História Dream Man - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags 2won, Fluffy, Futebol!, Hospital, Hospital!au, Hyungwon, Hyungwonho, Jooheon, Jookyun, Kihyun, Médico, Minhyuk, Monsta X, Romance, Showki, Shownu, Soccer!au, Wonho, Yaoi
Visualizações 343
Palavras 2.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá~

Tudo bem com vocês?

Sorry a demora, o hiatus e tudo mais. Eu meio que expliquei tudo em um comentário, mas vou explicar outra vez:

Então, eu resolvi optar pelo hiatus por que estava num semestre bem complicado da faculdade e acabei por deixar minhas fanfics de lado.TODAS ELAS MESMO.

Eu achava que nas férias de junho iria conseguir atualizar todas as fics que tenho em andamento, mas em maio recebi a notícia de que teria que arrancar os dois sisos direitos em julho agora, no dia 20. Arranquei tem mais ou menos 16 dias e ainda não posso realizar muitas coisas que esforce o corte pois tenho medo de que sangre ou coisa parecida... e mesmo assim eu voltei a escrever Dream Man mesmo, uns 4 dias depois de ter feito a cirurgia.

Por que o capítulo pequeno?
A fanfic ta na reta final, logo não tem muito o que escrever ou o que colocar nela. Tudo o que eu planejei está aqui... E só haverá mais um capítulo, acredito eu. O próximo será do tamanho normal, de 3k de palavra.E também pensei que esse capítulo não ficaria bom se eu só enchesse linguiça. Seria errado só encher pra dar mais e mais palavras.


Espero que entendam ♥

Espero que gostem! Boa leitura.

Capítulo 12 - Coragem


Fanfic / Fanfiction Dream Man - Capítulo 12 - Coragem

O jogador de futebol bateu na porta de mogno do escritório, e logo ouviu um som de aprovação para que entrasse no cômodo. O presidente do time parecia sério, sentado em sua enorme e confortável cadeira de escritório, mas Hoseok sabia quem ele realmente era. O grande porte de um ex-jogador de futebol era revelado mesmo por baixo da camisa social branca que o mesmo vestia. Tinha sido um dos astros antigos do time, e agora era dono daquele clube todinho e de todo o merchandising da marca que era o Red Fighters Football Club. Era quase um sonho ser dono (e técnico) de um time bem sucedido como aquele.

Kim Sejun era considerado o grande jogador da Coreia do Sul, o maior goleador de todos os anos, e as gerações das seleções sul-coreanas de futebol. Era idolatrado como um rei do futebol masculino, e tido como um dos mais premiados. Hoseok tinha respeito para com o homem ali sentado, isso somente pelo que ele já havia conseguido em sua vida.

– Olá Hoseok! – disse saudoso e com um sorriso no rosto, fechando pastas sobre a mesa de vidro bem organizada. Wonho acenou e observou o escritório que era quase como um oásis, tirando o campo de futebol por si só – Como está se sentindo hoje? E o tornozelo ainda está dando muito trabalho?

Ele sorriu de canto e balançou a cabeça em negação.

– Não muito. Estou cem por cento, senhor, sem dores ou inchaços. Minha condição está perfeita – explicou tentando não exalar nervosismo algum. O presidente do time riu alto e assentiu. Hoseok sentou-se na cadeira em frente à mesa do homem, encarando-o diretamente. Suas mãos suavam, mas não iria deixar que ninguém soubesse de seu nervosismo exagerado.

– Aquele fisioterapeuta fez um trabalho magnífico, então. Acredito que não mostrou resistência alguma aos tratamentos dessa vez – o homem mais velho falou alegre – Você parece ótimo. Melhor do que antes de se lesionar, se me permitir dizer. Parece mais vivo e cheio de energia.

