1. Spirit Fanfics >
  2. Dropping rain ( Imagine Kim Seokjin ) >
  3. Taehyung, o dócil

História Dropping rain ( Imagine Kim Seokjin ) - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Um capítulo bem feitinho para lerem embaixo das cobertas nesta quarentena ☺
Uma boa leitura para vocês ( ˘ ³˘)

Capítulo 13 - Taehyung, o dócil


Fanfic / Fanfiction Dropping rain ( Imagine Kim Seokjin ) - Capítulo 13 - Taehyung, o dócil

S/n p.o.v.'s

 Quando finalmente volto para casa, eu me vejo em uma paz enorme. Estava exausta e necessitava de um banho após aquela sujeira que Seokjin fez em mim.

 Abro a minha porta com o uso das chaves e retiro meus calçados deixando-os frente ao cabideiro. Me espreguicei bocejando alto e quando abro os olhos, me assusto ao encontrar So-hyun sentada no meu sofá. 

 -O que está fazendo aqui? - Pergunto rancorosa e So-hyun se levanta sorrindo fragilizado para mim. Vejo também ela segurando a alça da sua mala e a resposta só era mais clara.

 -Bom, Chang Wook e eu discutimos. - So-hyun olhou para os arredores receosa mas voltou a me encarar mordendo o lábio inferior. - Eu saí da nossa casa e agora não tenho lugar para dormir esta noite. 

 -E que você sugere? 

 -Que talvez eu possa dormir nesta noite aqui. Como nos velhos tempos.

 -Nos velhos tempos eu tinha uma melhor amiga que se importava comigo. Como teve coragem de dar as caras depois de tudo que fez para mim?

 -Não faça tempestade em copo de água Fox.

 -Não vem me chamando pelo apelido e não diga que estou fazendo tempestade em copo de água. - A adverti apontando meu dedo frente ao seu rosto de modo intimidador porém aos poucos fui perdendo as forças. - Por que So-hyun? Por que fez isso comigo.

 -S/n...Eu tenho pena de você por ser tão inocente. Essa cara de monga me faz sentir enjoada. - Nego com a cabeça repetitivas vezes não conseguindo compreender a súbita atitude da minha melhor amiga. - Você acha que o Chang a considerava uma mulher? - Ela começa a gargalhar sarcástica. - Você nunca foi o suficiente para qualquer homem. 

 -Já chega. - Seguro as minhas lágrimas e alcanço sua mala e a levo em direção à porta toda desajeitada. - Eu não quero vê-la mais aqui. Me dê as chaves. - Peço estendendo minhas mãos aguardando que as cópias fossem devolvidas, algo que deveria ter feito há tempos.

 So-hyun caminhou até a porta e parou ao meu lado enquanto eu permaneci observando as minhas sapatilhas.

 -Certo, se é isso o que quer. - Eu não respondo nada e noto So-hyun olhando para mim. Ela devolveu suas chaves e bufou. - Eu acredito que irá se arrepender por me deixar sozinha na rua. 

 Eu não estava suportando mais isso. Olho nos fundos dos olhos dela e alcanço a maçaneta para abrir a porta.

 -Você escolheu o Chang, então vá até ele.

 So-hyun inconformada então pegou sua mala, e saiu da casa esbravejando. Ao fechar a porta eu me escoro nela e encosto minha cabeça sentindo uma lágrima escorrer no meu rosto. 

 -Vamos garota, não dê importância para ela. - Limpo as lágrimas e caminho até o meu quarto preparar as roupas que iria usar após o banho. 

 O clima mudou naquela tarde e adaptar um casaco de frio seria uma ótima opção. 

 Já no banheiro eu me despido e abro o chuveiro. Evito molhar os cabelos e jogo água no rosto desejando que todos os meus problemas fosse embora junto com a água suja do ralo.

 Terminando todo o meu banho, eu começo a passear pela casa arrastando os meus pés calçados pelas meias e vou até a cozinha preparar um café. Mexia nas minhas redes sociais e noto que recebo uma solicitação de amizade do Seokjin. Eu ri e aceito de imediato tomando o café na minha caneca que ganhei do Taehyung.

 Sem notar eu relembro a manhã de hoje dentro do apartamento de Seokjin. Aquela diversão até me fez esquecer por um minuto o dia do meu aniversário que logo chegaria. 

 Papai está nesse momento trabalhando na estrada com seus amigos e certamente nem se lembrará do aniversário de morte da mamãe.

