História Drarry : Escolhendo o Próprio Destino - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Fred Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lílian L. Potter, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Pedro Pettigrew, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black
Tags Draco Malfoy, Drarry, Harry Potter, Hermione, Lucius Malfoy, Severus Snape
Visualizações 206
Palavras 2.681
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá fofuretes! Já estou aqui postando de madrugada de novo rsrs .. Olha não posso deixar de agradecer a todos vocês que estão lendo, favoritando e comentando a fanfic, isso me deixa muito feliz sabiam? É bom ver que tem pessoas gostando. Sempre responderei a todos e obrigada novamente. Segue um capítulo triste para vocês😭😭. Peguem os lenços!!

Capítulo 3 - Despedidas Pt.1


Fanfic / Fanfiction Drarry : Escolhendo o Próprio Destino - Capítulo 3 - Despedidas Pt.1

Narrado por Fred Weasley

Eu tinha acabado de sair de uma luta quando dei de cara com aqueles malditos sonserinos em um corredor próximo as masmorras. Eu não sabia ao certo se iniciava uma luta ou esperava que alguém deles me atacasse primeiro, eu estava sozinho mas pelo menos se eles tentassem me matar, eu levaria um deles comigo. O único problema é que nenhum deles estavam me atacando, na verdade eles diziam que queriam ajudar.... Eu não conseguia acreditar em nada que aquelas cobras estavam falando, com certeza eles estavam tentando me enganar! Era nisso que eu estava acreditando até que surpreendentemente Draco Malfoy além de me pedir por favor acabará de colocar a varinha no chão e se afastava.

A partir daquele momento tudo começou a parecer uma Fanfiction escrita por alguém muito fã do Malfoy, ou eu tinha batido a cabeça e estava tendo alucinações ou a mais improvável e com certeza a mais surpreendente: Malfoy e seus amigos realmente estavam lutando do nosso lado e aquilo com certeza era uma carta na manga que ninguém estaria esperando, típico dos sonserinos.

- Engraçado, eu tinha ouvido falar que vampiros brilhavam no sol - disse para Draco depois de uma rápida luta contra alguns vampiros que encontramos no caminho.

- Bom, acho que não teremos a chance de vermos esses aqui, quem sabe quando tudo isso acabar a gente ache algum andando sem camisa por aí de dia - Draco respondeu achando graça.

Com certeza foi um olho gordo que algum espírito de um comensal morto jogou em Malfoy, encontrar logo de cara  dois comensais junto com um amigo, que pelo visto não era mais tão amigo assim, era a última coisa que precisávamos. A verdade é que o maior problema enfrentado ali não seriam os comensais, o problema seria Goyle ali de frente para malfoy o julgando pela sua traição, eu não conseguia nem imaginar o quão cego Goyle estava com toda aquela maluquice do Lorde das trevas mas com certeza ele estava enlouquecendo pois eu nunca tinha visto aquele garoto ficando do lado oposto que Malfoy, ele era tipo um Deus arrogante na casa das cobras.

Uma coisa que eu nunca esperava viver em toda minha vida: Lutar costas a costas com Draco Malfoy! Aquilo foi uma surpresa. Olha eu poderia até estar acreditando no plano para ajudar na derrota do cara sem nariz e tal mas  imaginava que na primeira oportunidade que a doninha tivesse, ele me deixaria em maus lençóis e se esconderia no primeiro buraco que achasse, mas não, o que estava acontecendo ali era o oposto: Draco Malfoy lutava junto comigo!

Não houve tempo para assimilar as coisas ou combinar movimentos, foi tudo natural... Simplesmente duelamos, nos protegemos e derrotamos dois comensais da morte.

Foi tão rápido, apenas um momento de distração e quando eu dei por mim foram apenas três rápidos passos : um grito, um feitiço e um corpo sem vida batendo no chão. Draco Malfoy havia matado seu amigo, seu amigo de anos de planos horríveis, amigo de humilhações, amigo de armações.. amigo.... Draco Malfoy me salvou da morte...

Antes de encontra-lo eu só conseguia pensar que eu poderia morrer a qualquer momento, quando encontrei com ele e seus amigos eu só pensava que se fosse morrer levaria um deles comigo e que esse alguém seria ele...

