1. Spirit Fanfics >
  2. Dream Of Fame >
  3. A Nova Pianista

História Dream Of Fame - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olár
Sejam todes bem vindes a Dream of Fame.
Esse projeto é algo bastante antigo que finalmente estou podendo dar vida e empolgado por isto.
Foram 3 semanas de divulgação no twitter, desde teasers das personagens principais, cartaz oficial à trailer oficial. Agora contamos até com uma playlist com a trilha sonora que essa fanfic terá.

Obrigado desde já a todes que se dispuserem a ler e, "quebre a perna" ;)

Todos os links estarão disponíveis nas notas finais.

Capítulo 1 - A Nova Pianista


Fanfic / Fanfiction Dream Of Fame - Capítulo 1 - A Nova Pianista

 

A Nova Pianista

 

— Droga. Puta merda! — levantou-se em um pulo da cama de solteiro quase fazendo sua companhia rolar para o outro lado ao que ouviu o despertador do seu celular tocando. — Merda, merda. Levanta Jiwoo, estamos fodidamente atrasadas!

— Custava levantar como uma pessoa normal? Caralho, em! — a garota de franjinhas, mesmo xingando, para Sooyoung, continuaria fofa pela manhã. 

— Merda. Se eu chegar atrasada mais uma vez pra aula da professora Roxana, vou me foder muito! — a garota mais alta andava pelo quarto desesperada, procurando a sapatilha de meia ponta para jogar dentro da mochila, mesmo que ainda estivesse puxando para cima a calça de moletom que resolvera usar aquele dia. 

— Essa mulher é o inferno. Cobra pontualidade até mesmo do relógio. — Jiwoo levantava e influenciada pelo desespero de sua amiga, também vestia-se em uma velocidade maior que o seu comum.

— Mas sabe quem é pior? 

— Não me diga que é...

— Sim, o professor Leopoldo. Aquele velho quer controlar até a quantidade de água que você toma. — bufou. — “Bailarinas precisam ser magras, graciosas, belas...” — começou a imitar a voz do homem de idade já consideravelmente avançada, mas com quatro prêmios de prestígio na carreira como bailarino. — O meu cu, Leopoldo! O meu cu!

Jiwoo acabou rindo, mas torceu o canto da boca ou notar o quanto sua amiga e as vezes algo mais, estava proferindo palavrões. Quando finalmente encaminharam-se para a porta do dormitório, trocaram rapidamente um beijo que poderia muito bem ser o início para mais uma maratona na apertada cama de solteiro em que Sooyoung dormia, porém a mais alta afastou-se delicadamente, as mãos pequenas da menor apertaram sua cintura com um pouco mais de força que o normal para um simples beijo.

— Não me provoca, Chuu. Realmente preciso chegar naquela aula. — pediu abraçando a menor rapidamente puxando o corpo da pequena para saírem de uma vez por todas do quarto.

— Estava apenas brincando, também preciso ir para a aula. Hoje é o dia da Professora de Compreensão Corporal. — respondeu a menor enquanto caminhavam lado a lado no corredor dos dormitórios. 

Um sorriso cúmplice e juntas pronunciaram a frase já conhecida de mais uma professora que possuíam em comum: “ — Vamos, lá, vocês precisam estar abertos ao mundo, as sensações, ao movimento da vida, sintam os colegas ao redor...”

— Mal ela sabe o quanto nos abrimos e sentimos os colegas ao redor. — comentou Jiwoo, fazendo Sooyoung gargalhar alto ao entrarem no elevador do prédio.

— Devo concordar com esse fato. Inclusive, quando você vai dar uma chance pra garota do departamento de música? — perguntou a maior ao que saíram do elevador caminhando pelo hall de recepção.

— Quem, a Jeon?

— Então esse é o nome? — questionou Sooyoung, sorrindo sugestivamente para a menor.

— Soo, ela apenas pagou uma cerveja pra mim. Não existe nada ali. — tentou esclarecer o mal entendido para a amiga, mas bufou quando notou que a mais velha não concordaria tão fácil com aquela ideia.

— Jiwoo, ela flertou com você a noite toda, só você não percebeu. — acusou e praticamente saiu correndo, acompanhada de Jiwoo, para conseguirem atravessar a rua a tempo do semáforo não mudar para o verde.

