1. Spirit Fanfics >
  2. Drive with me (Lee know, Lee Minho) >
  3. 003

História Drive with me (Lee know, Lee Minho) - Capítulo 3


Escrita por: Maimisag

Notas do Autor


Primeiramente desculpa a demora, eu consegui outro celular graças ao universo e agr eu tenho muito tempo pra escrever já que não estou mais trabalhando então fico a manhã e tarde toda livre, fora que todo esse tempo distante me fez ter mais criatividade e peço desculpas se a leitura estiver difícil de entender é que eu estou me adaptando à um tipo de escrita, estão perdão desde já. Outra coisa, vou escrever outra fanfic conhecida como as memórias de uma duquesa, vai ser meio clichê, porém creio que vcs vão gostar.
Segundo apoiem muito essa fic, preciso disso pra saber que vcs estão gostando, isso incentiva a escrever e continuar com as histórias. Beijos e boa leitura!📚

Capítulo 3 - 003




Pov lonnie



 


Hyunjin pegou em meu pulso me puxando para dentro da casa, a procura de um lugar mais reservado.  A música alta e a festa ficando cada vez mais cheia, fazia com que tudo fosse mais excitante. Ele ia me guiando entre a multidão até chegar as escadas, em meio a tantas pessoas se pegando e fumando um, conseguimos achar um quartinho parecido com um depósito. 


Sem mais espera hyunjin atacou meus lábios os beijando, suas mãos foram passando pelo meu corpo, cintura, pescoço, seios, bunda, procurando por mais e mais contato. Não fiquei parada também, enquanto o beijava, eu puxava levemente seus cabelos o que fazia suspirar entre o beijo. Hyunjin como sempre muito direto, não se contentou apenas com toques rasos, ele ansiava por profundidade, intensidade. Seus dedos já passeavam pelo interior da minha coxa direita, leves arranhadas, provocações e finalmente chegar no meu íntimo.  Sobre a calcinha mesmo,  ele fazia movimentos circulares até achar o que queria,  ele sabia que havia encontrado ao me fazer gemer, o que lhe fez soltar um sorriso de satisfação.  A sensação era maravilhosa e hyunjin sabia o que fazia,  devo dizer que até melhor que muitos que já passaram por mim. 


Esse ato fez com que tudo ficasse mais intenso,  eu ia arfando entre o beijo e hyunjin ia aumentando os movimentos até ser pouco pra mim,  eu precisava de seus dedos diretamente em mim, sem nenhum obstáculo. 



- hyun, hyunjin...


- hum. 


- tira pra mim.


- mas já, baby?


- hurrum, agora!


Disse num tom autoritário, hyunjin ficou surpreso e soltou um sorriso, seus dedos então pararam e ele arrastou o pano pro lado.  Sua expressão era de total malícia, as coisas a partir dali com certeza seriam mais interessantes e prazerosas. Em um ato hyunjin tirou seus dedos de mim levando até a boca, chupando as pontas na intenção de os lubrificar mais, e isso foi tão sexy. Ele levantou sua perna encostando seu pé na parede para servir de apoio para a minha, e então novamente me tocou. Suspiros iam se transformando em gemidos que conforme hyunjin aumentava a velocidade iam se intensificando. Estava sentindo prazer puro, logo logo chegaria ao orgasmo, estava sentindo o pico do êxtase, e então chegando ao clímax. 



Isso foi incrível, eu queria mais, e mais daquele corpo,  se era tão habilidoso com os dedos, oh não quero nem imaginar do que seria capaz com outras coisas.  Não ia demorar muito pra descobrir já que hyunjin tinha praticamente me posto contra a parede tirando de vez minha calcinha e se ajoelhando. Minha buceta pulsava só de o ver assim.



- pode colocar sua perna no meu ombro,  facilita meu trabalho baby!


Assim fiz, ele levantou meu vestido levemente e encostou sua língua no meu íntimo. 


Gemi com o contato, era tão gostoso, e o tanto que já estava sensível pelo orgasmo recente.  Ele sugava meu clitóris mudando de intensidade o que me deixava louca,  era maravilhoso sentir sua respiração quente contra minha pele. Não demorou muito pelo próximo orgasmo chegar,  melhor e mais forte que o outro.  Porém,  ainda não estava satisfeita, nem eu e nem hyunjin. 



- Agora é minha vez, baby.  Disse mordendo os lábios. 


