1. Spirit Fanfics >
  2. Dreams ; Tsukkiyama >
  3. Capítulo único.

História Dreams ; Tsukkiyama - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é uma fanfic que escrevi originalmente no wattpad, mas decidi trazer para cá também. Aproveitem a leitura. :)

Capítulo 1 - Capítulo único.


Fanfic / Fanfiction Dreams ; Tsukkiyama - Capítulo 1 - Capítulo único.

Aviso: Conteúdo explícito, nsfw

Eram 3:24 da manhã. Kei estava lá, sentando na sala de sua casa rolando o catálogo da netflix para cima e para baixo em busca de qualquer série aleatória para que pudesse usar como desculpa para a insônia.

O ar era gélido, como era de costume as poucas horas da madrugada. O loiro não estava nem um pouco sonolento, se encontrava atento em ler a sinopse de quaisquer história que passara na tela.

Seu celular que estava jogado em algum lugar do sofá que se deitava, ascendeu de repente e junto fazendo um tremor que o fez se mover pelas cobertas.

"Tsukki? Eu sei que você está acordado, abra a porta, por favor."

- ... Hm? - soltou um grunido. Teria se perguntado por alguns instantes o por quê de Yamaguchi estar na sua casa as três da manhã se não tivesse ido direto a porta sem hesitar.

Assim que abriu a porta a figura esverdeada adentrou diretamente na casa, com um olhar que poderia estar julgando a posição de cada objeto ali.

- Desculpe por isso. Eu realmente precisava falar com você. - finalmente se virou e encarou o loiro que estava com uma cara confusa a sua frente.

- Você parece bem agitado, mesmo fazendo 9° graus lá fora e você estando apenas de pijama. Fora do habitual. Não vou fazer mais perguntas desnecessárias se não estiver disposto a responder, mas... o que diabos você veio fazer aqui?

- Soa como se estivesse reclamando?

Kei se arrepiou com o olhar que Yamaguchi tinha o lançado, o que havia com ele? Bom, não que seja... ruim, mas, ele com certeza estava, hã, selvagem?

- ...Hm, não, claro que não. Quer dizer, você está bem?

Tadashi se aproximava cada vez mais, o seu hálito quente se misturava com o do outro, aquela situação era constrangedora.

- Ei, o que deu em voc-

Antes que Kei pudesse terminar sua fala, foi interrompido pelo tom mais alto do de sardas.

- Por quanto tempo vai negar, Tsukki?

- Hã? Negar o que...?

- Que me quer. - Tadashi afirmou, sem freios.

Aquela situação, o que ela era? Seu melhor amigo acabara de informar que Kei o queria?

...Espera, como ele sabe?

- Que diabos...?

Seus lábios estavam a milímetros de distância, Tsukishima temia que o outro pudesse ouvir seu coração bater freneticamente. Feições quentes como o inferno.

O idiota do Hinata havia contando algo a ele? Não duvidaria que poderia ter soltado sem querer algo das coisas que Tsukishima sempre se gabava de Yamaguchi. Ou das vezes que comentava com o Shoyo como ele era adorável e incrível.

Sabia que não poderia de confiar em algum cara com menos de 1,70, mas que droga.

- Você ama omitir as coisas, não? – consiste Yamaguchi.

Lá estava Tsukishima, impressado contra a parede. Yamaguchi apertava os seus dois pulsos acima de sua cabeça, o deixando totalmente vulnerável naquela situação.

A sala ardia como a brasa, o que não fazia sentido, não havia dito que fazia 9° graus essa noite?

Selando aquela situação junto com os seus lábios.

Yamaguchi agora havia apenas uma de suas mãos segurando o pulso de Tsukishima, com a outra que estava livre ia intercalando entre a cintura e a coxa do loiro.

Foda-se

Tsukishima não ia se deixar por baixo naquela situação. Não sabia qual seria sua desculpa no dia seguinte, apenas queria aproveitar o caso nem tão desastrosa que estava havendo ali.

Dominando totalmente a situação, Kei inverte as posições, dessa vez jogando agressivamente o esverdeado na parede, o que fez sua garganta soltar um som constragedor.

O olhar sedento do loiro foi rapidamente percebido.

- Não vá se arrepender de nada que acontecer aqui, Tadashi. - Susurrou em seu ouvido fazendo seu corpo estremesser por completo, logo se recompondo e com um sorriso ladino respondeu o de óculos

- Eu gosto desse seu lado, Tsukki~.

Não aguentando mais a humilhante provocação. Tsukishima selou um certeiro beijo no lábio alheio.

Seus corpos colados e sendo esfregados um contra o outro. Ouviam as respirações ofegantes.

Yamaguchi não se deixou abalar e logo colocou a mão na nuca do mais alto, embaraçando a mão por seu cabelo e o puxando levemente. Aprofundou o beijo quando lhe foi permitido e continuou a brincar com os fios de cabelos loiros.

Tinha certeza que queria aquilo em todos os sentidos possíveis.

Não se importava mais com o horário, situação, ou qualquer coisa, seu foco naquele momento era a cintura fina de Yamaguchi.