— Mas e você? Eu vi a loirinha que conheci na turma de dança moderna arrastar as duas asas pra você. — se Sooyoung queria continuar naquele jogo, ela também poderia.

— Nós ficamos. — a outra admitiu.

— O QUÊ? Sooyoung você nem me contou. — começou a rir da tamanha cara de pau com que sua melhor amiga admitia as coisas, era como se não fossem nada demais.

— Ah, qual é, você quer que eu saia contando sobre todas as garotas que já transei? — perguntou rindo.

— Sim. Mas sem os detalhes sórdidos, não quero me traumatizar. — respondeu, arrancando uma gargalhada gostosa de Ha Sooyoung.

— Você é uma hipócrita. Até parece que não gosta de ouvir safadezas quando estamos transando. — acusou a menor, aproveitando para abraçá-la de lado, desajeitadas pela calçada naquele momento estar lotada de transeuntes. — Até parece que nunca me contou sobre como fez aquela garota, como é mesmo o nome dela? Alice? — olhou para a amiga que a fuzilava com apenas um olhar. — Acho que era Alice mesmo. Você me contou todos os detalhes sórdidos do oral proibidão que fez na garota e quer me julgar? Hipocrisia. — começou a rir. Desviaram rapidamente de um ciclista que subira a calçada.

— Ei! Você poderia pelo menos falar baixo? — pediu, mas acompanhou a amiga rindo com a lembrança do ocorrido com Alice. — Minhas aventuras são melhores que as suas. — pontuou. — E convenhamos, ouvir nossas safadezas é totalmente diferente de ouvir você narrando como, quando e onde pegou tal garota.  — admitiu.

— Hey, sem ciúmes. — a maior provocou.

— Ha, ha, ha! Ciúmes de você? Nem em sonhos, Soo. Somos tão livres quanto os pássaros que vimos ontem a tarde no cais.

— E só pra constar, Park Chaewon foi apenas uma transa rápida, concordamos que ambas estávamos afim, depois disso seguimos nossos caminhos. Atualmente ela está de olho na garota que faz aula comigo. — elas sabiam muito bem quem era a garota, seu nome e sobrenome. Kim Hyunjin, a dançarina misteriosa e de humor imprevisível.

— Você acha que ela consegue?

— Se ela consegue dar pra Hyunjin? Com toda certeza. Chae tem todo um charme. 

— Ai Sooyoung, você é horrível às vezes. — a mais alta ouvia a amiga reclamar,  mas fingiu não ouvir, apenas manteve o riso bobo no rosto. — Mas confesso que até eu já tive vontade de dar pra Hyunjin. Nossa, você já viu aquelas mãos? Imagina o estrago que aqueles dedos longos podem fazer. E o sorriso dela é maravilhoso, parece um gatinho com aqueles dentinhos e ela é toda malhadinha, já notou?

— Claro que sim. E Hyunjin é inteligente, sabe que você é perigo. — provocou a amiga e recebeu em troca um soco doloroso em sua cintura.

— Ridícula!

— Mas eu falei a verdade. Hyunjin é inteligente demais pra se envolver com pessoas como a gente. Chaewon apesar de safada, tem classe, é toda princesinha e faz o tipo da Hyunjin, mesmo que ela seja um perigo também. Nós somos pássaros livres, Jiwoo. Nosso único amor é a arte, você com o seu teatro e eu com a minha dança.

Elas definitivamente eram como pássaros livres, sem medos de viverem a vida como se cada dia fosse o último, viviam do amor que sentiam por suas artes e claro, dos trabalhos avulsos que conseguiam nos tempos livres, afinal, é preciso ter dinheiro pra se ter barriga cheia. Ainda era vívido para Sooyoung o dia em que conheceu Jiwoo, ambas tão jovens e pequenas. Frequentavam o mesmo centro comunitário, aquele ao lado da escola pública a qual estudavam. Se conheceram durante as aulas de teatro e dança, das quais participavam. Jiwoo, desde muito cedo mostrara talento e carisma para atuar em musicais, enquanto Sooyoung descobria e entendia que havia nascido para dançar. Juntas, alguns anos depois de concluírem o ensino básico oferecido pelo centro comunitário e com o ensino médio próximo do fim, resolveram que dariam o melhor de si e arriscariam suas chances no edital de bolsas para Juilliard, a maior e melhor Escola Superiora de Arte em Nova York. 