 -Omma será que ele vai ir ao memorial neste ano? - Pergunto segurando a minha gargantilha, o único pertence da minha mãe que pude guardar antes do meu pai queimar junto com as fotografias. - Este ano vou lhe dar ainda mais rosas brancas do que no ano anterior. 

 Coloco a gargantilha por baixo do casaco e no mesmo instante meu celular começa a tocar alto.

 -Oi TaeTae. - Eu dito sentindo calafrios por conta do clima. - Aconteceu algo?

 -Quero que venha na minha casa amanhã. 

 -Tão de repente? O que aconteceu? A sua perna está doendo? 

 -Não precisa se preocupar com a minha perna, eu vou na próxima semana na radiografia. Só quero dar uma surpresa para você.

 -Surpresa? Aigoo eu ando sendo mimada bastante ultimamente. - Falei a qual rapidamente o fez soar uma risada do outro lado da linha. - Pode dar uma dica? 

 -Aigoo se eu lhe dar a dica certamente vai estragar a surpresa. Faz o seguinte, apenas obedeça o meu pedido e vem aqui de cedo okay?

 -Certo, até amanhã Tae. - Encerro a ligação e coloco por cima da mesa.

 Aos poucos foi anoitecendo e exausta parti logo para a minha cama quente. Me enrolei no edredom e encaro o divertido abajur estelar girando, a qual dava aquelas lindas imagens nas paredes do quarto.

 Dormi serenamente e quando acordo de manhã eu demoro um pouco para sair da cama. Lembro que hoje seria o dia onde Seokjin iria concorrer com outros cozinheiros a uma vaga de emprego no restaurante tão badalado de Seoul.

 Enfim saio da minha cama e troco as vestimentas que usava colocando algo apropriado para o dia. 

 Neste café da manhã comi apenas uma torrada com geléia e um suco de abacaxi e parti rapidamente para a casa de Kim Taehyung.

 Chegando frente a sua porta eu começo a revirar minha bolsa em busca das chaves. Ao encontrar eu faço questão de adentrar na sua casa e de costume já encontro ele sentado no sofá assistindo um noticiário.

 -Bom dia. - Dito e me sento ao seu lado colocando a bolsa por cima do meu colo. - Então, o que quer? 

 -É assim que trata o seu amigo quase irmão? O seu amigo que está impossibilitado de fazer algumas coisas por culpa dessa perna torcida. O amigo que a ajudou a superar todas as dores há seis meses atrás. O amigo que dividia o lanchinho e o suquinho nos horários de intervalo da escola. O amigo que construía os castelos de areia no parquinho. 

 -Já acabou? - Taehyung bufou cruzando os braços e eu logo retiro da bolsa o lanche que trouxe para ele de casa. - Toma, é um misto quente que preparei para você.

 -Me comprando com comida? Quero lhe avisar para que continue neste caminho pois está dando certo. - Ele abriu uma das fatias e sorriu vitorioso. - Pelo menos dessa vez não é vegetariano

 -Antes de falar, sabia que hoje é o dia em que Seokjin vai ver a vaga de emprego? Omo eu estou torcendo tanto por ele. 

 -Eu também. Espero que ele consiga a vaga para nós comermos a vontade lá. 

 -Vamos acalmar essa barriga vazia hum? Ele será apenas o cozinheiro e não o dono do restaurante. 

 -Que seja. - Ele mastigou um pedaço que pegou do sanduíche. - Posso falar a surpresa agora? 

 -Pode. O que era tão urgente para me fazer sair da cama cedo?

 -Você se lembra do seu aniversário de vinte anos e lhe presenteei com um livro da sua autora favorita de romances?

 -Claro. Obrigada novamente pelo livro TaeTae. - Meu amigo sorriu e alcançou o notebook ao seu lado aberto em uma página logo me entregando. - O que é isso? 

 -Veja.

 Eu levanto uma das minhas sobrancelhas receosa e pego o seu notebook. Começo a ler o artigo e quase engasgo com a minha própria saliva ao ver o nome de Shin Kyung-Sook estampado na matéria da página.

 -Aigoo Tae, é sério isso? - Taehyung assentiu. - Pensei que estava em Nova York

 -Ela voltou para a Coreia a fim de comparecer ao festival de literatura no museu. E agora quer uma surpresa melhor do que essa? Eu consegui duas entradas para nós neste sábado. 

 -Tae não brinca comigo assim. Está falando sério? 

 -Você acha que eu brincaria com algo tão importante para você? - Ele negou com seu dedo fazendo um biquinho fofo nos seus lábios. - Você pode levar o livro para ela autografar.

