1. Spirit Fanfics >
  2. Dreams >
  3. Capítulo 6

História Dreams - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


oiie amorees, como estão?
fiquei sem energia e sem internet novamente ontem mas graças a Deus hoje chegou.

Aqui tá mais um ❤️

Capítulo 6 - Capítulo 6


Jorge Blanco.

Voltei pra casa feliz da vida, esses últimos dias de folga estavam me fazendo muito bem, tive a oportunidade de fazer coisas como uma pessoa normal com uma vida normal.

Esmeralda: filho? chegou tarde hoje - disse assim que entrei em casa

Jorge: tava ajudando uma amiga mãe, desculpa - ela me olho duvidosa mas não perguntou nada - vou subir para tomar um banho e desço pra gente jantar ok?

Esmeralda: vai lá

Jorge: aliás, cadê o pai e a Bia?

Esme: seu pai foi buscar a Bia na casa da amiga dela, tá voltando já - beijo sua cabeça e subo para o meu quarto.

Ligo o chuveiro e entro debaixo do mesmo sentindo as gotas de água morna escorrer por todo o meu corpo.

Minutos depois desço já arrumado encontrando meus pais e minha irmã na mesa.

Jorge: oi princesa - beijo sua bochecha e ela passa os braços gordinhos ao redor do meu pescoço

Bia: você sumiu esses dias ,nem brincou comigo - faz bico me fazendo rir. Bia é especialista em amolecer o coração das pessoas.

Jorge: a gente faz assim, brinca um pouco hoje e quando eu voltar eu prometo te levar pra passear ok? vai ser um dia só nosso - ela sorri e grita "Eba" comemorando.

Carlos: já vai amanhã cedo filhão?

Jorge: sim, sair umas sete horas amanhã. Tenho show amanhã a noite e no domingo no Brasil

Esme: quer ajuda para fazer a mala?

Jorge: não precisa mãe, eu termino rapidinho

Depois do jantar e de brincar de boneca com a Bia, fiz minha mala colocando as principais coisas para passar uns quatro dias fora e cai na cama dormindo rapidamente.

No outro dia acordei mais cedo do que esperava, seis e quinze. Tomei meu banho, fiz meu café e arrumei minha cama. Todo mundo ainda dormia, então só fiz me despedir brevemente dos meus pais e beijar a testa da Bia enquanto ela dormia.

Dirigi para a casa da Martina às sei e cinquenta e dois, apesar de ser um pouco perto. Cumprimentei o porteiro que me deixou subir, já que ele me viu aqui ontem quando entrei e sai do apê dela.

Foi muito bom ter um momento sendo apenas um ser humano normal, o Leon que gosta de brincar, de assistir, de fazer coisas normais. A minha carreira e minhas fãs são tudo pra mim. Eu amo o que faço e com quem faço mas as vezes você sente falta da privacidade, de ter um tempo só pra você, fazer o que quiser como pessoas normais.

E ontem, quando eu voltei a fazer isso com uma pessoa tão simples foi mágico. A ajudei a fazer a mala, a arrumar algumas coisas do quarto (vale lembrar que as vezes fazia uma baguncinha para tirar onda também) a ajudei na louça do jantar que ela fez. Foi ótimo!

Subi para o seu andar, o sexto, e apertei a campainha do quarto 46. Eram sete e quinze no meu relógio, quinze minutos a mais ou a menos não faz mal a ninguém, não é?

Segundos depois ela abriu e me olhou duvidosa me fazendo rir.

Tini: não me diz que já são sete e meia? - ela estava toda arrumada ao meu ver. Com uma calça com alguns rasgadinhos jeans clara, e uma regata preta com um casaquinho branco por cima, e um tênis rosinha nos pés.

Sua maquiagem estava bem fraquinha, como sempre, e um gloss lindo nos lábios.

Jorge: desculpa - ri - cai da cama hoje e quis vim um pouco mais cedo. Péssima ideia? - arqueio as sobrancelhas

Tini: não - ri e da espaço para eu entrar - só falta eu tomar café - a mesa estava posta com uma torrada, um copo de iorgute e ovo mexido - você quer?

Jorge: eu já comi - fico a observando comer e a ajudado a arrumar as coisas. Depois fomos direto para o aeroporto onde o André já nos esperava no estacionamento com a Van para podermos ir para o jatinho. Deixei meu carro ali, combinei com o meu de depois ele ir buscar com a chave reserva que ele tem.

Antes de entrar na van atendi algumas meninas que estavam na portaria para me ver e fomos para o jatinho.

Percebi o olhar curioso da Martina assim que ela entrou no jato, observando tudo. Sentei na última poltrona e a chamei para sentar do meu lado, ocasionando alguns sorrisos maliciosos dos meus amigos. Crianças!

Tini: você está bem? - saio do transe com a sua voz. Olho pela janela e percebo que já estávamos decolando.

Jorge: tava pensando, desculpa - ri - e voce?

Tini: um pouco nervosa - sorri amarelo

Jorge: mas não é a sua primeira vez voando, né? - nega

Tini: com vocês é - agora entendi seu nervosismo. Apesar de tudo ela ainda me bia como um ídolo, ela era minha fã e estava nervosa por isso.

Jorge: não precisa se preocupar - pego sua mão e a encaro nos fundos de seus olhos. Ela sorri e boceja colocando a mão na boca - você tem que dormir - ri baixinho

Tini: vai demorar?