Não fora fácil para nenhuma delas. A mais velha das duas ainda tinha as pequenas marcas das bolhas e feridas que a busca pela perfeição causara em seus pés, as faixas terapêuticas, que preveniam contusões graves, já tomavam conta de grande parte do seu corpo naquele tempo. Ainda lembrava do choro desesperado de sua amiga, quando esta quase perdera a voz para a exaustão. E Mesmo que a voz de Jiwoo fosse clara, que fosse sem defeitos e potente, mesmo que ela pudesse ser ouvida em todos os cantos de um teatro com tamanho considerável, sem precisar de aparelhos de som, sua melhor amiga ansiava e explorava cada vez sua potência vocal em busca da perfeição. Foram tempos difíceis e desde o momento em que se tornaram amigas naquele centro comunitário, tornaram-se muito mais, eram a estabilidade uma da outra e, quando a idade da curiosidade aflorou, descobriram também juntas, um novo mundo.

— Nos vemos no almoço? — perguntou a mais velha quando passaram pelas portas de vidro do centro de estudos de Juilliard. Felizmente o campus se consistia em dois quarteirões, que mesmo extensos, ainda permitiam que percursos rápidos fossem realizados.

— Sim. Vou encontrar com a Kahei no almoço, aproveito e a convido para se juntar a nós. — sorriu para a amiga e desfez-se do braço de Sooyoung que ainda estava sobre seus ombros.

— Kahei a garota que parece modelo? — a maior perguntou interessada.

— Ela foi modelo. — Jiwoo rebateu.

— Ela é gostosa... — se não fosse o tapa que recebera de Jiwoo, com certeza Sooyoung não se importaria de acrescentar outros adjetivos para a nova amiga de sua amiga.

— Você se comporte! — exclamou Jiwoo quando começou a se afastar da mais alta. — Boa aula.

— O que eu posso fazer se é a verdade. — murmurou. — Pode deixar. Boa aula pra você também, Chuu. — dessa vez falou alto, para que a garota pudesse ouvi-la.

Apesar de saber que a pequena não gostava tanto assim daquele apelido, Sooyoung fazia questão de usá-lo sempre que possível e, para Jiwoo, só restava aceitar. Não tinha jeito quando a mais alta queria implicar,  não adiantava ficar chateado, era só esperar com que ela cansasse.

Com passos apressados, tomou a direção contrária e se xingava mentalmente por ter se excedido com o álcool na noite anterior, mas não se arrependia de ter ficado acordada até tarde na madrugada, a decisão rendera algumas boas horas de prazer para ela e para Jiwoo, que acabara dormindo ao seu lado. Felizmente o dormitório de Sooyoung, aquele semestre iniciara sem a sua companheira de quarto, que havia se formado e mudado para Boston, o maestro da orquestra sinfônica da cidade havia feito o convite presencialmente, na noite de formatura da garota. Aquele era um dos sonhos de Sooyoung, ser descoberta em uma de suas apresentações.

A temporada de audições para peças estava prestes a começar, precisava estar preparada e com todas as aulas em dia na universidade ou teria grandes problemas em conseguir conciliar todos seus projetos pessoais. No último semestre, fora por muito pouco que não fora suspensa das aulas práticas devido a atrasos constantes. Por sorte, uma das professoras do conselho a reconhera na audição que havia feito naquele dia e intercedera pela garota, com um único pedido: que aquilo não voltasse a se repetir. Depois do sermão, Sooyoung fazia o possível e o impossível para não cometer tantos erros ou qualquer coisa que prejudicasse sua bolsa.

Ao entrar na sala de prática, respirou aliviada ao constatar que a professora ainda não estava ali. Sentou-se no chão começando a trocar o tênis pela sapatilha rapidamente para poder começar a se aquecer. Encontrou um lugar à barra de prática e passou a alongar os músculos e aquecer as articulações junto a seus colegas de classe. No fundo, notou Hyunjin em seu próprio mundo, comendo uma banana e recebendo olhadelas descontente de outras garotas ao seu redor. Imaginou como seria se elas vissem a garota novata mandando pra dentro o "dogão" bem recheado do bar onde trabalhava. Pegou-se rindo sozinha. Como era mesmo o nome da novata?

