História Dream so far away - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Romance, Taehyung
Visualizações 121
Palavras 2.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo saindo do forno. Espero que gostem e comentem... please!
Amo vocês!
<3

Capítulo 22 - Perdão...


Fanfic / Fanfiction Dream so far away - Capítulo 22 - Perdão...

S/N tentava se soltar de Taehyung, pois estava apavorada com medo de que Hyun-Joong atirasse nele, mas ele a mantinha atrás de seu corpo. O cão olhava de seu dono para o casal, parecendo confuso.

S/N:_ Tae! – protestou tentando se soltar, mas a mão grande segurava seus pulsos com força.

Hyun-Joong:_ Não pretendo machucá-la. S/N, vem até aqui!

Taehyung:_ Você não vai chegar perto dela!

Hyun-Joong apontava a arma para o peito de Taehyung.

Hyun-Joong:_ Solta ela!

Taehyung:_ Não! – ele respirou fundo. – S/N, quando eu te soltar, corra! O máximo que você puder!

S/N:_ Não! – ela gritou. - Tae! Por favor... – ela começou a chorar.

Hyun-Joong hesitava em atirar, com medo de atingi-la também. Ele deu alguns passos ameaçadores em direção ao casal e S/N gritou desesperada. O cachorro, ao sentir o pavor da moça, atacou o braço de Hyun-Joog, fazendo-o derrubar a arma. O grito de dor do homem ecoou no parque vazio. Taehyung aproveitou para puxar S/N, correndo em direção ao portão.

Taehyung:_ Vem, amor! Corre!

S/N sentia seu coração bater como louco. Hyun-Joong conseguiu se desvencilhar do cachorro e pegou a arma novamente, atirando na direção deles. Taehyung notou que o tiro tinha atingido o portão, mas não parou de correr.  

O casal se assustou quando os portões do parque se abriram e vários policiais entraram armados. Um deles deu um tiro para o alto, em sinal de aviso. Um homem puxou S/N pelo braço, jogando-se com ela no chão, protegendo-a com o próprio corpo, enquanto outro puxava Taehyung para que ele se abaixasse.

Hyun-Joong se assustou e jogou a arma no chão, erguendo as mãos para o alto. O policial leu os direitos dele e o algemou. O policial soltou Taehyung para que ele se sentasse e só aí ele percebeu quem era seu salvador.

Siwon:_ Você está bem? – perguntou para o rapaz.

Taehyung:_ Eu estou bem, obrigado, sargento Siwon. – ele olhou para o lado. - S/N...

S/N estava no chão, próxima a ele. Taehyung se levantou, estranhando o modo como o policial abraçava a moça, passando a mãos nos cabelos dela. S/N o empurrou pelos ombros, se desvencilhando dele com o olhar assustado. Ela correu até Taehyung e o abraçou. Ele acariciou o rosto dela.

Taehyung:_ Você está bem?

S/N:_ Sim. – ela fechou os olhos, apertando com força os braços em volta dele.

Taehyung a apertou em seus braços. – Acabou, amor. O pesadelo acabou. – sussurrou contra os cabelos dela.

Pai de S/N:_ S/N...

Ela ficou tensa nos braços de Taehyung e o mesmo percebeu.

S/N:_ Não... por favor. – ela sussurrou com voz trêmula, se virando para encarar o homem.

Taehyung não estava entendendo a situação, notou que os dois se conheciam, mas manteve o braço sobre os ombros dela, numa atitude protetora instintiva. Ele não sabia quem era aquele homem. Só sabia que ele estava com os policiais, sabia o nome dela, estava armado, mas não usava nenhum uniforme.

Pai S/N:_ Filha... por favor.

Taehyung arregalou os olhos surpreso. Então esse é o pai dela, pensou.

S/N:_ Me deixa em paz!

Ela puxou Taehyung pela mão, saindo do parque. O cão se aproximou dela, lambendo sua mão e fazendo festa com ela, alheio à tensão do local.

Sargento Siwon se aproximou do pai de S/N.

