estou aqui para ouvi-los! Muito obrigada por lerem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...