— Muito bem, vejo que todos estão aqui. Vamos começar. — aquela professora realmente não dava tempo nem para respirar. — Todos em suas posições. Ah, olá senhorita Vanessa, estou feliz em ver que dessa vez trouxe a sapatilha correta. — olhou em volta inibindo os risinhos jocosos da turma. Começou a caminhar entre os alunos que esperavam seus comandos, observando cada um com atenção. — Muito bom, muito bom. Postura excelente senhorita Diana. Alisson, por favor, ombros, isso, ombros. — caminhou um pouco mais, parou ao lado de Hyunjin e observou a garota com atenção. — Excelente senhorita Hyunjin. Linha corporal excelente. — ainda observando a garota, pediu. —  Ponta! Isso, sempre levante o queixo, isso. Excelente como o esperado.  

Sooyoung se viu apreensiva quando a mulher, na casa dos cinquenta anos, parou ao seu lado, analítica. A Ha não desfez sua pose. Manteve o corpo perfeitamente alinhado, coluna ereta, ombros abertos, a cabeça levantada, o nariz em riste, a pose clássica para qualquer bailarino em "descanso".

— Atenção turma, olhem para a senhorita Sooyoung. — chamou atenção da classe que prontamente atendeu. — Sejam mais como ela. — declarou e por fim caminhou até o seu posto em frente a turma. 

Foram necessários alguns segundos para que Sooyoung conseguisse conter o sorriso que quase lhe escapou. A muito tempo não era elogiada por Roxana. Finalmente as horas extras praticando estavam fazendo efeito, mas ainda sentia que poderia melhorar, afinal aquele era apenas o seu terceiro semestre, ainda possuía cinco pela frente. Era preciso ter pés no chão para chegar longe, esse era o seu lema.

— Muito bem turma, hoje teremos acompanhamento, Logan não pode comparecer, sendo assim, a coordenação nos enviou uma pianista tão boa quanto, vamos fazer jus ao talento dela, certo? Sejam merecedores. Por favor, os cumprimentos a senhorita Jungeun. — mesmo com a péssima pronúncia, a professora anunciou o nome da nova pianista e uma garota de calça larga, camiseta azul e cabelos preso no alto da cabeça, entrou na sala de prática em passos lentos, se curvou à professora, em um claro cumprimento que mostrava sua ascendência, deu um aceno breve para a turma e caminhou até o piano sem cauda que ficava ao canto. 

Por mais que tentasse, nesse momento, era impossível para Sooyoung não prestar atenção na garota, o seu visual era desconcertante, a maneira que andava, os cabelos estavam presos e o seu perfil ao sentar-se para tocar. A jovem bailarina mordeu por dentro as próprias bochechas tentando se recompor dos pensamentos impuros que estava tendo, sequer ouviu aos comandos iniciais da professora e acabou por começar a sequência perdida com alguns segundos de atraso, mas logo recuperou-se, entrando no ritmo da música que a nova pianista tocava e seguindo as ordens que a professora proferia.

— Barriga para dentro, Verônica. Vamos, para cima. O seu quadril está torto, Nilton. Sete e oito. E um e dois e, quatro e cinco… Levante essa perna Carlos. Estabilize o pé de apoio, Katherine. Tendu, de novo. Alto! Eu pedi alto. Muito bem. Plié. Ombros para fora Alisson. Développé devant, subam. Força. Ah por favor, tenham força, mas mantenham os sorrisos. Graciosidade, leveza. Épaulement. Isso Natalie, muito bom. Articulem os pés. Muito bom, muito bom. E primeira e quinta. Dégagé derrière. Arabesque. Linhas muito boas, Sooyoung.

O primeiro tempo de aula durou o suficiente para que Sooyoung já começasse a se arrepender por ter exagerado e ficado sem dormir ou comer qualquer, mas todas as vezes, entre mudar de posição e virar-se de costa, posteriormente voltar a base inicial, os olhares trocados com a nova pianista a fazia manter a pose. Pausaram para hidratar e com esse intervalo, aproveitou para se aproximar de Hyunjin, se ela tinha aquela banana do início da aula, com certeza teria alguma outra coisa para comer. Aproveitou enquanto a garota estava mexendo em seus pertences em busca de sua garrafa de água e parou ao seu lado, como quem não quer nada.

— Hey, Hyunjin. Você por um acaso, não teria outra banana por aí? — perguntou assim que sua colega de classe a notou.