Hyunjin sorriu malicioso e já foi tirando o cinto e abaixando a calça e a cueca o suficiente para tirar o seu pau pra fora. Não era ridículo de grande, mas era grosso o que me daria um pouco de trabalho (você, jovem fanfiqueira que lê hot, vai achando que só cara de pau grande sabe foder e que pau gigante dá mais prazer, dá nada, principalmente se ele fizer mal e te machucar,  aí até uns 8cm dá pra dar aquela que nem 21cm consegue.  Eh isso,  foi mau por quebrar o clima, mas eu precisava) peguei na glande descendo até o meio de leve, me posicionei de joelhos e coloquei somente a ponta na boca, fazendo hyunjin soltar um gemido baixo, logo fui colocando o resto até quase a metade, até onde consegui. Fiz movimentos de vai e vem com a cabeça e com as mãos, assim lhe proporcionando mais prazer.  Conforme os gemidos dele iam aumentando,  os meus atos iam também,  por mais que estivesse sentindo um pouquinho de dor na mandíbula,  ainda sim sabia que ia valer a pena.



- lonnie... eu tô sentindo que já... que já vou gozar. 


É, eu sei e eu esperava por isso.  Fui diminuindo a intensidade, queria que durasse mais, era uma tortura para ele, mas ia me agradecer depois,  sei o que estava fazendo. Tirei seu membro da boca e peguei minha camisinha que estava na bolsa.  Nem por um caralho tão gostoso quanto aquele eu iria trepar com alguém sem camisinha. 


Com seu membro ainda rígido coloquei o preservativo e sentei hyunjin no chão para que pudesse colocar seu pau em mim. Assim que sua glande tocou minha vulva,  nós dois gememos pela sensibilidade, ele pegou na minha cintura e me puxou fazendo seu membro entrar em mim. Gemi alto por sentir até um pouco de dor, mas uma dor tão gostosa. 


Coloquei minhas mãos em seus ombros pra me ajudar com os movimentos de vai e vem, usava meu quadril para rebolar. 


O quartinho foi preenchido de gemidos e sexo, quanto mais aumentava a intensidade,  mais barulho fazíamos. Estava sentindo o pico voltando,  a adrenalina, o êxtase e então,  então...



- MAS QUE PORRA É ESSA LONNIE... E HYUNJIN?


Droga, será que eu estava tão fora de mim que nem ouvi a porta abrindo? 



Saí rapidamente de hyunjin o fazendo um som de descontentamento. 



- meu deus,  eu vou esperar lá fora.


Jinsung fechou a porta com força me deixando em choque e um pouco constrangida. 


- ahh


- que foi?


- broxei!


- normal, depois dessa situação. o que é anormal é ter que ver ele depois dessa.


Vesti minha calcinha e sai do quartinho deixando hyunjin só. 


Quando cheguei a sala procurei por Jinsung e nada dele.


Será que ele tem algum sentimento por mim? Pensei. 


- ah, por favor não Jinsung. 


Voltei a procurá-lo,  até ouvir alguém perto o suficiente pra que eu pudesse escutar


- ele tá lá fora. 


Disse o amigo de Seul de sung 


- o quê? 


Questionei. 


- está procurando jinsung?  Ele está lá fora com o chan.


- ah obrigada! 



Corri para fora a procura dele. O vi perto da piscina e fui até sung para conversar ou sei lá o que iríamos fazer. 


- sung eu...


Ele nem me olhou, o que será que ele está pensando,  será que gosta de mim? 


- lonnie, nem tenta se explicar. 


- mas o que eu fiz de errado? 


- Mano, você estava transando com um dos meus melhores amigos. 


- e eu não podia? 


Perguntei indignada, o que ele esperava? 


- você não tem noção mesmo né? 


- noção do que? Me fala!


- isso é ridículo, você mau conhece ele, não sabe do que ele é capaz, não sabe de nada dele.


- o quê?  Como assim?  Agora virou crime transar com estranhos,  qual o seu problema com isso? 


- o meu problema é que você é minha melhor amiga, se envolvendo com meu outro melhor amigo. 


- é esse o problema?  Vê se cresce jinsung!


Não acreditei no que acabei de ouvir,  era sério?  


O deixei sozinho novamente.  Aquilo já foi demais pra mim,  a festa tinha acabado pra mim, já tinha dado tudo que tinha que dar.


