1. Spirit Fanfics >
  2. Droga, ela é uma Cullen >
  3. Visões podem mudar

História Droga, ela é uma Cullen - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Visões podem mudar


Fanfic / Fanfiction Droga, ela é uma Cullen - Capítulo 13 - Visões podem mudar

Helena

- Então… - Começo hesitante ao ver Leah e Alec trocarem farpas pelos olhos.

- Vocês querem conversar ou algo do tipo? Jacob já deve estar voltando de qualquer maneira. - Eles nem se resignam a me encarar.

- Não. - Suspiro ao ouvi-los rosnar ao mesmo tempo, Leah bufa e volta a colocar o carro em movimento, Alec pega a deixa e logo volta a correr entre as árvores.

- Você quer fa… - Leah me interrompe com um olhar mortal e suspiro.

- Tudo bem, falamos quando você estiver pronta. - Ela suspira, mas não me encara.

O resto do curto percurso corre rápido e logo estamos nos Cullen novamente. Leah tem o nariz enrugado e encara os vampiros no quintal com cara de poucos amigos, suspiro.

- Vejo você mais tarde, certo? Diga a Jacob que tudo bem se ele quiser passar a noite com Billy. - Leah assente sem nenhum comentário espirituoso sobre Jacob ficar longe de mim e logo foge para a mata. 

Assim que entro em casa percebo que nosso espaço que já parecia claustrofóbico é quase sufocante, o clã egípcio chegou. Eu não os conhecia de fato, mas é claro para qualquer um que Amun não quer estar aqui, além disso Benjamin e seu dom de controlar os elementos logo me encantam.

É tarde quando Jacob volta, Benjamin e eu estamos na floresta perto de casa enquanto ele faz o vento dançar ao meu redor e eu não posso controlar minha risada, estou rodopiando pelo ar quando pego o vislumbre de Jacob, ele está escorando em uma árvore com os braços cruzados, milagrosamente ele tem uma camisa, calça jeans e uma mochila nas costas, ele usa até sapatos! Mas sua expressão não é exatamente algo agradável, ele não me encara, pelo contrário, está olhando Benjamin, que se percebe, o ignora veementemente. 

- Hey, Jake! Leah chegou bem em casa? - A pergunta sutil está aí, você sabe sobre o imprinting? Ele assente uma vez e enfim foca seus olhos em mim, as borboletas brigam entre si e sou obrigada a sorrir com o frio na barriga que elas fazem com o movimento das asas.

Jacob bufou um pouco, como se estivesse brigando consigo mesmo e marcha em minha direção. Antes que eu possa falar qualquer coisa estou entre seus braços perdida em um beijo intenso e apaixonado. 

- Então nada de dormir no Billy? - Consigo dizer quando ele pausa para me deixar respirar, ele revira os olhos e entrelaça sua mão na minha.

- Vamos discutir táticas de batalha pela manhã, além disso eu prefiro estar ao seu lado.

- Bem, você deve ser o único. - Rosalie assovia. Reviro os olhos com o comentário sarcástico de mamãe na porta da casa, Benjamin não está a vista em lugar nenhum.

- Que tal uma trégua, jovens? Se vocês pretendem continuar discutindo como duas crianças é melhor que nenhum dos dois supervisione minha filha. - Aro tem um sorriso gentil nos lábios, mas eu sei melhor.

- Tudo bem, eu preciso de um banho, estarei de volta em breve. - Sem sequer pensar deixo um selinho nos lábios de Jacob e subo as escadas correndo, apenas para quase cair no último degrau, quase porque Jane segura meus braços antes, mas um pouco atrás um Emmett preocupado estava pronto para me segurar também e logo atrás do clã Denali, Rose e Jake me encaram. Meu Deus, muitos vampiros para um humano apenas, agradeço Jane rapidamente e corro para o meu quarto. Droga.

Mais tarde, após o jantar, de banho tomado e moletom me sento ao lado do elegante Edward Cullen que sorri para mim quando tocamos piano. As coisas relacionadas a arte geralmente me puxam, com o piano não foi diferente, há muito que Tio Ed descobriu isso e encontrou o parceiro perfeito para tocar, ele me ensinou tudo o que sei e nós criamos a música que toca agora. É alegre, mas ainda assim melancólica, é alegre porque eu escrevi sobre minha família e é melancólica porque eu sei que Ed pensou em mim quando escreveu e como ele não teria a oportunidade de ensinar a  filha dele como tocar piano. Tio Ed me encara ao ver meus pensamentos, mas sorri.

- Na verdade, eu fiz. - Ele beija minha testa e deixa que eu finalize a música sozinha. Sorrio para ele ao terminar.

- Você fez. - Nós sorrimos um para o outro antes que ele comece uma melodia mais alegre, logo eu o acompanho, levanto meus olhos para ver minha família, os de perto e os de longe sentados ao redor da sala nos assistindo, mas paro rapidamente e meus dedos se atrapalham ao encontrar o olhar de Alice, ela está tendo uma visão, Ed pega o mesmo vislumbre que eu e então são seus dedos que se atrapalham, o encaro chocada, Edward nunca se atrapalha.