– Pareço? – ele riu e Sejun assentiu – É, Hyungwon foi incrível em questões de minha recuperação, sempre muito preciso no que faz, ao me tratar – Shin murmurou coçando o queixo com a barba por fazer, preocupado – E é sobre isso que eu vim falar. Sobre Hyungwon e Jinsoo, senhor.

– Jinsoo é a criança cuja você tinha no colo nas fotos de outro dia e nas de ontem também, correto? E também é o menininho que trouxe aqui aquele dia, além de estar com Hyungwon na festa? – indagou o mais velho. Wonho assentiu, respirando fundo – Você parecia bem preocupado, Shin. Ele está bem? Vi o que ocorreu em relação a Vincenzo. Ele ficou bastante preocupado com o garoto também, Wonho.

O atacante assentiu e suspirou, secando o suor das mãos na calça jeans de lavagem escura. Estava tão nervoso, parecia que estava prestes a ter um ataque de ansiedade. Era quase como se fosse estrear em um jogo de copa do mundo.

– Eu sei disto, mas a saúde de Jinsoo estava em risco. Além dele ser alérgico a nozes, o garoto também saiu do hospital há pouco tempo depois de uma pneumonia... Ele poderia ter tido um choque anafilático – explicou com a expressão séria, enquanto encarava o homem mais velho – Irei me desculpar com Vince mais tarde, afinal de contas ele é meu melhor amigo, mas agora preciso conversar sobre minha próxima decisão como Shin Hoseok, e não como o jogador astro do time... A nota para a imprensa.

– Era exatamente sobre isso que eu queria conversar. Sobre o menino – falou Sejun calmamente, fitando o outro e escolhendo suas palavras com cuidado – Acredito que Vincenzo tenha lhe alertado sobre isto antes.

– Ele comentou comigo, sim – empinou o nariz e assumiu uma expressão séria o suficiente para que parecesse bravo e forte – Os meus advogados, publicitários, secretários e assessores estão todos prontos para qualquer decisão que o clube tome em torno do que eu pretendo contar à mídia.

O presidente do time ponderou e concordou, balançando a cabeça.

– E qual é a sua decisão, eu posso saber?

– No momento estou em um relacionamento amoroso com Chae Hyungwon, meu ex fisioterapeuta – começou – Meus fãs, apoiadores e os torcedores não se surpreenderão com o fato de eu namorar um homem, considerando que já falei publicamente sobre ser bissexual.

Sejun arqueou a sobrancelha e assentiu.

– Claro. Sua orientação sexual nunca foi problema para o time ou para qualquer um de nós dentro da marca, mas por que parece tão preocupado e tenso assim?

– A parte mais decisiva disso tudo é, o que vem acoplado ao ato de eu declarar de forma aberta que estou namorando especificamente Chae Hyungwon – explicou, mas o técnico e também dono do time ainda parecia mais do que confuso em sua totalidade.

– Acredito que não sei se entendi direito.

Hoseok levantou o rosto, fitou o olhar desorientado. Sua expressão mudou-se para uma face dura e inexpressiva, quase que inabalável. Seus olhos demonstravam tudo, menos fraqueza. Ele não gostava de ser fraco, não gostava de passar qualquer sentimento além de sua aura imponente.

E foi daquele mesmo jeito que anunciou:

Irei adotar Chae Jinsoo, o filho de Hyungwon. Ele será também o meu filho a partir de então.

Sejun parecia surpreso, mas estava composto. Não demonstrara nada além de surpresa e um pequeno sorriso no canto dos lábios.

– É isso que realmente quer? Está certo disso? – indagou. Hoseok assentiu – Então não irei questionar. É sua decisão, você faz o que quiser. O clube não irá e nem pode interferir na vida pessoal de um jogador, ainda mais quando ele não fere à lei e ao respeito, sendo dentro e fora de campo.

Agora quem parecia surpreso era Hoseok. Ele não conseguia acreditar no que havia acabado de ouvir. O presidente do time estava de acordo com o que ele pretendia fazer, estava de acordo em deixá-lo ser livre e ter sua vida pessoal como qualquer pessoa normal.