Jorge: um pouquinho, deita, fica mais confortável para você - ela me olha duvidosa mas concorda. Retira o cinto e deita apoiando a cabeça no meu colo, pego o meu casaco que está na bolsa de emergência e coloco nas suas pernas, de fato o ar tá gelado - quando tiver chegando eu prometo que te chamo - ela fecha os olhos e fico observando-a dormir.

Sua respiração fica pesada rapidamente. A Clara, minha acessora, se aproxima de mim sorrindo e me entrega mais um cobertor.

Clara: se precisar de mais um me avisa - sorrio agradecendo e ela volta para sua poltrona ao lado do Maxi.

Observo Martina dormindo novamente e é impossível não sorrir com o seu rosto sereno. Retiro meu casaco e coloco o cobertor por todo o seu corpo com o maior cuidado do mundo para não acorda-la.

Ela se mexe um pouquinho mas não acorda me fazendo rir. Tiro uma foto sua no meu celular e fico acariciando seus cabelos observando as nuvens pela janela.

(...)

Acordo com o barulho do avião pousando, olho para o meu colo e ela ainda continuava ali dormindo serenamente.

A equipe desceu primeiro restando apenas eu e ela ali. Eu não tava com coragem de fazer aquilo mas era preciso, não é?

Jorge: ei pequena - sussurro acariciando sua bochecha rosada - já chegamos - ela se mexe um pouco e abre os olhos com dificuldade - acabamos de chegar

Tini: já? - ela se levanta de uma vez me fazendo rir

Jorge: já, você dormiu a viagem toda

Tini: e você?

Jorge: eu também, acordei agorinha - ela olha ao redor procurando o pessoal - eles já desceram e já tiraram nossas coisas, vamos?

Tini: suas fãs estão aí?

Jorge: não sei - sorrio - vamos descobrir agora - desço do jato e já começo a ouvir gritos

André: pode atender sem pressa, você não tem nada a não ser o show mais tarde, e lembra que tem que descansar também

Jorge: beleza, cuida dela pra mim? - aponto com a cabeça para Violetta que estava conversando com a Angie. Ele concorda e vai

Me aproximo das meninas e começa o chororo. Tinha mais ou menos umas vinte pessoas apenas, deu para atender todas direitinho. Abraçar cada uma, conversar, ouvir o que elas tem a dizer, dar autógrafos, tudo.

Após quase uma hora chegamos no hotel, já eram duas e vinte da tarde e nem tínhamos almoçado ainda. Eu e a Martina subimos, a deixei no seu quartoque propositalmente era de frente para o meu.

Tomei um banho demorado e bati na porta do seu quarto, ela saiu com os cabelos molhados e já vestida.

Jorge: vamos almoçar? a gente não comeu nada desde que saímos

Martina: lá embaixo? - concordo - vamos, eu ainda tenho que falar com o maxi para saber o que fazer exatamente e você tem que descansar

Jorge: dá tempo, o show só é as dez horas da noite - ela concorda e nós decemos. Ficamos conversando e comendo por mais ou menos meia hora até subirmos - por favor vai

Tini: não quero te atrapalhar

Jorge: juro que não vai - estava implorando para ele ficar comigo no quarto. Primeiro não queria ficar só e segundo que a companhia dela é ótima. Ela me olha duvidosa e eu faço bico.

Tini: tá - ergue as mãos para cima em sinal de rendimento - você venceu - sorrio todo bobo e a puxo para dentro do meu quarto - mas lembra que você tem que descansar

Jorge: prometo que vou depois - a puxo pra cama - vou colocar algo na tv, qual sua série preferida?

Tini: greys Anatomy - fala animada me fazendo rir - coloca a nova temporada, ainda não assisti - e assim faço

Jorge: nunca tive tempo para assistir uma série, acho que essa é a primeira - deito do seu lado nos cobrindo com o lençol e ligando o ar condicionado

Tini: então coloca fo primeiro episódio para você começar direito - ela pega o controle e coloca ela mesma.

Começamos a assistir o primeiro episódio de tudo, o qual a doutora lá vai trabalhar pela primeira vez no hospital, sendo que o um dia seus "chefes" é o cara com quela transou na noite anterior. Isso que eu entendi até agora.

Assistimos quatro episódios e confesso que aquela série é muito boa, já gostei. Olho para o lado e a encontro com os olhos fechados e toda encolhida, ela dormiu, penso me fazendo sorrir.

A cubro com o edredom até o seu pescoço e fico passando a mão no seu cabelo, que está muito cheiroso por acaso. Ergo minha cabeça para cheirar sua cabeça para guardar aquilo para mim. Como essa mulher tá mexendo tanto comigo?

Desde o primeiro dia quando as meninas me falaram que ela era minha fã eu fiquei surpreso, não pelo fato dela ser mas pelo fato dela ter ficado com vergonha de mim com todas as circunstâncias. Quando a Cande e a Mechi armaram para cima da gente na noite da festa eu não fiquei com raiva, mas sim feliz e não me perguntem o porquê.

Nessa primeira semana eu me senti como nunca, tendo uma amiga de verdade, não sei nem se ela me considera um amigo mas vocês entenderam né.


Notas Finais


eu vou ser muito babona com essa fic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...