Assim que os olhos de Alice voltam a ter foco e seus olhos voam diretamente para mim, depois para Ed que encara o chão perdido antes de retornar o olhar de Alice.

- O futuro pode mudar. - Suas palavras são vazias de emoção, mas posso sentir lá no fundo a camada de desespero que ele tenta esconder.

- O que você viu, Alice? - Esse é exatamente o pensamento que passa em minha cabeça, mas é da boca de Carlisle que ele sai. Alice rapidamente olha para mim e volta a encarar Carlisle, seus olhos estão nublados de desespero e mesmo Jasper parece incapaz de fazer algo sobre, o que ela viu?

- Não é nada, apenas que eles  chegarão em cinco dias, é melhor nos prepararmos, é muito pouco tempo. - Ela diz a verdade, mas não toda a verdade.

- É sobre mim não é? O que você viu, Alice? - Enfim encontro minha voz e a encaro, ela suspira sem me encarar.

- Não é nada importante. - E então ela some da sala, até mesmo Jasper se surpreende dessa vez, mas logo a segue. Jacob encontra meu olhar do outro lado da sala, ele está na janela maior, seu olhar é provavelmente um espelho do meu, suspiro.

- Que tal Bella’s Lullaby? Ouvi dizer que você tem uma canção para Bella. - Murmuro saindo do lado de Edward no piano e caminhando para Jacob, Bella toma meu lugar e se acomoda em seu marido no mesmo momento que Jacob me puxa para seus braços. Suspiro contente ao sentir o calor do seu corpo ao meu redor e deixo que ele me cubra enquanto a canção de ninar de Bella começa a tocar. 

Só percebo que dormi quando acordo mais tarde no meu quarto e o calor que antes irradiava em meu corpo inteiro está apenas ao redor da minha mão. Jacob está sentado ao lado da minha cama em uma poltrona levemente confortável em uma posição estranha, eu o cutuco gentilmente algumas vezes antes que eu possa ver seus olhos, ele sorri levemente ao me ver acordada.

- Volte a dormir, baby, é tarde. - Reviro os olhos e abro espaço em minha cama.

- Estou com frio. - Tento pela tática da donzela em perigo, mas ele apenas revira os olhos.

- Por favor? - Suspirando Jake trás seu corpo quente e grande para a minha cama, ele me puxa para mais perto de si e beija minha testa.

- Eu amo você. - Sorrio abertamente para ele, mas Jake já está no mundo dos sonhos novamente, revirando os olhos me aconchego mais.

- E eu amo você.  - Murmuro em resposta, ainda que ele não possa ouvir.

Acordo sozinha, mas logo encontro meu lobo ao ouvir os grunhidos do lado de fora. Jacob, Sam, Leah, Jared, Paul, o clã Cullen, Garrett, Amun, o clã Denali inteiro, as Amazonas, Aro, Caius, Marcus, Alec e Jane discutem em um círculo, eu riria se não soubesse o assunto da roda, rapidamente me visto e calço botas antes de correr até eles.

- Eu quero ajudar. - Aro ri ruidosamente da minha declaração bufante graças a pequena corrida.

- Vocês estão colocando suas vidas e a vida de quem vocês amam em risco por mim, o mínimo que posso fazer é ajudar! - Grito enquanto me posiciono no meio do círculo.

- E se vocês não pretendem ajudar eu vou encontrar uma forma sozinha. - Finalizo os encarando, cada um deles.

Bella é a primeira a começar a ceder, mas Alice se exalta imediatamente.

- Não! Você fica em casa, Helena. - Todos a encaram, mas ela me encara, seus olhos não estão raivosos e sim desesperados, preocupados, como na outra noite.

- O que você viu, Alice? - Dessa vez é minha voz quem questiona, mas eu sei, ela sabe, todos sabemos.

- Você me viu, não é? Se eu for até lá eu vou morrer. - Alice encara o chão e Jasper alcança sua mão, suspiro.

- E ainda assim você não desistiu dessa idéia estúpida. - Ela diz, não com raiva, mas magoada.

- Eu não vou. - Afirmo mais para tentar tranquilizá-la, obviamente se eu precisar, eu irei, Alice ri sem humor.

- Você pode tentar, mas atualmente minha missão de vida é manter você aqui. - E ela some.

Suspirando saio da roda também, mas apenas alguns passos e me viro para assisti-los.

Eles discutem por mais alguns minutos e  então a roda se abre para Emmett e Alec. Aro dá um passo a frente e começa a falar encarando intensamente os outros.

- Os vampiros que vocês irão enfrentar tem provavelmente o dobro de experiência em guerra do que vocês têm em vida, não são motivados por sangue ou extremamente ansiosos, não estamos enfrentando recém-criados. Os vampiros que nos atacarão em quatro dias agem em bando, são cautelosos, espreitam e atacam para matar. Um movimento errado e vocês estão mortos. Jane. - Aro volta para a roda e então tudo que vejo é um borrão. Jane não usa seus poderes, o que é ótimo porque não quero ver meu pai se contorcer de dor. Eles lutam em velocidade vampira, mas nem a força de Emmett consegue parar a experiência de Jane e logo ele está deitado no chão.