– Então você está de acordo com o que quero fazer, certo? – questionou preocupado. Sejun concordou e Hoseok sorriu alegremente – Muito obrigado, técnico.

– O pessoal da publicidade do clube irá ajudar. Irão conduzir a notícia de um jeito que não seja ruim, mesmo que tentem fazer críticas negativas sobre – Sejun assegurou – E devo lhe desejar os parabéns, Hoseok, pela nova fase. Boa sorte sendo pai. Você realmente se tornou um homem melhor.

Wonho riu.

– Obrigado.

– Só quero que me prometa uma coisa.

O atacante ficou tenso.

– O quê?

– Dê sua garra, seu fervor e sua vontade para o time. Volte com tudo para o campo. Só é isto que lhe peço.

Ele abriu um sorriso esplendido e assentiu, inclinando-se para apertar a mão do outro.

– Claro que prometo. Tem a minha palavra, senhor.

 


 

 

 

 

 

∘××∘

 

 

 

 

 

 

Vincenzo chutava várias bolas de futebol em direção a um dos gols do estádio do time. Aparentemente estava desconcentrado, considerando que todas as bolas – mesmo sem goleiro algum – iam parar fora ou batiam na trave. O atacante com traços ocidentais não vestia roupas adequadas para o que fazia naquele momento. Vince usava calças jeans de lavagem clara e um casaco de moletom, ao contrário do costumeiro uniforme de treino do time e as chuteiras.

– Está muito pior do que antes – Wonho brincou enquanto caminhava em direção ao amigo, as mãos enterradas nos bolsos da jaqueta de couro preta – Consideraria dizer que consigo fazer mais gols que você, mas isso eu com certeza faço até de olhos vendados e sendo marcado por jogadores enormes.

Vince não riu e muito menos falou algo. Ele permaneceu calado, ainda fitando uma das últimas bolas que continuavam ali próximas, provavelmente considerando chutá-la ao gol ou não. Vincenzo sério era um sinal de alerta, considerando que o mesmo era quase um bobo da corte de tão piadista e alegre. Geralmente, quando estava assim, Wonho era o primeiro a animá-lo.

– Olhe, eu queria lhe pedir desculpas sobre as nozes na festa – Wonho murmurou atingindo um tom quase que choroso. Vincenzo não se moveu, continuou como estava – Jinsoo está bem, ele está apenas em observação no hospital. Foi medicado a tempo e pudemos evitar qualquer efeito colateral. Não foi sua culpa, Vincenzo.

– Eu sei que não foi – o outro murmurou com a voz afetada, mas prestando atenção no amigo – Eu nunca iria fazer algo assim.

– Por favor, Vincenzo – Wonho pediu – Me desculpe por ter sido grosso. Me desculpe por ter dito as coisas daquele jeito tão errado. Eu estava preocupado demais com o Jinsoo no momento, eu acho que você entenderia, é um amor de...

Pai – Vince interrompeu. Hoseok o fitou de forma consternada – Você cuidou dele e tratou todo o incidente como um pai preocupado, Hoseok. Eu tenho meu filho, e sei como é. Por isso irei te perdoar. Se algo acontecesse ao Sijeon, eu ficaria bem abalado também.

Em alguns momentos, Hoseok se esquecia do filho de Vincenzo, que era fruto de um relacionamento passado, mas que era tão importante para os pais. Sijeon tinha apenas dois anos, mas era tão fofinho quanto Vincenzo, puxando os cabelos castanhos mais encaracolados do pai e os olhos bem puxadinhos da mãe.

Hoseok fitou o outro e sorriu. Vincenzo parecia agora mais alegre.

– Obrigado, cara – Wonho o deu um aperto de mão e puxou-o para um abraço amigável – Muito obrigado mesmo. Eu não sei o que faria sem você como meu amigo.

