1. Spirit Fanfics >
  2. .drugs;; >
  3. Party;; unic.

História .drugs;; - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


nao revisado
porfavor leia as notas finaiss
boa leitura~<3

Capítulo 1 - Party;; unic.


h a n   j i s u n g ; ;

Faz um dia que acabei com Lee Felix, o garoto continua no meu pé pedindo o porque de tudo isso;

Você ainda pergunta, Felix? - Digo irritado - Já disse e vou repetir pela última vez; Você deu em cima do Chan, acha que eu não vi? Acha que sou cego pra ver o quão grudadinhos' vocês ficam? Pra mim deu, Lee Felix, eu já disse, acabou tudo.

Han deixa eu me explicar, eu e Chan somos só amigos... É normal pra gente se falar tudo isso sabe-

- Ser corno é normal agora? - O interrompo - Amado eu não nasci ontem. Acha que eu não vi vocês nos "quase-pegas"? - Ele iria falar algo, mas logo continuei - É surdo ou o que? Se eu te ver novamente eu juro que vou fingir que não te conheço, não quero que eu me lembre do quão trouxa fui pra te amar - Eu iria desligar e ele já estava xingando do outro lado da linha e me lembrei; - Ah é... Eu não vou pra' festa por você, vou por causa das drogas - E desliguei. Respirei fundo, e me deitei novamente. Eu só queria dormir até tarde, mas me jurei ir aquela festa apenas para me drogar a vontade sem ninguém mais precisar saber. 

. . .

Estas horas a festa começava, Han Jisung queria estar em sua cama sem fazer nada já que não sentia saudades do ex. Foi a um sofá dos cantos da casa. Ou quer dizer, ele iria lá normalmente se não fosse por um casal transando no lugar. Logo mudou o rumo, foi a o segundo andar do local. A festa era de seu amigo Hyunjin, então provavelmente o garoto poderia estar transando com seu ficante, Yang Jeongin. Parou em um banheiro onde a porta estava entreaberta, então ficou lá até avistar o querido motivo de estar no local; As drogas. Ele sabia como as usá-la, mas dessa vez queria as fumá-la. 

Fez tudo que deveria fazer e fumou aquela droga em que nunca usava, mas supos a entrar no vício por conta do ex que fumava em partes do dia. Saberia que se entrasse no mundo das drogas não teria volta, nunca havia falado pra ninguém, só ele e o Lee sabiam. Agora eles ainda sabem, mas não sabem o que virá para cada um depois disso. 

Ficou ali deitado no chão enquanto fumava o seu vício quando de repente um garoto entrou e trancou a porta. 

 

O garoto achou estar sozinho, só achou. Viu que outra pessoa estava ali jogada e se assustou;

- Moço? - O outro balançou Han - Está vivo?

- Infelizmente - disse respirando fundo. O garoto que já estava agachado suspirou aliviado e se sentou ao seu lado - Por que você trancou a porta?

- Eu pensei que eu estava sozinho e fugi de um garoto que tava tentando ficar comigo... - Han mexia na droga para cair as partes já fumada e ofereceu a o desconhecido, ele logo aceitou e fumou um pouco antes de perguntar - Mas e você... O que faz aqui?

- Aqui é o único lugar que meu ex não vai me achar, é o melhor lugar aqui... E aqui também não tem gente transando - O outro garoto riu da fala de Han - Han Jisung - Estendeu a mão meio torta ao garoto já que estava deitado, o outro sorriu e devolveu o cigarro junto com o aperto.

- Lee Minho, mas pode me chamar de Minho - sorriram. 

 

Entre conversas e conversas iam ficando mais drogados, pensaram em estar drogados enquanto sabiam normalmente o que estava acontecendo. Os assuntos íntimos passavam a ser mais falado entre os dois;

- Vai me dizer que nunca foi passivo? - Han disse e o garoto negou.

- Sempre fui ativo... - Os dois agora se encontravam sentados um de frente para o outro, era começo da madrugada, onde as coisas começaram a esquentar - E você?

- Eu fui passivo algumas vezes, mas sempre fui ativo... - Terminaram o último cigarro que tinham e se olharam. Não um olhar de sorrir ao ver um ou outro no olhar, era um olhar selvagem e perverso. Han pensou ser efeito das drogas, o garoto o encarava tão sensualmente que Han não conseguiu aguentar, ainda no chão engatinhou ao colo do garoto e se obrigou a beijá-lo aprofundando o ósculo. Minho não negou, cedeu a Han, passando as pernas de Han uma para cada lado de seu corpo.

Han o beijava cada vez mais intenso, chupando ou mordendo os lábios de Minho, fazendo o Lee arfar entre o beijo. Acabaram se separando pela falta de ar então se olharam, Han soltou um suspiro quando sentiu o Lee massagear o seu ponto fraco, a coxa, logo desferindo um tapa no local. Han olhava atentamente para os lábios do garoto, que tratou em morde-los, deixando Han, sem perceber, acabando de morder os próprios lábios em resposta. 