Siwon:_ Mais tarde o senhor conversa com ela. A sua filha passou por um trauma muito grande. Está abalada, talvez machucada.

O homem concordou com a cabeça, o rosto triste.

Siwon:_ Vamos embora, precisamos levá-los ao hospital. – disse se voltando para Taehyung.-  Que cachorro é esse?

Taehyung acariciou o animal.

Taehyung:_ Esse grandão salvou minha vida, sargento.

Siwon:_ Sério?

Taehyung:_ Sim. Ele atacou o braço do dono dele quando ia atirar em mim.

Siwon olhou espantado para o cão.

Siwon:_ Uau! Bom trabalho, garoto! – ele também acariciou a cabeça do animal.

Taehyung:_ Não podemos deixá-lo para trás. Agora ele não terá quem possa alimentá-lo.

Siwon:_ Acho que temos um lugar para esse herói no canil da policia. – ele chamou um de seus homens e mandou que levasse o cachorro para Seul com eles.

****************************************

Duas horas mais tarde, Seul...

S/N estava sentada na cama do hospital, o olhar perdido na janela do quarto. Ela olhou para a agulha do soro que a enfermeira removia de seu braço.

Enfermeira:_ Pronto, agora já está medicada e hidratada. Se a senhorita precisar de qualquer coisa, é só me chamar. Acredito que logo o médico lhe dará alta.

S/N:_ Obrigada.

A cama vazia ao seu lado aguardava Taehyung, que estava tirando radiografias da cabeça, por causa do ferimento feito pela coronha da arma.

Alguns minutos depois S/N ouviu barulhos vindos do corredor. A porta se abriu e Junsu entrou trazendo Sun-Hi no colo. S/N começou a chorar ao ver a menina. O irmão colocou a menina no colo dela. Ela abraçou a filha.

Junsu:_ É muito bom te ver de novo irmãzinha. Você nos deu um baita susto!

Sun-Hi:_ Não “chola”, mamãe. Você tá doente?

S/N sorriu para a menina, em meio às lágrimas.

S/N:_ Eu estou bem, meu amor. Agora está tudo bem.

Junsu se sentou na beirada da cama. Ele pegou a mão da irmã.

Junsu:_ Você deve imaginar quem está querendo te ver, não é?

S/N desviou o olhar do rostinho da filha e encarou o irmão.

S/N:_ Sim, eu sei. Eles não estão aqui, estão?

Junsu:_ Não. Eu os convenci a esperar no meu apartamento.

S/N:_ Ainda bem.

Junsu:_ Dê uma chance a eles, mana. Por favor.

S/N:_ Não estou preparada para lidar com isso agora, Jun-oppa.

S/N baixou os olhos. Ele ia retrucar quando ouviram batidas na porta. A porta se abriu e eles viram um enorme biquet de flores. Ela sorriu quando viu quem estava atrás do arranjo. Junsu olhou para o belo homem, tentando se lembrar de onde o conhecia.

Jaejoong:_ Como vai minha modelo preferida? – ele perguntou sorrindo para ela e se aproximando da cama. – E você, Sun-Hi, dá um beijo no tio?

A menina beijou o rosto dele.

S/N:_ Eu estou bem. – ela se voltou para o irmão. – Junsu, esse é meu chefe, Kim Jaejoong, da grife Gucci. Jaejoong, esse é meu irmão, Junsu.

Os homens apertaram as mãos. Pouco tempo depois a enfermeira trouxe Taehyung de volta para o quarto.

Taehyung:_ Eu sabia que não podia deixar S/N sozinha. Já tem um gavião em cima dela. – brincou com Jaejoong.

Jaejoong riu e abraçou o rapaz. Sun-Hi quase se jogou da cama ao ouvir a voz dele.

Sun-Hi:_ Tae!

Taehyung se aproximou e pegou a menina, abraçando-a e beijando seu rosto.

Taehyung:_ Meu amorzinho, eu senti tanto a sua falta!