Voltei pra sala e avistei hyunjin descendo a escada com um olhar de preocupado,  não estava nem prestando atenção no que estava fazendo até trombar com Minho. 


- aí garota! Quase que você me derruba.


- me desculpa, eu já vou indo. 


- só presta atenção na próxima vez.


Fiz um beleza com a mão e segui meu caminho.  Mandei uma mensagem pra meredith que ja estava indo pra casa e pra não se preocupar.  O caminho todo foi eu pensando em várias possibilidades pelo qual jinsung reagiu daquela maneira. Com certeza não era por sermos amigos dele, tinha algo mais, e eu temia o pior.





No outro dia, segui com minha rotina normalmente. Tomei um banho rápido,  não por estar atrasada,  mas por querer ir a pé e pensar um pouco.  Caminhar ajuda nisso. Vesti meu uniforme ridículo, vermelho e azul escuro, era uma camisa com gola e uma saia com pregas até os joelhos,  se fosse pelo menos como os uniformes japoneses eu ia gostar,  mas eu tô parecendo a filha do pastor da igreja da minha tia. Tinha a opção da calça, mas infelizmente estavam sujas. Coloquei um all star vermelho meio desbotado pelo tempo de uso, isso deixava o uniforme menos brega, fora que éramos obrigadas a ter o cabelo preso em coque, eu juro que me esforçava pra entender aquele lugar e as regras de vestimentas. 



Ao terminar de me arrumar,  fui até a cozinha e não tinha nada que fosse rápido de fazer,  então decidi comer no caminho. 


Peguei minha mochila, meu carregador, fones e meu celular.  Quase me esqueci das chaves. 


Saí de casa e fui até uma lojinha que ficava no caminho da escola, isso me lembrou muito de sung, quando estávamos atrasados sempre íamos lá comprar nossos lanches.  Por que sempre que estamos brigados tudo me lembra ele?


Ao chegar lá,  parecia até obra do destino, adivinha quem também estava lá? Isso mesmo,  meu melhor amigo e seu outro melhor amigo. 


Não tinha nem como fingir que não vi, e muito menos ele. Jinsung me olhou com desdém e aquilo doeu, parecia que nem era aquele garoto que conheci,  parecia outra pessoa. Sei que isso vai continuar até nós conversamos, mas aquele não era o momento e nem a hora. Apenas fui para a sessão de frios e peguei um achocolatado e dois bolinhos prontos pra viagem. 


- vish, que climão, dá até pra pegar.


Disse Minho. Eu e sung o olhamos com reprovação, que idiota. 


- Minho,  6:40 da manhã. Alivia aí 


- tá né,  mas foi você que me acordou. 


- cala a boca e paga logo isso aí. 


Disse ele irritado. Parece que não estava sendo uma boa manhã pra ninguém. 



Durante toda a aula foi solitário, jinsung era meu único amigo, de qualquer forma seria daquele jeito, já que ele tinha ido para a faculdade.  No segundo período eram aulas extras,  como artes, esportes, línguas. Ano passado eu fazia parte dos esportes,  acho que ia continuar,  mas ao invés de continuar no muay thai, eu iria pro taekwondo. Era uma boa, principalmente pra descontar a raiva . Fui até o vestiário pra trocar de roupa e pegar um kimono,  prendi o cabelo em um rabo de cavalo.  A aula já havia começado e o professor ia apresentar os novos alunos,  pra falar a verdade eu achava isso um saco, qual a necessidade de apresentar os novos alunos???



- boa tarde alunos,  eu sei que muitos de vocês estão aqui pra aprender a brigar, mas já aviso que as artes marciais não são permitido o uso pra violência gratuita,  peço respeito. Vamos lá hj temos muitos novos alunos e por sorte hoje vou apresentar só um, que é novo na escola e aqui nas aulas extras de taekwondo. 


Esse é um aluno transferido pro último ano, se apresente por favor. 


Um menino de cabelo loiro e sardas levantou e começou a falar.


- meu nome é Félix,  lee Félix.  Eu vim da Austrália e estou fazendo meu último ano aqui, mas inscrevi pra essa aula extra porquê quando mais novo eu praticava o taekwondo e agora vejo a oportunidade de continuar treinando. 


- muito bem Félix,  pode se juntar a turma. Vamos começar com os exercícios mais fáceis como um aquecimento. Façam duplas!