Lee e Jisung ficaram se olhando, até Han se aproximar novamente do garoto e começar outro beijo, mas esse teve diretamente suas línguas se encontrando, dando espasmos, clônicos, no corpo de ambos. Agora Jisung rebolava lentamente em seu colo, sentindo sua ereção abaixo de si e jogando a cabeça para trás manhosamente, pedindo para que fosse inteiramente fodido pelo outro, que entendeu o recado e colocou as mãos em sua cintura, incentivando a rebolar mais em seu colo.

Han se sentia incomodado com aquelas roupas, já estava com os cabelos grudados na testa do suor que cheirava a tesão, assim como o Lee. Tirou a própria camisa, deixando Know mais atiçado, indo aos mamilos de Jisung e os maltratando com mordidas e lambidas, fazendo o outro jogar a cabeça para trás e soltar alguns arfares de prazer. Han sentiu o corpo tremer, indicando que iria gozar apenas se Lee continuasse, então o garoto parou, vendo Han respirar ofegantemente, deixando o Lee mais duro com seus lábios vermelhos, por conta de conter os gemidos e acabar mordendo-os, cabelos grudados em sua testa juntamente com gotículas de suor. 

Voltaram a se beijar, desta vez Han tirou a camisa do outro antes, e arranhava seu abdômen, deixando ambos mais duros. Lee se sentia no ápice apenas com seus toques. Jisung deu alguma maneira de tirar sua próprias calças, ficando apenas de box, o que o Lee desejou mais quando viu a grande ereção coberta pelo tecido úmido de pré-gozo. Han viu o olhar do garoto sob si e então se levantou fazendo seu membro ficar da altura de seus olhos, então o Lee tirou sua box e começou a; lamber a glande de seu pau cheia de pré-gozo, enfim colocando na boca e começando os movimentos de vai e vem com sucções no mesmo, vendo Han gemer e jogar a cabeça para trás, enquanto um dos dedos brincava com a entrada do mesmo.

Aquilo se via como uma completa putaria, só Han vendo o garoto fazer tudo com vontade acabou gozando em sua boca, vendo então ele lamber toda a sua porra que escorria do próprio pau. 

Tirou então a calça de Minho, tendo a visão do seu membro pulsante dentro da box, logo saciando em deleite o mesmo tirando a box, dando visão em si agora do seu membro completamente ereto inteiramente coberto pelo pré-gozo. Salivando, sentou-se em seu colo, ainda não diretamente em seu interior, rebolando no colo do de cabelos castanhos enquanto sentia de vez enquanto ir a sua entrada, fazendo soltar gemidos. Após se lambuzar com o pré-gozo do garoto, estavam pouco ofegantes;

De quatro, agora - Sussurrou Minho, vendo o garoto fazer o desejado. Han estava sim preparado, mas Minho em sua mente insistia para preparar o garoto, sem avisá-lo começou um beijo grego em sua entrada, fazendo Han cravar as unhas na própria mão pelo prazer que Minho lhe proporcionava. 

Hm... M-Minho- Aah... - Gemia em deleite, Minho sentia o próprio ventre fisgar com o garoto gemendo, então parou, ouvindo um resmungo do outro, mas o resmungo foi trocado pelo barulho de estalo quando sentiu uma de suas bandas arder, indicando um tapa. Han apenas rebolava para o nada em busca de Minho, que adentrou sem aviso e fundo, acertando a próstata de primeira ao ouvi-lo gemer alto o suficiente para começar a estocar.

 

Lentas e fundas, como torturas para o Han.

Assim que ele começou a rebolar contra as investidas acabou novamente acertando seu "ponto doce", colocando as mãos na cintura do passivo para empiná-lo para si mais ainda, sendo acertada a próstata na outra investida. 

Han sentia o corpo trêmulo, indicando que logo iria gozar. 

Minho levou a mão ao pau do garoto, fazendo os movimentos no mesmo ritmo que as estocadas; acaba que Minho acelera um pouco mais, acertando a próstata do garoto e fazendo ter o segundo orgasmo em suas mãos em um gemido manhoso.

Minho continuou com os movimentos até gozar dentro de Han gemendo pelo nome do mesmo, e então se retirou.

 

 

Han Jisung não queria ir para festa, mas que desperdício seria se não fosse.


Notas Finais


musica;
https://youtu.be/6_LNMiSqpMU
éh importante, nao usem drogas e sim camisinha.

okay não ficou a melhor coisa, eu poderia ter melhorado mas meu fogo não colabora.
me desculpem pela demora de euphoria, vai demorar sim um pouquinho.
como eu disse eu acabei terminando essa one que faz tempo (lê-se séculos) que eu queria postá-la.
sim, aqui Jisung é favelado
ficou ruim, me desculpem novamente.
me desculpem novamente pq vai demorar euphoria.

byeee~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...