Jaejoong:_ Nunca mais nos dêem um susto desses! Acho que envelheci uns 10 anos!

S/N:_ Você continua maravilhoso como sempre, Jaejoong!

Taehyung:_ S/N!

Ambos riram do ciúme dele.

Junsu se voltou para Taehyung.

Junsu:_ É bom ver você bem, cunhado. Acredito que seu chefe já esteja a caminho pra te buscar.

Taehyung:_ Eu espero que sim.

***************************************

As visitas aos poucos foram embora. O sargento Siwon veio pegar o depoimento inicial dos dois e depois foi embora. Só ficaram no quarto, Taehyung e S/N com Sun-Hi e Bang Si-Hyuk. Junsu saiu do quarto para se informar sobre a alta do casal e se deparou com seus pais, esperando no corredor.

Junsu:_ Pai, mãe, combinamos que esperariam em casa.

Pai S/N:_ Sua mãe não quis, filho, e me pediu que a trouxesse. Ela não vê sua irmã há quase três anos, por minha culpa. Não pude negar.

Mãe S/N:_ Filho... eu preciso pelo menos ver o rosto da minha menina, por favor...

Junsu sentiu pena da mãe. Ele suspirou.

Junsu:_ Tudo bem. Esperem aqui, vou falar com ela.

Ele entrou no quarto novamente.

Junsu:_ S/N...

Ela se voltou para o irmão. Já tinha trocado de roupa e aguardava apenas a alta para ir para casa.

S/N:_ Aconteceu alguma coisa? Você voltou rápido demais.

Junsu:_ Nossos pais estão aí fora.

Taehyung percebeu que ela ficou tensa e apertou a mão dele que segurava.

S/N:_ Jun...

Junsu a interrompeu.

Junsu:_ Minha irmã, eu respeito todo o sofrimento pelo que passou há três anos. Mas hoje você tem a Sun-Hi. Imagine se, por um erro seu, ela nunca mais quisesse te ver. Como você ficaria?

S/N baixou os olhos, uma lágrima correu por seu rosto. Junsu se aproximou e se sentou na cama ao lado dela, abraçando-a pelos ombros.

Junsu:_ Maninha, eu falo com conhecimento de causa. Eu acompanhei de perto o sofrimento deles durante os dois últimos anos. Não houve um só dia em que nossa mãe não rezasse pra que você estivesse bem, rezasse pra te ver de novo. Não houve um só dia que nosso pai tenha deixado de te procurar.

S/N:_ Eles não iam me encontrar, pois a casa onde moro está no nome da minha vizinha. Eu alugo alguns cômodos ao lado da casa dela. E meus empregos eram todos informais, sem registro.

Junsu:_ Eu te peço, dê uma chance a eles...

S/N suspirou e olhou para Taehyung, que ouvia a tudo calado. Sun-Hi tinha adormecido no colo dele. Ele a colocou deitada na cama e voltou para junto de S/N.

Taehyung:_ Amor, chega de sofrer... Eu sei que você também sofre com a ausência deles.

S/N ia responder quando ouviram batidas na porta. Junsu abriu e sua mãe entrou. S/N se levantou da cama e a mãe se aproximou cautelosa. Bang Si-Hyuk aproveitou para ir cuidar da alta de Taehyung e Junsu o acompanhou para cuidar da papelada da irmã.

S/N:_ Omma...

A mãe começou a chorar e a abraçou. S/N apertou os braços em volta da mãe, também chorando. O pai de S/N abraçou as duas. Taehyung se afastou, com a intenção de sair do quarto, para dar privacidade a eles.

Pai S/N:_ Por favor, fique rapaz. Me perdoe, mas não sei seu nome.

Taehyung parou com a mão na porta.

Taehyung:_ Meu nome é Kim Taehyung, senhor.

O pai de S/N se aproximou dele e estendeu sua mão. Taehyung retribuiu o aperto de mão e o pai de S/N se curvou.

Pai:_ Quero agradecer por tudo o que fez por minha filha. Por ajudá-la quando mais precisou e por salvar a vida dela. Muito obrigado.