— Ainda tenho uma banana e uma maçã,  mas uma dessas frutas precisa ser de Jungeun, prometi alimentá-la hoje. —  respondeu sem se importar muito, pegando Sooyoung desprevenida pela casualidade recíproca. 

— Hm. Maçã, por favor. — recebeu a fruta em mãos e um sorriso de Hyunjin. — Obrigada, você está me salvando do meu estômago me consumir de dentro para fora. 

— Ah, de nada. Fico feliz em poder ajudar. 

— Mas hey, Hyunie, de onde você conhece a pianista? — o interesse era grande e a curiosidade era ainda maior, principalmente após saber que sua colega de classe conhecia a garota.

— Ela é ex namorada de uma amiga. — respondeu sem pensar muito, mas logo depois entendendo onde aquela conversa iria parar, resolveu adiantar o assunto. — Posso apresentá-las depois, se quiser.

O sorriso que surgiu no rosto de Sooyoung foi o suficiente para responder qualquer dúvida de Hyunjin sobre as segundas, terceiras e quartas intenções de Sooyoung para com a garota do piano. Aquela pausa foi o suficiente para que a mais alta das duas comesse a maçã, para a pianista se alongar e para Hyunjin hidratar-se. Quando as práticas começaram novamente, Ha Sooyoung estava mais disposta a continuar com os exercícios pedidos pela professora, que ainda circulava entre os alunos e apontava mais erros do que acertos.

No final da aula, todos estavam exaustos, alguns sentavam pelo chão na esperança de retomarem algum fôlego antes de partirem para as próximas aulas e, era isto que Sooyoung e Hyunjin estavam fazendo no momento. Ambas tomavam longos goles de água, na tentativa de repor o que haviam perdido durante a aula, mas parecia quase impossível. 

— Qual a sua próxima aula hoje? — Sooyoung tentava puxar assunto com a garota, não faria mal algum ter mais uma amiga, afinal, já eram colegas. 

— Acho que corpo e movimento? Não sei ao certo, mudaram a nossa grade esse semestre. — respondeu após mais um gole de água, mas logo buscara o isotônico na mochila. — Qual a sua?

— A minha também. Fiquei sabendo que metade da segunda turma desistiu.

— Sim, por isso vamos acabar tendo mais aulas juntas. — Hyunjin sorriu amigável para Sooyoung que retribuiu imediatamente.

— Uma droga, agora vou ter uma concorrente direta em todas as aulas? — provocou a mais alta, empurrando levemente os ombros da menor com os seus.

— Agora vamos ver quem vai receber mais estrelinhas de ouro no final do mês. — entrou na brincadeira.

— Talvez eu deixe você ganhar esse mês. — piscou para a garota que quase se engasgou com o líquido que bebia no momento. — Por favor, não morra. Ainda precisa me apresentar a nova pianista. — brincou.

E aquela foi a deixa para Hyunjin explodir em uma gargalhada sonora e deliciosa de se ouvir. Levantaram-se juntas, as mochilas na costa e o sorriso bobo no rosto pela recente aproximação, também caminharam juntas até a porta da sala e no meio do caminho a nova pianista juntou-se a elas.

— Cadê meu lanchinho, parceira? — a garota de rabo de cavalo e estilosa perguntou assim que esteve perto o suficiente da amiga.

— Você só me procura pra conseguir comida, tenho cara de restaurante universitário pra você? — Sooyoung segurou o riso e Jungeun, com a maior cara de pau do mundo, olhou para amiga e respondeu.

— Sim. — a vontade de Hyunjin era pegar a fruta e jogar bem no meio do rosto da garota, mas se contentou em balançar a cabeça em negação. Aquela era Jungeun e seu humor, nada poderia ser feito quanto a isso. 

A garota de cabelos escuros entregou a fruta a sua amiga de uma vez por todas e voltaram a caminhar, saindo daquela sala e ganhando os corredores do prédio. Naquele momento, tanto a área mais alta, quanto Hyunjin, sentiam o corpo doer pela sequência exigida com a primeira aula do dia. Com certeza apelaram para relaxantes musculares mais tarde. 

— Hey, você. — Jungeun se dirigiu a Sooyoung. — Você tem uma técnica incrível. A quanto tempo você dança?

— Ah, meu Deus, esqueci. Me deixa apresentar vocês… — Hyunjin um pouco envergonhada tentava consertar a situação.