Depois de entender que eles estavam do nosso lado e tanto ouvir que eu não morreria nessa guerra, eu comecei a acreditar nisso, a acreditar que eu sobreviveria...

Quando eu vi Goyle preparando para me lançar uma imperdoável, eu tive certeza que ali seria meu fim e novamente a morte veio sentar ao meu lado...

Definitivamente eu não queria morrer nessa guerra, mas se eu fosse morrer nela eu poderia com toda certeza dizer para quem fosse me receber do outro lado, que Draco Malfoy merecia perdão pelos seus pecados! Ele merecia a chance de se redimir e fazer seu próprio destino.

Malfoy estava lá parado, atormentado, lágrimas escorriam pelo seu rosto como se fossem uma cachoeira. Malfoy estava se perdendo... Enlouquecendo e a única pessoa que poderia evitar isso naquele momento era eu.

Ele não me respondia, eu o balançava e gritava seu nome mas nada, malfoy parecia estar em outro mundo e então eu fiz a única coisa que eu sabia que poderia traze-lo de volta: Eu o abracei.

As palavras eram sinceras, saíram de foram natural. Naquele momento enquanto consolava Malfoy em meus braços eu o chamei de irmão. Tê-lo ali totalmente sem máscaras enquanto chorava em meus braços me trouxe as lembranças de quando eu consolava Jorge quando ele tinha algum problema que o deixava triste, desde pequeno Jorge sempre foi um cara sensível mas que só demostrava essa sensibilidade quando eu estava por perto, ele só começou a se abrir mais depois que conhecemos Lino Jordan em Hogwarts, Lino era o único que o via sem sua máscara de brincadeiras.

Malfoy naquele momento me lembrava meu irmão gêmeo ao qual eu dividia um elo inquebrável e se Malfoy conseguiu me despertar esse sentimento fraternal, com certeza eu o trataria como meu irmão.

Graças a Merlin Malfoy ouviu minhas palavras e voltou a si, tínhamos muitas coisas a fazer e se ele queria se redimir com toda a minha família, ele teria que estar vivo pra isso! Seguimos pelos corredores quando sentimos o clima esfriar rapidamente: dementadores! Eles estavam ali e sugavam a vida de alguns alunos que não conseguiam se defender.

- Droga! Eu não consigo conjurar o Patrono - Draco confessou ao meu lado.

- Expecto Patronum - Lancei o feitiço em direção aos dementadores sem saber se aquela lembrança seria o suficiente mas a surpresa foi enorme quando meu Coiote apareceu forte o suficiente para expulsar todos os dementadores de uma vez - Sorte a sua que essa lembrança foi o suficiente! - não sei se ele conseguiu entender mas não houve tempo para explicações e nem ver como estavam os estudantes atacados.

Será que em todos os corredores desse colégio tinham comensais a espreita só esperando para atacar Malfoy?? E lá estávamos nos dois novamente lutando costas a costas mas dessa vez eu tinha certeza que levar Malfoy para ser punido por Lorde Voldmort era a última coisa que aqueles caras não queriam, eles estavam ali para mata-lo e se não fosse por aqueles alunos que deixaram o pânico de lado e vieram ao nosso auxílio, não sei ao certo se teríamos saído ilesos dessa vez.

- Draco cuidado!!! - Foi instintivo, meu corpo se jogou na frente dele, ele seria atingido fatalmente por aquele pedaço enorme de vidro e  quando dei por mim estava caindo em cima de seu corpo.

-  FRED, FRED, FREDD -Malfoy gritava meu nome desesperado enquanto ajeitava meu corpo no chão - Por que você fez isso? Por que??Weasley seu idiota!- ele estava em Pânico.

- Malf... - tentei falar mas tossi sangue, eu estava morrendo e isso fez o pânico se instalar no rosto de todos.

- Fica quieto Fred! Me ajudem, qualquer feitiço médico por favor - Malfoy estava descontrolado, ele tentava junto com os outros fazer algum feitiço para parar a hemorragia mas assim como eu, eles sabiam que sem um medibruxo ali eu não sobreviveria.

- Malfoy esquece ..-  disse enquanto ele ainda tentava me curar mas ele ignorava minha fala. -MALFOY PARA! - eu tive que gritar para que ele prestasse atenção em mim e aquilo fez parecer que todas minhas tripas se rasgavam mais ainda. Respirei pesadamente por alguns segundos para que eu conseguisse prosseguir.