Taehyung:_ Eu não fiz nada de mais, senhor.

Mãe S/N:_ Você se colocou na frente de uma arma por nossa filha. Sargento Siwon nos contou.

Taehyung baixou os olhos, envergonhado. S/N enxugou os olhos e sorriu.

S/N:_ Ele é meu anjo da guarda, omma.

A mãe de S/N também veio cumprimentá-lo.

Mãe S/N:_ Você é muito bonito.

Taehyung:_ Obrigado...

Mãe S/N:_ Eu quem agradeço por ficar ao lado da minha menina depois do acidente, por cuidar da minha neta, e por tentar proteger S/N daquele maníaco. Não temos como agradecer o que fez.

Taehyung:_ Eu faria tudo novamente, senhora. – ele olhou para S/N e depois se voltou para o pai dela. – Por falar nisso, preciso pedir a permissão de vocês para nosso namoro. Me perdoem. Eu não pude pedir antes, mas...

Pai S/N:_ Não se preocupe com essas formalidades. Sabemos que as circunstancias não permitiram, mas confio na S/N. E pelo que sei, ela não poderia ter feito melhor escolha. Vocês têm a minha benção.

S/N abraçou o pai. Taehyung sorriu.

S/N:_ Obrigada, aboji.

Sun-Hi acordou e ficou em pé na cama, abraçando Tae pelas costas e pegando o cabelo dele.

Sun-HI:_ Meu Taetae.

Taehyung riu e a pegou, beijando a bochecha rosada e fazendo cócegas na menina, que começou a rir. A mãe de S/N olhava a cena, encantada.

***************************************

  BigHit, quatro da tarde, sala de práticas...

Namjoon:_ Jimin! Dá pra você se concentrar, por favor?

Jimin:_ Desculpa, hyung. Eu não consigo!

J-Hope:_ Não adianta. Ele só vai se concentrar depois de ver o Tae.

Jin:_ Na verdade eu também não estou afim de ensaiar agora.

Suga se deitou no chão, fechando os olhos.

Suga:_ Desista, Nam. Ninguém vai dar cem porcento de si enquanto não ver aquele pestinha bem.

Jungkook:_ Por que ele está demorando tanto?

O coreógrafo se aproximou dos rapazes.

Coreógrafo:_ Ok, ok, vocês venceram. Não vou conseguir segurar a atenção de nenhum de vocês. Folga até amanhã. – os rapazes comemoraram. – Mas... amanhã terá duas horas a mais de ensaio para compensar.

Jin:_ Ah, não... Hyung!

Taehyung:_ Ah, não! Você só pode estar brincando, hyung!

Os rapazes se voltaram para a porta.

Jimin:_ Tae!

Ele correu para abraçar o amigo. Todos correram até ele, literalmente amassando o rapaz em meio aos abraços. Jimin e Jungkook começaram a chorar, lágrimas quentes escorrendo pelos rostos dos dois. J-Hope enxugou uma lágrima furtiva.

Taehyung:_ Ah, não! Podem parar senão eu vou acabar chorando também!

J-Hope:_ Bem vindo de volta, Tae.

Taehyung:_ Obrigado, hyung. Senti muita falta de vocês.

Suga:_ Você sabe que isso aqui não é a mesma coisa sem suas maluquices. – ele bagunçou os cabelos do mais novo. – Bem vindo de volta.

Jungkook deu um soco no braço dele.

Taehyung:_ Aiii! O que deu em você?

Jungkook:_ Por que você demorou tanto pra voltar?

Taehyung:_ Eu fui ver meus pais no hotel. Afinal, eles vão voltar hoje pra Daegu hoje e eu não os via há meses.

Jungkook:_ Ok, está perdoado.

Taehyung devolveu o soco, arrancando risos dos demais.

Continua...


Notas Finais


Aguardando ansiosamente por comentários... Eles fazem essa humilde escritora muito feliz!

Fiquem de olho nas minhas outras fics e imagines...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...