— Relaxa, Hyunjin. Deixa comigo. — Sooyoung sussurrou a última parte. — Desde os onze anos. Me chamo Ha Sooyoung, satisfação em te conhecer. E você é uma excelente pianista. Não é sempre que a Roxana elogia alguém.

— Satisfação é toda minha. Você dança bem demais pra quem começou um pouco tarde. — e aquela era uma das verdades da vida. Muitas garotas e garotos naquela universidade, do departamento de dança,  praticamente deram os seus primeiros passos em aulas de dança, enquanto tinham seus três ou quatro anos de idade. Sooyoung não fora afortunada, mas isso nunca a impediu de ser dedicada ou conseguir alguns destaques por sua técnica. — Ao contrário do que você ouviu, eu não sou pianista, apenas faz parte da minha grade curricular. Estudo produção musical. — continuou Jungeun.

— Uau! Qual semestre?

— Gente, eu ainda estou aqui. — interrompeu Hyunjin chamando atenção das duas garotas que riram rapidamente da amiga.

—  Terceiro semestre. —  Jungeun respondera a pergunta e voltou-se para sua amiga. — Jinie, nós vamos sair essa noite, Haseul finalmente entendeu que já é maior de idade, então vamos comemorar, quer vir junto? O convite se estende a você também, Ha Sooyoung. — o sorriso que trocaram foi o suficiente para a garota mais alta entre elas não pensar duas vezes antes de dizer sim.

— Super topo. Você vai, Hyunie? — perguntara Sooyoung, claramente empolgada com aquela virada bem sucedida.

— Urgh, se eu não for, Haseul nunca irá me perdoar. — respondeu já sentindo todo o seu corpo ficar em alerta.

— Melhor impossível, quem sabe assim vocês finalmente não se beijam logo. — provocou a castanha fazendo a amiga tropeçar nos próprios pés chamando atenção das pessoas ao redor e fazendo Sooyoung rir alto.

— Você é uma grande filha da mãe, Kim! — exclamou em falsa irritação. — Nós somos apenas amigas.

— Espera, espera. Rola aquelas tensões de troca de olhares entre elas? — a Ha perguntou diretamente para a castanha, ainda tinha em sua expressão o sorriso divertido.

— O tempo todo. Você precisa ver. Hyunjin fica toda nervosa quando Haseul cumprimenta ela com beijinhos no rosto. 

— Contra fatos, não há argumentos, portanto, me manterei calada. — a bailarina pronunciou-se fazendo a nova amiga e Jungeun rirem de si. — Espero que engasguem com seus venenos. — murmurou sentindo o rosto ficar quente de vergonha.

— Pois essa noite, Hyunjin, nós vamos fazer esse barco andar. — uma Sooyoung empolgada passava o braço por cima do ombro de Hyunjin, atraindo os olhares da pianista para ela. — Inclusive o meu barco.

Mordeu o lábio inferior e sorriu ao notar que a garota que queria, acompanhou perfeitamente aquele movimento e agora retribuía com olhares luxuriosos o sorrisinho de canto que Ha Sooyoung mantinha.


 


Notas Finais


Teaser e Trailer Oficiais da fanfic: https://twitter.com/ethang9o/status/1289679422568558592?s=19
Link para a playlist no spotify: https://open.spotify.com/playlist/50HIkpf5xh0cIGMfI9ClJ2?si=sz5W_1oYRRGrvWY3EQCCKw

Vamos aos avisos:
Esta fanfic é recomendada para maiores de 18 anos, se você é de menor, leia por sua conta e risco.
As atualizações estão primeiramente agendadas para a cada duas semanas, mas isso pode mudar de acordo com o alcance que DoF pode vir a ter.
Os capítulos não serão em P.o.V, mas essa é uma decisão que pode mudar caso vocês prefiram narração em pov especifico.
Os casais aqui, serão completamente diferentes do que já estão acostumades, confiem em mim, vai ser legal.
A playlist será alimentada a cada capítulo, para conter músicas do capítulo em especifico, mas neste primeiro momento, ela já contem músicas deste capítulo e do seguinte para vocês já entrarem no clima.

Se eu lembrar de mais alguma coisa, posto na próxima atualização.
Obrigado a todes desde já.

P.s.: Surtem comigo lá no twitter, juro que sou legal xD @/ethang9o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...