História Dream - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Jeongmo, Menção Dahmo, Menção Michaeng, Satzu, Songfic, Twice
Visualizações 38
Palavras 1.486
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não tenho nada a declarar sobre isso aqui, ok?

Capítulo 10 - I know what you want.


Jeongyeon ficou desanimada quando viu Momo entrando em campo, pensava que sem Tzuyu seu time iria perder feio já que Momo tinha entrado em seu lugar. A última vez que Momo e Jeongyeon jogaram juntas foi na final do campeonato escolar do ano anterior e o resultado não podia ser outro: perderam, já que a japonesa não acertava um passe sequer, não dominava a bola direito, roubavam fácil a bola dela e até fez um gol contra. A receita para a derrota. 

Jeongyeon que na época, estava começando a ter um relacionamento com a Hirai, não quis culpa-la pela derrota mas a frustração em seu rosto dizia totalmente o contrário. Naquele dia, tiveram uma briga feia no vestiário e acabaram com tudo que nem tinha começado direito. Depois disso, a capitã só falava com a japonesa nos treinos e quando era extremamente necessário.

Não entendia até hoje o porquê do treinador tê-la aceitado no time, mas as palavras dele não saia de sua cabeça.

— Confie em mim, Jeongyeon.

O que ela podia fazer?

O jogo já estava acabando e a loira tinha recebido a bola, olhou pra frente, ao redor, todas do seu time estavam marcadas, olhou na ponta direita – onde Tzuyu deveria estar – e viu Momo pedindo a bola. 

Jeongyeon não tinha outra escolha, deu um suspiro e tocou para Momo. Já imaginava que não conseguiria nem mesmo dominar a bola, então nem fez questão de olhar para o que a mesma iria fazer. 

Os alunos que torciam pro time vermelho, estavam quietos e desanimados pelo mesmo motivo de Jeongyeon. Mas não demorou um segundo e todos eles começaram vibrar e gritarem, a Yoo não estava entendendo o que estava acontecendo e procurou a bola, logo a viu nos pés de Momo.

Ela tinha dado um drible na adversária, Jeongyeon literalmente ficou de boca aberta. Olhou para o treinador e ele estava com os braços cruzados e um sorriso no rosto, como se dissesse "Eu te avisei."

Jeongyeon não perdeu tempo e correu para a grande área vendo Momo chegar na lateral, sem hesitar pediu a bola. Momo cruzou e Jeongyeon pulou o mais alto que pôde para tentar cabecear a bola. Com certo esforço, conseguiu.

 — O que que foi isso? — Jeongyeon gritou para Momo poder ouvir, visivelmente surpresa, já que os alunos estavam fazendo muito barulho. — Até ontem você...

 — Depois a gente conversa. — disse Momo e logo abriu um sorriso vendo a cara de espanto da capitã.

 O treinador apitou e o jogo terminou com a vitoria do time de Jeongyeon, 2x0 no placar. 

Jeongyeon se sentou no gramado cansada, os alunos já estavam circulando e voltando para dentro da escola. Logo tratou de se levantar, ainda tinha aula e teria que passar na casa de Tzuyu ver como ela estava e explicar o que tinha acontecido. 

Viu o treinador e foi atrás dele, tinha muitas perguntas para fazer. Como capitã, ela tinha o direito de saber porque ele escondeu a melhora de Momo dela e do time.

— Treinador, preciso falar com o senhor. — disse se aproximando dele.

— Já até sei o que é. — Se sentou no banco de reservas — Ela melhorou, hm? — disse olhando para onde a japonesa estava, a mesma se encontrava do outro lado do campo conversando com outras jogadoras que ainda a parabenizavam pela jogada.

— O que fez com ela? — perguntou se sentando também.

— Treinei, simples assim.

— Isso eu percebi. — disse e o treinador apenas riu.

— Depois da derrota ano passado, era óbvio que ela se sentiu culpada. Ela me procurou e disse que iria sair, mas eu saiba que ela tinha talento. Então, eu fiz um trabalho separado com ela e aí está o resultado.

— Porque não me contou?

— Ela me pediu para deixar em segredo, não me contou o motivo. — suspirou. — Enfim, nós treinamos por um tempo, ela é uma menina com potencial. Você deveria falar com ela.

— Com certeza eu vou. — se levantou e logo foi andando para o vestiário, mas antes se virou para fazer uma pergunta que martelava sua cabeça a muito tempo.— Antes disso tudo, porque aceitou ela no time?

— Eu não ia, estava na cara que ela não sabia jogar. Mas ela me implorou, disse que era o que ela mais gostava de fazer. Mas os pais nunca permitiram por que segundo eles, futebol é coisa de meninos. Não iriam admitir que a filha fizesse esse tipo de esporte, eu não tive muita escolha.

