História Dreams (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Gukk, Jeon Jungkook, Kook, Magia, Romance, Sonhos
Visualizações 47
Palavras 1.832
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nenis estou de volta, espero que gostem, faço com muito amor e carinho...
Boa leitura...

Capítulo 4 - Capitulo Quatro; Plano errado


Fanfic / Fanfiction Dreams (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 4 - Capitulo Quatro; Plano errado

Já se passaram três dias, mas, meu sonho sempre vem incompleto e isso me cobre de angustia. Respiro, e olho para minhas anotações, tudo que meu sonho mostra, é a garota se afastando de alguém, em seguida ela simplesmente cai da janela, mas por quê?

- Aqui está seu café, senhorita! - confirmo, e pego a xícara e beberico um pouco do meu café.

Não aguentava mais isso, esses sonhos, passei esses últimos tempos, rezando para que isso tudo fosse embora, e que pudesse voltar a ter minhas noites tranquilas. No entanto, agora quando decide que finalmente, vou assumir minhas responsabilidades, eles não vem mais como antes? Ou é por que essa história é realmente incompleta? Não, o endereço não esta claro para mim. Termino de beber meu café, e olho para a porta do estabelecimento, engolindo em seco, assim que vi a pessoa que entrou. Era ele, o babaca, pelo qual arrisquei minha vida, ele está falando no celular, e nem mesmo me notou, apenas se sentou na cadeira há minha frente.

Pego minha bolsa e confirmo se sua carteira está ali, por alguns momentos, cogitei seriamente de pedir ajuda para ele, se ele é tudo isso com toda a certeza, pode me ajudar. Me levanto, porém, paro no mesmo segundo, quando ouço o que ele diz ao telefone.

- Já disse cara, sonhei com isso... E realmente não entendo... Claro que não estou louco, seu idiota. - praticamente grita, me sento novamente, sei que é fora das regras da conduta ouvir conversas dos outros, mas nesse momento o que não me importa é a ética. - Olha, eles antes vinham completos, dava para ver rostos nítidos, endereço, desfecho. Entretanto, meu último sonho é esquisito. 

Poderia ser que esse cara... Não. Existe mesmo tal coisa. Mas por que justo ele? Ah, o que diabos estou perguntando, olha minha situação.

Preciso saber, o que esse cara sonha, e mais ainda quero ter certeza se vou poder contar com a ajuda dele. Agora, como vou fazer isso? Atrapalhando minha linha de raciocínio, vejo ele se levantar, e pegar um café para viagem, em um pensamento rápido decido segui-lo, deixo que primeiro ele saia do estabelecimento, e em seguida faço o mesmo. Por incrível que pareça, o tal do Jeon não está de carro. o que vai facilitar ainda mais a minha vida, porque assim posso segui-lo com mais cautela.

Ele segue pela rua, com uma das mãos no bolso da jaqueta, enquanto a outra segura seu copo de café. Respiro fundo. O rapaz entra em um beco, o que me deixou intrigada de início, no entanto, não posso me dar ao luxo de perde-lo de vista. Entro também. Porém, meu corpo vai de encontro a parede, sinto uma dor enorme em meu braço, e daí noto que tem alguém me segurando, sem nem um pouquinho de dó ou piedade.

- Por que está me seguindo, sua inútil? - fala com um tom de voz irritado, engulo em seco. - É muda, idiota?

- Vamos parando com a ofensa, seu idiota. - o mais velho aperta ainda mais meu braço. - Ai, ai.. Me solta idiota.

- Vai dizer por que esta me seguindo ou não? - esse cara não é do bem, ele está levando muito a sério isso.

- Tá me desculpa, ok? Não foi minha intenção te seguir. - minto da cara de pau. - Queria apenas te entregar sua carteira, seu mal agradecido! - reclamo.

- É? E Onde você encontrou ela, porque pelo que eu esteja sabendo eu perdi ela quando... - Jeon  para de falar no mesmo instante, e solta meu braço, me virando defronte 'pra ele. -0 Então é você sua...

- Pode parar por um segundo? Já pedi desculpa por aquele dia, quer que me ajoelhe por acaso? - pergunto com deboche, mas após ver o sorriso cínico que se formou em seus lábios, me xingo mentalmente. - Não inventa

- Cala a boca, e me dá minha carteira, e vê se some é nunca mais apareça na minha frente novamente, porque não vou garantir que vou ser tão gentil assim! - fala sério, estende a mão para que eu lhe entregue seu objeto pessoal.

- Se isso é sua gentileza, sinceramente não quero te ver bravo. - digo irônica, entrego a carteira 'pra ele.

O mais velho não responde nada. Quando ele ia saindo, decido cometer o auge da minha burrice, seguro seu pulso; "Me lasquei" foi a única coisa que veio na minha cabeça neste momento.

- Inferno, não toca em mim, o que tá querendo, garota? Quer minha atenção? Tudo isso é para dormir comigo. - sinto minhas bochechas esquentarem de tanta vergonha.

'Tá eu não sou nem um bebezinho inocente, no entanto, um estranho me falar isso, é no mínimo constrangedor. Respiro fundo, não podia me exaltar, todavia já percebi que ele não passa de um idiota egocêntrico, e pensar que arrisquei minha pobre vidinha por esse energúmeno.

- Vai sonhando. - respondo soltando seu pulso. - Preciso conversa com você, um assunto sério, então te peço apenas alguns minutinhos da sua vida, por favor? - ele parece me analisar um pouco.

- Ok, me encontra hoje a noite, nightclub às 22:00, é melhor você ser pontual garota. - dito isso ele me dar as costas e sai.