 -Você é o melhor irmão que uma pessoa pode ter. - Abraço fortemente o seu corpo como forma de agradecimento mesmo sabendo que aquilo não era o suficiente. Kim Taehyung merecia mais por ser um amigo tão perfeito nesses últimos anos. Selo meus lábios na sua bochecha e aperto a mesma região brincalhona. - Eu te amo amigo. 

 -Eu faço tudo para vê-la feliz. - Ele tocou nos meus lábios e que praticamente me fez sorrir ainda mais. - Também quero compensar a noite de ontem. 

 -Você não tem culpa por isso. - Olhei para o seu pé. - Vai conseguir aguentar nesse fim de semana? Certamente haverá muitas pessoas para ganhar um autógrafo e o médico advertiu que precisava ficar de repouso. 

 -Eu faço um esforço. - Taehyung começou a acariciar o meu rosto e eu não consigo controlar a minha felicidade com isso.

 -Eu preciso preparar a minha roupa. - Me levanto do sofá saindo das suas carícias. - Vou pegar meu livro e deixar do lado da minha cama. O que será que visto? 

 -Calma S/n, ainda é segunda-feira. E qualquer coisa que você usa a torna bonita. Vamos aproveitar o dia para jogarmos algo? Quando o Seokjin voltar do teste podemos jogar aquele jogo de tabuleiro que ganhei dos meus tios.

 -Vamos ligar para ele e dar forças? 

 -Acho uma boa ideia. - Eu prontamente pego o meu celular e inicio uma ligação deixando na viva voz para nós dois escutarmos o mais velho. 

 -Oi.

 -Jinnie é eu, e estou com o Tae!

 -Fala hyung. - Pronunciou o amigo ao meu lado. - Queremos lhe dar boa sorte para a vaga de cozinheiro.

 -Muito obrigado gente, vocês são demais. Confesso que estou um pouco nervoso em não conseguir. 

 -Você vai conseguir Jinnie. Não se esqueça que ontem preparamos o prato principal e deu tudo certo. 

 -Eu sei, mas ainda estou nervoso. Há muitas concorrências pelo que vejo aqui.

 -Hyung você vai conseguir. Esses cozinheiros iniciantes não são páreo para você. 

 -Haha obrigado Taehyung. - Olhei para o meu amigo ao lado e sorrimos no mesmo tempo acreditando no potencial de Seokjin. - Bom desculpe mas agora tenho que ir. A competição começa daqui quinze minutos e o dono do restaurante irá nos levar à bancada.

 -Jinnie fighting. - Vocifero alto.

 -Boa sorte hyung. - Foi a vez de Taehyung proferir torcendo pelo amigo e em seguida encerro a ligação. - Acredito que dará tudo certo.

 -Também acredito. - Me escoro no sofá e solto um longo bocejo pelo tédio que sentia. - O que quer jogar?

 -Comprei um video game novo de artes marciais. Está interessada?

 -Ah, se você dar as coordenadas eu posso aprender a jogar. 

 Kim Taehyung se levantou e com a ajuda das suas muletas caminhou até a estante para pegar o CD. Ele voltou e ao colocar o game na televisão, me entregou os controles apontando para os botões.

 -Olha esse aqui é para se esquivar. - Taehyung segurou as minhas mãos e me fez apertar o botão onde o personagem do jogo se esquiva do adversário. - E esse aqui é para você pular. 

 -Entendi. - Aquela aproximação sua me causava algo que não conseguia descrever. Talvez estivesse nervosa, porém não deveria ficar assim já que éramos grandes amigos. 

 -Se apertar nesse botão o homem irá socar o rosto do adversário. 

 -Eu acho que entendi. 

 -Certo. - Taehyung sentou-se de volta e segurou o outro controle. - Que oponente você quer? 

 -Ah, o vermelho. - Apontei para a tela da televisão. 

 -Vermelho? Certo vamos começar.

 Quem diria que eu estaria aqui. Jogando video game de artes marciais com o meu melhor amigo. Mesmo eu perdendo todas as vezes, Kim Taehyung me consolava dizendo que como eu era iniciante, precisava de ajuda de um experiente bom como ele para não morrer nas próximas vezes e chorar depois no canto. Ah Taehyung, tão dócil.


Notas Finais


To amando o Taehyung nessa fic (*゚∀゚*)
Desculpe qualquer errinho passado despercebido, logo terá uma revisão.
Até a próxima amorzinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...