- Malfoy não adianta tentar, nós sabemos que estou morrendo - aquela frase fez com que ele entrasse em um pânico muito maior do que já estava.

- NÃO FRED! VOCÊ NÃO VAI MORRER, EU NÃO VOU DEIXAR.. EU NÃO POSSO DEIXAR.... EU NÃO... - seu choro era tão forte que ele já não conseguia falar sem engasgar.

- Malfoy, não quero que você pense que a culpa é sua.... Eu te disse não disse? Você é meu novo irmão e da mesma forma que você não deixou seu amigo me matar, eu não deixaria que ninguém fizesse isso com você. - eu segurei sua mão enquanto lágrimas escorriam de meus olhos - por favor Malfoy, me ajude a chegar no Salão principal antes que eu morra, minha família deve estar lá e quero poder me despedir de todos, mas antes... - abri minha mão que estava na dele - pega esse frasco e coloca dez fios de cabelo meu aí dentro pro favor, depois você entrega ao meu irmão.

E sem ao menos questionar ele fez o que pedi, abriu aquele frasco que brilhava em azul e depositou 10 fios do meu cabelo, depois o guardou em seu bolso.

- Fred, por que você fez isso? - ele me perguntava com uma dor profunda nos olhos.

- Qualquer pessoa que mata alguém ruim para salvar a vida de uma pessoa, qualquer pessoa que se coloque contra Voldemort sabendo que isso pode levá-la a uma morte torturosa, sabendo que ela será julgada como traidora por até mesmo aqueles a quem ela salvou, qualquer pessoa que se arrependa dos seus pecados e queira um mundo melhor merece a chance de viver e mostrar a todos que ela está arrependida - disse aquilo enquanto o abraçava, Malfoy precisava entender que ele não era culpado da minha morte, a única culpa que ele tinha era de não ter se tornado meu amigo antes.

Draco me levantou e passou meu braço eu seus ombros e junto com os outros estudantes seguimos direto para o salão principal, eu sentia que a cada passo que eu dava minha vida ia ficando pelo caminho mas eu não me permitiria morrer sem me despedir da minha família.

Eu tinha que agradecer ao assassino sem nariz, aquela trégua que ele havia dado fez com que chegássemos ao salão principal sem dar de cara com nenhum inimigo. Assim que aqueles alunos abriram as portas eu senti Malfoy apertar mais o braço em volta do meu corpo, eu sabia que ele estava em Pânico quando aquelas portas se abriram e todos nos olharam mas ao invés de parar e talvez ir embora, ele seguiu em frente tão rapidamente que quando vi já estava de frente aos meus familiares.

- Abaixem as varinhas! - Eu dei um grito fraco mas que foi ouvido por todos - Não ameacem o Draco.

Todos ficaram espantados com aquela atitude vinda de mim, meus familiares vieram ao meu encontro e me deitaram no chão, só aí que eles viram a real situação.

- Meu Deus meu filho, não! Por favor . Resiste Fred! - Minha mãe chorava enquanto passava as mãos em meu cabelo me dando um carinho maternal.

- Meu filho! Não .. fique com a gente por favor! - meu pai era um homem sensível e ainda assim tentava se manter firme enquanto segurava minha mão e amparava minha mãe.

- Irmão, por favor... Não se vá - Gina estava do meu outro lado se agarrando ao meu braço.

- Fred... - Jorge me olhava com tanta tristeza no olhar, eu nunca imaginei que o veria daquele jeito - Por favor irmão, não me deixa aqui - suas lágrimas molhavam meu rosto enquanto as minhas próprias se juntavam a dele. - Eu não consigo sem você, por favor fica comigo. - Ele se deitou em meu colo.

Eu sentia que minha vista começava a escurecer, a morte chegava mas graças as tentativas de me salvar de Draco e os outros estudantes eu já não sentia mais dor. Era a hora de me despedir, eu queria que desse tempo dos meus outros irmãos chegarem mas eu sentia que não teria como esperar mais.

- Pai - o olhei enquanto começava as despedidas - Seja forte, você tem que cuidar de todos e você sabe que esse todos é muita gente - dei um sorriso para ele - Eu te amo, obrigada por me aturar e não expulsar a mim e o Jorge de casa em todos esses anos de travessuras.