Solto o ar que eu nem mesmo percebi que havia prendido. Me recosto na parede por alguns segundo; "Seria tão mais fácil se você estivesse aqui, meu amor", novamente minha mente faz questão de me envolver em mais lembranças, tais não quero esquecer, porém, também não quero lembrar, porque ainda dói muito. Decido ir ao trabalho, mesmo sabendo que vai ser impossível por minha cabeça para funcionar, com tantos pensamentos ruins me rondando, só tenho uma única chance, sinto que o único que pode me ajudar é esse cara, e tenho que convencer ele disso, nem que para isso precise segui-lo e descobrir algo ruim em sua vida, pois não vou medir esforços para ajudar aquela menina.

[***]

Entro na boate, desejando a todo custo esganar esse homem, como pode alguém escolher um lugar desses para uma conversa séria? Ele só pode tá zoando com minha cara, de longe avisto ele sentado, e uma garota em seu colo, beijando toda a extensão do seu pescoço. Sorrio de lado.

- Nem precisei segui-lo, e já tenho como chantagear ele! - sussurro, caminho até lá. - Bom, seria importante, eu não ter que ver pornografia, enquanto converso com você. - ele revira os olhos e tira a garota do seu colo.

- O que é? Quer sentar aqui também. - fala passando suas mãos sobre as coxas. - Se quiser, fique à vontade, você nem é tão feia mesmo.

- Ridículo, crítica disfarçada de elogio. - me sento à sua frente. - Eu sei que você sonha coisas estranhas, e não adianta dizer que não, você sabe tão bem quanto eu, que eles são reais. - seus olhos se arregalam no mesmo instante, o que me faz rir de canto. 

- Você é louca, o que é, fugiu do manicômio ? - se levanta, porém o seguro.

- Não fuja como um covarde, não adianta dizer que estou louca, pois se estou, você também está?

- Que maluquice é esta? Por acaso bebeu antes de vir aqui? Saia por conta própria, ou mando os seguranças te levarem. - Jeon afirma convicto de que isto iria me por medo, no entanto, já passei por coisas piores sendo uma repórter.

- Então, se é assim! Seguranças, levem essa louca daqui... - grita chamando a atenção de um dos "armários" ali presente.

- Não te atormenta, saber que você pode ajudar as pessoas, e mesmo assim prefere vê-las morrer? - apelo para sua moral. - Você é promotor, ou policial.. Sei lá, mas no mínimo deveria ter o bom senso. - vejo ele revirar os olhos, e beber um pouco do seu drink.

- Escuta aqui, garota, você não sabe nada sobre mim, então fique calada. - o segurança segura meu braço e começa a me puxar para fora. - E não me importa nem um pouco, quem morre ou deixa de morrer. Isso não é dá minha conta.

- Posso não saber tudo sobre você, no entanto, o pouco que sei já deu 'pra notar, que você é um covarde que só pensa em si mesmo.

Como esperado, este homem não tem nem um pouco de amor ao próximo, nem mesmo apelar para seu lado moral ajudou, e agora o que faço? Pego o pequeno caderninho, que estava usando para anotar detalhes do sonho, dentro da bolsa, analiso novamente meu pequeno relatório, com isso que tenho em mãos dá apenas para saber que esse acidente será a noite, mas qual noite? Qual prédio?

Fico ali encostada na parede da boate, esse cara precisa me falar o que sonhou, nem que para isso eu tenha que sequestrar ele e obrigar que fale, respiro fundo.

[***]

Já são duas da manhã, e nada daquele bastardo, suspiro frustrada.

- Oppa, que delícia. - fala uma garota saindo da casa noturna, ao notar quem está em seus braços reviro os olhos.

- Querido, então quer dizer que é aqui que você está? - falo fingindo uma voz de choro. - Te esperei acordada a noite toda. - sorte que estudei teatro quando mais nova, as lágrimas de "crocodilo" começam a cair, me aproximo mais ainda, segurando agora o braço do Jeon que me olha cheio de raiva. - Quer dizer que depois que engravidei, você não me deseja, o que te fiz, amor? Estou carregando nosso bebê...

- En-então.. Seu cretino! - grita e dá um tapa na cara de Jeon. - Você ia se divertir comigo, enquanto sua esposa estava te esperando em casa, grávida, seu hipócrita, até a aliança você tirou. - a garota grita ainda mais alto, e sai dali cheia de raiva.

Sinto um arrepio percorrer por todo meu corpo, quando meu olhar se encontra com o seu, a fúria estava estampada não só na sua cara, como também em todo seu corpo. Engulo em seco. Agora realmente não sei se dou graças ao seu por ter dado certo, ou se saio correndo.

- Então, meu amor, você estava me esperando a noite toda? - pergunta sarcástico, se aproximando ainda mais de mim, de forma inconsciente começo a me afastar dele. - Que isso, querida, eu jamais perderia o interesse em você, apenas por estar carregando um filho meu, venha, vamos para casa, hoje eu cuido melhor de você.

Sua mão se envolve em meu pulso, o apertando com força, ele abre a porta do seu carro, praticamente me lançando lá dentro em seguida, o que me fez engolir seco, seu olhar era te completa raiva. Estou ferrada, completamente ferrada, vejo o mais velho entrar no carro e em seguida liga-lo, seguindo para Deus sabe lá onde. É a primeira vez depois daquele acidente, que sinto tanto medo.


Notas Finais


EITA, ACHO QUE O JEON FICOU MUITO BRAVO...
Vamos torcer para que ele não faça nada....
Obgd todos que estão me acompanhando, ficou muito feliz,,....
E até o próximo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...