Acariciava por baixo da camisa do parceiro, fazendo que o outro deixasse escapar ganidos de prazer.

Yamaguchi deixou uma sequência de beijos e marcas no pescoço pálido de Tsukishima. Sabia que apenas ele veria aquilo, era excitante.

Quando se percebe, o esverdeado ja estava no sofá em cima do colo do outro. Peças de roupas eram jogadas no chão sem serem percebidas. Agora só restavam as peças de baixo.

A falta de ar sempre vinha para separa-los, em um dos momentos Tadashi não parou e apenas usou a sua arma suprema. Sua bunda.

A ação seguinte fez com que o loiro reagisse imediatamente com uma revirada de olhos.

O de cabelos verdes rebolava lentamente no colo alheio, seus corpos se encaixavam como se houvessem sido feitos um para o outro.

Suspiros pesados era deixados da boca dos dois.

Estava em seu ápice, jogou o de sardas contra o sofá.

Agora estara completamente despido.

- Caralho, você é... lindo.

Yamaguchi sentiu seu rosto esquentar mas decidiu ignorar.

- Você vai fazer... Aquilo? - O esverdeado pergunta, mesmo já sabendo a resposta.

Tsukishima o encarou friamente, estava certo ds que dominava a situação e não se deixaria por provocações alheias.

- Se você não quiser...

- Que? – Se indignada rapidamente da fala do mais alto.

- Haha, eu estava apenas brincando, seu idiota. Não deixarei você fugir de mim. - Jogou seu cabelo para trás depois disso, Yamaguchi, no entanto escondia seu rosto entre os braços, ele admitia que havia perdido o jogo aquela vez.

Kei se inclinou para a gaveta que estava ao lado do sofá, havia... camisinhas e lubrificante. Um pouco suspeito por ser apropiado demais a situação.

Ignorando o fato que não parecia ser tão incoveniente no momento, começou.

Um dedo, dois dedos. Yamaguchi fazia sons que crussificariam sua dignidade se mais alguém os ouvisse. Ele se contorcia com o contato do líquido gelado e dos dedos do outro em si. Três dedos, quatro dedos e mais sons constragedores.

Ele estava pronto, ambos os corpos estavam quentes e sedentos por mais.

- Eu posso... ? - apreensivamente Kei pergunta, queria ouvir a confirmação do de cabelos verdes.

Yamaguchi encarou os olhos castanhos do outro o tempo inteiro - Se você continuar enrolando acho que poderia ser considerado tortura.

Kei riu, satisfeito.

- Como quiser.

Afastando o fios de cabelo claros do rosto, parecia que uma aura de lava o cercava e uma ainda mais quente o corroia por dentro. Nunca havia sentido algo assim antes.

Arfadas pesadas eram ecoadas pelo local.

As vezes pequenas lágrimas saiam dos olhos de Yamaguchi, mas estava tudo bem, Kei sempre as limpava quando possível.

Estavam em sintonia, um ritmo súbito os acompanhava. Como uma explosão de supernova. Chegariam a seu auge proximamente.

Arranhões eram deixados nas costas de Tsukishima, mas não se importava

Como o último toque, tudo se esvaiou, ambos estavam ofegantes e suados, mas isso não os impediu de continuar com seus corpos juntos, queriam ficar o máximo de tempo assim. Se sentiam em casa um junto ao outro.

Sentiam como se estivessem derretendo, física e mentalmente.

Um beijo foi deixado nos lábios de Tadashi antes que Kei se desmoronasce em cima do corpo do tal.

- ...Temos que limpar isso, você sabe. - Yamaguchi disse e soltou uma risada no final, genuína e sutil.

- Akiteru vai nos matar. - Ambos riram do comentário, ainda estavam com respirações pesadas e corpos ainda molhados.

- Que nada. - O de sardas respondeu e deixou junto um bocejo, estavam exautos.

- ... - Kei sorriu e se encaixou sobre o corpo de Tadashi. Queria ficar assim para sempre.

Até que finalmente fechou os olhos.

•••

Acordando no mesmo sofá, limpo, vestido, sozinho, e com uma ereção.

- ... Eu me odeio. - Tsukishima constatou e pegou seu celular.

Contava 4:35 da manhã, droga, até quando aqueles episódios iam continuar?

Além disso percebeu quatro novas mensagens. Eram todas de Yamaguchi.

4:06 Tsukki? Você está acordado?

4:10 Eu preciso falar com você. 

4:15 Bem, você deve estar dormindo, seria muito incomodo eu ir ai agora?

4:35 Acho que você não vai me responder agora (╥﹏╥).

                                      4:36 Oi. Sim, estou acordado.


4:36 Ai meu deus! Eu não te acordei, não é?

            

             4:37 Em parte, sim. Mas não importa agora.


4:37 Desculpe, Tsukki! Eu estou indo ai agora mesmo.



Notas Finais


Gostaram do tombo? HAHA, desculpem por iludir vocês assim! ☆ ~('▽^人)

Bem, pensem no que quiserem sobre qual era o assunto que Yamaguchi iria tratar com Tsukishima as 4 da manhã, ehe~
Se gostaram deixem o ♡, por favor!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...