- Você já estaria morto. Temos muito o que fazer. - Aro murmura com um falso ar de decepção.

Bella e Kate treinam sua habilidade de escudo em um canto da clareira, enquanto Sam, Paul e Jacob em suas formas de lobo lutam contra Jane, Alec e Edward, os outros quileutes estão rondando a floresta e os vampiros treinam em rodinhas com pelo menos um Volturi ou um ex-Volturi. 

Todos se agitam e se rasgam por horas a fio enquanto eu apenas os observo de um canto da clareira, me sentindo inútil e ridícula pego alguns mapas das florestas de Forks e passo a decorá-los. 

- Que engraçado. - Me assusto ao ver Garrett parado ao meu lado, ele sorri agradavelmente e indica o chão ao meu lado, assinto lentamente e pelo canto do olho vejo Jacob me encarar, aceno positivamente para ele, que segura meu olhar, mas logo desvia por causa de um golpe vindo de Jane. 

- Você não tem cheiro de humano. - Franzo minha sobrancelha para ele.

- Como assim? - Ele sorri se esticando confortável ao meu lado.

- Humanos cheiram diferentes de vampiros e… - Ele acena em direção aos lobos lutando, concordo mostrando que entendi, ele se volta para o céu e coloca os braços atrás da cabeça enquanto encara o sol.

- Mas você não cheira como humana, mas também não é um cheiro vampiro, estou apenas me perguntando se isso é uma característica híbrida. - Concordo confusa com onde ele pretende chegar, eu já sabia disso, minha família me explicou junto com grandes discursos sobre o segredo dos vampiros. 

- Porque você não é forte e rápida como um vampiro? Você tem o gene, certo? - Ah, volto a encarar meu mapa e rabisco uma seta na clareira que estamos.

- Meus avós maternos de alguma forma bloquearam meu lado vampiro quando eu ainda era um feto.

- E há algo que você possa fazer para desbloquear? - Franzo as sobrancelhas voltando a encará-lo.

- Por que eu iria querer isso? - Ele sorri sem me encarar e fecha os olhos.

- Bem, tudo isso é para garantir que você viva, eu fico me questionando se seus pais e família estão prontos para quando o curto período de vida humana que você tem acabar, afinal, eles são imortais, mas você não. 

Encontro o olhar de Rosalie do outro lado da clareira, é óbvio que todos estão escutando. Eu sei que eles já pensaram sobre isso, mas nunca falamos sobre, eu sei que mamãe gostaria que eu tivesse uma vida longa e bonita como humana, com um casamento, filhos e um emprego, amigos para visitar nos finais de semana e netos no final da vida, mas ela está pronta para me deixar ir? Eu quero ir? E outro questionamento aperta meu peito e são os grandes olhos castanhos de Jacob que eu encontro, ele me prefere morta ou vampira? 

- Bem, bem, muito para pensar, não é? Que tal aprender alguns golpes de auto defesa? - Me animo instantaneamente com a sugestão de Garrett e pulo do chão.

- Por favor! - Ele sorri ainda mais se levantando.

- Tudo começa com a posição dos pés, uma base forte é essencial.

Garrett me dá lições de auto defesa até Kate começar a dar choque em Bella e fascinado ele vai assistir, revirando os olhos eu volto para dentro de casa e ajudo Esme com o almoço, que é quase jantar. Nós servimos tudo e levamos para Jacob e Seth, que chegou por último, os outros foram embora quase que no mesmo momento que eu saí da clareira. Me sento com eles do lado de fora da casa e Jacob me deixa praticamente colado ao seu lado. Quando ele termina me aconchego em seus braços e suspiro contente.

- Eu estou com medo. - Ele assente.

- Eu sei. - Saio de seus braços e o encaro.

- Eu não estou com medo por mim, eu não sei o que faria se perdesse qualquer um de vocês lá. - Ele suspira me puxando lentamente de volta para si.

- Você não vai. Agora fique quieta por alguns segundos, eu só preciso sentir seu sangue correndo, okay. - Há um certo desespero na voz dele e por isso eu me mantenho imóvel.

Nós ficamos assim até Jacob e Seth decidirem se reunir com o resto do bando para tomar decisões e discutir o treinamento de hoje. Jake me deixa receoso e com um beijo quase desesperado, mas logo estou discutindo com Edward, mamãe e Aro o melhor lugar para ficar durante a batalha.


Notas Finais


Então, eu sei, eu sumi. Mas a pandemia e tudo... Bem, não foram bons tempos, entretanto recebi esse comentário incrível que me motivou com força total, obrigada costa14! Esse capítulo é para você! Já estou escrevendo os próximos capítulos e para compensar se terminar, hoje mesmo posto! Obrigada pelo apoio de vocês, são vocês que me motivam!
Obrigada, espero que vocês ainda não tenham desistido de mim!
Por favor, por favor, comentem! Eu realmente aprecio isso e me motiva de uma forma incrível.
Fiquem bem!
Gabi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...