Como a maioria ali se conhecia já fizeram suas duplas,  sendo assim só tinha sobrado eu e o garoto novo. É  óbvio que fizemos dupla e isso me deu um djavu tão forte,  por que será?  Ah por que será lonnie?



Ao final da aula,  segui pra casa, não estava nem um pouco afim de continuar fingindo estar tudo bem, eu precisava falar com jinsung,  nem que seja pra brigar com ele,  mas eu precisava. 


Peguei meu celular e fui no aplicativo de conversas no contato dele e mandei a seguinte mensagem. 



nnie: Precisamos conversar,  não somos mais crianças pra parar de falar e achar que uma hora ou outra isso vai se resolver 🔹️🔹️


Han: estou muito ocupado, o primeiro dia está sendo puxado demais para um primeiro dia. 🔹️🔹️


nnie: para de mentir, eu sei que só apresentaram a faculdade e falaram sobre a história e o motivo dessa cidade ter tantos universitários 🔹️🔹️


Han: eu sei, isso é ridículo.🔹️🔹️


Han: okay, mais tarde passa aqui no dormitório 🔹️🔹️


nnie: okay, 7:00 eu tô passando aí 🔹️🔹️


Han: 👍 🔹️🔹️



Que droga sung.



Eu só não entendo o motivo de toda essa birra, que saco. 



Após tomar um banho mais demorado, vestir algo mais confortável e me preparar psicologicamente pelo que viria, eu finalmente tomei coragem para ir ao dormitório. A rua estava agitada, mas não como o de costume, aquela correria pra fechar as lojas, não, poderia ser por qualquer outro motivo, ainda bem que a faculdade não era tão longe de casa, eu iria odiar ter que andar mais. Estava na frente do prédio de jinsung e dos meninos, eu não sabia se eles estariam lá ou não, mesmo assim prefiro esclarecer as coisas, sung é o meu melhor amigo, praticamente o único que eu sou mais próxima.


 Vamos lá lonnie, você consegue 


Toc toc toc... bati na porta. 



 -MAS QUE PORRA! Quem que é o jumento que não sabe que tem campainha? 


 Disse Minho abrindo a porta.


- pois não?


- ah, oi Minho. O jinsung está?


- ahhhh, não. 


- relaxa, ele me chamou pra vir aqui. 


- droga! Entra.


- Obrigada. 


- não me agradeça, se fosse por mim, você nem falaria mais com ele.


- como é? 


- ele tá no quarto, não me enche.


Mas que moleque abusado ridículo, o que eu fiz pra ele? Parece que me odeia, mas isso não importa.


Bati novamente na porta e ao escutar um "entra" de jinsung, abri a porta e entrei.


- sung eu, eu vim pra esclarecer as coisas. Não gosto de ficar brigada com você. 


- lonnie, eu sei que sou seu único amigo, e você pode me achar um babaca ou sei lá, mas eu preciso do meu espaço...


- o quê? Acha que eu vim aqui por ser meu único amigo e que não tenho mais ninguém e que me sentiria solitária? Isso é ridículo. 


- lonnie não, não é isso. É que...


- é que o que? Me diz? Qual seu problema? 


-veio pra se desculpar ou me insultar? 


- acha que eu vou pedir desculpas por aquilo? Eu não fiz nada de errado, eu vim aqui justamente pra resolver as coisas entre nós dois, isso não tem a ver com terceiros. 


- ah francamente lonnie, você é uma amiga horrível. 


 O que? Aquilo foi como uma faca entrando no meu peito, fiquei sem fala alguma, tudo o que eu fiz foi ficar parada. Como ele poderia depois de ser a única pessoa naquela escola que se importava com ele.


- acha que eu me importo com quem você trepa? Eu tô pouco me lixando, o problema aqui é você me trair. Ver você com ele me deixou furioso, me deixou uma sensação de impotência de fraqueza de coisas ruins misturadas. Eu não suportei ver, e me dá mais ódio cada vez mais que essa cena se passa na minha cabeça. 


- o que você está querendo dizer com isso jinsung, o que significa? 


-significa lonnie, que eu gosto... que eu... que eu gosto do hyunjin. 











...












Notas Finais


Booom! fiquem com essa bomba que semana que vem tem capítulo. É isso meus amores, espero que tenham gostado do cap e deem sua opinião sobre, pra eu saber que estão gostando.

E muitos corações 💕 💕 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...