— Isso explica algumas coisas. Bom, eu já vou indo, velhote. — voltou a andar mas ouviu o treinador gritar.

— Me chama de velhote de novo e você vai pro banco!


[...]


— Caramba, Momo, aquela jogada foi sensacional! — foi a primeira coisa que Jeongyeon ouviu quando entrou no vestiário. Era Chaeyoung falando. — Não foi, Jeong? — a baixinha ainda ainda estava com a adrenalina lá em cima, como se fosse ela que tivesse feito tudo.

— Sim. — a loira disse e deu um sorriso pequeno para a Hirai que não tirava os olhos dela desde que entrou no lugar. A mais velha se sentou em um dos bancos e começou a desamarrar as chuteiras.

— Ah, eu ainda vou dar aquele chapéu em você. — Chaeyoung disse e jogou uma toalha na cara da capitã fazendo algumas jogadoras que ainda estavam no vestiário darem gargalhadas. Jeongyeon apenas riu e jogou de volta a toalha. — Do que vocês estão rindo? Hoje faltou muito pouco pra eu conseguir e você sabe disso, Yoo.

— Você pode sonhar o quanto quiser, Chae. Nem a Tzuyu conseguiu. — Sooyoung, uma das zaqueiras do time falou.

— Vou esperar ansiosamente, Son. — Jeongyeon disse com um sorriso debochado.

A loira estava indo para o chuveiro mas parou quando a porta do vestiário foi aberta com força revelando uma Jihyo com um cara nada boa.

— Acabei de ver como Tzuyu está... — a morena se sentou em um dos bancos e com a frase fez com que todas parassem o que estavam fazendo para prestar atenção nela. Inclusive Chaeyoung. — Não tenho boas notícias.

— Fala logo. — Jeongyeon disse preocupada.

— Torção no tornozelo esquerdo. Não joga no sábado de jeito nenhum, sete dias com a perna enfaixada. — a Park disse suspirando logo em seguida.

— Merda. — Jeongyeon bufou.

— Estamos perdidas. — essa foi Momo.

— E agora? — Chaeyoung perguntou.

— O treinador já está ciente, ele deve falar com vocês amanhã e fazer algumas alterações. O jogo já está logo aí e vocês vão ter que se acostumar com as mudanças. — Jihyo disse e saiu do vestiário. Logo depois, a maioria das meninas também saíram para verem Tzuyu e irem para suas salas. Só restou Momo e Jeongyeon.

— Quando ia me contar sobre esses seus treinos escondidos? — Jeongyeon perguntou para a outra sem tirar os olhos do espelho pois estava penteando o cabelo e não queria ter que olhar para a japonesa já que ela só usava o short do uniforme e um top.

— Por que eu deveria? — Momo se aproximou se escorando no armário ao lado do de Jeongyeon. — Você pode ser a capitã, mas eu não tenho a obrigação de te contar nada. — Jeongyeon suspirou e se virou para olhar a japonesa, mas logo virou o rosto. Se arrependeu no mesmo momento de ter iniciado aquela conversa.

— Não acha que está se achando demais pra quem não conseguia nem chutar uma bola? — Jeongyeon falou, já estava ficando nervosa. Se tinha alguém conseguia estourar sua paciência em tão pouco tempo, esse alguém era Momo.

— Pra quem é a capitã do time, nem olhar nos meus olhos você consegue. — Momo se aproximou ainda mais mais, passando seus braços pelos ombros e pescoço de Jeongyeon, a forçando olhar pra si.

Momo tinha um sorriso satisfeito nos lábios, anciava por ter a Jeongyeon em seus braços de novo. Com os rostos tão próximos, era possível sentir a respiração quente da maior bater contra a sua e sentiu as mãos da mesma segurar sua cintura com força. Com toda essa tensão no ar, a Hirai estava doida pra saber se a loira iria aguentar por muito tempo.

Por outro lado, a Yoo brigava consigo mesmo por ter permitido que a japonesa chegasse tão perto. Querendo ou não, Momo ainda mexia consigo, era difícil resistir. A conhecia muito bem e sabia o que ela queria, não podia negar que uma parte de si também queria sentir aqueles lábios de novo, mas o outro lado a fazia questão de lembrar o quão dolorosa foi aquela relação e quantos problemas aquilo lhe trouxe.

— Eu sei que você quer. — A japonesa sussurrou ao pé de seu ouvido.



"Divirta-se, divirta-se

Apenas me deixe para outra pessoa"


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...