– Que isso, Wonho – Vince murmurou alegre– É para isso que estamos aqui, certo? Colegas de time...

Mas amigos na vida – Shin sorriu.

 

 

 

 

×××

 

 

 

 

– E o que exatamente ele disse? – Hyungwon questionou enquanto ajeitava as papeladas sobre sua mesa lotada de arquivos e prontuários. Hoseok estava sentado em uma das poltronas em frente à mesa do fisioterapeuta, que parecia mais do que apreensivo. Wonho respirou fundo e colocou a mão sobre a do outro.

– Sente-se, Chae. Relaxe primeiro – pediu com cuidado e carinho. Hyungwon largou as pastas sobre uma prateleira ao lado e sentou-se em sua cadeira, como lhe foi pedido pelo namorado – Okay, pronto? Está mais calmo?

Os dedos de Hyungwon batucavam sobre o tampo de vidro da mesa, revelando seu nervosismo aparente, mas o fisioterapeuta afirmou-se calmo e controlado. Hoseok gargalhou e logo ganhou um olhar confuso.

– Está tudo bem, doutor – Hoseok assegurou – Ele basicamente disse que está tudo bem com a minha decisão, que eu sou adulto e consigo ter meus próprios pensamentos. Eles não podem limitar a minha vida de jeito algum.

– Só isso? – Chae questionou preocupado.

Wonho riu.

– Também falou que a equipe de publicidade do time irá fazer com que a notícia seja recebida da forma mais positiva que puderem – explicou – Ou seja, tudo ficará bem. Temos apoio do time, apoio da publicidade e também do técnico e dono do clube.

Hyungwon tomou um tempinho para digerir as boas notícias e finalmente assentiu.

– Isso é bom. Significa que estamos indo bem.

– Exato – Shin abriu um sorriso de canto – Significa que logo poderei estar onde sempre quis.

– Sendo pai de uma criança de cinco anos? – Hyungwon questionou meio confuso e irônico. Hoseok revirou os olhos e suspirou, levantando-se da poltrona onde estava e postando-se atrás da cadeira do fisioterapeuta, levando suas mãos aos ombros tensos do mais novo.

– Com uma família. A minha família.

 

 

 

∘∘∘

 

 

 

 

– Uau, isso é muito diferente do que eu esperava do Dream Man – Jooheon murmurou enquanto comia sua macarronada à bolonhesa com manjericão, que estavam servindo no refeitório do hospital. A comida do lugar era boa, e o espaço também não era ruim, era até bem decorado e simples – Shin Hoseok mudou bastante, se quer saber. Há alguns anos, ele se metia em milhares de escândalos de festas, bebidas e affairs. Era tido como um jogador problemático... Nenhum time queria tê-lo, apesar de ser um grande atacante.

– E um baita chato – Kihyun adicionou, misturando seu macarrão com queijo parmesão. Tanto Hyungwon quanto os outros quatro rapazes ali presentes na mesa olharam para Yoo, que os fitou confuso – O que? Agora que ele ganhou juízo, estão negando o quão irritante e bisbilhoteiro Shin Hoseok foi? Gente, eu gosto dele, mas todos têm defeitos.

– Eu tenho que concordar – Minhyuk murmurou e Hyungwon assentiu – Nosso doutor Chae aqui se queixou muito dele. Até me colocou novamente como o fisioterapeuta encarregado de Hoseok.

– Mas ele mudou bastante – Hyunwoo observou – O cara era um babaca intrometido.

– E agora tem sentimentos e parece um príncipe encantado – Changkyun acrescentou enquanto cutucava seu macarrão intocado – Dream Man indeed. A realidade imita a arte.

– Aparentemente você superou o passado, Hyungwon – Kihyun sorriu amigavelmente – Fico muito feliz por isso.

Hyungwon assentiu. Era bom sentir-se bem de novo, apesar do medo que o futuro abrigava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...