- Eu te amo meu filho! - o choro aumentou, a dor o consumia - Eu sempre vou te amar... Você e Jorge sempre serão motivos de orgulho pra mim. - Ele beijou minha testa.

- Gina - ela olhou para mim já com os olhos inchados - você é a nossa única irmã, vou te vigiar enquanto estiver do outro lado e por favor, não fique se agarrando com Harry na nossa cozinha - ela deu uma leve risada - de preferência não se agarre com Harry em lugar nenhum! Siga seu sonho de ser jogadora, você tem talento pra isso! - Falei sinceramente e ela sabia disso - Deixa o Harry beijar umas bocas diferentes - terminei com uma piada e se eu não tivesse morrendo naquele momento, provavelmente ela me mataria.

- Avisem aos meu outros irmãos que eu os amo... Digam pro Rony se casar com a Hermione por que ela deve ser a única que vai dar essa chance pra ele - brinquei olhando para todos. - Avisem que se ele quiser ser auror, ele terá que comer menos pra ter fôlego quando for correr de aranhas gigantes.

- Mãe - minhas lágrimas aumentaram ao olhar para a mulher que me deu tudo que eu sempre precisei - Eu te amo e sempre vou te amar, cuida do Jorge pra mim, obrigada por ter sido a mulher mais forte e incrível que eu conheci nessa vida, duvido que ache alguém tão maravilhosa quanto a senhora do outro lado - e era verdade, minha mãe era a guerreira que nunca se queixou de nada, nem mesmo quando não sabia ao certo se teríamos uma refeição na mesa no próximo dia, ela sempre fez de tudo para nos dar o melhor e com toda certeza ela deu - Já aviso logo, não é por que está abrindo vaga na T'oca que a senhora tenha que ter outro filho - disse zombeteiro fazendo ela sorrir - E a propósito - a olhei sério - Eu sou o Jorge!!! - Por um momento ela ficou confusa e olhou de mim para meu irmão - Mulher!! Você ainda não consegue diferenciar seus filhos??? Eu sou o Fred!  - ela me deu um leve tapa na cabeça seguido de um beijo e me lançou um sorriso lindo.

- Jor... - Tossi forte, estava indo embora - Jorge.. irmão, seja forte! Eu sempre estarei aqui por você, nosso elo é muito mais forte do que qualquer coisa nesse mundo! Por favor fique bem, se cuide, se case, continue com nossa loja! Tinha várias coisas que eu gostaria de concluir contigo mas essa que trouxemos hoje - ele sabia do que eu falava- Eu quero que você consiga um patrocinador o mais rápido possível, ela será de grande ajuda quando tudo isso acabar. E por favor... Draco - todos olharam na direção de Draco que estava sentando em um canto sozinho nos olhando mas sem prestar atenção no que dizíamos, ele estava visivelmente muito abalado e não conseguia parar de chorar - Eu quero que todos vocês dêem uma chance a Draco, ele me salvou quando pode e quer se desculpar com vocês, vocês precisam ouvi-lo por favor - todos o olharam novamente e depois se viraram pra mim.

- Vocês não podem negar o pedido de alguém que está morrendo! - sei que foi pesado mas precisava amolecer o coração da minha família, acho que ficar um tempo com Draco me fez um pouco sonserino - E por favor, não tirem essa capa de mim por agora - só aí que todos perceberam que eu estava com a capa da sonserina - Vocês vão entender o por que depois..- Dei uma longa respirada antes de finalizar - Jorge eu te amo, sempre te amarei - disse olhando nos olhos dele enquanto as lágrimas aumentaram em meu olhos - Não se preocupe irmão, eu volto pra te assombrar.

E foi após essa frase, meu último sopro de vida foi embora.


Notas Finais


E acabou... Não sei vocês mas Fred pra mim era tudo de amor, fico triste em vê-lo morto mas pra tudo existe um motivo não é? E aí, o que vocês acharam?? Aceito todas as opiniões até aquelas que querem me xingar por que matei o Fred😭😭, agradeço novamente por terem lido e se não for pedir muito, gostaria de ver a opinião de vocês nos comentários. Até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...